SlideShare uma empresa Scribd logo
Águas de Chapecó - Santa Catarina
2015
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA IRINEU BORNHAUSEN
PROJETO I FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA CIENTÍFICA NA
ESCOLA
IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA IRINEU BORNHAUSEN
ÁGUAS DE CHAPECÓ – SC
PROFESSORES ORGANIZADORES: MICHEL EICHELBERGER, ROSELEI
STOFFEL.
1. INTRODUÇÃO
A melhor maneira de se aprender alguma coisa é praticando, ler bons livros,
revistas, assistir sempre as aulas com atenção, participar de eventos em outras
escolas ou instituições nos fornecem um vasto conhecimento, mas só conseguimos
aprender verdadeiramente quando colocamos em prática os conhecimentos
adquiridos. Portanto devemos sempre ser ousados pois a palavra experimentação
na ciência já diz tudo.
O presente projeto visa organizar e sistematizar a I Feira de Ciências e
Mostra Científica na Escola de Educação Básica Irineu Bornhausen. Visando
envolver os alunos das Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio, será
desenvolvido pelo professor do Laboratório de Química juntamente com a professora
da disciplina de Química, com o objetivo de despertar o interesse pela investigação
científica.
A feira é uma maneira de socializar as produções, dando visibilidade aos
experimentos, bem como contribuir com a difusão do conhecimento entre a
comunidade escolar. A ênfase será para que a produção dos trabalhos se de
coletivamente e com o aspecto interdisciplinar.
2. JUSTIFICATIVA
As feiras de Ciências são conhecidas como atividade pedagógica e
cultural com elevado potencial motivador do ensino e da prática científica no
ambiente escolar. Na maioria das esferas de atividades, a melhor maneira de
aprender é fazendo, sendo que uma das etapas da maior importância do método
científico é a experimentação.
Quando realizamos um bom projeto científico, trabalhamos quase da
mesma maneira que os cientistas profissionais. Como eles, observamos,
experimentamos, investigamos, especulamos e comprovamos a validade de nossas
hipóteses, mediante mais experimentos, tudo isso com o objetivo de aprendermos
mais. Se nosso trabalho foi bom, outros também poderão aprender com ele; mas,
para isso, devemos apresentá-lo de maneira adequada.
A melhor vantagem que podemos obter pela realização de um
projeto científico é a melhor compreensão de um ramo da ciência. Os melhores
projetos científicos criam hábitos de planificação eficaz, de atenção aos detalhes,
cuidado no trabalho, aperfeiçoamento de manuseio e adoção de critérios muito
rígidos que nos serão úteis durante toda a vida. Além disso, sempre fica a
expectativa de que tais projetos possam abrir as portas de uma carreira almejada,
culminando com a realização própria, individual aquela satisfação permanente que
alguém jamais pode nos subtrair.
A realização de uma feira que possa divulgar os projetos
desenvolvidos pelos nossos estudantes, e a tentativa de levar tais projetos para a
feira regional, nos permite sonhar que esta seja apenas a primeira de uma série de
feiras científicas de nossa escola.
3. OBJETIVOS
3.1 Objetivo geral
Despertar o interesse pela investigação científica e contribuir para o
desenvolvimento dessas habilidades em sala de aula na Educação Básica, de forma
interdisciplinar, criativa e contextualizada.
3.2 Objetivos Específicos
 Fomentar atividades de iniciação científica na educação básica visando ao
desenvolvimento e à elaboração de projetos.
 Divulgar a Cultura Científica;
 Estimular Alunos e Professores para produção de trabalhos Investigativos;
 Valorizar o Trabalho docente interdisciplinar e contextualizado na área de
Ciências Exatas e ambientais;
 Desenvolver o espírito crítico dos alunos;
 Valorizar e estimular a criatividade dos alunos e Professores.
 Efetuar a avaliação da realização e dos resultados obtidos nas diversas
atividades desenvolvidas na feira de ciências.
4. METODOLOGIA
4.1Descrição das principais atividades a serem desenvolvidas:
4.1.1 Elaboração do projeto da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola.
4.1.2 Divulgação do projeto na escola mostrando a importância do mesmo para o
aprimoramento das formas de se construir o conhecimento e seus resultados
no aprendizado efetivo do estudante.
4.1.3 Orientações aos estudantes sobre a elaboração de um projeto para a feira.
4.1.4 Realização da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola.
4.1.5 Premiação dos melhores projetos apresentados na feira e escolha do projeto
que envolva tecnologia e sustentabilidade, para representar a escola na
feira regional.
4.2 Descrição das regras e processos para recebimento de inscrições, avaliação e
seleção de trabalhos científicos para a I Feira de Ciências e Mostra Científica na
Escola.
4.2.1 Os trabalhos poderão ser inscritos nas seguintes áreas: Ciências exatas e
ambientais (Biologia, Física, Matemática, Química e Ciências Naturais),
incentivando fortemente a interdisciplinaridade com outras áreas do
conhecimento (Línguas (Português, Inglês e Espanhol), História, Geografia,
Artes, etc.).
4.2.2 Serão aceitos trabalhos das seguintes categorias: Ensino Fundamental (6º ao
9º ano) e Ensino Médio (1ª à 3ª série).
4.2.3 Os trabalhos não precisam, necessariamente, ser oriundos do conteúdo que
está sendo trabalhado em sala de aula. Podem ser inscritos trabalhos
desenvolvidos a partir de projetos de ensino executados fora do ambiente da
sala de aula.
4.2.4 Sugere-se que os trabalhos tenham um caráter investigativo, isto é, uma
proposta que surja de um problema bem delineado que contenha
procedimentos de coleta e análise de dados para a produção de
conhecimentos sobre um problema relevante no âmbito da realidade dos
alunos.
4.3 Descrição das regras e processos para recebimento de inscrições, avaliação e
seleção dos trabalhos científicos para a I Feira de Ciências e Mostra Científica na
Escola.
4.3.1 As inscrições deverão ser feitas através do preenchimento de ficha de
inscrição, sendo anexado juntamente a mesma o projeto escrito, até a data de
17/07/15.
4.3.2 Os trabalhos deverão ser apresentados exclusivamente pelos estudantes.
Cada trabalho poderá ser apresentado por no máximo 5 (cinco) estudantes.
4.3.3 A equipe terá à disposição um espaço de 2,00 m x 2,00 m, sendo a
organização e ornamentação do espaço de responsabilidade dos expositores.
4.3.4 Os trabalhos de nível fundamental serão avaliados de acordo com a
organização e apresentação geral do trabalho; criatividade e habilidade no
uso de recursos para comunicação com o público; capacidade de transmissão
da mensagem; interesse e relevância do tema; fundamentação teórica e
exploração do conteúdo.
4.3.5 Os trabalhos de nível médio serão avaliados de acordo com os seguintes
critérios: organização e apresentação geral do trabalho; criatividade;
exploração do conteúdo; interesse e relevância do tema; atendimento aos
objetivos propostos; utilização de soluções alternativas;
4.4 Premiação:
4.4.1 Seleção de 3 trabalhos por categoria, sendo que dois não precisam
necessariamente atender aos critérios do item 4.1.5, no que diz respeito ao
projeto que envolva tecnologia e sustentabilidade.
4.4.2 Os trabalhos premiados com o primeiro lugar um do nível fundamental e outro
do nível médio serão avaliados pela Comissão Julgadora, sendo que somente
um dos trabalhos será classificado para a feira regional onde o mesmo deve
atender aos critérios do item 4.1.5, já citados acima.
4.5 A decisão da comissão julgadora será soberana e de caráter irrevogável, não
cabendo qualquer recurso por parte do participante;
4.6 Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pela Comissão
Julgadora da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
tacianarangel
 
Atividade de Ciências - Coleta seletiva
Atividade de Ciências  - Coleta seletivaAtividade de Ciências  - Coleta seletiva
Atividade de Ciências - Coleta seletiva
Mary Alvarenga
 
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto  Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Mary Alvarenga
 
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º ano
Agenario Silva
 
Atividades flor da sustentabilidade
Atividades flor da sustentabilidadeAtividades flor da sustentabilidade
Atividades flor da sustentabilidade
GEssica siluzinha
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
jose ebner
 
Fotossíntese - Texto e atividade de Ciências
Fotossíntese - Texto e atividade de CiênciasFotossíntese - Texto e atividade de Ciências
Fotossíntese - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Poluição  - Texto e atividade de Ciências Poluição  - Texto e atividade de Ciências
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 
01 estudos orientados eo 2022
01 estudos orientados   eo 202201 estudos orientados   eo 2022
01 estudos orientados eo 2022
LEODINEIAGAMA
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
Prof.Paulo/geografia
 
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptxProjeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
Cycyro Soares
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Belister Paulino
 
Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1
Amanda Vaz
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Andrea Barreto
 
Projeto gincana cultural interdisciplinar
Projeto gincana cultural interdisciplinarProjeto gincana cultural interdisciplinar
Projeto gincana cultural interdisciplinar
Alexandra Battalin Picheli
 
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
carlademorais
 
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLOAVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Gabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoesGabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoes
Maykon Santos
 

Mais procurados (20)

Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Atividade de Ciências - Coleta seletiva
Atividade de Ciências  - Coleta seletivaAtividade de Ciências  - Coleta seletiva
Atividade de Ciências - Coleta seletiva
 
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto  Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto
 
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º ano
 
Atividades flor da sustentabilidade
Atividades flor da sustentabilidadeAtividades flor da sustentabilidade
Atividades flor da sustentabilidade
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Fotossíntese - Texto e atividade de Ciências
Fotossíntese - Texto e atividade de CiênciasFotossíntese - Texto e atividade de Ciências
Fotossíntese - Texto e atividade de Ciências
 
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Poluição  - Texto e atividade de Ciências Poluição  - Texto e atividade de Ciências
Poluição - Texto e atividade de Ciências
 
01 estudos orientados eo 2022
01 estudos orientados   eo 202201 estudos orientados   eo 2022
01 estudos orientados eo 2022
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
 
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptxProjeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
Projeto feira de ciências (tecnologia e vida).pptx
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
 
Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1Avaliação de ciências biomas 1
Avaliação de ciências biomas 1
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Projeto gincana cultural interdisciplinar
Projeto gincana cultural interdisciplinarProjeto gincana cultural interdisciplinar
Projeto gincana cultural interdisciplinar
 
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO
 
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLOAVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
 
Gabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoesGabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoes
 

Semelhante a Projeto feira de ciências pdf correto

Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,s
leilareny
 
Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,s
leilareny
 
Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90
Leonardo Ferreira
 
Tic 2012
Tic 2012Tic 2012
Vi mocicult 2016 24.09.16
Vi mocicult 2016 24.09.16Vi mocicult 2016 24.09.16
Vi mocicult 2016 24.09.16
AndreMath84
 
Projeto pibid
Projeto pibid Projeto pibid
Projeto pibid
Lenivaldo Costa
 
Vi mocicult 2016 final 27.09.16
Vi mocicult 2016 final 27.09.16Vi mocicult 2016 final 27.09.16
Vi mocicult 2016 final 27.09.16
Andre Bandeira
 
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
mariacarmcorreia
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
jifonseca
 
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Maria José Ramalho
 
Edital da V MOCICULT
Edital da V MOCICULTEdital da V MOCICULT
Edital da V MOCICULT
Luciane Kely Gonçalves
 
Modelo planocurso
Modelo planocursoModelo planocurso
Modelo planocurso
Lucy Saldanha
 
Projeto Feciarte
Projeto FeciarteProjeto Feciarte
Projeto Feciarte
arteluanna
 
Edital mostra iniciação científica
Edital mostra iniciação científicaEdital mostra iniciação científica
Edital mostra iniciação científica
Cícero Sanderson Tavares Teles
 
Projeto feciarte
Projeto feciarteProjeto feciarte
Projeto feciarte
arteluanna
 
Projeto feciarte
Projeto feciarteProjeto feciarte
Projeto feciarte
arteluanna
 
Apresentação projovem campo ufc
Apresentação projovem campo ufcApresentação projovem campo ufc
Apresentação projovem campo ufc
projovemcampoufc
 
Edital feira de ciencias 2015(1)
Edital feira de ciencias 2015(1)Edital feira de ciencias 2015(1)
Edital feira de ciencias 2015(1)
eeeppacatuba
 
Mini projeto experimentos
Mini projeto experimentosMini projeto experimentos
Mini projeto experimentos
familiaestagio
 
Projeto feira de ciências
Projeto feira de ciênciasProjeto feira de ciências
Projeto feira de ciências
Ailton Gordiano
 

Semelhante a Projeto feira de ciências pdf correto (20)

Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,s
 
Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,s
 
Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90
 
Tic 2012
Tic 2012Tic 2012
Tic 2012
 
Vi mocicult 2016 24.09.16
Vi mocicult 2016 24.09.16Vi mocicult 2016 24.09.16
Vi mocicult 2016 24.09.16
 
Projeto pibid
Projeto pibid Projeto pibid
Projeto pibid
 
Vi mocicult 2016 final 27.09.16
Vi mocicult 2016 final 27.09.16Vi mocicult 2016 final 27.09.16
Vi mocicult 2016 final 27.09.16
 
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
Cinciasexperimentaisno1ciclo20122013 121028114507-phpapp01
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
 
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
 
Edital da V MOCICULT
Edital da V MOCICULTEdital da V MOCICULT
Edital da V MOCICULT
 
Modelo planocurso
Modelo planocursoModelo planocurso
Modelo planocurso
 
Projeto Feciarte
Projeto FeciarteProjeto Feciarte
Projeto Feciarte
 
Edital mostra iniciação científica
Edital mostra iniciação científicaEdital mostra iniciação científica
Edital mostra iniciação científica
 
Projeto feciarte
Projeto feciarteProjeto feciarte
Projeto feciarte
 
Projeto feciarte
Projeto feciarteProjeto feciarte
Projeto feciarte
 
Apresentação projovem campo ufc
Apresentação projovem campo ufcApresentação projovem campo ufc
Apresentação projovem campo ufc
 
Edital feira de ciencias 2015(1)
Edital feira de ciencias 2015(1)Edital feira de ciencias 2015(1)
Edital feira de ciencias 2015(1)
 
Mini projeto experimentos
Mini projeto experimentosMini projeto experimentos
Mini projeto experimentos
 
Projeto feira de ciências
Projeto feira de ciênciasProjeto feira de ciências
Projeto feira de ciências
 

Último

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

Projeto feira de ciências pdf correto

  • 1. Águas de Chapecó - Santa Catarina 2015 ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA IRINEU BORNHAUSEN PROJETO I FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA CIENTÍFICA NA ESCOLA
  • 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA IRINEU BORNHAUSEN ÁGUAS DE CHAPECÓ – SC PROFESSORES ORGANIZADORES: MICHEL EICHELBERGER, ROSELEI STOFFEL.
  • 3. 1. INTRODUÇÃO A melhor maneira de se aprender alguma coisa é praticando, ler bons livros, revistas, assistir sempre as aulas com atenção, participar de eventos em outras escolas ou instituições nos fornecem um vasto conhecimento, mas só conseguimos aprender verdadeiramente quando colocamos em prática os conhecimentos adquiridos. Portanto devemos sempre ser ousados pois a palavra experimentação na ciência já diz tudo. O presente projeto visa organizar e sistematizar a I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola de Educação Básica Irineu Bornhausen. Visando envolver os alunos das Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio, será desenvolvido pelo professor do Laboratório de Química juntamente com a professora da disciplina de Química, com o objetivo de despertar o interesse pela investigação científica. A feira é uma maneira de socializar as produções, dando visibilidade aos experimentos, bem como contribuir com a difusão do conhecimento entre a comunidade escolar. A ênfase será para que a produção dos trabalhos se de coletivamente e com o aspecto interdisciplinar.
  • 4. 2. JUSTIFICATIVA As feiras de Ciências são conhecidas como atividade pedagógica e cultural com elevado potencial motivador do ensino e da prática científica no ambiente escolar. Na maioria das esferas de atividades, a melhor maneira de aprender é fazendo, sendo que uma das etapas da maior importância do método científico é a experimentação. Quando realizamos um bom projeto científico, trabalhamos quase da mesma maneira que os cientistas profissionais. Como eles, observamos, experimentamos, investigamos, especulamos e comprovamos a validade de nossas hipóteses, mediante mais experimentos, tudo isso com o objetivo de aprendermos mais. Se nosso trabalho foi bom, outros também poderão aprender com ele; mas, para isso, devemos apresentá-lo de maneira adequada. A melhor vantagem que podemos obter pela realização de um projeto científico é a melhor compreensão de um ramo da ciência. Os melhores projetos científicos criam hábitos de planificação eficaz, de atenção aos detalhes, cuidado no trabalho, aperfeiçoamento de manuseio e adoção de critérios muito rígidos que nos serão úteis durante toda a vida. Além disso, sempre fica a expectativa de que tais projetos possam abrir as portas de uma carreira almejada, culminando com a realização própria, individual aquela satisfação permanente que alguém jamais pode nos subtrair. A realização de uma feira que possa divulgar os projetos desenvolvidos pelos nossos estudantes, e a tentativa de levar tais projetos para a feira regional, nos permite sonhar que esta seja apenas a primeira de uma série de feiras científicas de nossa escola.
  • 5. 3. OBJETIVOS 3.1 Objetivo geral Despertar o interesse pela investigação científica e contribuir para o desenvolvimento dessas habilidades em sala de aula na Educação Básica, de forma interdisciplinar, criativa e contextualizada. 3.2 Objetivos Específicos  Fomentar atividades de iniciação científica na educação básica visando ao desenvolvimento e à elaboração de projetos.  Divulgar a Cultura Científica;  Estimular Alunos e Professores para produção de trabalhos Investigativos;  Valorizar o Trabalho docente interdisciplinar e contextualizado na área de Ciências Exatas e ambientais;  Desenvolver o espírito crítico dos alunos;  Valorizar e estimular a criatividade dos alunos e Professores.  Efetuar a avaliação da realização e dos resultados obtidos nas diversas atividades desenvolvidas na feira de ciências.
  • 6. 4. METODOLOGIA 4.1Descrição das principais atividades a serem desenvolvidas: 4.1.1 Elaboração do projeto da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola. 4.1.2 Divulgação do projeto na escola mostrando a importância do mesmo para o aprimoramento das formas de se construir o conhecimento e seus resultados no aprendizado efetivo do estudante. 4.1.3 Orientações aos estudantes sobre a elaboração de um projeto para a feira. 4.1.4 Realização da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola. 4.1.5 Premiação dos melhores projetos apresentados na feira e escolha do projeto que envolva tecnologia e sustentabilidade, para representar a escola na feira regional. 4.2 Descrição das regras e processos para recebimento de inscrições, avaliação e seleção de trabalhos científicos para a I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola. 4.2.1 Os trabalhos poderão ser inscritos nas seguintes áreas: Ciências exatas e ambientais (Biologia, Física, Matemática, Química e Ciências Naturais), incentivando fortemente a interdisciplinaridade com outras áreas do conhecimento (Línguas (Português, Inglês e Espanhol), História, Geografia, Artes, etc.). 4.2.2 Serão aceitos trabalhos das seguintes categorias: Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e Ensino Médio (1ª à 3ª série). 4.2.3 Os trabalhos não precisam, necessariamente, ser oriundos do conteúdo que está sendo trabalhado em sala de aula. Podem ser inscritos trabalhos desenvolvidos a partir de projetos de ensino executados fora do ambiente da sala de aula. 4.2.4 Sugere-se que os trabalhos tenham um caráter investigativo, isto é, uma proposta que surja de um problema bem delineado que contenha procedimentos de coleta e análise de dados para a produção de conhecimentos sobre um problema relevante no âmbito da realidade dos alunos.
  • 7. 4.3 Descrição das regras e processos para recebimento de inscrições, avaliação e seleção dos trabalhos científicos para a I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola. 4.3.1 As inscrições deverão ser feitas através do preenchimento de ficha de inscrição, sendo anexado juntamente a mesma o projeto escrito, até a data de 17/07/15. 4.3.2 Os trabalhos deverão ser apresentados exclusivamente pelos estudantes. Cada trabalho poderá ser apresentado por no máximo 5 (cinco) estudantes. 4.3.3 A equipe terá à disposição um espaço de 2,00 m x 2,00 m, sendo a organização e ornamentação do espaço de responsabilidade dos expositores. 4.3.4 Os trabalhos de nível fundamental serão avaliados de acordo com a organização e apresentação geral do trabalho; criatividade e habilidade no uso de recursos para comunicação com o público; capacidade de transmissão da mensagem; interesse e relevância do tema; fundamentação teórica e exploração do conteúdo. 4.3.5 Os trabalhos de nível médio serão avaliados de acordo com os seguintes critérios: organização e apresentação geral do trabalho; criatividade; exploração do conteúdo; interesse e relevância do tema; atendimento aos objetivos propostos; utilização de soluções alternativas; 4.4 Premiação: 4.4.1 Seleção de 3 trabalhos por categoria, sendo que dois não precisam necessariamente atender aos critérios do item 4.1.5, no que diz respeito ao projeto que envolva tecnologia e sustentabilidade. 4.4.2 Os trabalhos premiados com o primeiro lugar um do nível fundamental e outro do nível médio serão avaliados pela Comissão Julgadora, sendo que somente um dos trabalhos será classificado para a feira regional onde o mesmo deve atender aos critérios do item 4.1.5, já citados acima. 4.5 A decisão da comissão julgadora será soberana e de caráter irrevogável, não cabendo qualquer recurso por parte do participante;
  • 8. 4.6 Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pela Comissão Julgadora da I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola.