SlideShare uma empresa Scribd logo
Bloco I
Português
Questão 1. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Ana,
me empreste o seu livro de Português?
Eu devolvo logo.
Obrigado,
Marcos.
Esse texto é um
A) anúncio.
B) bilhete.
C) convite.
D) poema.
Resposta
B
Questão 2. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Nesse texto, no último quadrinho, o pássaro e a
menina
A) estão assustados.
B) estão de mau humor.
C) gostaram da piada.
D) riram do jacaré.
Resposta
A
Questão 3. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Mãos à água!
Elas entram em contato com muitas coisas e podem
levar micro-organismos nocivos para a boca, os olhos e outras
partes do corpo. Por isso, as mãos pedem atenção especial.
Devem ser lavadas antes das refeições, depois de ir ao
banheiro e sempre que em contato com a sujeira. A pele da
palma das mãos é diferente do restante do corpo e pode ser
lavada mais vezes.
Ciência Hoje das Crianças. jan./fev. 2007, ano 20, nº176.
Qual é o assunto desse texto?
A) A importância da água para o corpo.
B) A importância de higiene com as mãos.
C) Os cuidados de higiene com os alimentos.
D) Os micro-organismos nocivos ao corpo.
Resposta
B
4. (PAEBES). Leia o texto abaixo e responda.
Qual a origem da expressão “pagar mico”?
Ela vem do baralho infantil Jogo do Mico fabricado no Brasil
desde a década de 1950. No jogo, as cartas têm figuras de animais e
o jogador tem que formar pares com o macho e a fêmea de cada
espécie. Mas, no baralho, o mico não tem par. Quem termina com a
carta na mão perde – ou seja, paga o mico. Mas cuidado para não
levar gato por lebre e confundir mico com pato. O “pagar o pato”
vem da obra Le Facetiae, do italiano Giovanni Bracciolini, de 1450. O
texto fala de um camponês que vendia patos. Uma mulher queria
negociar o preço da ave com encontros entre ela e o vendedor. [...]
BARBOSA, Kleyson. Mundo Estranho. mar. 2010, p. 50. Fragmento.
O assunto desse texto é a
A) compra de um animal.
B) explicação de um jogo.
C) história de um camponês.
D) origem de uma expressão.
Resposta
D
Questão 5. (SAEPE). Leia o texto abaixo.
OI, OI, AMIGA!
Esta edição está recheada com tantas coisas legais que é até difícil
escolher o que comentar com você. Que delícia, não é? Para quem anda
sofrendo com espinhas temos o “Tira dúvidas” sobre o tema acne. Para quem
quer repaginar o visual de um jeito pra lá de descolado, o Vestiário é a solução,
com dicas fantásticas de como sobrepor peças de roupa.
E, para quem anda numa fase mais tecnológica, o Top Witch cai como
uma luva: fizemos uma seleção cuidadosa dos melhores celulares com câmera
e montamos uma série de informações. Aqui dentro ainda tem micos, dicas do
que fazer para passar de ano na escola sem estresse e um superperfil de Dan
Radcliffe. Diz aí, esta edição está ou não de arrasar quarteirão?
Beijocas!
Revista Witch, 2006, nº 50, Abril. p.03.
Esse texto foi escrito para
A) adolescentes.
B) adultos.
C) crianças.
D) idosos.
Resposta
A
Questão 6. (SAEPE). Leia o texto abaixo.
O dente
O Junim era pequenininho e um dia ficou sem ir à aula. No dia
seguinte, a professora perguntou pra ele a razão da ausência.
– É que o meu dente estava doendo.
– Coitadinho... – disse a professora. – E agora, parou de doer?
E o Junim:
– Não sei, professora. Ele ficou lá no dentista.
ZIRALDO. O livro de riso do Menino Maluquinho. Ed. Melhoramentos p.102.
O que deixa esse texto engraçado?
A) A professora querer saber porque Junim faltou à aula.
B) O interesse da professora em saber se Junim sentia dor.
C) A última resposta dada por Junim.
D) O motivo que levou Junim ao dentista.
Resposta
C
Questão 7. (SAEPE). Leia o texto abaixo e responda.
POR QUE NUNCA PARAMOS DE PENSAR?
Porque o cérebro está sempre ligado. Não para nem mesmo quando
adormecemos. Durante o sono, ele apenas funciona de um modo
diferente, em outro tipo de processamento. Quando dormimos, as
memórias são passadas a limpo e várias alterações neuronais são
consolidadas conforme as experiências recentes. Durante o período de
sono profundo, é verdade, não há um pensamento consciente, mas isso
não significa que o cérebro não esteja ativo. Nos sonhos ocorre intensa
atividade mental – inconsciente, segundo a psicanálise. Mesmo que você
não esteja a par do sonho, o seu “eu” onírico sabe exatamente o que está
acontecendo.
AGUIAR, Ana Carolina de Souza. Editora Abril. In: Revista Nova Escola,. Ano 21, nº 195, p. 28. 2006. *Adaptado:
Reforma Ortográfica.
Esse texto serve para
A) contar uma história.
B) dar uma informação.
C) fazer um convite.
D) fazer um relato.
Resposta
B
Questão 8. (SAEPE). Leia o texto abaixo.
DE OLHO NA TERRA
A gente nem percebe, mas os satélites são importantes para todo mundo.
Quando você confere a previsão do tempo para saber se vai fazer sol no final
de semana, as imagens são feitas por eles e as chamadas telefônicas também.
Os satélites são enviados ao espaço em foguetes ou ônibus espaciais e daí
lançados para a posição onde devem ficar. Sua localização exata é calculada
pelos cientistas e depende da tarefa que vão desempenhar.
Os que ficam mais perto tiram fotografias para mapas. Os outros que
pesquisam plantas, animais e vulcões, os de navegação, conhecidos como
GPS, e os de previsão do tempo ficam a milhares de quilômetros de nosso
planeta.
Revista Recreio, n. 361.
O assunto principal desse texto é
A) a localização calculada pelos cientistas.
B) a importância dos satélites.
C) a posição dos ônibus espaciais.
D) a previsão do tempo.
Resposta
B
Questão 9. (SAEPE). Leia o texto abaixo.
A LENDA DO DIAMANTE
Antes, muito antes do ano de 1500, o Brasil chamava-se Pindorama e
vivia à sombra de mil palmeiras.
Foi nessa época que o índio Oiti, valente entre os mais valentes, se
despediu de Potira, sua esposa, e desceu o rio para dar combate a uma tribo
inimiga.
Doze luas passaram-se sem que o moço guerreiro voltasse.
E quando lhe veio a certeza de que não o veria mais, Potira, chorou de
saudades.
Suas lágrimas misturaram-se com a areia da praia, e Tupã transformou-
as em diamantes.
E aí está a origem dessa pedra preciosa. Proveio de lágrimas de amor.
STARLING, Nair. Nossas Lendas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1968.
De acordo com esse texto, os indígenas marcavam o tempo por meio
A) da areia.
B) da lua.
C) do diamante.
D) do sol.
Resposta
B
Questão 10. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Supermãe
Uma cena curiosa. Na falta de colo, a mamãe sapa
dá as costas aos seus filhotes. Os pequeninos, em
ordem crescente, formam uma verdadeira pirâmide.
Revista Caras, n.24, 16 jun. 2000. São Paulo: Abril.
A finalidade desse texto é
A) apresentar uma notícia.
B) contar uma curiosidade.
C) contar uma história.
D) passar um ensinamento.
Resposta
B
Matemática
Questão 1. Montando a caixa ao lado, ela tem forma de:
A) cubo.
B) paralelepípedo.
C) pirâmide.
D) cilindro.
Resposta
A
Questão 2. (Saresp 2007). Observe a figura abaixo. Em qual
posição está a roda da frente do carro?
A) C2.
B) C1.
C) D1.
D) D2.
Resposta
D
Questão 3. (Saresp 2007). Utilizei meio quilo de
farinha para fazer pão. Qual o valor desta medida em
gramas?
A) 500 kg
B) 1000 g
C) 1000 kg
D) 500 g
Resposta
D
Questão 4. (Saresp 2007). Quantas jarras com
capacidade para 1 litro são necessárias para guardar
6 copos com 250 ml de suco?
A) Uma.
B) Duas.
C) Três.
D) Quatro.
Resposta
B
Questão 5. (Saresp 2007). Em um vaso cabem 3 kg de
terra. Quantos sacos de 500g de terra devo comprar
para encher este vaso?
A) 6
B) 8
C) 10
D) 12
Resposta
A
Questão 6. Tem-se o número
8 567
O valor do algarismo 5 é
A) 5
B) 50
C) 567
D) 500
Resposta
D
Questão 7. (PB 2011). A fração da parte colorida
da figura é
A) 3/7
B) 7/3
C) 3/10
D) 10/3
Resposta
C
Questão 8. (PB 2011). Comi 2 pedaços de uma
pizza dividida em 10 pedaços. Esse número em
fração é
A) 2/5
B) 2/20
C) 2/10
D) 0/2
Resposta
C
Questão 9. (Saresp 2007). Uma escola recebeu 150
caixas de lápis de cor. Os alunos que estudam no
período da manhã ficaram com a metade das caixas
de lápis de cor recebidos. Quantas caixas de lápis
representa essa porcentagem?
A) 60
B) 65
C) 70
D) 75
Resposta
D
Questão 10. (Saresp 2007). Uma partida de
vôlei teve a duração de 2 horas e 10 minutos.
Qual foi a duração dessa partida em minutos?
A) 210 minutos.
B) 150 minutos.
C) 130 minutos.
D) 110 minutos.
Resposta
C
Bloco II
Português
Questão 1. Questão 10. (SAEPE). Leia o texto
abaixo.
Ônibus lotado
O ônibus aguardava no ponto final, no alto de uma ladeira. Após os
passageiros entrarem, seguiu ladeira abaixo.
Eis que um homem de bigode, de meia-idade, começou a correr atrás
do ônibus.
Da janela, um passageiro gritou:
– Esquece, cara! O busão já tá lotado.
E o senhor, ofegante:
– Não posso. Sou o motorista!
Disponível em: html.www.almanaquebrasil.com.br. html. Acesso em 02/07/2009.
Esse texto é engraçado, porque
A) o ônibus desceu a ladeira sem o motorista.
B) o ônibus já saiu lotado do ponto final.
C) um homem de bigode corria ofegante.
D) um passageiro ficou gritando da janela.
Resposta
A
Questão 2. (SAEPE). Leia o texto abaixo.
MORADA DO INVENTOR
A professora pedia e a gente levava, achando loucura ou monte de
lixo: latas vazias de bebidas, caixas de fósforo, pedaços de papel de
embrulho(...).
Um dia, a professora deu a partida, e transformamos, colamos e
colorimos.
E surgiram bonecos (...), bichos (..) e coisas malucas (...)
E a escola virou morada do inventor.
Elias José. Nova Escola, junho 2000, n. 133.
No trecho “Um dia, a professora deu a partida, e transformamos,
colamos e colorimos.”, a expressão em destaque significa
A) saiu do local.
B) quebrou um objeto.
C) ligou o carro.
D) iniciou a atividade.
Resposta
D
Questão 3. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
O colecionador de borboletas
Era uma vez um homem que morava numa torre muito alta, no meio
de uma floresta, longe de qualquer outra casa.
Da sua torre, em dias muito claros, ele podia avistar a cidade vizinha,
cheia de casas e pessoas.
Se olhasse para baixo, podia ver as copas das árvores... Mas ele nunca
pensava em árvores, nem em pessoas. Seu pensamento estava sempre
voltado para uma só coisa... borboletas.
Sempre à procura de novos espécimes, a única coisa que o interessava
era apanhar sua rede e aventurar-se no coração do bosque solitário.
TESTA, Fúlvio. O colecionador de borboletas. São Paulo: Melhoramentos, 1978. Fragmento.
O homem morava
(A) na cidade.
(B) no bosque.
(C) na floresta.
(D) no parque.
Resposta
C
Questão 4. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Um turista chega à Arábia e aluga um camelo. Ele recebe as
instruções para guiá-lo.
– Para parar, diga “off” . Para continuar andando, diga “ufa”.
– Já entendi – diz o turista.
Depois de andar um bom tempo, percebe que o camelo está se
dirigindo para um penhasco. Só que se esqueceu do que tinha de dizer para
que o animal parasse. Quando está a um centímetro do penhasco, prestes a
cair, ele se lembra ...
– “Off” – grita desesperado. O camelo para no mesmo instante.
– “Ufa” – suspira o homem, aliviado.
BUCHWEITZ, Donaldo. Piadas para você morrer de rir. Belo Horizonte:Leitura, 2001.p.22.
No trecho “O camelo para no mesmo instante.”, a expressão destacada
da ideia de
A) consequência.
B) finalidade.
C) lugar.
D) tempo.
Resposta
D
Questão 5. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Por que a espuma de sabonete e detergente coloridos é
branca?
Na verdade, elas são, sim, coloridas, apesar de não terem os mesmos
tons do sabonete ou do detergente. O que faz parecer que elas são
brancas é a maneira pela qual os nossos olhos veem cores. Isso porque
eles possuem estruturas conhecidas como cones, que são sensíveis às
cores vermelha, verde e azul.
Se as enxergarmos ao mesmo tempo, registramos que o objeto é
branco. Isso fica mais claro quando olhamos uma bolha de sabão um
pouco maior do que aquelas formadas na espuma do sabonete.
CONCEIÇÃO, Ana Lucia. In: Nova escola. São Paulo: Moderna, ano 24, n. 223, p. 28. 2009.
Fragmento. Adaptado: Reforma Ortográfica.
Qual é o assunto desse texto?
A) As cores da espuma do detergente e do sabonete.
B) As estruturas dos olhos dos seres humanos.
C) O perfume do sabonete e do detergente.
D) O tamanho das bolhas de sabão.
Resposta
A
Questão 6. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
ELA É SUPER
Conheça as habilidades da onça-pintada e saiba mais sobre esse felino.
Capaz de se disfarçar na mata, andar com leveza, escalar árvores altas e
atravessar rios, a onça parece ter os poderes de invisibilidade de um
guerreiro ninja. Ela usa todas essas habilidades para caçar e se proteger.
Costuma ser mais ativa quando o sol se põe e pode caçar à noite, pois
enxerga bem no escuro e tem audição e olfato aguçados.
Como tem pernas curtas, ela não corre. Se esconde, segue a presa sem
ser percebida e ataca saltando de um galho ou do meio da mata de
repente, com uma mordida mais forte do que a de felinos maiores.
Revista Recreio. São Paulo: Abril, n.487, p.20, 9 de jul. 2009. Fragmento.
De acordo com esse texto, a onça-pintada usa suas habilidades para
A) aguçar o olfato.
B) caçar e se proteger.
C) enxergar no escuro.
D) ficar invisível.
Resposta
B
Questão 7. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
Agora você me pegou...
Aviso numa placa de restaurante: "Pagamos R$ 500,00 se não
pudermos atender a seu pedido".
Um freguês resolve fazer o teste:
– Quero um sanduíche de orelhas de elefante em pão de centeio.
A garçonete anota o pedido e vai à cozinha. Segundos depois, o chef
sai furioso de lá, pega cinco notas de R$ 100,00 e joga na mesa do
freguês.
– OK, você me pegou. Mas saiba que esta é a primeira vez em 10 anos
que ficamos sem pão de centeio.
Seleções Reader's Digest, ago. 2000, p.99.
O que faz esse texto ficar engraçado é
A) a anotação da garçonete.
B) o pedido do freguês.
C) o aviso do restaurante.
D) a resposta inesperada do chef.
Resposta
D
Questão 8. (PAEBES). Leia o texto abaixo.
COMO O AVIÃO VOA?
O segredo está no equilíbrio de quatro forças aerodinâmicas que atuam
durante o voo.
São as asas que garantem aos mais diferentes tipos de avião a
sustentação necessária para voar. Além da sustentação, outras três forças atuam
sobre um aeroplano durante o voo: a gravidade, a resistência do ar (ou arrasto) e
a tração (ou empuxo). Ao voar, a máquina compensa a força da gravidade com a
sustentação gerada pelas asas e supera a resistência do ar com o empuxo dos
motores. Para mudar a altitude (subir ou descer), é preciso aumentar ou reduzir
a potência dos motores (o que eleva ou diminui a sustentação).
Essas quatro forças também estão presentes na decolagem e no pouso.
É o controle da atuação de cada uma delas que explica como uma máquina tão
pesada consegue ir voando de um aeroporto a outro.
SOUZA, José Maria Rodrigues. Nova Escola, ano 22, n.200, p.26. Fragmento.
No título "Como o avião voa?", o ponto de interrogação foi usado para
A) despertar a curiosidade do leitor.
B) esclarecer as dúvidas do leitor.
C) provocar espanto no leitor.
D) verificar os conhecimentos do leitor.
Resposta
A
Questão 9. (PROEB). Leia o texto abaixo.
O HOMEM DO OLHO TORTO
No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio
caçador, meio vaqueiro, era cheio de conversas - falava cuspindo, espumando
como um sapo cururu.
O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou
quando foi caçar a égua pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou o sertão,
mas não achou a tal égua.
Pegou no sono no meio do mato e, quando acordou, montou num
animal que pensou ser a égua. Era uma onça. No corre-corre, machucou-se
com galhos de árvores e ficou sem um olho. Alexandre até que tentou
colocar seu olho de volta no buraco, mas fez errado. Ficou com um olho
torto.
RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14.
Na frase “Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua.”, rodou significa
(A) analisou
(B) girou
(C) percorreu
(D) rodopiou
Resposta
C
Questão 10. (PROEB). Leia o texto abaixo.
Decidiu fugir de casa. No dia seguinte foi encontrado
seco no carpete da sala. No aquário, ninguém
parecia dar pela sua falta.
Disponível em: http://www.microcontos.com.br.
Quem fugiu de casa?
A) A filha.
B) A gata.
C) O filho.
D) O peixe.
Resposta
D
Matemática
Questão 1. (Saresp – 2007). O algarismo que está
na ordem da centena do número
8 543
é?
(A) 8
(B) 5
(C) 4
(D) 3
Resposta
B
Questão 2.Saresp – 2007). Quantos retângulos
formam a caixa abaixo?
(A) 3
(B) 4
(C) 6
(D) 8
Resposta
C
Questão 3. Observe o gráfico a seguir que
representa o resultado de uma pesquisa sobre o
esporte preferido dos alunos do 5º ano
O esporte menos votado pelas meninas foi
A) vôlei.
B) basquete.
C) atletismo.
D) tênis.
Resposta
D
Questão 4. Ao fazer um pudim, minha mamãe usou,
entre outros, os seguintes ingredientes:
Quantos gramas de ingredientes foram
usados na produção do pudim?
A) 0,6 g.
B) 6,0 g.
C) 60 g.
D) 600 g.
Resposta
D
Questão 5. (Saresp – 2007). Por causa da queda de
uma ponte, uma rodovia ficou interditada durante 2
meses. Considerando que um mês tem 4 semanas,
quantas semanas a rodovia ficou interditada?
(A) 4 semanas.
(B) 6 semanas.
(C) 8 semanas.
(D) 10 semanas.
Resposta
C
Questão 6. (Saresp – 2007). Um panetone é feito
com 250 g de farinha. Com 1 kg de farinha, quantos
panetones podem ser preparados?
A) 4
B) 6
C) 5
D) 8
Resposta
A
Questão 7. O piso de uma sala está sendo coberto
por cerâmica quadrada. Já foram colocadas 7
cerâmicas, como mostrado na figura.
Quantas cerâmicas faltam para cobrir o piso?
A) 7
B) 8
C) 9
D) 15
Resposta
B
Questão 8. A professora Simone pediu aos alunos
para decomporem o número
7435.
A decomposição correta deste número é
A) 700 + 400 + 3 + 50.
B) 700 + 400 + 30 + 50.
C) 7 000 + 400 + 30 + 5.
D) 7 000 + 40 + 30 + 5.
Resposta
C
Questão 9. (PROVA BRASIL). O dono da padaria
trocou R$ 7,00 por moedas de R$ 0,25. Quantas
moedas ele recebeu?
A) 14
B) 21
C) 28
D) 35
Resposta
C
Questão 10. Uma viagem ao redor do mundo foi
feita em 2 anos e 26 dias. Se 1 ano tem 365 dias,
quantos dias durou essa viagem?
A) 620 dias
B) 630 dias
C) 730 dias
D) 756 dias
Resposta
D

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Silvânia Silveira
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
Mary Alvarenga
 
Lenda da mandioca texto com interpretação
Lenda da mandioca texto com interpretação Lenda da mandioca texto com interpretação
Lenda da mandioca texto com interpretação
Josianne Lacerda
 
D7 (5º ano l.p.)
D7 (5º ano   l.p.)D7 (5º ano   l.p.)
D7 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º anoProva com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
Professora Ivonilde
 
D13 (5º ano l.p.)
D13 (5º ano   l.p.)D13 (5º ano   l.p.)
D13 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Aula 2 Lenda origem do sol e da lua
Aula 2  Lenda origem do sol e da luaAula 2  Lenda origem do sol e da lua
Aula 2 Lenda origem do sol e da lua
Sheyla Tasso
 
Simulado 12 (port. 5º ano)
Simulado 12 (port. 5º ano)Simulado 12 (port. 5º ano)
Simulado 12 (port. 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Cidinha Paulo
 
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
Mary Alvarenga
 
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editávelWord: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostasGabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTREAVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Avaliação de Historia Edite Porto 2013
Avaliação de Historia Edite Porto 2013Avaliação de Historia Edite Porto 2013
Avaliação de Historia Edite Porto 2013
Angela Maria
 
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOPDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Classes Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - RevisãoClasses Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - Revisão
Mary Alvarenga
 
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOWORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 

Mais procurados (20)

Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
 
Lenda da mandioca texto com interpretação
Lenda da mandioca texto com interpretação Lenda da mandioca texto com interpretação
Lenda da mandioca texto com interpretação
 
D7 (5º ano l.p.)
D7 (5º ano   l.p.)D7 (5º ano   l.p.)
D7 (5º ano l.p.)
 
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º anoProva com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
 
D13 (5º ano l.p.)
D13 (5º ano   l.p.)D13 (5º ano   l.p.)
D13 (5º ano l.p.)
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
 
Aula 2 Lenda origem do sol e da lua
Aula 2  Lenda origem do sol e da luaAula 2  Lenda origem do sol e da lua
Aula 2 Lenda origem do sol e da lua
 
Simulado 12 (port. 5º ano)
Simulado 12 (port. 5º ano)Simulado 12 (port. 5º ano)
Simulado 12 (port. 5º ano)
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
 
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
Gênero textual: Cardápio e bula de remédio
 
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editávelWord: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Modelo editável
 
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostasGabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTREAVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA - 5º ANO - 1º BIMESTRE
 
Avaliação de Historia Edite Porto 2013
Avaliação de Historia Edite Porto 2013Avaliação de Historia Edite Porto 2013
Avaliação de Historia Edite Porto 2013
 
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOPDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
PDF: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
 
Classes Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - RevisãoClasses Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - Revisão
 
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOWORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
 

Semelhante a Quiz prova brasil bloco i e ii

Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  alunoCaderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Silvânia Silveira
 
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  alunoCaderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Silvânia Silveira
 
5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx
FidelMatos1
 
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃOAVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
Roseli Aparecida Tavares
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Andreia Pereira da Silva
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Roseli Aparecida Tavares
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Roseli Aparecida Tavares
 
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Nilda Silva
 
SIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdfSIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdf
REGIANORODRIGUESDESO
 
Prova por-6 ef-tarde
Prova por-6 ef-tardeProva por-6 ef-tarde
Prova por-6 ef-tarde
Breno Fostek
 
Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016
CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
4º ano aval. diag. port.
4º ano   aval. diag. port.4º ano   aval. diag. port.
4º ano aval. diag. port.
Cida Carvalho
 
Simulados força tarefa
Simulados força tarefa Simulados força tarefa
Simulados força tarefa
Silvânia Silveira
 
Avaliacao diagnostica lp 7 ef
Avaliacao diagnostica lp 7 efAvaliacao diagnostica lp 7 ef
Avaliacao diagnostica lp 7 ef
Marcia Oliveira
 
3º ano aval. diag. port.
3º ano aval. diag. port.3º ano aval. diag. port.
3º ano aval. diag. port.
Cida Carvalho
 
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPESimulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Marcia Oliveira
 
8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
Edmeyre Souza Ferreira
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014
CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
Saresp 2010
Saresp 2010Saresp 2010
Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)
Cidinha Paulo
 

Semelhante a Quiz prova brasil bloco i e ii (20)

Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  alunoCaderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
 
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  alunoCaderno de avaliação 3º ano língua portuguesa  aluno
Caderno de avaliação 3º ano língua portuguesa aluno
 
5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx5 ano slide.pptx
5 ano slide.pptx
 
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃOAVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
AVALIAÇÃO 3º ANO - ALFABETIZAÇÃO
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016
 
SIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdfSIMULADO 11_merged.pdf
SIMULADO 11_merged.pdf
 
Prova por-6 ef-tarde
Prova por-6 ef-tardeProva por-6 ef-tarde
Prova por-6 ef-tarde
 
Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016
 
4º ano aval. diag. port.
4º ano   aval. diag. port.4º ano   aval. diag. port.
4º ano aval. diag. port.
 
Simulados força tarefa
Simulados força tarefa Simulados força tarefa
Simulados força tarefa
 
Avaliacao diagnostica lp 7 ef
Avaliacao diagnostica lp 7 efAvaliacao diagnostica lp 7 ef
Avaliacao diagnostica lp 7 ef
 
3º ano aval. diag. port.
3º ano aval. diag. port.3º ano aval. diag. port.
3º ano aval. diag. port.
 
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPESimulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
Simulado língua portuguesa 9º ano - SAEPE
 
8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014
 
Saresp 2010
Saresp 2010Saresp 2010
Saresp 2010
 
Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)
 

Último

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

Quiz prova brasil bloco i e ii

  • 1.
  • 4. Questão 1. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Ana, me empreste o seu livro de Português? Eu devolvo logo. Obrigado, Marcos. Esse texto é um A) anúncio. B) bilhete. C) convite. D) poema.
  • 6. Questão 2. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Nesse texto, no último quadrinho, o pássaro e a menina A) estão assustados. B) estão de mau humor. C) gostaram da piada. D) riram do jacaré.
  • 8. Questão 3. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Mãos à água! Elas entram em contato com muitas coisas e podem levar micro-organismos nocivos para a boca, os olhos e outras partes do corpo. Por isso, as mãos pedem atenção especial. Devem ser lavadas antes das refeições, depois de ir ao banheiro e sempre que em contato com a sujeira. A pele da palma das mãos é diferente do restante do corpo e pode ser lavada mais vezes. Ciência Hoje das Crianças. jan./fev. 2007, ano 20, nº176. Qual é o assunto desse texto? A) A importância da água para o corpo. B) A importância de higiene com as mãos. C) Os cuidados de higiene com os alimentos. D) Os micro-organismos nocivos ao corpo.
  • 10. 4. (PAEBES). Leia o texto abaixo e responda. Qual a origem da expressão “pagar mico”? Ela vem do baralho infantil Jogo do Mico fabricado no Brasil desde a década de 1950. No jogo, as cartas têm figuras de animais e o jogador tem que formar pares com o macho e a fêmea de cada espécie. Mas, no baralho, o mico não tem par. Quem termina com a carta na mão perde – ou seja, paga o mico. Mas cuidado para não levar gato por lebre e confundir mico com pato. O “pagar o pato” vem da obra Le Facetiae, do italiano Giovanni Bracciolini, de 1450. O texto fala de um camponês que vendia patos. Uma mulher queria negociar o preço da ave com encontros entre ela e o vendedor. [...] BARBOSA, Kleyson. Mundo Estranho. mar. 2010, p. 50. Fragmento. O assunto desse texto é a A) compra de um animal. B) explicação de um jogo. C) história de um camponês. D) origem de uma expressão.
  • 12. Questão 5. (SAEPE). Leia o texto abaixo. OI, OI, AMIGA! Esta edição está recheada com tantas coisas legais que é até difícil escolher o que comentar com você. Que delícia, não é? Para quem anda sofrendo com espinhas temos o “Tira dúvidas” sobre o tema acne. Para quem quer repaginar o visual de um jeito pra lá de descolado, o Vestiário é a solução, com dicas fantásticas de como sobrepor peças de roupa. E, para quem anda numa fase mais tecnológica, o Top Witch cai como uma luva: fizemos uma seleção cuidadosa dos melhores celulares com câmera e montamos uma série de informações. Aqui dentro ainda tem micos, dicas do que fazer para passar de ano na escola sem estresse e um superperfil de Dan Radcliffe. Diz aí, esta edição está ou não de arrasar quarteirão? Beijocas! Revista Witch, 2006, nº 50, Abril. p.03. Esse texto foi escrito para A) adolescentes. B) adultos. C) crianças. D) idosos.
  • 14. Questão 6. (SAEPE). Leia o texto abaixo. O dente O Junim era pequenininho e um dia ficou sem ir à aula. No dia seguinte, a professora perguntou pra ele a razão da ausência. – É que o meu dente estava doendo. – Coitadinho... – disse a professora. – E agora, parou de doer? E o Junim: – Não sei, professora. Ele ficou lá no dentista. ZIRALDO. O livro de riso do Menino Maluquinho. Ed. Melhoramentos p.102. O que deixa esse texto engraçado? A) A professora querer saber porque Junim faltou à aula. B) O interesse da professora em saber se Junim sentia dor. C) A última resposta dada por Junim. D) O motivo que levou Junim ao dentista.
  • 16. Questão 7. (SAEPE). Leia o texto abaixo e responda. POR QUE NUNCA PARAMOS DE PENSAR? Porque o cérebro está sempre ligado. Não para nem mesmo quando adormecemos. Durante o sono, ele apenas funciona de um modo diferente, em outro tipo de processamento. Quando dormimos, as memórias são passadas a limpo e várias alterações neuronais são consolidadas conforme as experiências recentes. Durante o período de sono profundo, é verdade, não há um pensamento consciente, mas isso não significa que o cérebro não esteja ativo. Nos sonhos ocorre intensa atividade mental – inconsciente, segundo a psicanálise. Mesmo que você não esteja a par do sonho, o seu “eu” onírico sabe exatamente o que está acontecendo. AGUIAR, Ana Carolina de Souza. Editora Abril. In: Revista Nova Escola,. Ano 21, nº 195, p. 28. 2006. *Adaptado: Reforma Ortográfica. Esse texto serve para A) contar uma história. B) dar uma informação. C) fazer um convite. D) fazer um relato.
  • 18. Questão 8. (SAEPE). Leia o texto abaixo. DE OLHO NA TERRA A gente nem percebe, mas os satélites são importantes para todo mundo. Quando você confere a previsão do tempo para saber se vai fazer sol no final de semana, as imagens são feitas por eles e as chamadas telefônicas também. Os satélites são enviados ao espaço em foguetes ou ônibus espaciais e daí lançados para a posição onde devem ficar. Sua localização exata é calculada pelos cientistas e depende da tarefa que vão desempenhar. Os que ficam mais perto tiram fotografias para mapas. Os outros que pesquisam plantas, animais e vulcões, os de navegação, conhecidos como GPS, e os de previsão do tempo ficam a milhares de quilômetros de nosso planeta. Revista Recreio, n. 361. O assunto principal desse texto é A) a localização calculada pelos cientistas. B) a importância dos satélites. C) a posição dos ônibus espaciais. D) a previsão do tempo.
  • 20. Questão 9. (SAEPE). Leia o texto abaixo. A LENDA DO DIAMANTE Antes, muito antes do ano de 1500, o Brasil chamava-se Pindorama e vivia à sombra de mil palmeiras. Foi nessa época que o índio Oiti, valente entre os mais valentes, se despediu de Potira, sua esposa, e desceu o rio para dar combate a uma tribo inimiga. Doze luas passaram-se sem que o moço guerreiro voltasse. E quando lhe veio a certeza de que não o veria mais, Potira, chorou de saudades. Suas lágrimas misturaram-se com a areia da praia, e Tupã transformou- as em diamantes. E aí está a origem dessa pedra preciosa. Proveio de lágrimas de amor. STARLING, Nair. Nossas Lendas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1968. De acordo com esse texto, os indígenas marcavam o tempo por meio A) da areia. B) da lua. C) do diamante. D) do sol.
  • 22. Questão 10. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Supermãe Uma cena curiosa. Na falta de colo, a mamãe sapa dá as costas aos seus filhotes. Os pequeninos, em ordem crescente, formam uma verdadeira pirâmide. Revista Caras, n.24, 16 jun. 2000. São Paulo: Abril. A finalidade desse texto é A) apresentar uma notícia. B) contar uma curiosidade. C) contar uma história. D) passar um ensinamento.
  • 25. Questão 1. Montando a caixa ao lado, ela tem forma de: A) cubo. B) paralelepípedo. C) pirâmide. D) cilindro.
  • 27. Questão 2. (Saresp 2007). Observe a figura abaixo. Em qual posição está a roda da frente do carro? A) C2. B) C1. C) D1. D) D2.
  • 29. Questão 3. (Saresp 2007). Utilizei meio quilo de farinha para fazer pão. Qual o valor desta medida em gramas? A) 500 kg B) 1000 g C) 1000 kg D) 500 g
  • 31. Questão 4. (Saresp 2007). Quantas jarras com capacidade para 1 litro são necessárias para guardar 6 copos com 250 ml de suco? A) Uma. B) Duas. C) Três. D) Quatro.
  • 33. Questão 5. (Saresp 2007). Em um vaso cabem 3 kg de terra. Quantos sacos de 500g de terra devo comprar para encher este vaso? A) 6 B) 8 C) 10 D) 12
  • 35. Questão 6. Tem-se o número 8 567 O valor do algarismo 5 é A) 5 B) 50 C) 567 D) 500
  • 37. Questão 7. (PB 2011). A fração da parte colorida da figura é A) 3/7 B) 7/3 C) 3/10 D) 10/3
  • 39. Questão 8. (PB 2011). Comi 2 pedaços de uma pizza dividida em 10 pedaços. Esse número em fração é A) 2/5 B) 2/20 C) 2/10 D) 0/2
  • 41. Questão 9. (Saresp 2007). Uma escola recebeu 150 caixas de lápis de cor. Os alunos que estudam no período da manhã ficaram com a metade das caixas de lápis de cor recebidos. Quantas caixas de lápis representa essa porcentagem? A) 60 B) 65 C) 70 D) 75
  • 43. Questão 10. (Saresp 2007). Uma partida de vôlei teve a duração de 2 horas e 10 minutos. Qual foi a duração dessa partida em minutos? A) 210 minutos. B) 150 minutos. C) 130 minutos. D) 110 minutos.
  • 47. Questão 1. Questão 10. (SAEPE). Leia o texto abaixo. Ônibus lotado O ônibus aguardava no ponto final, no alto de uma ladeira. Após os passageiros entrarem, seguiu ladeira abaixo. Eis que um homem de bigode, de meia-idade, começou a correr atrás do ônibus. Da janela, um passageiro gritou: – Esquece, cara! O busão já tá lotado. E o senhor, ofegante: – Não posso. Sou o motorista! Disponível em: html.www.almanaquebrasil.com.br. html. Acesso em 02/07/2009. Esse texto é engraçado, porque A) o ônibus desceu a ladeira sem o motorista. B) o ônibus já saiu lotado do ponto final. C) um homem de bigode corria ofegante. D) um passageiro ficou gritando da janela.
  • 49. Questão 2. (SAEPE). Leia o texto abaixo. MORADA DO INVENTOR A professora pedia e a gente levava, achando loucura ou monte de lixo: latas vazias de bebidas, caixas de fósforo, pedaços de papel de embrulho(...). Um dia, a professora deu a partida, e transformamos, colamos e colorimos. E surgiram bonecos (...), bichos (..) e coisas malucas (...) E a escola virou morada do inventor. Elias José. Nova Escola, junho 2000, n. 133. No trecho “Um dia, a professora deu a partida, e transformamos, colamos e colorimos.”, a expressão em destaque significa A) saiu do local. B) quebrou um objeto. C) ligou o carro. D) iniciou a atividade.
  • 51. Questão 3. (PAEBES). Leia o texto abaixo. O colecionador de borboletas Era uma vez um homem que morava numa torre muito alta, no meio de uma floresta, longe de qualquer outra casa. Da sua torre, em dias muito claros, ele podia avistar a cidade vizinha, cheia de casas e pessoas. Se olhasse para baixo, podia ver as copas das árvores... Mas ele nunca pensava em árvores, nem em pessoas. Seu pensamento estava sempre voltado para uma só coisa... borboletas. Sempre à procura de novos espécimes, a única coisa que o interessava era apanhar sua rede e aventurar-se no coração do bosque solitário. TESTA, Fúlvio. O colecionador de borboletas. São Paulo: Melhoramentos, 1978. Fragmento. O homem morava (A) na cidade. (B) no bosque. (C) na floresta. (D) no parque.
  • 53. Questão 4. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Um turista chega à Arábia e aluga um camelo. Ele recebe as instruções para guiá-lo. – Para parar, diga “off” . Para continuar andando, diga “ufa”. – Já entendi – diz o turista. Depois de andar um bom tempo, percebe que o camelo está se dirigindo para um penhasco. Só que se esqueceu do que tinha de dizer para que o animal parasse. Quando está a um centímetro do penhasco, prestes a cair, ele se lembra ... – “Off” – grita desesperado. O camelo para no mesmo instante. – “Ufa” – suspira o homem, aliviado. BUCHWEITZ, Donaldo. Piadas para você morrer de rir. Belo Horizonte:Leitura, 2001.p.22. No trecho “O camelo para no mesmo instante.”, a expressão destacada da ideia de A) consequência. B) finalidade. C) lugar. D) tempo.
  • 55. Questão 5. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Por que a espuma de sabonete e detergente coloridos é branca? Na verdade, elas são, sim, coloridas, apesar de não terem os mesmos tons do sabonete ou do detergente. O que faz parecer que elas são brancas é a maneira pela qual os nossos olhos veem cores. Isso porque eles possuem estruturas conhecidas como cones, que são sensíveis às cores vermelha, verde e azul. Se as enxergarmos ao mesmo tempo, registramos que o objeto é branco. Isso fica mais claro quando olhamos uma bolha de sabão um pouco maior do que aquelas formadas na espuma do sabonete. CONCEIÇÃO, Ana Lucia. In: Nova escola. São Paulo: Moderna, ano 24, n. 223, p. 28. 2009. Fragmento. Adaptado: Reforma Ortográfica. Qual é o assunto desse texto? A) As cores da espuma do detergente e do sabonete. B) As estruturas dos olhos dos seres humanos. C) O perfume do sabonete e do detergente. D) O tamanho das bolhas de sabão.
  • 57. Questão 6. (PAEBES). Leia o texto abaixo. ELA É SUPER Conheça as habilidades da onça-pintada e saiba mais sobre esse felino. Capaz de se disfarçar na mata, andar com leveza, escalar árvores altas e atravessar rios, a onça parece ter os poderes de invisibilidade de um guerreiro ninja. Ela usa todas essas habilidades para caçar e se proteger. Costuma ser mais ativa quando o sol se põe e pode caçar à noite, pois enxerga bem no escuro e tem audição e olfato aguçados. Como tem pernas curtas, ela não corre. Se esconde, segue a presa sem ser percebida e ataca saltando de um galho ou do meio da mata de repente, com uma mordida mais forte do que a de felinos maiores. Revista Recreio. São Paulo: Abril, n.487, p.20, 9 de jul. 2009. Fragmento. De acordo com esse texto, a onça-pintada usa suas habilidades para A) aguçar o olfato. B) caçar e se proteger. C) enxergar no escuro. D) ficar invisível.
  • 59. Questão 7. (PAEBES). Leia o texto abaixo. Agora você me pegou... Aviso numa placa de restaurante: "Pagamos R$ 500,00 se não pudermos atender a seu pedido". Um freguês resolve fazer o teste: – Quero um sanduíche de orelhas de elefante em pão de centeio. A garçonete anota o pedido e vai à cozinha. Segundos depois, o chef sai furioso de lá, pega cinco notas de R$ 100,00 e joga na mesa do freguês. – OK, você me pegou. Mas saiba que esta é a primeira vez em 10 anos que ficamos sem pão de centeio. Seleções Reader's Digest, ago. 2000, p.99. O que faz esse texto ficar engraçado é A) a anotação da garçonete. B) o pedido do freguês. C) o aviso do restaurante. D) a resposta inesperada do chef.
  • 61. Questão 8. (PAEBES). Leia o texto abaixo. COMO O AVIÃO VOA? O segredo está no equilíbrio de quatro forças aerodinâmicas que atuam durante o voo. São as asas que garantem aos mais diferentes tipos de avião a sustentação necessária para voar. Além da sustentação, outras três forças atuam sobre um aeroplano durante o voo: a gravidade, a resistência do ar (ou arrasto) e a tração (ou empuxo). Ao voar, a máquina compensa a força da gravidade com a sustentação gerada pelas asas e supera a resistência do ar com o empuxo dos motores. Para mudar a altitude (subir ou descer), é preciso aumentar ou reduzir a potência dos motores (o que eleva ou diminui a sustentação). Essas quatro forças também estão presentes na decolagem e no pouso. É o controle da atuação de cada uma delas que explica como uma máquina tão pesada consegue ir voando de um aeroporto a outro. SOUZA, José Maria Rodrigues. Nova Escola, ano 22, n.200, p.26. Fragmento. No título "Como o avião voa?", o ponto de interrogação foi usado para A) despertar a curiosidade do leitor. B) esclarecer as dúvidas do leitor. C) provocar espanto no leitor. D) verificar os conhecimentos do leitor.
  • 63. Questão 9. (PROEB). Leia o texto abaixo. O HOMEM DO OLHO TORTO No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador, meio vaqueiro, era cheio de conversas - falava cuspindo, espumando como um sapo cururu. O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou quando foi caçar a égua pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no sono no meio do mato e, quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua. Era uma onça. No corre-corre, machucou-se com galhos de árvores e ficou sem um olho. Alexandre até que tentou colocar seu olho de volta no buraco, mas fez errado. Ficou com um olho torto. RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14. Na frase “Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua.”, rodou significa (A) analisou (B) girou (C) percorreu (D) rodopiou
  • 65. Questão 10. (PROEB). Leia o texto abaixo. Decidiu fugir de casa. No dia seguinte foi encontrado seco no carpete da sala. No aquário, ninguém parecia dar pela sua falta. Disponível em: http://www.microcontos.com.br. Quem fugiu de casa? A) A filha. B) A gata. C) O filho. D) O peixe.
  • 68. Questão 1. (Saresp – 2007). O algarismo que está na ordem da centena do número 8 543 é? (A) 8 (B) 5 (C) 4 (D) 3
  • 70. Questão 2.Saresp – 2007). Quantos retângulos formam a caixa abaixo? (A) 3 (B) 4 (C) 6 (D) 8
  • 72. Questão 3. Observe o gráfico a seguir que representa o resultado de uma pesquisa sobre o esporte preferido dos alunos do 5º ano O esporte menos votado pelas meninas foi A) vôlei. B) basquete. C) atletismo. D) tênis.
  • 74. Questão 4. Ao fazer um pudim, minha mamãe usou, entre outros, os seguintes ingredientes: Quantos gramas de ingredientes foram usados na produção do pudim? A) 0,6 g. B) 6,0 g. C) 60 g. D) 600 g.
  • 76. Questão 5. (Saresp – 2007). Por causa da queda de uma ponte, uma rodovia ficou interditada durante 2 meses. Considerando que um mês tem 4 semanas, quantas semanas a rodovia ficou interditada? (A) 4 semanas. (B) 6 semanas. (C) 8 semanas. (D) 10 semanas.
  • 78. Questão 6. (Saresp – 2007). Um panetone é feito com 250 g de farinha. Com 1 kg de farinha, quantos panetones podem ser preparados? A) 4 B) 6 C) 5 D) 8
  • 80. Questão 7. O piso de uma sala está sendo coberto por cerâmica quadrada. Já foram colocadas 7 cerâmicas, como mostrado na figura. Quantas cerâmicas faltam para cobrir o piso? A) 7 B) 8 C) 9 D) 15
  • 82. Questão 8. A professora Simone pediu aos alunos para decomporem o número 7435. A decomposição correta deste número é A) 700 + 400 + 3 + 50. B) 700 + 400 + 30 + 50. C) 7 000 + 400 + 30 + 5. D) 7 000 + 40 + 30 + 5.
  • 84. Questão 9. (PROVA BRASIL). O dono da padaria trocou R$ 7,00 por moedas de R$ 0,25. Quantas moedas ele recebeu? A) 14 B) 21 C) 28 D) 35
  • 86. Questão 10. Uma viagem ao redor do mundo foi feita em 2 anos e 26 dias. Se 1 ano tem 365 dias, quantos dias durou essa viagem? A) 620 dias B) 630 dias C) 730 dias D) 756 dias