SlideShare uma empresa Scribd logo
EDUCAÇÃO LITERÁRIA
Poesia do ortónimo
O fingimento artístico
1. Em que consiste o fingimento
artístico?
O fingimento artístico é a forma como
Fernando Pessoa concebe a sua arte poética.
O sujeito concebe a sua poesia como a
intelectualização de uma emoção. O poema
é, assim, o resultado da racionalização de um
sentimento. O fingimento poético é a
transfiguração da emoção pela razão.
Os poemas “Autopsicografia” e “Isto” são
1. Em que consiste o fingimento
artístico?
(cont.)
considerados poemas de teorização poética
ou de doutrinação estética, em que se
apresenta a teoria do fingimento poético.
2. O que significa intelectualizar ou
racionalizar uma emoção, no
contexto da poesia de Fernando
Pessoa?
Intelectualizar uma emoção ou
sentimento significa pensar a partir daquilo
que se sentiu.
No processo de criação poética, o sujeito
intelectualiza a “dor sentida”, registando, no
poema, a “dor fingida”. Por sua vez, os leitores
não têm acesso nem à “dor sentida” nem à
“dor fingida”, apenas à “dor lida”. Esta tese é o
fundamento da teoria do fingimento poético.
3. Qual é o fundamento da teoria do
fingimento poético explicitado no
poema “Autopsicografia”?

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a aepal12_as_03.pptx

Síntese programa12º
Síntese programa12ºSíntese programa12º
Síntese programa12º
Mª Galvão
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Alexandra Canané
 
Fernando pessoa conteúdos essenciais
Fernando pessoa conteúdos essenciaisFernando pessoa conteúdos essenciais
Fernando pessoa conteúdos essenciais
becresforte
 
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
Paula Duarte
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Josi Motta
 
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando PessoaViajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Maria Rebelo
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
Conceicao Mousinho
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
luisprista
 
Ensaio man of the crowd
Ensaio man of the crowdEnsaio man of the crowd
Ensaio man of the crowd
Raphael Cruz
 
resumos
resumosresumos
resumos
Diogo Tavares
 
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa   ortónimos e heterónimosFernando pessoa   ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Mariana338866
 
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
quintaldasletras
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
André Andros
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
Dina Baptista
 
Isto - Fernando Pessoa.ppt
Isto - Fernando Pessoa.pptIsto - Fernando Pessoa.ppt
Isto - Fernando Pessoa.ppt
ssuser87ae72
 
Fernando pessoa por ele mesmo
Fernando pessoa por ele mesmoFernando pessoa por ele mesmo
Fernando pessoa por ele mesmo
George Alex
 
Schopenhauer: a vontade irrracional
Schopenhauer: a vontade irrracionalSchopenhauer: a vontade irrracional
Schopenhauer: a vontade irrracional
Colégio Nova Geração COC
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
Margarida Pedro da Silva
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
luisprista
 
Fernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimosFernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimos
tay520
 

Semelhante a aepal12_as_03.pptx (20)

Síntese programa12º
Síntese programa12ºSíntese programa12º
Síntese programa12º
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Fernando pessoa conteúdos essenciais
Fernando pessoa conteúdos essenciaisFernando pessoa conteúdos essenciais
Fernando pessoa conteúdos essenciais
 
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando PessoaViajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 74-75
 
Ensaio man of the crowd
Ensaio man of the crowdEnsaio man of the crowd
Ensaio man of the crowd
 
resumos
resumosresumos
resumos
 
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa   ortónimos e heterónimosFernando pessoa   ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
 
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
Pessoa ortónimo proposta para análise de poemas 14_15
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
 
Isto - Fernando Pessoa.ppt
Isto - Fernando Pessoa.pptIsto - Fernando Pessoa.ppt
Isto - Fernando Pessoa.ppt
 
Fernando pessoa por ele mesmo
Fernando pessoa por ele mesmoFernando pessoa por ele mesmo
Fernando pessoa por ele mesmo
 
Schopenhauer: a vontade irrracional
Schopenhauer: a vontade irrracionalSchopenhauer: a vontade irrracional
Schopenhauer: a vontade irrracional
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
 
Fernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimosFernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimos
 

Mais de FJDOliveira

Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
FJDOliveira
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
FJDOliveira
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
FJDOliveira
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
FJDOliveira
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
FJDOliveira
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
FJDOliveira
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
FJDOliveira
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
FJDOliveira
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
FJDOliveira
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
FJDOliveira
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
FJDOliveira
 

Mais de FJDOliveira (20)

Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 

Último

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 

Último (20)

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 

aepal12_as_03.pptx

  • 3. 1. Em que consiste o fingimento artístico? O fingimento artístico é a forma como Fernando Pessoa concebe a sua arte poética. O sujeito concebe a sua poesia como a intelectualização de uma emoção. O poema é, assim, o resultado da racionalização de um sentimento. O fingimento poético é a transfiguração da emoção pela razão. Os poemas “Autopsicografia” e “Isto” são
  • 4. 1. Em que consiste o fingimento artístico? (cont.) considerados poemas de teorização poética ou de doutrinação estética, em que se apresenta a teoria do fingimento poético.
  • 5. 2. O que significa intelectualizar ou racionalizar uma emoção, no contexto da poesia de Fernando Pessoa? Intelectualizar uma emoção ou sentimento significa pensar a partir daquilo que se sentiu.
  • 6. No processo de criação poética, o sujeito intelectualiza a “dor sentida”, registando, no poema, a “dor fingida”. Por sua vez, os leitores não têm acesso nem à “dor sentida” nem à “dor fingida”, apenas à “dor lida”. Esta tese é o fundamento da teoria do fingimento poético. 3. Qual é o fundamento da teoria do fingimento poético explicitado no poema “Autopsicografia”?