SlideShare uma empresa Scribd logo
Maquiavel - pragmatismo - O que interessa é se consegui o resultado - os métodos 
não importam. 
Stwart Mill - Jeremy Benthram - Utilitarista 
Kant - Intensionalista - para eu saber se o que eu fiz é bom ou ruim eu tenho que 
avaliar a INTENSÃO e não pelos resultados. 
Niteche - Vitalista - 
convivencia entre as Formigas - definida pela NATUREZA - INEXORÁVEL - 
NECESSÁRIA - não pode mudar. 
convivência entre humanos - definida pela CONTINGÊNCIA - pode ser diferente. 
A pós-modernidade é uma mistura de pensamentos(desde o antigo). 
PRÉ-SOCRÁTICOS: 
Os primeiros filósofos eram da MÁGNA GRÉCIA, JÔNIA em MILETO - Turquia 
hoje. - O principal deles Thales. Anaximandro, anaxágoras etc. Muitos dos Pré- 
Socráticos foram contemporâneos de Sócrates. 
THALES - pro trás da singularidade de cada coisa há uma matéria substancial - 
Existe formas diferentes da matéria, mas a matéria é a mesma(ARCHê). Que 
princípio é esse? Thales sugeriu a água. 
"Por trás da complexidade existe uma simplicidade". Por trás da diversidade existe 
uma unidade. 
PITÁGORAS - MAGNA GRÉCIA-Itália. O Homem é constituído de corpo e alma. 
ESSÊNCIA - Aquilo que numa coisa não é acidental - aquilo que sem ela a coisa 
não é. 
PREOCUPAÇÃO ÉTICA DOS PITAGÓRICOS: Purificar a alma e não saber se uma 
conduta era justa ou não.
ELEATAS - Penísula Itálica - Eléa 
Parmênedes - Pai do Princípio da IDENTIDADE: O que é, é, e o que não é, não é. = 
SÓ UMA COISA É. SÓ EXISTE UMA COISA. O QUE É NÃO SE DESLOCA. 
As idéias de Parmênedes deu base para o mundo das Idéias de Platão. exemplo da 
idéia de galinha. 
ZENÃO - Enigma de Zenão - "O Corredor" - Platão resolve dizendo que toda 
equação que envolve espaço deve envolver tempo. 
SOCRATES: A Ética é a transcendência da própria vida. Sócrates morreu por um 
princípio Ético. Há princípios que são mais importantes que a própria vida. 
PLATÃO(Nome: Arístocles): 
Early dialogue: Apresentação do pensamento de Sócrates. 
Midle and Laidy dialogue: Sócrates é usado para a apresentação de Platão(os 
melhores diálogos - Midles). 
Principal pensamento grego: Parmênedes, Platão e Estóicos - afirmam: "Zeus pôs 
ordens no mundo" - 
A herança pitagórica - dualidade. O corpo tem necessecidades, mas a alma não está 
a mercê do corpo.A alma pode dizer não. Por isso as pessoas são presas, pois a 
alma poderia ter decidido contrário do corpo. 
3 DUALISMO DE PLATÃO: 
· Dualismo METAFÍSICO: mundo de baixo(materialidades, cadeira) x Mundo 
de Cima(Idéias – a cadeira ideal, as formas ideais que temos em mente). 
· Dualismo EPISTEMOLÓGICO: 1) Conhecimento das formas ideais: Justiça, 
beleza, essência da cadeira – conhecimento propriamente dito. 2) 
Conhecimento das experiências – Doxa=opinião – filosoficamente pobre. 
· Dualismo ANTROPOLÓGICO: corpo x alma. Corpo lida como as coisas 
materiais e a alma com as formas. 
Quem discute com Platão? os monistas. Demócrito e Leucitos. 
DUAS CORRENTES 
Dualistas Monistas 
Platão Demócrito - 
Decartes Zenão
Kant Parmênedes 
Habermas Espinoza 
Foucault 
Freud 
Oito argumentos de Platão contra o monismo. 
O anel de giges. 
Reflexão da vida 
1. Vc pensa pra viver 
2. Vc atribui valor a muitas alternativas 
3. Indentifica a altenativa de maior valor 
4. Vc decide o que vc vai fazer 
5. Vc faz o que vai fazer 
Vc faz com maior ou menor influência de fora da moral “de todos”. 
Mais moral = menos (coação – ex. polícia, radar, etc). Mais polícia=menos moral. – 
PLATÃO. Ex. Suíça – você compra jornal e não tem quem cobra, vc paga se quiser. 
País da Escandinava – vc anda no metrô e não há quem cobre – pagar é uma 
questão moral. 
República de Platão: Uma sociedade luxuosa exige mais gente para servir o luxo de 
poucos, e exige ainda mais território. isto vai acabar em guerra. - 
Níveis da ética 
1. CONCRETUDE – O FATO 
2. IDENTIFICAÇÃO DE VALORES 
3. OS PRINCÍPIOS 
A ÉTICA estuda o valor da conduta e não “por quê” alguém fez alguma coisa. 
Ex. Por quê João matou Pedro? 
A psicologia diria: porque ele estava deprimido. A ciência diria outra coisa. 
A ética olha de modo filosófico: Qual o valor de Matar alguém? 
O nível dos princípios. O que é que faz com que matar seja inaceitável? 
ARISTÓTELES: 
Não aceitava o dualismo de Platão. 
O que confere valor ético à uma conduto é o comportamento do HOMEM 
VIRTUOSO. 
O Fundamento da Ética em Aristóteles não é uma IDÉIA, como Platão diz, mas 
uma VIRTUDE.(Filósofos Virtuosos).
O Homem Virtuoso é aquele que sabe como agir bem em cada situação concreta de 
vida. A virtude do homem se mostra na tempestade – Exemplo de Aristóteles – o 
Comandante transportando carga no navio, vem a tempestade... 
1ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Sabe como agir. 
DISTRIBUIÇÃO 
Igualdade aritmética(2 pra um, 2 pra outro) 
Igualdade geométrica(2 está para 4, assim com 4 está para 8) 
Exemplo – a distribuição dos pedaços de bolo(bolo pode ser orçamento). 
As variáveis são inúmeras. Por isso, o homem virtuoso – Rei Salomão. 
Justiça corretiva – aritmética. Dar um pedaço de bolo igual para desiguais. 
Justiça distributiva – geométrica. Retribuindo numa desigualdade pré-existente. 
Essas duas “justiças” de Aristóteles são Justiças Ideológicas. 
2ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Age de acordo com a sua 
sabedoria. 
Aristóteles ensina que não basta ter a potência pra fazer algo, tem fazer e por 
HÁBITO. Acerta o alvo por HÁBITO. O homem virtuoso é aquele que regulamente 
são virtuso. 
3ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Vive pelas razões certas. 
Exemplo: professor não quer dar aula e inventa razões para parar a aula. O 
Virtuoso é virtuoso e não cínico. Ele continua a aula. Por razões de honestidade. 
TOLERÂNCIA – é uma Virtude moral – portanto individual, mas um saber 
pratico. É aceitar comportamento nos outros que não concordamos. 
Pressupostos da Tolerância: 
1. A Tolerância é sempre em relação a outra pessoa. Convivência. 
2. É preciso que o outro manifeste um pensamento. 
3. Que esse alguém comunique algo que eu não aprovo. 
4. A dissonância cognitiva. Nós geralmente evitamos mensagens que 
discordamos. 
5. Tolerância é uma resistência ao ódio(ódio segundo Espinosa). 
6. A tolerância não é o ódio. A tolerância é uma virtude moral, eu 
“eu não compartilho suas ideias, mas lutarei até a morte para que você tenha a 
liberdade de dizer o que pensa” Voltaire. 
A Limitação da tolerância: alguém está matando uma velha pq acha que velhos no 
mundo atrapalham. Vc defende a velha ou não? 
Portanto, não podemos fazer da nossa tolerância uma regra para todos, pois éai já 
não seria virtude e se coletiva. 
LAICO – é a forma de como o estado se organiza, é coletivo – é saber prático.
Características do Estado frente as instituições religiosas: 
1. Neutralidade 
2. Independência 
3. Liberdade. 
O estado laico é indiferente à questão religiosa. 
Imbricações: 
A cidade boa é aquela que possibilita a liberdade das pessoas. 
A moral boa é aquela que possibilita uma cidade boa. 
Ética e política então, são diferentes, mas estão imbricados. 
CRÍTICA DE ARISTÓTELE A DUALIDADE DE PLATÃO: 
Se o homem é duas partes, o que é o homem? 
Se o sofrimento do corpo afeta a alma(alfinete), e a decomposição do corpo? 
O dualismo resolveria o problema do limite da tolerância – a alma domina o corpo. 
Mas se só existe o corpo, se o mesmo corpo se excita, como ele mesmo delibera? 
Como ele pode dizer não à seus apetites? 
Não é possível demonstrar que a alma não exista e não há como saber... 
A6 P1 
A ética não estuda – Por que as pessoas agem com agem? Mas, como deveríamos 
agir. 
Ética Hoje: 
Como devemos viver? O que é uma vida boa? 
Olhar para a vida de um todo de um indivíduo – Ética das virtudes – Ética 
nicômico. 
GRANDES ÉPOCAS DA ÉTICA 
1. Ética das virtudes – gregos – nome Aristóteles. É a Ética do florescimento – 
converter a potência em desabrocha. Ex. botânico: A azaléia plantada no 
lugar errado, nas condições erradas, não desenvolve. 
a. Nem sempre há oportunidade para desenvolver as potencialidades. 
O mundo não é igual para todos. Exemplo: um cara que poderia ser 
bom demais de música jamais chegará a ser músico. 
b. Eudaimonia – Ibris=potência + Exssis=Treinamento == desempenho.
2. Ética da Teoria moral – Dois grandes grupos 
a. Teorias consequencialísmo – tudo depende das consequências da 
ação. 
Ex. a boa aula é aquela que agrada os alunos – passa a pesquisa de bom, 
ótimo e excelente – Se mudar o auditório, mudam os resultados – portanto o 
consequencialísmo é RELATIVISMO. 
Dois tipos: 
o Pragmatismo – o efeito conseguido é o efeito pretendido. Maquiavel. 
– é Egoísta. 
o Utilitarismo – Jeremy Berthram, John Stwart Mill – A felicidade do 
maior número de pessoas. É altruísta. Inglês. Ex. Responsabilidade 
social das empresas. 
b. Deontologia(moral de princípios) – A6 P4 - uma ação vale por ela 
mesma, e não pelas consequências. Pelos princípios. O GRANDE 
NOME É KANT. O mais importante filósofo moderno. Ex. o valor da 
aula está na aula. O valor da aula depende dos princípios. NÃO 
RELATIVISTA-ABSOLUTISTA. 
3. ÉTICA DE PROFISSÃO. A ética tornou-se um do campo das profissões – 
ex. éticas médicas. 
a. 
A7 P1 – Fé e Virtude 
Transição do pensamento grego para o moderno 
Epistemologia grega – o senso das coisas são reveladas pelo próprio ser – método 
contemplativo. Ex. abra um coelho e vc já vê o que é o que é o coelho. 
Para os Cristãos, mais importante que a Ordem Cósmica(dos gregos) é descobrir o 
Criador das coisas. Mas Deus não se encontra, exceto em Jesus. 
O método cristão não é mais contemplativo(grego), mas dialógico(cristão). 
A questão agora são as manifestações de Deus. 
Teorética – grega – a vida boa é o alinhamento com o a Ordem Cósmica. 
Pensamento Cristão – a vida boa é o alinhamento com a vontade de Deus. 
Para os gregos a ética e a vida boa são as mesmas coisas. 
Para os cristãos a ética e a felicidade são coisas muito diferentes. 
Ex. Respeitar os outros não te exime de ter câncer. 
Outra diferença:
Para os gregos – as pessoas são diferentes – escravos e livres. 
Cristão – as pessoas são iguais. 
Quais são as virtudes cristãs? Virtudes Teologais: A fé, a Esperança e o Amor. 
Fé: uma virtude cognitiva – certeza – conhecimento específico – que não decorre de 
comprovação. 
Esperança: é um sentimento. 
A criação é má, porque Deus é bom. Deus não podia criar Deus, portanto, ele só 
podia criar uma coisa má. 
Deus abandonou a criação para que a criação pudesse existir. Esse abandonar é 
chamado de Amor Ágape. 
MEU COMENTÁRIO: a visão do prof Clóvis sobre Deus é Deísta e o que eu diria 
como sendo “Semi-gnóstica”. Deísta porque o “Deus” apresentado por ele 
abandonou sua criação. Semi-Gnóstica porque, se o que “Deus” criou é mau, então 
a criação em si é má. 
A8 – REVISÃO 
A8 P1 
A8 P2 
GREGOS – Mundo finito e ordenado – cada parte tem sua função e pertencimento. 
A8 P3 
A8 P4 – Furos do consequencialismo. 
Kantismo – 
Alguns princípios de Kant: Desconfiança e Confiança 
O Imperativo Categórico é: Quando vc tem dois princípios contraditórios deve 
prevalecer o princípio universalizável – Aquele que todos podem fazer igual.. No 
exemplo acima, a Confiança vem primeiro que a desconfiança. Crítica da Raçzão 
prática. 
Edgar Morran – Complexidade dos Valores. 
4º PACOTE ÉTICO DO SÉC 20 – ÉTICA DA DISCUSSÃO. 
Habermas – maior nome – 
Se os valores são complexos, os princípios são contraditórios, quais deverão 
prevalecer? 
Alguns dirão: os que Cristo disse, o que Maomé disse... 
Outros: Aqueles que nós decidimos que devem prevalecer. Habermas chama: 
A9 P1 – EMANUEL KANT – PARALELO COM ARISTÓTELES. 
1. A ética de Kant é das condutas singularmente consideradas, embora não
descarte a vida como um todo – de Aristóteles. 
2. A moral Kant é a capacidade de deliberar contra as próprias pulsões dos 
apetites. Diferente de Aristóteles. 
3. Kant – Universo infinito e caótico. 
4. Kant – não há pessoas superiores à outros. 
5. Kant – a forma existe por conta da sua finalidade – Martelo. A razão da vida 
está naquilo de mais específico que caracteriza o ser humano. 
PARALELISMO COM O UTILITARISMO – J. S. Mill diz que o que há de 
mais importante no home é a felicidade. Kant diz: O que caracteriza o 
homem é a capacidade pensar, deliberar e refletir a vida. Dessa forma o 
animal é mais competente(diz Kant) para buscar a felicidade. Ex. o homem 
no instinto bebe cachaça. O pensamento(diz Kant) atrapalha a felicidade. 
6. Todos os atributos do homem não são bons em si mesmos, exceto a BOA 
VONTADE. Portanto, toda ação só será boa se tiver por traz a BOA 
VONTADE. Aristóteles – desabrochar das virtudes. Em Kant – 
DESENVOLVER A BOA VONTADE. 
7. J. J. ROUSSEOU – VONTADE é quando o homem vai além do seu instinto. 
Vontade é pensamento a serviço da vida. 
8. Desejo e Vontade – Desejo=pulsão; Vontade=deliberação. 
A9 P4 
Agir segundo o Dever – A pessoa faz o que tem de fazer para não ser apanhado 
depois. 
Agir por Dever – A pessoa faz o que é certo porque crer que o dever é o certo. 
O núcleo da ética de Kant não é o que se faz, mas o “por quê” você 
fez(FUNDAMENTO) – INTENÇÃO da conduta. O fundamento da moral está na 
Intenção. 
O QUE É O DEVER? 
O dever é uma etapa do pensamento moral. 
IMPERATIVO – É a aplicação do Dever a uma situação concreta. Aquilo que você 
não se permite fazer, mesmo quando ninguém está te vendo. 
Moral é o que você não deixa você fazer. Moral é o descolamento do Desejo e da 
Vontade. Ex. O estuprador não é regido pela Vontade. 
A9 – P5 
DOIS IMPERATIVOS DE KANT 
Imperativo Hipotético – Ip Condicionado pelo interesse. Ex. Na hipótese de você 
pretender emagrecer, ...”coma menos”(imperativo). É um imperativo condicionado 
ao que você pretende. 
A9 – P6 *
Imperativo Categórico – Imperativo que funcione pra qualquer um, em qualquer 
lugar independente de você pretender. Os Imperativos Categóricos permitem 
resolver conflitos. Ex. Pretendo fazer um curso, mas não há vagas. 
O IMPERATIVO CATÉGORICO É – VIVA DE TAL MANEIRA QUE A TUA 
VONTADE PRETENDA QUE O PRINCÍPIO QUE REGE O TEU 
COMPORTAMENTO POSSA REGER O COMPORTAMENTO DE QUALQUER 
UM. Exemplo: o prof. Julga sua aula, colocando-se no lugar do aluno. 
A10 P1 
Resumo e Paralelo do pensamento Grego com o pensamento Kantiano. 
Para Kant, não é a virtude(talento natural) que faz a dignidade da ética. 
Pensamento grego: a moral é elevar a natureza – jamais blasfemar contra a 
natureza. 
Pensamento moderno: a moral é faz a Vontade se elevar sobre o Desejo(libido). 
Para Kant nada(nenhum talento/virtude) é boa em si – pode ser usado para o mal. 
A10 P2 
CONSEQUÊNCIAS DA RUPTURA DO PG PARA O PKANTIANO: 
1. Afeta o Trabalho. 
a. Para o Grego, o exercício florece nos seus talentos. Pensamento ético 
aristocrático – o trabalho é confinado às pessoas “menos dignas”. 
b. Para o kantiano – não é o talento, mas como se faz o trabalho. Pessoas 
de pouco talento, através do TRABALHO, mostre a sua dignidade. 
A10 P3 
2. Igualdade. 
a. P Antigo – não há igualdade. O talento natural é desigualmente 
distribuídos. 
b. P Moderno – há um descolamento da dignidade moral da natureza. 
A Moral não tem nada a ver com a natureza. Todos temos a 
capacidade de usar a razão(igualdade) e destinar o que fazermos com 
a Natureza, desejos, talentos. 
A moral não é um talento, mas os argumentos que eu uso para decidir o que fazer 
com os talentos – Pressuposição: todos os homens tem a capacidade moral. 
Talentos desiguais, Razão igual e uso da Razão desigual. 
ARISTÓTELS: Tratar desigualmente as pessoas desiguais na medida da sua 
desigualdade. Ex. ao melhor flautista, a melhor flauta. 
KANT: Tratar igualmente os desiguais, pouco importando a sua desigualdade. 
A10 P4
3. HUMANIDADE – conceito moderno. A ídeia de humanidade surge no 
humanismo ético – pq o homem passou a se ver como num grupo só. 
a. Antigo – escravos podia lavar uma senhora aristocrata, pois não 
partilhavam da mesma humanidade. 
b. O inverso. 
RUPTURA DO PENSAMENTO KANTIANO CRISTÃO 
1 – O fundamento ético cristão é – o dever é fazer a vontade de Deus. 
2 – Para Kant, Deus é uma questão de fé(certeza de coisas que não podemos 
demonstrar). Ética é certeza de coisas que podem ser demonstradas. 
A11 P1 
Nietsche. Filosofa por meio de aforismos. Ele acredita que o que vem à nossa 
cabeça é como um subproduto da consciência – um recorte insignificante da 
consciência. 
A consciência é um recorte casual da psique. 
O que passa pela sua cabeça tem a ver com o que você sente. Isto é, você não é 
senhor na sua própria casa(Freud) porque não é a consciência que faz os recortes. 
“CHAVES DO CASTELO” PARA ENTENDER NIETSCHE: 
1. NIHILISMO. Nihil – latim = nada, vazio, falta. É uma forma de conduzir a 
vida sem valores superiores, sem princípios que transcendam a ela. 
Negação de valores superiores. Ex. “Deixa a vida me levar”. 
a. Em Nietsche Nihilismo é o contrário. O Nihilista é aquele que pauta a 
v por valores superiores. 
b. Nietsche diz que aquele que tem valores superios(nihilista) nega os 
desejos. “em nome do céu, nega-se à terra”. Por isso o nihilista é 
aquela que nega a terra. 
c. Para N. o primeiro nihilista é Platão(nega a matéria pela essência). 
d. Aristóteles é o segundo – (cosmos=mundo organizado, o homem é 
uma peça no cosmo). 
e. Terceiro: Os monoteístas – Deus – Pensamento cristão. 
f. “Os homens criaram o ideal para negar o real”. 
Nietsche não promete uma verdade. 
“Não espere que erija novos ídolos” – ídolos, para Nietsche é o ideal(princípios 
transcendentes). “Crepúsculo dos ídolos” – o fim dos princípios transcendentes.
Martelo – Nietsche acha que há de destruir os ídolos – “os ídolos verão o 
quanto custa ter pés de argila. A filosofia de Nietsche é descontrucionismo. 
2. A MORTE DOS DEUS. Nietsche usa essa frase de zueira. É a morte de todas 
as visões morais de todos os tempos. Com a morte de Deus morre toda 
moral Ideal. “Uma sombra aterrorizou a Europa”. 
“nós que defendemos outra fé, nós que consideramos a democracia 
A democracia é uma forma de organização da sociedade privilegia o que é ruim. 
3. AMOR FATE: A NEGAÇÃO DO MUNDO DA VIDA – se o nihilismo é a 
negação do mundo da vida, o que é o mundo da vida? 
a. Energia – Vontade de Potência. = Vontade de Agir(spinosa) = 
Vontade (scopenhaur) = Vital(Bergsen de Elã). Característica de 
Vontade de Potência – buscar mais potência. Somos energia que 
busca mais energia. 
i. Força ativa – aquela que existe por si só. 
ii. Força reativa – quela que existe para se opor a força 
existente. 
iii. Em algums momentos prevalecem as ativas e reativa. 
iv. O fraco é o que usa a forçla reativa. Daí nasce a 
Democracia, pois os fracos passam a ter "voz", "voto", "valor", 
se juntam, e assim podem se opor aos fortes. 
v. A arte é uma força superativa. 
A12 P1 
Resumo - Nietsche 
Nietsche diz que o Super-homem é aquele que é anti-nihilista - é 
aquele que não vive de "muletas" transcendetais. que procura 
resolver a vida da existência em si mesma. 
A12 P2 
3ª CHAVE: AMOR FATE - Amor pelo mundo como ele é. 
Transformação do mundo - Ex. Marx 
Conciliação com o mundo - Nietsche, Espinosa 
Nietsche se solidariza com os estóicos - o passado e o futuro não existem. É 
considerado como um mal. Se você pensa no passado ou no futuro você 
vive no irreal. 
Resgatar o passado é uma tentativa de reconstruir - é fuga. 
A12 P3 
Pensar no futuro é uma fuga.
Passado: 
culpa(pensamento ruim) 
nostalgia(pensamento bom) 
Futuro: 
medo(pensamento ruim) 
esperança(pensamento bom) 
As quatro são negativas(para Nietsche). pois está desfocada para fora da 
realidade. O passado e o futuro desintensificam a vida. 
O sábio nietscheano é estóico: lamente um pouco(tese da culpabilidade), 
espere um pouco menos e ame um pouco mais. 
Exemplo: As irritações que você tem com seu cônjuge acontecem porque 
você tem um Cônjuge Ideal. Mas você deve amar seu conjuge como ele é 
e não como você o imagina. Se ele for um galinha, ele ainda te ama, mas o 
Ideal(ídolo) que você tem na cabeça te atrapalha a ver isso. 
A13 P1 
A DOUTRINA DO ETERNO RETORNO 
É um mecanismo de atribuição de valor. 
é uma proposta de procedimento intelectual de separação dos instantes de 
vida fracassados dos hesitosos. Vida intensa. 
"É preciso julgar a vida na vida(forças vitas, ativas e reativas)" com isso N 
está dizendo que é preciso ignorar qualquer transcendência. 
A13 P2 
DOIS NÍVEIS DE QUERER 
1. Tudo o que queres fazer. 
2. Querer fazer um número infinito de vezes. Eterno Retorno. É viver 
querendo que aquele momento não acabe mais. Ex. pessoa que dá aula, 
quer da aula todo dia e toda hora. 
"Isso será para ti o centro de gravidade mais sólido" - baseado na 
particularidade do MEU querer e não um querer "transcendente". Critério 
vida escolhido pela própria vida. 
Você não pode se responsabilizar pelo desejo de amanhã(o amanhã não 
existe, portanto o corpo desejante de hoje não exite ainda no amanhã). Ex. 
Vc deseja (eternamente) sua esposa hoje. Amanhã talvez não. Alguém 
diz: mas isso é trapassa com ou outro! Nietsche dirá: "Então destrua sua
vida em nome do outro!" - Nietsche considera isso uma forma suprema 
de fracasso. 
A13 P3 
"A minha doutrina exige que devas DESEJAR viver. parafraseando Kant - 
só que em Kant é a VONTADE(Razão universal). 
"Aquele cujo esfoço é a alegria suprema, que se esforce" - Paixão da 
Alegria. Se o esforço te alegra, esforça-te. 
Se a alegria está no REPOUSO, Repouse; se a alegria é o esforço, esforça-te. 
Aqui, ao contrário de Kant O IMPERATIVO É SEMPRE HIPOTÉTICO. 
É preciso ter alguma consciencia da causa dessa alegria. 
PRAGMATISMO - a razão da sua vida está no objetivo. 
NIETSCHE - o pragmatismo está fora da vida. Ex. o vender bem-sucedido 
não é aquele que alcançou o seu objetivo, mas aquele que deseja vender 
sempre, quer tenha sucesso ou não. Nietsche então não é um Utilitarista, 
pragmatista, nem intensionalista, mas um VITALISTA - Para ele o que a 
vida tem de mais central é o desejo. 
A13 P4 
"mas que SAIBA BEM o que deseja e não recue ante nenhum meio" - 
consciência. 
A13 P5 
RESUMO e conclusão 
ETERNIDADE é o presente que não vira passado. 
Presente é o que vira passado.
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel KantA filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel Kant
Matheus Felipe
 
FILOSOFIA DE KANT
FILOSOFIA DE KANTFILOSOFIA DE KANT
FILOSOFIA DE KANT
Victor França
 
Immanuel kant[1]
Immanuel kant[1]Immanuel kant[1]
Immanuel kant[1]
Daniele Moura
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
Fabio Santos
 
Filosofia moral ética e moral com exercícios.
Filosofia moral   ética e moral com exercícios.Filosofia moral   ética e moral com exercícios.
Filosofia moral ética e moral com exercícios.
Gabriel Falcão
 
Ética:por que e para que ?
Ética:por que e para que ?Ética:por que e para que ?
Ética:por que e para que ?
alinesantana1422
 
A moral de Kant
A moral de KantA moral de Kant
A moral de Kant
Paulo Gomes
 
Etica antropocentrica
Etica antropocentricaEtica antropocentrica
Etica antropocentrica
Polly Souto
 
Immanuel Kant - Roteiro de aula
Immanuel Kant - Roteiro de aulaImmanuel Kant - Roteiro de aula
Immanuel Kant - Roteiro de aula
Rafael Oliveira
 
Ética a Nicômaco
Ética a NicômacoÉtica a Nicômaco
Ética a Nicômaco
Alexsandre Emanuel Serejo
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
firminomaissociologiafilosofia2019
 
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Aula 2 o direito em kant
Aula 2   o direito em kantAula 2   o direito em kant
Aula 2 o direito em kant
Leandro Alano
 
A ética em socrates
A ética em socratesA ética em socrates
A ética em socrates
IFMG e COLTEC
 
Texto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecerTexto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecer
Mary Alvarenga
 
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
Filosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2014 - jcaFilosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
José Carlos S. de Almeida
 
Immanuel kant
Immanuel kantImmanuel kant
Immanuel kant
CarolineCougo
 
Filosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os ValoresFilosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os Valores
InesTeixeiraDuarte
 
Fundamentação da metafísica dos costumes
Fundamentação da metafísica dos costumesFundamentação da metafísica dos costumes
Fundamentação da metafísica dos costumes
Icaro Guerra
 
A ética em aristóteles
A ética em aristótelesA ética em aristóteles
A ética em aristóteles
robertosiebra
 

Mais procurados (20)

A filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel KantA filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel Kant
 
FILOSOFIA DE KANT
FILOSOFIA DE KANTFILOSOFIA DE KANT
FILOSOFIA DE KANT
 
Immanuel kant[1]
Immanuel kant[1]Immanuel kant[1]
Immanuel kant[1]
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
 
Filosofia moral ética e moral com exercícios.
Filosofia moral   ética e moral com exercícios.Filosofia moral   ética e moral com exercícios.
Filosofia moral ética e moral com exercícios.
 
Ética:por que e para que ?
Ética:por que e para que ?Ética:por que e para que ?
Ética:por que e para que ?
 
A moral de Kant
A moral de KantA moral de Kant
A moral de Kant
 
Etica antropocentrica
Etica antropocentricaEtica antropocentrica
Etica antropocentrica
 
Immanuel Kant - Roteiro de aula
Immanuel Kant - Roteiro de aulaImmanuel Kant - Roteiro de aula
Immanuel Kant - Roteiro de aula
 
Ética a Nicômaco
Ética a NicômacoÉtica a Nicômaco
Ética a Nicômaco
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
 
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a felicidade é coletiva - texto e atividade - Prof. Noe Assunção
 
Aula 2 o direito em kant
Aula 2   o direito em kantAula 2   o direito em kant
Aula 2 o direito em kant
 
A ética em socrates
A ética em socratesA ética em socrates
A ética em socrates
 
Texto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecerTexto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecer
 
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
Filosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2014 - jcaFilosofia 10   sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
Filosofia 10 sumários desenvolvidos 2011-2014 - jca
 
Immanuel kant
Immanuel kantImmanuel kant
Immanuel kant
 
Filosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os ValoresFilosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os Valores
 
Fundamentação da metafísica dos costumes
Fundamentação da metafísica dos costumesFundamentação da metafísica dos costumes
Fundamentação da metafísica dos costumes
 
A ética em aristóteles
A ética em aristótelesA ética em aristóteles
A ética em aristóteles
 

Destaque

ética aristotélica
ética aristotélicaética aristotélica
ética aristotélica
marifonseca
 
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
Secretaria da Educação
 
A Virtude Da Fé Pdf
A Virtude Da Fé PdfA Virtude Da Fé Pdf
A Virtude Da Fé Pdf
rowalino
 
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
why study ethics
why study ethics  why study ethics
why study ethics
oudesign
 
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
mitrablueaires
 
Empirismo de David Hume (Doc2)
Empirismo de David Hume (Doc2)Empirismo de David Hume (Doc2)
Empirismo de David Hume (Doc2)
guest9578d1
 
13e14 111012
13e14 11101213e14 111012
13e14 111012
Joel Fonseca
 
Modulo I - OGD
Modulo I - OGDModulo I - OGD
Modulo I - OGD
Joana Oliveira
 
Kant
KantKant
Teoria da Atribuição
Teoria da AtribuiçãoTeoria da Atribuição
Teoria da Atribuição
Adm Unime
 
Resumo bom filosofia
Resumo bom filosofiaResumo bom filosofia
Resumo bom filosofia
pmarisa10
 
Trabalho de ogd principal
Trabalho de ogd principalTrabalho de ogd principal
Trabalho de ogd principal
Pedro Alves
 
Ogd definições e conceitos
Ogd definições e conceitosOgd definições e conceitos
Ogd definições e conceitos
Pedro Alves
 
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_anoSeb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
Isabel Moura
 
Exercitando a ética estudo de casos - Prof. Noe Assunção
Exercitando a ética   estudo de casos - Prof. Noe AssunçãoExercitando a ética   estudo de casos - Prof. Noe Assunção
Exercitando a ética estudo de casos - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicaçãoFundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
Laércio Góes
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
Carson Souza
 
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
Rosane Domingues
 
Resultado da pesquisa como fazer um Relatório
Resultado da pesquisa como fazer um RelatórioResultado da pesquisa como fazer um Relatório
Resultado da pesquisa como fazer um Relatório
Pedro Henrique
 

Destaque (20)

ética aristotélica
ética aristotélicaética aristotélica
ética aristotélica
 
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
 
A Virtude Da Fé Pdf
A Virtude Da Fé PdfA Virtude Da Fé Pdf
A Virtude Da Fé Pdf
 
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
Etica 3.0: a ética é algo combinado entre e respeitado pelas partes – Clóvis ...
 
why study ethics
why study ethics  why study ethics
why study ethics
 
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
Ogd mod 5_conteúdos _1 a 2.5
 
Empirismo de David Hume (Doc2)
Empirismo de David Hume (Doc2)Empirismo de David Hume (Doc2)
Empirismo de David Hume (Doc2)
 
13e14 111012
13e14 11101213e14 111012
13e14 111012
 
Modulo I - OGD
Modulo I - OGDModulo I - OGD
Modulo I - OGD
 
Kant
KantKant
Kant
 
Teoria da Atribuição
Teoria da AtribuiçãoTeoria da Atribuição
Teoria da Atribuição
 
Resumo bom filosofia
Resumo bom filosofiaResumo bom filosofia
Resumo bom filosofia
 
Trabalho de ogd principal
Trabalho de ogd principalTrabalho de ogd principal
Trabalho de ogd principal
 
Ogd definições e conceitos
Ogd definições e conceitosOgd definições e conceitos
Ogd definições e conceitos
 
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_anoSeb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
 
Exercitando a ética estudo de casos - Prof. Noe Assunção
Exercitando a ética   estudo de casos - Prof. Noe AssunçãoExercitando a ética   estudo de casos - Prof. Noe Assunção
Exercitando a ética estudo de casos - Prof. Noe Assunção
 
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicaçãoFundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
Fundamentos da ética - legislação e ética da comunicação
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
Orientações técnicas sobre o serviço de convivência e fortalecimento de víncu...
 
Resultado da pesquisa como fazer um Relatório
Resultado da pesquisa como fazer um RelatórioResultado da pesquisa como fazer um Relatório
Resultado da pesquisa como fazer um Relatório
 

Semelhante a Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis

ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
3aula vestibular - filosofia
3aula   vestibular - filosofia3aula   vestibular - filosofia
3aula vestibular - filosofia
WALTER ALENCAR DE SOUSA
 
Breve História da Ciência
Breve História da CiênciaBreve História da Ciência
Breve História da Ciência
Gonçalo Ferraz
 
O que é ética
O que é éticaO que é ética
O que é ética
Katia Lopes
 
Filosofia jurídica parte 2
Filosofia jurídica parte 2Filosofia jurídica parte 2
Filosofia jurídica parte 2
Pitágoras
 
Ética
Ética Ética
O conhecimento filosófico
O conhecimento filosóficoO conhecimento filosófico
O conhecimento filosófico
Alan
 
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agostoLista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
Gleycilene Garcia Lima
 
Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...
josivaldopassos
 
Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...
josivaldopassos
 
Filosofia. Por que estudar
Filosofia. Por que estudarFilosofia. Por que estudar
Filosofia. Por que estudar
josivaldopassos
 
Filosofia. Por que estudar?
Filosofia. Por que estudar?Filosofia. Por que estudar?
Filosofia. Por que estudar?
josivaldopassos
 
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia   dos Pré Socráticos ao HelenismoHistória da Filosofia   dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
Lucio Oliveira
 
Platão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaPlatão Sociedade Grega
Platão Sociedade Grega
Alan
 
Sócrates e Platão
Sócrates e PlatãoSócrates e Platão
Sócrates e Platão
Erica Frau
 
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da FilosofiaAula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Unidade 2 [01] correntes ou concepções filosóficas
Unidade 2 [01]   correntes ou concepções filosóficasUnidade 2 [01]   correntes ou concepções filosóficas
Unidade 2 [01] correntes ou concepções filosóficas
Lucilaine Ignacio da Silva
 
1 ano slides
1 ano slides1 ano slides
1 ano slides
Victor França
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
Gutt1848
 
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdfSlides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
Natan Baptista
 

Semelhante a Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis (20)

ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
 
3aula vestibular - filosofia
3aula   vestibular - filosofia3aula   vestibular - filosofia
3aula vestibular - filosofia
 
Breve História da Ciência
Breve História da CiênciaBreve História da Ciência
Breve História da Ciência
 
O que é ética
O que é éticaO que é ética
O que é ética
 
Filosofia jurídica parte 2
Filosofia jurídica parte 2Filosofia jurídica parte 2
Filosofia jurídica parte 2
 
Ética
Ética Ética
Ética
 
O conhecimento filosófico
O conhecimento filosóficoO conhecimento filosófico
O conhecimento filosófico
 
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agostoLista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
Lista de exercicios da 1ª série com gabarito em agosto
 
Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...
 
Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...Filosofia. por que estudar...
Filosofia. por que estudar...
 
Filosofia. Por que estudar
Filosofia. Por que estudarFilosofia. Por que estudar
Filosofia. Por que estudar
 
Filosofia. Por que estudar?
Filosofia. Por que estudar?Filosofia. Por que estudar?
Filosofia. Por que estudar?
 
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia   dos Pré Socráticos ao HelenismoHistória da Filosofia   dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
 
Platão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaPlatão Sociedade Grega
Platão Sociedade Grega
 
Sócrates e Platão
Sócrates e PlatãoSócrates e Platão
Sócrates e Platão
 
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da FilosofiaAula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
Aula 03 - Sócrates e o Nascimento da Filosofia
 
Unidade 2 [01] correntes ou concepções filosóficas
Unidade 2 [01]   correntes ou concepções filosóficasUnidade 2 [01]   correntes ou concepções filosóficas
Unidade 2 [01] correntes ou concepções filosóficas
 
1 ano slides
1 ano slides1 ano slides
1 ano slides
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
 
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdfSlides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
Slides - Aula 02 - Sofistas e Sócrates.pdf
 

Último

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 

Último (20)

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 

Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis

  • 1. Maquiavel - pragmatismo - O que interessa é se consegui o resultado - os métodos não importam. Stwart Mill - Jeremy Benthram - Utilitarista Kant - Intensionalista - para eu saber se o que eu fiz é bom ou ruim eu tenho que avaliar a INTENSÃO e não pelos resultados. Niteche - Vitalista - convivencia entre as Formigas - definida pela NATUREZA - INEXORÁVEL - NECESSÁRIA - não pode mudar. convivência entre humanos - definida pela CONTINGÊNCIA - pode ser diferente. A pós-modernidade é uma mistura de pensamentos(desde o antigo). PRÉ-SOCRÁTICOS: Os primeiros filósofos eram da MÁGNA GRÉCIA, JÔNIA em MILETO - Turquia hoje. - O principal deles Thales. Anaximandro, anaxágoras etc. Muitos dos Pré- Socráticos foram contemporâneos de Sócrates. THALES - pro trás da singularidade de cada coisa há uma matéria substancial - Existe formas diferentes da matéria, mas a matéria é a mesma(ARCHê). Que princípio é esse? Thales sugeriu a água. "Por trás da complexidade existe uma simplicidade". Por trás da diversidade existe uma unidade. PITÁGORAS - MAGNA GRÉCIA-Itália. O Homem é constituído de corpo e alma. ESSÊNCIA - Aquilo que numa coisa não é acidental - aquilo que sem ela a coisa não é. PREOCUPAÇÃO ÉTICA DOS PITAGÓRICOS: Purificar a alma e não saber se uma conduta era justa ou não.
  • 2. ELEATAS - Penísula Itálica - Eléa Parmênedes - Pai do Princípio da IDENTIDADE: O que é, é, e o que não é, não é. = SÓ UMA COISA É. SÓ EXISTE UMA COISA. O QUE É NÃO SE DESLOCA. As idéias de Parmênedes deu base para o mundo das Idéias de Platão. exemplo da idéia de galinha. ZENÃO - Enigma de Zenão - "O Corredor" - Platão resolve dizendo que toda equação que envolve espaço deve envolver tempo. SOCRATES: A Ética é a transcendência da própria vida. Sócrates morreu por um princípio Ético. Há princípios que são mais importantes que a própria vida. PLATÃO(Nome: Arístocles): Early dialogue: Apresentação do pensamento de Sócrates. Midle and Laidy dialogue: Sócrates é usado para a apresentação de Platão(os melhores diálogos - Midles). Principal pensamento grego: Parmênedes, Platão e Estóicos - afirmam: "Zeus pôs ordens no mundo" - A herança pitagórica - dualidade. O corpo tem necessecidades, mas a alma não está a mercê do corpo.A alma pode dizer não. Por isso as pessoas são presas, pois a alma poderia ter decidido contrário do corpo. 3 DUALISMO DE PLATÃO: · Dualismo METAFÍSICO: mundo de baixo(materialidades, cadeira) x Mundo de Cima(Idéias – a cadeira ideal, as formas ideais que temos em mente). · Dualismo EPISTEMOLÓGICO: 1) Conhecimento das formas ideais: Justiça, beleza, essência da cadeira – conhecimento propriamente dito. 2) Conhecimento das experiências – Doxa=opinião – filosoficamente pobre. · Dualismo ANTROPOLÓGICO: corpo x alma. Corpo lida como as coisas materiais e a alma com as formas. Quem discute com Platão? os monistas. Demócrito e Leucitos. DUAS CORRENTES Dualistas Monistas Platão Demócrito - Decartes Zenão
  • 3. Kant Parmênedes Habermas Espinoza Foucault Freud Oito argumentos de Platão contra o monismo. O anel de giges. Reflexão da vida 1. Vc pensa pra viver 2. Vc atribui valor a muitas alternativas 3. Indentifica a altenativa de maior valor 4. Vc decide o que vc vai fazer 5. Vc faz o que vai fazer Vc faz com maior ou menor influência de fora da moral “de todos”. Mais moral = menos (coação – ex. polícia, radar, etc). Mais polícia=menos moral. – PLATÃO. Ex. Suíça – você compra jornal e não tem quem cobra, vc paga se quiser. País da Escandinava – vc anda no metrô e não há quem cobre – pagar é uma questão moral. República de Platão: Uma sociedade luxuosa exige mais gente para servir o luxo de poucos, e exige ainda mais território. isto vai acabar em guerra. - Níveis da ética 1. CONCRETUDE – O FATO 2. IDENTIFICAÇÃO DE VALORES 3. OS PRINCÍPIOS A ÉTICA estuda o valor da conduta e não “por quê” alguém fez alguma coisa. Ex. Por quê João matou Pedro? A psicologia diria: porque ele estava deprimido. A ciência diria outra coisa. A ética olha de modo filosófico: Qual o valor de Matar alguém? O nível dos princípios. O que é que faz com que matar seja inaceitável? ARISTÓTELES: Não aceitava o dualismo de Platão. O que confere valor ético à uma conduto é o comportamento do HOMEM VIRTUOSO. O Fundamento da Ética em Aristóteles não é uma IDÉIA, como Platão diz, mas uma VIRTUDE.(Filósofos Virtuosos).
  • 4. O Homem Virtuoso é aquele que sabe como agir bem em cada situação concreta de vida. A virtude do homem se mostra na tempestade – Exemplo de Aristóteles – o Comandante transportando carga no navio, vem a tempestade... 1ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Sabe como agir. DISTRIBUIÇÃO Igualdade aritmética(2 pra um, 2 pra outro) Igualdade geométrica(2 está para 4, assim com 4 está para 8) Exemplo – a distribuição dos pedaços de bolo(bolo pode ser orçamento). As variáveis são inúmeras. Por isso, o homem virtuoso – Rei Salomão. Justiça corretiva – aritmética. Dar um pedaço de bolo igual para desiguais. Justiça distributiva – geométrica. Retribuindo numa desigualdade pré-existente. Essas duas “justiças” de Aristóteles são Justiças Ideológicas. 2ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Age de acordo com a sua sabedoria. Aristóteles ensina que não basta ter a potência pra fazer algo, tem fazer e por HÁBITO. Acerta o alvo por HÁBITO. O homem virtuoso é aquele que regulamente são virtuso. 3ª CARACTERISTICA DO HOMEM VIRTUOSO: Vive pelas razões certas. Exemplo: professor não quer dar aula e inventa razões para parar a aula. O Virtuoso é virtuoso e não cínico. Ele continua a aula. Por razões de honestidade. TOLERÂNCIA – é uma Virtude moral – portanto individual, mas um saber pratico. É aceitar comportamento nos outros que não concordamos. Pressupostos da Tolerância: 1. A Tolerância é sempre em relação a outra pessoa. Convivência. 2. É preciso que o outro manifeste um pensamento. 3. Que esse alguém comunique algo que eu não aprovo. 4. A dissonância cognitiva. Nós geralmente evitamos mensagens que discordamos. 5. Tolerância é uma resistência ao ódio(ódio segundo Espinosa). 6. A tolerância não é o ódio. A tolerância é uma virtude moral, eu “eu não compartilho suas ideias, mas lutarei até a morte para que você tenha a liberdade de dizer o que pensa” Voltaire. A Limitação da tolerância: alguém está matando uma velha pq acha que velhos no mundo atrapalham. Vc defende a velha ou não? Portanto, não podemos fazer da nossa tolerância uma regra para todos, pois éai já não seria virtude e se coletiva. LAICO – é a forma de como o estado se organiza, é coletivo – é saber prático.
  • 5. Características do Estado frente as instituições religiosas: 1. Neutralidade 2. Independência 3. Liberdade. O estado laico é indiferente à questão religiosa. Imbricações: A cidade boa é aquela que possibilita a liberdade das pessoas. A moral boa é aquela que possibilita uma cidade boa. Ética e política então, são diferentes, mas estão imbricados. CRÍTICA DE ARISTÓTELE A DUALIDADE DE PLATÃO: Se o homem é duas partes, o que é o homem? Se o sofrimento do corpo afeta a alma(alfinete), e a decomposição do corpo? O dualismo resolveria o problema do limite da tolerância – a alma domina o corpo. Mas se só existe o corpo, se o mesmo corpo se excita, como ele mesmo delibera? Como ele pode dizer não à seus apetites? Não é possível demonstrar que a alma não exista e não há como saber... A6 P1 A ética não estuda – Por que as pessoas agem com agem? Mas, como deveríamos agir. Ética Hoje: Como devemos viver? O que é uma vida boa? Olhar para a vida de um todo de um indivíduo – Ética das virtudes – Ética nicômico. GRANDES ÉPOCAS DA ÉTICA 1. Ética das virtudes – gregos – nome Aristóteles. É a Ética do florescimento – converter a potência em desabrocha. Ex. botânico: A azaléia plantada no lugar errado, nas condições erradas, não desenvolve. a. Nem sempre há oportunidade para desenvolver as potencialidades. O mundo não é igual para todos. Exemplo: um cara que poderia ser bom demais de música jamais chegará a ser músico. b. Eudaimonia – Ibris=potência + Exssis=Treinamento == desempenho.
  • 6. 2. Ética da Teoria moral – Dois grandes grupos a. Teorias consequencialísmo – tudo depende das consequências da ação. Ex. a boa aula é aquela que agrada os alunos – passa a pesquisa de bom, ótimo e excelente – Se mudar o auditório, mudam os resultados – portanto o consequencialísmo é RELATIVISMO. Dois tipos: o Pragmatismo – o efeito conseguido é o efeito pretendido. Maquiavel. – é Egoísta. o Utilitarismo – Jeremy Berthram, John Stwart Mill – A felicidade do maior número de pessoas. É altruísta. Inglês. Ex. Responsabilidade social das empresas. b. Deontologia(moral de princípios) – A6 P4 - uma ação vale por ela mesma, e não pelas consequências. Pelos princípios. O GRANDE NOME É KANT. O mais importante filósofo moderno. Ex. o valor da aula está na aula. O valor da aula depende dos princípios. NÃO RELATIVISTA-ABSOLUTISTA. 3. ÉTICA DE PROFISSÃO. A ética tornou-se um do campo das profissões – ex. éticas médicas. a. A7 P1 – Fé e Virtude Transição do pensamento grego para o moderno Epistemologia grega – o senso das coisas são reveladas pelo próprio ser – método contemplativo. Ex. abra um coelho e vc já vê o que é o que é o coelho. Para os Cristãos, mais importante que a Ordem Cósmica(dos gregos) é descobrir o Criador das coisas. Mas Deus não se encontra, exceto em Jesus. O método cristão não é mais contemplativo(grego), mas dialógico(cristão). A questão agora são as manifestações de Deus. Teorética – grega – a vida boa é o alinhamento com o a Ordem Cósmica. Pensamento Cristão – a vida boa é o alinhamento com a vontade de Deus. Para os gregos a ética e a vida boa são as mesmas coisas. Para os cristãos a ética e a felicidade são coisas muito diferentes. Ex. Respeitar os outros não te exime de ter câncer. Outra diferença:
  • 7. Para os gregos – as pessoas são diferentes – escravos e livres. Cristão – as pessoas são iguais. Quais são as virtudes cristãs? Virtudes Teologais: A fé, a Esperança e o Amor. Fé: uma virtude cognitiva – certeza – conhecimento específico – que não decorre de comprovação. Esperança: é um sentimento. A criação é má, porque Deus é bom. Deus não podia criar Deus, portanto, ele só podia criar uma coisa má. Deus abandonou a criação para que a criação pudesse existir. Esse abandonar é chamado de Amor Ágape. MEU COMENTÁRIO: a visão do prof Clóvis sobre Deus é Deísta e o que eu diria como sendo “Semi-gnóstica”. Deísta porque o “Deus” apresentado por ele abandonou sua criação. Semi-Gnóstica porque, se o que “Deus” criou é mau, então a criação em si é má. A8 – REVISÃO A8 P1 A8 P2 GREGOS – Mundo finito e ordenado – cada parte tem sua função e pertencimento. A8 P3 A8 P4 – Furos do consequencialismo. Kantismo – Alguns princípios de Kant: Desconfiança e Confiança O Imperativo Categórico é: Quando vc tem dois princípios contraditórios deve prevalecer o princípio universalizável – Aquele que todos podem fazer igual.. No exemplo acima, a Confiança vem primeiro que a desconfiança. Crítica da Raçzão prática. Edgar Morran – Complexidade dos Valores. 4º PACOTE ÉTICO DO SÉC 20 – ÉTICA DA DISCUSSÃO. Habermas – maior nome – Se os valores são complexos, os princípios são contraditórios, quais deverão prevalecer? Alguns dirão: os que Cristo disse, o que Maomé disse... Outros: Aqueles que nós decidimos que devem prevalecer. Habermas chama: A9 P1 – EMANUEL KANT – PARALELO COM ARISTÓTELES. 1. A ética de Kant é das condutas singularmente consideradas, embora não
  • 8. descarte a vida como um todo – de Aristóteles. 2. A moral Kant é a capacidade de deliberar contra as próprias pulsões dos apetites. Diferente de Aristóteles. 3. Kant – Universo infinito e caótico. 4. Kant – não há pessoas superiores à outros. 5. Kant – a forma existe por conta da sua finalidade – Martelo. A razão da vida está naquilo de mais específico que caracteriza o ser humano. PARALELISMO COM O UTILITARISMO – J. S. Mill diz que o que há de mais importante no home é a felicidade. Kant diz: O que caracteriza o homem é a capacidade pensar, deliberar e refletir a vida. Dessa forma o animal é mais competente(diz Kant) para buscar a felicidade. Ex. o homem no instinto bebe cachaça. O pensamento(diz Kant) atrapalha a felicidade. 6. Todos os atributos do homem não são bons em si mesmos, exceto a BOA VONTADE. Portanto, toda ação só será boa se tiver por traz a BOA VONTADE. Aristóteles – desabrochar das virtudes. Em Kant – DESENVOLVER A BOA VONTADE. 7. J. J. ROUSSEOU – VONTADE é quando o homem vai além do seu instinto. Vontade é pensamento a serviço da vida. 8. Desejo e Vontade – Desejo=pulsão; Vontade=deliberação. A9 P4 Agir segundo o Dever – A pessoa faz o que tem de fazer para não ser apanhado depois. Agir por Dever – A pessoa faz o que é certo porque crer que o dever é o certo. O núcleo da ética de Kant não é o que se faz, mas o “por quê” você fez(FUNDAMENTO) – INTENÇÃO da conduta. O fundamento da moral está na Intenção. O QUE É O DEVER? O dever é uma etapa do pensamento moral. IMPERATIVO – É a aplicação do Dever a uma situação concreta. Aquilo que você não se permite fazer, mesmo quando ninguém está te vendo. Moral é o que você não deixa você fazer. Moral é o descolamento do Desejo e da Vontade. Ex. O estuprador não é regido pela Vontade. A9 – P5 DOIS IMPERATIVOS DE KANT Imperativo Hipotético – Ip Condicionado pelo interesse. Ex. Na hipótese de você pretender emagrecer, ...”coma menos”(imperativo). É um imperativo condicionado ao que você pretende. A9 – P6 *
  • 9. Imperativo Categórico – Imperativo que funcione pra qualquer um, em qualquer lugar independente de você pretender. Os Imperativos Categóricos permitem resolver conflitos. Ex. Pretendo fazer um curso, mas não há vagas. O IMPERATIVO CATÉGORICO É – VIVA DE TAL MANEIRA QUE A TUA VONTADE PRETENDA QUE O PRINCÍPIO QUE REGE O TEU COMPORTAMENTO POSSA REGER O COMPORTAMENTO DE QUALQUER UM. Exemplo: o prof. Julga sua aula, colocando-se no lugar do aluno. A10 P1 Resumo e Paralelo do pensamento Grego com o pensamento Kantiano. Para Kant, não é a virtude(talento natural) que faz a dignidade da ética. Pensamento grego: a moral é elevar a natureza – jamais blasfemar contra a natureza. Pensamento moderno: a moral é faz a Vontade se elevar sobre o Desejo(libido). Para Kant nada(nenhum talento/virtude) é boa em si – pode ser usado para o mal. A10 P2 CONSEQUÊNCIAS DA RUPTURA DO PG PARA O PKANTIANO: 1. Afeta o Trabalho. a. Para o Grego, o exercício florece nos seus talentos. Pensamento ético aristocrático – o trabalho é confinado às pessoas “menos dignas”. b. Para o kantiano – não é o talento, mas como se faz o trabalho. Pessoas de pouco talento, através do TRABALHO, mostre a sua dignidade. A10 P3 2. Igualdade. a. P Antigo – não há igualdade. O talento natural é desigualmente distribuídos. b. P Moderno – há um descolamento da dignidade moral da natureza. A Moral não tem nada a ver com a natureza. Todos temos a capacidade de usar a razão(igualdade) e destinar o que fazermos com a Natureza, desejos, talentos. A moral não é um talento, mas os argumentos que eu uso para decidir o que fazer com os talentos – Pressuposição: todos os homens tem a capacidade moral. Talentos desiguais, Razão igual e uso da Razão desigual. ARISTÓTELS: Tratar desigualmente as pessoas desiguais na medida da sua desigualdade. Ex. ao melhor flautista, a melhor flauta. KANT: Tratar igualmente os desiguais, pouco importando a sua desigualdade. A10 P4
  • 10. 3. HUMANIDADE – conceito moderno. A ídeia de humanidade surge no humanismo ético – pq o homem passou a se ver como num grupo só. a. Antigo – escravos podia lavar uma senhora aristocrata, pois não partilhavam da mesma humanidade. b. O inverso. RUPTURA DO PENSAMENTO KANTIANO CRISTÃO 1 – O fundamento ético cristão é – o dever é fazer a vontade de Deus. 2 – Para Kant, Deus é uma questão de fé(certeza de coisas que não podemos demonstrar). Ética é certeza de coisas que podem ser demonstradas. A11 P1 Nietsche. Filosofa por meio de aforismos. Ele acredita que o que vem à nossa cabeça é como um subproduto da consciência – um recorte insignificante da consciência. A consciência é um recorte casual da psique. O que passa pela sua cabeça tem a ver com o que você sente. Isto é, você não é senhor na sua própria casa(Freud) porque não é a consciência que faz os recortes. “CHAVES DO CASTELO” PARA ENTENDER NIETSCHE: 1. NIHILISMO. Nihil – latim = nada, vazio, falta. É uma forma de conduzir a vida sem valores superiores, sem princípios que transcendam a ela. Negação de valores superiores. Ex. “Deixa a vida me levar”. a. Em Nietsche Nihilismo é o contrário. O Nihilista é aquele que pauta a v por valores superiores. b. Nietsche diz que aquele que tem valores superios(nihilista) nega os desejos. “em nome do céu, nega-se à terra”. Por isso o nihilista é aquela que nega a terra. c. Para N. o primeiro nihilista é Platão(nega a matéria pela essência). d. Aristóteles é o segundo – (cosmos=mundo organizado, o homem é uma peça no cosmo). e. Terceiro: Os monoteístas – Deus – Pensamento cristão. f. “Os homens criaram o ideal para negar o real”. Nietsche não promete uma verdade. “Não espere que erija novos ídolos” – ídolos, para Nietsche é o ideal(princípios transcendentes). “Crepúsculo dos ídolos” – o fim dos princípios transcendentes.
  • 11. Martelo – Nietsche acha que há de destruir os ídolos – “os ídolos verão o quanto custa ter pés de argila. A filosofia de Nietsche é descontrucionismo. 2. A MORTE DOS DEUS. Nietsche usa essa frase de zueira. É a morte de todas as visões morais de todos os tempos. Com a morte de Deus morre toda moral Ideal. “Uma sombra aterrorizou a Europa”. “nós que defendemos outra fé, nós que consideramos a democracia A democracia é uma forma de organização da sociedade privilegia o que é ruim. 3. AMOR FATE: A NEGAÇÃO DO MUNDO DA VIDA – se o nihilismo é a negação do mundo da vida, o que é o mundo da vida? a. Energia – Vontade de Potência. = Vontade de Agir(spinosa) = Vontade (scopenhaur) = Vital(Bergsen de Elã). Característica de Vontade de Potência – buscar mais potência. Somos energia que busca mais energia. i. Força ativa – aquela que existe por si só. ii. Força reativa – quela que existe para se opor a força existente. iii. Em algums momentos prevalecem as ativas e reativa. iv. O fraco é o que usa a forçla reativa. Daí nasce a Democracia, pois os fracos passam a ter "voz", "voto", "valor", se juntam, e assim podem se opor aos fortes. v. A arte é uma força superativa. A12 P1 Resumo - Nietsche Nietsche diz que o Super-homem é aquele que é anti-nihilista - é aquele que não vive de "muletas" transcendetais. que procura resolver a vida da existência em si mesma. A12 P2 3ª CHAVE: AMOR FATE - Amor pelo mundo como ele é. Transformação do mundo - Ex. Marx Conciliação com o mundo - Nietsche, Espinosa Nietsche se solidariza com os estóicos - o passado e o futuro não existem. É considerado como um mal. Se você pensa no passado ou no futuro você vive no irreal. Resgatar o passado é uma tentativa de reconstruir - é fuga. A12 P3 Pensar no futuro é uma fuga.
  • 12. Passado: culpa(pensamento ruim) nostalgia(pensamento bom) Futuro: medo(pensamento ruim) esperança(pensamento bom) As quatro são negativas(para Nietsche). pois está desfocada para fora da realidade. O passado e o futuro desintensificam a vida. O sábio nietscheano é estóico: lamente um pouco(tese da culpabilidade), espere um pouco menos e ame um pouco mais. Exemplo: As irritações que você tem com seu cônjuge acontecem porque você tem um Cônjuge Ideal. Mas você deve amar seu conjuge como ele é e não como você o imagina. Se ele for um galinha, ele ainda te ama, mas o Ideal(ídolo) que você tem na cabeça te atrapalha a ver isso. A13 P1 A DOUTRINA DO ETERNO RETORNO É um mecanismo de atribuição de valor. é uma proposta de procedimento intelectual de separação dos instantes de vida fracassados dos hesitosos. Vida intensa. "É preciso julgar a vida na vida(forças vitas, ativas e reativas)" com isso N está dizendo que é preciso ignorar qualquer transcendência. A13 P2 DOIS NÍVEIS DE QUERER 1. Tudo o que queres fazer. 2. Querer fazer um número infinito de vezes. Eterno Retorno. É viver querendo que aquele momento não acabe mais. Ex. pessoa que dá aula, quer da aula todo dia e toda hora. "Isso será para ti o centro de gravidade mais sólido" - baseado na particularidade do MEU querer e não um querer "transcendente". Critério vida escolhido pela própria vida. Você não pode se responsabilizar pelo desejo de amanhã(o amanhã não existe, portanto o corpo desejante de hoje não exite ainda no amanhã). Ex. Vc deseja (eternamente) sua esposa hoje. Amanhã talvez não. Alguém diz: mas isso é trapassa com ou outro! Nietsche dirá: "Então destrua sua
  • 13. vida em nome do outro!" - Nietsche considera isso uma forma suprema de fracasso. A13 P3 "A minha doutrina exige que devas DESEJAR viver. parafraseando Kant - só que em Kant é a VONTADE(Razão universal). "Aquele cujo esfoço é a alegria suprema, que se esforce" - Paixão da Alegria. Se o esforço te alegra, esforça-te. Se a alegria está no REPOUSO, Repouse; se a alegria é o esforço, esforça-te. Aqui, ao contrário de Kant O IMPERATIVO É SEMPRE HIPOTÉTICO. É preciso ter alguma consciencia da causa dessa alegria. PRAGMATISMO - a razão da sua vida está no objetivo. NIETSCHE - o pragmatismo está fora da vida. Ex. o vender bem-sucedido não é aquele que alcançou o seu objetivo, mas aquele que deseja vender sempre, quer tenha sucesso ou não. Nietsche então não é um Utilitarista, pragmatista, nem intensionalista, mas um VITALISTA - Para ele o que a vida tem de mais central é o desejo. A13 P4 "mas que SAIBA BEM o que deseja e não recue ante nenhum meio" - consciência. A13 P5 RESUMO e conclusão ETERNIDADE é o presente que não vira passado. Presente é o que vira passado.