SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
A CONSOLIDAÇÃO DO JAPÃO
 Compreender a afirmação do Japão como potência financeira e comercial após a
II Guerra mundial.
 Caracterizar o território japonês do ponto de vista natural.
 Justificar as soluções encontradas pelo Japão para superar os condicionalismos
do pós – guerra.
 Relacionar a progressiva adopção de inovações tecnológicas com a rápida
modernização da economia japonesa.
 Explicar a interdependência da economia japonesa com as outras economias do
Pacífico.
AS CONDIÇÕES NATURAIS
 O Japão é um arquipélago constituído por cerca de
4000 ilhas, alinhadas no sentido Norte – Sul, ao longo de
cerca de 2000 km.
 O clima apresenta alguns contrastes, o Norte é mais frio
e o Sul é mais húmido e periodicamente afectado por
tempestades tropicais violentas.
 O Japão situa-se numa zona vulcânica e sísmica activa.
Em cada ano são sentidos mais de 1000 sismos.
 É um país montanhoso ( devido à insularidade) cerca de
85% do território apresenta fortes declives e apenas 15%
pode ser considerado solo arável.
 O Japão é um país pobre em recursos naturais e
energéticos.
A CONSOLIDAÇÃO DO JAPÃO
CONTEXTO SÓCIO-CULTURAL
 Com 126 milhões de pessoas é o 8º país mais populoso do mundo
 Grande parte da população concentra-se nas grandes cidades, localizadas no litoral o
que as coloca nas regiões mais densamente povoadas do mundo.
 A nação japonesa é uma das mais antigas do planeta e viveu fechada ao exterior até ao
século XIX. Na era MEIJI (1868-1912) lança-se numa política expansionista para superar
a falta de recursos naturais.
 A II guerra mundial pôs fim ao imperialismo nipónico. O Japão sai derrotado perdendo
as colónias que havia conquistado
A COESÃO SOCIAL E AS CARACTERÍSTICAS CULTURAIS DA SOCIEDADE JAPONESA SÃO CONSIDERADAS AS
RESPONSÁVEIS PELA PROSPERIDADE ECONÓMICA DO PAÍS.
OS ANOS DE CRISE
Após a II guerra mundial ¼ das cidades encontravam-se destruídas, a produção agrícola
tinha diminuído 60%, o consumo 55% e a produção industrial 65%.
Apesar das baixas sofridas durante a guerra a população aumentou devido ao
repatriamento de 6,2 milhões de japoneses e devido ao baby boom provocado pelo
regresso dos soldados a casa
A penúria, a miséria e desemprego aumentaram.
A moeda nacional – iene – deixou de ser cotado no mercado mundial
O Japão vai ter de pagar indemnizações de guerra encontrando-se à mercê dos
vencedores.
COMO SE PODERÁ EXPLICAR A RÁPIDA EXPANSÃO ECONÓMICA DO JAPÃO,
PAÍS DESPROVIDO DE MATÉRIAS PRIMAS E DENSAMENTE POVOADO.
De facto a expansão económica que o Japão começou a sentir a
partir da década de 50 só foi possível porque…
A AJUDA AMERICANA
 Os EUA vão proteger militarmente o Japão e prestar-lhe auxilio económico
 a Reconstrução do Japão passou por várias tarefas:
 O desarmamento
 A democratização da sociedade japonesa
 A reforma agrária (entregando as terras a quem as produzia com cultivo intensivo de
cereais, o uso de adubos e crescente mecanização)
 A eliminação de alguns ZAIBATSU ( grupos económico financeiros pertencentes a
famílias tradicionais)
?
A POLÍTICA ANTINATALISTA
A escassez de recursos levaram o Japão a desenvolver uma política
antinatalista que assentou essencialmente:
 Na legalização do aborto (1948)
 Na distribuição de contraceptivos.
 Na intensa propaganda a favor do planeamento familiar
Com estas medidas o “baby boom” foi controlado e o crescimento
demográfico diminuiu.
EM 4 DÉCADAS O JAPÃO TRANSFORMOU-SE NA SEGUNDA POTÊNCIA
ECONÓMICA DO MUNDO
Este forte crescimento ficou a dever-se:
 às alterações estruturais verificadas na economia – empresas inovadoras e competitivas
 à ajuda norte americana
 à capacidade do povo em superar a destruição da guerra e a falta de recursos.
A necessidade de cobrir as importações obrigou a alterar a estrutura das exportações que
passaram a ser constituídas por aço, navios e máquinas.
Afirmação do poderio económico, comercial e financeiro do Japão só foi possível pela conjugação
de factores que actuaram simultaneamente:
 O papel da Estado
 Uma base industrial sólida e variada, orientada para os sectores de ponta.
As características dos recursos humanos.
O estado fomentou uma política de obras públicas que chegou a representar 20% do PNB.
 Desenvolveu uma planificação indicativa, incentivou a inovação, limitou os factores de
risco de certas actividades consideradas importantes apoiando as reestruturações
industriais, controlando o volume das importações e protegendo as empresas da
concorrência.
O peso da indústria (sectores de ponta) na economia japonesa é essencial contrastando
com os EUA e o Reino Unido onde os serviços são o sector mais importante.
 A indústria japonesa atravessou várias fases começando pelo algodão até à II guerra
mundial sendo ultrapassada pelas indústrias pesadas orientadas para a utilização do aço –
indústria de bens de equipamento como a construção naval.
 A importação de matérias primas assegurou o funcionamento destas indústrias que
levaram o Japão ao grupo das nações mais industrializadas.
Numa segunda fase o Japão aposta na indústria mecânica e electrónica ( automóveis,
electrodomésticos, computadores, etc.)
Nas últimas décadas o Japão apostou em industrias de alta tecnologia, nomeadamente,
nas biotecnologias, nos semi – condutores, na informática, nas telecomunicações e na
robótica .
 Ao mesmo tempo promoveu um processo de “deslocalização” industrial para os países
asiáticos vizinhos sobretudo os sectores mais consumidores de matéria prima e energia.
OS DIFERENTES CICLOS
DE DESENVOLVIMENTO
INDUSTRIAL
1º CICLO – Política orientada para a importação ( matéria
prima para a indústria pesada e energias)
2º CICLO – Caracterizada pelas medidas de protecção à
produção e ao mercado interno.
3º CICLO – Dominado pelas políticas económicas orientadas
para a exportação.
4º CICLO – Caracterizado pela estratégia de “ deslocalização”
das empresas japonesas que localizam no estrangeiro várias
fábricas.
A população japonesa com um vasto mercado de consumidores e uma mão-de-obra
abundante, aceitou os sacrifícios que o estado e as empresas lhe exigiram: devoção ao
trabalho, férias limitadas, competição escolar severa e demonstrou um grande espírito
empreendedor.
 O povo japonês foi capaz de conciliar no trabalho e na vida quotidiana, um certo
equilíbrio entre a tradição e a modernidade.
 A cultura japonesa é alicerçada em valores como a lealdade, a honra, o respeito pela
hierarquia, a deferência, a disciplina e a capacidade de organização, responsáveis pela
forte coesão social e pela ausência de tensões ou conflitos sociais.
 Para os japoneses os interesses comuns da família, das empresas e do Estado, estão
acima das necessidades individuais.
A QUALIDADE DOS RECURSOS HUMANOS
JAPONESES BASEIA-SE:
NUM SISTEMA ESCOLAR
MUITO COMPETITIVO
NUM NÍVEL DE FORMAÇÃO
ELEVADO
No seu modelo económico o Japão associa com sucesso as grandes empresas com as
pequenas e médias empresas.
COMO SE ORGANIZA O TECIDO EMPRESARIAL ?
 Os grandes grupos económicos ( antigos ZAIBATSU) associam empresas industriais e
comerciais independentes umas das outras, mas muito poderosas, que se reagrupam em
torno de um banco do grupo e desenvolvem entre si uma densa rede de relações.
 Estes grandes grupos económicos não realizam todas as etapas do processo produtivo,
preferem subcontratar pequenas empresas que lhes garantem o fornecimento de matérias-
primas ou efectuam outras fases do processo de fabrico.
 As grandes empresas pagam altos salários aos seus operários em regra muito qualificados (
sindicalizados, com uma forte protecção social e um emprego para toda a vida). As PME`s
responsáveis por cerca de ¾ da mão-de-obra pagam salários mais baixos não usufruindo de
garantias sociais como os anteriores.
 Quanto ao mercado: o mercado interno assegura o escoamento de uma parte considerável
da produção devido ás medidas proteccionistas do Estado e também à preferência dos
japoneses pelos produtos nacionais. Quanto ao mercado externo a maioria das empresas
entrega os seus produtos aos Sogo Sosha que são sociedades responsáveis por colocar os
produtos nos mercados, transportando e distribuindo, assim como, realizam a maioria das
importações, exportações e trocas comerciais internas.
JAPÃO
PAÍSES DA ÁREA
DO PACÍFICO
PAÍSES
OCIDENTAIS
ESTADOS UNIDOS
DA AMÉRICA
DESLOCALIZAÇÃO DA
INDÚSTRIA
 Mão de obra mais barata.
Maior proximidade das fontes
de energia
 Deslocação da poluição
 Controle das matérias-primas
 Investimento directo ou em empresas
 Empréstimos aos governos desses
países
 Construção de grandes infra-
estruturas
 O Japão passa a ser o maior
concorrente
 Aquisição de empresas Norte
Americanas
 Maior credor e maior comprador de
Títulos do Tesouro Americanos
 Renegociação do plano militar devido
aos movimentos militares da China
NOS ANOS 90 O JAPÃO SOFRE PERTURBAÇÕES
GRAVES NA ECONOMIA E PASSA POR PERÍODOS DE
RECESSÃO
A economia japonesa está muito dependente da conjuntura mundial, para
pagar a dependência energética e alimentar tem que exportar grandes
quantidades o que conduz à recessão quando a procura mundial diminui.
O sucesso do Japão provocou nas economias concorrentes (EUA e UE)
reacções contra a política proteccionista nipónica o que faz valorizar o iene
e consequentemente diminuir as exportações.
A posição de potência económica entra frequentemente em contradição
com o estatuto político e militar na cena internacional.
O Japão mantém a sua política anti belicista baseada na consciência
pacífica ( recordam as bombas do final da guerra) não vendendo armas ao
exterior nem intervindo em qualquer conflito, a não ser no âmbito da ONU.
Esta situação cria dependência em termos de segurança dos EUA.
A crise asiática
gerou um clima
de instabilidade
económica em
consequência:
Da subida das taxas de juro e da instabilidade do iene
 Das tensões inflacionistas
 Da corrupção e dos escândalos financeiros
Da falência de grandes sociedades
 Da fuga de capitais especulativos
DENSIDADES
POPULACIONAIS E
PRESSÃO URBANA MUITO
FORTES
DEGRADAÇÃO AMBIENTAL
DEVIDO À LOCALIZAÇÃO
DAS INDÚSTRIAS PERTO
DOS CAMPOS
FORTE LIGAÇÃO ENTRE O
PODER POLÍTCO E OS
GRUPOS ECONÓMICOS
LEVA À CORRUPÇÃO
EMBORA O JAPÃO SEJA UM DOS GRANDES CENTROS DE PODER E DECISÃO DA
ACTUALIDADE AS CONDIÇÕES E A QUALIDADE DE VIDA NÃO SÃO AS MELHORES
A existência de um modelo económico dualista contribuiu para o aumento das
desigualdades sociais:
 O fim do “emprego para toda a vida”.
 As diferenças de salário e de estatuto social entre os trabalhadores das grandes e das
pequenas empresas.
 O aumento de trabalhadores em trabalho a tempo parcial.
 Desigualdade social entre sexos – mulheres com salários mais baixos.
 Envelhecimento da população – aumento da esperança média de vida e baixa
fecundidade.
 Aumento do número de imigrantes oriundos das regiões vizinhas.
Estes
fenómenos
conduzem a
um aumento:
 Da contestação juvenil contra o sistema escolar muito rígido e as desigualdades que
provoca, devido ao elevado custo do ensino superior.
 Das reivindicações sindicais para redução dos horários de trabalho.
 Do número de movimentos a favor da defesa do meio ambiente.
 Da contestação ao modelo de consumo por parte da população mais jovem.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AconsolidaodoJapo.pdf

Semelhante a AconsolidaodoJapo.pdf (20)

Modulo 15 - Japão - A quarta potência econômica mundial
Modulo 15 - Japão - A quarta potência econômica mundialModulo 15 - Japão - A quarta potência econômica mundial
Modulo 15 - Japão - A quarta potência econômica mundial
 
Aula 15 japão
Aula 15   japãoAula 15   japão
Aula 15 japão
 
Geo44
Geo44Geo44
Geo44
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
áSia pacifico
áSia   pacificoáSia   pacifico
áSia pacifico
 
atividade industrial nos eua.ppt
atividade industrial nos eua.pptatividade industrial nos eua.ppt
atividade industrial nos eua.ppt
 
Japao
JapaoJapao
Japao
 
Japão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticosJapão e os tigres asiáticos
Japão e os tigres asiáticos
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Poderio americano
Poderio americanoPoderio americano
Poderio americano
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Industrialização do Japão
Industrialização do JapãoIndustrialização do Japão
Industrialização do Japão
 
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptxCap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
Cap.7EstadosUnidos_A_potenciaImpera.pptx
 
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
 
Continete americano
Continete americanoContinete americano
Continete americano
 
JAPÃO.pdf
JAPÃO.pdfJAPÃO.pdf
JAPÃO.pdf
 
Geografia do japão
Geografia do japãoGeografia do japão
Geografia do japão
 
A atividade industrial nos eua
A atividade industrial nos euaA atividade industrial nos eua
A atividade industrial nos eua
 
Japão Geografia
Japão  GeografiaJapão  Geografia
Japão Geografia
 
Gestao de Redes de Negocios
Gestao de Redes de NegociosGestao de Redes de Negocios
Gestao de Redes de Negocios
 

Último

APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxMartin M Flynn
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

AconsolidaodoJapo.pdf

  • 1. A CONSOLIDAÇÃO DO JAPÃO Compreender a afirmação do Japão como potência financeira e comercial após a II Guerra mundial. Caracterizar o território japonês do ponto de vista natural. Justificar as soluções encontradas pelo Japão para superar os condicionalismos do pós – guerra. Relacionar a progressiva adopção de inovações tecnológicas com a rápida modernização da economia japonesa. Explicar a interdependência da economia japonesa com as outras economias do Pacífico.
  • 2. AS CONDIÇÕES NATURAIS O Japão é um arquipélago constituído por cerca de 4000 ilhas, alinhadas no sentido Norte – Sul, ao longo de cerca de 2000 km. O clima apresenta alguns contrastes, o Norte é mais frio e o Sul é mais húmido e periodicamente afectado por tempestades tropicais violentas. O Japão situa-se numa zona vulcânica e sísmica activa. Em cada ano são sentidos mais de 1000 sismos. É um país montanhoso ( devido à insularidade) cerca de 85% do território apresenta fortes declives e apenas 15% pode ser considerado solo arável. O Japão é um país pobre em recursos naturais e energéticos. A CONSOLIDAÇÃO DO JAPÃO CONTEXTO SÓCIO-CULTURAL Com 126 milhões de pessoas é o 8º país mais populoso do mundo Grande parte da população concentra-se nas grandes cidades, localizadas no litoral o que as coloca nas regiões mais densamente povoadas do mundo. A nação japonesa é uma das mais antigas do planeta e viveu fechada ao exterior até ao século XIX. Na era MEIJI (1868-1912) lança-se numa política expansionista para superar a falta de recursos naturais. A II guerra mundial pôs fim ao imperialismo nipónico. O Japão sai derrotado perdendo as colónias que havia conquistado A COESÃO SOCIAL E AS CARACTERÍSTICAS CULTURAIS DA SOCIEDADE JAPONESA SÃO CONSIDERADAS AS RESPONSÁVEIS PELA PROSPERIDADE ECONÓMICA DO PAÍS.
  • 3. OS ANOS DE CRISE Após a II guerra mundial ¼ das cidades encontravam-se destruídas, a produção agrícola tinha diminuído 60%, o consumo 55% e a produção industrial 65%. Apesar das baixas sofridas durante a guerra a população aumentou devido ao repatriamento de 6,2 milhões de japoneses e devido ao baby boom provocado pelo regresso dos soldados a casa A penúria, a miséria e desemprego aumentaram. A moeda nacional – iene – deixou de ser cotado no mercado mundial O Japão vai ter de pagar indemnizações de guerra encontrando-se à mercê dos vencedores. COMO SE PODERÁ EXPLICAR A RÁPIDA EXPANSÃO ECONÓMICA DO JAPÃO, PAÍS DESPROVIDO DE MATÉRIAS PRIMAS E DENSAMENTE POVOADO. De facto a expansão económica que o Japão começou a sentir a partir da década de 50 só foi possível porque… A AJUDA AMERICANA Os EUA vão proteger militarmente o Japão e prestar-lhe auxilio económico a Reconstrução do Japão passou por várias tarefas: O desarmamento A democratização da sociedade japonesa A reforma agrária (entregando as terras a quem as produzia com cultivo intensivo de cereais, o uso de adubos e crescente mecanização) A eliminação de alguns ZAIBATSU ( grupos económico financeiros pertencentes a famílias tradicionais) ?
  • 4. A POLÍTICA ANTINATALISTA A escassez de recursos levaram o Japão a desenvolver uma política antinatalista que assentou essencialmente: Na legalização do aborto (1948) Na distribuição de contraceptivos. Na intensa propaganda a favor do planeamento familiar Com estas medidas o “baby boom” foi controlado e o crescimento demográfico diminuiu. EM 4 DÉCADAS O JAPÃO TRANSFORMOU-SE NA SEGUNDA POTÊNCIA ECONÓMICA DO MUNDO Este forte crescimento ficou a dever-se: às alterações estruturais verificadas na economia – empresas inovadoras e competitivas à ajuda norte americana à capacidade do povo em superar a destruição da guerra e a falta de recursos. A necessidade de cobrir as importações obrigou a alterar a estrutura das exportações que passaram a ser constituídas por aço, navios e máquinas. Afirmação do poderio económico, comercial e financeiro do Japão só foi possível pela conjugação de factores que actuaram simultaneamente: O papel da Estado Uma base industrial sólida e variada, orientada para os sectores de ponta. As características dos recursos humanos.
  • 5. O estado fomentou uma política de obras públicas que chegou a representar 20% do PNB. Desenvolveu uma planificação indicativa, incentivou a inovação, limitou os factores de risco de certas actividades consideradas importantes apoiando as reestruturações industriais, controlando o volume das importações e protegendo as empresas da concorrência. O peso da indústria (sectores de ponta) na economia japonesa é essencial contrastando com os EUA e o Reino Unido onde os serviços são o sector mais importante. A indústria japonesa atravessou várias fases começando pelo algodão até à II guerra mundial sendo ultrapassada pelas indústrias pesadas orientadas para a utilização do aço – indústria de bens de equipamento como a construção naval. A importação de matérias primas assegurou o funcionamento destas indústrias que levaram o Japão ao grupo das nações mais industrializadas. Numa segunda fase o Japão aposta na indústria mecânica e electrónica ( automóveis, electrodomésticos, computadores, etc.)
  • 6. Nas últimas décadas o Japão apostou em industrias de alta tecnologia, nomeadamente, nas biotecnologias, nos semi – condutores, na informática, nas telecomunicações e na robótica . Ao mesmo tempo promoveu um processo de “deslocalização” industrial para os países asiáticos vizinhos sobretudo os sectores mais consumidores de matéria prima e energia. OS DIFERENTES CICLOS DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL 1º CICLO – Política orientada para a importação ( matéria prima para a indústria pesada e energias) 2º CICLO – Caracterizada pelas medidas de protecção à produção e ao mercado interno. 3º CICLO – Dominado pelas políticas económicas orientadas para a exportação. 4º CICLO – Caracterizado pela estratégia de “ deslocalização” das empresas japonesas que localizam no estrangeiro várias fábricas.
  • 7. A população japonesa com um vasto mercado de consumidores e uma mão-de-obra abundante, aceitou os sacrifícios que o estado e as empresas lhe exigiram: devoção ao trabalho, férias limitadas, competição escolar severa e demonstrou um grande espírito empreendedor. O povo japonês foi capaz de conciliar no trabalho e na vida quotidiana, um certo equilíbrio entre a tradição e a modernidade. A cultura japonesa é alicerçada em valores como a lealdade, a honra, o respeito pela hierarquia, a deferência, a disciplina e a capacidade de organização, responsáveis pela forte coesão social e pela ausência de tensões ou conflitos sociais. Para os japoneses os interesses comuns da família, das empresas e do Estado, estão acima das necessidades individuais. A QUALIDADE DOS RECURSOS HUMANOS JAPONESES BASEIA-SE: NUM SISTEMA ESCOLAR MUITO COMPETITIVO NUM NÍVEL DE FORMAÇÃO ELEVADO
  • 8. No seu modelo económico o Japão associa com sucesso as grandes empresas com as pequenas e médias empresas. COMO SE ORGANIZA O TECIDO EMPRESARIAL ? Os grandes grupos económicos ( antigos ZAIBATSU) associam empresas industriais e comerciais independentes umas das outras, mas muito poderosas, que se reagrupam em torno de um banco do grupo e desenvolvem entre si uma densa rede de relações. Estes grandes grupos económicos não realizam todas as etapas do processo produtivo, preferem subcontratar pequenas empresas que lhes garantem o fornecimento de matérias- primas ou efectuam outras fases do processo de fabrico. As grandes empresas pagam altos salários aos seus operários em regra muito qualificados ( sindicalizados, com uma forte protecção social e um emprego para toda a vida). As PME`s responsáveis por cerca de ¾ da mão-de-obra pagam salários mais baixos não usufruindo de garantias sociais como os anteriores. Quanto ao mercado: o mercado interno assegura o escoamento de uma parte considerável da produção devido ás medidas proteccionistas do Estado e também à preferência dos japoneses pelos produtos nacionais. Quanto ao mercado externo a maioria das empresas entrega os seus produtos aos Sogo Sosha que são sociedades responsáveis por colocar os produtos nos mercados, transportando e distribuindo, assim como, realizam a maioria das importações, exportações e trocas comerciais internas.
  • 9. JAPÃO PAÍSES DA ÁREA DO PACÍFICO PAÍSES OCIDENTAIS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA DESLOCALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA Mão de obra mais barata. Maior proximidade das fontes de energia Deslocação da poluição Controle das matérias-primas Investimento directo ou em empresas Empréstimos aos governos desses países Construção de grandes infra- estruturas O Japão passa a ser o maior concorrente Aquisição de empresas Norte Americanas Maior credor e maior comprador de Títulos do Tesouro Americanos Renegociação do plano militar devido aos movimentos militares da China
  • 10. NOS ANOS 90 O JAPÃO SOFRE PERTURBAÇÕES GRAVES NA ECONOMIA E PASSA POR PERÍODOS DE RECESSÃO A economia japonesa está muito dependente da conjuntura mundial, para pagar a dependência energética e alimentar tem que exportar grandes quantidades o que conduz à recessão quando a procura mundial diminui. O sucesso do Japão provocou nas economias concorrentes (EUA e UE) reacções contra a política proteccionista nipónica o que faz valorizar o iene e consequentemente diminuir as exportações. A posição de potência económica entra frequentemente em contradição com o estatuto político e militar na cena internacional. O Japão mantém a sua política anti belicista baseada na consciência pacífica ( recordam as bombas do final da guerra) não vendendo armas ao exterior nem intervindo em qualquer conflito, a não ser no âmbito da ONU. Esta situação cria dependência em termos de segurança dos EUA.
  • 11. A crise asiática gerou um clima de instabilidade económica em consequência: Da subida das taxas de juro e da instabilidade do iene Das tensões inflacionistas Da corrupção e dos escândalos financeiros Da falência de grandes sociedades Da fuga de capitais especulativos DENSIDADES POPULACIONAIS E PRESSÃO URBANA MUITO FORTES DEGRADAÇÃO AMBIENTAL DEVIDO À LOCALIZAÇÃO DAS INDÚSTRIAS PERTO DOS CAMPOS FORTE LIGAÇÃO ENTRE O PODER POLÍTCO E OS GRUPOS ECONÓMICOS LEVA À CORRUPÇÃO
  • 12. EMBORA O JAPÃO SEJA UM DOS GRANDES CENTROS DE PODER E DECISÃO DA ACTUALIDADE AS CONDIÇÕES E A QUALIDADE DE VIDA NÃO SÃO AS MELHORES A existência de um modelo económico dualista contribuiu para o aumento das desigualdades sociais: O fim do “emprego para toda a vida”. As diferenças de salário e de estatuto social entre os trabalhadores das grandes e das pequenas empresas. O aumento de trabalhadores em trabalho a tempo parcial. Desigualdade social entre sexos – mulheres com salários mais baixos. Envelhecimento da população – aumento da esperança média de vida e baixa fecundidade. Aumento do número de imigrantes oriundos das regiões vizinhas. Estes fenómenos conduzem a um aumento: Da contestação juvenil contra o sistema escolar muito rígido e as desigualdades que provoca, devido ao elevado custo do ensino superior. Das reivindicações sindicais para redução dos horários de trabalho. Do número de movimentos a favor da defesa do meio ambiente. Da contestação ao modelo de consumo por parte da população mais jovem.