SlideShare uma empresa Scribd logo
ALANE FERREIRA DA SILVA
ALINE DA SILVA FRAGOSO
ANA PATRÍCIA DOS SANTOS SILVA
ELIANEIDE DE SANTANA AMARANTE
ELIENE DA SILVA OLIVEIRA
JACIANE MARIA FELIPE DA SILVA
DOENÇAS CAUSADAS PELO AEDES AEGPYTI
Trabalho de Conclusão do Ensino
Fundamental apresentado à EREM Dr. Jaime
Monteiro como requisito parcial para
aprovação, sob a orientação da Professora
Márcia Oliveira da Silva.
GAMELEIRA – PE
2016
Dedicamos este trabalho a toda sociedade
gameleirense, na intenção de contribuir para
qualidade de vida dessa população.
É fundamental conscientizar as pessoas de que
combater o mosquito da dengue, além de
responsabilidade dos órgãos governamentais
que deveriam encarregar-se do saneamento
básico, abastecimento de água e de
campanhas educativas permanentes, requer
empenho de toda a sociedade, uma vez que
o Aedes aegypti pode encontrar, em cada
moradia e arredores, ambiente propício para
sua proliferação.
Drauzio Varella
SUMÁRIO
APRESENTAÇÃO..................................................................................................... 05
JUSTIFICATIVA....................................................................................................... 06
PROBLEMA MOBILIZADOR................................................................................ 07
OBJETIVOS............................................................................................................... 08
CAPÍTULO I
CONSTRUINDO REFERÊNCIAS......................................................................... 09
1.1 O Aedes aegypti............................................................................................................. 09
1.2 Modo de transmissão das doenças causadas pelo Aedes aegypti.................... 10
1.3. Sintomas das doenças causadas pelo Aedes aegypti ...................................... 10
1.4 Doenças causadas pelo Aedes aegypti........................................................... 11
1.5 Regiões mais afetadas..................................................................................... 13
ETAPAS..................................................................................................................... 14
RECURSOS............................................................................................................... 15
CRONOGRAMA...................................................................................................... 16
CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................................... 17
REFERÊNCIAS....................................................................................................... 18
APRESENTAÇÃO
Nos dias atuais a saúde dos brasileiros entrou em alerta, considerando o aumento de
casos de dengue, bem como o surgimento de duas novas doenças no Brasil: o Zika Vírus e a
Chikungunya. Essa realidade, motivou a pesquisa sobre a causa dessas doenças, que muito
tem prejudicado a saúde da população, necessitando conhecer as particularidades do mosquito
Aedes aegypti, e todos os malefícios que o mesmo pode acarretar.
JUSTIFICATIVA
A escolha do tema “Doenças causadas pelo Aedes aegpyti” foi motivado pela
epidemia vivenciada em nosso país, que demonstra altos índices da dengue, e outras novas
doenças: Zika e Chikungunya. Essa pesquisa vem evidenciar a necessidade de prevenir as
doenças citadas, demonstrando pequenos cuidados que definirão uma melhoria no aumento
dos casos, abordando sintomas e formas de tratamento.
PROBLEMA MOBILIZADOR
Os problemas estruturais da sociedade implicam diretamente na saúde da população.
Problemas ligados ao lixo, saneamento e tratamento de água e esgoto, são responsáveis por
várias doenças que acometem a população brasileira, possibilitando inclusive criadouros do
mosquito Aedes aegpyti. O aumento do número de casos de doenças causadas por esse
mosquito, bem como surgimento de outras doenças, motivou a abordagem do tema mediante
o questionamento: Quais as doenças causadas pelo Aedes aegpyti?
OBJETIVOS
Objetivo Geral
Conhecer as doenças causadas pelo mosquito Aedes aegpyti, seus sintomas, tratamento
e formas de prevenção.
Objetivos Específicos
 Sensibilizar a comunidade escolar dos riscos das doenças causadas pelo Aedes
aegpyti;
 Esclarecer que a forma de proliferação do mosquito se faz a partir do acumulo da água
parada.
 Abordar a importância de procurar atendimento médico para notificação, dignóstico e
tratamento da doença causada pelo mosquito.
CAPÍTULO I
CONSTRUINDO REFERÊNCIAS
1.1 O Aedes aegypti
O Mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva,
cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da
manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode
atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem também durante
a noite. O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça.
O Aedes aegypti é originário do Egito. A dispersão pelo mundo ocorreu da África:
primeiro da costa leste do continente para as Américas, depois da costa oeste para a Ásia. As
teorias mais aceitas indicam que o Aedes aegypti tenha se disseminado da África para o
continente americano por embarcações que aportaram no Brasil para o tráfico de escravos. Há
registro da ocorrência da doença em Curitiba (PR) no final do século 19 e em Niterói (RJ) no
início do século 20.
O vetor foi descrito cientificamente pela primeira vez em 1762, quando foi
denominado Culex aegypti. Culex significa “mosquito” e aegypti, egípcio, portanto: mosquito
egípcio. O gênero Aedes só foi descrito em 1818. Só as fêmeas picam o ser humano, porque
precisa de sangue para a produção dos ovos. Aedes aegypti é um mosquito que transmite
várias doenças perigosas como, por exemplo, dengue e febre amarela urbana. Ele também é o
transmissor do Zika vírus, que pode causar a microcefalia, e do vírus causador da febre
chikungunya.
Estes insetos são típicos de regiões urbanas de clima tropical e subtropical (com
presença de calor e chuvas) Não conseguem viver em regiões frias.
1.2 Modo de transmissão das doenças causadas pelo Aedes aegypti
• A fêmea pica a pessoa infectada, mantém o vírus na saliva e o retransmite.
A transmissão ocorre pelo ciclo homem - Aedes aegypti - homem. Após a ingestão de
sangue infectado pelo inseto fêmea, transcorre na fêmea um período de incubação.
Após esse período, o mosquito torna-se apto a transmitir o vírus e assim permanece
durante toda a vida. Não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções
com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.
• O mosquito Aedes aegypti também pode transmitir a febre amarela.
• O ciclo do Aedes aegypti é composto por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. As
larvas se desenvolvem em água parada, limpa ou suja. Na fase do acasalamento, em
que as fêmeas precisam de sangue para garantir o desenvolvimento dos ovos, ocorre a
transmissão da doença.
1.3 Sintomas das doenças causadas pelo Aedes aegypti
Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença
ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta, como: dores abdominais
fortes e contínuas; vômitos persistentes; pele pálida, fria e úmida;
sangramento pelo nariz, boca e gengivas; manchas vermelhas na pele; sonolência, agitação e
confusão mental; sede excessiva e boca seca; pulso rápido e fraco;
dificuldade respiratória e perda de consciência.
Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais
de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas. De
acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue
hemorrágica.
Além da Dengue o Aedes aegypti pode transmitir outras doenças como: Zika e
chikungunya. Apresentando sintomas bem semelhantes.
1.4 Doenças causadas pelo Aedes aegypti
1.4.1 Zika Vírus
O Zika Vírus – ou vírus da zica em Português – é um vírus do gênero Flavivirus, mas
o termo também pode se referir à infecção causada pelo Zika, que é transmitida pelo mosquito
Aedes aegypti, conhecido popularmente por Mosquito da Dengue, por ser o transmissor da
doença com o mesmo nome, além da febre Chikungunya. Essa doença chegou ao Brasil após
a copa do mundo de 2014, e assola a população desde então.
Parecidos com os sintomas da dengue, os sinais de que alguém está infectado
pelo Zika víruscomeçam a aparecer entre 3 e 12 dias após a pessoa ter sido picada pelo
mosquito. Os sintomas do Zika Vírus são:
• Febre baixa (em torno dos 37,8 e 38,5 graus)
• Dores nas articulações (artralgia), principalmente nas das mãos e pés, com possível
ocorrência de inchaço
• Dor muscular (mialgia)
• Dores de cabeça e atrás dos olhos
• Erupções cutâneas (exantemas) com coceiras. Elas podem afetar o tronco e o rosto,
além de poderem alcançar alguns membros como pés e mãos
• Conjuntivite, onde os olhos ficam vermelhos e inchados, porém sem ocorrência de
secreção
• Algumas pessoas também apresentam sintomas mais raros da infecção, como:
• Dor abdominal
• Constipação
• Diarreia Fotofobia.
1.4.2 A Chikungunya
A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e
Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014.
Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à
aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na
Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953.
Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas
articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de
cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya
mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas
iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O mosquito adquire o vírus CHIKV
ao picar uma pessoa infectada, durante o período em que o vírus está presente no organismo
infectado. Cerca de 30% dos casos não apresentam sintomas.
O uso de analgésicos e anti-inflamatórios é ministrado nos indivíduos infectados
pelo Zika, porém, assim como nos casos da febre chikungunya e de dengue, todo
medicamente que apresenta ácido acetilsalicílico – como a aspirina – ou que contém a
substância associada deve ter seu consumo evitado, uma vez que esses componentes causam
um efeito anticoagulante, muitas vezes causando sangramentos. Anti-inflamatórios não
hormonais, como o diclofenaco, o ibuprofeno e o piroxicam também não devem ser ingeridos
pelos pacientes infectados, pois todos esses medicamentos podem aumentar o risco de
sangramentos ocorrerem.
1.4.3 A Dengue
A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, sendo um dos principais
problemas de saúde pública no mundo. É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se
desenvolve em áreas tropicais e subtropicais.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de
pessoas se infectem anualmente com a dengue em mais de 100 países de todos os continentes,
exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em
consequência da dengue.
Existem quatro tipos de dengue, de acordo com os quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2,
DEN-3 e DEN-4. Quando uma pessoa tem dengue tem uma imunidade relativa contra outro
sorotipo.
1.5 Regiões mais Afetadas
O verão nem chegou e os casos de dengue mais que dobraram do ano passado para cá.
O pior é que agora o Aedes Aegypti também está transmitindo outras duas doenças e centenas
de cidades estão em alerta.
O Aedes Aegypti transmite os vírus da dengue, da chikungunya e da zika. São 655
cidades em alerta para as três doenças. Entre elas, sete capitais: Aracaju, Recife, São Luís, Rio
de Janeiro,Cuiabá, Belém e Porto Velho. E 199 cidades já estão em situação de risco de surto
de dengue, chikungunya e zika.
O Nordeste é a região com mais cidades em risco: 152. Pernambuco é o estado da
região que tem mais cidades com risco de surto e lá a grande preocupação é com a zika. A
Bahia foi o primeiro estado a identificar a doença.
São Paulo é o estado do Sudeste com mais cidades em alerta e uma vacina contra a
dengue está sendo testada na Fiocruz, no Rio.
ETAPAS
A realização desse trabalho de conclusão ocorreu a partir de três etapas:
1. Pesquisa bibliográfica e elaboração dos textos;
2 Elaboração de panfletos, contendo as doenças, sintomas e formas de prevenção;
3 Entrega dos panfletos em bairro do entorno da escola.
RECURSOS
Para a realização dessa pesquisa foram utilizados os seguintes materiais:
 Orientações das professoras;
 Pesquisa em sites específicos;
 Panfletos elaborados a partir de pesquisa.
CRONOGRAMA
Atividades AGO SET OUT NOV DEZ
Orientação sobre TCF X X X X
Formação da equipe X
Escolha do tema X
Definição do produto final X
Pesquisa bibliográfica X X X X
Pesquisa de campo X
Elaboração do sumário
provisório
X
Produção dos textos X X X
Produção de Panfleto X
Entrega dos Panfletos X
Revisão dos textos X X X
Produção de slide X
Entrega do TCF X
Apresentação do TCF X
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Sabemos que a saúde da população brasileira avançou muito nos últimos anos, porém,
a classe pobre ainda sofre muito em busca de uma saúde de qualidade. Os problemas
estruturais da sociedade aumentam os riscos de muitas doenças causadas pela ausência de
tratamento do lixo, saneamento básico e água potável.
Nestes últimos anos estamos sofrendo com o aumento de casos da Dengue, doença
causada pelo Aedes aegpyti, mosquito que se prolifera por meio da água parada. Desde o ano
de 2015, tivemos o surgimento duas novas doenças: Zika e chikungunya. Essas doenças
também são transmitidas pelo mesmo mosquito, e apresentam sintomas bem parecidos com o
da dengue, confundindo ambas.
O vírus Zika e a Chikungunya chegaram ao Brasil após a copa do mundo, e os
brasileiros sofrem até hoje com os sintomas dessas doenças, sofrem com falta de atendimento
médico e tratamento. Tudo isso motivado pela falta de prevenção, acumulo de lixo, limpeza
de telhados e caixa d’agua, bem como de piscinas.
De acordo com a pesquisa realizada a única forma de prevenir as doenças causadas
pelo Aedes aegpyti é não deixar água parada, manter quintais, caixas d’água e piscina limpos.
Pois, sem água parada não existe possibilidade do mosquito se multiplicar.
REFERÊNCIAS
http://www.barreiracontradengue.com.br/?gclid=CIeFiKSW79ACFcoJkQod97wIZg
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/links-de-interesse/301-dengue/14610-curiosidades-
sobre-o-aedes-aegypti
http://www.suapesquisa.com/mundoanimal/mosquito_da_dengue.htm
http://combateaedes.saude.gov.br/pt/tira-duvidas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
Escola Pública/Particular
 
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
ssuserb08fb6
 
Atividade sobre classificação dos seres vivos
Atividade sobre classificação dos seres vivosAtividade sobre classificação dos seres vivos
Atividade sobre classificação dos seres vivos
ELISSANDRAAPARECIDAM
 
Avaliação mensal de biologia
Avaliação mensal de biologiaAvaliação mensal de biologia
Avaliação mensal de biologia
Atividades Diversas Cláudia
 
Setembro Amarelo.pdf
Setembro Amarelo.pdfSetembro Amarelo.pdf
Setembro Amarelo.pdf
Adilson742403
 
TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência
Marcia Oliveira
 
Dia do meio ambiente junho
Dia do meio ambiente junhoDia do meio ambiente junho
Dia do meio ambiente junho
Atividades Diversas Cláudia
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
Andrea Barreto
 
Eletricidade - Texto e atividade de Ciências
Eletricidade   - Texto e atividade de CiênciasEletricidade   - Texto e atividade de Ciências
Eletricidade - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Prof. Noe Assunção
 
Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente
Mary Alvarenga
 
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundoEnsino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
Atividades Diversas Cláudia
 
Projeto combate a dengue escola nascimento leal
Projeto combate a dengue   escola nascimento lealProjeto combate a dengue   escola nascimento leal
Projeto combate a dengue escola nascimento leal
Fabiola Oliveira
 
Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
Carlos Magno Braga
 
Atividade de celula
Atividade de celulaAtividade de celula
Atividade de celula
maricel loch
 
Planeta Água.pdf
Planeta Água.pdfPlaneta Água.pdf
Planeta Água.pdf
wellington feitosa
 
O ar - Texto e atividade
O ar - Texto e atividadeO ar - Texto e atividade
O ar - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
Cruzadinha sistema respiratorio
Cruzadinha sistema respiratorioCruzadinha sistema respiratorio
Cruzadinha sistema respiratorio
Marcia Guzzo
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
MAIEVS2
 

Mais procurados (20)

Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
 
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
9º Ano - Ensino Religioso - 18-03.pdf
 
Atividade sobre classificação dos seres vivos
Atividade sobre classificação dos seres vivosAtividade sobre classificação dos seres vivos
Atividade sobre classificação dos seres vivos
 
Avaliação mensal de biologia
Avaliação mensal de biologiaAvaliação mensal de biologia
Avaliação mensal de biologia
 
Setembro Amarelo.pdf
Setembro Amarelo.pdfSetembro Amarelo.pdf
Setembro Amarelo.pdf
 
TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência
 
Dia do meio ambiente junho
Dia do meio ambiente junhoDia do meio ambiente junho
Dia do meio ambiente junho
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
 
Eletricidade - Texto e atividade de Ciências
Eletricidade   - Texto e atividade de CiênciasEletricidade   - Texto e atividade de Ciências
Eletricidade - Texto e atividade de Ciências
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente
 
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundoEnsino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
Ensino religioso 8 maneiras de mudar o mundo
 
Projeto combate a dengue escola nascimento leal
Projeto combate a dengue   escola nascimento lealProjeto combate a dengue   escola nascimento leal
Projeto combate a dengue escola nascimento leal
 
Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)Interpretação texto redes sociais (1)
Interpretação texto redes sociais (1)
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
Atividade de celula
Atividade de celulaAtividade de celula
Atividade de celula
 
Planeta Água.pdf
Planeta Água.pdfPlaneta Água.pdf
Planeta Água.pdf
 
O ar - Texto e atividade
O ar - Texto e atividadeO ar - Texto e atividade
O ar - Texto e atividade
 
Cruzadinha sistema respiratorio
Cruzadinha sistema respiratorioCruzadinha sistema respiratorio
Cruzadinha sistema respiratorio
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
 

Destaque

Saepe 9º ano
Saepe 9º anoSaepe 9º ano
Saepe 9º ano
Marcia Oliveira
 
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Marcia Oliveira
 
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
Marcia Oliveira
 
TCF sobre Hpv hora de prevenir
TCF sobre Hpv hora de prevenirTCF sobre Hpv hora de prevenir
TCF sobre Hpv hora de prevenir
Marcia Oliveira
 
Língua portuguesa revisão geral E.M.
Língua portuguesa revisão geral E.M.Língua portuguesa revisão geral E.M.
Língua portuguesa revisão geral E.M.
Marcia Oliveira
 
Saepe 3º ano
Saepe 3º anoSaepe 3º ano
Saepe 3º ano
Marcia Oliveira
 
Estrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativoEstrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativo
Marcia Oliveira
 
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino MédioAnálise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
Marcia Oliveira
 

Destaque (8)

Saepe 9º ano
Saepe 9º anoSaepe 9º ano
Saepe 9º ano
 
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
 
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
TCF sobre "Entendendo o cancer de mama"
 
TCF sobre Hpv hora de prevenir
TCF sobre Hpv hora de prevenirTCF sobre Hpv hora de prevenir
TCF sobre Hpv hora de prevenir
 
Língua portuguesa revisão geral E.M.
Língua portuguesa revisão geral E.M.Língua portuguesa revisão geral E.M.
Língua portuguesa revisão geral E.M.
 
Saepe 3º ano
Saepe 3º anoSaepe 3º ano
Saepe 3º ano
 
Estrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativoEstrutura de texto dissertativo
Estrutura de texto dissertativo
 
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino MédioAnálise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
Análise de Textos - Ensino Fundamental e Ensino Médio
 

Semelhante a TCF sobre Doenças causadas pelo aedes aegpyti

Dengue 5º c
Dengue 5º cDengue 5º c
Dengue 5º c
Pathyciane Melo
 
zica,Chikunya e Dengue
zica,Chikunya e Denguezica,Chikunya e Dengue
zica,Chikunya e Dengue
Nicole Gouveia
 
Trabalho da dengue michelle
Trabalho da dengue michelleTrabalho da dengue michelle
Trabalho da dengue michelle
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Aedes Aegypti
Aedes AegyptiAedes Aegypti
Aedes Aegypti
Noraldino Lima
 
Dengue 1 E
Dengue 1 EDengue 1 E
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
J. C.
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
J. C.
 
Dengue em Campinas
Dengue em CampinasDengue em Campinas
Dengue em Campinas
Eni Bertolini
 
Febre Amarela
Febre AmarelaFebre Amarela
Febre Amarela
satielicunha
 
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengueTudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
adrianomedico
 
Tudo sobre dengue
Tudo sobre dengueTudo sobre dengue
Tudo sobre dengue
adrianomedico
 
Dengue giulia e marina
Dengue giulia e marinaDengue giulia e marina
Dengue giulia e marina
Argos Santos
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)
lyzandra de camargo
 
Pesquisa Sobre Dengue
Pesquisa Sobre DenguePesquisa Sobre Dengue
Pesquisa Sobre Dengue
Lucas Wallace Sousa Alves
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
Jornal Cidade
 
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxiaAula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
repolicarpo
 
mosquito da Dengue
mosquito da Denguemosquito da Dengue
mosquito da Dengue
Vanderley Da Silva Acstro
 

Semelhante a TCF sobre Doenças causadas pelo aedes aegpyti (20)

Dengue 5º c
Dengue 5º cDengue 5º c
Dengue 5º c
 
zica,Chikunya e Dengue
zica,Chikunya e Denguezica,Chikunya e Dengue
zica,Chikunya e Dengue
 
Trabalho da dengue michelle
Trabalho da dengue michelleTrabalho da dengue michelle
Trabalho da dengue michelle
 
Aedes Aegypti
Aedes AegyptiAedes Aegypti
Aedes Aegypti
 
Dengue 1 E
Dengue 1 EDengue 1 E
Dengue 1 E
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
 
Dengue em Campinas
Dengue em CampinasDengue em Campinas
Dengue em Campinas
 
Febre Amarela
Febre AmarelaFebre Amarela
Febre Amarela
 
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengueTudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
 
Tudo sobre dengue
Tudo sobre dengueTudo sobre dengue
Tudo sobre dengue
 
Dengue giulia e marina
Dengue giulia e marinaDengue giulia e marina
Dengue giulia e marina
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)
 
Pesquisa Sobre Dengue
Pesquisa Sobre DenguePesquisa Sobre Dengue
Pesquisa Sobre Dengue
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Caderno Especial Dengue - 16/12/2015
 
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxiaAula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
 
mosquito da Dengue
mosquito da Denguemosquito da Dengue
mosquito da Dengue
 

Mais de Marcia Oliveira

TCF sobre Obesidade: causas e consequências
TCF sobre Obesidade: causas e consequênciasTCF sobre Obesidade: causas e consequências
TCF sobre Obesidade: causas e consequências
Marcia Oliveira
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
Marcia Oliveira
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
Marcia Oliveira
 
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
Marcia Oliveira
 
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciadaTCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
Marcia Oliveira
 
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiarTCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
Marcia Oliveira
 
Simulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
Simulado de Língua Portuguesa Ensino MédioSimulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
Simulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
Marcia Oliveira
 
Simulado de Língua Portuguesa 9º ano
Simulado de Língua Portuguesa 9º anoSimulado de Língua Portuguesa 9º ano
Simulado de Língua Portuguesa 9º ano
Marcia Oliveira
 
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino MédioAvaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
Marcia Oliveira
 
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPESimulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Marcia Oliveira
 
Simulado de Língua Portuguesa 3º ano
Simulado de Língua Portuguesa  3º anoSimulado de Língua Portuguesa  3º ano
Simulado de Língua Portuguesa 3º ano
Marcia Oliveira
 
Sociedade brasileira no final do século XIX
Sociedade brasileira no final do século XIXSociedade brasileira no final do século XIX
Sociedade brasileira no final do século XIX
Marcia Oliveira
 
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime MonteiroExperiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
Marcia Oliveira
 
Confissões de adolescente
Confissões de adolescenteConfissões de adolescente
Confissões de adolescente
Marcia Oliveira
 
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas tatiana
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas   tatianaAtividade sobre o filme a culpa é das estrelas   tatiana
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas tatiana
Marcia Oliveira
 
Simulado língua portuguesa 3º
Simulado língua portuguesa 3ºSimulado língua portuguesa 3º
Simulado língua portuguesa 3º
Marcia Oliveira
 
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Marcia Oliveira
 
Relação semântica
Relação semânticaRelação semântica
Relação semântica
Marcia Oliveira
 
Avaliação de didática da linguagem
Avaliação de didática da linguagemAvaliação de didática da linguagem
Avaliação de didática da linguagem
Marcia Oliveira
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
Marcia Oliveira
 

Mais de Marcia Oliveira (20)

TCF sobre Obesidade: causas e consequências
TCF sobre Obesidade: causas e consequênciasTCF sobre Obesidade: causas e consequências
TCF sobre Obesidade: causas e consequências
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
 
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
 
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciadaTCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
TCF sobre Esquistossomose: uma doença negligenciada
 
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiarTCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
TCF sobre Alcoolismo no ambiente familiar
 
Simulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
Simulado de Língua Portuguesa Ensino MédioSimulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
Simulado de Língua Portuguesa Ensino Médio
 
Simulado de Língua Portuguesa 9º ano
Simulado de Língua Portuguesa 9º anoSimulado de Língua Portuguesa 9º ano
Simulado de Língua Portuguesa 9º ano
 
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino MédioAvaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
Avaliação de Língua Portuguesa Ensino Médio
 
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPESimulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
 
Simulado de Língua Portuguesa 3º ano
Simulado de Língua Portuguesa  3º anoSimulado de Língua Portuguesa  3º ano
Simulado de Língua Portuguesa 3º ano
 
Sociedade brasileira no final do século XIX
Sociedade brasileira no final do século XIXSociedade brasileira no final do século XIX
Sociedade brasileira no final do século XIX
 
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime MonteiroExperiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
Experiência exitosa com Literatura EREM Dr. Jaime Monteiro
 
Confissões de adolescente
Confissões de adolescenteConfissões de adolescente
Confissões de adolescente
 
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas tatiana
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas   tatianaAtividade sobre o filme a culpa é das estrelas   tatiana
Atividade sobre o filme a culpa é das estrelas tatiana
 
Simulado língua portuguesa 3º
Simulado língua portuguesa 3ºSimulado língua portuguesa 3º
Simulado língua portuguesa 3º
 
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
 
Relação semântica
Relação semânticaRelação semântica
Relação semântica
 
Avaliação de didática da linguagem
Avaliação de didática da linguagemAvaliação de didática da linguagem
Avaliação de didática da linguagem
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 

Último

Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 

TCF sobre Doenças causadas pelo aedes aegpyti

  • 1. ALANE FERREIRA DA SILVA ALINE DA SILVA FRAGOSO ANA PATRÍCIA DOS SANTOS SILVA ELIANEIDE DE SANTANA AMARANTE ELIENE DA SILVA OLIVEIRA JACIANE MARIA FELIPE DA SILVA DOENÇAS CAUSADAS PELO AEDES AEGPYTI Trabalho de Conclusão do Ensino Fundamental apresentado à EREM Dr. Jaime Monteiro como requisito parcial para aprovação, sob a orientação da Professora Márcia Oliveira da Silva. GAMELEIRA – PE 2016
  • 2. Dedicamos este trabalho a toda sociedade gameleirense, na intenção de contribuir para qualidade de vida dessa população.
  • 3. É fundamental conscientizar as pessoas de que combater o mosquito da dengue, além de responsabilidade dos órgãos governamentais que deveriam encarregar-se do saneamento básico, abastecimento de água e de campanhas educativas permanentes, requer empenho de toda a sociedade, uma vez que o Aedes aegypti pode encontrar, em cada moradia e arredores, ambiente propício para sua proliferação. Drauzio Varella
  • 4. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO..................................................................................................... 05 JUSTIFICATIVA....................................................................................................... 06 PROBLEMA MOBILIZADOR................................................................................ 07 OBJETIVOS............................................................................................................... 08 CAPÍTULO I CONSTRUINDO REFERÊNCIAS......................................................................... 09 1.1 O Aedes aegypti............................................................................................................. 09 1.2 Modo de transmissão das doenças causadas pelo Aedes aegypti.................... 10 1.3. Sintomas das doenças causadas pelo Aedes aegypti ...................................... 10 1.4 Doenças causadas pelo Aedes aegypti........................................................... 11 1.5 Regiões mais afetadas..................................................................................... 13 ETAPAS..................................................................................................................... 14 RECURSOS............................................................................................................... 15 CRONOGRAMA...................................................................................................... 16 CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................................... 17 REFERÊNCIAS....................................................................................................... 18
  • 5. APRESENTAÇÃO Nos dias atuais a saúde dos brasileiros entrou em alerta, considerando o aumento de casos de dengue, bem como o surgimento de duas novas doenças no Brasil: o Zika Vírus e a Chikungunya. Essa realidade, motivou a pesquisa sobre a causa dessas doenças, que muito tem prejudicado a saúde da população, necessitando conhecer as particularidades do mosquito Aedes aegypti, e todos os malefícios que o mesmo pode acarretar.
  • 6. JUSTIFICATIVA A escolha do tema “Doenças causadas pelo Aedes aegpyti” foi motivado pela epidemia vivenciada em nosso país, que demonstra altos índices da dengue, e outras novas doenças: Zika e Chikungunya. Essa pesquisa vem evidenciar a necessidade de prevenir as doenças citadas, demonstrando pequenos cuidados que definirão uma melhoria no aumento dos casos, abordando sintomas e formas de tratamento.
  • 7. PROBLEMA MOBILIZADOR Os problemas estruturais da sociedade implicam diretamente na saúde da população. Problemas ligados ao lixo, saneamento e tratamento de água e esgoto, são responsáveis por várias doenças que acometem a população brasileira, possibilitando inclusive criadouros do mosquito Aedes aegpyti. O aumento do número de casos de doenças causadas por esse mosquito, bem como surgimento de outras doenças, motivou a abordagem do tema mediante o questionamento: Quais as doenças causadas pelo Aedes aegpyti?
  • 8. OBJETIVOS Objetivo Geral Conhecer as doenças causadas pelo mosquito Aedes aegpyti, seus sintomas, tratamento e formas de prevenção. Objetivos Específicos  Sensibilizar a comunidade escolar dos riscos das doenças causadas pelo Aedes aegpyti;  Esclarecer que a forma de proliferação do mosquito se faz a partir do acumulo da água parada.  Abordar a importância de procurar atendimento médico para notificação, dignóstico e tratamento da doença causada pelo mosquito.
  • 9. CAPÍTULO I CONSTRUINDO REFERÊNCIAS 1.1 O Aedes aegypti O Mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem também durante a noite. O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça. O Aedes aegypti é originário do Egito. A dispersão pelo mundo ocorreu da África: primeiro da costa leste do continente para as Américas, depois da costa oeste para a Ásia. As teorias mais aceitas indicam que o Aedes aegypti tenha se disseminado da África para o continente americano por embarcações que aportaram no Brasil para o tráfico de escravos. Há registro da ocorrência da doença em Curitiba (PR) no final do século 19 e em Niterói (RJ) no início do século 20. O vetor foi descrito cientificamente pela primeira vez em 1762, quando foi denominado Culex aegypti. Culex significa “mosquito” e aegypti, egípcio, portanto: mosquito egípcio. O gênero Aedes só foi descrito em 1818. Só as fêmeas picam o ser humano, porque precisa de sangue para a produção dos ovos. Aedes aegypti é um mosquito que transmite várias doenças perigosas como, por exemplo, dengue e febre amarela urbana. Ele também é o transmissor do Zika vírus, que pode causar a microcefalia, e do vírus causador da febre chikungunya. Estes insetos são típicos de regiões urbanas de clima tropical e subtropical (com presença de calor e chuvas) Não conseguem viver em regiões frias.
  • 10. 1.2 Modo de transmissão das doenças causadas pelo Aedes aegypti • A fêmea pica a pessoa infectada, mantém o vírus na saliva e o retransmite. A transmissão ocorre pelo ciclo homem - Aedes aegypti - homem. Após a ingestão de sangue infectado pelo inseto fêmea, transcorre na fêmea um período de incubação. Após esse período, o mosquito torna-se apto a transmitir o vírus e assim permanece durante toda a vida. Não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento. • O mosquito Aedes aegypti também pode transmitir a febre amarela. • O ciclo do Aedes aegypti é composto por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. As larvas se desenvolvem em água parada, limpa ou suja. Na fase do acasalamento, em que as fêmeas precisam de sangue para garantir o desenvolvimento dos ovos, ocorre a transmissão da doença. 1.3 Sintomas das doenças causadas pelo Aedes aegypti Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta, como: dores abdominais fortes e contínuas; vômitos persistentes; pele pálida, fria e úmida; sangramento pelo nariz, boca e gengivas; manchas vermelhas na pele; sonolência, agitação e confusão mental; sede excessiva e boca seca; pulso rápido e fraco; dificuldade respiratória e perda de consciência. Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica. Além da Dengue o Aedes aegypti pode transmitir outras doenças como: Zika e chikungunya. Apresentando sintomas bem semelhantes.
  • 11. 1.4 Doenças causadas pelo Aedes aegypti 1.4.1 Zika Vírus O Zika Vírus – ou vírus da zica em Português – é um vírus do gênero Flavivirus, mas o termo também pode se referir à infecção causada pelo Zika, que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, conhecido popularmente por Mosquito da Dengue, por ser o transmissor da doença com o mesmo nome, além da febre Chikungunya. Essa doença chegou ao Brasil após a copa do mundo de 2014, e assola a população desde então. Parecidos com os sintomas da dengue, os sinais de que alguém está infectado pelo Zika víruscomeçam a aparecer entre 3 e 12 dias após a pessoa ter sido picada pelo mosquito. Os sintomas do Zika Vírus são: • Febre baixa (em torno dos 37,8 e 38,5 graus) • Dores nas articulações (artralgia), principalmente nas das mãos e pés, com possível ocorrência de inchaço • Dor muscular (mialgia) • Dores de cabeça e atrás dos olhos • Erupções cutâneas (exantemas) com coceiras. Elas podem afetar o tronco e o rosto, além de poderem alcançar alguns membros como pés e mãos • Conjuntivite, onde os olhos ficam vermelhos e inchados, porém sem ocorrência de secreção • Algumas pessoas também apresentam sintomas mais raros da infecção, como:
  • 12. • Dor abdominal • Constipação • Diarreia Fotofobia. 1.4.2 A Chikungunya A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953. Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O mosquito adquire o vírus CHIKV ao picar uma pessoa infectada, durante o período em que o vírus está presente no organismo infectado. Cerca de 30% dos casos não apresentam sintomas. O uso de analgésicos e anti-inflamatórios é ministrado nos indivíduos infectados pelo Zika, porém, assim como nos casos da febre chikungunya e de dengue, todo medicamente que apresenta ácido acetilsalicílico – como a aspirina – ou que contém a substância associada deve ter seu consumo evitado, uma vez que esses componentes causam um efeito anticoagulante, muitas vezes causando sangramentos. Anti-inflamatórios não hormonais, como o diclofenaco, o ibuprofeno e o piroxicam também não devem ser ingeridos pelos pacientes infectados, pois todos esses medicamentos podem aumentar o risco de sangramentos ocorrerem. 1.4.3 A Dengue A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais.
  • 13. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente com a dengue em mais de 100 países de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em consequência da dengue. Existem quatro tipos de dengue, de acordo com os quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Quando uma pessoa tem dengue tem uma imunidade relativa contra outro sorotipo. 1.5 Regiões mais Afetadas O verão nem chegou e os casos de dengue mais que dobraram do ano passado para cá. O pior é que agora o Aedes Aegypti também está transmitindo outras duas doenças e centenas de cidades estão em alerta. O Aedes Aegypti transmite os vírus da dengue, da chikungunya e da zika. São 655 cidades em alerta para as três doenças. Entre elas, sete capitais: Aracaju, Recife, São Luís, Rio de Janeiro,Cuiabá, Belém e Porto Velho. E 199 cidades já estão em situação de risco de surto de dengue, chikungunya e zika. O Nordeste é a região com mais cidades em risco: 152. Pernambuco é o estado da região que tem mais cidades com risco de surto e lá a grande preocupação é com a zika. A Bahia foi o primeiro estado a identificar a doença. São Paulo é o estado do Sudeste com mais cidades em alerta e uma vacina contra a dengue está sendo testada na Fiocruz, no Rio.
  • 14. ETAPAS A realização desse trabalho de conclusão ocorreu a partir de três etapas: 1. Pesquisa bibliográfica e elaboração dos textos; 2 Elaboração de panfletos, contendo as doenças, sintomas e formas de prevenção; 3 Entrega dos panfletos em bairro do entorno da escola.
  • 15. RECURSOS Para a realização dessa pesquisa foram utilizados os seguintes materiais:  Orientações das professoras;  Pesquisa em sites específicos;  Panfletos elaborados a partir de pesquisa.
  • 16. CRONOGRAMA Atividades AGO SET OUT NOV DEZ Orientação sobre TCF X X X X Formação da equipe X Escolha do tema X Definição do produto final X Pesquisa bibliográfica X X X X Pesquisa de campo X Elaboração do sumário provisório X Produção dos textos X X X Produção de Panfleto X Entrega dos Panfletos X Revisão dos textos X X X Produção de slide X Entrega do TCF X Apresentação do TCF X
  • 17. CONSIDERAÇÕES FINAIS Sabemos que a saúde da população brasileira avançou muito nos últimos anos, porém, a classe pobre ainda sofre muito em busca de uma saúde de qualidade. Os problemas estruturais da sociedade aumentam os riscos de muitas doenças causadas pela ausência de tratamento do lixo, saneamento básico e água potável. Nestes últimos anos estamos sofrendo com o aumento de casos da Dengue, doença causada pelo Aedes aegpyti, mosquito que se prolifera por meio da água parada. Desde o ano de 2015, tivemos o surgimento duas novas doenças: Zika e chikungunya. Essas doenças também são transmitidas pelo mesmo mosquito, e apresentam sintomas bem parecidos com o da dengue, confundindo ambas. O vírus Zika e a Chikungunya chegaram ao Brasil após a copa do mundo, e os brasileiros sofrem até hoje com os sintomas dessas doenças, sofrem com falta de atendimento médico e tratamento. Tudo isso motivado pela falta de prevenção, acumulo de lixo, limpeza de telhados e caixa d’agua, bem como de piscinas. De acordo com a pesquisa realizada a única forma de prevenir as doenças causadas pelo Aedes aegpyti é não deixar água parada, manter quintais, caixas d’água e piscina limpos. Pois, sem água parada não existe possibilidade do mosquito se multiplicar.