SlideShare uma empresa Scribd logo
Protecção Vegetal
LEAP 2013/14

Sintomatologia vegetal
Docente: Maria José Cunha
Alarindo Salvador 20120160
David Marques 20120130
Marco Santos 20120167
Rui Manuel
O que é sintomatologia
É o estudo/análise dos sintomas que uma planta possa
apresentar aquando de uma doença.
Sintoma – É uma alteração na morfologia ou fisiologia manifestada pela planta.
Sinal – É associado á presença de parasita ou alguns dos seus órgãos.
Sintomas Primários
• São sintomas que resultam, aquando de uma acção directa
do agente patogénico sobre os tecidos do orgão afectado
no hospedeiro.
• Exemplo: Podridões ao nivel do fruto e manchas na folha.
Sintomas secundarios
• São manifestados pela planta em orgãos distantes do local onde o agente
patogenico afectou a planta.
• Exemplos: Murchidão, desenvolvimento precose da planta
Sintomas lesionais
Um dos orgãos da planta ou até mesmo partes
da planta sofrem lesões.
Exemplo: Podridões secas ; Manchas necróticas
Sintomas Habituais
• Alterações na normalidade do crescimento da
planta.
Exemplos: Vasos condutores escurecidos;
Esverdeamento das flores ; Nanismo
Sintomas Histológicos
• Plasmólise - O protoplasma perde água devido a ruturas na membrana
plasmática. Acontence norlmalmente provocado por virus
• Granulose – Há a produção de particulas granulares em células do
citoplasma que degeneraram ( Fungos como a doença da melanose)
• Vacuolose –Há uma formação anormal dos váculos no protoplasma das
células levando á sua degeneração.( Normalmente são provocadas pelas
bactérias)
Sintomas Fisiologicos
• Alteração na transpiração do hospedeiro – Há uma redução ou aumento da
taxa de transpiração da planta. Exemplo: Cultura frágil: Tomateiro ;
Bananeira.
• Interferencia nos processos de sintese – Pode ocorrer a destruição da
superficie da folha por uma acção directa ou indirecta do agente patogénico
Resultam da falta de H.C. ;aminoácidos e sais minerais.
Exemplo: Cultura frágil : Tomateiro
• Utilização directa por parte do agente patogénico de nutrientes – Os
agentes necessistam de H.C. e Proteinas do hospedeiro.
Exemplo: Centeio
• Aumento na respiração do hospedeiro – Há um aumento na taxa de
respiração das células atacadas e sua vizinhança.
Exemplo: Trigo
Sintomas morfológicos
• Sintomas Necróticos

• Sintomas Plásticos
Sintomas Necróticos
São carcterizados pela morte de células, tecidos ou até mesmo,
órgãos de uma planta
 Encharcamento
 Murcha
 Cancro
 Manchas ( leaf spot )
 Podridões moles ou secas
 Podridões radiculares
 Damping - off
 Dieback
Lesão necrótica provocada por Peronosclerospora
sorghi ( fungo)
 Antracnoses
 Crostas
 Declínio
Sintomas Plásticos
São caracterizados por anomalias no crescimento a nivel celular
que leva á destruição dos orgãos da planta.
• Albinismo
• Clorose
• Mosaico
• Bronzeamento
• Enrolamento
• Galha
• Verrugose
Principais sintomas Provocados por
fungos
•
•
•
•
•
•

Manchas nas folhas
Podridões moles e secas
Murchidão
Podridões radiculares
Declíneo
Ferrugem
Doenças provocadas por fungos e agente patogénico responsável :
• Oídio – Unicelular Necator

• Escoriose – Phomopsis Viticola
• Podridão Cinzenta – Botryotina Fuckeliana
• Podridão Amarga – Melanconium fuligineum
• Doença de madeira ou podridão descedente
• Fusariose – Fusarium oxysporum f.sp
Doenças de maior interesse económico
Míldio – Plasmopara viticola
Principais sintomas :
• Na parte superior da folha aparecem manchas amarelas.
• Quando há uma elevada taxa de humidade surge uma esporulação branca na
parte inferior da folha, podendo ser seguida de necrose e queda da folha.
• Nas influrescências afectadas pode haver escurecimento da ráquis e até
mesmo esporulação
Antracnose – Elsinoe ampelina
Principais sintomas :
• Ataque por parte do fungo de todos os órgãos verdes das plantas
• Aparecimento de cancros de cor cinzenta e formato irregular nos ramos
• Aparecimento de bagos com manchas cizentas e negras cujo o nome comum é
"olho-de-passarinho"

Sintoma de antracnose no ramo.

Sintoma de antracnose na folha.

Sintoma de antracnose nas bagas.
Sintomas provocados por Vírus
Existem deformações como por exemplo:
• manchas
• Mosaico na folha
• Necroses que depois vão levar há morte da planta.
 Enrolamento da folha – É uma doença que ocorre nas videiras é causada por um
complexo de 8 vírus.
o Os sintomas principais da doença são : Há uma redução no crescimento da planta
; Há um enrolamento da folha e ás vezes queimadura das nervuras.
 Lenho Rugoso - è uma doença nas videiras que provoca o intumescimento dos
ramos, e diversas deficiencias ao nivel do tronco.

 Tristeza dos citrus – Afecta algumas cultivares de citrinos.
 Os sintomas principais da doença são: Há a seca muita rápida dos galhos a partir
da extremidade ; podridão das raízes ; defeciência nutricional ; morte da planta
Sintomas do virus Sweet Potato
Feathery Mottle Vírus na batata
doce

Planta de soja infectada com virus
da “necrose de haste”

Citrino infectado com o virus da
tristeza (Citrus tristeza virus)
Sintomas provocados por bactérias
Doenças necróticas ou parenquimatoses
• Podridões moles
• Necroses com manchas iniciais
• Blight – Escurecimento rápido que acaba por levar há morte.
Doenças basculares ou murchidão
• Obstrução da corrente de água devido ás bactérias libertando toxinas ou produção
de gomos.
Doença sistémica
• Ataque aos vasos e aos tecidos parenquimatoses
Doenças hipertróficas
• Ataque aos tecidos meristemáticos com Hipercrescimentos e proliferação do
órgão.
Principais doenças com interesse económico
Galhas da coroa - Agrobacterium tumefaciens
Principais Sintomas:
•Aparecimento de galhas junto á parte de inferior do tronco
•Pode aparecer na parte radicular da planta e até na parte aérea (embora não seja
muito comum)
•Os tumores tem têndencia a aumentar de tamanho com os anos.

Sintoma causado pela bactéria das
Galhas na região da enxertia.

Sintoma causado pela bactéria das
Galhas na base da raiz.
Fogo bacteriano - Erwinia amylovora
Principais Sintomas:
•Ramos e gomos apresentam necroses nas folhas de cor castanha a negra
•A folhas parece que foi queimada
•Nos ramos e no tronco há o desenvolvimento de lesões de cor avermelhada ao nível
dos feixes lenhosos
•Pode haver o desenvolvimento de cancros em depressão
•Por vezes é possivel observar a presença de exsudado bacteriano
Principais Hospedeiros: Macieiras; Pereiras ; Marmeleiros ; Nespereiras

Aspecto de ramo infectado
com a doença

Necrose de frutos e folhas
Sintomas nemátodes
• Os sintomas primários são encontrados na parte aérea da
planta:
•
•
•
•

Tamanho desigual ;
Murcha da planta na parte de maior calor do dia
As folhas amarelecem e começãm a cair
Nanismo

• Ao nivel da parte radicular:
•
•

Raízes pouco desenvolvidas ( os nemátodos extraem nutrientes e injectam
toxinas no sitema vascular da planta.)
Deformações nas raizes

Cultura de cana de açucar afectada
Tabela
Sintoma

Hospedeiro

Doença

Agente patogénico

Manchas e folhas secas de
cor castanha e podre
Presença de micélio de
cor branca nos orgãos
verdes das plantas

Videira ; Couve;
batateira;Tomateiro; etc
Videira;Couve ; cereais ;
etc

Míldio

Podridão cinzenta

Plasmopara víticola
Phythophtora infestans
Uncinula necator(forma
perfeita)
Oidium tuckeri (forma
imperfeita)
Botrytis cinerea

Lepra

Taphrina deformans

Manchas acastanhadas no Vinha
limbo (como
queimaduras).
Frutificações desidratadas
Enrolamento da folha e
Pessegueiro
mudança de coloração

Oídio
Sintoma

Hospedeiro

Doença

Agente patogénico

Aberturas ou lesões no
tronco e ramos

Macieira

Cancro macieira

Nectria galligena (forma
perfeita); Cylindrocarpon
malli (forma imperfeita)

Dieback; declínio rápido da
planta ; amerelecimento das
folhas e morte

Citrinos

Tristeza dos citrinos

Citrus tristeza

Pústulas de coloração
amarelo-acastanhadas ao
longo da folha

Várias culturas de cereais
(trigo; cevada;centeio)

Ferrugem dos cereais

Puccinia striiformis; Puccinia
striiformis; Puccinia
recondita, Puccinia hordei

Brotos e ramos com necroses Macieira; Pereira;
de cor castanha que fazem
marmeleiros
lembrar algo queimado

Fogo bacteriano

Erwinia amyl ovora

“pequenas
manchas acastanhadas nas
folhas por vezes circundadas
por halos de cor clara”
em: Plano de Ação Nacional para o

PSA do Kiwi

Pseudomonas syringae pv.
Actinidiae

Controlo da
Pseudomonas syringae pv. actinidiae
do Kiwi
(PSA)
Maio de 2013

Kiwi

PSA do Kiwi – Principal sintoma
Bibliografia
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Uva/UvasViniferasRegioesClimaTemperado/doenca.ht
m
http://softwaresesistemas.com.br/tag/doencas-do-tomateiro/
http://www.slideshare.net/fitolima/aula-4-sintomatologia-parte-a
http://www.bayercropscience.pt/internet/educacional/selc_edu_problemas.asp
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Tomate/TomateIndustrial_2ed/doencas_fungo.htm
http://www.inrb.pt/fotos/editor2/erwinia_amylovora__fogo_bacteriano.pdf

Imagens :
http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_m2416d4cb.jpg
http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_m2a130642.jpg
http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_800d75d.jpg
http://www.albinoschile.cl/wp-content/uploads/2011/01/2.jpg
http://images.encydia.com/thumb/e/e8/Fire_blight_(Erwinia_amylovora)_of_pear.png/300pxFire_blight_(Erwinia_amylovora)_of_pear.png
http://www.agroportal.pt/x/agronoticias/fotos/FogoBacteriano_GR.jpg
OBRIGADO PELA
VOSSA
ATENÇÃO.
_____________________________________
“ SER QUERES SER FELIZ TODA A VIDA,
CUIDA DA TUA PLANTA ”
(Provérbio Chinês)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa
Leandro A. Machado de Moura
 
Grupo 6 fitopatologia
Grupo 6 fitopatologiaGrupo 6 fitopatologia
Grupo 6 fitopatologia
Ivaristo Americo
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FloresSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Turma Olímpica
 
Aula4 epiderme
Aula4 epidermeAula4 epiderme
Aula4 epiderme
Viviane Porto
 
Planta: folha
Planta: folhaPlanta: folha
Planta: folha
00367p
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FolhaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
Turma Olímpica
 
Sistemática vegetal
Sistemática vegetalSistemática vegetal
Sistemática vegetal
emanuel
 
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
Morfologia dos órgãos vegetativos  folhaMorfologia dos órgãos vegetativos  folha
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
ernandes damasceno
 
Fitopatologia
FitopatologiaFitopatologia
Fitopatologia
Jadson Belem de Moura
 
Nematoides de vida livre - Parte 1
Nematoides de vida livre - Parte 1Nematoides de vida livre - Parte 1
Nematoides de vida livre - Parte 1
Giovani de Oliveira Arieira
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Morfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescênciaMorfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescência
Joseanny Pereira
 
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folha
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folhaMorfologia vegetal, semente raiz caule e folha
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folha
Marcos Albuquerque
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Aula flor
Aula florAula flor
Aula flor
Francione Gomes
 
Folhas
FolhasFolhas
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
Marcos Albuquerque
 
Flores
FloresFlores
Flores
Jézili Dias
 
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
Professô Kyoshi
 

Mais procurados (20)

Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa
 
Grupo 6 fitopatologia
Grupo 6 fitopatologiaGrupo 6 fitopatologia
Grupo 6 fitopatologia
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Anatomia vegetal
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FloresSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
 
Aula4 epiderme
Aula4 epidermeAula4 epiderme
Aula4 epiderme
 
Planta: folha
Planta: folhaPlanta: folha
Planta: folha
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FolhaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Folha
 
Sistemática vegetal
Sistemática vegetalSistemática vegetal
Sistemática vegetal
 
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
Morfologia dos órgãos vegetativos  folhaMorfologia dos órgãos vegetativos  folha
Morfologia dos órgãos vegetativos folha
 
Fitopatologia
FitopatologiaFitopatologia
Fitopatologia
 
Nematoides de vida livre - Parte 1
Nematoides de vida livre - Parte 1Nematoides de vida livre - Parte 1
Nematoides de vida livre - Parte 1
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Morfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescênciaMorfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescência
 
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folha
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folhaMorfologia vegetal, semente raiz caule e folha
Morfologia vegetal, semente raiz caule e folha
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Aula flor
Aula florAula flor
Aula flor
 
Folhas
FolhasFolhas
Folhas
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
Flores
FloresFlores
Flores
 
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
2EM #13 Anatomia vegetal (2016)
 

Destaque

Fabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- MimosoideaeFabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- Mimosoideae
air411
 
Agricultura1
Agricultura1Agricultura1
Agricultura1
lidia76
 
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Alarindo Salvador Dos Santos
 
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
Alarindo Salvador Dos Santos
 
Carbohydrate Chemistry
Carbohydrate ChemistryCarbohydrate Chemistry
Carbohydrate Chemistry
Ashok Katta
 
Carbohydrates
CarbohydratesCarbohydrates
Carbohydrates
Dr Syed Ismail Ibrahim
 

Destaque (6)

Fabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- MimosoideaeFabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- Mimosoideae
 
Agricultura1
Agricultura1Agricultura1
Agricultura1
 
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
 
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.
 
Carbohydrate Chemistry
Carbohydrate ChemistryCarbohydrate Chemistry
Carbohydrate Chemistry
 
Carbohydrates
CarbohydratesCarbohydrates
Carbohydrates
 

Semelhante a Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.

Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdfApresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
GilsonRibeiroNachtig
 
Doenças de Batata e Inhame.pdf
Doenças de Batata e Inhame.pdfDoenças de Batata e Inhame.pdf
Doenças de Batata e Inhame.pdf
TesteOo
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
IFMT - Campus Juína
 
Antracnose e Morte Descendente da Mangueira
Antracnose e Morte Descendente da MangueiraAntracnose e Morte Descendente da Mangueira
Antracnose e Morte Descendente da Mangueira
Anderson Santos
 
manejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrialmanejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrial
GETA - UFG
 
Mamoeiro
MamoeiroMamoeiro
Mamoeiro
Jessica Veloso
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
Geagra UFG
 
Doenças fúngicas na melancia
Doenças fúngicas na melancia Doenças fúngicas na melancia
Doenças fúngicas na melancia
Hemilly Rayanne
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
IFMT - Campus Juína
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
IFMT - Campus Juína
 
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
Leandro Bicalho
 
Doenças em lactuca sativa l
Doenças em lactuca sativa lDoenças em lactuca sativa l
Doenças em lactuca sativa l
Leonardo Minaré Braúna
 
Doenças de aliáceas
Doenças de aliáceasDoenças de aliáceas
Doenças de aliáceas
Lidiane Magalhães Madureira
 
Nutrição vegetal
Nutrição vegetalNutrição vegetal
Nutrição vegetal
Wilgner Landemberger
 
Doenças tomateiro
Doenças tomateiroDoenças tomateiro
Doenças tomateiro
Dayenne Herrera
 
Tratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoTratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: Sorgo
Geagra UFG
 
Folder doencas do cafeeiro
Folder doencas do cafeeiroFolder doencas do cafeeiro
Folder doencas do cafeeiro
Diego Carvalho
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
Geagra UFG
 
Doençãs fungicas do milho pdf
Doençãs fungicas do milho pdfDoençãs fungicas do milho pdf
Doençãs fungicas do milho pdf
Evangela Gielow
 
Banana Doenças
Banana DoençasBanana Doenças
Banana Doenças
Cristieli Mendes
 

Semelhante a Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP. (20)

Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdfApresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
Apresentação Morango Doenças - Epagri.pdf
 
Doenças de Batata e Inhame.pdf
Doenças de Batata e Inhame.pdfDoenças de Batata e Inhame.pdf
Doenças de Batata e Inhame.pdf
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
 
Antracnose e Morte Descendente da Mangueira
Antracnose e Morte Descendente da MangueiraAntracnose e Morte Descendente da Mangueira
Antracnose e Morte Descendente da Mangueira
 
manejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrialmanejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrial
 
Mamoeiro
MamoeiroMamoeiro
Mamoeiro
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
 
Doenças fúngicas na melancia
Doenças fúngicas na melancia Doenças fúngicas na melancia
Doenças fúngicas na melancia
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
 
Slide de feijão e soja
Slide de feijão e sojaSlide de feijão e soja
Slide de feijão e soja
 
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
Doençastomateiro 130925211840-phpapp02
 
Doenças em lactuca sativa l
Doenças em lactuca sativa lDoenças em lactuca sativa l
Doenças em lactuca sativa l
 
Doenças de aliáceas
Doenças de aliáceasDoenças de aliáceas
Doenças de aliáceas
 
Nutrição vegetal
Nutrição vegetalNutrição vegetal
Nutrição vegetal
 
Doenças tomateiro
Doenças tomateiroDoenças tomateiro
Doenças tomateiro
 
Tratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoTratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: Sorgo
 
Folder doencas do cafeeiro
Folder doencas do cafeeiroFolder doencas do cafeeiro
Folder doencas do cafeeiro
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
 
Doençãs fungicas do milho pdf
Doençãs fungicas do milho pdfDoençãs fungicas do milho pdf
Doençãs fungicas do milho pdf
 
Banana Doenças
Banana DoençasBanana Doenças
Banana Doenças
 

Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.

  • 1. Protecção Vegetal LEAP 2013/14 Sintomatologia vegetal Docente: Maria José Cunha Alarindo Salvador 20120160 David Marques 20120130 Marco Santos 20120167 Rui Manuel
  • 2. O que é sintomatologia É o estudo/análise dos sintomas que uma planta possa apresentar aquando de uma doença. Sintoma – É uma alteração na morfologia ou fisiologia manifestada pela planta. Sinal – É associado á presença de parasita ou alguns dos seus órgãos.
  • 3. Sintomas Primários • São sintomas que resultam, aquando de uma acção directa do agente patogénico sobre os tecidos do orgão afectado no hospedeiro. • Exemplo: Podridões ao nivel do fruto e manchas na folha.
  • 4. Sintomas secundarios • São manifestados pela planta em orgãos distantes do local onde o agente patogenico afectou a planta. • Exemplos: Murchidão, desenvolvimento precose da planta
  • 5. Sintomas lesionais Um dos orgãos da planta ou até mesmo partes da planta sofrem lesões. Exemplo: Podridões secas ; Manchas necróticas
  • 6. Sintomas Habituais • Alterações na normalidade do crescimento da planta. Exemplos: Vasos condutores escurecidos; Esverdeamento das flores ; Nanismo
  • 7. Sintomas Histológicos • Plasmólise - O protoplasma perde água devido a ruturas na membrana plasmática. Acontence norlmalmente provocado por virus • Granulose – Há a produção de particulas granulares em células do citoplasma que degeneraram ( Fungos como a doença da melanose) • Vacuolose –Há uma formação anormal dos váculos no protoplasma das células levando á sua degeneração.( Normalmente são provocadas pelas bactérias)
  • 8. Sintomas Fisiologicos • Alteração na transpiração do hospedeiro – Há uma redução ou aumento da taxa de transpiração da planta. Exemplo: Cultura frágil: Tomateiro ; Bananeira. • Interferencia nos processos de sintese – Pode ocorrer a destruição da superficie da folha por uma acção directa ou indirecta do agente patogénico Resultam da falta de H.C. ;aminoácidos e sais minerais. Exemplo: Cultura frágil : Tomateiro
  • 9. • Utilização directa por parte do agente patogénico de nutrientes – Os agentes necessistam de H.C. e Proteinas do hospedeiro. Exemplo: Centeio • Aumento na respiração do hospedeiro – Há um aumento na taxa de respiração das células atacadas e sua vizinhança. Exemplo: Trigo
  • 10. Sintomas morfológicos • Sintomas Necróticos • Sintomas Plásticos
  • 11. Sintomas Necróticos São carcterizados pela morte de células, tecidos ou até mesmo, órgãos de uma planta  Encharcamento  Murcha  Cancro  Manchas ( leaf spot )  Podridões moles ou secas  Podridões radiculares  Damping - off  Dieback Lesão necrótica provocada por Peronosclerospora sorghi ( fungo)  Antracnoses  Crostas  Declínio
  • 12. Sintomas Plásticos São caracterizados por anomalias no crescimento a nivel celular que leva á destruição dos orgãos da planta. • Albinismo • Clorose • Mosaico • Bronzeamento • Enrolamento • Galha • Verrugose
  • 13. Principais sintomas Provocados por fungos • • • • • • Manchas nas folhas Podridões moles e secas Murchidão Podridões radiculares Declíneo Ferrugem
  • 14. Doenças provocadas por fungos e agente patogénico responsável : • Oídio – Unicelular Necator • Escoriose – Phomopsis Viticola • Podridão Cinzenta – Botryotina Fuckeliana • Podridão Amarga – Melanconium fuligineum • Doença de madeira ou podridão descedente • Fusariose – Fusarium oxysporum f.sp
  • 15. Doenças de maior interesse económico Míldio – Plasmopara viticola Principais sintomas : • Na parte superior da folha aparecem manchas amarelas. • Quando há uma elevada taxa de humidade surge uma esporulação branca na parte inferior da folha, podendo ser seguida de necrose e queda da folha. • Nas influrescências afectadas pode haver escurecimento da ráquis e até mesmo esporulação
  • 16. Antracnose – Elsinoe ampelina Principais sintomas : • Ataque por parte do fungo de todos os órgãos verdes das plantas • Aparecimento de cancros de cor cinzenta e formato irregular nos ramos • Aparecimento de bagos com manchas cizentas e negras cujo o nome comum é "olho-de-passarinho" Sintoma de antracnose no ramo. Sintoma de antracnose na folha. Sintoma de antracnose nas bagas.
  • 17. Sintomas provocados por Vírus Existem deformações como por exemplo: • manchas • Mosaico na folha • Necroses que depois vão levar há morte da planta.
  • 18.  Enrolamento da folha – É uma doença que ocorre nas videiras é causada por um complexo de 8 vírus. o Os sintomas principais da doença são : Há uma redução no crescimento da planta ; Há um enrolamento da folha e ás vezes queimadura das nervuras.  Lenho Rugoso - è uma doença nas videiras que provoca o intumescimento dos ramos, e diversas deficiencias ao nivel do tronco.  Tristeza dos citrus – Afecta algumas cultivares de citrinos.  Os sintomas principais da doença são: Há a seca muita rápida dos galhos a partir da extremidade ; podridão das raízes ; defeciência nutricional ; morte da planta
  • 19. Sintomas do virus Sweet Potato Feathery Mottle Vírus na batata doce Planta de soja infectada com virus da “necrose de haste” Citrino infectado com o virus da tristeza (Citrus tristeza virus)
  • 20. Sintomas provocados por bactérias Doenças necróticas ou parenquimatoses • Podridões moles • Necroses com manchas iniciais • Blight – Escurecimento rápido que acaba por levar há morte. Doenças basculares ou murchidão • Obstrução da corrente de água devido ás bactérias libertando toxinas ou produção de gomos. Doença sistémica • Ataque aos vasos e aos tecidos parenquimatoses Doenças hipertróficas • Ataque aos tecidos meristemáticos com Hipercrescimentos e proliferação do órgão.
  • 21. Principais doenças com interesse económico Galhas da coroa - Agrobacterium tumefaciens Principais Sintomas: •Aparecimento de galhas junto á parte de inferior do tronco •Pode aparecer na parte radicular da planta e até na parte aérea (embora não seja muito comum) •Os tumores tem têndencia a aumentar de tamanho com os anos. Sintoma causado pela bactéria das Galhas na região da enxertia. Sintoma causado pela bactéria das Galhas na base da raiz.
  • 22. Fogo bacteriano - Erwinia amylovora Principais Sintomas: •Ramos e gomos apresentam necroses nas folhas de cor castanha a negra •A folhas parece que foi queimada •Nos ramos e no tronco há o desenvolvimento de lesões de cor avermelhada ao nível dos feixes lenhosos •Pode haver o desenvolvimento de cancros em depressão •Por vezes é possivel observar a presença de exsudado bacteriano Principais Hospedeiros: Macieiras; Pereiras ; Marmeleiros ; Nespereiras Aspecto de ramo infectado com a doença Necrose de frutos e folhas
  • 23. Sintomas nemátodes • Os sintomas primários são encontrados na parte aérea da planta: • • • • Tamanho desigual ; Murcha da planta na parte de maior calor do dia As folhas amarelecem e começãm a cair Nanismo • Ao nivel da parte radicular: • • Raízes pouco desenvolvidas ( os nemátodos extraem nutrientes e injectam toxinas no sitema vascular da planta.) Deformações nas raizes Cultura de cana de açucar afectada
  • 24. Tabela Sintoma Hospedeiro Doença Agente patogénico Manchas e folhas secas de cor castanha e podre Presença de micélio de cor branca nos orgãos verdes das plantas Videira ; Couve; batateira;Tomateiro; etc Videira;Couve ; cereais ; etc Míldio Podridão cinzenta Plasmopara víticola Phythophtora infestans Uncinula necator(forma perfeita) Oidium tuckeri (forma imperfeita) Botrytis cinerea Lepra Taphrina deformans Manchas acastanhadas no Vinha limbo (como queimaduras). Frutificações desidratadas Enrolamento da folha e Pessegueiro mudança de coloração Oídio
  • 25. Sintoma Hospedeiro Doença Agente patogénico Aberturas ou lesões no tronco e ramos Macieira Cancro macieira Nectria galligena (forma perfeita); Cylindrocarpon malli (forma imperfeita) Dieback; declínio rápido da planta ; amerelecimento das folhas e morte Citrinos Tristeza dos citrinos Citrus tristeza Pústulas de coloração amarelo-acastanhadas ao longo da folha Várias culturas de cereais (trigo; cevada;centeio) Ferrugem dos cereais Puccinia striiformis; Puccinia striiformis; Puccinia recondita, Puccinia hordei Brotos e ramos com necroses Macieira; Pereira; de cor castanha que fazem marmeleiros lembrar algo queimado Fogo bacteriano Erwinia amyl ovora “pequenas manchas acastanhadas nas folhas por vezes circundadas por halos de cor clara” em: Plano de Ação Nacional para o PSA do Kiwi Pseudomonas syringae pv. Actinidiae Controlo da Pseudomonas syringae pv. actinidiae do Kiwi (PSA) Maio de 2013 Kiwi PSA do Kiwi – Principal sintoma
  • 26. Bibliografia http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Uva/UvasViniferasRegioesClimaTemperado/doenca.ht m http://softwaresesistemas.com.br/tag/doencas-do-tomateiro/ http://www.slideshare.net/fitolima/aula-4-sintomatologia-parte-a http://www.bayercropscience.pt/internet/educacional/selc_edu_problemas.asp http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Tomate/TomateIndustrial_2ed/doencas_fungo.htm http://www.inrb.pt/fotos/editor2/erwinia_amylovora__fogo_bacteriano.pdf Imagens : http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_m2416d4cb.jpg http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_m2a130642.jpg http://dc151.4shared.com/doc/UG57JpV3/preview_html_800d75d.jpg http://www.albinoschile.cl/wp-content/uploads/2011/01/2.jpg http://images.encydia.com/thumb/e/e8/Fire_blight_(Erwinia_amylovora)_of_pear.png/300pxFire_blight_(Erwinia_amylovora)_of_pear.png http://www.agroportal.pt/x/agronoticias/fotos/FogoBacteriano_GR.jpg
  • 27. OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO. _____________________________________ “ SER QUERES SER FELIZ TODA A VIDA, CUIDA DA TUA PLANTA ” (Provérbio Chinês)