SlideShare uma empresa Scribd logo
Demais slides Sistema de monitoramento da qualidade de águas naturais, a exploração agropecuária e a preservação dos recursos hídricos: participação comunitária de produtores de leite de base familiar e quilombolas Reunião do Comitê Gestor do Projeto – CGP  06/05/2009 Embrapa Gado de Leite
ÁGUA NA PROPRIEDADE RURAL O impacto da atividade agropecuária é extensivo ao tipo de exploração da propriedade, a atividade de bovinocultura de leite necessita de grandes volumes de água para seu desenvolvimento. Em função das novas exigências de mercado, em termos de qualidade dos produtos e respeito ao meio ambiente, o cuidado com os recursos hídricos, envolvendo atividades agropecuárias, se apresentam como oportunidades para a implementação de sistemas de produção adequados às pequenas propriedades, sejam elas de produtores de base familiar ou de comunidades tradicionais, como quilombolas. Parte-se do pressuposto de que todas as atividades antrópicas, ou pressões exercidas em áreas com limites naturais bem definidos (bacia hidrográfica), podem ser detectadas nos recursos hídricos ali estabelecidos.
LOCAL DE ESTUDO Para este estudo, foram selecionadas 16 comunidades, em nove municípios (Lima Duarte, Santana do Garambéu, Santa Rita de Ibitipoca, Pedro Teixeira, Olaria, Ibertioga, Carvalhos, Bocaina de Minas, Alagoa) que têm a produção de leite em pequenas propriedades como principal atividade geradora de emprego e renda, além do quilombola Colônia do Paiol, no município de Bias Forte. Dos dez municípios selecionados, sete estão no entorno do Parque Estadual de Ibitipoca e os outros três estão no Núcleo Mantiqueira II do Corredor Ecológico da Mantiqueira.
 
Hipóteses ou Questões Técnico-Científicas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Metas a serem alcançadas
METODOLOGIA  Em regiões com poucos recursos e grandes problemas de volume e qualidade da água, optou-se pela priorização do uso de ferramentas simples para o monitoramento da qualidade da água, com participação direta das comunidades, na tentativa de avaliar as condições básicas da qualidade das águas em regiões de difícil acesso (Hermes et al., 2004). Este autor ainda refere que o fortalecimento das bases sociais, no processo de gestão dos recursos hídricos (fiscalização e conservação dos recursos naturais), dar-se-á consensualmente por meio da implementação dos dois segmentos, o primeiro voltado para a formação de agentes no âmbito das bacias hidrográficas e o segundo, relacionado ao conteúdo metodológico e programático do treinamento ministrado.
METODOLOGIA – continua – Em parceria com a Emater/MG e Escolas de cada comunidade/cidade foram selecionados os jovens representantes, preferencialmente estudante do ensino médio, ou em últimos anos do ensino fundamental, que seja morador da comunidade, inserido naquele ambiente como residente. As ações do projeto ocorrerão mediante a participação da comunidade, ora pelo membro selecionado, ora em ações de Palestra e Unidade de Referência realizadas na localidade, portanto, com a participação de toda a população interessada. Assim, outros habitantes das comunidades poderão participar.
METODOLOGIA – continua –  Os jovens selecionados anteriormente serão treinados como agentes de monitoramento ambiental para qualidade de água. Este treinamento será ministrado no Núcleo de Treinamento em Bovinocultura Leiteira Tropical (NUTRE) da Embrapa Gado de Leite em Coronel Pacheco (CECP), onde serão abordados temas gerais sobre a água na natureza, a água na propriedade rural, e especificamente, preparar o Agente para o manuseio de instrumentos de georreferenciamento (GPS) e de equipamentos manuais de medição da  qualidade da água (Ecokits ®). Este jovens retornarão para comunidade e irão atuar analisando água de cursos lóticos (rios e córregos) para os seguintes parâmetros: pH, turbidez, oxigênio dissolvido, fosfato, amônia, ferro, cloreto, dureza, DBO, temperatura, coliformes totais e coliformes fecais. .
UTILIZACAO DO ECOKIT Análise do pH  Em 5 mL de uma amostra de água, pingar uma gota de reagente de pH; Tampar e agitar; Destampar e comparar a coloração da solução com a cartela .   Análise da Dureza Total  Colocar amostra na cubeta grande até a marca de 10mL (Fig. A). Adicionar quatro gotas do reagente 1 Dureza (Fig. B). Adicionar uma medida do reagente 2 Dureza (Fig. C). Gotejar o reagente 3 Dureza até atingir a cor azul (Fig. D). Contar as gotas adicionadas. Cada gota equivale a 10 ppm de Dureza (mg/L -1  CaCO 3 ).
PLANOS DE AÇÃO Esta proposta é constituída por cinco planos de ação: 1) Gestão do projeto; 2) Treinamento do agente ambiental de monitoramento da qualidade da água; 3) Seleção e instalação das Unidades de Referência; 4) Relação entre qualidade da água e atividade agropecuária, georreferenciamento dos dados e criação do sítio na internet; 5) Desenvolvimento de atividades envolvendo a comunidade. A articulação entre as atividades do projeto está fundamentada na disponibilização de alternativas à utilização e conservação dos recursos hídricos que possa ser incorporadas pelos produtores de leite familiares e quilombolas do entorno do parque de Ibitipoca e do Corredor Ecológico da Mantiqueira.
ATIVIDADES PLANO DE AÇÃO 1 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cronograma do PA1 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 1 Gestão do projeto x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x 1 Escolha dos monitores x                                               1 Organização do treinamento   x                                             1 Reunião do CGP x                                               1 Monitoramento da qualidade da água   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x    
ATIVIDADES PLANO DE AÇÃO 2 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cronograma do PA2 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 2 Treinamento dos monitores   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Treinamento qualidade da água x exploração agropecuária   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Treinamento GPS   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Visita para validação          x x x x x x x x x x x x x x x x x      
ATIVIDADES PLANO DE AÇÃO 3 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cronograma do PA3 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 3 Seleção das UR       x                                         3 Instalação das UR       x x x x                                    3 Monitoramento das UR       x x x x  x x x x x x x x x x x x x x x x  
ATIVIDADES PLANO DE AÇÃO 4 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cronograma do PA4 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 4 Georreferenciamento dos dados         x x x  x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Criação do sítio da internet          x x x  x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Relação qualidade água x atividade agropecuária         x x x  x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Oficina p/ os jovens (classificação e sítio da internet)                               x                
ATIVIDADES PLANO DE AÇÃO 5 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cronograma do PA5 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 5 Dia de Campo nas UR                           x x x x x x x x x x x 5 Palestra p/ comunidade apresentação projeto   x x x x                                      
RESULTADOS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbaciasMinicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
equipeagroplus
 
Portaria final digitalizada
Portaria   final digitalizadaPortaria   final digitalizada
Portaria final digitalizada
Francis Zeman
 
Seminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
Seminário Inicial - UTE Poderoso VermelhoSeminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
Seminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
CBH Rio das Velhas
 
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente agua
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente   aguaConferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente   agua
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente agua
Claudionor de Abreu
 
Ana lucia aparecida_leite_atividade3
Ana lucia aparecida_leite_atividade3Ana lucia aparecida_leite_atividade3
Ana lucia aparecida_leite_atividade3
Felipe Ferreira
 
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
Gabriella Ribeiro
 
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce - CBH-Doce
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
lipemodesto
 
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso VermelhoEncontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
CBH Rio das Velhas
 
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
Jose de Souza
 
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de PoçosENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
slides-mci
 
Apostila de irrigação_completa
Apostila de irrigação_completaApostila de irrigação_completa
Apostila de irrigação_completa
Francisco Almeida
 
Consumo de agua em descargas
Consumo de agua em descargasConsumo de agua em descargas
Consumo de agua em descargas
mjmcreatore
 
Construção de tanque
Construção de tanqueConstrução de tanque
Construção de tanque
marciobamberg
 
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas rossini - fenica...
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas  rossini - fenica...Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas  rossini - fenica...
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas rossini - fenica...
Revista Cafeicultura
 
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovaniProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
equipeagroplus
 
3simp josedias barragemsubterranea
3simp josedias barragemsubterranea3simp josedias barragemsubterranea
3simp josedias barragemsubterranea
Lucas Costa
 
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejoIrrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Killer Max
 
Drenagem agrícola
Drenagem agrícolaDrenagem agrícola
Drenagem agrícola
lipemodesto
 
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
Revista Cafeicultura
 

Mais procurados (20)

Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbaciasMinicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
Minicurso_Noções básicas de revitalização de microbacias
 
Portaria final digitalizada
Portaria   final digitalizadaPortaria   final digitalizada
Portaria final digitalizada
 
Seminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
Seminário Inicial - UTE Poderoso VermelhoSeminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
Seminário Inicial - UTE Poderoso Vermelho
 
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente agua
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente   aguaConferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente   agua
Conferência nacional infanto juvenil pelo meio ambiente agua
 
Ana lucia aparecida_leite_atividade3
Ana lucia aparecida_leite_atividade3Ana lucia aparecida_leite_atividade3
Ana lucia aparecida_leite_atividade3
 
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
 
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
 
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso VermelhoEncontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
Encontro dos produtores rurais - UTE Poderoso Vermelho
 
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
Pré dimensionamento de um sistema para produção de biogás a partir dos resídu...
 
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de PoçosENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
 
Apostila de irrigação_completa
Apostila de irrigação_completaApostila de irrigação_completa
Apostila de irrigação_completa
 
Consumo de agua em descargas
Consumo de agua em descargasConsumo de agua em descargas
Consumo de agua em descargas
 
Construção de tanque
Construção de tanqueConstrução de tanque
Construção de tanque
 
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas rossini - fenica...
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas  rossini - fenica...Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas  rossini - fenica...
Programa produtor de água - ANA - Agência Nacional de Águas rossini - fenica...
 
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovaniProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
ProjetoUrucuia_W1_EverardoMantovani
 
3simp josedias barragemsubterranea
3simp josedias barragemsubterranea3simp josedias barragemsubterranea
3simp josedias barragemsubterranea
 
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejoIrrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
 
Drenagem agrícola
Drenagem agrícolaDrenagem agrícola
Drenagem agrícola
 
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
Palestra - Programa Produtor de Água - Devanir Garcia dos Santos ANA - Seminá...
 

Destaque

Comparativo pprps
Comparativo pprpsComparativo pprps
Comparativo pprps
Andre Guarizo
 
Apresentação núcleo goias
Apresentação núcleo goiasApresentação núcleo goias
Apresentação núcleo goias
marcelo otenio
 
Redação de conclusão de curso sobre orçamento público
Redação de conclusão de curso sobre orçamento públicoRedação de conclusão de curso sobre orçamento público
Redação de conclusão de curso sobre orçamento público
Andre Guarizo
 
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
Mickeylodeon Brasil
 
A Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica BrasileiraA Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica Brasileira
marcelo otenio
 
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
CIESP
 
Qualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínioQualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínio
marcelo otenio
 
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
Advantage Automação
 
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFVBiodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
marcelo otenio
 
Nr12 resumo
Nr12 resumoNr12 resumo
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendiPalestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
Eduardo Grizendi
 
Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)
Mickeylodeon Brasil
 
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova RedaçãoNorma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
CIESP
 
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
marcelo otenio
 
Apresentação NR 12
Apresentação NR 12Apresentação NR 12
Apresentação NR 12
Cristiano Soares
 
Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite
Manipulação do teor e da composição da gordura e  proteína do leiteManipulação do teor e da composição da gordura e  proteína do leite
Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite
If-Leite Qualidade do Leite
 
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis QueirozNormas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
CIESP
 
Equipamentos de Segurança - NR 12
Equipamentos de Segurança - NR 12Equipamentos de Segurança - NR 12
Equipamentos de Segurança - NR 12
safetycontrol
 
Nr12 - Brazilian Regulation
Nr12 - Brazilian RegulationNr12 - Brazilian Regulation
Nr12 - Brazilian Regulation
Advantage Automação
 
Nr 12 ANEXO VIII
Nr 12 ANEXO VIIINr 12 ANEXO VIII
Nr 12 ANEXO VIII
Andre Guarizo
 

Destaque (20)

Comparativo pprps
Comparativo pprpsComparativo pprps
Comparativo pprps
 
Apresentação núcleo goias
Apresentação núcleo goiasApresentação núcleo goias
Apresentação núcleo goias
 
Redação de conclusão de curso sobre orçamento público
Redação de conclusão de curso sobre orçamento públicoRedação de conclusão de curso sobre orçamento público
Redação de conclusão de curso sobre orçamento público
 
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
2010 08 p-profeta-sacerdote-rei
 
A Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica BrasileiraA Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica Brasileira
 
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
Apresentação Nível de Emprego - Fevereiro/2016
 
Qualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínioQualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínio
 
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
Consultoria eficiência energética | Energia elétrica | Projetos de economia d...
 
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFVBiodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
Biodigestores como oportunidade no manejo de dejetos_OTENIO 26_08_2016_UFV
 
Nr12 resumo
Nr12 resumoNr12 resumo
Nr12 resumo
 
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendiPalestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
Palestra minas lactea 2015 eduardo grizendi
 
Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)
 
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova RedaçãoNorma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
Norma Regulamentadora (NR13) - Impactos da Nova Redação
 
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
 
Apresentação NR 12
Apresentação NR 12Apresentação NR 12
Apresentação NR 12
 
Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite
Manipulação do teor e da composição da gordura e  proteína do leiteManipulação do teor e da composição da gordura e  proteína do leite
Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite
 
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis QueirozNormas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
Normas Regulamentadoras (NR12) - Clovis Queiroz
 
Equipamentos de Segurança - NR 12
Equipamentos de Segurança - NR 12Equipamentos de Segurança - NR 12
Equipamentos de Segurança - NR 12
 
Nr12 - Brazilian Regulation
Nr12 - Brazilian RegulationNr12 - Brazilian Regulation
Nr12 - Brazilian Regulation
 
Nr 12 ANEXO VIII
Nr 12 ANEXO VIIINr 12 ANEXO VIII
Nr 12 ANEXO VIII
 

Semelhante a Reunião Comitê Gestor de Projeto Monitores Ambientais 060509

Plano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
Plano de Trabalho - Projeto Produtores de ÁguaPlano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
Plano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
CBH Rio das Velhas
 
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em ItabiritoProdutor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
CBH Rio das Velhas
 
Programa Pró-Mananciais - Copasa
Programa Pró-Mananciais - CopasaPrograma Pró-Mananciais - Copasa
Programa Pró-Mananciais - Copasa
CBH Rio das Velhas
 
Resumo - Projeto Produtor de Água
Resumo - Projeto Produtor de ÁguaResumo - Projeto Produtor de Água
Resumo - Projeto Produtor de Água
CBH Rio das Velhas
 
00 cus-port2011v1 fode
00 cus-port2011v1 fode00 cus-port2011v1 fode
00 cus-port2011v1 fode
jmacbio7
 
Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.
Francisco Diassis Bezerra Bezerra
 
Projeto Governança Hídrica Para Edificações
Projeto Governança Hídrica Para EdificaçõesProjeto Governança Hídrica Para Edificações
Projeto Governança Hídrica Para Edificações
Mayb Ferreira
 
3. relatório técnico cianobactérias
3. relatório técnico cianobactérias3. relatório técnico cianobactérias
3. relatório técnico cianobactérias
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce - CBH-Doce
 
áGua uso responsável
áGua   uso responsáveláGua   uso responsável
áGua uso responsável
CIEP 456 - E.M. Milcah de Sousa
 
Pap doce nov2011
Pap doce nov2011Pap doce nov2011
Projeto 21 Ppt
Projeto 21 PptProjeto 21 Ppt
Projeto 21 Ppt
Inova Gestão
 
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce - CBH-Doce
 
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdfGestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
HELENO FAVACHO
 
Ppa momentos
Ppa momentosPpa momentos
Cultivando mananciais
Cultivando mananciaisCultivando mananciais
Cultivando mananciais
Victor Ha-Kã Azevedo
 
Artigo bioterra v21_n2_01
Artigo bioterra v21_n2_01Artigo bioterra v21_n2_01
Artigo bioterra v21_n2_01
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Si g
Si gSi g
Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Revista cognescere
Revista cognescereRevista cognescere
Revista cognescere
FRANCIELEFATH1
 
Simpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
Simpósio Agua Sustentável para Alto ParaísoSimpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
Simpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
Fluxus Design Ecológico
 

Semelhante a Reunião Comitê Gestor de Projeto Monitores Ambientais 060509 (20)

Plano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
Plano de Trabalho - Projeto Produtores de ÁguaPlano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
Plano de Trabalho - Projeto Produtores de Água
 
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em ItabiritoProdutor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
 
Programa Pró-Mananciais - Copasa
Programa Pró-Mananciais - CopasaPrograma Pró-Mananciais - Copasa
Programa Pró-Mananciais - Copasa
 
Resumo - Projeto Produtor de Água
Resumo - Projeto Produtor de ÁguaResumo - Projeto Produtor de Água
Resumo - Projeto Produtor de Água
 
00 cus-port2011v1 fode
00 cus-port2011v1 fode00 cus-port2011v1 fode
00 cus-port2011v1 fode
 
Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.
 
Projeto Governança Hídrica Para Edificações
Projeto Governança Hídrica Para EdificaçõesProjeto Governança Hídrica Para Edificações
Projeto Governança Hídrica Para Edificações
 
3. relatório técnico cianobactérias
3. relatório técnico cianobactérias3. relatório técnico cianobactérias
3. relatório técnico cianobactérias
 
áGua uso responsável
áGua   uso responsáveláGua   uso responsável
áGua uso responsável
 
Pap doce nov2011
Pap doce nov2011Pap doce nov2011
Pap doce nov2011
 
Projeto 21 Ppt
Projeto 21 PptProjeto 21 Ppt
Projeto 21 Ppt
 
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
 
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdfGestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
 
Ppa momentos
Ppa momentosPpa momentos
Ppa momentos
 
Cultivando mananciais
Cultivando mananciaisCultivando mananciais
Cultivando mananciais
 
Artigo bioterra v21_n2_01
Artigo bioterra v21_n2_01Artigo bioterra v21_n2_01
Artigo bioterra v21_n2_01
 
Si g
Si gSi g
Si g
 
Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05
 
Revista cognescere
Revista cognescereRevista cognescere
Revista cognescere
 
Simpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
Simpósio Agua Sustentável para Alto ParaísoSimpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
Simpósio Agua Sustentável para Alto Paraíso
 

Mais de marcelo otenio

Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
marcelo otenio
 
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
marcelo otenio
 
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizanteTratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
marcelo otenio
 
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJFTratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
marcelo otenio
 
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO RURAL
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO  RURALTECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO  RURAL
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO RURAL
marcelo otenio
 
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
marcelo otenio
 
Dejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade RuralDejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade Rural
marcelo otenio
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
marcelo otenio
 

Mais de marcelo otenio (8)

Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
 
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
Manejo de Dejetos (Semana dae Integração Tecnológica)
 
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizanteTratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
Tratamento de resíduos da bovinocultura e uso como fertilizante
 
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJFTratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
Tratamento de Efleuntes de Laticínios_Palestra III Semana da Indústria UFJF
 
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO RURAL
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO  RURALTECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO  RURAL
TECNOLOGIAS PARA SANEAMENTO BÁSICO RURAL
 
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
Curso biodigestor OTENIO, M.H. 16 09 2014
 
Dejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade RuralDejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade Rural
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
 

Último

Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 

Último (20)

Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 

Reunião Comitê Gestor de Projeto Monitores Ambientais 060509

  • 1. Demais slides Sistema de monitoramento da qualidade de águas naturais, a exploração agropecuária e a preservação dos recursos hídricos: participação comunitária de produtores de leite de base familiar e quilombolas Reunião do Comitê Gestor do Projeto – CGP 06/05/2009 Embrapa Gado de Leite
  • 2. ÁGUA NA PROPRIEDADE RURAL O impacto da atividade agropecuária é extensivo ao tipo de exploração da propriedade, a atividade de bovinocultura de leite necessita de grandes volumes de água para seu desenvolvimento. Em função das novas exigências de mercado, em termos de qualidade dos produtos e respeito ao meio ambiente, o cuidado com os recursos hídricos, envolvendo atividades agropecuárias, se apresentam como oportunidades para a implementação de sistemas de produção adequados às pequenas propriedades, sejam elas de produtores de base familiar ou de comunidades tradicionais, como quilombolas. Parte-se do pressuposto de que todas as atividades antrópicas, ou pressões exercidas em áreas com limites naturais bem definidos (bacia hidrográfica), podem ser detectadas nos recursos hídricos ali estabelecidos.
  • 3. LOCAL DE ESTUDO Para este estudo, foram selecionadas 16 comunidades, em nove municípios (Lima Duarte, Santana do Garambéu, Santa Rita de Ibitipoca, Pedro Teixeira, Olaria, Ibertioga, Carvalhos, Bocaina de Minas, Alagoa) que têm a produção de leite em pequenas propriedades como principal atividade geradora de emprego e renda, além do quilombola Colônia do Paiol, no município de Bias Forte. Dos dez municípios selecionados, sete estão no entorno do Parque Estadual de Ibitipoca e os outros três estão no Núcleo Mantiqueira II do Corredor Ecológico da Mantiqueira.
  • 4.  
  • 5.
  • 6. Metas a serem alcançadas
  • 7. METODOLOGIA Em regiões com poucos recursos e grandes problemas de volume e qualidade da água, optou-se pela priorização do uso de ferramentas simples para o monitoramento da qualidade da água, com participação direta das comunidades, na tentativa de avaliar as condições básicas da qualidade das águas em regiões de difícil acesso (Hermes et al., 2004). Este autor ainda refere que o fortalecimento das bases sociais, no processo de gestão dos recursos hídricos (fiscalização e conservação dos recursos naturais), dar-se-á consensualmente por meio da implementação dos dois segmentos, o primeiro voltado para a formação de agentes no âmbito das bacias hidrográficas e o segundo, relacionado ao conteúdo metodológico e programático do treinamento ministrado.
  • 8. METODOLOGIA – continua – Em parceria com a Emater/MG e Escolas de cada comunidade/cidade foram selecionados os jovens representantes, preferencialmente estudante do ensino médio, ou em últimos anos do ensino fundamental, que seja morador da comunidade, inserido naquele ambiente como residente. As ações do projeto ocorrerão mediante a participação da comunidade, ora pelo membro selecionado, ora em ações de Palestra e Unidade de Referência realizadas na localidade, portanto, com a participação de toda a população interessada. Assim, outros habitantes das comunidades poderão participar.
  • 9. METODOLOGIA – continua – Os jovens selecionados anteriormente serão treinados como agentes de monitoramento ambiental para qualidade de água. Este treinamento será ministrado no Núcleo de Treinamento em Bovinocultura Leiteira Tropical (NUTRE) da Embrapa Gado de Leite em Coronel Pacheco (CECP), onde serão abordados temas gerais sobre a água na natureza, a água na propriedade rural, e especificamente, preparar o Agente para o manuseio de instrumentos de georreferenciamento (GPS) e de equipamentos manuais de medição da qualidade da água (Ecokits ®). Este jovens retornarão para comunidade e irão atuar analisando água de cursos lóticos (rios e córregos) para os seguintes parâmetros: pH, turbidez, oxigênio dissolvido, fosfato, amônia, ferro, cloreto, dureza, DBO, temperatura, coliformes totais e coliformes fecais. .
  • 10. UTILIZACAO DO ECOKIT Análise do pH Em 5 mL de uma amostra de água, pingar uma gota de reagente de pH; Tampar e agitar; Destampar e comparar a coloração da solução com a cartela . Análise da Dureza Total Colocar amostra na cubeta grande até a marca de 10mL (Fig. A). Adicionar quatro gotas do reagente 1 Dureza (Fig. B). Adicionar uma medida do reagente 2 Dureza (Fig. C). Gotejar o reagente 3 Dureza até atingir a cor azul (Fig. D). Contar as gotas adicionadas. Cada gota equivale a 10 ppm de Dureza (mg/L -1 CaCO 3 ).
  • 11. PLANOS DE AÇÃO Esta proposta é constituída por cinco planos de ação: 1) Gestão do projeto; 2) Treinamento do agente ambiental de monitoramento da qualidade da água; 3) Seleção e instalação das Unidades de Referência; 4) Relação entre qualidade da água e atividade agropecuária, georreferenciamento dos dados e criação do sítio na internet; 5) Desenvolvimento de atividades envolvendo a comunidade. A articulação entre as atividades do projeto está fundamentada na disponibilização de alternativas à utilização e conservação dos recursos hídricos que possa ser incorporadas pelos produtores de leite familiares e quilombolas do entorno do parque de Ibitipoca e do Corredor Ecológico da Mantiqueira.
  • 12.
  • 13. Cronograma do PA1 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 1 Gestão do projeto x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x 1 Escolha dos monitores x                                               1 Organização do treinamento   x                                             1 Reunião do CGP x                                               1 Monitoramento da qualidade da água   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x    
  • 14.
  • 15. Cronograma do PA2 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 2 Treinamento dos monitores   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Treinamento qualidade da água x exploração agropecuária   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Treinamento GPS   x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x     2 Visita para validação         x x x x x x x x x x x x x x x x x      
  • 16.
  • 17. Cronograma do PA3 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 3 Seleção das UR       x                                         3 Instalação das UR       x x x x                                   3 Monitoramento das UR       x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x  
  • 18.
  • 19. Cronograma do PA4 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 4 Georreferenciamento dos dados         x x x x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Criação do sítio da internet         x x x x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Relação qualidade água x atividade agropecuária         x x x x x x x x x x x x x x x x x x x   4 Oficina p/ os jovens (classificação e sítio da internet)                               x                
  • 20.
  • 21. Cronograma do PA5 Plano de ação Atividade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24     Abr./09 Mai./09 Jun./09 Jul./09 Ago./09 Set./09 Out./09 Nov./09 Dez./09 Jan./10 Fev./10 Mar./10 Abr./10 Mai./10 Jun./10 Jul./10 Ago./10 Set./10 Out./10 Nov./10 Dez./10 Jan./11 Fev./11 Mar./11 5 Dia de Campo nas UR                           x x x x x x x x x x x 5 Palestra p/ comunidade apresentação projeto   x x x x                                      
  • 22.

Notas do Editor

  1. 1