SlideShare uma empresa Scribd logo
TRATAMENTO
O SUICIDA E O SUICÍDIO
AGRAVANTES , PROBLEMAS E PREVENÇÃO
PORQUE É IMPORTANTE FALAR EM
PREVENIR O SUICÍDIO?
• SUICÍDIOS SÃO EVITÁVEIS
• FALAR PREVINE
• TRATAR PREVINE
Suicidio
UM SUICÍDO PARA CADA 20
TENTATIVAS
SEGUNDA CAUSA DE ÓBITOS ENTRE 15-29 ANOS
UM SUICÍDIO A CADA 40 SEGUNDOS:800.000 /ANO
( Apenas 28% dos suicídios são notificados)
• DADOS SUBSTIMADOS:PORQUE?
• VERGONHA, SEGUROS DE VIDA, DIREITOS,
CRIME, DESCONHECIMENTO DA CAUSA
REAL
Suicidio
Suicidio
Suicidio
Suicidio
• Quando o depressivo
está em risco de morte
ou coloca outra pessoa
em risco, a família deve
levá-la ao tratamento
psiquiátrico, psicológico
e espiritual , seja qual
este for.
RISCO DE SUICÍDIO
“Eu preferia estar morto”
“Eu não posso fazer nada”
“Eu não aguento mais”
“Eu sou um perdedor e um peso para os outros”
“Os outros vão ser mais felizes sem mim”
FRASES DE ALERTA
4 Ds DESESPERANÇA
DESAMPARO
DESESPERO
DEPRESSÃO
Atenção!!
• Os indivíduos que tentam ou cometem suicídio têm sempre alguma
perturbação mental.
– FALSO: Os comportamentos suicidas têm sido associados à depressão,
abuso de substâncias, esquizofrenia e outras perturbações mentais, além
de aos comportamentos destrutivos e agressivos.
– No entanto, esta associação não deve ser sobrestimada. A proporção
relativa destas perturbações varia de lugar para lugar e há casos em que
nenhuma perturbação mental foi detectada.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
• Após uma pessoa tentar cometer suicídio
uma vez, nunca voltará a tentar novamente.
– FALSO. Na verdade, as tentativas de
suicídio são um preditor crucial do
suicídio.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
• Os indivíduos suicidas querem mesmo morrer ou estão
decididos a matar-se.
– FALSO. A maioria das pessoas que se sentem suicidas
partilham os seus pensamentos com pelo menos uma outra
pessoa, ou ligam para uma linha telefónica de emergência
ou para um médico, o que constitui prova de ambivalência,
e não de empenhamento em se matar.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
• Suicídios ocorrem sem avisos;
• Falso. Muitos indivíduos suicidas comunicam
algum tipo de mensagem verbal ou
comportamental sobre as suas ideações da
intenção de se fazerem mal.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
• As pessoas que falam sobre o suicídio não farão mal a si
próprias, pois querem apenas chamar a atenção.
– FALSO. Devemos tomar todas as precauções necessárias
sempre que confrontado com um indivíduo que fale de
ideação, de intenção ou de um plano suicida.
– Todas as ameaças de se fazer mal devem ser levadas muito
a sério.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
• A melhora após a crise significa que o risco passou;
– FALSO. Na verdade, um dos períodos mais perigosos é
imediatamente depois da crise, ou quando a pessoa está no
hospital, na sequência de uma tentativa.
– A semana que se segue à alta do hospital é um período
durante o qual a pessoa está particularmente fragilizada e
em perigo de se fazer mal.
MITOS
Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
PREVENÇAO PRIMÁRIA:
1-SEGURANÇA ARQUITETÔNICA,
2-DIFICULTAR O ACESSO AOS MEIOS LETAIS
3-EVITAR O EFEITO DE IMITAÇÃO, DE VALIDAÇÃO DA FUGA DA VIDA.
4-DIVULGAÇÃO ADEQUADA
5-CONSCIENTIZAÇÃO
6-PUBLICAÇÕES ESCLARECEDORAS
PREVENÇÃO SECUNDÁRIA:
PESSOAS COM TRANSTORNOS MENTAIS
CONDIÇÕES DE SAÚDE ASSOCIADA AO SUICIDIO
PREVENÇÃO TERCIÁRIA:
ACOMPANHAMENTO DE PESSOAS QUE TENTARAM SUICÍDIO
EFICÁCIA MUITO FORTE:
RESTRIÇÃO DE ACESSO
EDUCAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS
EFICÁCIA FORTE:
TRATAMENTO DAS DOENÇAS MENTAIS,
APOIO APÓS AS TENTATIVAS,
APOIO AOS FAMILIARES ENLUTADOS
EFICÁCIA POTENCIAL
CONTROLE EFETIVO DE INGESTÃO DE ALCÓOLICOS,
SERVIÇOS COMUNITÁRIOS DE SAÚDE MENTAL
PREJUDICIAL:
DIVULGAÇÃO INADEQUADA PELA IMPRENSA ,
PROGRAMAS ESCOLARES BASEADOS EXCLUSIVAMENTE EM ALERTAS
BOTEGA J N, CRISE SUICIDA:ADOLESCENTE GRÁVIDA TEM 3,6 VEZES MAIOR
DE TER TENTADO SUÍCIO VERSUS ADOLESCENTES QUE NUNCA
ENGRAVIDARAM
ESTUDO DE INTERVENÇÃO BREVE OPORTUNA, BOTEJA J N , 4.352 PACIENTES
PREVENÇÃO SECUNDÁRIA:
USO DE ALCOOL-3X MAIS ACIDENTES DE TRANSITO
SUB-GRUPO COM HISTÓRIA DE TENTATIVA DE SUICIDIO:
ADULTO JOVEM 3,4 MAIS RISCOS
DEPRESSÃO VIGENTE:6,6 MAIS RISCOS
AIDS:24 MAIS RISCOS
Estudo da Organização Mundial da Saúde
1867 pessoas que tentaram o suicídio
18 meses
Tratamento “usual” Intervenção breve
Redução em dez vezes o número de suicídio
BOTEGA N J ESTUDOU 2.338 PESSOAS:
DESFECHO: O GRUPO INTERVENÇÃO TIVERAM 10X MENOS
SUCÍDIO
Suicidio
Suicidio
Suicidio
Rasic et al 2009: Estudou 36.984 pessoas e observou que as
prática religiosas foram associadas a 77% menos tentativas de
suicídios.
Vancersweele et al 2016: Estudou 89.708 enfermeiras com
religiosidade e observou-se 5x menos risco de suicídio.
Marie Bulock BA et al 2012:Membros da comunidade religiosa
agem como uma ponte com os prestadores de serviços em saúde
mental. Ou seja, aconselham procurar tratamento especializado
QUANTO MAIS ESPIRITUALIZADO, MENOS SUICÍDIO.
QUANTO MAIS MATERIALISMO, MAIS SUICÍDIO.
A PÓSVENÇÃO:
PSIQUIÁTRICO E PSICOTERÁPICO.
SUPORTE SOCIAL
SUPORTE ESPIRITUAL DE ACORDO COM A CRENÇA
ACOLHIMENTO
EVANGELHO NO LAR
Suicidio
TRATAMENTO
DIGA NÃO AO SUICÍDIO
SUPERANDO A ANGÚSTIA
ASPECTOS ESPIRITUAIS DO SUICÍDIO
A IDEAÇÃO SUICÍDA OCORRE POR CAUSAS PSICOLÓGICAS, POR CAUSAS ORGÂNICAS COMO
CONSEQUÊNCIA DE TRANSTORNOS MENTAIS GRAVES , MAS PRINCIPALMENTE POR DOENÇAS
ORIGINADAS NA ALMA, SEJA INFLUENCIAÇÃO OBSESSIVA OU FRAGILIDADES ESPIRITUAIS.
CAUSAS ESPIRITUAIS
• Falta de significado e de
interesse na vida, gerado
pela rebeldia;
• É a não aceitação dos
desafios.
CAUSAS ESPIRITUAIS
• Negação da vida;
• Supor que este Mundo é um vale de lágrimas e que
sofremos para pagar as contas com Deus.
CAUSAS PSICOLÓGICAS
• Apegar-se àquilo que não tem em detrimento
daquilo que tem;
• Revolta contra a vida.
Causas psicológicas
Manter sentimento de onipotência movido pelo
orgulho e daí se revoltar e se deprimir, porque a
vida não se dignou a atender os seus caprichos.
A RAZÃO DA
ANGÚSTIA?
NÃO É PELO QUE VOCE
FEZ…MAS SIM
PELO QUE VOCÊ
CONTINUA FAZENDO A
SI MESMO.
O que o espiritismo nos ensina?
• Que nós não devemos estacionar na
culpa pelos erros que cometemos.
Culpa
– Sofrimento
– Insatisfação com o ato de viver.
CULPA E SUICÍDIO
AUTOJULGAMENTO
AUTOCONDENAÇÃO
AUTOPUNIÇÃO
PSEUDO-
RESPONSABILIDADE
REBELDIA
PERFECCIONISMO
ORGULHO
DESAMOR
AUTOPIEDADE
CULPISMO
CULPA E SUICÍDIO
AUTOPERDÃO
AUTOCONSCIÊNCIA
RESPONSABILIZAÇÃO
HUMILDADE
MANSIDÃO
ARREPENDIMENTO
AUTO-ANÁLISE
APRENDIZADO
REPARAÇÃO
AMOR
suicídio.
Não matarás.
V mandamento
146 – É f a t a l o i n s t a n t e d a m o r t e ?
“Com exceção do suicídio, todos os casos de desencarnação
são determinados previamente pelas forças espirituais que orientam a
atividade do homem sobre a Terra.”
Emmanuel, O Consolador, perg. 146
Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII, item 71
Jamais tem o homem o direito de
dispor da sua vida, porquanto só a
Deus cabe retirá-lo do cativeiro da
Terra, quando o julgue oportuno.
O mesmo se dá com o suicida que julga escapar às
misérias do presente e mergulha em desgraças maiores
O suicida é qual prisioneiro que se evade da
prisão, antes de cumprida a pena;
quando preso de novo, é mais severamente
tratado.
Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII, item 71
De todos os desvios da vida humana, o
suicídio é, talvez, o maior deles....
pela sua característica de acovardar-se,
de negação absoluta da lei do amor e
de suprema rebeldia à vontade de Deus,
cuja justiça nunca se fez sentir, junto do homem,
sem a luz da misericórdia.
Emmanuel, O Consolador, perg. 154
TRATAMENTOS DA ANGÚSTIA
– Psicoterapias
– Psicoterapia Transpessoal
( o alívio do sofrimento pela a
integração dos aspectos
físicos, emocionais, mentais e
espirituais do bem-estar)
– Homeopatia;
– Acupuntura
– Estimulação cerebral elétrica ou
magnética
Medicamentos :
Anti-depressivos:Tratam várias causas de depressão,
sejam reacional à alguma situação de vida, doenças,
perdas ou sem razões aparentes. Existem vários tipos
diferentes e deve-se, testar qual é o medicamento mais
útil em cada paciente. Exemplos são o
Escitalopram,Bupropiona,Sertralina, Agomelatina,
Mirtazapina,Fluoxetina,Paroxetina,Trazodona,
Desvenlafaxina, Duloxetina, etc...
Lítio: Indicado quando o impulso suicida é persistente,
sendo indicado em depressões recorrentes ou em
transtorno bipolar
Clozapina: Indicado em depressão psicótica com ideação
suicida extrema e persistente, em psicoses com
ideação suicida extrema e persistente e em transtorno
bipolar com ideação suicida extrema e persistente
Outros: Valproato, Lamotrigina, Topiramato,
Quetiapina,Olanzapina, etc...
–Identificação
com a natureza;
–Atividades
manuais e
pequenas
tarefas de modo
a se sentir útil;
– Terapia da meditação e
oração;
– Fluidoterapia espírita
– (passes e água
magnetizada)
– Operar no bem e
cooperar com o
próximo
– Evangelhoterapia;
– Terapia da fé e do
perdão.
– Obs: existem várias
pesquisas que
comprovam que os
pacientes que possuem
religiosidade, recuperam-
se muito mais rápido.
–Buscar o
sentimento de
aprendiz:
–exercícios de
amor;
–mansidão e
–humildade de
coração;
TRATAMENTO DEFINITIVO
– Sobretudo ao cultivar o amor à Deus e ao próximo,
assim como a si mesmo.
– Desta forma, é possível superar a angústia e manter a
vida.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Não se mate você não morre
Não se mate você não morreNão se mate você não morre
Não se mate você não morre
Valter Luiz Matao Lemos
 
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para ConselheirosPrevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Jeferson Espindola
 
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam GorenderAULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
Miriam Gorender
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadoresManual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Samuel Lima
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
Helio Cruz
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
Ministério Público de Santa Catarina
 
Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção   Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção
Luciana França Cescon
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
Instituto de Saúde Social - ISSO
 
Depressão e suicidio seminario
Depressão e suicidio   seminarioDepressão e suicidio   seminario
Depressão e suicidio seminario
Flavio A. Zanetti
 
Risco de suicídio
Risco de suicídio Risco de suicídio
Risco de suicídio
Inaiara Bragante
 
02 adolescência e suicídio
02 adolescência e suicídio02 adolescência e suicídio
02 adolescência e suicídio
Graça Martins
 
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
Leonardo Leal Luchetta
 
Suicídiocompatibilidade
SuicídiocompatibilidadeSuicídiocompatibilidade
Suicídiocompatibilidade
Renata Semann
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Luciana França Cescon
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidio
Robson Peixoto
 
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidioCartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
Kelly Pereira
 
Memórias de um suicida
Memórias de um suicidaMemórias de um suicida
Memórias de um suicida
Dr. Walter Cury
 

Mais procurados (20)

Não se mate você não morre
Não se mate você não morreNão se mate você não morre
Não se mate você não morre
 
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para ConselheirosPrevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
Prevenção ao Suicídio - Um Recurso para Conselheiros
 
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam GorenderAULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadoresManual prevencao do suicidio para professores e educadores
Manual prevencao do suicidio para professores e educadores
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
 
Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção   Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
 
Depressão e suicidio seminario
Depressão e suicidio   seminarioDepressão e suicidio   seminario
Depressão e suicidio seminario
 
Risco de suicídio
Risco de suicídio Risco de suicídio
Risco de suicídio
 
02 adolescência e suicídio
02 adolescência e suicídio02 adolescência e suicídio
02 adolescência e suicídio
 
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
Apresentação de TCC sobre Suicídio: compreender, identificar e prevenir.
 
Suicídiocompatibilidade
SuicídiocompatibilidadeSuicídiocompatibilidade
Suicídiocompatibilidade
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidio
 
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidioCartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
 
Memórias de um suicida
Memórias de um suicidaMemórias de um suicida
Memórias de um suicida
 

Semelhante a Suicidio

Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
GabriellaDias35
 
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia SilenciosaSuicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
CEENA_SS
 
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDDPALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
Levy932163
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Telma Lima
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
LourdesGomes14
 
2011 suicidio
2011 suicidio2011 suicidio
2011 suicidio
Cristina Tristacci
 
Crise e Suicídio
Crise e SuicídioCrise e Suicídio
Crise e Suicídio
Espaço da Mente
 
Factos e mitos associados ao suicídio
Factos e mitos associados ao suicídioFactos e mitos associados ao suicídio
Factos e mitos associados ao suicídio
Oficina Psicologia
 
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdfCampanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
JssicaRibeiroMarques2
 
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxPREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
Hugo Silva
 
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptxsetembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
Reverendo Celiomar Tiago Freitas
 
Abordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdfAbordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdf
JooPauloBTom
 
Simp+ôsio suic+ìdio dta show
Simp+ôsio   suic+ìdio dta showSimp+ôsio   suic+ìdio dta show
Simp+ôsio suic+ìdio dta show
PrLinaldo Junior
 
Apresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de EnfermagemApresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de Enfermagem
Luciana França Cescon
 
1 a dimensao
1 a dimensao1 a dimensao
1 a dimensao
ventofrio
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
MariaClaraFernandes25
 
setembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptxsetembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptx
JosimeiredeOliveiraG
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 

Semelhante a Suicidio (20)

Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia SilenciosaSuicídio - Uma Epidemia Silenciosa
Suicídio - Uma Epidemia Silenciosa
 
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDDPALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
PALESTRA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxDDDDDDDDDDDDDD
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
2011 suicidio
2011 suicidio2011 suicidio
2011 suicidio
 
Crise e Suicídio
Crise e SuicídioCrise e Suicídio
Crise e Suicídio
 
Factos e mitos associados ao suicídio
Factos e mitos associados ao suicídioFactos e mitos associados ao suicídio
Factos e mitos associados ao suicídio
 
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdfCampanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
Campanha Setembro Amarelo - 190922 .pdf
 
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxPREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
 
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptxsetembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
 
Abordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdfAbordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdf
 
Simp+ôsio suic+ìdio dta show
Simp+ôsio   suic+ìdio dta showSimp+ôsio   suic+ìdio dta show
Simp+ôsio suic+ìdio dta show
 
Apresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de EnfermagemApresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de Enfermagem
 
1 a dimensao
1 a dimensao1 a dimensao
1 a dimensao
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
setembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptxsetembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptx
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 

Mais de Dr. Walter Cury

Transtornos da mente e da alma
Transtornos da mente e da almaTranstornos da mente e da alma
Transtornos da mente e da alma
Dr. Walter Cury
 
Plantio e colheita
Plantio e colheitaPlantio e colheita
Plantio e colheita
Dr. Walter Cury
 
Pacificador
PacificadorPacificador
Pacificador
Dr. Walter Cury
 
Espelhos da mente
Espelhos da menteEspelhos da mente
Espelhos da mente
Dr. Walter Cury
 
Angustia
AngustiaAngustia
Angustia
Dr. Walter Cury
 
Marchemos
MarchemosMarchemos
Marchemos
Dr. Walter Cury
 
Eu, pacificador de minha vida
Eu, pacificador de minha vidaEu, pacificador de minha vida
Eu, pacificador de minha vida
Dr. Walter Cury
 
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAISO TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
Dr. Walter Cury
 
Instintos, sensações, emoções, sentimentos
Instintos, sensações, emoções, sentimentosInstintos, sensações, emoções, sentimentos
Instintos, sensações, emoções, sentimentos
Dr. Walter Cury
 
Atribulações
AtribulaçõesAtribulações
Atribulações
Dr. Walter Cury
 
Força de vontade
Força de vontadeForça de vontade
Força de vontade
Dr. Walter Cury
 
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMACOMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
Dr. Walter Cury
 
Porque sofremos
Porque sofremosPorque sofremos
Porque sofremos
Dr. Walter Cury
 
Corpos e saúde
Corpos e saúdeCorpos e saúde
Corpos e saúde
Dr. Walter Cury
 
Transtornos mentais
Transtornos mentaisTranstornos mentais
Transtornos mentais
Dr. Walter Cury
 
Como superar a dor e o sofrimento
Como superar a dor e o sofrimentoComo superar a dor e o sofrimento
Como superar a dor e o sofrimento
Dr. Walter Cury
 
Alma, corpo físico e espiritual e as doenças
Alma, corpo físico e espiritual  e  as doençasAlma, corpo físico e espiritual  e  as doenças
Alma, corpo físico e espiritual e as doenças
Dr. Walter Cury
 
Alma,mente, emoções, corpo
Alma,mente, emoções, corpoAlma,mente, emoções, corpo
Alma,mente, emoções, corpo
Dr. Walter Cury
 
Se não quiseres saúde
Se não quiseres saúdeSe não quiseres saúde
Se não quiseres saúde
Dr. Walter Cury
 
Curando se pela reforma intima
Curando se  pela reforma intimaCurando se  pela reforma intima
Curando se pela reforma intima
Dr. Walter Cury
 

Mais de Dr. Walter Cury (20)

Transtornos da mente e da alma
Transtornos da mente e da almaTranstornos da mente e da alma
Transtornos da mente e da alma
 
Plantio e colheita
Plantio e colheitaPlantio e colheita
Plantio e colheita
 
Pacificador
PacificadorPacificador
Pacificador
 
Espelhos da mente
Espelhos da menteEspelhos da mente
Espelhos da mente
 
Angustia
AngustiaAngustia
Angustia
 
Marchemos
MarchemosMarchemos
Marchemos
 
Eu, pacificador de minha vida
Eu, pacificador de minha vidaEu, pacificador de minha vida
Eu, pacificador de minha vida
 
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAISO TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
O TRATAMENTO HOLÍSTICO DAS DOENÇAS FÍSICAS E MENTAIS
 
Instintos, sensações, emoções, sentimentos
Instintos, sensações, emoções, sentimentosInstintos, sensações, emoções, sentimentos
Instintos, sensações, emoções, sentimentos
 
Atribulações
AtribulaçõesAtribulações
Atribulações
 
Força de vontade
Força de vontadeForça de vontade
Força de vontade
 
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMACOMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
COMO FAZER A REFORMA ÍNTIMA
 
Porque sofremos
Porque sofremosPorque sofremos
Porque sofremos
 
Corpos e saúde
Corpos e saúdeCorpos e saúde
Corpos e saúde
 
Transtornos mentais
Transtornos mentaisTranstornos mentais
Transtornos mentais
 
Como superar a dor e o sofrimento
Como superar a dor e o sofrimentoComo superar a dor e o sofrimento
Como superar a dor e o sofrimento
 
Alma, corpo físico e espiritual e as doenças
Alma, corpo físico e espiritual  e  as doençasAlma, corpo físico e espiritual  e  as doenças
Alma, corpo físico e espiritual e as doenças
 
Alma,mente, emoções, corpo
Alma,mente, emoções, corpoAlma,mente, emoções, corpo
Alma,mente, emoções, corpo
 
Se não quiseres saúde
Se não quiseres saúdeSe não quiseres saúde
Se não quiseres saúde
 
Curando se pela reforma intima
Curando se  pela reforma intimaCurando se  pela reforma intima
Curando se pela reforma intima
 

Suicidio

  • 2. O SUICIDA E O SUICÍDIO AGRAVANTES , PROBLEMAS E PREVENÇÃO
  • 3. PORQUE É IMPORTANTE FALAR EM PREVENIR O SUICÍDIO? • SUICÍDIOS SÃO EVITÁVEIS • FALAR PREVINE • TRATAR PREVINE
  • 5. UM SUICÍDO PARA CADA 20 TENTATIVAS
  • 6. SEGUNDA CAUSA DE ÓBITOS ENTRE 15-29 ANOS UM SUICÍDIO A CADA 40 SEGUNDOS:800.000 /ANO ( Apenas 28% dos suicídios são notificados) • DADOS SUBSTIMADOS:PORQUE? • VERGONHA, SEGUROS DE VIDA, DIREITOS, CRIME, DESCONHECIMENTO DA CAUSA REAL
  • 11. • Quando o depressivo está em risco de morte ou coloca outra pessoa em risco, a família deve levá-la ao tratamento psiquiátrico, psicológico e espiritual , seja qual este for. RISCO DE SUICÍDIO
  • 12. “Eu preferia estar morto” “Eu não posso fazer nada” “Eu não aguento mais” “Eu sou um perdedor e um peso para os outros” “Os outros vão ser mais felizes sem mim” FRASES DE ALERTA
  • 14. • Os indivíduos que tentam ou cometem suicídio têm sempre alguma perturbação mental. – FALSO: Os comportamentos suicidas têm sido associados à depressão, abuso de substâncias, esquizofrenia e outras perturbações mentais, além de aos comportamentos destrutivos e agressivos. – No entanto, esta associação não deve ser sobrestimada. A proporção relativa destas perturbações varia de lugar para lugar e há casos em que nenhuma perturbação mental foi detectada. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 15. • Após uma pessoa tentar cometer suicídio uma vez, nunca voltará a tentar novamente. – FALSO. Na verdade, as tentativas de suicídio são um preditor crucial do suicídio. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 16. • Os indivíduos suicidas querem mesmo morrer ou estão decididos a matar-se. – FALSO. A maioria das pessoas que se sentem suicidas partilham os seus pensamentos com pelo menos uma outra pessoa, ou ligam para uma linha telefónica de emergência ou para um médico, o que constitui prova de ambivalência, e não de empenhamento em se matar. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 17. • Suicídios ocorrem sem avisos; • Falso. Muitos indivíduos suicidas comunicam algum tipo de mensagem verbal ou comportamental sobre as suas ideações da intenção de se fazerem mal. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 18. • As pessoas que falam sobre o suicídio não farão mal a si próprias, pois querem apenas chamar a atenção. – FALSO. Devemos tomar todas as precauções necessárias sempre que confrontado com um indivíduo que fale de ideação, de intenção ou de um plano suicida. – Todas as ameaças de se fazer mal devem ser levadas muito a sério. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 19. • A melhora após a crise significa que o risco passou; – FALSO. Na verdade, um dos períodos mais perigosos é imediatamente depois da crise, ou quando a pessoa está no hospital, na sequência de uma tentativa. – A semana que se segue à alta do hospital é um período durante o qual a pessoa está particularmente fragilizada e em perigo de se fazer mal. MITOS Fonte: OMS, Manual de prevenção do suicídio, um recurso para Conselheiros, 2006.
  • 20. PREVENÇAO PRIMÁRIA: 1-SEGURANÇA ARQUITETÔNICA, 2-DIFICULTAR O ACESSO AOS MEIOS LETAIS 3-EVITAR O EFEITO DE IMITAÇÃO, DE VALIDAÇÃO DA FUGA DA VIDA. 4-DIVULGAÇÃO ADEQUADA 5-CONSCIENTIZAÇÃO 6-PUBLICAÇÕES ESCLARECEDORAS
  • 21. PREVENÇÃO SECUNDÁRIA: PESSOAS COM TRANSTORNOS MENTAIS CONDIÇÕES DE SAÚDE ASSOCIADA AO SUICIDIO PREVENÇÃO TERCIÁRIA: ACOMPANHAMENTO DE PESSOAS QUE TENTARAM SUICÍDIO
  • 22. EFICÁCIA MUITO FORTE: RESTRIÇÃO DE ACESSO EDUCAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS EFICÁCIA FORTE: TRATAMENTO DAS DOENÇAS MENTAIS, APOIO APÓS AS TENTATIVAS, APOIO AOS FAMILIARES ENLUTADOS EFICÁCIA POTENCIAL CONTROLE EFETIVO DE INGESTÃO DE ALCÓOLICOS, SERVIÇOS COMUNITÁRIOS DE SAÚDE MENTAL PREJUDICIAL: DIVULGAÇÃO INADEQUADA PELA IMPRENSA , PROGRAMAS ESCOLARES BASEADOS EXCLUSIVAMENTE EM ALERTAS
  • 23. BOTEGA J N, CRISE SUICIDA:ADOLESCENTE GRÁVIDA TEM 3,6 VEZES MAIOR DE TER TENTADO SUÍCIO VERSUS ADOLESCENTES QUE NUNCA ENGRAVIDARAM
  • 24. ESTUDO DE INTERVENÇÃO BREVE OPORTUNA, BOTEJA J N , 4.352 PACIENTES PREVENÇÃO SECUNDÁRIA: USO DE ALCOOL-3X MAIS ACIDENTES DE TRANSITO SUB-GRUPO COM HISTÓRIA DE TENTATIVA DE SUICIDIO: ADULTO JOVEM 3,4 MAIS RISCOS DEPRESSÃO VIGENTE:6,6 MAIS RISCOS AIDS:24 MAIS RISCOS
  • 25. Estudo da Organização Mundial da Saúde 1867 pessoas que tentaram o suicídio 18 meses Tratamento “usual” Intervenção breve Redução em dez vezes o número de suicídio
  • 26. BOTEGA N J ESTUDOU 2.338 PESSOAS: DESFECHO: O GRUPO INTERVENÇÃO TIVERAM 10X MENOS SUCÍDIO
  • 30. Rasic et al 2009: Estudou 36.984 pessoas e observou que as prática religiosas foram associadas a 77% menos tentativas de suicídios. Vancersweele et al 2016: Estudou 89.708 enfermeiras com religiosidade e observou-se 5x menos risco de suicídio.
  • 31. Marie Bulock BA et al 2012:Membros da comunidade religiosa agem como uma ponte com os prestadores de serviços em saúde mental. Ou seja, aconselham procurar tratamento especializado
  • 32. QUANTO MAIS ESPIRITUALIZADO, MENOS SUICÍDIO. QUANTO MAIS MATERIALISMO, MAIS SUICÍDIO.
  • 33. A PÓSVENÇÃO: PSIQUIÁTRICO E PSICOTERÁPICO. SUPORTE SOCIAL SUPORTE ESPIRITUAL DE ACORDO COM A CRENÇA ACOLHIMENTO EVANGELHO NO LAR
  • 36. DIGA NÃO AO SUICÍDIO SUPERANDO A ANGÚSTIA
  • 38. A IDEAÇÃO SUICÍDA OCORRE POR CAUSAS PSICOLÓGICAS, POR CAUSAS ORGÂNICAS COMO CONSEQUÊNCIA DE TRANSTORNOS MENTAIS GRAVES , MAS PRINCIPALMENTE POR DOENÇAS ORIGINADAS NA ALMA, SEJA INFLUENCIAÇÃO OBSESSIVA OU FRAGILIDADES ESPIRITUAIS.
  • 39. CAUSAS ESPIRITUAIS • Falta de significado e de interesse na vida, gerado pela rebeldia; • É a não aceitação dos desafios.
  • 40. CAUSAS ESPIRITUAIS • Negação da vida; • Supor que este Mundo é um vale de lágrimas e que sofremos para pagar as contas com Deus.
  • 41. CAUSAS PSICOLÓGICAS • Apegar-se àquilo que não tem em detrimento daquilo que tem; • Revolta contra a vida.
  • 42. Causas psicológicas Manter sentimento de onipotência movido pelo orgulho e daí se revoltar e se deprimir, porque a vida não se dignou a atender os seus caprichos.
  • 43. A RAZÃO DA ANGÚSTIA? NÃO É PELO QUE VOCE FEZ…MAS SIM PELO QUE VOCÊ CONTINUA FAZENDO A SI MESMO.
  • 44. O que o espiritismo nos ensina? • Que nós não devemos estacionar na culpa pelos erros que cometemos.
  • 50. 146 – É f a t a l o i n s t a n t e d a m o r t e ? “Com exceção do suicídio, todos os casos de desencarnação são determinados previamente pelas forças espirituais que orientam a atividade do homem sobre a Terra.” Emmanuel, O Consolador, perg. 146
  • 51. Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII, item 71 Jamais tem o homem o direito de dispor da sua vida, porquanto só a Deus cabe retirá-lo do cativeiro da Terra, quando o julgue oportuno.
  • 52. O mesmo se dá com o suicida que julga escapar às misérias do presente e mergulha em desgraças maiores O suicida é qual prisioneiro que se evade da prisão, antes de cumprida a pena; quando preso de novo, é mais severamente tratado. Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII, item 71
  • 53. De todos os desvios da vida humana, o suicídio é, talvez, o maior deles.... pela sua característica de acovardar-se, de negação absoluta da lei do amor e de suprema rebeldia à vontade de Deus, cuja justiça nunca se fez sentir, junto do homem, sem a luz da misericórdia. Emmanuel, O Consolador, perg. 154
  • 55. – Psicoterapias – Psicoterapia Transpessoal ( o alívio do sofrimento pela a integração dos aspectos físicos, emocionais, mentais e espirituais do bem-estar) – Homeopatia; – Acupuntura – Estimulação cerebral elétrica ou magnética
  • 56. Medicamentos : Anti-depressivos:Tratam várias causas de depressão, sejam reacional à alguma situação de vida, doenças, perdas ou sem razões aparentes. Existem vários tipos diferentes e deve-se, testar qual é o medicamento mais útil em cada paciente. Exemplos são o Escitalopram,Bupropiona,Sertralina, Agomelatina, Mirtazapina,Fluoxetina,Paroxetina,Trazodona, Desvenlafaxina, Duloxetina, etc... Lítio: Indicado quando o impulso suicida é persistente, sendo indicado em depressões recorrentes ou em transtorno bipolar Clozapina: Indicado em depressão psicótica com ideação suicida extrema e persistente, em psicoses com ideação suicida extrema e persistente e em transtorno bipolar com ideação suicida extrema e persistente Outros: Valproato, Lamotrigina, Topiramato, Quetiapina,Olanzapina, etc...
  • 57. –Identificação com a natureza; –Atividades manuais e pequenas tarefas de modo a se sentir útil;
  • 58. – Terapia da meditação e oração; – Fluidoterapia espírita – (passes e água magnetizada) – Operar no bem e cooperar com o próximo
  • 59. – Evangelhoterapia; – Terapia da fé e do perdão. – Obs: existem várias pesquisas que comprovam que os pacientes que possuem religiosidade, recuperam- se muito mais rápido.
  • 60. –Buscar o sentimento de aprendiz: –exercícios de amor; –mansidão e –humildade de coração;
  • 61. TRATAMENTO DEFINITIVO – Sobretudo ao cultivar o amor à Deus e ao próximo, assim como a si mesmo. – Desta forma, é possível superar a angústia e manter a vida.

Notas do Editor

  1. FREQUENTEMENTE NO MUNDO OUVIMOS, DO VISÍVEL E DO INVISÍVEL: “VOCE NÃO VALE NADA”, MAS JESUS EMENDA, “MAS EU GOSTO DE VOCE”... É QUE DEUS NÃO NOS AMA, SE NÓS FORMOS ASSIM OU ASSADO, MAS DEUS NOS AMA APESAR DE SERMOS, TEMPORARIAMENTE ASSIM... DEVEMOS PENSAR “ EU SEI DAS MINHAS IMPERFEIÇÕES, MAS O AMOR DE DEUS, TRANSCENDE A ELAS E ME POSSIBILITA A ME REGENERAR, POIS ESTAMOS VIVENDO, PELA INFINITA MISERICÓRDIA DE UM PAI, QUE TANTO NOS AMA, QUE NOS DÁ A BENÇAO DO ESQUECIMENTO, PARA QUE TENHAMOS UM MÍNIMO DE PAZ PARA QUE TENTEMOS NOS SUPERAR. QUE É CAPAZ DE NOS COLOCAR COMO FAMILIA DE NOSSO ALGOZ OU VÍTIMA, PARA QUE POSSAMOS TRANSFORMAR ÓDIO EM AMOR. POR ISSO NÃO ESCUTAREMOS A TRAMA QUE DIZ QUE EU SOU INCOMPETENTE, QUE SOU INCAPAZ , QUE NÃO PRESTO...
  2. O INDIVÍDUO TORNA-SE TREMENDAMENTE DEPRESSIVO, QUANDO CONFRONTADO COM SITUAÇÕES APARENTEMENTE INSOLÚVEIS NO ASPECTO MATERIAL. A FALTA DE UM SENTIDO ESPIRITUAL, TORNA A REALIDADE DO MATERIALISTA MAIS SOFRIDA E DESESPERANÇOSA.
  3. FREQUENTEMENTE NO MUNDO OUVIMOS, DO VISÍVEL E DO INVISÍVEL: “VOCE NÃO VALE NADA”, MAS JESUS EMENDA, “MAS EU GOSTO DE VOCE”... É QUE DEUS NÃO NOS AMA, SE NÓS FORMOS ASSIM OU ASSADO, MAS DEUS NOS AMA APESAR DE SERMOS, TEMPORARIAMENTE ASSIM... DEVEMOS PENSAR “ EU SEI DAS MINHAS IMPERFEIÇÕES, MAS O AMOR DE DEUS, TRANSCENDE A ELAS E ME POSSIBILITA A ME REGENERAR, POIS ESTAMOS VIVENDO, PELA INFINITA MISERICÓRDIA DE UM PAI, QUE TANTO NOS AMA, QUE NOS DÁ A BENÇAO DO ESQUECIMENTO, PARA QUE TENHAMOS UM MÍNIMO DE PAZ PARA QUE TENTEMOS NOS SUPERAR. QUE É CAPAZ DE NOS COLOCAR COMO FAMILIA DE NOSSO ALGOZ OU VÍTIMA, PARA QUE POSSAMOS TRANSFORMAR ÓDIO EM AMOR. POR ISSO NÃO ESCUTAREMOS A TRAMA QUE DIZ QUE EU SOU INCOMPETENTE, QUE SOU INCAPAZ , QUE NÃO PRESTO...
  4. A RAZÃO DA ANGUSTIA NÃO É PELO QUE VOCE FEZ SE ESTÁS SOFRENDO, SE ESTÁS CONFUSO, SE ESTÁS DEPRIMIDO , NA MAIORIA DAS VEZES NÃO É PELO QUE VOÇE FEZ NA VIDA PASSADA. NÃO PERCA TEMPO COM REGRESSÃO DA VIDA PASSADA, NÃO PERGUNTE À MÉDIUM, QUEM VOÇE ERA, O QUE VOÇE FEZ. SE ESTÁS SOFRENDO DE DEPRESSÃO , NÃO É PELO QUE VOCE FEZ, MAS PELO QUE VOCE... CONTINUA FAZENDO. PORQUE UM GESTO DE AMOR, COBRE UMA MULTIDÃO DE PECADOS.
  5. A RAZÃO DA ANGUSTIA NÃO É PELO QUE VOCE FEZ
  6. DOR, SEJA FÍSICA OU EMOCIONAL, ENTENDIDA POR DEUS JAMAIS COMO PUNIÇÃO, MAS SIM COMO O ÚLTIMO RECURSO PARA QUE O FILHO MUDE O CAMINHO, MUDE O ROTEIRO DE VIDA, MUDAR A FORMA QUE ESTAMOS GERENCIANDO A VIDA.
  7. PAULO PASSOU POR ISSO :” NÃO FAÇO TODO O BEM QUE DEVO, MAS O MAL QUE NÃO QUERO, ESSE EU FAÇO”. ISSO É UMA CRISE DE IDENTIDADE, QUE PODE GERAR UM ESTADO DEPRESSIVO, SE VOÇE ENTRAR NA CULPA. PORÉM SE TROCAR CULPA POR RESPONSABILIDADE AÍ SE RESOLVE. FOI O QUE PAULO FEZ: “TÁ BOM, EU VINHA FAZENDO TUDO ERRADO ATÉ ESSE MOMENTO, MAS A PARTIR DE AGORA EU QUERO ACERTAR, O QUE QUERES QUE EU FAÇA? NÃO VOU PERDER TEMPO ME CULPANDO ME PUNINDO E JUSTIFICANDO AQUILO QUE ACONTECEU.
  8. O SER CONSCIENTE, É QUE NÃO SE CULPA, NÃO SE JUSTIFICA MAS APENAS SE TRANSFORMA. NA CENA DA MULHER ADULTERA JESUS PERGUNTA: MULHER, ONDE ESTÃO OS SEUS ACUSADORES? EU TAMBÉM NÃO TE ACUSO. VÁ E NÃO PEQUES MAIS... NEM CULPA, NEM JUSTIFICA, MAS TRANSFORMAÇÃO.
  9. LEVE A PESSOA A UM PSIQUIATRA. IDEAÇÃO SUICIDA É A EMERGÊNCIA MÉDICA MAIS GRÁVE E TRATÁVEL QUE EXISTE. Entre os doentes que cometem suicídio, quase 95% tem uma doença mental diagnosticada, 80% tem um transtorno de humor, 25% são dependentes de álcool. Dos doentes que padecem de um destes transtornos, 15% morrem por suicídio. Apesar de ser uma doença menos comum, a esquizofrenia responde por 10% dos suicídios. Doentes com depressão delirante são aqueles que apresentam o mais alto risco para suicídio. A idade do suicídio varia em torno dos 30 anos, o que parcialmente deve-se ao início precoce da esquizofrenia e transtorno de humor. TENTATIVA DE SUICÍDIO Os motivos que levam o indivíduo a tentar o suicídio são: Fugir de uma situação desagradável Delírio e alucinações Depressões Cliente com sentimento de culpa Cliente no inicio de uma doença Pode ser doente, estar saindo da doença, e não aceitar ter sido doente mental; No curso de uma doença incurável; SINAIS E SINTOMAS DE QUEM DESEJA FAZER O SUICÍDIO : Indiferença a si mesmo e ao meio ambiente. Desliga-se e desinteressa-se até com a aparência física; Isolamento; Fica em semi-mutismo; Não participa de atividade; Apresenta insônias; Age e fala lentamente; O conteúdo da conversa é pessimista; Excessivamente mediativo.  CUIDADOS Prevenção: Se já tentou suicídio alguma vez Se houve caso a família. Procurar relacionamento maior com a pessoa, conversar , manter mais contato, procurar vigiar mais a pessoa. Vigilância: Evita que se cometa um suicídio. Ocupação a mente: procurar manter a pessoa ocupado com algo, para que se sinta útil.  Os depressivos apresentam-se por um profundo sentimento de tristeza; desmotivados, perdem o interesse pela vida. OS DEPRIMIDOS REVELAM SINAIS DE: Dependência; Insegurança; Lentidão; Tristeza; Abulia; Insônia: ocorre geralmente devido à preocupação; Anorexia ou inapetência; Amenorréia; Mutismo ou semi-mutismo; Alteração da memória; Transtornos somáticos; Idéias de auto punição.  ASSISTÊNCIA PESSOAL Procure demonstrar-lhe compreensão através de palavras e gestos, dispondo-se a auxiliá-lo a sair do estado em que se encontra; Não faça comentários sobre seu estado mental ou físico na presença dele, pois este poderá aumentar- lhe o pessimismo; Recreação e terapia: proporcione-lhe atividades fáceis de executar, como também tarefas que lhe ajudem a aliviar seu sentimento de culpa, tais como, ajudar na unidade e trabalhar em cerâmica etc. Não insista quanto à necessidade de fazer bem feito ou todo o trabalho;  Observe as reações do deprimido com seus visitantes, suas conversas; Se o deprimido recusar a alimentação normal, dê-lhe mais tarde, ou em pequenas quantidades, várias refeições ao dia; ofereça bastante líquido, se necessário dê-lhe na boca; Quanto a higiene e aparência, ajude o cliente durante seus cuidados físicos, permitindo-lhe que faça tudo que puder fazer sozinho; Não deixe medicamentos sobre a mesa, ao alcance do cliente, e verifique se ele engoliu o medicamento. 
  10. NUNCA DIGA QUE ESTÁ SEM TEMPO; NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE SOCORRER NÃO REFORÇA O NEGATIVISMO, ELENCANDO AS COISAS RUINS DA PRÓPRIA VIDA, POIS ISSO PODE INCITAR UMA COMPETIÇÃO DE DESGRAÇAS. CONVIDE AQUELE QUE SOFRE PARA FAZER UMA CAMINHADA E O ESTIMULE A CONTEMPLAR AS COISAS AGRADÁVEIS NO PASSEIO. NÃO SUBSTIME O SOFRIMENTO DO OUTRO COM ADVERTENCIAS QUESTIONADORAS: DO QUE VOCE ESTÁ RECLAMANDO? VOCE TEM TUDO PARA SER FELIZ! CRIE UM AMBIENTE FAVORÁVEL PARA QUE A PESSOA POSSA SE ABRIR APENAS ESCUTAR O OUTRO, PODE SER SUFICIENTE E ESTIMULAR A TER FÉ E ESPERANÇA.
  11. LEVE A PESSOA A UM PSIQUIATRA. IDEAÇÃO SUICIDA É A EMERGÊNCIA MÉDICA MAIS GRÁVE E TRATÁVEL QUE EXISTE. Entre os doentes que cometem suicídio, quase 95% tem uma doença mental diagnosticada, 80% tem um transtorno de humor, 25% são dependentes de álcool. Dos doentes que padecem de um destes transtornos, 15% morrem por suicídio. Apesar de ser uma doença menos comum, a esquizofrenia responde por 10% dos suicídios. Doentes com depressão delirante são aqueles que apresentam o mais alto risco para suicídio. A idade do suicídio varia em torno dos 30 anos, o que parcialmente deve-se ao início precoce da esquizofrenia e transtorno de humor. TENTATIVA DE SUICÍDIO Os motivos que levam o indivíduo a tentar o suicídio são: Fugir de uma situação desagradável Delírio e alucinações Depressões Cliente com sentimento de culpa Cliente no inicio de uma doença Pode ser doente, estar saindo da doença, e não aceitar ter sido doente mental; No curso de uma doença incurável; SINAIS E SINTOMAS DE QUEM DESEJA FAZER O SUICÍDIO : Indiferença a si mesmo e ao meio ambiente. Desliga-se e desinteressa-se até com a aparência física; Isolamento; Fica em semi-mutismo; Não participa de atividade; Apresenta insônias; Age e fala lentamente; O conteúdo da conversa é pessimista; Excessivamente mediativo.  CUIDADOS Prevenção: Se já tentou suicídio alguma vez Se houve caso a família. Procurar relacionamento maior com a pessoa, conversar , manter mais contato, procurar vigiar mais a pessoa. Vigilância: Evita que se cometa um suicídio. Ocupação a mente: procurar manter a pessoa ocupado com algo, para que se sinta útil.  Os depressivos apresentam-se por um profundo sentimento de tristeza; desmotivados, perdem o interesse pela vida. OS DEPRIMIDOS REVELAM SINAIS DE: Dependência; Insegurança; Lentidão; Tristeza; Abulia; Insônia: ocorre geralmente devido à preocupação; Anorexia ou inapetência; Amenorréia; Mutismo ou semi-mutismo; Alteração da memória; Transtornos somáticos; Idéias de auto punição.  ASSISTÊNCIA PESSOAL Procure demonstrar-lhe compreensão através de palavras e gestos, dispondo-se a auxiliá-lo a sair do estado em que se encontra; Não faça comentários sobre seu estado mental ou físico na presença dele, pois este poderá aumentar- lhe o pessimismo; Recreação e terapia: proporcione-lhe atividades fáceis de executar, como também tarefas que lhe ajudem a aliviar seu sentimento de culpa, tais como, ajudar na unidade e trabalhar em cerâmica etc. Não insista quanto à necessidade de fazer bem feito ou todo o trabalho;  Observe as reações do deprimido com seus visitantes, suas conversas; Se o deprimido recusar a alimentação normal, dê-lhe mais tarde, ou em pequenas quantidades, várias refeições ao dia; ofereça bastante líquido, se necessário dê-lhe na boca; Quanto a higiene e aparência, ajude o cliente durante seus cuidados físicos, permitindo-lhe que faça tudo que puder fazer sozinho; Não deixe medicamentos sobre a mesa, ao alcance do cliente, e verifique se ele engoliu o medicamento. 
  12. GERALMENTE, AQUELAS PESSOAS QUE TRABALHAM ATIVAMENTE NO MOVIMENTO ESPÍRITA, SÃO OS MAIS NECESSITADOS DE REEQUILIBRIO... POIS OS PACIENTES QUE NECESSITAM DE UM TRATAMENTO HOSPITALAR MAIS INTENSIVO, ESTÃO NA U.T.I E DEVEM TRABALHAR MAIS; PORÉM, ESSE TRABALHO É IMPORTANTE PORQUE "Todo aquele que opere, e coopere de espírito voltado para Deus, poderá aguardar sempre o melhor. Não é promessa de amizade, é lei" - Mensageiros, CAP. 33
  13. FREQUENTEMENTE NO MUNDO OUVIMOS, DO VISÍVEL E DO INVISÍVEL: “VOCE NÃO VALE NADA”, MAS JESUS EMENDA, “MAS EU GOSTO DE VOCE”... É QUE DEUS NÃO NOS AMA, SE NÓS FORMOS ASSIM OU ASSADO, MAS DEUS NOS AMA APESAR DE SERMOS, TEMPORARIAMENTE ASSIM... DEVEMOS PENSAR “ EU SEI DAS MINHAS IMPERFEIÇÕES, MAS O AMOR DE DEUS, TRANSCENDE A ELAS E ME POSSIBILITA A ME REGENERAR, POIS ESTAMOS VIVENDO, PELA INFINITA MISERICÓRDIA DE UM PAI, QUE TANTO NOS AMA, QUE NOS DÁ A BENÇAO DO ESQUECIMENTO, PARA QUE TENHAMOS UM MÍNIMO DE PAZ PARA QUE TENTEMOS NOS SUPERAR. QUE É CAPAZ DE NOS COLOCAR COMO FAMILIA DE NOSSO ALGOZ OU VÍTIMA, PARA QUE POSSAMOS TRANSFORMAR ÓDIO EM AMOR. POR ISSO NÃO ESCUTAREMOS A TRAMA QUE DIZ QUE EU SOU INCOMPETENTE, QUE SOU INCAPAZ , QUE NÃO PRESTO...