SlideShare uma empresa Scribd logo
Responsabilidade
Médica
Discentes: Amanda Duarte Vieira de Matos, Antony Pimentel dos Santos, Artur Andrade Melo
Santana, Daniella Quintino Melo, David Wendel Cunha Reis, Edvaldo Victor Gois Oliveira.
Conceito
➢ A obrigação, de ordem civil, penal ou administrativa, a que
estão sujeitos os médicos, no exercício profissional, quando
de um resultado lesivo ao paciente, por imprudência, imperícia
ou negligência.
Aspectos Jurídicos
Aspectos Jurídicos
➢ Fundamento jurídico da responsabilidade médica: CULPA
○ Culpabilidade: está baseado na previsibilidade do dano;
○ Elementos essenciais da culpa:
■ previsibilidade do dano;
■ ato voluntário inicial;
■ ausência de previsão;
■ voluntária omissão ou negligência.
Aspectos Jurídicos
➢ O agente cometeu o ato por negligência, imprudência ou imperícia;
➢ Reparação do dano: INDENIZAÇÃO
○ Artigo 944 do Código Civil: “A indenização mede-se pela extensão
do dano.”
○ Parágrafo único: “Se houver excessiva desproporção entre a
gravidade da culpa e o dano, poderá o juiz reduzir, equitativamente, a
indenização”
Elementos da
Responsabilidade Médica
Elementos da Responsabilidade Médica
➢ O agente:
○ necessário que o profissional esteja habilitado legalmente no exercício
da medicina;
➢ O ato:
○ resultado danoso de um ato lícito;
➢ A culpa:
○ ausência do dolo;
Elementos da Responsabilidade Médica
➢ O dano:
○ sem a existência de um dano real, não existe responsabilidade;
○ crime de resultado X crime de perigo;
➢ O nexo causal:
○ relação entre o ato e o dano.
Responsabilidade Civil
Responsabilidade Civil
➢ “A responsabilidade civil tem o seu nascimento sempre que houver
violação de um dever jurídico preexistente, e dessa violação
resultar um certo dano a outrem.”
Responsabilidade Civil
➢ Erro Médico X Erro profissional
○ O médico: Imprudência, Imperícia e Negligência;
○ O profissional é imputável devido às limitações da medicina;
Responsabilidade Civil
➢ Obrigação de Reparação de Dano Moral e Material – Código
Civil de 1919, Const. Fed. 88, CDC e Código Civil de 2002.
➢ Requisitos da Obrigação: Dano, nexo causal e culpa
○ Apenas a inexistência de nexo de causalidade, de força maior, de atos
de terceiros ou de culpa do próprio paciente se isentaram o médico da
responsabilidade.
Responsabilidade Civil
➢ Exemplo:
○ Se um paciente sofre uma anóxia durante a anestesia com
lesão cerebral e comprova-se que houve descuido do
anestesista, configura-se um dano, o nexo de causalidade e a
culpa, a indenização será então devida.
Responsabilidade Civil
➢ Teoria da Responsabilidade Subjetiva
○ Conduta, dano, nexo causal e ação culposa: negligência, imperícia e
imprudência.
➢ Teoria da Responsabilidade Objetiva
○ Parágrafo único do art. 927 do Código Civil
○ Conduta, dano e nexo causal.
○ Uma vontade honesta e a mais cuidadosa das atenções não eximem o
direito de outrem
Responsabilidade Civil
➢ Na relação entre o médico e o paciente, há o estabelecimento de
um contrato quando do acordo para prestação de serviços, mesmo
que este não tenha sido firmado em documento.
➢ Através desse contrato o médico tem algumas obrigações:
○ Informação, cuidados terapêuticos e de abstenção de abuso ou desvio
de poder.
Responsabilidade Civil
➢ Juridicamente o médico tem dois tipos de obrigações:
○ Obrigação de meios:
■ O profissional deverá colocar todos os recursos além de
conhecimentos atualizados, visando o melhor resultado possível.
○ Obrigação de resultados:
■ A contratada a obtenção de um resultado específico, e se este
não é obtido, independente de culpa ou não, haverá ruptura do
contrato cabendo reparação do dano. Ex: Cirúrgia plástica
estética
Responsabilidade Criminal
Responsabilidade Criminal
Exercício Ilegal de Profissão
➢ No Código Penal:
○ Artigo 205: “Exercer atividade, de que está impedido por
decisão administrativa. A pena é de detenção de 3 (três)
meses a 2 (dois) anos ou multa.”
○ Artigo 282: “Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de
médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou
excedendo-lhe os limites. Pena – detenção de 6 (seis) meses
a 2 (dois) anos”
Responsabilidade Criminal
Exercício Ilegal de Profissão
➢ Art. 47 da Lei de Contravenções Penais: “Exercer profissão ou
atividade econômica ou anunciar que a exerce, sem
preencher as condições a que por lei está subordinado a seu
exercício. Pena – prisão simples, de 15 (quinze) dias a 3
(três) meses, ou multa.”
Responsabilidade Criminal
Charlatanismo e Curandeirismo
➢ Previsto no artigo 283 do Código Penal: “Inculcar ou anunciar
cura por meio secreto ou infalível. Pena – detenção de 3
meses a 1 ano e multa.”
➢ Conselho, venda, recomendação ou divulgação de
tratamentos ou curas por meios secretos e/ou infalíveis;
➢ Fraude da boa-fé dos cidadãos;
➢ Misticismo, magia, espiritismo.
Responsabilidade Criminal
Charlatanismo e Curandeirismo
➢ Art. 284 do CP: “Exercer o curandeirismo: I –
prescrevendo, ministrando ou aplicando,
habitualmente, qualquer substância; II – usando
gestos, palavras ou qualquer outro meio; III –
fazendo diagnóstico. Pena – detenção de 6 meses
a 2 anos. Parágrafo único: Se o crime é praticado
mediante remuneração, o agente fica também
sujeito a multa.”
Responsabilidade Criminal
Crime de falsidade de atestado médico
➢ Art. 32 do CP: “Dar o médico, no exercício de sua profissão,
atestado falso. Pena – detenção de 1 mês a 1 ano.
Parágrafo único: Se o crime é cometido com o fim de lucro,
aplica-se também multa”;
➢ Crime próprio: só pode ser cometido por médicos;
➢ O crime se constitui na falsidade da declaração.
Responsabilidade Criminal
Omissão de notificação de doença
➢ Crime contra a saúde pública;
➢ Art. 269, CP: “Deixar o médico de denunciar à autoridade
pública doença cuja notificação é compulsória: Pena -
detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa.”
➢ A lei só responsabiliza diretamente o médico.
Responsabilidade Criminal
Violação do segredo profissional
➢ O segredo vai além da boa relação médico-paciente -
equivale a uma ordem pública e equilíbrio social;
➢ Quebra de sigilo feita de forma intencional;
➢ Pode ser feita de qualquer forma, basta que o conteúdo do
segredo e identidade do paciente sejam reveladas pública ou
particularmente;
➢ É admitido: justa causa, dever legal, expressamente
autorizado pelo paciente ou responsável legal.
Responsabilidade Criminal
Prescrição desnecessária de
entorpecentes
➢ Art. 15, lei n° 6.368, de 21 de outubro de 1976: “Prescrever ou
ministrar culposamente, o médico, (...) substância
entorpecente ou que determine dependência física ou
psíquica, em dose evidentemente maior que a necessária ou
em desacordo com determinação legal regulamentar. Pena –
detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e pagamento
de 30 (trinta) a 100 (cem) dias-multa.”
Responsabilidade Criminal
Remoção de órgãos e tecidos
➢ Da lei n°9.434, 4 de fevereiro de 1997:
○ Art. 14: “Remover tecidos, órgãos ou partes do corpo de pessoa
ou cadáver, em desacordo com as disposições desta Lei. Pena –
reclusão, de 2 a 6 anos, e multa, de 100 a 360 dias-multa. Se o
crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa ou
por outro motivo torpe. Pena – reclusão, de 3 a 8 anos, e multa,
de 100 a 150 dias-multa.”
Responsabilidade Criminal
Remoção de órgãos e tecidos
➢ Da lei n°9.434, 4 de fevereiro de 1997:
○ Art. 16: “Realizar transplante ou enxerto de tecidos, órgãos ou
partes do corpo humano de que se tem ciência terem sido obtidos
em desacordo com os dispositivos desta Lei. Pena – reclusão, de
1 a 6 anos, e multa de 150 a 300 dias-multa.”
○ Art. 18: “Realizar transplante ou enxerto em desacordo com o
disposto no art. 10 desta Lei e seu parágrafo único. Pena –
detenção, de 6 meses a 2 anos.”
Responsabilidade Criminal
Esterilização Humana
➢ Não é ilegal se for pelo bem da saúde do homem e/ou da mulher;
➢ Lei n° 9.263, de 12 de janeiro de 1996: permitido esterilização
voluntária:
○ Maiores de 25 anos ou com 2 filhos vivos;
○ Prazo mínimo de 60 dias;
○ Expresso registro escrito;
○ Somente laqueadura tubária e vasectomia;
○ Cônjuges: consentimento expresso de ambos.
Responsabilidade solidária
Responsabilidade solidária
➢ Sujeitos passivos respondem juntamente com os demais com mesma intensidade em
um determinado ato.
➢ Código Civil em seu artigo 932:
○ “São também responsáveis pela reparação civil: (…); III – o empregador ou
comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos,no exercício do trabalho
que lhes competir ou em razão dele”
➢ 7º do Código de Defesa do Consumidor:
○ Parágrafo único. “Tendo mais de um autor a ofensa, todos responderão
solidariamente pela reparação dos danos previstos nas normas de consumo”.
○ Artigo 34 deste CDC: “O fornecedor do produto ou serviço é solidariamente
responsável pelos atos de seus prepostos ou representantes autônomos.”
Responsabilidade Civil das
Instituições de Saúde
Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde
Deveres de Conduta das Entidades Prestadoras de Serviços
Médicos
➢ Principais deveres de conduta:
○ Dever do atendimento prometido;
○ Dever de informação;
○ Dever de cuidados;
○ Dever de abstenção de abusos e de poder;
○ Dever de respeito à independência do profissional.
Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde
Hospitalar Privado
➢ Âmbito Civil;
➢ Responsabilidade Objetiva;
➢ A responsabilidade é objetiva quando o erro for oriundo de procedimentos
inerente ao hospital;
➢ Nesse caso o hospital é obrigado a indenizar a família pelos danos
causados.
Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde
Hospitalar Privado
➢ O art. 14 do CDC, conforme melhor doutrina, não conflita com essa
conclusão, dado que a responsabilidade objetiva, nele prevista para o
prestador de serviços, no presente caso, o hospital, circunscreve-se apenas
aos serviços única e exclusivamente relacionados com o estabelecimento
empresarial propriamente dito, ou seja, aqueles que digam respeito à
estadia do paciente (internação), instalações, equipamentos, serviços
auxiliares (enfermagem, exames, radiologia), etc. e não aos serviços
técnicos-profissionais dos médicos que ali atuam, permanecendo estes na
relação subjetiva de preposição (culpa).
Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde
Hospitalar Privado
➢ Responsabilidade Subjetiva;
➢ Todo tratamento médico envolve riscos, mas, a jurisprudência vem se
inclinando no sentido de que esses riscos não correm todos por conta do
hospital, delimitando os casos em que o hospital será responsável ou não.
Isso é diferente do que acontece no transporte aéreo, em que todos os
riscos correm por conta empresa.
Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde
Hospitalar Privado
➢ Quando a prestação de serviços oferecida pelo hospital for exclusivamente
de serviços médicos, a responsabilidade é subjetiva, e nosso
posicionamento nada tem de extraordinário, pois amparado na harmoniosa
interpretação dos dois diplomas legais - Código Civil (art. 932, III e 933) e
Código de Defesa do Consumidor (art. 14, § 4º).
Responsabilidade Funcional
do Estudante de Medicina
Responsabilidade Funcional do Estudante
de Medicina
➢ Era imputada sistematicamente ao médico ou ao hospital
➢ Os estudantes mudaram
➢ “Imputa-se ao estudante apenas a responsabilidade por aquilo que
obviamente lhe cabe, dentro de sua competência e sua obrigação
funcional.”
Responsabilidade Funcional do Estudante
de Medicina
➢ Art. 38 do CEEM, 2007: O estudante de Medicina responde civil, penal,
ética e administrativamente por atos danosos ao paciente e que tenham
sido causados por sua imprudência, imperícia ou negligência, desde que
comprovada isenção de responsabilidade de seu supervisor.
Responsabilidade Médica no
Erro por Falta da Coisa
Responsabilidade Médica no Erro por Falta
da Coisa
➢ Se do uso de aparelho ou equipamento ocorrer um dano ao paciente o
médico responderá pela responsabilidade civil subjetiva, pois optou pela
escolha dos mesmos.
➢ Segundo José de Aguiar Dias se a aplicação do instrumento oferece riscos,
é dever do médico advertir deles o cliente, respondendo pelas
consequências danosas, se não o faz.
Prescrição Penal e
Prescrição Civil
Prescrição Penal e Prescrição Civil
➢ Conceito
➢ O prazo para prescrição do pedido de indenização por erro médico
se inicia na data em que o paciente toma conhecimento do dano, e
não na data em que o profissional possa ter cometido o ilícito.
Referências
➢ Medicina Legal 11ª edição: Genival Veloso de França, Guanabara-Koogan, 2017.
➢ CREMESP; DENEM. Código de Ética do Estudante de Medicina. São Paulo: 2007.
➢ CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Código de ética do estudante de medicina.
Brasília-DF: 2018.
➢ UDELSMANN, Artur et al. Responsabilidade civil, penal e ética dos médicos. Revista
da Associação Médica Brasileira, 2002.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no Trabalho
Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no TrabalhoPrevenção ao Assédio Moral e Sexual no Trabalho
Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no TrabalhoJoão Gretzitz
 
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individualEquipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individualPatrícia Morais
 
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...rsramme
 
Responsabilidade Civil e Nexo de Causalidade
Responsabilidade Civil e Nexo de CausalidadeResponsabilidade Civil e Nexo de Causalidade
Responsabilidade Civil e Nexo de CausalidadeGuido Cavalcanti
 
Aula 3 - Acidente de Trabalho
Aula 3 - Acidente de TrabalhoAula 3 - Acidente de Trabalho
Aula 3 - Acidente de TrabalhoGhiordanno Bruno
 
Trabalho a Quente Modulo I
Trabalho a Quente   Modulo ITrabalho a Quente   Modulo I
Trabalho a Quente Modulo Iemanueltstegeon
 
Boletim tecnico adicional de periculosidade
Boletim tecnico adicional de periculosidadeBoletim tecnico adicional de periculosidade
Boletim tecnico adicional de periculosidadeANTONIO PEDRO TESSARO
 
Noção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoNoção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoFilipa Andrade
 
Acidentes com material biológico
Acidentes com material biológicoAcidentes com material biológico
Acidentes com material biológicoRenatbar
 
Causas e consequências de acidentes do trabalho
Causas e consequências de acidentes do trabalhoCausas e consequências de acidentes do trabalho
Causas e consequências de acidentes do trabalhoGiovanni Bruno
 
Aula 1 teoria geral do processo
Aula 1   teoria geral do processoAula 1   teoria geral do processo
Aula 1 teoria geral do processoWesley André
 
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docxssuser518843
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power pointedgardrey
 

Mais procurados (20)

Nr – 06
Nr – 06Nr – 06
Nr – 06
 
Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no Trabalho
Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no TrabalhoPrevenção ao Assédio Moral e Sexual no Trabalho
Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no Trabalho
 
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individualEquipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Civil - Aulas contratos
Civil - Aulas contratosCivil - Aulas contratos
Civil - Aulas contratos
 
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...
Da justiça ambiental aos direitos e deveres ecológicos - Rogério Santos Rammê...
 
Responsabilidade Civil e Nexo de Causalidade
Responsabilidade Civil e Nexo de CausalidadeResponsabilidade Civil e Nexo de Causalidade
Responsabilidade Civil e Nexo de Causalidade
 
Aula 3 - Acidente de Trabalho
Aula 3 - Acidente de TrabalhoAula 3 - Acidente de Trabalho
Aula 3 - Acidente de Trabalho
 
Trabalho a Quente Modulo I
Trabalho a Quente   Modulo ITrabalho a Quente   Modulo I
Trabalho a Quente Modulo I
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Boletim tecnico adicional de periculosidade
Boletim tecnico adicional de periculosidadeBoletim tecnico adicional de periculosidade
Boletim tecnico adicional de periculosidade
 
Organizando uma SIPAT de sucesso
Organizando uma SIPAT de sucessoOrganizando uma SIPAT de sucesso
Organizando uma SIPAT de sucesso
 
Noção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoNoção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalho
 
Acidentes com material biológico
Acidentes com material biológicoAcidentes com material biológico
Acidentes com material biológico
 
Causas e consequências de acidentes do trabalho
Causas e consequências de acidentes do trabalhoCausas e consequências de acidentes do trabalho
Causas e consequências de acidentes do trabalho
 
Ordem de serviço eletricista
Ordem de serviço eletricistaOrdem de serviço eletricista
Ordem de serviço eletricista
 
Aula 1 teoria geral do processo
Aula 1   teoria geral do processoAula 1   teoria geral do processo
Aula 1 teoria geral do processo
 
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx
12 - APR ESCAVAÇÃO MANUAL E MECANICA.docx
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
 
SIPAT (RESUMIDO)
SIPAT (RESUMIDO)SIPAT (RESUMIDO)
SIPAT (RESUMIDO)
 

Semelhante a Seminário Respons. médica.pptx

Responsabilidadecivil.aasp.junho.14
Responsabilidadecivil.aasp.junho.14Responsabilidadecivil.aasp.junho.14
Responsabilidadecivil.aasp.junho.14Osvaldo Simonelli
 
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo.
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo. 29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo.
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo. Osvaldo Simonelli
 
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716Rosalia Ometto
 
Novo aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagem
Novo   aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagemNovo   aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagem
Novo aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagemNayara Dávilla
 
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013Osvaldo Simonelli
 
Aula 00 normas regulamentadoras
Aula 00 normas regulamentadorasAula 00 normas regulamentadoras
Aula 00 normas regulamentadorasLeandro Souza
 
Responsabilidade profissional da saúde
Responsabilidade profissional da saúdeResponsabilidade profissional da saúde
Responsabilidade profissional da saúdeRosalia Ometto
 
Planejamento familiar lei 1
Planejamento familiar lei 1Planejamento familiar lei 1
Planejamento familiar lei 1Wilson Teles
 
Código de Ética Médica-CFM
Código de Ética Médica-CFMCódigo de Ética Médica-CFM
Código de Ética Médica-CFMAugusto Miranda
 
Apresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab spApresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab spDeSordi
 
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.Ministério da Saúde
 
2 proteção da vida e da saúde do consumidor
2   proteção da vida e da saúde do consumidor2   proteção da vida e da saúde do consumidor
2 proteção da vida e da saúde do consumidorAntonio Moreira
 
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Rosalia Ometto
 
O Direito Promove a Segurança do Doente?
O Direito Promove a Segurança do Doente?O Direito Promove a Segurança do Doente?
O Direito Promove a Segurança do Doente?Fernando Barroso
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsalcindoneto
 
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do Lojista
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do LojistaFiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do Lojista
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do LojistaTatiana Figliuolo Jucá
 
Curso conselheiros tutelares_aula_01
Curso conselheiros tutelares_aula_01Curso conselheiros tutelares_aula_01
Curso conselheiros tutelares_aula_01Prof. Rogerio Cunha
 

Semelhante a Seminário Respons. médica.pptx (20)

Responsabilidadecivil.aasp.junho.14
Responsabilidadecivil.aasp.junho.14Responsabilidadecivil.aasp.junho.14
Responsabilidadecivil.aasp.junho.14
 
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo.
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo. 29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo.
29a. Jornada de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de São Paulo.
 
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716
Aula responsabilidade civil planos de saúde visão operadora EPD 010716
 
Novo aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagem
Novo   aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagemNovo   aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagem
Novo aspectos éticos legais do exercício profissional da enfermagem
 
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013
Direito Médico e da Saúde. AASP. Outubro 2013
 
Resp civil criminal
Resp civil criminalResp civil criminal
Resp civil criminal
 
Acidente trabalho 2203
Acidente trabalho 2203Acidente trabalho 2203
Acidente trabalho 2203
 
At191107 sorocaba
At191107 sorocabaAt191107 sorocaba
At191107 sorocaba
 
Aula 00 normas regulamentadoras
Aula 00 normas regulamentadorasAula 00 normas regulamentadoras
Aula 00 normas regulamentadoras
 
Responsabilidade profissional da saúde
Responsabilidade profissional da saúdeResponsabilidade profissional da saúde
Responsabilidade profissional da saúde
 
Planejamento familiar lei 1
Planejamento familiar lei 1Planejamento familiar lei 1
Planejamento familiar lei 1
 
Código de Ética Médica-CFM
Código de Ética Médica-CFMCódigo de Ética Médica-CFM
Código de Ética Médica-CFM
 
Apresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab spApresentação direito seguro oab sp
Apresentação direito seguro oab sp
 
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.
Entra em vigor lei que torna crime exigência de cheque-caução.
 
2 proteção da vida e da saúde do consumidor
2   proteção da vida e da saúde do consumidor2   proteção da vida e da saúde do consumidor
2 proteção da vida e da saúde do consumidor
 
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
Responsabilidade civil do médico Unimed de Americana 030805
 
O Direito Promove a Segurança do Doente?
O Direito Promove a Segurança do Doente?O Direito Promove a Segurança do Doente?
O Direito Promove a Segurança do Doente?
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
 
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do Lojista
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do LojistaFiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do Lojista
Fiscalização dos Órgãos de Defesa do Consumidor sob a Ótica do Lojista
 
Curso conselheiros tutelares_aula_01
Curso conselheiros tutelares_aula_01Curso conselheiros tutelares_aula_01
Curso conselheiros tutelares_aula_01
 

Seminário Respons. médica.pptx

  • 1. Responsabilidade Médica Discentes: Amanda Duarte Vieira de Matos, Antony Pimentel dos Santos, Artur Andrade Melo Santana, Daniella Quintino Melo, David Wendel Cunha Reis, Edvaldo Victor Gois Oliveira.
  • 2. Conceito ➢ A obrigação, de ordem civil, penal ou administrativa, a que estão sujeitos os médicos, no exercício profissional, quando de um resultado lesivo ao paciente, por imprudência, imperícia ou negligência.
  • 4. Aspectos Jurídicos ➢ Fundamento jurídico da responsabilidade médica: CULPA ○ Culpabilidade: está baseado na previsibilidade do dano; ○ Elementos essenciais da culpa: ■ previsibilidade do dano; ■ ato voluntário inicial; ■ ausência de previsão; ■ voluntária omissão ou negligência.
  • 5. Aspectos Jurídicos ➢ O agente cometeu o ato por negligência, imprudência ou imperícia; ➢ Reparação do dano: INDENIZAÇÃO ○ Artigo 944 do Código Civil: “A indenização mede-se pela extensão do dano.” ○ Parágrafo único: “Se houver excessiva desproporção entre a gravidade da culpa e o dano, poderá o juiz reduzir, equitativamente, a indenização”
  • 7. Elementos da Responsabilidade Médica ➢ O agente: ○ necessário que o profissional esteja habilitado legalmente no exercício da medicina; ➢ O ato: ○ resultado danoso de um ato lícito; ➢ A culpa: ○ ausência do dolo;
  • 8. Elementos da Responsabilidade Médica ➢ O dano: ○ sem a existência de um dano real, não existe responsabilidade; ○ crime de resultado X crime de perigo; ➢ O nexo causal: ○ relação entre o ato e o dano.
  • 10. Responsabilidade Civil ➢ “A responsabilidade civil tem o seu nascimento sempre que houver violação de um dever jurídico preexistente, e dessa violação resultar um certo dano a outrem.”
  • 11. Responsabilidade Civil ➢ Erro Médico X Erro profissional ○ O médico: Imprudência, Imperícia e Negligência; ○ O profissional é imputável devido às limitações da medicina;
  • 12. Responsabilidade Civil ➢ Obrigação de Reparação de Dano Moral e Material – Código Civil de 1919, Const. Fed. 88, CDC e Código Civil de 2002. ➢ Requisitos da Obrigação: Dano, nexo causal e culpa ○ Apenas a inexistência de nexo de causalidade, de força maior, de atos de terceiros ou de culpa do próprio paciente se isentaram o médico da responsabilidade.
  • 13. Responsabilidade Civil ➢ Exemplo: ○ Se um paciente sofre uma anóxia durante a anestesia com lesão cerebral e comprova-se que houve descuido do anestesista, configura-se um dano, o nexo de causalidade e a culpa, a indenização será então devida.
  • 14. Responsabilidade Civil ➢ Teoria da Responsabilidade Subjetiva ○ Conduta, dano, nexo causal e ação culposa: negligência, imperícia e imprudência. ➢ Teoria da Responsabilidade Objetiva ○ Parágrafo único do art. 927 do Código Civil ○ Conduta, dano e nexo causal. ○ Uma vontade honesta e a mais cuidadosa das atenções não eximem o direito de outrem
  • 15. Responsabilidade Civil ➢ Na relação entre o médico e o paciente, há o estabelecimento de um contrato quando do acordo para prestação de serviços, mesmo que este não tenha sido firmado em documento. ➢ Através desse contrato o médico tem algumas obrigações: ○ Informação, cuidados terapêuticos e de abstenção de abuso ou desvio de poder.
  • 16. Responsabilidade Civil ➢ Juridicamente o médico tem dois tipos de obrigações: ○ Obrigação de meios: ■ O profissional deverá colocar todos os recursos além de conhecimentos atualizados, visando o melhor resultado possível. ○ Obrigação de resultados: ■ A contratada a obtenção de um resultado específico, e se este não é obtido, independente de culpa ou não, haverá ruptura do contrato cabendo reparação do dano. Ex: Cirúrgia plástica estética
  • 18. Responsabilidade Criminal Exercício Ilegal de Profissão ➢ No Código Penal: ○ Artigo 205: “Exercer atividade, de que está impedido por decisão administrativa. A pena é de detenção de 3 (três) meses a 2 (dois) anos ou multa.” ○ Artigo 282: “Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites. Pena – detenção de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos”
  • 19. Responsabilidade Criminal Exercício Ilegal de Profissão ➢ Art. 47 da Lei de Contravenções Penais: “Exercer profissão ou atividade econômica ou anunciar que a exerce, sem preencher as condições a que por lei está subordinado a seu exercício. Pena – prisão simples, de 15 (quinze) dias a 3 (três) meses, ou multa.”
  • 20. Responsabilidade Criminal Charlatanismo e Curandeirismo ➢ Previsto no artigo 283 do Código Penal: “Inculcar ou anunciar cura por meio secreto ou infalível. Pena – detenção de 3 meses a 1 ano e multa.” ➢ Conselho, venda, recomendação ou divulgação de tratamentos ou curas por meios secretos e/ou infalíveis; ➢ Fraude da boa-fé dos cidadãos; ➢ Misticismo, magia, espiritismo.
  • 21. Responsabilidade Criminal Charlatanismo e Curandeirismo ➢ Art. 284 do CP: “Exercer o curandeirismo: I – prescrevendo, ministrando ou aplicando, habitualmente, qualquer substância; II – usando gestos, palavras ou qualquer outro meio; III – fazendo diagnóstico. Pena – detenção de 6 meses a 2 anos. Parágrafo único: Se o crime é praticado mediante remuneração, o agente fica também sujeito a multa.”
  • 22. Responsabilidade Criminal Crime de falsidade de atestado médico ➢ Art. 32 do CP: “Dar o médico, no exercício de sua profissão, atestado falso. Pena – detenção de 1 mês a 1 ano. Parágrafo único: Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa”; ➢ Crime próprio: só pode ser cometido por médicos; ➢ O crime se constitui na falsidade da declaração.
  • 23. Responsabilidade Criminal Omissão de notificação de doença ➢ Crime contra a saúde pública; ➢ Art. 269, CP: “Deixar o médico de denunciar à autoridade pública doença cuja notificação é compulsória: Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e multa.” ➢ A lei só responsabiliza diretamente o médico.
  • 24. Responsabilidade Criminal Violação do segredo profissional ➢ O segredo vai além da boa relação médico-paciente - equivale a uma ordem pública e equilíbrio social; ➢ Quebra de sigilo feita de forma intencional; ➢ Pode ser feita de qualquer forma, basta que o conteúdo do segredo e identidade do paciente sejam reveladas pública ou particularmente; ➢ É admitido: justa causa, dever legal, expressamente autorizado pelo paciente ou responsável legal.
  • 25. Responsabilidade Criminal Prescrição desnecessária de entorpecentes ➢ Art. 15, lei n° 6.368, de 21 de outubro de 1976: “Prescrever ou ministrar culposamente, o médico, (...) substância entorpecente ou que determine dependência física ou psíquica, em dose evidentemente maior que a necessária ou em desacordo com determinação legal regulamentar. Pena – detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, e pagamento de 30 (trinta) a 100 (cem) dias-multa.”
  • 26. Responsabilidade Criminal Remoção de órgãos e tecidos ➢ Da lei n°9.434, 4 de fevereiro de 1997: ○ Art. 14: “Remover tecidos, órgãos ou partes do corpo de pessoa ou cadáver, em desacordo com as disposições desta Lei. Pena – reclusão, de 2 a 6 anos, e multa, de 100 a 360 dias-multa. Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa ou por outro motivo torpe. Pena – reclusão, de 3 a 8 anos, e multa, de 100 a 150 dias-multa.”
  • 27. Responsabilidade Criminal Remoção de órgãos e tecidos ➢ Da lei n°9.434, 4 de fevereiro de 1997: ○ Art. 16: “Realizar transplante ou enxerto de tecidos, órgãos ou partes do corpo humano de que se tem ciência terem sido obtidos em desacordo com os dispositivos desta Lei. Pena – reclusão, de 1 a 6 anos, e multa de 150 a 300 dias-multa.” ○ Art. 18: “Realizar transplante ou enxerto em desacordo com o disposto no art. 10 desta Lei e seu parágrafo único. Pena – detenção, de 6 meses a 2 anos.”
  • 28. Responsabilidade Criminal Esterilização Humana ➢ Não é ilegal se for pelo bem da saúde do homem e/ou da mulher; ➢ Lei n° 9.263, de 12 de janeiro de 1996: permitido esterilização voluntária: ○ Maiores de 25 anos ou com 2 filhos vivos; ○ Prazo mínimo de 60 dias; ○ Expresso registro escrito; ○ Somente laqueadura tubária e vasectomia; ○ Cônjuges: consentimento expresso de ambos.
  • 30. Responsabilidade solidária ➢ Sujeitos passivos respondem juntamente com os demais com mesma intensidade em um determinado ato. ➢ Código Civil em seu artigo 932: ○ “São também responsáveis pela reparação civil: (…); III – o empregador ou comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos,no exercício do trabalho que lhes competir ou em razão dele” ➢ 7º do Código de Defesa do Consumidor: ○ Parágrafo único. “Tendo mais de um autor a ofensa, todos responderão solidariamente pela reparação dos danos previstos nas normas de consumo”. ○ Artigo 34 deste CDC: “O fornecedor do produto ou serviço é solidariamente responsável pelos atos de seus prepostos ou representantes autônomos.”
  • 32. Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde Deveres de Conduta das Entidades Prestadoras de Serviços Médicos ➢ Principais deveres de conduta: ○ Dever do atendimento prometido; ○ Dever de informação; ○ Dever de cuidados; ○ Dever de abstenção de abusos e de poder; ○ Dever de respeito à independência do profissional.
  • 33. Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde Hospitalar Privado ➢ Âmbito Civil; ➢ Responsabilidade Objetiva; ➢ A responsabilidade é objetiva quando o erro for oriundo de procedimentos inerente ao hospital; ➢ Nesse caso o hospital é obrigado a indenizar a família pelos danos causados.
  • 34. Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde Hospitalar Privado ➢ O art. 14 do CDC, conforme melhor doutrina, não conflita com essa conclusão, dado que a responsabilidade objetiva, nele prevista para o prestador de serviços, no presente caso, o hospital, circunscreve-se apenas aos serviços única e exclusivamente relacionados com o estabelecimento empresarial propriamente dito, ou seja, aqueles que digam respeito à estadia do paciente (internação), instalações, equipamentos, serviços auxiliares (enfermagem, exames, radiologia), etc. e não aos serviços técnicos-profissionais dos médicos que ali atuam, permanecendo estes na relação subjetiva de preposição (culpa).
  • 35. Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde Hospitalar Privado ➢ Responsabilidade Subjetiva; ➢ Todo tratamento médico envolve riscos, mas, a jurisprudência vem se inclinando no sentido de que esses riscos não correm todos por conta do hospital, delimitando os casos em que o hospital será responsável ou não. Isso é diferente do que acontece no transporte aéreo, em que todos os riscos correm por conta empresa.
  • 36. Responsabilidade Civil das Instituições de Saúde Hospitalar Privado ➢ Quando a prestação de serviços oferecida pelo hospital for exclusivamente de serviços médicos, a responsabilidade é subjetiva, e nosso posicionamento nada tem de extraordinário, pois amparado na harmoniosa interpretação dos dois diplomas legais - Código Civil (art. 932, III e 933) e Código de Defesa do Consumidor (art. 14, § 4º).
  • 38. Responsabilidade Funcional do Estudante de Medicina ➢ Era imputada sistematicamente ao médico ou ao hospital ➢ Os estudantes mudaram ➢ “Imputa-se ao estudante apenas a responsabilidade por aquilo que obviamente lhe cabe, dentro de sua competência e sua obrigação funcional.”
  • 39. Responsabilidade Funcional do Estudante de Medicina ➢ Art. 38 do CEEM, 2007: O estudante de Medicina responde civil, penal, ética e administrativamente por atos danosos ao paciente e que tenham sido causados por sua imprudência, imperícia ou negligência, desde que comprovada isenção de responsabilidade de seu supervisor.
  • 40. Responsabilidade Médica no Erro por Falta da Coisa
  • 41. Responsabilidade Médica no Erro por Falta da Coisa ➢ Se do uso de aparelho ou equipamento ocorrer um dano ao paciente o médico responderá pela responsabilidade civil subjetiva, pois optou pela escolha dos mesmos. ➢ Segundo José de Aguiar Dias se a aplicação do instrumento oferece riscos, é dever do médico advertir deles o cliente, respondendo pelas consequências danosas, se não o faz.
  • 43. Prescrição Penal e Prescrição Civil ➢ Conceito ➢ O prazo para prescrição do pedido de indenização por erro médico se inicia na data em que o paciente toma conhecimento do dano, e não na data em que o profissional possa ter cometido o ilícito.
  • 44. Referências ➢ Medicina Legal 11ª edição: Genival Veloso de França, Guanabara-Koogan, 2017. ➢ CREMESP; DENEM. Código de Ética do Estudante de Medicina. São Paulo: 2007. ➢ CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Código de ética do estudante de medicina. Brasília-DF: 2018. ➢ UDELSMANN, Artur et al. Responsabilidade civil, penal e ética dos médicos. Revista da Associação Médica Brasileira, 2002.