SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
Apostila 7 – Módulo 22 CONTINENTE ASIÁTICO ASPECTOS NATURAIS E GEOPOLÍTICOS    Prof.º Luiz Fernando Wisniewski [email_address]
JAPÃO – POTÊNCIA ECONÔMICA Com 377.835 Km 2  é formada por um arquipélago de 3.000 ilhas, porém 95% do território emerso é ocupado  por 4 principais ilhas.
JAPÃO – CLIMA Localizada no clima temperado, apresenta as quatro estações do ano bem definidas. Em  Hokkaido  devido a influência da massa de ar fria Oya Shivo, ocorre frequentes nevascas. Na ilha de  Honshu   o clima é temperado oceânico, com altos índices pluviométricos. Em  Shikoku  e  Kyushu , ao sul o clima é subtropical com verões que atingem 30º.
JAPÃO – CLIMA
JAPÃO – VEGETAÇÃO As florestas temperadas ocupam 57% do Japão, ao norte temos a  taiga  ou coníferas, com grande importância para a industria naval. A dinâmica das estações está inserida no aspecto cultural do país, que festeja a chegada da primavera, marcada pelo florescimento das cerejeiras e ameixeiras.
JAPÃO – RELEVO Formado principalmente por rochas vulcânicas recentes, que ocupa 76% de todo o território. Os 24% restantes são formados pelas planícies litorâneas, aonde temos uma elevada densidade demográfica. O Monte Fuji, com 3.776 m, localizado na ilha de Honshu é o ponto mais alto do país.
JAPÃO – HIDROGRAFIA Acompanhando o relevo os rios do Japão são de pequenas extensão e numerosos lagos de formação vulcânica. São aproveitados para a agricultura e na produção de energia. Hidrelétrica Kurobe
JAPÃO – POPULAÇÃO Devido ao relevo acidentado do país observou-se um superpovoamento nas regiões de planície, dando um destaque para Tóquio, com uma densidade demográfica de 335 hab/km 2 . Com aproximadamente 127 milhões de habitantes apresenta-se de forma homogênea com baixo número de imigrantes. Expectativa de vida alta para sua população, em média 81 anos, a maior do mundo e sua taxa de alfabetização chega a 99%.
JAPÃO – POPULAÇÃO
JAPÃO – ECONOMIA Superando as barreiras físicas impostas pela natureza e pelos processos históricos o Japão chegou a alcançar a segunda maior economia, perdendo seu lugar para a China em 2010. Seu desenvolvimento passou por dois momentos fundamentais: ERA MEIJI PÓS SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
JAPÃO – ECONOMIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
JAPÃO – ECONOMIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
JAPÃO – ECONOMIA A  Genbaku Dome  ou a Cúpula da Bomba Atômica, símbolo de esperança e paz mundial ,foi a única construção na região do epicentro a permanecer em pé quando há 65 anos atrás o avião americano "Enola Gay" sobrevoou Hishoshima (Japão), lançou o "Little Boy" sobre a cidade e um clarão (cogumelo atômico) se ergueu gerando um calor de 5,5 milhões de graus centígrados vaporizadas milhões de pessoas. Quem sobreviveu carrega além dos ferimentos os efeitos da radiação.
JAPÃO – ECONOMIA A industria se desenvolveu principalmente na indústria naval, siderúrgica, automobilística e na produção de eletrônicos. A maior parte da matéria-prima são importadas, pois os recursos naturais japoneses é inferior a 10% das suas necessidades. O elevado aperfeiçoamento da tecnologia de ponta foi o que transformou o país na atual potência industrial exportando seus produtos para todo o planeta.
JAPÃO – ECONOMIA O QUE SÃO OS ZAIBATSUS ? O crescimento econômico do Japão na Era Meiji e após a Segunda Guerra Mundial, juntamente com a  enorme concentração econômica e de renda da população japonesa fez com que os capitais reuniram-se em torno de alguns conglomerados nipônicos, conhecidos como zaibatsus. Entre eles estão: Honda, Toyota, Mazda, Mitsubishi, Suzuki, Subaru e Daihatsu.
JAPÃO – ECONOMIA A distribuição interna dos produtos é feita por uma eficiente rede de transportes: Ferrovias ligando as quatro ilhas, túneis, estradas entre outros.
JAPÃO – ECONOMIA Devido a pequena área disponível, a agricultura no Japão é limitada, destacando-se a rizicultura e a horticultura, que se desenvolvem em pequenas propriedades e modernas técnicas e insumo, A produção interna não é suficiente para o consumo da população, que depende de importações.
JAPÃO – ECONOMIA
CHINA A China em 1949 adotou o sistema comunista, assim surgindo a  República Popular da China , sob a liderança de Mao Tsé-Tung enquanto o grupo contrário liderado por Chang Kaichek refugiava-se na ilha de Formosa atual Taiwan. Em Taiwan estabeleceu-se a República da China Nacionalista, porém a China a conheceu apenas como uma “ província rebelde”. Foram feitas propostas sem sucesso de integração do capitalismo das “ Duas Chinas”, porém intensificou-se a resistência e a tensão geopolítica entre as duas.
CHINA – ECONOMIA No início do século XX a China era uma das nações mais pobres do mundo, sua população se concentrava nos vales do Rio Azul e Amarelo utilizando do solo de loess para a agricultura, tendo 90% da população vivendo nesta região. Com o aumento da produção agrícola aumentou também o contingente populacional, e posteriormente a organização do Estado. No final de 1950, o governo chinês investiu na industria pesada. Em 1960 a China rompeu com a União Soviética e, em 1966, desencadeou a Revolução Cultural que durou até 1976 caracterizado pelo isolamento internacional e a imposição dos pensamentos de Mao Tsé-Tung. Livro Vermelho de Mao Tsé-Tung
CHINA – ECONOMIA Com a morte de Mao Tsé-Tung 1976, Deng Xiao Ping assumiu o poder e determinou uma nova revolução marcada pela abertura econômica da China em 1978. Apesar da continuação do sistema socialista o capital estrangeiro entra nas Zonas Econômicas Especiais, implementando sistema direcionados a exportação. Além dos incentivos do governo, a mão de obra e a disciplina tornou-se o principal atrativo de empresas estrangeiras. Porém estas reformas ampliaram as desigualdades sociais entre o campo e a cidade. Diversos países procuram fazer parcerias com a China, inclusive a empresa brasileira Embraer instalada no país.
CHINA – ECONOMIA Devemos lembrar que o modo capitalista, aberto ao mercado, organiza a economia chinesa, enquanto a política é controlada pelo governo totalitário próprio do regime comunista reprimindo manifestações e greves, fator atrativo para grandes grupos comerciais. Desta forma dizemos que : A CHINA POSSUÍ UM SISTEMA ECONOMICO CHAMADO DE  “  SOCIALISMO DE MERCADO”.
CHINA – ECONOMIA A China é o maior produtor de minério de ferro, com 220 milhões de toneladas ano. E está entre os grandes na produção de bauxita, da qual se extraí o alumínio.  Com o desenvolvimento acelerado da economia chinesa, a dependência do petróleo importado e a falta de mão se obra qualificada tornam-se os principais desafios do crescimento deste país.
HIDROGRAFIA A Usina das Três Gargantas como é conhecida, encontra-se no rio Yang-Tsé Kiang, conhecido como Rio Azul, é a maior usina em capacidade instalada no mundo, cuja obra foi concluída em 2006.  A construção da barragem trouxe como impacto ambiental um lago com 600 KM de extensão, e inundou terras férteis levando o governo chinês a deslocar mais de 1,3 milhão de pessoas para outra áreas. O governo Chinês pretende produzir mais energia elétrica, pois a demanda industrial do país é enorme.
ÍNDIA Antiga colônia britânica, a Índia integra o conjunto de novos países industrializados e uma das potências nucleares dos países do sul, porém a agricultura consiste o setor de maior importância na economia nacional.
ÍNDIA – POPULAÇÃO E CONÔMIA Encontramos na Índia um elevado número de população absoluta, a segunda no mundo, diversidade de língua e dialetos em todo o território, sem falar em seu sistema de castas. O hinduísmo é a principal religião praticada por 80% da população, um elemento muito forte na cultura nacional.
ÍNDIA – POPULAÇÃO E ECONÔMIA Pertence ao grupo de países subdesenvolvidos industrializados, substituindo a exportação pela produção voltada ao mercado interno. Com a construção de hidrelétricas, redes de transporte e industria de base a Índia incentiva a instalação de multinacionais. A industrialização indiana foi impulsionada no período da Guerra Fria pela União Soviética. Na agricultura, atividade que concentra mais da metade da população, cultivando algodão, arroz, trigo, tubérculos e chá. Durante os anos 90 houve um crescimento econômico mudando o padrão de consumo de parte da população, acentuando os problemas de desigualdade social.
TIGRES ASIÁTICOS Na década de 1970, quatro países da Ásia (Cingapura, Hong Kong, Coréia do Sul e Taiwan) apresentaram um acelerado processo de industrialização e exportações. Em razão da agressividade administrativa e da localização dos países, eles ficaram conhecidos mundialmente como Tigres Asiáticos.  O modelo industrial desses países é caracterizado como IOE (Industrialização Orientada para a Exportação), ou seja, as indústrias transnacionais que se estabeleceram nesses países e as empresas locais implantaram um parque industrial destinado principalmente para o mercado exterior. Eles utilizaram estratégia arrojada de atração de capital estrangeiro - apoiada na mão de obra barata e disciplinada, na isenção de impostos e nos baixos custos de instalação de empresas.  Hoje com a junção de empresas multinacionais e locais, houve transferência tecnológica e a autonomia industrial destes países.
TIGRES ASIÁTICOS O IDH dos países que compõe os Tigres Asiáticos é alto, isso indica que eles podem ser classificados como países desenvolvidos, pois atendem a necessidade de educação, saúde e renda de suas populações.  Fontes: PNUD, 2007 * Dados baseado no relatório do governo da República da China (2005) TIGRES ASIÁTICOS - IDH Cingapura 0,922 Coréia do Sul 0,921 Hong Kong 0,937 Taiwan 0,932*
TIGRES ASIÁTICOS Hong Kong Cingapura Coréia do Sul Taiwan
NOVOS TIGRES ASIÁTICOS O desenvolvimento industrial vendo sendo meta de países como a Indonésia, Vietnã, Filipinas, Tailândia e Malásia. Com investimentos externos associados a facilidades e incentivos governamentais estes países pretendem desenvolver a indústria de equipamentos, telecomunicações, eletrônicos de última geração, produção de máquinas, fertilizantes e petroquímicas. Os resultados já são visíveis, levando em conta o acentuado crescimento das exportações e do PIB. Malásia  Filipinas
RELIGIÃO A Ásia é o berço das três  principais religiões monoteísta:  O Cristianismo, Islamismo e Judaísmo. Também religiões como o confucionismo, xintoísmo, taoísmo, budismo e hinduísmo. Dentre o território asiático aconteceram diversos conflitos regionais, na maior parte, encontramos uma relação com as religiões. E somando religião, interesses políticos e econômicos, temos o principal pretexto para a violência e movimentos separatistas.
JUDAÍSMO O judaísmo possui fortes características étnicas, nas quais nação e religião se mesclam. Encontra-se em sua maioria no estado de Israel. Tem como crença principal a existência de apenas um Deus e a religião é fundamentada na  TORÁ , que reúne os cinco primeiros livros da Bíblia, e do talmude, que completa as regras da tradição judaica.  O judaísmo ortodoxo observa o sábado bíblico como dia especial dedicado apenas às ações estritamente religiosas, celebra as festas tradicionais e mantém restrições a determinados alimentos.
ISLAMISMO Apresenta uma forma de sincretismo entre o judaísmo e o cristianismo, tendo o principal ponto em comum o reconhecimento do patriarca Abraão como a raiz do islã. Os seguidores do islamismo devem pronunciar a Shahada ou testemunhar que não existe outro Deus além de Alá e que Maomé é seu profeta. Com o rosto voltado para Meca, cidade de nascimento de Maomé, os fiéis oram 5 vezes durante o dia. Durante o mês do Ramadã, os muçulmanos praticam o jejum e abstinência sexual durante o dia , e completando as normas é necessário que no mínimo umas vez na vida os fiéis façam uma viagem de peregrinação a Meca.
ISLAMISMO Com a morte do profeta, em 632 d.C., as divergências relativas ao seu substituto dividiram a comunidade islâmica em: SUNITAS:  Defendiam a sucessão do líder Maomé por qualquer indivíduo que apresentasse obediência e comprometimento com a religião. XIITAS:  Defendiam a liderança hereditária, somente os descendentes do profeta teriam o direito de ocupar o seu lugar. Trata-se da comemoração, por parte dos muçulmanos xiitas, do martírio e morte de Hussein, neto de Maomé.   Sunitas
ISLAMISMO Alcorão  ou  Corão  ("a recitação") é o livro sagrado do islamismo. Os muçulmanos crêem que o Alcorão é a palavra literal de Deus (Alá) revelada ao profeta Maomé ( Muhammad ) ao longo de um período de vinte e três anos. A palavra Alcorão deriva do verbo árabe que significa declamar ou recitar.
HINDUÍSMO É um conjunto de crenças que tiveram sua origem na Índia por meio dos povos antigos que ocuparam a região do vale dos rios Indo e Ganges, há aproximadamente 3.500 anos. Possuem centenas de deuses e deusas sendo desta forma uma religião politeísta. No Rio Ganges, os hindus realizam rituais de purificação, banhando-se ou até mesmo ingerindo as águas poluídas e contaminadas por esgoto e cadáveres lançado as águas acreditando que a felicidade eterna foi garantida para a alma que partiu.
HINDUÍSMO – SISTEMA DE CASTAS A sociedade hindu é dividia em castas, que classifica o indivíduo de acordo com a sua situação de nascimento, hereditariedade e atividade profissional. BRÂMANES Nobres e Sacerdotes VAIXIAS Camponeses e  Comerciantes XÁTRIAS Guerreiros SUDRAS  Escravos PÁRIAS População condenada a viver na miséria
HINDUÍSMO Mahatma Gandhi (1869-1948) foi um dos grandes mestres do hinduísmo, sem uso da violência ele lutou contra a dominação britânica na Índia, presenciando a independência de seu país em 1947. Suas principais armas eram as greves, boicotes a produtos ingleses, fato conhecido como “ desobediência civil”.
BUDISMO O amor atua como única forma de banir o ódio e deve ser direcionado a todos, mesmo aos inimigos. Os seguidores buscam, por meio da meditação, atingir o estado máximo de paz de espírito e amor, denominado de Nirvana, única maneira de romper a corrente da reencarnação. Segundo a qual o ser humano está sujeito a reencarnar várias vezes e enfrentar os sofrimentos proporcional a suas ações. As comunidades budistas, uma vez oprimidas, não utilizam recursos relacionados a violência para defender-se. Sua reação pacífica caracteriza o fortalecimento da dominação por nações inimigas.
BUDISMO O  Dalai Lama  é o título de uma linhagem de líderes religiosos da escola Gelug do budismo tibetano, tratando-se de um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano. O Dalai Lama é também o líder oficial do governo tibetano em exílio, ou Administração Central Tibetana. "Lama" é um termo geral que se refere aos professores budistas tibetanos.
[object Object],[object Object],[object Object],CONFLITO ARÁBES x ISRAELENSES
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CONFLITO ARÁBES x ISRAELENSES
[object Object],[object Object],[object Object],CONFLITO ARÁBES x ISRAELENSES
PLANO DE PARTILHA DA ONU
ARÁBES x ISRAELENSES Mapa mostrando a evolução do Estado de Israel e domínio judeu sobre os árabes muçulmanos.
CONFLITOS ARÁBES x ISRAELENSES
JERUSALÉM Jerusalém é a Cidade Santa ou seja sagrada para  o judaísmo, cristianismo e o islamismo, sendo objeto de disputa a séculos.  Peregrinos vêm a ela todos os anos, a fim de se aproximar mais dos fundamentos de sua fé.  Para os judeus, toda a cidade é Santa, especialmente a Muralha Ocidental (mais conhecida como Muro das Lamentações), que é tudo o restou do Grande Templo destruído pelos romanos.  Os muçulmanos vêm até a Cúpula da Rocha (ou Mesquita de Omar), um santuário que é o terceiro local mais sagrado para a fé islâmica.  Cristãos fazem peregrinações ao ponto onde Jesus foi crucificado e morto, e a Via Dolorosa, caminho que Jesus percorreu, carregando sua cruz.  Após a partilha da Palestina pela ONU, 1947, tornou-se uma zona internacional .
GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE Kuwait, no Golfo Pérsico, representava a terceira maior reserva de petróleo do mundo, e junto com a Grã-Bretanha, resistiu a diversas tentativas de ocupação no século XX. Em 1979 o Iraque de Saddam Hussein, se armou com equipamentos modernos adquiridos da ex-URRS, EUA, Brasil entre outros e procurou invadir e dominar a região. A invasão de agosto de 1990 despertou a formação de uma aliança militar formada pelos EUA, França e Inglaterra.  O confronto foi relativamente curto, entre 17 de janeiro e 27 de fevereiro, Saddam Hussein foi derrotado, porém permaneceu no poder.
GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE As Guerra do Golfo teve como consequencias o saque de riquezas do Kuwait, campos de petróleo incendiados e minados pelo exército iraquiano, e a destruição da infraestrutura iraquiana. Diante da derrota, os xiitas ao sul e os curdos ao norte, em oposição ao governo iraquiano, revoltaram-se. Saddam enfrentou a guerra civil com violência, mantendo-se no poder.
GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE Após os ataques terroristas em 11 de setembro de 2001, o Iraque foi acusado de apoiar o terrorismo e de produzir armas de destruição em massa. Estes argumentos somados ao potencial de produção de petróleo iraquiano, fez com que, sob a lideranças dos EUA, Saddam Hussein foi preso, julgado e morto.   O Iraque passa por uma transição política visando à construção de uma futura democracia.
A CAXEMIRA Entre 1763 e 1858 os ingleses conquistaram a Índia. A emancipação ocorreu em 1947 sendo o país dividido em duas partes, a República do Paquistão (Mulçumana) e a República da Índia (Hinduísta). Em 1970 a porão oriental, pertencente ao Paquistão, após intensos conflitos, declarou-se independente, formando Bangladesh.
BONS ESTUDOS !!! “ NÃO PODEMOS PERMITIR QUE DIFERENÇAS DE OPINIÃO CRIE DESUNIÃO. TOMAI O CAMINHO MEDIANO, EVITAI OS EXTREMOS.” (Ellen G. White)
Professor Luiz Fernando Wisniewski - Geografia Blog do Professor: http://www.educacaoadventista.org.br/blog/lfwgeografia/ E-Mail: [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Africa aspectos fisicos
Africa aspectos fisicosAfrica aspectos fisicos
Africa aspectos fisicosProfessor
 
Ásia Aspectos físicos.
Ásia Aspectos físicos.Ásia Aspectos físicos.
Ásia Aspectos físicos.Camila Brito
 
Continente Asiático
Continente AsiáticoContinente Asiático
Continente AsiáticoCel Rufino
 
Cap. 8 - A população americana
Cap. 8 - A população americanaCap. 8 - A população americana
Cap. 8 - A população americanaAcácio Netto
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisProfessor
 
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisÁsia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisBruno Araújo Oliveira
 
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociaisCaps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociaisprofacacio
 
A nova china
A nova chinaA nova china
A nova chinaProfessor
 
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economiaAula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economiaMichele Wilbert
 

Mais procurados (20)

Europa LocalizaçãO
Europa   LocalizaçãOEuropa   LocalizaçãO
Europa LocalizaçãO
 
Africa aspectos fisicos
Africa aspectos fisicosAfrica aspectos fisicos
Africa aspectos fisicos
 
Ásia Aspectos físicos.
Ásia Aspectos físicos.Ásia Aspectos físicos.
Ásia Aspectos físicos.
 
Continente Asiático
Continente AsiáticoContinente Asiático
Continente Asiático
 
Cap. 8 - A população americana
Cap. 8 - A população americanaCap. 8 - A população americana
Cap. 8 - A população americana
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
 
A população européia
A população européiaA população européia
A população européia
 
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisÁsia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
África
ÁfricaÁfrica
África
 
Modulo 04 - A economìa africana
Modulo 04 - A economìa africanaModulo 04 - A economìa africana
Modulo 04 - A economìa africana
 
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociaisCaps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
Caps. 7 e 8 - ÁFrica: aspectos naturais, econômicos e sociais
 
Modulo 05 - Aspectos naturais da Ásia
Modulo 05 - Aspectos naturais da ÁsiaModulo 05 - Aspectos naturais da Ásia
Modulo 05 - Aspectos naturais da Ásia
 
China
ChinaChina
China
 
A nova china
A nova chinaA nova china
A nova china
 
8º ano trimestral
8º ano trimestral8º ano trimestral
8º ano trimestral
 
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economiaAula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
 
URSS E A CEI
URSS E A CEIURSS E A CEI
URSS E A CEI
 
Geografia do japão
Geografia do japãoGeografia do japão
Geografia do japão
 

Semelhante a Japão Aspectos Naturais

Aconsolidaodo japo[1]
Aconsolidaodo japo[1]Aconsolidaodo japo[1]
Aconsolidaodo japo[1]borgesnuria
 
Apostila geografia china
Apostila geografia chinaApostila geografia china
Apostila geografia chinaFernando Colih
 
AconsolidaodoJapo.pdf
AconsolidaodoJapo.pdfAconsolidaodoJapo.pdf
AconsolidaodoJapo.pdfOtilio Jose
 
Japão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJapão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJefferson Cunha
 
Extremo Oriente Economia
Extremo Oriente EconomiaExtremo Oriente Economia
Extremo Oriente EconomiaPaticx
 
Aula sobre japão e tigres asiáticos
Aula sobre japão e tigres asiáticosAula sobre japão e tigres asiáticos
Aula sobre japão e tigres asiáticoslandipaula
 
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoChina – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoRONALDO N CICILIATO Ciciliato
 
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoChina – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoRONALDO N CICILIATO Ciciliato
 
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produçãoProf Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produçãoDeto - Geografia
 

Semelhante a Japão Aspectos Naturais (20)

Tigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e JapãoTigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e Japão
 
Aconsolidaodo japo[1]
Aconsolidaodo japo[1]Aconsolidaodo japo[1]
Aconsolidaodo japo[1]
 
Aula 17 china
Aula 17   chinaAula 17   china
Aula 17 china
 
Apostila geografia china
Apostila geografia chinaApostila geografia china
Apostila geografia china
 
AconsolidaodoJapo.pdf
AconsolidaodoJapo.pdfAconsolidaodoJapo.pdf
AconsolidaodoJapo.pdf
 
Aula 15 japão
Aula 15   japãoAula 15   japão
Aula 15 japão
 
Japão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJapão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticos
 
China
ChinaChina
China
 
Insdustrialização do japão
Insdustrialização do japãoInsdustrialização do japão
Insdustrialização do japão
 
Extremo Oriente Economia
Extremo Oriente EconomiaExtremo Oriente Economia
Extremo Oriente Economia
 
Aula sobre japão e tigres asiáticos
Aula sobre japão e tigres asiáticosAula sobre japão e tigres asiáticos
Aula sobre japão e tigres asiáticos
 
áSia pacifico
áSia   pacificoáSia   pacifico
áSia pacifico
 
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoChina – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
 
Histórico da china
Histórico da chinaHistórico da china
Histórico da china
 
Geo46
Geo46Geo46
Geo46
 
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliatoChina – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
China – potência econômica, geopolítica e relações 2014 prof ciciliato
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produçãoProf Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
Prof Demétrio Melo - Geografia Regional: China - espaço e produção
 
Modulo 09 - A nova China
Modulo 09 - A nova ChinaModulo 09 - A nova China
Modulo 09 - A nova China
 

Mais de André Luiz Marques

A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaA Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaAndré Luiz Marques
 
A geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioA geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioAndré Luiz Marques
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroAndré Luiz Marques
 
Minerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeMinerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeAndré Luiz Marques
 
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasA precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasAndré Luiz Marques
 
Jesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minJesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minAndré Luiz Marques
 
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasCriacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasAndré Luiz Marques
 
Minerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeMinerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeAndré Luiz Marques
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço André Luiz Marques
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)André Luiz Marques
 
Universo Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minUniverso Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minAndré Luiz Marques
 
Concurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalConcurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalAndré Luiz Marques
 

Mais de André Luiz Marques (20)

A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaA Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
 
Impacto profundo 30_minutos
Impacto profundo 30_minutosImpacto profundo 30_minutos
Impacto profundo 30_minutos
 
A geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioA geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-Dilúvio
 
Pela graca sois salvos
Pela graca sois salvosPela graca sois salvos
Pela graca sois salvos
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
 
Minerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeMinerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - Especialidade
 
A Geografia pré e pós-Diluvio
A Geografia pré e pós-DiluvioA Geografia pré e pós-Diluvio
A Geografia pré e pós-Diluvio
 
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasA precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
 
Jesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minJesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35min
 
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasCriacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
 
Minerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeMinerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidade
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
 
Universo Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minUniverso Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20min
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Concurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalConcurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacional
 
Qual o Tamanho de Deus?
Qual o Tamanho de Deus?Qual o Tamanho de Deus?
Qual o Tamanho de Deus?
 
Impacto Profundo
Impacto ProfundoImpacto Profundo
Impacto Profundo
 
Selo de Deus e a marca da besta
Selo de Deus e a marca da bestaSelo de Deus e a marca da besta
Selo de Deus e a marca da besta
 
A Arca de Noé e o Dilúvio
A Arca de Noé e o DilúvioA Arca de Noé e o Dilúvio
A Arca de Noé e o Dilúvio
 

Último

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 

Último (20)

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 

Japão Aspectos Naturais

  • 1. Apostila 7 – Módulo 22 CONTINENTE ASIÁTICO ASPECTOS NATURAIS E GEOPOLÍTICOS  Prof.º Luiz Fernando Wisniewski [email_address]
  • 2. JAPÃO – POTÊNCIA ECONÔMICA Com 377.835 Km 2 é formada por um arquipélago de 3.000 ilhas, porém 95% do território emerso é ocupado por 4 principais ilhas.
  • 3. JAPÃO – CLIMA Localizada no clima temperado, apresenta as quatro estações do ano bem definidas. Em Hokkaido devido a influência da massa de ar fria Oya Shivo, ocorre frequentes nevascas. Na ilha de Honshu o clima é temperado oceânico, com altos índices pluviométricos. Em Shikoku e Kyushu , ao sul o clima é subtropical com verões que atingem 30º.
  • 5. JAPÃO – VEGETAÇÃO As florestas temperadas ocupam 57% do Japão, ao norte temos a taiga ou coníferas, com grande importância para a industria naval. A dinâmica das estações está inserida no aspecto cultural do país, que festeja a chegada da primavera, marcada pelo florescimento das cerejeiras e ameixeiras.
  • 6. JAPÃO – RELEVO Formado principalmente por rochas vulcânicas recentes, que ocupa 76% de todo o território. Os 24% restantes são formados pelas planícies litorâneas, aonde temos uma elevada densidade demográfica. O Monte Fuji, com 3.776 m, localizado na ilha de Honshu é o ponto mais alto do país.
  • 7. JAPÃO – HIDROGRAFIA Acompanhando o relevo os rios do Japão são de pequenas extensão e numerosos lagos de formação vulcânica. São aproveitados para a agricultura e na produção de energia. Hidrelétrica Kurobe
  • 8. JAPÃO – POPULAÇÃO Devido ao relevo acidentado do país observou-se um superpovoamento nas regiões de planície, dando um destaque para Tóquio, com uma densidade demográfica de 335 hab/km 2 . Com aproximadamente 127 milhões de habitantes apresenta-se de forma homogênea com baixo número de imigrantes. Expectativa de vida alta para sua população, em média 81 anos, a maior do mundo e sua taxa de alfabetização chega a 99%.
  • 10. JAPÃO – ECONOMIA Superando as barreiras físicas impostas pela natureza e pelos processos históricos o Japão chegou a alcançar a segunda maior economia, perdendo seu lugar para a China em 2010. Seu desenvolvimento passou por dois momentos fundamentais: ERA MEIJI PÓS SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
  • 11.
  • 12.
  • 13. JAPÃO – ECONOMIA A Genbaku Dome ou a Cúpula da Bomba Atômica, símbolo de esperança e paz mundial ,foi a única construção na região do epicentro a permanecer em pé quando há 65 anos atrás o avião americano "Enola Gay" sobrevoou Hishoshima (Japão), lançou o "Little Boy" sobre a cidade e um clarão (cogumelo atômico) se ergueu gerando um calor de 5,5 milhões de graus centígrados vaporizadas milhões de pessoas. Quem sobreviveu carrega além dos ferimentos os efeitos da radiação.
  • 14. JAPÃO – ECONOMIA A industria se desenvolveu principalmente na indústria naval, siderúrgica, automobilística e na produção de eletrônicos. A maior parte da matéria-prima são importadas, pois os recursos naturais japoneses é inferior a 10% das suas necessidades. O elevado aperfeiçoamento da tecnologia de ponta foi o que transformou o país na atual potência industrial exportando seus produtos para todo o planeta.
  • 15. JAPÃO – ECONOMIA O QUE SÃO OS ZAIBATSUS ? O crescimento econômico do Japão na Era Meiji e após a Segunda Guerra Mundial, juntamente com a enorme concentração econômica e de renda da população japonesa fez com que os capitais reuniram-se em torno de alguns conglomerados nipônicos, conhecidos como zaibatsus. Entre eles estão: Honda, Toyota, Mazda, Mitsubishi, Suzuki, Subaru e Daihatsu.
  • 16. JAPÃO – ECONOMIA A distribuição interna dos produtos é feita por uma eficiente rede de transportes: Ferrovias ligando as quatro ilhas, túneis, estradas entre outros.
  • 17. JAPÃO – ECONOMIA Devido a pequena área disponível, a agricultura no Japão é limitada, destacando-se a rizicultura e a horticultura, que se desenvolvem em pequenas propriedades e modernas técnicas e insumo, A produção interna não é suficiente para o consumo da população, que depende de importações.
  • 19. CHINA A China em 1949 adotou o sistema comunista, assim surgindo a República Popular da China , sob a liderança de Mao Tsé-Tung enquanto o grupo contrário liderado por Chang Kaichek refugiava-se na ilha de Formosa atual Taiwan. Em Taiwan estabeleceu-se a República da China Nacionalista, porém a China a conheceu apenas como uma “ província rebelde”. Foram feitas propostas sem sucesso de integração do capitalismo das “ Duas Chinas”, porém intensificou-se a resistência e a tensão geopolítica entre as duas.
  • 20. CHINA – ECONOMIA No início do século XX a China era uma das nações mais pobres do mundo, sua população se concentrava nos vales do Rio Azul e Amarelo utilizando do solo de loess para a agricultura, tendo 90% da população vivendo nesta região. Com o aumento da produção agrícola aumentou também o contingente populacional, e posteriormente a organização do Estado. No final de 1950, o governo chinês investiu na industria pesada. Em 1960 a China rompeu com a União Soviética e, em 1966, desencadeou a Revolução Cultural que durou até 1976 caracterizado pelo isolamento internacional e a imposição dos pensamentos de Mao Tsé-Tung. Livro Vermelho de Mao Tsé-Tung
  • 21. CHINA – ECONOMIA Com a morte de Mao Tsé-Tung 1976, Deng Xiao Ping assumiu o poder e determinou uma nova revolução marcada pela abertura econômica da China em 1978. Apesar da continuação do sistema socialista o capital estrangeiro entra nas Zonas Econômicas Especiais, implementando sistema direcionados a exportação. Além dos incentivos do governo, a mão de obra e a disciplina tornou-se o principal atrativo de empresas estrangeiras. Porém estas reformas ampliaram as desigualdades sociais entre o campo e a cidade. Diversos países procuram fazer parcerias com a China, inclusive a empresa brasileira Embraer instalada no país.
  • 22. CHINA – ECONOMIA Devemos lembrar que o modo capitalista, aberto ao mercado, organiza a economia chinesa, enquanto a política é controlada pelo governo totalitário próprio do regime comunista reprimindo manifestações e greves, fator atrativo para grandes grupos comerciais. Desta forma dizemos que : A CHINA POSSUÍ UM SISTEMA ECONOMICO CHAMADO DE “ SOCIALISMO DE MERCADO”.
  • 23. CHINA – ECONOMIA A China é o maior produtor de minério de ferro, com 220 milhões de toneladas ano. E está entre os grandes na produção de bauxita, da qual se extraí o alumínio. Com o desenvolvimento acelerado da economia chinesa, a dependência do petróleo importado e a falta de mão se obra qualificada tornam-se os principais desafios do crescimento deste país.
  • 24. HIDROGRAFIA A Usina das Três Gargantas como é conhecida, encontra-se no rio Yang-Tsé Kiang, conhecido como Rio Azul, é a maior usina em capacidade instalada no mundo, cuja obra foi concluída em 2006. A construção da barragem trouxe como impacto ambiental um lago com 600 KM de extensão, e inundou terras férteis levando o governo chinês a deslocar mais de 1,3 milhão de pessoas para outra áreas. O governo Chinês pretende produzir mais energia elétrica, pois a demanda industrial do país é enorme.
  • 25. ÍNDIA Antiga colônia britânica, a Índia integra o conjunto de novos países industrializados e uma das potências nucleares dos países do sul, porém a agricultura consiste o setor de maior importância na economia nacional.
  • 26. ÍNDIA – POPULAÇÃO E CONÔMIA Encontramos na Índia um elevado número de população absoluta, a segunda no mundo, diversidade de língua e dialetos em todo o território, sem falar em seu sistema de castas. O hinduísmo é a principal religião praticada por 80% da população, um elemento muito forte na cultura nacional.
  • 27. ÍNDIA – POPULAÇÃO E ECONÔMIA Pertence ao grupo de países subdesenvolvidos industrializados, substituindo a exportação pela produção voltada ao mercado interno. Com a construção de hidrelétricas, redes de transporte e industria de base a Índia incentiva a instalação de multinacionais. A industrialização indiana foi impulsionada no período da Guerra Fria pela União Soviética. Na agricultura, atividade que concentra mais da metade da população, cultivando algodão, arroz, trigo, tubérculos e chá. Durante os anos 90 houve um crescimento econômico mudando o padrão de consumo de parte da população, acentuando os problemas de desigualdade social.
  • 28. TIGRES ASIÁTICOS Na década de 1970, quatro países da Ásia (Cingapura, Hong Kong, Coréia do Sul e Taiwan) apresentaram um acelerado processo de industrialização e exportações. Em razão da agressividade administrativa e da localização dos países, eles ficaram conhecidos mundialmente como Tigres Asiáticos. O modelo industrial desses países é caracterizado como IOE (Industrialização Orientada para a Exportação), ou seja, as indústrias transnacionais que se estabeleceram nesses países e as empresas locais implantaram um parque industrial destinado principalmente para o mercado exterior. Eles utilizaram estratégia arrojada de atração de capital estrangeiro - apoiada na mão de obra barata e disciplinada, na isenção de impostos e nos baixos custos de instalação de empresas. Hoje com a junção de empresas multinacionais e locais, houve transferência tecnológica e a autonomia industrial destes países.
  • 29. TIGRES ASIÁTICOS O IDH dos países que compõe os Tigres Asiáticos é alto, isso indica que eles podem ser classificados como países desenvolvidos, pois atendem a necessidade de educação, saúde e renda de suas populações. Fontes: PNUD, 2007 * Dados baseado no relatório do governo da República da China (2005) TIGRES ASIÁTICOS - IDH Cingapura 0,922 Coréia do Sul 0,921 Hong Kong 0,937 Taiwan 0,932*
  • 30. TIGRES ASIÁTICOS Hong Kong Cingapura Coréia do Sul Taiwan
  • 31. NOVOS TIGRES ASIÁTICOS O desenvolvimento industrial vendo sendo meta de países como a Indonésia, Vietnã, Filipinas, Tailândia e Malásia. Com investimentos externos associados a facilidades e incentivos governamentais estes países pretendem desenvolver a indústria de equipamentos, telecomunicações, eletrônicos de última geração, produção de máquinas, fertilizantes e petroquímicas. Os resultados já são visíveis, levando em conta o acentuado crescimento das exportações e do PIB. Malásia Filipinas
  • 32. RELIGIÃO A Ásia é o berço das três principais religiões monoteísta: O Cristianismo, Islamismo e Judaísmo. Também religiões como o confucionismo, xintoísmo, taoísmo, budismo e hinduísmo. Dentre o território asiático aconteceram diversos conflitos regionais, na maior parte, encontramos uma relação com as religiões. E somando religião, interesses políticos e econômicos, temos o principal pretexto para a violência e movimentos separatistas.
  • 33. JUDAÍSMO O judaísmo possui fortes características étnicas, nas quais nação e religião se mesclam. Encontra-se em sua maioria no estado de Israel. Tem como crença principal a existência de apenas um Deus e a religião é fundamentada na TORÁ , que reúne os cinco primeiros livros da Bíblia, e do talmude, que completa as regras da tradição judaica. O judaísmo ortodoxo observa o sábado bíblico como dia especial dedicado apenas às ações estritamente religiosas, celebra as festas tradicionais e mantém restrições a determinados alimentos.
  • 34. ISLAMISMO Apresenta uma forma de sincretismo entre o judaísmo e o cristianismo, tendo o principal ponto em comum o reconhecimento do patriarca Abraão como a raiz do islã. Os seguidores do islamismo devem pronunciar a Shahada ou testemunhar que não existe outro Deus além de Alá e que Maomé é seu profeta. Com o rosto voltado para Meca, cidade de nascimento de Maomé, os fiéis oram 5 vezes durante o dia. Durante o mês do Ramadã, os muçulmanos praticam o jejum e abstinência sexual durante o dia , e completando as normas é necessário que no mínimo umas vez na vida os fiéis façam uma viagem de peregrinação a Meca.
  • 35. ISLAMISMO Com a morte do profeta, em 632 d.C., as divergências relativas ao seu substituto dividiram a comunidade islâmica em: SUNITAS: Defendiam a sucessão do líder Maomé por qualquer indivíduo que apresentasse obediência e comprometimento com a religião. XIITAS: Defendiam a liderança hereditária, somente os descendentes do profeta teriam o direito de ocupar o seu lugar. Trata-se da comemoração, por parte dos muçulmanos xiitas, do martírio e morte de Hussein, neto de Maomé. Sunitas
  • 36. ISLAMISMO Alcorão ou Corão ("a recitação") é o livro sagrado do islamismo. Os muçulmanos crêem que o Alcorão é a palavra literal de Deus (Alá) revelada ao profeta Maomé ( Muhammad ) ao longo de um período de vinte e três anos. A palavra Alcorão deriva do verbo árabe que significa declamar ou recitar.
  • 37. HINDUÍSMO É um conjunto de crenças que tiveram sua origem na Índia por meio dos povos antigos que ocuparam a região do vale dos rios Indo e Ganges, há aproximadamente 3.500 anos. Possuem centenas de deuses e deusas sendo desta forma uma religião politeísta. No Rio Ganges, os hindus realizam rituais de purificação, banhando-se ou até mesmo ingerindo as águas poluídas e contaminadas por esgoto e cadáveres lançado as águas acreditando que a felicidade eterna foi garantida para a alma que partiu.
  • 38. HINDUÍSMO – SISTEMA DE CASTAS A sociedade hindu é dividia em castas, que classifica o indivíduo de acordo com a sua situação de nascimento, hereditariedade e atividade profissional. BRÂMANES Nobres e Sacerdotes VAIXIAS Camponeses e Comerciantes XÁTRIAS Guerreiros SUDRAS Escravos PÁRIAS População condenada a viver na miséria
  • 39. HINDUÍSMO Mahatma Gandhi (1869-1948) foi um dos grandes mestres do hinduísmo, sem uso da violência ele lutou contra a dominação britânica na Índia, presenciando a independência de seu país em 1947. Suas principais armas eram as greves, boicotes a produtos ingleses, fato conhecido como “ desobediência civil”.
  • 40. BUDISMO O amor atua como única forma de banir o ódio e deve ser direcionado a todos, mesmo aos inimigos. Os seguidores buscam, por meio da meditação, atingir o estado máximo de paz de espírito e amor, denominado de Nirvana, única maneira de romper a corrente da reencarnação. Segundo a qual o ser humano está sujeito a reencarnar várias vezes e enfrentar os sofrimentos proporcional a suas ações. As comunidades budistas, uma vez oprimidas, não utilizam recursos relacionados a violência para defender-se. Sua reação pacífica caracteriza o fortalecimento da dominação por nações inimigas.
  • 41. BUDISMO O Dalai Lama é o título de uma linhagem de líderes religiosos da escola Gelug do budismo tibetano, tratando-se de um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano. O Dalai Lama é também o líder oficial do governo tibetano em exílio, ou Administração Central Tibetana. "Lama" é um termo geral que se refere aos professores budistas tibetanos.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 46. ARÁBES x ISRAELENSES Mapa mostrando a evolução do Estado de Israel e domínio judeu sobre os árabes muçulmanos.
  • 47. CONFLITOS ARÁBES x ISRAELENSES
  • 48. JERUSALÉM Jerusalém é a Cidade Santa ou seja sagrada para o judaísmo, cristianismo e o islamismo, sendo objeto de disputa a séculos. Peregrinos vêm a ela todos os anos, a fim de se aproximar mais dos fundamentos de sua fé. Para os judeus, toda a cidade é Santa, especialmente a Muralha Ocidental (mais conhecida como Muro das Lamentações), que é tudo o restou do Grande Templo destruído pelos romanos. Os muçulmanos vêm até a Cúpula da Rocha (ou Mesquita de Omar), um santuário que é o terceiro local mais sagrado para a fé islâmica. Cristãos fazem peregrinações ao ponto onde Jesus foi crucificado e morto, e a Via Dolorosa, caminho que Jesus percorreu, carregando sua cruz. Após a partilha da Palestina pela ONU, 1947, tornou-se uma zona internacional .
  • 49. GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE Kuwait, no Golfo Pérsico, representava a terceira maior reserva de petróleo do mundo, e junto com a Grã-Bretanha, resistiu a diversas tentativas de ocupação no século XX. Em 1979 o Iraque de Saddam Hussein, se armou com equipamentos modernos adquiridos da ex-URRS, EUA, Brasil entre outros e procurou invadir e dominar a região. A invasão de agosto de 1990 despertou a formação de uma aliança militar formada pelos EUA, França e Inglaterra. O confronto foi relativamente curto, entre 17 de janeiro e 27 de fevereiro, Saddam Hussein foi derrotado, porém permaneceu no poder.
  • 50. GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE As Guerra do Golfo teve como consequencias o saque de riquezas do Kuwait, campos de petróleo incendiados e minados pelo exército iraquiano, e a destruição da infraestrutura iraquiana. Diante da derrota, os xiitas ao sul e os curdos ao norte, em oposição ao governo iraquiano, revoltaram-se. Saddam enfrentou a guerra civil com violência, mantendo-se no poder.
  • 51. GUERRA DO GOLFO E INVASÃO DO IRAQUE Após os ataques terroristas em 11 de setembro de 2001, o Iraque foi acusado de apoiar o terrorismo e de produzir armas de destruição em massa. Estes argumentos somados ao potencial de produção de petróleo iraquiano, fez com que, sob a lideranças dos EUA, Saddam Hussein foi preso, julgado e morto. O Iraque passa por uma transição política visando à construção de uma futura democracia.
  • 52. A CAXEMIRA Entre 1763 e 1858 os ingleses conquistaram a Índia. A emancipação ocorreu em 1947 sendo o país dividido em duas partes, a República do Paquistão (Mulçumana) e a República da Índia (Hinduísta). Em 1970 a porão oriental, pertencente ao Paquistão, após intensos conflitos, declarou-se independente, formando Bangladesh.
  • 53. BONS ESTUDOS !!! “ NÃO PODEMOS PERMITIR QUE DIFERENÇAS DE OPINIÃO CRIE DESUNIÃO. TOMAI O CAMINHO MEDIANO, EVITAI OS EXTREMOS.” (Ellen G. White)
  • 54. Professor Luiz Fernando Wisniewski - Geografia Blog do Professor: http://www.educacaoadventista.org.br/blog/lfwgeografia/ E-Mail: [email_address]