SlideShare uma empresa Scribd logo
Colégio Diocesano de
Nossa Senhora da Apresentação
Departamento Curricular de Matemática
e Ciências Experimentais
Biologia e Geologia – 11º Ano
Ficha de Avaliação
Duração: 90 minutos
Nome:
Classif.
Prof.
N.º Turma: 24 de maio de 2016 E. Educ.
Grupo I
O Parque Nacional de Yellowstone, o mais antigo parque nacional do mundo, está localizado nos Estados
Unidos da América e cobre uma área de 8987 km². Yellowstone é um ponto quente, com uma pluma de
magma que se ergue do manto, penetrando em rochas ácidas.
Apesar da actual aparência pacífica da paisagem, Yellowstone sofreu períodos de violência extrema no
último milhão de anos. Esse passado resultou na presença de milhares de fontes termais, fumarolas, géiseres
e caldeiras naturais.
Figura 1A – Localização e idade (M.a.) dos centros vulcânicos Figura 1B – Perfil da caldeira vulcânica
Exemplos dessa actividade vulcânica são os géiseres, sendo o Old Faithful (Velho Fiel) um dos mais
conhecidos do mundo pela regularidade das suas erupções. Os estudos dos géiseres do parque, que tem
vindo a ser efectuados, sugerem que as secas provocadas pelas alterações climáticas estão a retardar as
erupções regulares, podendo estas, em condições extremas, virem a cessar num futuro próximo. Entre 1998
e 2006, os geólogos acompanharam a periodicidade das erupções de cinco géiseres do parque, utilizando
sensores de temperatura.
Em Yellowstone, a caldeira actual foi criada por uma erupção catastrófica que ocorreu há cerca de 640 000
anos e que libertou para a atmosfera 1000 km3
de cinza, rocha e materiais piroclásticos, que recobriram uma
área de milhares de quilómetros quadrados, devastando a paisagem.
Nenhuma erupção vulcânica ocorreu em Yellowstone, desde há 70000 anos. Contudo, desde os anos 70 do
século XX, os cientistas tem vindo a detectar mudanças significativas neste notável sistema vulcânico e
hidrotermal, incluindo movimentos ascendentes do solo e aumento da actividade sísmica. Para acompanhar
com rigor estas alterações, os cientistas colocaram 22 sismógrafos no parque. A análise dos dados registados
permitiu revelar as dimensões da câmara magmática.
Das observações e dos estudos realizados recentemente, concluiu-se que estamos perante um sistema
dinâmico, com episódios de ascensão e subsidência, a ocorrer em diferentes locais e em momentos distintos.
Em 2006, o observatório vulcanológico de Yellowstone decidiu implementar um programa que se estenderá
até 2015 e que equipará o local com sistemas de observação e de alerta mais sofisticados.
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 1 de 8
Ano letivo 2015/2016
Bom
trabalho
!
Bom
trabalho
!
Nas questões de 1 a 5 seleciona a opção correta. (30 pontos)
1. Podemos encontrar géiseres e fumarolas que são exemplos de vulcanismo _______, em Yellowstone,
região com um fluxo térmico _______ elevado do que aquele que habitualmente encontramos na crosta
continental.
(A) primário … mais
(B) secundário … menos
(C) primário … menos
(D) secundário … mais
2. As posições e idades dos centros vulcânicos de Yellowstone permitem inferir que _______ está em
movimento para _______.
(A) a Placa Norte-Americana … este
(B) o ponto quente … este
(C) a Placa Norte-Americana … oeste
(D) o ponto quente … oeste
3. A periodicidade das erupções do geiser Old Faithful alterou-se, porque o período de seca fez aumentar…
(A) a temperatura dentro do reservatório de água.
(B) o ponto de ebulição da água do reservatório.
(C) a pressão da água no interior do reservatório.
(D) o tempo de recarga do reservatório de água.
4. Nos bordos da caldeira de Yellowstone, existem falhas _______ que contribuem, na actualidade, para a
ocorrência de fenómenos _______.
(A) inversas … sísmicos
(B) normais … vulcânicos
(C) normais … sísmicos
(D) inversas … vulcânicos
5. O facto de um magma basáltico apresentar menor teor em sílica do que um magma riolítico tem como
consequência...
(A) uma maior dificuldade na libertação dos gases.
(B) iniciar a solidificação a temperaturas mais elevadas.
(C) apresentar uma consistência mais viscosa.
(D) a formação de rochas de cor mais clara.
6. Pelas observações efectuadas em Yellowstone, os cientistas receiam que possam ocorrer, num futuro
próximo, erupções explosivas com consequências devastadoras.
Explica a possível ocorrência de erupções explosivas, tendo em conta que a actividade vulcânica em
Yellowstone se deve a um ponto quente. (12 pontos)
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 2 de 8
Ano letivo 2015/2016
GRUPO II
As ilhas Aleutas fazem parte do Anel de Fogo do Pacífico, constituindo um alinhamento encurvado de ilhas
vulcânicas, também denominado arco insular ou arco vulcânico. O arco insular das Aleutas ou arco Alasca –
Aleutas, como é também designado, marca a fronteira entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-Americana.
Apresenta, aproximadamente, vinte e quatro vulcões activos e aí ocorrem frequentemente sismos. O mapa
da figura 2 representa, de forma simplificada, o contexto tectónico das ilhas Aleutas.
A 19 de Dezembro de 2007, um sismo, com origem a cerca de 56 km de profundidade e de magnitude 7,3
graus, foi sentido neste arquipélago, localizando-se o epicentro a 200 km a oeste de Adak (Alasca). Outros
sismos foram registados na mesma região, ao longo de 2008, com focos a diferentes profundidades e
magnitudes na ordem dos 6,6 graus.
Esta região, sismicamente activa, está permanentemente monitorizada pelo Centro de Informações de
Sismos do Alasca e pelo Centro de Alertas de Tsunami no Pacífico.
Figura 2 – Contexto tectónico das ilhas Aleutas
Nas questões de 1 a 3 seleciona a opção correta. (18 pontos)
1. As actividades sísmica e vulcânica verificadas na região das Ilhas Aleutas, são resultado da existência de
um…
(A) limite convergente, evidenciado pela presença de uma dorsal oceânica.
(B) limite convergente, evidenciado pela presença de uma fossa oceânica.
(C) limite divergente, evidenciado pela presença de uma dorsal oceânica.
(D) limite divergente, evidenciado pela presença de uma fossa oceânica.
2. O sismo de 19 de Dezembro de 2007 teve uma magnitude de 7,3 graus na escala de…
(A) Richter, que quantifica os efeitos provocados nas construções.
(B) Mercalli, que quantifica os efeitos provocados na topografia.
(C) Richter, que quantifica a energia libertada no hipocentro.
(D) Mercalli, que quantifica a energia libertada no epicentro.
3. O magma gerado numa zona de subducção, entre uma placa oceânica e uma placa continental, é menos
_______ do que o magma que ascende ao longo dos riftes oceânicos, originando erupções com carácter
_______ explosivo.
(A) fluido ... mais
(B) fluido ... menos
(C) viscoso ... mais
(D) viscoso ... menos
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 3 de 8
Ano letivo 2015/2016
4. Ordena as letras de A a F, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos
relacionados com um sismo. Inicie pela letra A. (6 pontos)
A. Acumulação lenta de tensões em profundidade.
B. Determinação da magnitude do sismo.
C. Registo de ondas S em estações sismográficas.
D. Libertação de energia pela ruptura dos materiais. _______________________________
E. Propagação das ondas P e S a partir do foco sísmico.
F. Registo de ondas P em estações sismográficas.
5. Faz corresponder a cada uma das afirmações de A a E o conceito de sismologia respectivo, indicado na
Chave. (5 pontos)
Afirmações Chave
A – Influencia a intensidade sísmica.
B – As partículas do meio vibram perpendicularmente à
direcção de propagação da onda.
C – É a zona, à superfície, mais próxima do foco sísmico.
D – As partículas do meio vibram longitudinalmente à direcção
de propagação da onda.
E – Permite calcular a distância epicentral para cada estação.
I – Onda P
II – Onda S
III – Sismograma
IV – Epicentro
V – Frente de onda
VI – Hipocentro
VII – Intervalo S-P
VIII – Distância epicentral
A- ___ B- ___ C- ___ D- ___ E- ___
6. A actividade sísmica sentida no arquipélago das Aleutas apresenta focos com diferentes profundidades.
Explica este facto com base no contexto tectónico da região central do arco insular, representado na figura 2.
(12 pontos)
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
Grupo III
O Grand Canyon, nos EUA, para além das suas paisagens assombrosas, apresenta expostos cerca de 2000
milhões de anos da história geológica desta região da Terra. É um vale largo e profundo, que foi escavado
pelo rio Colorado e pelos seus afluentes. Ao longo do curso do rio Colorado, foram construídas barragens
que controlaram o seu caudal e alteraram o regime de cheias.
O bloco diagrama da figura 3 representa, de forma muito simplificada, as formações geológicas existentes
num local do Grand Canyon.
Figura 3 – Corte transversal de um local no Grand Canyon
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 4 de 8
Ano letivo 2015/2016
Nas questões de 1 a 8 seleciona a opção correta. (48 pontos)
1. No corte geológico representado,
(A) as falhas ocorreram após a deposição da série estratigráfica II.
(B) o vale do Grand Canyon é mais antigo do que a série estratigráfica II.
(C) a série estratigráfica I sofreu deformação e exposição subaérea.
(D) as séries estratigráficas I e II são contemporâneas.
2. As falhas representadas são _______, dado que o tecto _______, relativamente ao muro.
(A) normais … desceu
(B) normais … subiu
(C) inversas … desceu
(D) inversas … subiu
3. Em consequência da construção de barragens no curso do rio Colorado e por este ter alcançado rochas
mais _______ à meteorização, a erosão provocada pelo rio _______.
(A) vulneráveis … aumentou
(B) vulneráveis … diminuiu
(C) resistentes … aumentou
(D) resistentes … diminuiu
4. A redução da pressão litostática sobre um maciço granítico pode causar a sua…
(A) expansão e a posterior formação de dobras.
(B) contracção e a posterior formação de dobras.
(C) contracção e a posterior formação de diaclases.
(D) expansão e a posterior formação de diaclases.
5. A textura _______ do xisto traduz a influência de uma tensão _______, responsável pela disposição dos
minerais segundo planos paralelos.
(A) não foliada ... não litostática
(B) foliada ... litostática
(C) foliada ... não litostática
(D) não foliada ... litostática
6. Durante a instalação da intrusão magmática ocorreu metamorfismo _______, dando origem a rochas
como _______, que acompanham os xistos.
(A) de contacto ... as corneanas
(B) regional ... as corneanas
(C) de contacto ... os gnaisses
(D) regional ... os gnaisses
7. A barragem de Hoover, construída no rio Colorado, a jusante do Grand Canyon, originou o lago Mead,
que corresponde à sua albufeira. Após o seu enchimento, em 1935, ocorreram, nos anos seguintes, mais de
600 sismos locais. Estes sismos foram condicionados por diversos factores, como as condições geológicas e
hidromecânicas específicas da área, a carga suplementar causada pelo reservatório e a dinâmica da variação
do nível da água do lago.
A construção da barragem de Hoover provocou o aumento da sismicidade, o que permitiu concluir que a
carga suplementar causada pelo reservatório _______ as tensões ao nível das _______ existentes.
(A) diminuiu … falhas
(B) aumentou … falhas
(C) diminuiu … dobras
(D) aumentou … dobras
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 5 de 8
Ano letivo 2015/2016
8. O basalto é uma rocha relativamente abundante. Relativamente à cor, essa rocha classifica-se como
_____. Esta característica está relacionada com a _____ relativa de minerais félsicos na sua composição.
(A) leucocrata […] abundância
(B) melanocrata […] abundância
(C) leucocrata […] escassez
(D) melanocrata […] escassez
9. Faz corresponder cada uma das descrições de rochas da coluna A à respetiva designação, que consta da
coluna B. Utiliza cada letra e cada número apenas uma vez. (5 pontos)
COLUNA A
COLUNA B
A- Rocha sedimentar detrítica, porosa e pouco permeável.
B- Rocha magmática cristalina, granular, impermeável quando
não fraturada ou alterada.
C- Rocha metamórfica de alto grau, foliada, impermeável
quando não fraturada ou alterada.
D- Rocha sedimentar detrítica, não consolidada, muito porosa e
permeável.
E- Rocha metamórfica de baixo grau, foliada, com baixa
permeabilidade quando não fraturada ou alterada.
1- Ardósia
2- Areia
3- Argilito
4- Basalto
5- Calcário
6- Gnaisse
7- Granito
8- Mármore
A- ___ B- ___ C- ___ D- ___ E- ___
10. Colocou-se a hipótese de uma dada amostra de rocha poder ser classificada inequivocamente como um
basalto e não como um gabro. (8 pontos)
Faz corresponder S (sim) ou N (não) a cada uma das afirmações seguintes, de acordo com a possibilidade de
serem utilizadas como argumentos a favor da hipótese mencionada.
___ A rocha teve origem na consolidação de um magma.
___ A amostra é constituída essencialmente por grãos não visíveis à vista desarmada ou à lupa.
___ A rocha é constituída essencialmente por piroxenas e plagioclases cálcicas.
___ O magma a partir do qual se formou a rocha era pobre em sílica.
___ A amostra é rica em minerais máficos.
___ A lava consolidou à superfície da Terra.
___ A amostra contém olivinas.
___ A amostra foi colhida de uma lava em almofada, num rifte oceânico.
11. Explica de que modo, a partir do estudo de uma rocha metamórfica, se pode inferir a tensão e a
temperatura a que a mesma se formou. (12 pontos)
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 6 de 8
Ano letivo 2015/2016
Grupo IV
O ouro é um metal precioso que, em estado nativo, ocorre em pequenas concentrações, na crosta terrestre.
Reage com fluidos circulantes e pode aparecer em filões associado a diferentes rochas como, por exemplo,
gnaisse ou granito. A alteração das rochas onde estes depósitos de ouro se encontram pode permitir o seu
transporte por diferentes agentes.
Em meados do século XIX, os exploradores deste minério acorriam com frequência a zonas onde a sua
deposição é maior. Utilizavam bateias (bacia em forma de calote esférica), que permitiam a separação, por
gravidade, das preciosas pepitas que se depositavam no fundo. Quando o ouro era recuperado do fundo dos
rios, vinha acompanhado de areias, siltes e argilas. Por vezes, as pepitas de ouro encontravam-se agregadas
a fragmentos rochosos, utilizando-se mercúrio para a sua extracção.
Nas questões de 1 a 4 seleciona a opção correta. (36 pontos)
1. A extracção de ouro realizada pelos exploradores do século XIX provocou…
(A) … impactes ambientais positivos, que ainda hoje se fazem sentir.
(B) … a corrida a este recurso, com o seu esgotamento no planeta.
(C) … alterações na granulometria dos detritos, a montante do rio.
(D) … a contaminação daquela região pelo mercúrio utilizado.
2. Uma jazida constitui uma reserva se o minério…
(A) … existir em baixa concentração.
(B) … apresentar viabilidade económica.
(C) … ocupar uma vasta área.
(D) … se encontrar a pequena profundidade.
3. As reservas subterrâneas de água formam-se, na crosta terrestre, em contextos geológicos de
características bem definidas.
O diagrama da figura 4 representa um possível enquadramento geológico dessas reservas, numa região árida.
Figura 4
3.1. Os aquíferos 1 e 2, esquematizados na figura 4, são…
(A) … livre e confinado, respectivamente.
(B) … confinado e livre, respectivamente.
(C) … ambos livres.
(D) … ambos confinados.
3.2. A rocha-armazém do aquífero 1 encontra-se deformada em ______, uma vez que a camada mais ______
ocupa o núcleo da dobra.
(A) sinclinal (…) velha
(B) sinclinal (…) nova
(C) anticlinal (…) velha
(D) anticlinal (…) nova
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 7 de 8
Ano letivo 2015/2016
3.3. As afirmações seguintes dizem respeito à formação e à evolução dos oásis representados no
diagrama da figura 4.
1. A existência de uma falha impediu o aparecimento de água à superfície.
2. Rochas quimiogénicas surgem, nos oásis, por evaporação excessiva de água.
3. A ascensão de água à superfície nos oásis resulta da elevada pressão hidrostática nos aquíferos.
(A) 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa.
(B) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.
(C) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.
(D) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.
4. Nos aquíferos livres, em períodos de elevada precipitação, verifica-se…
(A) uma diminuição da espessura da zona de aeração, sendo o nível freático mais superficial.
(B) um aumento da espessura da zona de aeração, sendo o nível freático menos superficial.
(C) uma diminuição da espessura da zona de saturação, sendo o nível freático mais superficial.
(D) um aumento da espessura da zona de saturação, sendo o nível freático menos superficial.
5. Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações, relativas a recursos
energéticos. (8 pontos)
___ Na actualidade, os combustíveis fósseis constituem a principal fonte de energia nos países
industrializados.
___ Os minerais que contêm na sua composição elementos radioactivos são considerados recursos
energéticos renováveis.
___ Em alguns locais do planeta, encontram-se reservas inesgotáveis de combustíveis fósseis.
___ Os recursos geotérmicos podem ser explorados em várias regiões, sendo potenciadores do
desenvolvimento local.
___ A utilização da radioactividade na produção de energia eléctrica gera resíduos perigosos para a saúde e
para o ambiente.
___ A utilização de combustíveis fósseis é responsável pela emissão de gases que contribuem para o efeito
de estufa.
___ Os recursos geotérmicos de alta entalpia podem ser explorados em qualquer parte do planeta.
___ Alguns recursos energéticos, como os geotérmicos, podem tornar-se mais competitivos face à subida do
preço do petróleo.
Total: 200 pontos
Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 8 de 8
Ano letivo 2015/2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ppt 22 Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
Ppt 22   Materiais Expelidos Pelos VulcõEsPpt 22   Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
Ppt 22 Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
Nuno Correia
 
Ficha de Trabalho 1
Ficha de Trabalho 1Ficha de Trabalho 1
Ficha de Trabalho 1
Isaura Mourão
 
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãOTectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
Sérgio Luiz
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
CatarinaTavares28
 
Sebastianismo e V Império
Sebastianismo e V ImpérioSebastianismo e V Império
Sebastianismo e V Império
complementoindirecto
 
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdfu5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
Sofia Dias
 
Paisagem cársica.
Paisagem cársica.Paisagem cársica.
Paisagem cársica.
Ana Conceição
 
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) SoluçõesTeste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Isaura Mourão
 
Vulcanismo e sismologia 7º ano
Vulcanismo e sismologia   7º anoVulcanismo e sismologia   7º ano
Vulcanismo e sismologia 7º ano
MINEDU
 
DataçãO Absoluta
DataçãO AbsolutaDataçãO Absoluta
DataçãO Absoluta
Nuno Correia
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Nuno Correia
 
A escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmasA escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmas
Luis De Sousa Rodrigues
 
ae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docxae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docx
HugoLoureiro17
 
Ficha grécia
Ficha gréciaFicha grécia
Ficha grécia
Ana Barreiros
 
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
Vanessa Alvané
 
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os LusíadasO v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
Localização relativa,absoluta e escalas 1 - power point nº1 -10ºano
Localização relativa,absoluta e escalas   1 - power point nº1 -10ºanoLocalização relativa,absoluta e escalas   1 - power point nº1 -10ºano
Localização relativa,absoluta e escalas 1 - power point nº1 -10ºano
Carla Souto
 
Teste gramática 9o ano.docx
Teste gramática 9o ano.docxTeste gramática 9o ano.docx
Teste gramática 9o ano.docx
rmagaspar
 
Funcionamento global do cérebro
Funcionamento global do cérebroFuncionamento global do cérebro
Funcionamento global do cérebro
Silvia Revez
 
Os lusíadas – canto vii
Os lusíadas – canto viiOs lusíadas – canto vii
Os lusíadas – canto vii
Mariana Freitas
 

Mais procurados (20)

Ppt 22 Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
Ppt 22   Materiais Expelidos Pelos VulcõEsPpt 22   Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
Ppt 22 Materiais Expelidos Pelos VulcõEs
 
Ficha de Trabalho 1
Ficha de Trabalho 1Ficha de Trabalho 1
Ficha de Trabalho 1
 
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãOTectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
Tectonica, Pontos Quentes, Triplos E HominizaçãO
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
 
Sebastianismo e V Império
Sebastianismo e V ImpérioSebastianismo e V Império
Sebastianismo e V Império
 
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdfu5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
u5_sistematizacao_antero_de_quental.pdf
 
Paisagem cársica.
Paisagem cársica.Paisagem cársica.
Paisagem cársica.
 
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) SoluçõesTeste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
 
Vulcanismo e sismologia 7º ano
Vulcanismo e sismologia   7º anoVulcanismo e sismologia   7º ano
Vulcanismo e sismologia 7º ano
 
DataçãO Absoluta
DataçãO AbsolutaDataçãO Absoluta
DataçãO Absoluta
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
 
A escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmasA escolha entre paradigmas
A escolha entre paradigmas
 
ae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docxae_bf10_qa_2.docx
ae_bf10_qa_2.docx
 
Ficha grécia
Ficha gréciaFicha grécia
Ficha grécia
 
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
Ctic6 em apresentacaoeletronica_m3
 
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os LusíadasO v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
 
Localização relativa,absoluta e escalas 1 - power point nº1 -10ºano
Localização relativa,absoluta e escalas   1 - power point nº1 -10ºanoLocalização relativa,absoluta e escalas   1 - power point nº1 -10ºano
Localização relativa,absoluta e escalas 1 - power point nº1 -10ºano
 
Teste gramática 9o ano.docx
Teste gramática 9o ano.docxTeste gramática 9o ano.docx
Teste gramática 9o ano.docx
 
Funcionamento global do cérebro
Funcionamento global do cérebroFuncionamento global do cérebro
Funcionamento global do cérebro
 
Os lusíadas – canto vii
Os lusíadas – canto viiOs lusíadas – canto vii
Os lusíadas – canto vii
 

Semelhante a Te6 bg-maio- v1

Fichatrabalho n3 10ano
Fichatrabalho n3 10anoFichatrabalho n3 10ano
Fichatrabalho n3 10ano
Magda Charrua
 
CienTIC7_Teste_2.docx
CienTIC7_Teste_2.docxCienTIC7_Teste_2.docx
CienTIC7_Teste_2.docx
OdeteFernandes7
 
Exercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
Exercícios tipo exame sismologia metodos estruturaExercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
Exercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
Andreia Carvalho
 
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdfteste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
LeonorCanedo
 
Geologia 10 preparação para o segundo teste de avaliação
Geologia 10   preparação para o segundo teste de avaliaçãoGeologia 10   preparação para o segundo teste de avaliação
Geologia 10 preparação para o segundo teste de avaliação
Nuno Correia
 
Cc bg10 teste 3 10 versão 1
Cc bg10 teste 3 10 versão 1Cc bg10 teste 3 10 versão 1
Cc bg10 teste 3 10 versão 1
Estela Costa
 
Geografia física
Geografia físicaGeografia física
Geografia física
Jessica Lainne
 
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Isaura Mourão
 
3º fev 2012
3º fev 20123º fev 2012
3º fev 2012
Sandra Fernandes
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
Sílvia Carneiro
 
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcçãoTeste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
Isaura Mourão
 
Tema 3 geologia
Tema 3 geologiaTema 3 geologia
Tema 3 geologia
Silvia Couto
 
Exercício de resgate recuperaçao paralela.
Exercício de resgate   recuperaçao paralela.Exercício de resgate   recuperaçao paralela.
Exercício de resgate recuperaçao paralela.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Fichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10anoFichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10ano
Magda Charrua
 
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Gijasilvelitz 2
 
Teste de Avaliação 2.docx
Teste de Avaliação 2.docxTeste de Avaliação 2.docx
Teste de Avaliação 2.docx
CarlaCouto24
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Estela Costa
 

Semelhante a Te6 bg-maio- v1 (20)

Fichatrabalho n3 10ano
Fichatrabalho n3 10anoFichatrabalho n3 10ano
Fichatrabalho n3 10ano
 
CienTIC7_Teste_2.docx
CienTIC7_Teste_2.docxCienTIC7_Teste_2.docx
CienTIC7_Teste_2.docx
 
Exercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
Exercícios tipo exame sismologia metodos estruturaExercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
Exercícios tipo exame sismologia metodos estrutura
 
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdfteste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
teste-de-avaliacao-de-geologia-10o-ano.pdf
 
Geologia 10 preparação para o segundo teste de avaliação
Geologia 10   preparação para o segundo teste de avaliaçãoGeologia 10   preparação para o segundo teste de avaliação
Geologia 10 preparação para o segundo teste de avaliação
 
Cc bg10 teste 3 10 versão 1
Cc bg10 teste 3 10 versão 1Cc bg10 teste 3 10 versão 1
Cc bg10 teste 3 10 versão 1
 
Geografia física
Geografia físicaGeografia física
Geografia física
 
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
 
3º fev 2012
3º fev 20123º fev 2012
3º fev 2012
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcçãoTeste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período) correcção
 
Tema 3 geologia
Tema 3 geologiaTema 3 geologia
Tema 3 geologia
 
Exercício de resgate recuperaçao paralela.
Exercício de resgate   recuperaçao paralela.Exercício de resgate   recuperaçao paralela.
Exercício de resgate recuperaçao paralela.
 
Fichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10anoFichatrabalho n2 10ano
Fichatrabalho n2 10ano
 
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
 
Teste de Avaliação 2.docx
Teste de Avaliação 2.docxTeste de Avaliação 2.docx
Teste de Avaliação 2.docx
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1
 

Mais de FJDOliveira

aepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptxaepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptx
FJDOliveira
 
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
FJDOliveira
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
FJDOliveira
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
FJDOliveira
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
FJDOliveira
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
FJDOliveira
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
FJDOliveira
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
FJDOliveira
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
FJDOliveira
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
FJDOliveira
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
FJDOliveira
 

Mais de FJDOliveira (20)

aepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptxaepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptx
 
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

Te6 bg-maio- v1

  • 1. Colégio Diocesano de Nossa Senhora da Apresentação Departamento Curricular de Matemática e Ciências Experimentais Biologia e Geologia – 11º Ano Ficha de Avaliação Duração: 90 minutos Nome: Classif. Prof. N.º Turma: 24 de maio de 2016 E. Educ. Grupo I O Parque Nacional de Yellowstone, o mais antigo parque nacional do mundo, está localizado nos Estados Unidos da América e cobre uma área de 8987 km². Yellowstone é um ponto quente, com uma pluma de magma que se ergue do manto, penetrando em rochas ácidas. Apesar da actual aparência pacífica da paisagem, Yellowstone sofreu períodos de violência extrema no último milhão de anos. Esse passado resultou na presença de milhares de fontes termais, fumarolas, géiseres e caldeiras naturais. Figura 1A – Localização e idade (M.a.) dos centros vulcânicos Figura 1B – Perfil da caldeira vulcânica Exemplos dessa actividade vulcânica são os géiseres, sendo o Old Faithful (Velho Fiel) um dos mais conhecidos do mundo pela regularidade das suas erupções. Os estudos dos géiseres do parque, que tem vindo a ser efectuados, sugerem que as secas provocadas pelas alterações climáticas estão a retardar as erupções regulares, podendo estas, em condições extremas, virem a cessar num futuro próximo. Entre 1998 e 2006, os geólogos acompanharam a periodicidade das erupções de cinco géiseres do parque, utilizando sensores de temperatura. Em Yellowstone, a caldeira actual foi criada por uma erupção catastrófica que ocorreu há cerca de 640 000 anos e que libertou para a atmosfera 1000 km3 de cinza, rocha e materiais piroclásticos, que recobriram uma área de milhares de quilómetros quadrados, devastando a paisagem. Nenhuma erupção vulcânica ocorreu em Yellowstone, desde há 70000 anos. Contudo, desde os anos 70 do século XX, os cientistas tem vindo a detectar mudanças significativas neste notável sistema vulcânico e hidrotermal, incluindo movimentos ascendentes do solo e aumento da actividade sísmica. Para acompanhar com rigor estas alterações, os cientistas colocaram 22 sismógrafos no parque. A análise dos dados registados permitiu revelar as dimensões da câmara magmática. Das observações e dos estudos realizados recentemente, concluiu-se que estamos perante um sistema dinâmico, com episódios de ascensão e subsidência, a ocorrer em diferentes locais e em momentos distintos. Em 2006, o observatório vulcanológico de Yellowstone decidiu implementar um programa que se estenderá até 2015 e que equipará o local com sistemas de observação e de alerta mais sofisticados. Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 1 de 8 Ano letivo 2015/2016 Bom trabalho ! Bom trabalho !
  • 2. Nas questões de 1 a 5 seleciona a opção correta. (30 pontos) 1. Podemos encontrar géiseres e fumarolas que são exemplos de vulcanismo _______, em Yellowstone, região com um fluxo térmico _______ elevado do que aquele que habitualmente encontramos na crosta continental. (A) primário … mais (B) secundário … menos (C) primário … menos (D) secundário … mais 2. As posições e idades dos centros vulcânicos de Yellowstone permitem inferir que _______ está em movimento para _______. (A) a Placa Norte-Americana … este (B) o ponto quente … este (C) a Placa Norte-Americana … oeste (D) o ponto quente … oeste 3. A periodicidade das erupções do geiser Old Faithful alterou-se, porque o período de seca fez aumentar… (A) a temperatura dentro do reservatório de água. (B) o ponto de ebulição da água do reservatório. (C) a pressão da água no interior do reservatório. (D) o tempo de recarga do reservatório de água. 4. Nos bordos da caldeira de Yellowstone, existem falhas _______ que contribuem, na actualidade, para a ocorrência de fenómenos _______. (A) inversas … sísmicos (B) normais … vulcânicos (C) normais … sísmicos (D) inversas … vulcânicos 5. O facto de um magma basáltico apresentar menor teor em sílica do que um magma riolítico tem como consequência... (A) uma maior dificuldade na libertação dos gases. (B) iniciar a solidificação a temperaturas mais elevadas. (C) apresentar uma consistência mais viscosa. (D) a formação de rochas de cor mais clara. 6. Pelas observações efectuadas em Yellowstone, os cientistas receiam que possam ocorrer, num futuro próximo, erupções explosivas com consequências devastadoras. Explica a possível ocorrência de erupções explosivas, tendo em conta que a actividade vulcânica em Yellowstone se deve a um ponto quente. (12 pontos) _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 2 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 3. GRUPO II As ilhas Aleutas fazem parte do Anel de Fogo do Pacífico, constituindo um alinhamento encurvado de ilhas vulcânicas, também denominado arco insular ou arco vulcânico. O arco insular das Aleutas ou arco Alasca – Aleutas, como é também designado, marca a fronteira entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-Americana. Apresenta, aproximadamente, vinte e quatro vulcões activos e aí ocorrem frequentemente sismos. O mapa da figura 2 representa, de forma simplificada, o contexto tectónico das ilhas Aleutas. A 19 de Dezembro de 2007, um sismo, com origem a cerca de 56 km de profundidade e de magnitude 7,3 graus, foi sentido neste arquipélago, localizando-se o epicentro a 200 km a oeste de Adak (Alasca). Outros sismos foram registados na mesma região, ao longo de 2008, com focos a diferentes profundidades e magnitudes na ordem dos 6,6 graus. Esta região, sismicamente activa, está permanentemente monitorizada pelo Centro de Informações de Sismos do Alasca e pelo Centro de Alertas de Tsunami no Pacífico. Figura 2 – Contexto tectónico das ilhas Aleutas Nas questões de 1 a 3 seleciona a opção correta. (18 pontos) 1. As actividades sísmica e vulcânica verificadas na região das Ilhas Aleutas, são resultado da existência de um… (A) limite convergente, evidenciado pela presença de uma dorsal oceânica. (B) limite convergente, evidenciado pela presença de uma fossa oceânica. (C) limite divergente, evidenciado pela presença de uma dorsal oceânica. (D) limite divergente, evidenciado pela presença de uma fossa oceânica. 2. O sismo de 19 de Dezembro de 2007 teve uma magnitude de 7,3 graus na escala de… (A) Richter, que quantifica os efeitos provocados nas construções. (B) Mercalli, que quantifica os efeitos provocados na topografia. (C) Richter, que quantifica a energia libertada no hipocentro. (D) Mercalli, que quantifica a energia libertada no epicentro. 3. O magma gerado numa zona de subducção, entre uma placa oceânica e uma placa continental, é menos _______ do que o magma que ascende ao longo dos riftes oceânicos, originando erupções com carácter _______ explosivo. (A) fluido ... mais (B) fluido ... menos (C) viscoso ... mais (D) viscoso ... menos Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 3 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 4. 4. Ordena as letras de A a F, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos relacionados com um sismo. Inicie pela letra A. (6 pontos) A. Acumulação lenta de tensões em profundidade. B. Determinação da magnitude do sismo. C. Registo de ondas S em estações sismográficas. D. Libertação de energia pela ruptura dos materiais. _______________________________ E. Propagação das ondas P e S a partir do foco sísmico. F. Registo de ondas P em estações sismográficas. 5. Faz corresponder a cada uma das afirmações de A a E o conceito de sismologia respectivo, indicado na Chave. (5 pontos) Afirmações Chave A – Influencia a intensidade sísmica. B – As partículas do meio vibram perpendicularmente à direcção de propagação da onda. C – É a zona, à superfície, mais próxima do foco sísmico. D – As partículas do meio vibram longitudinalmente à direcção de propagação da onda. E – Permite calcular a distância epicentral para cada estação. I – Onda P II – Onda S III – Sismograma IV – Epicentro V – Frente de onda VI – Hipocentro VII – Intervalo S-P VIII – Distância epicentral A- ___ B- ___ C- ___ D- ___ E- ___ 6. A actividade sísmica sentida no arquipélago das Aleutas apresenta focos com diferentes profundidades. Explica este facto com base no contexto tectónico da região central do arco insular, representado na figura 2. (12 pontos) _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ Grupo III O Grand Canyon, nos EUA, para além das suas paisagens assombrosas, apresenta expostos cerca de 2000 milhões de anos da história geológica desta região da Terra. É um vale largo e profundo, que foi escavado pelo rio Colorado e pelos seus afluentes. Ao longo do curso do rio Colorado, foram construídas barragens que controlaram o seu caudal e alteraram o regime de cheias. O bloco diagrama da figura 3 representa, de forma muito simplificada, as formações geológicas existentes num local do Grand Canyon. Figura 3 – Corte transversal de um local no Grand Canyon Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 4 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 5. Nas questões de 1 a 8 seleciona a opção correta. (48 pontos) 1. No corte geológico representado, (A) as falhas ocorreram após a deposição da série estratigráfica II. (B) o vale do Grand Canyon é mais antigo do que a série estratigráfica II. (C) a série estratigráfica I sofreu deformação e exposição subaérea. (D) as séries estratigráficas I e II são contemporâneas. 2. As falhas representadas são _______, dado que o tecto _______, relativamente ao muro. (A) normais … desceu (B) normais … subiu (C) inversas … desceu (D) inversas … subiu 3. Em consequência da construção de barragens no curso do rio Colorado e por este ter alcançado rochas mais _______ à meteorização, a erosão provocada pelo rio _______. (A) vulneráveis … aumentou (B) vulneráveis … diminuiu (C) resistentes … aumentou (D) resistentes … diminuiu 4. A redução da pressão litostática sobre um maciço granítico pode causar a sua… (A) expansão e a posterior formação de dobras. (B) contracção e a posterior formação de dobras. (C) contracção e a posterior formação de diaclases. (D) expansão e a posterior formação de diaclases. 5. A textura _______ do xisto traduz a influência de uma tensão _______, responsável pela disposição dos minerais segundo planos paralelos. (A) não foliada ... não litostática (B) foliada ... litostática (C) foliada ... não litostática (D) não foliada ... litostática 6. Durante a instalação da intrusão magmática ocorreu metamorfismo _______, dando origem a rochas como _______, que acompanham os xistos. (A) de contacto ... as corneanas (B) regional ... as corneanas (C) de contacto ... os gnaisses (D) regional ... os gnaisses 7. A barragem de Hoover, construída no rio Colorado, a jusante do Grand Canyon, originou o lago Mead, que corresponde à sua albufeira. Após o seu enchimento, em 1935, ocorreram, nos anos seguintes, mais de 600 sismos locais. Estes sismos foram condicionados por diversos factores, como as condições geológicas e hidromecânicas específicas da área, a carga suplementar causada pelo reservatório e a dinâmica da variação do nível da água do lago. A construção da barragem de Hoover provocou o aumento da sismicidade, o que permitiu concluir que a carga suplementar causada pelo reservatório _______ as tensões ao nível das _______ existentes. (A) diminuiu … falhas (B) aumentou … falhas (C) diminuiu … dobras (D) aumentou … dobras Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 5 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 6. 8. O basalto é uma rocha relativamente abundante. Relativamente à cor, essa rocha classifica-se como _____. Esta característica está relacionada com a _____ relativa de minerais félsicos na sua composição. (A) leucocrata […] abundância (B) melanocrata […] abundância (C) leucocrata […] escassez (D) melanocrata […] escassez 9. Faz corresponder cada uma das descrições de rochas da coluna A à respetiva designação, que consta da coluna B. Utiliza cada letra e cada número apenas uma vez. (5 pontos) COLUNA A COLUNA B A- Rocha sedimentar detrítica, porosa e pouco permeável. B- Rocha magmática cristalina, granular, impermeável quando não fraturada ou alterada. C- Rocha metamórfica de alto grau, foliada, impermeável quando não fraturada ou alterada. D- Rocha sedimentar detrítica, não consolidada, muito porosa e permeável. E- Rocha metamórfica de baixo grau, foliada, com baixa permeabilidade quando não fraturada ou alterada. 1- Ardósia 2- Areia 3- Argilito 4- Basalto 5- Calcário 6- Gnaisse 7- Granito 8- Mármore A- ___ B- ___ C- ___ D- ___ E- ___ 10. Colocou-se a hipótese de uma dada amostra de rocha poder ser classificada inequivocamente como um basalto e não como um gabro. (8 pontos) Faz corresponder S (sim) ou N (não) a cada uma das afirmações seguintes, de acordo com a possibilidade de serem utilizadas como argumentos a favor da hipótese mencionada. ___ A rocha teve origem na consolidação de um magma. ___ A amostra é constituída essencialmente por grãos não visíveis à vista desarmada ou à lupa. ___ A rocha é constituída essencialmente por piroxenas e plagioclases cálcicas. ___ O magma a partir do qual se formou a rocha era pobre em sílica. ___ A amostra é rica em minerais máficos. ___ A lava consolidou à superfície da Terra. ___ A amostra contém olivinas. ___ A amostra foi colhida de uma lava em almofada, num rifte oceânico. 11. Explica de que modo, a partir do estudo de uma rocha metamórfica, se pode inferir a tensão e a temperatura a que a mesma se formou. (12 pontos) _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 6 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 7. Grupo IV O ouro é um metal precioso que, em estado nativo, ocorre em pequenas concentrações, na crosta terrestre. Reage com fluidos circulantes e pode aparecer em filões associado a diferentes rochas como, por exemplo, gnaisse ou granito. A alteração das rochas onde estes depósitos de ouro se encontram pode permitir o seu transporte por diferentes agentes. Em meados do século XIX, os exploradores deste minério acorriam com frequência a zonas onde a sua deposição é maior. Utilizavam bateias (bacia em forma de calote esférica), que permitiam a separação, por gravidade, das preciosas pepitas que se depositavam no fundo. Quando o ouro era recuperado do fundo dos rios, vinha acompanhado de areias, siltes e argilas. Por vezes, as pepitas de ouro encontravam-se agregadas a fragmentos rochosos, utilizando-se mercúrio para a sua extracção. Nas questões de 1 a 4 seleciona a opção correta. (36 pontos) 1. A extracção de ouro realizada pelos exploradores do século XIX provocou… (A) … impactes ambientais positivos, que ainda hoje se fazem sentir. (B) … a corrida a este recurso, com o seu esgotamento no planeta. (C) … alterações na granulometria dos detritos, a montante do rio. (D) … a contaminação daquela região pelo mercúrio utilizado. 2. Uma jazida constitui uma reserva se o minério… (A) … existir em baixa concentração. (B) … apresentar viabilidade económica. (C) … ocupar uma vasta área. (D) … se encontrar a pequena profundidade. 3. As reservas subterrâneas de água formam-se, na crosta terrestre, em contextos geológicos de características bem definidas. O diagrama da figura 4 representa um possível enquadramento geológico dessas reservas, numa região árida. Figura 4 3.1. Os aquíferos 1 e 2, esquematizados na figura 4, são… (A) … livre e confinado, respectivamente. (B) … confinado e livre, respectivamente. (C) … ambos livres. (D) … ambos confinados. 3.2. A rocha-armazém do aquífero 1 encontra-se deformada em ______, uma vez que a camada mais ______ ocupa o núcleo da dobra. (A) sinclinal (…) velha (B) sinclinal (…) nova (C) anticlinal (…) velha (D) anticlinal (…) nova Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 7 de 8 Ano letivo 2015/2016
  • 8. 3.3. As afirmações seguintes dizem respeito à formação e à evolução dos oásis representados no diagrama da figura 4. 1. A existência de uma falha impediu o aparecimento de água à superfície. 2. Rochas quimiogénicas surgem, nos oásis, por evaporação excessiva de água. 3. A ascensão de água à superfície nos oásis resulta da elevada pressão hidrostática nos aquíferos. (A) 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa. (B) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa. (C) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas. (D) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas. 4. Nos aquíferos livres, em períodos de elevada precipitação, verifica-se… (A) uma diminuição da espessura da zona de aeração, sendo o nível freático mais superficial. (B) um aumento da espessura da zona de aeração, sendo o nível freático menos superficial. (C) uma diminuição da espessura da zona de saturação, sendo o nível freático mais superficial. (D) um aumento da espessura da zona de saturação, sendo o nível freático menos superficial. 5. Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações, relativas a recursos energéticos. (8 pontos) ___ Na actualidade, os combustíveis fósseis constituem a principal fonte de energia nos países industrializados. ___ Os minerais que contêm na sua composição elementos radioactivos são considerados recursos energéticos renováveis. ___ Em alguns locais do planeta, encontram-se reservas inesgotáveis de combustíveis fósseis. ___ Os recursos geotérmicos podem ser explorados em várias regiões, sendo potenciadores do desenvolvimento local. ___ A utilização da radioactividade na produção de energia eléctrica gera resíduos perigosos para a saúde e para o ambiente. ___ A utilização de combustíveis fósseis é responsável pela emissão de gases que contribuem para o efeito de estufa. ___ Os recursos geotérmicos de alta entalpia podem ser explorados em qualquer parte do planeta. ___ Alguns recursos energéticos, como os geotérmicos, podem tornar-se mais competitivos face à subida do preço do petróleo. Total: 200 pontos Mª Céu Pinho e Susana Santos DCMCE Página 8 de 8 Ano letivo 2015/2016