SlideShare uma empresa Scribd logo
FÉLIX HENRIQUE RODRIGUES OLIVEIRA
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS
2
• Classificações dos inseticidas;
• Inseticida e ingrediente ativo;
• Mecanismo e modo de ação;
• Funcionamento básico do sistema nervoso;
• Organofosforados;
• Piretróides;
• Neonicotinoides;
• Benzoilureias.
SUMÁRIO
3
CLASSIFICAÇÕES DOS INSETICIDAS
4
• Classificação dada pelo IBAMA
CLASSIFICAÇÃO AMBIENTAL
Fonte: Autossustentetável, 2019.
5
CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA
Fonte: Canal Rural, 2019.
6
• O que é a seletividade?
• Qual sua importância?
CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SELETIVIDADE
Fonte: Embrapa, 2018.
7
CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MECANISMO DE AÇÃO
Fonte: IRAC, 2022.
8
CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MECANISMO DE AÇÃO
Fonte: IRAC, 2022.
9
• O que são?
• Inseticida: substância química ou biológica capaz de neutralizar insetos-
praga;
• Ingrediente ativo: substância principal presente em um defensivo.
INSETICIDA E INGREDIENTE ATIVO
10
• Modo de ação: como o produto causa a mortalidade.
– Ingestão;
– Contato;
– Profundidade;
– Sistêmico;
– Fumigação;
– Fisiológico.
• Mecanismo de ação: onde a molécula atua.
– Inibidores de acetilcolinesterase;
– Moduladores de canais de sódio.
MODO DE AÇÃO X MECANISMO DE AÇÃO
11
MODO DE AÇÃO
Fonte: Agropos, adaptado de J. Cooper e H.Dobson, 2007.
12
FUNCIONAMENTO BÁSICO DO SISTEMA NERVOSO
Esquematizado por Félix Henrique, 2022.
13
SINAPSE
Esquematizado por Félix Henrique, 2022.
14
ORGANOFOSFORADOS
GRUPO 1B
INIBIDORES DA ACETILCOLINESTERASE
15
• Contato e ingestão;
• Efeito de choque;
• São mais tóxicos aos vertebrados;
• Uso reduzido.
CARACTERÍSTICAS DOS ORGANOFOSFORADOS
Fonte: IRAC, 2022.
16
• Liberação da acetilcolinesterase (AChE) para degradação da acetilcolina;
• Objetivo de cessar a passagem de informações;
• A molécula de um inseticida OF irá se ligar a AChE, alterando sua
conformação;
• Quebra do processo de degradação da acetilcolina;
• Passagem constante de impulsos elétricos = hiperexcotação e morte.
FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
17
• Acefato;
PERITO 970 SG
Fonte: UPL, acesso em 2022.
Fonte: Chibagro, 2020.
Fonte: Pragas.com, 2020.
18
• Profenofós e Cipermetrina;
POLYTRIN
Fonte: Syngenta, acesso em 2022.
Fonte: Chibagro, 2020.
Fonte: Blogaegro, 2021.
19
PIRETRÓIDES
GRUPO 3A
MODULADORES DOS CANAIS DE SÓDIO
20
• Contato e ingestão;
• Baixa mobilidade no solo;
• Efeito de choque;
• Baixa solubilidade em água.
CARACTERÍSTICAS DOS PIRETRÓIDES
Fonte: IRAC, 2022.
21
• Os impulsos elétricos são conduzidos nos axônios através de um potencial
elétrico positivo gerado pela entrada de Na+ nos canais de sódio;
• Após a passagem do impulso elétrico o Na+ retorna ao meio externo
impossibilitando um novo impulso neste momento;
• O piretróides atuam modulando os canais de sódio, deixando-os abertos;
• Como consequência há a passagem contínua de informação, resultando
em hiperexcitação e morte.
FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
22
• Zeta-cipermetrina;
MUSTANG 350 EC
Fonte: FMC, acesso em 2022.
Fonte: Pragas.com, 2020.
23
• Bifentrina;
TALSTAR 100 EC
Fonte: FMC, acesso em 2022.
Fonte: Chibagro, 2020.
Fonte: Mais soja, 2019.
Fonte: Blogaegro, 2021.
24
NEONICOTINÓIDES
GRUPO 4A
MODULADORES ALOSTÉRICOS DE RECEPTORES NICOTINICOS DA
ACETILCOLINA
25
• Sistêmico;
• Translocam por toda a planta;
• Insetos sugadores;
• Doses mais baixas.
CARACTERÍSTICAS DOS NEONICOTINOIDES
Fonte: IRAC, 2022.
26
• As moléculas dos neonicotinoides atuam como agonistas da acetilcolina;
• Se ligam aos receptores nicotínicos, deixando-os abertos para a entrada de
neurotransmissores;
• Como consequência há passagem contínua de informação, resultando em
hiperexcitação, paralisia e morte.
FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
27
• Tiametoxan;
ACTARA 250 WG
Fonte: Syngenta, acesso em 2022.
Fonte: Chibagro, 2020. Fonte: Blogaegro, 2021.
Fonte: Pragas.com, 2020.
28
• Tiametoxan e lambda-cialotrina;
ENGEO PLENO S
Fonte: Syngenta, acesso em 2022.
Fonte: Pragas.com, 2020.
29
CONSEQUÊNCIA DA AÇÃO DA MOLÉCULA
Fonte: Youtube, Thomaz Tuler,
2020.
30
BENZOILURÉIAS
GRUPO 15
INIBIDORES DA BIOSSINTESE DE QUITINA TIPO 0
31
• Fisiológicos;
• Baixa toxicidade aos mamíferos;
• Baixa solubilidade em água;
• Podem perdurar no ambiente.
• Inibem
CARACTERÍSTICAS DAS BENZOILUREIAS
Fonte: IRAC, 2022.
32
PROCESSO DE ECDISE
Fonte: Basf, acesso em 2022.
33
• Inseticidas que compõe o grupo químico das benzoilureias atuam inibindo a
síntese de quitina tipo 0;
• Quitina tipo 0 é presente nos Lepidopteros, como substância principal da
composição do exoesqueleto;
• Com a ausência desta substância, o processo de muda fica insustentável
ocasionando a morte do inseto.
FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
34
• Novalurom;
GALLAXY 100 EC
Fonte: ADAPAR, acesso em 2022.
Fonte: Revista cultivar, 2018.
Fonte: Agrolink, acesso em 2022.
35
• Indoxacarb e novalurom;
PLETHORA BR
Fonte: ADAPAR, acesso em 2022.
Fonte: Mais soja, 2019.
36
CONSEQUÊNCIA DA AÇÃO DA MOLÉCULA
Fonte: Youtube, Thomaz
Tuler, 2020.
Entre em contato conosco:
geagraufg.wordpress.com
geagracontato@gmail.com
GEAGRA UFG
@geagraufg
UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA!
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS
FELIXHENRIQUE@DISCENTE.UFG.BR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptxMecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
Geagra UFG
 
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
Geagra UFG
 
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
Geagra UFG
 
Manejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da SojaManejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da Soja
Geagra UFG
 
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Geagra UFG
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
Geagra UFG
 
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
Geagra UFG
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhas
Geagra UFG
 
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no MilhoManejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da soja
Geagra UFG
 
Herbicidas
HerbicidasHerbicidas
Herbicidas
Geagra UFG
 
Manejo de plantas daninhas na soja
 Manejo de plantas daninhas na soja Manejo de plantas daninhas na soja
Manejo de plantas daninhas na soja
Geagra UFG
 
Alternativas de controle cultural e biologico
Alternativas de controle cultural e biologicoAlternativas de controle cultural e biologico
Alternativas de controle cultural e biologico
Geagra UFG
 
Aplicação de Herbicidas no Milho
Aplicação de Herbicidas no MilhoAplicação de Herbicidas no Milho
Aplicação de Herbicidas no Milho
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
Geagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJAMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
Geagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
Geagra UFG
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
Geagra UFG
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de fungicidas
Mecanismo de ação de fungicidasMecanismo de ação de fungicidas
Mecanismo de ação de fungicidas
Geagra UFG
 

Mais procurados (20)

Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptxMecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
Mecanismo de Ação dos Fungicidas .pptx
 
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
HERBICIDAS ( Inibidores de Protox, ALS e EPSPS )
 
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
FUNGICIDAS (Trazóis, Estrobirulina e Carboxamidas)
 
Manejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da SojaManejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da Soja
 
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
 
Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
 
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
HERBICIDAS (INIBIDORES DE ACCase, FOTOSSISTEMA I e FOTOSSISTEMA II)
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhas
 
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no MilhoManejo de Lagartas e Percevejos no Milho
Manejo de Lagartas e Percevejos no Milho
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da soja
 
Herbicidas
HerbicidasHerbicidas
Herbicidas
 
Manejo de plantas daninhas na soja
 Manejo de plantas daninhas na soja Manejo de plantas daninhas na soja
Manejo de plantas daninhas na soja
 
Alternativas de controle cultural e biologico
Alternativas de controle cultural e biologicoAlternativas de controle cultural e biologico
Alternativas de controle cultural e biologico
 
Aplicação de Herbicidas no Milho
Aplicação de Herbicidas no MilhoAplicação de Herbicidas no Milho
Aplicação de Herbicidas no Milho
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJAMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA SOJA
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
 
Mecanismo de ação de fungicidas
Mecanismo de ação de fungicidasMecanismo de ação de fungicidas
Mecanismo de ação de fungicidas
 

Mais de Geagra UFG

Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Geagra UFG
 
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Geagra UFG
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptxMecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Geagra UFG
 
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
Geagra UFG
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
Geagra UFG
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
Geagra UFG
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
Geagra UFG
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
Geagra UFG
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Geagra UFG
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
Geagra UFG
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
Geagra UFG
 
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
Geagra UFG
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
Geagra UFG
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
Geagra UFG
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
Geagra UFG
 

Mais de Geagra UFG (20)

Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
 
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptxMecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
 
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
 

Último

Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
tyciavilela
 
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdfApostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Ademir36
 
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
viictorrkk
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
DeboraGomes73
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Marco Zero Conteúdo
 
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Marco Zero Conteúdo
 

Último (6)

Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
 
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdfApostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
 
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
 
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
 

MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx

  • 1. FÉLIX HENRIQUE RODRIGUES OLIVEIRA MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS
  • 2. 2 • Classificações dos inseticidas; • Inseticida e ingrediente ativo; • Mecanismo e modo de ação; • Funcionamento básico do sistema nervoso; • Organofosforados; • Piretróides; • Neonicotinoides; • Benzoilureias. SUMÁRIO
  • 4. 4 • Classificação dada pelo IBAMA CLASSIFICAÇÃO AMBIENTAL Fonte: Autossustentetável, 2019.
  • 6. 6 • O que é a seletividade? • Qual sua importância? CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SELETIVIDADE Fonte: Embrapa, 2018.
  • 7. 7 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MECANISMO DE AÇÃO Fonte: IRAC, 2022.
  • 8. 8 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MECANISMO DE AÇÃO Fonte: IRAC, 2022.
  • 9. 9 • O que são? • Inseticida: substância química ou biológica capaz de neutralizar insetos- praga; • Ingrediente ativo: substância principal presente em um defensivo. INSETICIDA E INGREDIENTE ATIVO
  • 10. 10 • Modo de ação: como o produto causa a mortalidade. – Ingestão; – Contato; – Profundidade; – Sistêmico; – Fumigação; – Fisiológico. • Mecanismo de ação: onde a molécula atua. – Inibidores de acetilcolinesterase; – Moduladores de canais de sódio. MODO DE AÇÃO X MECANISMO DE AÇÃO
  • 11. 11 MODO DE AÇÃO Fonte: Agropos, adaptado de J. Cooper e H.Dobson, 2007.
  • 12. 12 FUNCIONAMENTO BÁSICO DO SISTEMA NERVOSO Esquematizado por Félix Henrique, 2022.
  • 15. 15 • Contato e ingestão; • Efeito de choque; • São mais tóxicos aos vertebrados; • Uso reduzido. CARACTERÍSTICAS DOS ORGANOFOSFORADOS Fonte: IRAC, 2022.
  • 16. 16 • Liberação da acetilcolinesterase (AChE) para degradação da acetilcolina; • Objetivo de cessar a passagem de informações; • A molécula de um inseticida OF irá se ligar a AChE, alterando sua conformação; • Quebra do processo de degradação da acetilcolina; • Passagem constante de impulsos elétricos = hiperexcotação e morte. FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
  • 17. 17 • Acefato; PERITO 970 SG Fonte: UPL, acesso em 2022. Fonte: Chibagro, 2020. Fonte: Pragas.com, 2020.
  • 18. 18 • Profenofós e Cipermetrina; POLYTRIN Fonte: Syngenta, acesso em 2022. Fonte: Chibagro, 2020. Fonte: Blogaegro, 2021.
  • 20. 20 • Contato e ingestão; • Baixa mobilidade no solo; • Efeito de choque; • Baixa solubilidade em água. CARACTERÍSTICAS DOS PIRETRÓIDES Fonte: IRAC, 2022.
  • 21. 21 • Os impulsos elétricos são conduzidos nos axônios através de um potencial elétrico positivo gerado pela entrada de Na+ nos canais de sódio; • Após a passagem do impulso elétrico o Na+ retorna ao meio externo impossibilitando um novo impulso neste momento; • O piretróides atuam modulando os canais de sódio, deixando-os abertos; • Como consequência há a passagem contínua de informação, resultando em hiperexcitação e morte. FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
  • 22. 22 • Zeta-cipermetrina; MUSTANG 350 EC Fonte: FMC, acesso em 2022. Fonte: Pragas.com, 2020.
  • 23. 23 • Bifentrina; TALSTAR 100 EC Fonte: FMC, acesso em 2022. Fonte: Chibagro, 2020. Fonte: Mais soja, 2019. Fonte: Blogaegro, 2021.
  • 24. 24 NEONICOTINÓIDES GRUPO 4A MODULADORES ALOSTÉRICOS DE RECEPTORES NICOTINICOS DA ACETILCOLINA
  • 25. 25 • Sistêmico; • Translocam por toda a planta; • Insetos sugadores; • Doses mais baixas. CARACTERÍSTICAS DOS NEONICOTINOIDES Fonte: IRAC, 2022.
  • 26. 26 • As moléculas dos neonicotinoides atuam como agonistas da acetilcolina; • Se ligam aos receptores nicotínicos, deixando-os abertos para a entrada de neurotransmissores; • Como consequência há passagem contínua de informação, resultando em hiperexcitação, paralisia e morte. FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
  • 27. 27 • Tiametoxan; ACTARA 250 WG Fonte: Syngenta, acesso em 2022. Fonte: Chibagro, 2020. Fonte: Blogaegro, 2021. Fonte: Pragas.com, 2020.
  • 28. 28 • Tiametoxan e lambda-cialotrina; ENGEO PLENO S Fonte: Syngenta, acesso em 2022. Fonte: Pragas.com, 2020.
  • 29. 29 CONSEQUÊNCIA DA AÇÃO DA MOLÉCULA Fonte: Youtube, Thomaz Tuler, 2020.
  • 30. 30 BENZOILURÉIAS GRUPO 15 INIBIDORES DA BIOSSINTESE DE QUITINA TIPO 0
  • 31. 31 • Fisiológicos; • Baixa toxicidade aos mamíferos; • Baixa solubilidade em água; • Podem perdurar no ambiente. • Inibem CARACTERÍSTICAS DAS BENZOILUREIAS Fonte: IRAC, 2022.
  • 32. 32 PROCESSO DE ECDISE Fonte: Basf, acesso em 2022.
  • 33. 33 • Inseticidas que compõe o grupo químico das benzoilureias atuam inibindo a síntese de quitina tipo 0; • Quitina tipo 0 é presente nos Lepidopteros, como substância principal da composição do exoesqueleto; • Com a ausência desta substância, o processo de muda fica insustentável ocasionando a morte do inseto. FUNCIONAMENTO DA MOLÉCULA
  • 34. 34 • Novalurom; GALLAXY 100 EC Fonte: ADAPAR, acesso em 2022. Fonte: Revista cultivar, 2018. Fonte: Agrolink, acesso em 2022.
  • 35. 35 • Indoxacarb e novalurom; PLETHORA BR Fonte: ADAPAR, acesso em 2022. Fonte: Mais soja, 2019.
  • 36. 36 CONSEQUÊNCIA DA AÇÃO DA MOLÉCULA Fonte: Youtube, Thomaz Tuler, 2020.
  • 37. Entre em contato conosco: geagraufg.wordpress.com geagracontato@gmail.com GEAGRA UFG @geagraufg UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA! MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS FELIXHENRIQUE@DISCENTE.UFG.BR