SlideShare uma empresa Scribd logo
Sociedade Maia

    Beatriz nº 3
    Isabela nº 15
    Leticia nº22
    Sthefany nº 33
    Vitória nº 35
A sociedade maia tinha uma
organização bastante
diferente dos demais impérios
consolidados ao longo do
continente americano.
Organizando-se de forma
descentralizada, os maias
dividiam o poder político entre
diversas cidade-estado. Em
cada uma delas, um
chefe, chamado de halach
vinic, governava a região em
nome de uma divindade
específica. Seu poder era
repassado hereditariamente e
os principias cargos
administrativos eram por ele
delegados.
Costumes e vestuário
•   A roupa dos sacerdotes era
    rica. Usavam peles de
    jaguar, mantos
    vermelhos, plumas e
    adornos incrustrados com
    jade.
       O uso do ornamento era
    tão frequente, que entre a
    nobreza era costume o uso
    de pedras semipreciososas
    nos dentes.
       Para tornar os crânios
    alongados era comum
    envolverem a cabeça da
    criança com panos e
    pedaços de madeira
    induzindo a forma que
    desejavam obter. Também
    possuíam o estranho
    costume de pendurar
    contas na testa das
    crianças para que ficassem
    estrábicas.
Religião
•   Pouco se sabe a respeito das
    tradições religiosas dos maias, a
    religião ainda não é
    completamente entendida por
    estudiosos. Assim como
    os astecas e os incas, os maias
    acreditavam na contagem cíclica
    natural do tempo. Os rituais e
    cerimônias eram associados a
    ciclos terrestres e celestiais que
    eram observados e registrados
    em calendários separados. Os
    sacerdotes maias tinham a
    tarefa de interpretar esses ciclos
    e fazer um panorama profético
    sobre o futuro ou passado com
    base no número de relações de
    todos os calendários. A
    purificação era normalmente
    praticada antes de grandes
    eventos religiosos.
Arquitetura
•   A arquitetura maia abarca
    vários milênios; ainda
    assim, mais dramática e
    facilmente reconhecíveis como
    maias são as fantásticas
    pirâmides escalonadas do final
    do período pré-clássico em
    diante. Durante este período da
    cultura maia, os centros de
    poder religioso, comercial e
    burocrático cresceram para se
    tornarem incríveis cidades
    como Chichén
    Itzá, Tikal e Uxmal. Devido às
    suas muitas semelhanças
    assim como diferenças
    estilísticas, os restos da
    arquitetura maia são uma
    chave importante para o
    entendimento da evolução de
    sua antiga civilização.
Politica
•   Organização política e
    social Extremamente
    hierarquizada, a sociedade
    maia contava em cada
    cidade-estado com uma
    autoridade máxima, de
    caráter hereditário, dita
    halach-uinic ou "homem de
    verdade", que era assistido
    por um conselho de
    notáveis, composto pelos
    principais chefes e
    sacerdotes. O halach-uinic
    designava os chefes de
    cada aldeia (bataboob), que
    desempenhavam funções
    civis, militares e
    religiosas.
Alimentação e agricultura
•   O esplendor da sociedade
    maia é fundamentalmente
    explicado pelo controle e
    as disciplinas empregadas
    no desenvolvimento da
    agricultura. Entre os vários
    alimentos que integravam a
    dieta alimentar dos
    maias, podemos destacar o
    milho, produto de grande
    consumo, o cacau, o
    algodão e o agave. Para
    ampliar a vida útil de seus
    terrenos, os maias
    costumavam organizar um
    sistema de rotação de
    culturas.
Economia

•   A base econômica dos maias
    era a
    agricultura, principalmente do
    milho, praticada com a ajuda
    da irrigação, utilizando
    técnicas rudimentares e
    itinerantes, o que contribuiu
    para a destruição de florestas
    tropicas nas regiões onde
    habitavam, desenvolveram
    também atividades comerciais
    cuja classe dos comerciantes
    gozavam de grandes
    privilégios.
•   Como unidade de
    troca, utilizavam sementes de
    cacau e sinetas de
    cobre, material que
    empregavam também para
    trabalhos ornamentais, ao lado
    do ouro, da prata, do jade, das
    conchas do mar e das plumas
    coloridas.
    Entretanto, desconheciam as
    ferramentas metálicas
Artes
•   A arte maia tinha suma
    importância na
    preservação das tradições
    religiosas. Ao mesmo
    tempo em que contava e
    reproduzia as feições de
    suas principais
    divindades, a arte maia
    também envolvia uma
    importante questão
    política. Os murais e as
    esculturas relatavam a
    grandeza das dinastias que
    controlavam uma
    determinada cidade-
    Estado. Sendo indicada
    como uma família
    abençoada pelos
    deuses, as expressões
    artísticas maias eram
    importantes na legitimação
    do poder político
                   .
Calendário maia
•   Estes calendários podem ser
    sincronizados e interligados, suas
    combinações dando origem a ciclos
    adicionais mais extensos. Os
    fundamentos dos calendários maias
    baseiam-se em um sistema que era
    de uso comum na região, datando
    pelo menos do século VI a.C.. Tem
    muitos aspectos em comum com
    calendários empregados por outras
    civilizações mesoamericanas
    anteriores, como os zapotecas e
    olmecas, e algumas civilizações
    suas contemporâneas ou
    posteriores, como o dos mixtecas e
    o dos astecas. Apesar de o
    calendário mesoamericano não ter
    sido criado pelos maias, as
    extensões e refinamentos por eles
    efetuados foram os mais
    sofisticados. Junto com os dos
    astecas, os calendários maias são
    os melhores documentados e
    compreendidos.
Final dos maias
•   Os motivos do declínio da
    civilização maia são até hoje um
    dos grandes enigmas da história.
    Para tentar desvendá-lo, Drakic
    explora os vestígios deixados
    pelos maias para colocar à prova
    as quatro principais hipóteses
    que tentam explicar esse
    colapso. Para alguns, o povo
    maia teria perecido em virtude
    do esgotamento de recursos
    naturais, por causa da
    superexploração. Outros
    defendem que as diferentes
    cidades-Estado teriam se
    aniquilado mutuamente, em um
    ciclo prolongado de guerras.
    Certos pesquisadores sugerem
    que os maias teriam sido vítimas
    de fomes e epidemias. E há os
    que explicam seu
    desaparecimento pela extinção
    do comércio entre as cidades.
Sociedade maia 7b (2)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
Nicole Gouveia
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar EgeuOs Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
Silmara Nogueira
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
Nefer19
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicas
Loredana Ruffo
 
MAIAS - História
MAIAS - HistóriaMAIAS - História
MAIAS - História
Leila Santana
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
Dismael Sagás
 
Incas, maias e astecas
Incas, maias e astecasIncas, maias e astecas
Incas, maias e astecas
Guilherme De Martini
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
Maias e incas
Maias e incasMaias e incas
Maias e incas
Nicollas Villar
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
Daniel Alves Bronstrup
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
Sylvio Bazote
 
Mitologia grega
Mitologia grega Mitologia grega
Mitologia grega
Poly Silva
 
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
Zé Knust
 
Os astecas
Os astecasOs astecas
Os astecas
edna2
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
Douglas Barraqui
 
Roma
RomaRoma
A revolução neolítica
A revolução neolíticaA revolução neolítica
A revolução neolítica
Susana Simões
 

Mais procurados (20)

A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar EgeuOs Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
Os Celtas, Povos Bárbaros e Antigos Povos do Mar Egeu
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
Mesopotâmia - 6º Ano (2017)
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicas
 
MAIAS - História
MAIAS - HistóriaMAIAS - História
MAIAS - História
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
 
Incas, maias e astecas
Incas, maias e astecasIncas, maias e astecas
Incas, maias e astecas
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Maias e incas
Maias e incasMaias e incas
Maias e incas
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Mitologia grega
Mitologia grega Mitologia grega
Mitologia grega
 
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
Povos e reinos africanos (séculos VII-XVI)
 
Os astecas
Os astecasOs astecas
Os astecas
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
A revolução neolítica
A revolução neolíticaA revolução neolítica
A revolução neolítica
 

Destaque

Civilização maia slades
Civilização maia sladesCivilização maia slades
Civilização maia slades
robsonamado
 
Povos maias
Povos maiasPovos maias
Povos maias
italothacio110
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação
joanana
 
Civilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombianaCivilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombiana
Gisele Finatti Baraglio
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
Os MaiasOs Maias
A sociedade maia 7b
A sociedade maia 7bA sociedade maia 7b
A sociedade maia 7b
Profgalao
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
Helena Coutinho
 
Sociedade maia 7 b
Sociedade maia 7 bSociedade maia 7 b
Sociedade maia 7 b
Profgalao
 
Sociedade maia 7b
Sociedade maia 7bSociedade maia 7b
Sociedade maia 7b
Profgalao
 
Os Maias - Prof. Altair Aguilar
Os Maias - Prof. Altair AguilarOs Maias - Prof. Altair Aguilar
Os Maias - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
As civilizações
As civilizaçõesAs civilizações
As civilizações
ceufaias
 
Astecas, maias e incas
Astecas, maias e incasAstecas, maias e incas
Astecas, maias e incas
Maria Gomes
 
Astecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e MaiasAstecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e Maias
Wesley Santos
 
Trabalho david c22
 Trabalho david c22 Trabalho david c22
Trabalho david c22
Juliano Souto
 
Maias
MaiasMaias
151 ab grandes civilizações da america maias
151 ab grandes civilizações da america maias151 ab grandes civilizações da america maias
151 ab grandes civilizações da america maias
cristianoperinpissolato
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
Os maiasOs maias
Um olhar sobre os maias
Um olhar sobre os maiasUm olhar sobre os maias
Um olhar sobre os maias
joes34
 

Destaque (20)

Civilização maia slades
Civilização maia sladesCivilização maia slades
Civilização maia slades
 
Povos maias
Povos maiasPovos maias
Povos maias
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação
 
Civilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombianaCivilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombiana
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
A sociedade maia 7b
A sociedade maia 7bA sociedade maia 7b
A sociedade maia 7b
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Sociedade maia 7 b
Sociedade maia 7 bSociedade maia 7 b
Sociedade maia 7 b
 
Sociedade maia 7b
Sociedade maia 7bSociedade maia 7b
Sociedade maia 7b
 
Os Maias - Prof. Altair Aguilar
Os Maias - Prof. Altair AguilarOs Maias - Prof. Altair Aguilar
Os Maias - Prof. Altair Aguilar
 
As civilizações
As civilizaçõesAs civilizações
As civilizações
 
Astecas, maias e incas
Astecas, maias e incasAstecas, maias e incas
Astecas, maias e incas
 
Astecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e MaiasAstecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e Maias
 
Trabalho david c22
 Trabalho david c22 Trabalho david c22
Trabalho david c22
 
Maias
MaiasMaias
Maias
 
151 ab grandes civilizações da america maias
151 ab grandes civilizações da america maias151 ab grandes civilizações da america maias
151 ab grandes civilizações da america maias
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Um olhar sobre os maias
Um olhar sobre os maiasUm olhar sobre os maias
Um olhar sobre os maias
 

Semelhante a Sociedade maia 7b (2)

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Ricardo Diniz campos
 
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
marceloamoreira
 
As civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianasAs civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianas
Andrea Dressler
 
Incas e astecas apostila
Incas e astecas apostilaIncas e astecas apostila
Incas e astecas apostila
LUZIMEIRECRISTIANESO
 
Povos mesoamericanos
Povos mesoamericanos Povos mesoamericanos
Povos mesoamericanos
Roberta Fernandes
 
Jhonatan carmo
Jhonatan carmoJhonatan carmo
Jhonatan carmo
jhonatan Carmo
 
A américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanholaA américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanhola
Nelia Salles Nantes
 
A américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanholaA américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanhola
Nelia Salles Nantes
 
Civilizações Antigas
Civilizações AntigasCivilizações Antigas
Civilizações Antigas
FelipedosSantosSilva10
 
Civilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdfCivilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdf
FelypedosSantosSilva
 
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdfAS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
JOCAGAMER1
 
Civilização pre colombiana
Civilização pre colombianaCivilização pre colombiana
Civilização pre colombiana
Adriana Gomes Messias
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Edilene Ruth Pereira
 
Civilização maia
Civilização maiaCivilização maia
Civilização maia
Claudelane Paes
 
Trabalho final da_mesopot╢mia
Trabalho final da_mesopot╢miaTrabalho final da_mesopot╢mia
Trabalho final da_mesopot╢mia
almirante2010
 
Astecas
AstecasAstecas
A mesopotâmia
A mesopotâmiaA mesopotâmia
A mesopotâmia
historiando
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmica
Nelia Salles Nantes
 

Semelhante a Sociedade maia 7b (2) (20)

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
MAIAS.pptx
 
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
MAIAS.pptx
 
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
Povosprecolombianos 110412075714-phpapp01
 
As civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianasAs civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianas
 
Incas e astecas apostila
Incas e astecas apostilaIncas e astecas apostila
Incas e astecas apostila
 
Povos mesoamericanos
Povos mesoamericanos Povos mesoamericanos
Povos mesoamericanos
 
Jhonatan carmo
Jhonatan carmoJhonatan carmo
Jhonatan carmo
 
A américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanholaA américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanhola
 
A américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanholaA américa antes da colonização espanhola
A américa antes da colonização espanhola
 
Civilizações Antigas
Civilizações AntigasCivilizações Antigas
Civilizações Antigas
 
Civilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdfCivilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdf
 
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdfAS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
AS_SOCIEDADES_DA_MESOAMERICA.pdf
 
Civilização pre colombiana
Civilização pre colombianaCivilização pre colombiana
Civilização pre colombiana
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
Civilização maia
Civilização maiaCivilização maia
Civilização maia
 
Trabalho final da_mesopot╢mia
Trabalho final da_mesopot╢miaTrabalho final da_mesopot╢mia
Trabalho final da_mesopot╢mia
 
Astecas
AstecasAstecas
Astecas
 
A mesopotâmia
A mesopotâmiaA mesopotâmia
A mesopotâmia
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmica
 

Mais de Profgalao

Sociedade asteca (1)
Sociedade asteca (1)Sociedade asteca (1)
Sociedade asteca (1)
Profgalao
 
Indíos norte americanos
Indíos norte americanosIndíos norte americanos
Indíos norte americanos
Profgalao
 
Sociedade inca
Sociedade incaSociedade inca
Sociedade inca
Profgalao
 
Rituais de morte e passagem sociedades indigenas
Rituais de morte e passagem sociedades indigenasRituais de morte e passagem sociedades indigenas
Rituais de morte e passagem sociedades indigenas
Profgalao
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
Profgalao
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
Profgalao
 

Mais de Profgalao (6)

Sociedade asteca (1)
Sociedade asteca (1)Sociedade asteca (1)
Sociedade asteca (1)
 
Indíos norte americanos
Indíos norte americanosIndíos norte americanos
Indíos norte americanos
 
Sociedade inca
Sociedade incaSociedade inca
Sociedade inca
 
Rituais de morte e passagem sociedades indigenas
Rituais de morte e passagem sociedades indigenasRituais de morte e passagem sociedades indigenas
Rituais de morte e passagem sociedades indigenas
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 

Sociedade maia 7b (2)

  • 1. Sociedade Maia Beatriz nº 3 Isabela nº 15 Leticia nº22 Sthefany nº 33 Vitória nº 35
  • 2. A sociedade maia tinha uma organização bastante diferente dos demais impérios consolidados ao longo do continente americano. Organizando-se de forma descentralizada, os maias dividiam o poder político entre diversas cidade-estado. Em cada uma delas, um chefe, chamado de halach vinic, governava a região em nome de uma divindade específica. Seu poder era repassado hereditariamente e os principias cargos administrativos eram por ele delegados.
  • 3. Costumes e vestuário • A roupa dos sacerdotes era rica. Usavam peles de jaguar, mantos vermelhos, plumas e adornos incrustrados com jade. O uso do ornamento era tão frequente, que entre a nobreza era costume o uso de pedras semipreciososas nos dentes. Para tornar os crânios alongados era comum envolverem a cabeça da criança com panos e pedaços de madeira induzindo a forma que desejavam obter. Também possuíam o estranho costume de pendurar contas na testa das crianças para que ficassem estrábicas.
  • 4. Religião • Pouco se sabe a respeito das tradições religiosas dos maias, a religião ainda não é completamente entendida por estudiosos. Assim como os astecas e os incas, os maias acreditavam na contagem cíclica natural do tempo. Os rituais e cerimônias eram associados a ciclos terrestres e celestiais que eram observados e registrados em calendários separados. Os sacerdotes maias tinham a tarefa de interpretar esses ciclos e fazer um panorama profético sobre o futuro ou passado com base no número de relações de todos os calendários. A purificação era normalmente praticada antes de grandes eventos religiosos.
  • 5. Arquitetura • A arquitetura maia abarca vários milênios; ainda assim, mais dramática e facilmente reconhecíveis como maias são as fantásticas pirâmides escalonadas do final do período pré-clássico em diante. Durante este período da cultura maia, os centros de poder religioso, comercial e burocrático cresceram para se tornarem incríveis cidades como Chichén Itzá, Tikal e Uxmal. Devido às suas muitas semelhanças assim como diferenças estilísticas, os restos da arquitetura maia são uma chave importante para o entendimento da evolução de sua antiga civilização.
  • 6. Politica • Organização política e social Extremamente hierarquizada, a sociedade maia contava em cada cidade-estado com uma autoridade máxima, de caráter hereditário, dita halach-uinic ou "homem de verdade", que era assistido por um conselho de notáveis, composto pelos principais chefes e sacerdotes. O halach-uinic designava os chefes de cada aldeia (bataboob), que desempenhavam funções civis, militares e religiosas.
  • 7. Alimentação e agricultura • O esplendor da sociedade maia é fundamentalmente explicado pelo controle e as disciplinas empregadas no desenvolvimento da agricultura. Entre os vários alimentos que integravam a dieta alimentar dos maias, podemos destacar o milho, produto de grande consumo, o cacau, o algodão e o agave. Para ampliar a vida útil de seus terrenos, os maias costumavam organizar um sistema de rotação de culturas.
  • 8. Economia • A base econômica dos maias era a agricultura, principalmente do milho, praticada com a ajuda da irrigação, utilizando técnicas rudimentares e itinerantes, o que contribuiu para a destruição de florestas tropicas nas regiões onde habitavam, desenvolveram também atividades comerciais cuja classe dos comerciantes gozavam de grandes privilégios. • Como unidade de troca, utilizavam sementes de cacau e sinetas de cobre, material que empregavam também para trabalhos ornamentais, ao lado do ouro, da prata, do jade, das conchas do mar e das plumas coloridas. Entretanto, desconheciam as ferramentas metálicas
  • 9. Artes • A arte maia tinha suma importância na preservação das tradições religiosas. Ao mesmo tempo em que contava e reproduzia as feições de suas principais divindades, a arte maia também envolvia uma importante questão política. Os murais e as esculturas relatavam a grandeza das dinastias que controlavam uma determinada cidade- Estado. Sendo indicada como uma família abençoada pelos deuses, as expressões artísticas maias eram importantes na legitimação do poder político .
  • 10. Calendário maia • Estes calendários podem ser sincronizados e interligados, suas combinações dando origem a ciclos adicionais mais extensos. Os fundamentos dos calendários maias baseiam-se em um sistema que era de uso comum na região, datando pelo menos do século VI a.C.. Tem muitos aspectos em comum com calendários empregados por outras civilizações mesoamericanas anteriores, como os zapotecas e olmecas, e algumas civilizações suas contemporâneas ou posteriores, como o dos mixtecas e o dos astecas. Apesar de o calendário mesoamericano não ter sido criado pelos maias, as extensões e refinamentos por eles efetuados foram os mais sofisticados. Junto com os dos astecas, os calendários maias são os melhores documentados e compreendidos.
  • 11. Final dos maias • Os motivos do declínio da civilização maia são até hoje um dos grandes enigmas da história. Para tentar desvendá-lo, Drakic explora os vestígios deixados pelos maias para colocar à prova as quatro principais hipóteses que tentam explicar esse colapso. Para alguns, o povo maia teria perecido em virtude do esgotamento de recursos naturais, por causa da superexploração. Outros defendem que as diferentes cidades-Estado teriam se aniquilado mutuamente, em um ciclo prolongado de guerras. Certos pesquisadores sugerem que os maias teriam sido vítimas de fomes e epidemias. E há os que explicam seu desaparecimento pela extinção do comércio entre as cidades.