SlideShare uma empresa Scribd logo
COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL E
DELINQUÊNCIA JUVENIL
(Conceitos, Reflexões e Propostas)
Transtornos Disruptivos, do Controle
de Impulsos e da Conduta
“Porque Deus não nos deu o espírito de
temor, mas de fortaleza, e de amor, e de
moderação.”
2 Timóteo 1:7
Os Transtornos Disruptivos consistem em um padrão persistente de comportamentos antissociais, que os
jovens manifestam quebrando direitos individuais do outro, e violando regras;
É mais frequente em meninos do que em meninas, com idade inferior a 18 anos;
O CID – 10 – Classificação Internacional de Doenças, denomina essa patologia como Distúrbio de
Conduta (F91), e caracteriza como padrões persistentes de comportamento antissocial, agressivo, ou
desafiante, grandes violações de normas sociais com caráter duradouro. Para que seja realizado o
diagnóstico devem ser considerados tais comportamentos: agressividade e tirania; crueldade com
animais e pessoas; destruição de propriedade; comportamento incendiário; roubos; mentiras repetidas;
fugas de casa; cabular aulas; comportamento provocativo desafiador; e desobediência grave persistente.
Em uma abordagem jurídica, pode-se diferenciar comportamento antissocial do comportamento
delinquente, em que o primeiro embora fuja dos padrões normalmente aceitos, não configura delito
normativo, já a delinquência sim;
Transtornos Disruptivos, do Controle
de Impulsos e da Conduta: CONCEITO
TRANSTORNO DE CONDUTA E
A DELINQUÊNCIA JUVENIL
• Os problemas comportamentais são amplamente
categorizados por dois tipos de comportamentos,
denominados internos e externos.
• Os internos são evidenciados por retraimento,
depressão, ansiedade, queixas somáticas;
• Enquanto os externos são caracterizados pela
impulsividade, agressão, agitação, características
desafiantes, antissociais; respectivamente.
CATEGORIZAÇÃO DOS TD E
DELINQUÊNCIA
1. Transtorno de Oposição Desafiante;
2. Transtorno Explosivo Intermitente;
3. Transtorno da Conduta;
4. Transtorno da Personalidade Antissocial;
5. Piromania;
6. Cleptomania;
CATEGORIZAÇÃO DOS TD E
DELINQUÊNCIA
1. O termo “transtorno” é usado por toda
a classificação, de forma a evitar
problemas ainda maiores inerentes ao
uso de termos tais como “doença”
ou“enfermidade”.
1. “Transtorno” não é um termo exato,
porém é usado para indicar a
existência de um conjunto de sintomas
ou comportamentos clinicamente
reconhecível associado, na maioria
dos casos, a sofrimento e interferência
com funções pessoais.
QUAIS FATORES INFLUEM NO
COMPORTAMENTO DESVIADO DE UM
ADOLESCENTE?
 Fatores Genéticos;
 Biológicos de maturação cognitiva;
 Níveis dos hormônios sexuais
estrógeno, progesterona e
testosterona;
 Qualidade nutricional;
 Padrões de sono;
 Estresse físico e psicológico;
 Abuso de Drogas;
 Estímulos ambientais (família,
escola, sociedade, cultura, religião
etc);
TODO COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL É
FRUTO DE TRANSTORNO?
Adolescentes às vezes cometem um
ato antissocial, o que não implica
necessariamente em um transtorno,
portanto difere-se de um menor
infrator ou de grupos de menores
infratores, pois estes cometem atos
antissociais com frequência e de
forma habitual, tais como roubos,
incêndios grandes ou pequenos,
estupros, furtos, depredação de
propriedades, agressões físicas e
envolvimentos frequentes em brigas.
TODO COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL É
FRUTO DE TRANSTORNO?
A adolescência é a fase da vida em
que o jovem encontra-se vulnerável a
várias influências externas, que
podem colocar em risco a saúde
física e mental, tais como álcool,
drogas, comportamentos sexuais e a
violência. Esses fatores são
decorrentes da característica
exploratória do adolescente ao meio
social, que refletem consequências
na família e na sociedade. Dessa
forma, os jovens estão suscetíveis a
cometerem atos infracionais que
podem levar à delinquência.
Reflexões
• Winnicott (1983), todos nós temos uma capacidade inata para o
desenvolvimento saudável, porém, precisamos que o ambiente
externo esteja atento às nossas necessidades quando ainda não
temos condições de assumí-las, como é o caso do bebê.
• As falhas ambientais deste período podem deixar marcas, como o
comportamento relacionado ao ato infracional
Um bebê de um ano foi abandonado na linha
férrea no Jardim Nova Esperança, em
Sorocaba (SP) em 2021
https://www.youtube.com/watch?v=1DDyPtW6_JU
Reflexões
 Winnicott (2005) afirma que, para as crianças que
foram privadas de um ambiente suficientemente bom,
uma possibilidade de estabilidade seria sua
permanência em um reformatório ou, em último caso,
na cela de uma prisão.
http://cm-kls-content.s3.amazonaws.com/201802/INTERATIVAS_2_0/DESENVOLVIMENTO_HUMANO_II/U1/LIVRO_UNICO.pd
https://www.youtube.com/watch?v=-SemHEc3H74
REFLEXÕES
• Para ele, “a tendência antissocial caracteriza-se por um
elemento que compele ao ambiente a tornar-se
importante. O paciente, devido a impulsos
inconscientes, obriga alguém a encarregar-se de cuidar
dele”
REFLEXÕES
O valentão, bullier, rebelde, não
deve ser incentivado, aplaudido,
imitado, como se sua conduta
fosse agradável, pois diferente
dos filmes americanos, seu
comportamento está longe de ser
funcional.
https://www.youtube.com/watch?v=RAfbbbALALY
PROPOSTAS
Técnicas da Comunicação não Violenta, visando enfraquecer a
incidência da conduta atípica, mas provocar a reflexão e auto-
responsabilização;
Não se deve reagir emocionalmente frente ao
comportamento disfuncional, tentar ficar o mais
calmo possível enquanto a criança/adolescente
está tentando testar o limite, o comportamento
deve ser claro, consistente, deve ser simples e
direto, tem de ser firme.
PROPOSTAS
PROPOSTAS
PROPOSTAS
Os quatro componentes do
modelo da Comunicação Não
Violenta (CNV)
• Observação
• Sentimento
• Necessidades
• Pedido
PROPOSTAS
O processo da
CNV
• Observo as ações concretas que me
afetam
• Como me sinto relativamente ao que
observo
• As necessidades, valores, desejos, etc.
que geram os meus sentimentos
• As ações concretas que peço para
enriquecer a minha vida
https://www.youtube.com/watch?v=6pbpOV7_8RY
• Escolas
• Famílias
• Relacionamentos íntimos
• Organizações e instituições
• Terapia e aconselhamento
• Negociações comerciais
• Disputas e conflitos diversos
A CNV aplica-se eficazmente a
todos os níveis de comunicação e a
diversas situações
https://www.youtube.com/watch?v=rd1mCZVNnxE
Transtornos Disruptivos, do
Controle
de Impulsos e da Conduta
DÚVIDAS?
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
• KOMATSU, André Vilela; COSTA, Rafaelle CS; BAZON, Marina Rezende. Delinquência juvenil:
relações entre desenvolvimento, funções executivas e comportamento social na adolescência.
Rev. Bras. Polít. Públicas, Brasília, v. 8, nº 2, 2018 p.979-999.
• MARQUES, Anaísa Saraiva. Comportamentos Antissociais e fatores de risco da delinquência
juvenil: caracterização de uma escola. Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2012.
• RAMOS, Elissandra Elayne Martins dos Santos. Anjos em fúria: Transtorno de Conduta e
Delinquência Juvenil, um olhar psicopedagógico. João Pessoa, 2014.
• ROSENBERG, Marshall B. Comunicação não-violenta. Técnicas para aprimorar relacionamentos
pessoais e profissionais. 3. ed. São Paulo: Ágora, 2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e AnsiedadePalestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e Ansiedade
Renata Pimentel
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Bruno Morais Lopes
 
Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
Aroldo Gavioli
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
Fatima Silva
 
Assedio moral
Assedio moralAssedio moral
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
UNIME
 
Transtorno de personalidade
Transtorno de personalidadeTranstorno de personalidade
Transtorno de personalidade
Luisa Sena
 
Seminário dsm v
Seminário dsm vSeminário dsm v
Seminário dsm v
Erbio Felipe
 
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricasAula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Lampsi
 
Avaliação Neuropsicológica
Avaliação NeuropsicológicaAvaliação Neuropsicológica
Avaliação Neuropsicológica
Gisele Cortoni Calia
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Alinebrauna Brauna
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Aroldo Gavioli
 
Falhas na Comunicação
Falhas na ComunicaçãoFalhas na Comunicação
Falhas na Comunicação
Kelly Ruas
 
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresse
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresseTranstornos de estresse agudo e transtornos de estresse
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresse
Cláudio Costa
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Aroldo Gavioli
 
Gestão de Stress
Gestão de StressGestão de Stress
Gestão de Stress
Abdul Jussub
 
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescênciaOutras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
psicologiaestoi
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Oficina Psicologia
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
Tássia Oliveira
 
Curso Gestão de Conflitos 2011
Curso Gestão de Conflitos 2011Curso Gestão de Conflitos 2011
Curso Gestão de Conflitos 2011
Milton R. Almeida
 

Mais procurados (20)

Palestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e AnsiedadePalestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e Ansiedade
 
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalhoRelacionamento interpessoal e equipes de trabalho
Relacionamento interpessoal e equipes de trabalho
 
Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 
Assedio moral
Assedio moralAssedio moral
Assedio moral
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Transtorno de personalidade
Transtorno de personalidadeTranstorno de personalidade
Transtorno de personalidade
 
Seminário dsm v
Seminário dsm vSeminário dsm v
Seminário dsm v
 
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricasAula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
 
Avaliação Neuropsicológica
Avaliação NeuropsicológicaAvaliação Neuropsicológica
Avaliação Neuropsicológica
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
Falhas na Comunicação
Falhas na ComunicaçãoFalhas na Comunicação
Falhas na Comunicação
 
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresse
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresseTranstornos de estresse agudo e transtornos de estresse
Transtornos de estresse agudo e transtornos de estresse
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
 
Gestão de Stress
Gestão de StressGestão de Stress
Gestão de Stress
 
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescênciaOutras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
Outras perturbações 1.ª 2.ª infância adolescência
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
 
Curso Gestão de Conflitos 2011
Curso Gestão de Conflitos 2011Curso Gestão de Conflitos 2011
Curso Gestão de Conflitos 2011
 

Semelhante a Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta:

Manejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de condutaManejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de conduta
Cláudio Costa
 
Aula desobediência patológica
Aula desobediência patológicaAula desobediência patológica
Aula desobediência patológica
Cláudio Costa
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
Ellenpsicologia
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
Marcelo da Rocha Carvalho
 
ebook-saude-mental-2021
ebook-saude-mental-2021ebook-saude-mental-2021
ebook-saude-mental-2021
StephanieLouise5
 
Tg ds
Tg dsTg ds
Abuso sexual
Abuso sexualAbuso sexual
Abuso sexual
Ricardo Goulart
 
TP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptxTP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptx
Fred Clementino
 
Comportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dliasComportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dlias
Escola E.B.2,3 de Jovim Gondomar
 
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCC
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCCTranstornos de personalidade DSM 4 e TCC
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCC
Marcelo da Rocha Carvalho
 
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressoresTranstornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
Caio Maximino
 
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
Almerinda Nunes
 
Violência em meio escolar
Violência em meio escolarViolência em meio escolar
Violência em meio escolar
projectopes
 
Depressão Infância e Adolescência
Depressão Infância e AdolescênciaDepressão Infância e Adolescência
Depressão Infância e Adolescência
Marcelo da Rocha Carvalho
 
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoaAs etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
jt7_9
 
Socorro, tenho um adolescente em casa!
Socorro, tenho um adolescente em casa!Socorro, tenho um adolescente em casa!
Socorro, tenho um adolescente em casa!
Natália Muniz André Rodrigues
 
Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.
Maria José E.Junqueira D.Alcalá Cravo.
 
Perturbações
PerturbaçõesPerturbações
Perturbações
PPA12F
 
Drogas na adolescencia
Drogas na adolescenciaDrogas na adolescencia
Drogas na adolescencia
RafaPinto2001
 
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
SulenDeArajoNeves
 

Semelhante a Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta: (20)

Manejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de condutaManejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de conduta
 
Aula desobediência patológica
Aula desobediência patológicaAula desobediência patológica
Aula desobediência patológica
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
 
ebook-saude-mental-2021
ebook-saude-mental-2021ebook-saude-mental-2021
ebook-saude-mental-2021
 
Tg ds
Tg dsTg ds
Tg ds
 
Abuso sexual
Abuso sexualAbuso sexual
Abuso sexual
 
TP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptxTP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptx
 
Comportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dliasComportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dlias
 
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCC
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCCTranstornos de personalidade DSM 4 e TCC
Transtornos de personalidade DSM 4 e TCC
 
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressoresTranstornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
 
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
Violnciaemmeioescolar 150918234327-lva1-app6892 (2)
 
Violência em meio escolar
Violência em meio escolarViolência em meio escolar
Violência em meio escolar
 
Depressão Infância e Adolescência
Depressão Infância e AdolescênciaDepressão Infância e Adolescência
Depressão Infância e Adolescência
 
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoaAs etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
 
Socorro, tenho um adolescente em casa!
Socorro, tenho um adolescente em casa!Socorro, tenho um adolescente em casa!
Socorro, tenho um adolescente em casa!
 
Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.
 
Perturbações
PerturbaçõesPerturbações
Perturbações
 
Drogas na adolescencia
Drogas na adolescenciaDrogas na adolescencia
Drogas na adolescencia
 
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
Slides sobre a Escuta Especializada no Contexto Escolar - SEDUC RO - resumido...
 

Último

Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 

Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta:

  • 1. COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL E DELINQUÊNCIA JUVENIL (Conceitos, Reflexões e Propostas) Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.” 2 Timóteo 1:7
  • 2. Os Transtornos Disruptivos consistem em um padrão persistente de comportamentos antissociais, que os jovens manifestam quebrando direitos individuais do outro, e violando regras; É mais frequente em meninos do que em meninas, com idade inferior a 18 anos; O CID – 10 – Classificação Internacional de Doenças, denomina essa patologia como Distúrbio de Conduta (F91), e caracteriza como padrões persistentes de comportamento antissocial, agressivo, ou desafiante, grandes violações de normas sociais com caráter duradouro. Para que seja realizado o diagnóstico devem ser considerados tais comportamentos: agressividade e tirania; crueldade com animais e pessoas; destruição de propriedade; comportamento incendiário; roubos; mentiras repetidas; fugas de casa; cabular aulas; comportamento provocativo desafiador; e desobediência grave persistente. Em uma abordagem jurídica, pode-se diferenciar comportamento antissocial do comportamento delinquente, em que o primeiro embora fuja dos padrões normalmente aceitos, não configura delito normativo, já a delinquência sim; Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta: CONCEITO
  • 3. TRANSTORNO DE CONDUTA E A DELINQUÊNCIA JUVENIL • Os problemas comportamentais são amplamente categorizados por dois tipos de comportamentos, denominados internos e externos. • Os internos são evidenciados por retraimento, depressão, ansiedade, queixas somáticas; • Enquanto os externos são caracterizados pela impulsividade, agressão, agitação, características desafiantes, antissociais; respectivamente.
  • 4. CATEGORIZAÇÃO DOS TD E DELINQUÊNCIA 1. Transtorno de Oposição Desafiante; 2. Transtorno Explosivo Intermitente; 3. Transtorno da Conduta; 4. Transtorno da Personalidade Antissocial; 5. Piromania; 6. Cleptomania;
  • 5. CATEGORIZAÇÃO DOS TD E DELINQUÊNCIA 1. O termo “transtorno” é usado por toda a classificação, de forma a evitar problemas ainda maiores inerentes ao uso de termos tais como “doença” ou“enfermidade”. 1. “Transtorno” não é um termo exato, porém é usado para indicar a existência de um conjunto de sintomas ou comportamentos clinicamente reconhecível associado, na maioria dos casos, a sofrimento e interferência com funções pessoais.
  • 6. QUAIS FATORES INFLUEM NO COMPORTAMENTO DESVIADO DE UM ADOLESCENTE?  Fatores Genéticos;  Biológicos de maturação cognitiva;  Níveis dos hormônios sexuais estrógeno, progesterona e testosterona;  Qualidade nutricional;  Padrões de sono;  Estresse físico e psicológico;  Abuso de Drogas;  Estímulos ambientais (família, escola, sociedade, cultura, religião etc);
  • 7. TODO COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL É FRUTO DE TRANSTORNO? Adolescentes às vezes cometem um ato antissocial, o que não implica necessariamente em um transtorno, portanto difere-se de um menor infrator ou de grupos de menores infratores, pois estes cometem atos antissociais com frequência e de forma habitual, tais como roubos, incêndios grandes ou pequenos, estupros, furtos, depredação de propriedades, agressões físicas e envolvimentos frequentes em brigas.
  • 8. TODO COMPORTAMENTO ANTISSOCIAL É FRUTO DE TRANSTORNO? A adolescência é a fase da vida em que o jovem encontra-se vulnerável a várias influências externas, que podem colocar em risco a saúde física e mental, tais como álcool, drogas, comportamentos sexuais e a violência. Esses fatores são decorrentes da característica exploratória do adolescente ao meio social, que refletem consequências na família e na sociedade. Dessa forma, os jovens estão suscetíveis a cometerem atos infracionais que podem levar à delinquência.
  • 9. Reflexões • Winnicott (1983), todos nós temos uma capacidade inata para o desenvolvimento saudável, porém, precisamos que o ambiente externo esteja atento às nossas necessidades quando ainda não temos condições de assumí-las, como é o caso do bebê. • As falhas ambientais deste período podem deixar marcas, como o comportamento relacionado ao ato infracional Um bebê de um ano foi abandonado na linha férrea no Jardim Nova Esperança, em Sorocaba (SP) em 2021 https://www.youtube.com/watch?v=1DDyPtW6_JU
  • 10. Reflexões  Winnicott (2005) afirma que, para as crianças que foram privadas de um ambiente suficientemente bom, uma possibilidade de estabilidade seria sua permanência em um reformatório ou, em último caso, na cela de uma prisão. http://cm-kls-content.s3.amazonaws.com/201802/INTERATIVAS_2_0/DESENVOLVIMENTO_HUMANO_II/U1/LIVRO_UNICO.pd https://www.youtube.com/watch?v=-SemHEc3H74
  • 11. REFLEXÕES • Para ele, “a tendência antissocial caracteriza-se por um elemento que compele ao ambiente a tornar-se importante. O paciente, devido a impulsos inconscientes, obriga alguém a encarregar-se de cuidar dele”
  • 12. REFLEXÕES O valentão, bullier, rebelde, não deve ser incentivado, aplaudido, imitado, como se sua conduta fosse agradável, pois diferente dos filmes americanos, seu comportamento está longe de ser funcional. https://www.youtube.com/watch?v=RAfbbbALALY
  • 13. PROPOSTAS Técnicas da Comunicação não Violenta, visando enfraquecer a incidência da conduta atípica, mas provocar a reflexão e auto- responsabilização; Não se deve reagir emocionalmente frente ao comportamento disfuncional, tentar ficar o mais calmo possível enquanto a criança/adolescente está tentando testar o limite, o comportamento deve ser claro, consistente, deve ser simples e direto, tem de ser firme.
  • 16. PROPOSTAS Os quatro componentes do modelo da Comunicação Não Violenta (CNV) • Observação • Sentimento • Necessidades • Pedido
  • 17. PROPOSTAS O processo da CNV • Observo as ações concretas que me afetam • Como me sinto relativamente ao que observo • As necessidades, valores, desejos, etc. que geram os meus sentimentos • As ações concretas que peço para enriquecer a minha vida https://www.youtube.com/watch?v=6pbpOV7_8RY
  • 18. • Escolas • Famílias • Relacionamentos íntimos • Organizações e instituições • Terapia e aconselhamento • Negociações comerciais • Disputas e conflitos diversos A CNV aplica-se eficazmente a todos os níveis de comunicação e a diversas situações https://www.youtube.com/watch?v=rd1mCZVNnxE
  • 19. Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta DÚVIDAS?
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • KOMATSU, André Vilela; COSTA, Rafaelle CS; BAZON, Marina Rezende. Delinquência juvenil: relações entre desenvolvimento, funções executivas e comportamento social na adolescência. Rev. Bras. Polít. Públicas, Brasília, v. 8, nº 2, 2018 p.979-999. • MARQUES, Anaísa Saraiva. Comportamentos Antissociais e fatores de risco da delinquência juvenil: caracterização de uma escola. Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2012. • RAMOS, Elissandra Elayne Martins dos Santos. Anjos em fúria: Transtorno de Conduta e Delinquência Juvenil, um olhar psicopedagógico. João Pessoa, 2014. • ROSENBERG, Marshall B. Comunicação não-violenta. Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. 3. ed. São Paulo: Ágora, 2006.