SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Sua presença é muito importante para nós.
Estamos felizes por tê-los conosco.
Juntos estaremos construindo um novo futuro.
Agradecemos pela confiança depositada.
Muito obrigado e que este semestre seja muito produtivo.
Buscamos oferecer o que há de melhor.
Estamos certos que todos os nossos objetivos serão alcançados.
Muitas novidades estarão sendo oferecidas durante a ano letivo.
Vamos caminhar juntos, pelos caminhos do conhecimento.
Ir mais além do que se pode enxergar.
Nesta longa jornada, não estaremos sozinhos.
Deus nos acompanhará e com certeza nos abençoará.
Orgulhosos, chegaremos ao final de mais uma etapa.
Sejam Bem Vindos!!!
“A prática de pensar a prática é a melhor maneira de
aprender a pensar certo. O pensamento que ilumina a
prática é por ela iluminado tal como a prática que ilumina o
pensamento é por ela iluminada.”
Paulo Freire
REFLEXÃO DOCENTE
“O professor é alguém em
contínuo aprendizado e deve ter
a dimensão de que aprender
significa interrogar-se sempre
sobre o que pensa, o que planeja
e o que faz em sala”
Cleide do Amaral Terzi
“Não é a prática por si mesma
que gera conhecimento. No
máximo, permite estabilizar e
fixar certas rotinas. A boa
prática, aquela que permite
avançar para estágios cada vez
mais elevados no
desenvolvimento profissional, é
a prática reflexiva.”
ORGANIZAÇÃO DO
AMBIENTE
Qual sua importância no processo educacional?
Ao entrarmos em uma sala de aula, podemos perceber qual a
dinâmica que a envolve, que tipo de atividades se desenvolvem,
como interagem os diferentes alunos, como se relacionam entre pares
e com os adultos.
A flexibilidade na colocação das carteiras e das mesas e no
agrupamento dos alunos assume um papel muito importante quando
se considera o uso do espaço na sala de aula.
,
A forma como o mobiliário está disposto pode ter influência no tempo de
aprendizagem escolar e, consequentemente, na aprendizagem dos alunos.
Podemos considerar a sala de aula em quatro dimensões:
AMBIENTE
DIMENSÃO TEMPORAL
COMO E QUANDO É
UTILIZADA?
DIMENSÃO FÍSICA
OQUE HÁ E COMO SE
ORGANIZA?
DIMENSÃO
FUNCIONAL
COMO SE UTILIZA E
PARA QUÊ?
DIMENSÃO
RELACIONAL
QUEM E EM QUE
CIRCUNSTÂNCIA?
COMO DISPOR AS CARTEIRAS EM SALA DE AULA
Carteiras dispostas em filas – os alunos
sentam-se, uns atrás dos outros, voltados
para o quadro. Se imaginarmos o
primeiro dia de aula de um grupo nessa
sala, poderemos deduzir que eles irão
encontrar algumas dificuldades para
conseguirem ver, olhar, reconhecer uns
aos outros. A sala está voltada para o
quadro, para o (a) professor(a),
possivelmente, mas não para o grupo.
Mesas agrupadas – os elementos de cada
grupo olham-se, falam diretamente uns com os
outros e podem ver os outros grupos. O
quadro não é o centro e o (a) professor (a)
pode estar em diferentes lugares,
acompanhando os diálogos e os trabalhos de
cada grupo. Este tipo de organização deve ser
utilizado sempre que desejarmos propor
produções escritas, conversas e discussões em
pequenos grupos.
Disposição das cadeiras em círculo – não é possível
indicar o lugar do (a) professor (a), já que cada lugar
está igualmente disposto em relação ao outro: As
pessoas estão num mesmo patamar, voltadas para o
centro do círculo, podendo olhar e dirigir-se a
qualquer outra, sem qualquer dificuldade.
O quadro está fora do círculo.
PARA REFLETIR...
DE QUE OUTRAS FORMAS PODEMOS DISPOR AS CARTEIRAS
EM SALA DE AULA?
QUAIS OS BENEFÍCIOS DESSAS DISPOSIÇÕES?
ORIENTAÇÕES PARA INCENTIVAR A LEITURA.
• Crie um clima favorável à leitura que será feita;
• Varie os gêneros;
• Estimule a participação dos alunos. Por exemplo: nas
histórias de repetição, de acumulação, que saibam de cor,
dentre outras;
• Utilize acessórios variados para quebrar a rotina: fantoches,
dedoches, palitoches, etc;
• Faça diversas formas de leitura;
• Utilize perguntas guia;
• Convide as crianças para ajudar a escolher o livro;
• Convide outras pessoas para fazer a leitura;
• Varie os suportes.
INCENTIVANDO A ESCRITA
• Procure utilizar a escrita em todas as situações;
• Faça uso das construções coletivas;
• Proponha ditado onde as crianças ditam e o professor registra, dizendo
cada uma das partes que está sendo escrita;
• Proponha escrita com letras e sílabas móveis, seguido de registro;
• Propor várias formas de produção: em grupo, duplas, coletivo,
indívidual;
• Jamais esquecer a revisão/retomada fazendo desse, um momento de
reflexão sobre a escrita;
• Completar textos com palavras e frases faltosas, bem como, partes do
texto.
• Os textos fatiados também são muito estimulantes, tanto para a leitura
quanto para a escrita de partes que formam o todo.
IN DIS CI PLI NAAAA....
Todo professor sabe que uma das suas tarefas mais difíceis é
manter a disciplina da sala. Cada aluno tem um interesse
diferente e nem todos desejam realmente entrar em contato
com o conteúdo, pertubando os demais que querem aprender.
Mas, nem tudo está perdido: existem formas de manter a
disciplina, desde que isso seja feito com cuidado e atenção por
parte do docente.
ATRAVÉS DO TRABALHO COM O ALUNO, O PROFESSOR VAI PERCEBENDO QUAIS
AÇÕES DELE, AJUDAM A MANTER A DISCIPLINA EM SALA. MAS PODEMOS PONTUAR
ALGUMAS:
• Use sua voz normal e natural, mantendo um tom mais imperativo ao dar um comando
e um tom mais convidativo para envolver o aluno nas atividades (Quanto mais alto o
professor falar, mais alto seus alunos falarão.);
• Fale apenas quando houver silêncio;
• Use comunicação não verbal;
• Pontue problemas de forma rápida e sábia, utilizando sempre uma postura positiva e
em caso de conflito entre alunos, uma postura neutra;
• Estabeleça juntamente com os alunos, regras claras, lembrando-as diariamente, bem
como, mantendo exposta em sala de aula;
• Demonstre respeito e dê atenção a todos da mesma forma;
• Cumpra sempre o que combinar (neste caso use o bom senso no que for combinado
pois necessitará ser cumprido);
• Estabeleça consequências de regras não cumpridas;
• Use o bom senso ao estabelecer regras e consequências.
“NINGUÉM CAMINHA SEM APRENDER A
CAMINHAR, SEM APRENDER A FAZER O
CAMINHO CAMINHANDO, REFAZENDO E
RETOCANDO O SONHO PELO QUAL SE PÔS
A CAMINHAR”
PAULO FREIRE
• REFORÇO ESCOLAR
• RECUPERAÇÃO PARALELA
• CONTRATURNO
 REPENSAR
 REPLANEJAR
 FOCO NAS DIFICULDADES APRESENTADAS
 CORRIGIR ROTAS
QUALA IMPORTÂNCIA DO REFORÇO ESCOLAR?
É IMPORTANTE PLANEJAR ESSE MOMENTO?
Para uma criança que faz o uso do reforço escolar, uma das melhores coisas é o acesso a
uma outra forma de linguagem, diferenciada e mais facilitada, se comparada à da sala
de aula. Daí a importância de planejar esse momento, repensando as atividades, para que
as mesmas atendam às necessidades específicas do aluno com dificuldades.
Se a linguagem e as atividades devem ser diferenciadas, de nada adiantará refazer
atividades que já foram vistas em sala. É preciso variar as estratégias e materiais. Fazer
uso de jogos, brincadeiras e atividades lúdicas, faz do reforço um momento de
aprendizagem significativa.
ÓTIMO TRABALHO A TODOS!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a SLIDES SUGESTÃO TRAB COLETIVO.pptx

Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Terc Cre
 
como estudar trabalho de língua portuguesa
como estudar trabalho de língua  portuguesacomo estudar trabalho de língua  portuguesa
como estudar trabalho de língua portuguesa
d92862628
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
Roselene Rocha
 
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
Andreá Perez Leinat
 
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULAMANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
Rogerio Lulim
 

Semelhante a SLIDES SUGESTÃO TRAB COLETIVO.pptx (20)

Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
 
como estudar trabalho de língua portuguesa
como estudar trabalho de língua  portuguesacomo estudar trabalho de língua  portuguesa
como estudar trabalho de língua portuguesa
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
 
Projeto quem sou_eu_esquema_corporal_sociedade
Projeto quem sou_eu_esquema_corporal_sociedadeProjeto quem sou_eu_esquema_corporal_sociedade
Projeto quem sou_eu_esquema_corporal_sociedade
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
 
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULAMANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
MANUAL DE LÍDER EM SALA DE AULA
 
Revista Alfaletrando
Revista AlfaletrandoRevista Alfaletrando
Revista Alfaletrando
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
 
Aula conversa fiada
Aula conversa fiadaAula conversa fiada
Aula conversa fiada
 
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptxEnsinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
 
Sindown2
Sindown2Sindown2
Sindown2
 
Como estudar
Como estudarComo estudar
Como estudar
 
Como estudar
Como estudarComo estudar
Como estudar
 
Método de estudo
Método de estudoMétodo de estudo
Método de estudo
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 

SLIDES SUGESTÃO TRAB COLETIVO.pptx

  • 1. Sua presença é muito importante para nós. Estamos felizes por tê-los conosco. Juntos estaremos construindo um novo futuro. Agradecemos pela confiança depositada. Muito obrigado e que este semestre seja muito produtivo. Buscamos oferecer o que há de melhor. Estamos certos que todos os nossos objetivos serão alcançados. Muitas novidades estarão sendo oferecidas durante a ano letivo. Vamos caminhar juntos, pelos caminhos do conhecimento. Ir mais além do que se pode enxergar. Nesta longa jornada, não estaremos sozinhos. Deus nos acompanhará e com certeza nos abençoará. Orgulhosos, chegaremos ao final de mais uma etapa. Sejam Bem Vindos!!!
  • 2. “A prática de pensar a prática é a melhor maneira de aprender a pensar certo. O pensamento que ilumina a prática é por ela iluminado tal como a prática que ilumina o pensamento é por ela iluminada.” Paulo Freire
  • 3. REFLEXÃO DOCENTE “O professor é alguém em contínuo aprendizado e deve ter a dimensão de que aprender significa interrogar-se sempre sobre o que pensa, o que planeja e o que faz em sala” Cleide do Amaral Terzi “Não é a prática por si mesma que gera conhecimento. No máximo, permite estabilizar e fixar certas rotinas. A boa prática, aquela que permite avançar para estágios cada vez mais elevados no desenvolvimento profissional, é a prática reflexiva.”
  • 4. ORGANIZAÇÃO DO AMBIENTE Qual sua importância no processo educacional? Ao entrarmos em uma sala de aula, podemos perceber qual a dinâmica que a envolve, que tipo de atividades se desenvolvem, como interagem os diferentes alunos, como se relacionam entre pares e com os adultos. A flexibilidade na colocação das carteiras e das mesas e no agrupamento dos alunos assume um papel muito importante quando se considera o uso do espaço na sala de aula.
  • 5. , A forma como o mobiliário está disposto pode ter influência no tempo de aprendizagem escolar e, consequentemente, na aprendizagem dos alunos. Podemos considerar a sala de aula em quatro dimensões: AMBIENTE DIMENSÃO TEMPORAL COMO E QUANDO É UTILIZADA? DIMENSÃO FÍSICA OQUE HÁ E COMO SE ORGANIZA? DIMENSÃO FUNCIONAL COMO SE UTILIZA E PARA QUÊ? DIMENSÃO RELACIONAL QUEM E EM QUE CIRCUNSTÂNCIA?
  • 6. COMO DISPOR AS CARTEIRAS EM SALA DE AULA Carteiras dispostas em filas – os alunos sentam-se, uns atrás dos outros, voltados para o quadro. Se imaginarmos o primeiro dia de aula de um grupo nessa sala, poderemos deduzir que eles irão encontrar algumas dificuldades para conseguirem ver, olhar, reconhecer uns aos outros. A sala está voltada para o quadro, para o (a) professor(a), possivelmente, mas não para o grupo. Mesas agrupadas – os elementos de cada grupo olham-se, falam diretamente uns com os outros e podem ver os outros grupos. O quadro não é o centro e o (a) professor (a) pode estar em diferentes lugares, acompanhando os diálogos e os trabalhos de cada grupo. Este tipo de organização deve ser utilizado sempre que desejarmos propor produções escritas, conversas e discussões em pequenos grupos.
  • 7. Disposição das cadeiras em círculo – não é possível indicar o lugar do (a) professor (a), já que cada lugar está igualmente disposto em relação ao outro: As pessoas estão num mesmo patamar, voltadas para o centro do círculo, podendo olhar e dirigir-se a qualquer outra, sem qualquer dificuldade. O quadro está fora do círculo.
  • 8. PARA REFLETIR... DE QUE OUTRAS FORMAS PODEMOS DISPOR AS CARTEIRAS EM SALA DE AULA? QUAIS OS BENEFÍCIOS DESSAS DISPOSIÇÕES?
  • 9. ORIENTAÇÕES PARA INCENTIVAR A LEITURA. • Crie um clima favorável à leitura que será feita; • Varie os gêneros; • Estimule a participação dos alunos. Por exemplo: nas histórias de repetição, de acumulação, que saibam de cor, dentre outras; • Utilize acessórios variados para quebrar a rotina: fantoches, dedoches, palitoches, etc; • Faça diversas formas de leitura; • Utilize perguntas guia; • Convide as crianças para ajudar a escolher o livro; • Convide outras pessoas para fazer a leitura; • Varie os suportes.
  • 10. INCENTIVANDO A ESCRITA • Procure utilizar a escrita em todas as situações; • Faça uso das construções coletivas; • Proponha ditado onde as crianças ditam e o professor registra, dizendo cada uma das partes que está sendo escrita; • Proponha escrita com letras e sílabas móveis, seguido de registro; • Propor várias formas de produção: em grupo, duplas, coletivo, indívidual; • Jamais esquecer a revisão/retomada fazendo desse, um momento de reflexão sobre a escrita; • Completar textos com palavras e frases faltosas, bem como, partes do texto. • Os textos fatiados também são muito estimulantes, tanto para a leitura quanto para a escrita de partes que formam o todo.
  • 11. IN DIS CI PLI NAAAA.... Todo professor sabe que uma das suas tarefas mais difíceis é manter a disciplina da sala. Cada aluno tem um interesse diferente e nem todos desejam realmente entrar em contato com o conteúdo, pertubando os demais que querem aprender. Mas, nem tudo está perdido: existem formas de manter a disciplina, desde que isso seja feito com cuidado e atenção por parte do docente.
  • 12. ATRAVÉS DO TRABALHO COM O ALUNO, O PROFESSOR VAI PERCEBENDO QUAIS AÇÕES DELE, AJUDAM A MANTER A DISCIPLINA EM SALA. MAS PODEMOS PONTUAR ALGUMAS: • Use sua voz normal e natural, mantendo um tom mais imperativo ao dar um comando e um tom mais convidativo para envolver o aluno nas atividades (Quanto mais alto o professor falar, mais alto seus alunos falarão.); • Fale apenas quando houver silêncio; • Use comunicação não verbal; • Pontue problemas de forma rápida e sábia, utilizando sempre uma postura positiva e em caso de conflito entre alunos, uma postura neutra; • Estabeleça juntamente com os alunos, regras claras, lembrando-as diariamente, bem como, mantendo exposta em sala de aula; • Demonstre respeito e dê atenção a todos da mesma forma; • Cumpra sempre o que combinar (neste caso use o bom senso no que for combinado pois necessitará ser cumprido); • Estabeleça consequências de regras não cumpridas; • Use o bom senso ao estabelecer regras e consequências.
  • 13. “NINGUÉM CAMINHA SEM APRENDER A CAMINHAR, SEM APRENDER A FAZER O CAMINHO CAMINHANDO, REFAZENDO E RETOCANDO O SONHO PELO QUAL SE PÔS A CAMINHAR” PAULO FREIRE
  • 14. • REFORÇO ESCOLAR • RECUPERAÇÃO PARALELA • CONTRATURNO  REPENSAR  REPLANEJAR  FOCO NAS DIFICULDADES APRESENTADAS  CORRIGIR ROTAS
  • 15. QUALA IMPORTÂNCIA DO REFORÇO ESCOLAR? É IMPORTANTE PLANEJAR ESSE MOMENTO? Para uma criança que faz o uso do reforço escolar, uma das melhores coisas é o acesso a uma outra forma de linguagem, diferenciada e mais facilitada, se comparada à da sala de aula. Daí a importância de planejar esse momento, repensando as atividades, para que as mesmas atendam às necessidades específicas do aluno com dificuldades. Se a linguagem e as atividades devem ser diferenciadas, de nada adiantará refazer atividades que já foram vistas em sala. É preciso variar as estratégias e materiais. Fazer uso de jogos, brincadeiras e atividades lúdicas, faz do reforço um momento de aprendizagem significativa. ÓTIMO TRABALHO A TODOS!