SlideShare uma empresa Scribd logo
PTCRIS - Parte I
João Mendes Moreira
10-Set-14 1
Agenda
Parte I
• WP0: Ponto situação
• WP1: Demo: interoperabilidade
• WP1: Desconstruindo
interoperabilidade
• WP2 Novo sistema CV
• Ciência-IUL (CRIS ISCTE)
Parte II
• WP3: Identificadores de
Organizações
• Ante projeto novo SI Grant
Management
• WP4: Fundações PTCRIS
• WP10: Sítio web PTCRIS
• Plano de atividades 2015
10-Set-14 2
Ponto situação
João Mendes Moreira
10-Set-14 3
Agenda
• Contexto
• Trabalho desenvolvido
• Análise crítica
• Conclusões
10-Set-14 4
Contexto
Fusão
FCT- FCCN
Criação GT
Consultadoria
Diagnóstico
(processos & IT)
Oportunidades de
melhoria
Recomendações
•6 curto médio prazo
•Longo (PT-CRIS)
Workshops e
Estudos
Grupo peritos
Estudos técnicos
Modelo referência
& Plano
estratégico
Ante-projeto Go
CD FCT
Ministério
Mobilização
& Fase1
Resultados
Preliminares
Hoje
Estudos e estratégia Realização
Colaboração
Inicio 2013 Abr-Jun 2013 Jun 2013
Jornadas
Fev 2014 Abr 2014 Mai-Jan
Jornadas
Fev 2015
5
Research
organizations
Investment
opportunities
Projects
Publications
Patents
Equipment
Governments
Financiers
Researchers
Publishers
Libraries
Data centres
Research
institutions
Industry
Products
Research data
Facilities
Researchers
Source: EUROCRIS.org
O universo de ciência e de tecnologia
Missão
Assegurar a criação e o desenvolvimento sustentado
de um ecossistema nacional integrado de informação
de suporte à atividade científica desenvolvida em
Portugal, de acordo com as melhores normas e
práticas internacionais
10-Set-14 7
Objetivos
1. Definir o quadro normativo a adotar pelos vários sistemas
2. Coordenar a adaptação e integração dos sistemas da FCT
de acordo com o quadro normativo
3. Coordenar a integração dos sistemas externos à FCT
(nacionais e internacionais) de acordo com o quadro
normativo
4. Apoiar e divulgar na comunidade a utilização dos sistemas
do PTCRIS.
10-Set-14 8
Tipos de sistemas de gestão e tecnologia
CRIS – Current Research Information Systems
Academic
expertise
Organizations
database
Scientific
Infrastructures
Statistics
Funding
database
Grant
management
Outcomes /
outputs
Reserach news
Research ethics
Research portal
10-Set-14 9
Quadro normativo
Alinhamento:
• H2020
• Digital ERA fórum
• RDA
PT-CRIS
Dados
Dicionário / Interop.
Ontologias
Id Inv., Docentes, alunos, staff, etc
Id Organizações
10
1 - Interoperabilidade
Um output deverá ser registado apenas uma vez e
reutilizado múltiplas!
10-Set-14 11
HUB
CV
Grants
Outros
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
2 - Pessoas, competências e CV
Nova plataforma de CV (ergonómica e usável e
integrada no PTCRIS)
10-Set-14 12
3 - Identificadores
Constituir bases de dados autoritativas de organizações
e investigadores
10-Set-14 13
Organizações Investigadores,
docentes, alunos, staff
4 – Infraestruturas científicas
Constituir um sistema de informação de infraestruturas
científicas
10-Set-14 14
5 – Alicerces PT-CRIS na FCT
Base de dados “ponto de verdade” e normalizada.
BD
CERIF
Sistemas
existentes
Indicadores
(KPI)
Indicadores
operacionais
(excel ODBC)
APIs
CERIF-XML
Novos
sistemas
(comerciais)
Novos
sistemas
(medida)
10-Set-14 15
Agenda
• Contexto
• Trabalho desenvolvido
• Análise crítica
• Conclusões
10-Set-14 16
Organização trabalho – fase 1
10-Set-14 17
* WP 1 – Renomeado “outputs” para “Interoperabilidade”
* WP3 – Renomeado “Gestão Organizações” para “Gestão Indentificadores”
Workpackage Responsável
WP 1 - Interoperabilidade PTCRIS, Parceiros
WP 2 - Pessoas, competências e CVs UM-DSI
WP 3 - Identificadores PTCRIS
WP 4 - Infraestruturas Científicas SIGCiência
WP 5 - Fundações PT-CRIS PTCRIS | Fornecedor
WP 0 - Coordenação PTCRIS
WP 6 - Indicadores Bibliométricos PTCRIS| FCT-NEI | DGEEC
WP 7 - Research Portal RCAAP
WP 8 - Gestão de identidade Área Serviços de Rede
WP 10 - Comunicação, disseminação e formação PTCRIS | GabCom | ASA-SAW
Estado geral do Projeto
WP1 - Interoperabilidade
WP2 – Academic CV
WP4 – Infraestruturas científicas
WP3 - Organizações
Visão geral
18
Data de Inicio fase 1: 01/04/14
Data de fim fase 1 prevista: 31/10/15
De acordo com plano de projeto
Desalinhado com o plano de projeto, mas em recuperação
Desalinhado com o plano de projeto
WP4 – BD “ponto único de verdade”* *Piloto
WP0 - Coordenação
Tarefas realizadas
• Mobilização de recursos
• Alinhamento de visão e
estratégia
• Formalização de parcerias
nacionais e internacionais
• Contratação de serviços
Dificuldades
• Recursos Humanos
– Alocação menor/ tardia
– Rotatividade
10-Set-14 19
Perfil Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev
Perfil Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev
100%
Luís Valente Andreia Feijão
Marco Gomes
100%
100%
Gestor de projeto /
Analista
Analista/ técnico
100%
Gestor de projeto /
Analista
Analista/ técnico
WP0 - Coordenação
10-Set-14 20
CRIS na europa do SUL (GR, PT, IT, ES)
Acordo de Cooperação Técnica
Grupo informal
ORCID Premium
Membership level Review
Steering Committee
WP1 - Interoperabilidade
Tarefas realizadas
• Estudos e prospeção
• Primeira abordagem
• Mobilização perito / parceiros
• Especificações funcionais
• Validação com parceiros
• Planos de trabalho sectoriais
• Protótipos
Dificuldades
• Consenso
• Alguma complexidade
• Implementação do modelo
10-Set-14 21
WP2 - CV
Tarefas realizadas
• Nova framework
• Estudos e prospeção
• Compatibilização CASRAI
• Análise e implementação
• Prototipagem
Dificuldades
• Recursos
– Saída um elemento
– Baixa médica prolongada
de outro
• Maturidade modelo CASRAI
– Funding
• Ergonomia e usabilidade
10-Set-14 22
WP3 - Identificadores
Tarefas realizadas
• Estudos prospetivos
• Acompanhamento CASRAI-
UK-Org-Id
• Correção inconsistências BD
Ringgold (IES)
Dificuldades
• Modelo e normativos
internacionais pouco
estabelecidos
• Recursos humanos
escassos
• Relatório CASRAI-UK-Org-
Id disponibilizado em
Novembro
10-Set-14 23
WP4 – Infraestruturas científicas
Avaliaçãode tecnologia existente
• Estudo de soluções existentes, open-source ou cedidas por instituições com
soluções similares.
• Contemplou-se a utilização de um portal/serviço já existente ou a instalação
de
• Não se encontrou uma solução externa que fizesse correspondência com os
requisitos pretendidos.
Decisões tomadas
• Curto-prazo (2014): Exportar a listagem do Roteiro de Infraestruturas 2013 e
publicá-la no site FCT
• Médio-prazo (2015): Utilizar plataforma de nova geração para desenvolver um
portal à medida
WP5 – BD CERIF “ponto único verdade”
Tarefas realizadas
• Análise funcional
• Análise técnica
• Implementação piloto
• Testes
• Protótipo (Bolsas)
Dificuldades
• Disponibilidade de recursos
da SIGCiência
• Maturidade do modelo
• Complexidade do modelo
• Qualidade dos dados
• Disponibilização de
informação para importação
10-Set-14 25
WP10 – Com., disseminação e formação
• Imagem do projeto
• Sítio web
10-Set-14 26
Nov-2013 http://pt.slideshare.net/JooMoreira3/ptcris-eurocris-2013
Mai-2014 http://pt.slideshare.net/JooMoreira3/pt-criscasrairome16may2014v1
Oct-2014 https://www.coar-repositories.org/files/Profile-RCAAP_PTCRIS.pdf
Set-2014 https://orcid.org/content/webinar-orcid-adoption-funding-organizations
Oct-2014
Oct-2014 http://pt.slideshare.net/ConfOA/s5c03-gesto-de-cincia-integrada
Jan-2015
Fev-2015 (a confirmar)
WP10 – Com., disseminação e formação
10-Set-14 27
10-Set-14 28
Outras tarefas
• Implementação política de acesso aberto
• Integração dos sistemas PTCRIS com federação
RCTSAAI
• Registo nacional de publicações científicas (não
indexada e indexada)
• Estatísticas e Indicadores completas e transversais
(suporte modelo nórdico)
10-Set-14 29
Agenda
• Contexto
• Trabalho desenvolvido
• Análise crítica
• Conclusões
10-Set-14 30
Análise crítica
• Normativo PTCRIS
– Sistemas nacionais: dificuldades moderadas na
adoção (quase sempre ultrapassadas)
– Sistemas internacionais: adoção em curso
• Ex: Dspace vs ORCID / ISNI vs CERIF-XML
• Ex: ORCID-XML vs CERIF-XML
• Responsabilidade concentrada sobre o ecossistema
é um ativo para o Programa PTCRIS
10-Set-14 31
Agenda
• Contexto
• Trabalho desenvolvido
• Análise crítica
• Conclusões
10-Set-14 32
Indicadores
10-Set-14 33
Registos ORCID e importação de produções ORCID no DeGóis
10-Set-14 34
ORCID que usaram o Uber Wizard
10-Set-14 35
Data ORCIDs
12-10-2014 223
30-10-2014 1035
27-11-2014 1137
03-01-2015 1207
06-02-2015 1336
Grant Management
10-Set-14 36
Utilizadores
160.000 registados
22.000 com ORCID
Nota: 14.000
(concurso unidades)
+ 63%
Análise piloto OpenAIRE para financiador nacional - FCT
Agregação de informação de diversos financiadores
10-Set-14 38
Informação sobre projetos de
financiador
10-Set-14 39
Página do projeto – ferramentas: lista de publicações
(para relatório, etc.)
Conclusões
• 2014: do conceito ao protótipo
– Normativo PTCRIS foi parcialmente implementado em sistemas nacionais
(RCAAP, CV, Grant Mng)
– Modelo de interoperabilidade aparenta funcionar!
• Elevada mobilização dos parceiros nacionais e internacionais
• Lobby: PTCRIS em centros de decisão (ORCID, CASRAI, DSpace, etc) com o objetivo
de influenciar o rumo dos produtos/serviços e normas destas organizações
• Acreditamos que o PTCRIS vai colocar Portugal na linha da frente da gestão de ciência
10-Set-14 41
Agenda
Parte I
• WP0: Ponto situação
• WP1: Demo: interoperabilidade
• WP1: Desconstruindo
interoperabilidade
• WP2: Novo sistema CV
• Ciência-IUL (CRIS ISCTE)
Parte II
• WP3: Identificadores de
Organizações
• Ante projeto novo SI Grant
Management
• WP4: Fundações PTCRIS
• WP10: Sítio web PTCRIS
• Plano de atividades 2015
10-Set-14 42
Demonstração interoperabilidade
10-Fev-2015 43
Sumário
• Motivação
• Contexto
• Personagem
• Casos de uso
10-Fev-2015 44
Motivação
10-Fev-2015 45
“Um output deverá ser registado apenas uma
vez e reutilizado múltiplas!”
João Mendes Moreira
Sessão PTCRIS, Jornadas 2014
Motivação
Interfaces Interoperabilidade
10-Set-14 46
http://mashable.com/2011/09/16/ui-design-resources/ https://www.duosecurity.com/api
1 - Interoperabilidade
Um output deverá ser registado apenas uma vez e reutilizado múltiplas!
47
Outputs
- DeGóis
- RCAAP
- ORCID
- Editores
- Indexadores
- Datacite
- Crossref
- outros
Financiamento (projetos)
- DeGóis (em desenv.)
- RCAAP (em desenv.)
- ORCID
- UberWizard
HUB
CV
Grants
Outros
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
Intra-ecossistema PTCRIS
HUB PTCRIS (ORCID)
Extra-ecosistema PTCRIS
Sumário
• Motivação
• Contexto
• Personagem
• Casos de uso
10-Fev-2015 48
Contexto - Atores
10-Fev-2015 51
Pedro Lopes Paulo Graça José Carvalho
Narrador: João Mendes Moreira
Sumário
• Motivação
• Contexto
• Personagem
• Casos de uso
10-Fev-2015 52
Personagem
Marina R. Cunha
Professora Auxiliar
Investigadora LEME e CESAM
http://orcid.org/0000-0002-5216-3501 (prd)
http://sandbox.orcid.org/0000-0002-6305-4618 (desen)
 Financiamento FCT
 Dadoscientíficos emDatacite
 Artigos noRCAAP
 WoS
 Scopus
10-Fev-2015 53
Sumário
• Motivação
• Contexto
• Perfil
• Casos de uso
10-Fev-2015 54
Proposta de caso de uso 1/2
10-Fev-2015 55
# Sistema Ação
1 Verificaçãodeestadoinicial
Mecanismosdeimportação“ecossistemainternacional”
Importaçãofinanciamento(FCTviaUberResearch)
2 Login federado no DeGóis (RCTSAAI)
SincronizaçãocomHUB(registosORCID)
Registo manual
3 Login federado
Autor com ORCID
Submissão e aprovação de artigo em Revista Científica
Proposta de caso de uso 2/2
10-Fev-2015 56
# Sistema Ação
4 Login federado
Depósito documento em Repositório Institucional (via crossref)
5 Mostrar registos criados (repositório e revista)
Enviar registos para o HUB (Add-to, Wizard)
6 SincronizaçãocomHUB (verificaçãoderegistosDeGóiseRCAAP)
7 SincronizaçãocomHUB(verregistosRCAAP)
10-Fev-2015 57
DeGóis
Grants
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
SARI
OJS
# Sistema Ação
1 Verificaçãodeestadoinicial
Mecanismosdeimportação“ecossistemainternacional”
Importaçãofinanciamento(FCTviaUberResearch)
Go
10-Fev-2015 58
DeGóis
Grants
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
10-Fev-2015 70
# Sistema Ação
2 Login federado no DeGóis (RCTSAAI)
SincronizaçãocomHUB(registosORCID)
Registo manual
Go
10-Fev-2015 71
10-Fev-2015 81
# Sistema Ação
3 Login federado
Autor com ORCID
Submissão e aprovação de artigo em Revista Científica
4 Login federado
Depósito documento em Repositório Institucional (via crossref)
5 Mostrar registos criados (repositório e revista)
Enviar registos para o HUB (Add-to, Wizard)
10-Fev-2015 82
DeGóis
Grants
RCAAPEditores
RENATE
S
CRIS
locais
SARI
SARC
Go
10-Fev-2015 83
DeGóis
Grants
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
10-Fev-2015 101
# Sistema Ação
6 SincronizaçãocomHUB (verificaçãoderegistosDeGóiseRCAAP)
Go
10-Fev-2015 102
DeGóis
Grants
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
10-Fev-2015 103
SARI
SARC
# Sistema Ação
7 SincronizaçãocomHUB(verregistosRCAAP)
Go
10-Fev-2015 104
Ecossistema
10-Fev-2015 105
Conclusões
• O protótipo demonstrou que:
– é possível reutilizar informação
– O modelo funciona qq que seja o sistema onde
a informação é originada / alterada
– é possível ligar o ecossistema nacional ao
internacional
• O modelo é escalável a outros sistemas nacionais /
locais
10-Fev-2015 106
Obrigado!
10-Fev-2015 109
Agenda
Parte I
• WP0: Ponto situação
• WP1: Demo: interoperabilidade
• WP1: Desconstruindo
interoperabilidade
• WP2: Novo sistema CV
• Ciência-IUL (CRIS ISCTE)
Parte II
• WP3: Identificadores de
Organizações
• Ante projeto novo SI Grant
Management
• WP4: Fundações PTCRIS
• WP10: Sítio web PTCRIS
• Plano de atividades 2015
10-Set-14 110
Desconstruindo o modelo de interoperabilidade
Alcino Cunha
João Mendes Moreira
10-Set-14 111
Motivação
PTCRIS #1
Um output deverá ser registado uma
vez e reutilizado múltiplas!
19/02/2018 112
Motivação
• Desenvolver modelo de interoperabilidade entre
sistemas intra/extra PTCRIS
• Averiguar viabilidade com casos de uso conhecidos
• Ferramentas de suporte à implementação do
modelo de interoperabilidade
19/02/2018 113
Motivação - Princípios
• Os serviços podem ser centralizados ou distribuídos.
• Os serviços existentes serão usados sempre que
possível.
• Os serviços devem ser de utilização fácil, intuitiva,
eficiente e eficaz.
• Somente os serviços que satisfazerem as necessidades de
ensino e investigação serão implementados.
• A partilha de serviços permitirá otimização de custos.
19/02/2018 114
Motivação - Princípios
• O sustentabilidade dos serviços é de vital importância.
• O ciclo de vida de investigação deve ser integralmente coberto
por serviços.
• As restrições legais devem ser observadas.
• O serviços são guiados por normas nacionais e
internacionais e as melhores práticas.
• O serviços serão disponibilizados através de interfaces e
normas bem definidas a fim de que eles possam ser usados
de forma autónoma pelas organizações.
19/02/2018 115
Etapas
10-Set-14 116
1ª Iteração
Ago-Set
Bases
Modelos de
interoperabilidade
Ferramentas
Princípios base
(Ids, HUB)
Magia->Realidade
Reunião
10- Set
Gestão de ciência?
10-Set-14 117
Ciência na Gestão de ciência?
10-Set-14 118
Etapas
10-Set-14 119
1ª Iteração
Ago-Set
Bases
Modelos de
interoperabilidade
Ferramentas
Princípios base
Magia->Realidade
2ª Iteração
Oct-Nov
Investigador Alcino
Cunha (INESCTEC)
Debate RCAAP e
DeGóis
1º modelo
Reunião com
equipa ORCID
2º Modelo
Prototipagem
(Dez / Jan)
RCAAP: Portal,
SARI e SARC
DeGóis
Versão final
(Fev-Set)
Estabilizar modelo
Produção DeGóis /
RCAAP
Outros SI
(nacionais)
Piloto CRIS local
HUB Kit e CDF
HUB Central?
10-Set-14 120
Cenários
Estrela – HUB Central Fullmesh
19/02/2018 121
ORCID
CRIS Locais
Grant.
CV
RENATES
RCAAP
ORCID
CRIS Locais
Grant
CV
RENATES
RCAAP
HUB
CV
Grants
Outros
RCAAPEditores
RENATES
CRIS
locais
Análise comparativa
19/02/2018 122
Categoria Requisito HUB Fullmesh
Gerais
Utilização, intuitiva,
eficiente e eficaz standard (tipo ORCID) à medida
Flexibilidade
(centralizado vs distribuído) sim Complexo
Abrangente (eco PTCRIS,
sistemas externos) sim Não
Facilidade de
implementação sim. sempre igual. Varia com sistema
Robustez / Fiabilidade Infraestrutura mundial Infraestrutura local
Segurança Standard / boas práticas Varia com sistema
Suporte Mundial e com escala Local e com restrições
Documentação Abundante Varia com sistema
Funcionais
Técnicos
ORCID como HUB Central?
10-Set-14 123
ORCID como HUB central
• Elevada cobertura de requisitos (e pronto a usar)
• Elevada abrangência externa (Scopus,WoS,CrossRef,Datacite,etc)
• Elevada cobertura da comunidade nacional (concursodasunidades)
– 15000 Investigadores, 90% outputs (5 anos)
• Sustentável (custo muito reduzido)
• Riscos mitigados
– Colapso ORCID
• Código (open source /github)
• Base de dados (cópia mensal)
– Robustez, resiliência e segurança (infraestrutura mundial)
10-Set-14 124
Concepção do
Modelo de Interoperabilidade
PTCRIS
Alcino Cunha
Consistência é o problema
No PTCRIS e não só
Arquitectura da solução
Metodologia de concepção
Para cada serviço PTCRIS:
1. Especificar noção de consistência com o hub
2. Especificar procedimento de sincronização (para
recuperação da consistência)
3. Implementar procedimento de sincronização
4. Testar conformidade com a especificação
“The first principle is that
you must not fool yourself, and you are
the easiest person to fool.”
–Richard Feynman
Validação e verificação
• Especificar formalmente a noção de consistência e
procedimento de sincronização
• Usar ferramentas automáticas na
• Geração de cenários para validação pelos diversos
interlocutores
• Verificação de propriedades desejáveis
• Usar esses cenários no teste de conformidade
O novo ORCID
O novo ORCID
• Podem existir vários registos de fontes distintas para o
mesmo trabalho
• Os registos só podem ser editados pela sua fonte
• Dois registos consideram-se do mesmo trabalho se e só se
partilham algum ID único (DOI,EID,ISBN,…)
• Para cada trabalho, o utilizador pode escolher qual o registo
preferido
Problemas do ORCID
• Há sempre um registo preferido, mesmo que não seja o
“preferido” do utilizador
• Qualidade dos metadados por vezes duvidosa - o maior
valor está nos IDs
• API limitada pode dificultar a implementação do
procedimento de sincronização desejado
Exemplo
Consistência v0.2
A. Para todo o registo no ORCID cuja fonte é o DeGóis deve existir um
registo idêntico no DeGóis (mesmo ID e atributos)
B. Para todo o trabalho no ORCID (com um ou mais registos):
• Ou existe um registo no DeGóis com todos os seus IDs
• Ou existe um registo no DeGóis com alguns dos IDs e uma notificação
para lhe acrescentar os IDs em falta
• Ou existe uma notificação para criar um registo para esse trabalho, com
todos os seus IDs e atributos da fonte “favorita”
C. Não existem notificações espúrias para além destas
Consistência v0.2
• O utilizador retém o controlo dos seus CVs, podendo manter versões
diferentes no ORCID e no DeGóis (consistência leve semi-automática)
• Só importa e exporta os trabalhos que quer
• Pode editar no DeGóis os atributos de registos importados
• Alterações aos atributos feitas no DeGóis são sincronizadas
automaticamente para os registos exportados no ORCID
• Nesta versão, alterações aos atributos feitas no ORCID não são
sincronizadas automaticamente para o DeGóis (só novos IDs)
• Já suporta a maioria dos casos de uso desejados no PTCRIS
Sincronização
Queremos um procedimento de sincronização:
• Correcto (recupera a consistência)
• Estável (não faz nada se não houver inconsistência)
• Previsível (tem sempre o mesmo resultado para o
mesmo estado inicial)
Cenários
• Um cenário é composto por:
1. Um estado inicial consistente
2. Uma acção (do utilizador ou outra) que pode ou não causar
uma inconsistência
3. O estado final consistente, conforme determinado pelo
procedimento de sincronização especificado
• Para cada versão da noção de consistência são criadas dezenas
de cenários para validação
Exemplo de cenário v0.2
1. Existe um trabalho no DeGóis
sem equivalente no ORCID
2. O utilizador introduz
manualmente um registo no
ORCID que partilha apenas
alguns IDs com esse trabalho
3. Deve ser criada uma notificação
para acrescentar os IDs em falta
Trabalho futuro
• Especificar a versão final da noção de consistência e
procedimento de sincronização para todas os serviços PTCRIS
• Definir um conjunto de cenários alargado para dar suporte ao
teste (automatizar o processo de teste seria o desejável)
• Sincronização como web-service
• Exportar este modelo de interoperabilidade
Vídeo ORCID
10-Set-14 142
Agenda
Parte I
• WP0: Ponto situação
• WP1: Demo: interoperabilidade
• WP1: Desconstruindo
interoperabilidade
• WP2: Novo sistema CV
• Ciência-IUL (CRIS ISCTE)
Parte II
• WP3: Identificadores de
Organizações
• Ante projeto novo SI Grant
Management
• WP4: Fundações PTCRIS
• WP10: Sítio web PTCRIS
• Plano de atividades 2015
10-Set-14 143
DeGóis
Jornadas FCCN 2015
10 de Fevereiro de 2015 – ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa
Carlos Sousa Pinto
csp@dsi.uminho.pt
144
DeGóis
Sumário:
1. Trabalho realizado em 2014
2. Demonstração do protótipo do novo DeGóis
3. Evolução prevista para 2015
145
DeGóis
No início de 2014 o PT-CRIS era fundamentalmente
uma ideia resultante da “visão” do que deveria ser o
ecosistema de gestão de ciência e tecnologia nacional, a
necessitar de aprovação para se tornar no projeto nacional
que hoje é.
Identificar o que estava a ser feito a nível mundial
nesta área, era fundamental e foram analisados diversos
sistemas, normas e referenciais.
Iniciou-se o estudo do dicionário CASRAI, que haveria
de influenciar fortemente o desenho da nova versão do
DeGóis.
146
DeGóis
A análise do CASRAI assim como o trabalho
colaborativo envolvendo um especialista em
usabilidade (da FCT), permitiu a obtenção de um
novo desenho para a plataforma e uma reorganização
das funcionalidades disponíveis.
Esta fase prolongou-se até finais de Junho de 2014
e, em paralelo, foram sendo realizados outros estudos
e desenvolvidos componentes cuja reutilização era
previsível em diversas áreas funcionais da plataforma.
147
DeGóis
No início de Setembro de 2014, foi confirmado
finalmente o modelo que rege o ecosistema PT-CRIS.
Os trabalhos até então realizados, com base no
referencial CASRAI, revelaram-se uma aposta ganha!
Ainda na sequência dessa confirmação foi tomada a
decisão de adotar o ORCID como HUB central de
produções científicas e sistema de identificação
única de autores.
148
DeGóis
Nessa altura foi também adotado o princípio
estruturante para o PT-CRIS “Registar uma vez,
reutilizar múltiplas vezes”.
Este princípio influenciou os desenvolvimentos
realizados até agora e a realizar no futuro, não só a
nível do DeGóis, mas também nos outros sistemas que
integram o PT-CRIS.
149
DeGóis
As decisões tomadas tiveram no DeGóis implicações a vários
níveis:
1. Desenho da plataforma;
2. Modelo de dados de suporte;
3. Funcionalidades a implementar, influenciadas por:
•Interoperabilidade;
•Cenários de utilização;
•Sincronização de informação com outros sistemas.
150
DeGóis
Realizou-se um estudo comparativo entre o modelo de
dados DeGóis, e os modelos propostos pelo CASRAI e pelo
ORCID, com o objetivo de avaliar o impacto da adoção
desses referenciais.
Nesse estudo foram considerados os 20 tipos de
produções e serviços com mais registos na plataforma
desde 2007.
Para o período em análise, os registos considerados
representavam cerca de 80% do total de registos no DeGóis.
151
DeGóis
Conclusões desse estudo:
1. Os investigadores registavam acima de tudo dados relativos
a artigos, conferências e livros, sendo também os
serviços uma componente importante dos seus CV;
1. O mapeamento direto entre o dicionário CASRAI e o DeGóis
era possível para 17 dos 20 tipos de registos considerados,
isto é, para 85% do total de registos no DeGóis;
2. O ORCID não contemplava (e não contempla) a
componente relativa aos serviços.
152
DeGóis
Protótipo do novo DeGóis
(Pedro Lopes – DSI Universidade Minho)
153
De Góis
2015
154
DeGóis
Quer o CASRAI, quer o ORCID, são referenciais em
evolução!
Implicarão alterações futuras na plataforma DeGóis.
É desejável o maior alinhamento possível com tais
referenciais, tendo em vista também, eventuais interações
com outros sistemas que os adotaram ou estão em vias de
adotar.
155
DeGóis
Presentemente o ORCID apenas cobre a componente
produções de um CV. Outras componentes, como o caso
dos serviços, não são consideradas. Por exemplo:
Participações em júris;
Orientações de teses e dissertações;
Organização de conferências;
Lecionação de aulas;
…
156
DeGóis
Em muitos casos essa informação está disponível em
CRIS locais ou institucionais.
O PT-CRIS prevê a interação do DeGóis com tais sistemas
locais, por forma a ser possível completar um CV DeGóis com
essa informação, sem necessidade de repetição de
introdução de dados.
Esta interação ainda está em fase de análise e de
identificação de uma solução, havendo no entanto cenários
de potencial implementação.
157
DeGóis
CRIS
LocalParser valida
estrutura
CVs
Criação CV
PENDENTE
Web
Services
Credênciais de
acesso
Metadados de CV
institucional
12
3
4
Investigador
Utilizador
valida os
dados do CV 5
158
DeGóis
Criação de CV
DeGóis
CRIS
LocalParser valida
estrutura
CVs
Atualização de
CV PENDENTE
Web
Services
2
3
Investigador
Validação de
atualização de
dados 5
Metadados de CV
institucional
1
Notificação de
dados a validar
4
159
DeGóis
Atualização de CV
DeGóis
Outras atividades previstas:
Início do processo de “restyling” da plataforma;
Ativação de Web Services (CRIS locais, FCT, RCAAP, …)
População com informação de outras fontes:
REBIDES (Registo Biográfico de Docentes do Ensino Superior);
Unidades de Investigação (para efeitos de afiliação e não só);
RENATES (teses de doutoramento em curso e concluídos);
…
160
DeGóis
Novas funcionalidades:
Gestão de afiliações (instituições e centros de investigação);
Controlo de privacidade de informação;
…
161
DeGóis
Serão migrados para a nova plataforma os currículos
atualmente no DeGóis (mais de 21.500).
Alguma informação deverá perder-se nesse processo,
dadas as alterações verificadas em termos do modelo de dados
que a suporta.
Será mantida disponível durante algum tempo a plataforma
ainda em produção, por forma a permitir que os utilizadores
possam salvaguardar informação perdida no processo de
migração.
162
DeGóis
A informação mais relevante para um CV DeGóis será
mantida. A análise realizada aos casos de previsível perda
de informação durante o processo de migração de dados,
permitiu chegar a essa conclusão.
Um exemplo de não mapeamento:
• O CASRAI não prevê o tipo “Outras produções”, que o DeGóis atual
considera, para produções que o utilizador não achou adequado associar a
algum dos tipos de produções predefinidos.
Estas situações são, contudo, residuais.
163
DeGóis
Prevista para o início de Setembro de 2015
a entrada em produção da nova versão da
plataforma DeGóis.
164
DeGóis
165
Obrigado!
Agenda
Parte I
• WP0: Ponto situação
• WP1: Demo: interoperabilidade
• WP1: Desconstruindo
interoperabilidade
• WP2 Novo sistema CV
• Ciência-IUL (CRIS ISCTE)
Parte II
• WP3: Identificadores de
Organizações
• Ante projeto novo SI Grant
Management
• WP4: Fundações PTCRIS
• WP10: Sítio web PTCRIS
• Plano de atividades 2015
10-Set-14 166
Cooperação é poder!
10-Set-14 167

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a PTCRIS parte I Jornadas 2015

DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigDataDataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
Eduardo Hahn
 
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big DataTDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
Eduardo Hahn
 
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
Peter Mello
 
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionaisPlataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Roberto C. S. Pacheco
 
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte IIJornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
João Mendes Moreira
 
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de PortfolioGestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
GUGP SUCESU-RS
 
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
Projeto RCAAP
 
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Repositórios: Desafios de ali...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - 	Repositórios: Desafios de ali...Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - 	Repositórios: Desafios de ali...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Repositórios: Desafios de ali...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
Projeto RCAAP
 
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte IJornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
PTCRIS FCT
 
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
Estevão Hess
 
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do ProjetoLecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
Rogerio P C do Nascimento
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
Jorge Improissi
 
Projeto UnB
Projeto UnBProjeto UnB
Projeto UnB
PentahoBrasil
 
GTI/ERP 06/12 Gestão de TI
GTI/ERP 06/12 Gestão de TIGTI/ERP 06/12 Gestão de TI
GTI/ERP 06/12 Gestão de TI
Felipe Pereira
 
Introdução ao RUP
Introdução ao RUPIntrodução ao RUP
Introdução ao RUP
Rodrigo Gomes da Silva
 
Lecture 7 :: Ferramentas Case
Lecture 7 :: Ferramentas CaseLecture 7 :: Ferramentas Case
Lecture 7 :: Ferramentas Case
Rogerio P C do Nascimento
 
Oficina de Metodologias Ágeis
Oficina de Metodologias ÁgeisOficina de Metodologias Ágeis
Oficina de Metodologias Ágeis
Profa Karen Borges
 

Semelhante a PTCRIS parte I Jornadas 2015 (20)

DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigDataDataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
DataOps: da teoria a prática, como realmente se aplica em projetos de BigData
 
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Introdução/Motivação: Sistemas...
 
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big DataTDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
TDC São Paulo Online 2020 - trilha Big Data
 
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
Recursos Compartilhados e Portfolio (Sucesu-RS / GUGP)
 
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionaisPlataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
 
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte IIJornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
Jornadas FCCN 2015: RCAAP: Parte II
 
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de PortfolioGestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
Gestão de Recursos Compartilhados e Análise de Portfolio
 
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 2
 
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
Integrar uma Rede de Repositórios no Ecossistema de Gestão de Ciência Naciona...
 
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Repositórios: Desafios de ali...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - 	Repositórios: Desafios de ali...Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - 	Repositórios: Desafios de ali...
Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios - Repositórios: Desafios de ali...
 
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
e-Jornadas FCCN 2020 - Sessão do Projeto RCAAP - Parte 1
 
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte IJornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
Jornadas FCCN 2017 - Sessão PTCRIS Parte I
 
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
Defesa Mestrado - FTSProc - Um Processo para Minimizar as Dificuldades de Pro...
 
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do ProjetoLecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
Lecture 5 :: Planejameto Temporal e Monitorização do Projeto
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
 
Projeto UnB
Projeto UnBProjeto UnB
Projeto UnB
 
GTI/ERP 06/12 Gestão de TI
GTI/ERP 06/12 Gestão de TIGTI/ERP 06/12 Gestão de TI
GTI/ERP 06/12 Gestão de TI
 
Introdução ao RUP
Introdução ao RUPIntrodução ao RUP
Introdução ao RUP
 
Lecture 7 :: Ferramentas Case
Lecture 7 :: Ferramentas CaseLecture 7 :: Ferramentas Case
Lecture 7 :: Ferramentas Case
 
Oficina de Metodologias Ágeis
Oficina de Metodologias ÁgeisOficina de Metodologias Ágeis
Oficina de Metodologias Ágeis
 

Mais de João Mendes Moreira

PCRIS parte II jornadas 2015
PCRIS parte II jornadas 2015PCRIS parte II jornadas 2015
PCRIS parte II jornadas 2015
João Mendes Moreira
 
2018 PTCRISync
2018 PTCRISync2018 PTCRISync
2018 PTCRISync
João Mendes Moreira
 
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte IRCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
João Mendes Moreira
 
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystemAn ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
João Mendes Moreira
 
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte II
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte IIJornadas 2015: PTCRIS: Parte II
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte II
João Mendes Moreira
 
Ptcris parte ii-jornadas2015
Ptcris parte ii-jornadas2015Ptcris parte ii-jornadas2015
Ptcris parte ii-jornadas2015
João Mendes Moreira
 
Jornadas 2015: RCAAP: Parte I
Jornadas 2015: RCAAP: Parte IJornadas 2015: RCAAP: Parte I
Jornadas 2015: RCAAP: Parte I
João Mendes Moreira
 
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
João Mendes Moreira
 
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systemsPT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
João Mendes Moreira
 
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zappingb-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
João Mendes Moreira
 
RCAAP: Jornadas 2014: Zapping
RCAAP: Jornadas 2014: ZappingRCAAP: Jornadas 2014: Zapping
RCAAP: Jornadas 2014: Zapping
João Mendes Moreira
 
Jornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
Jornadas FCCN 2013: b-on: ZappingJornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
Jornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
João Mendes Moreira
 
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
João Mendes Moreira
 
RCAAP in a nutshell 2013
RCAAP in a nutshell 2013RCAAP in a nutshell 2013
RCAAP in a nutshell 2013
João Mendes Moreira
 
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
João Mendes Moreira
 
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
João Mendes Moreira
 
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav21 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
João Mendes Moreira
 
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: IntroductionRCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
João Mendes Moreira
 
RCAAP (full): OA week 2011
RCAAP (full): OA week 2011RCAAP (full): OA week 2011
RCAAP (full): OA week 2011
João Mendes Moreira
 
RCAAP (Short): OA week 2011
RCAAP (Short): OA week 2011RCAAP (Short): OA week 2011
RCAAP (Short): OA week 2011
João Mendes Moreira
 

Mais de João Mendes Moreira (20)

PCRIS parte II jornadas 2015
PCRIS parte II jornadas 2015PCRIS parte II jornadas 2015
PCRIS parte II jornadas 2015
 
2018 PTCRISync
2018 PTCRISync2018 PTCRISync
2018 PTCRISync
 
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte IRCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I
 
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystemAn ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
An ORCID based synchronization framework for a national CRIS ecosystem
 
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte II
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte IIJornadas 2015: PTCRIS: Parte II
Jornadas 2015: PTCRIS: Parte II
 
Ptcris parte ii-jornadas2015
Ptcris parte ii-jornadas2015Ptcris parte ii-jornadas2015
Ptcris parte ii-jornadas2015
 
Jornadas 2015: RCAAP: Parte I
Jornadas 2015: RCAAP: Parte IJornadas 2015: RCAAP: Parte I
Jornadas 2015: RCAAP: Parte I
 
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
Pt cris-casrai-rome-16-may-2014-v1
 
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systemsPT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
PT-CRIS: EUROCRIS: 2013: Eco-system of research information systems
 
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zappingb-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
b-on: Jornadas FCCN 2014: Zapping
 
RCAAP: Jornadas 2014: Zapping
RCAAP: Jornadas 2014: ZappingRCAAP: Jornadas 2014: Zapping
RCAAP: Jornadas 2014: Zapping
 
Jornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
Jornadas FCCN 2013: b-on: ZappingJornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
Jornadas FCCN 2013: b-on: Zapping
 
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: RCAAP: Relatório atividades 2012
 
RCAAP in a nutshell 2013
RCAAP in a nutshell 2013RCAAP in a nutshell 2013
RCAAP in a nutshell 2013
 
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
Jornadas FCCN 2013: b-on: SCOAP3
 
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
Jornadas FCCN: b-on: Relatório atividades 2012
 
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav21 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
1 rcaap-sarc congresso-oftalmologiav2
 
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: IntroductionRCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
RCAAP: Scientific Open Access Repository of Portugal: Introduction
 
RCAAP (full): OA week 2011
RCAAP (full): OA week 2011RCAAP (full): OA week 2011
RCAAP (full): OA week 2011
 
RCAAP (Short): OA week 2011
RCAAP (Short): OA week 2011RCAAP (Short): OA week 2011
RCAAP (Short): OA week 2011
 

PTCRIS parte I Jornadas 2015

  • 1. PTCRIS - Parte I João Mendes Moreira 10-Set-14 1
  • 2. Agenda Parte I • WP0: Ponto situação • WP1: Demo: interoperabilidade • WP1: Desconstruindo interoperabilidade • WP2 Novo sistema CV • Ciência-IUL (CRIS ISCTE) Parte II • WP3: Identificadores de Organizações • Ante projeto novo SI Grant Management • WP4: Fundações PTCRIS • WP10: Sítio web PTCRIS • Plano de atividades 2015 10-Set-14 2
  • 3. Ponto situação João Mendes Moreira 10-Set-14 3
  • 4. Agenda • Contexto • Trabalho desenvolvido • Análise crítica • Conclusões 10-Set-14 4
  • 5. Contexto Fusão FCT- FCCN Criação GT Consultadoria Diagnóstico (processos & IT) Oportunidades de melhoria Recomendações •6 curto médio prazo •Longo (PT-CRIS) Workshops e Estudos Grupo peritos Estudos técnicos Modelo referência & Plano estratégico Ante-projeto Go CD FCT Ministério Mobilização & Fase1 Resultados Preliminares Hoje Estudos e estratégia Realização Colaboração Inicio 2013 Abr-Jun 2013 Jun 2013 Jornadas Fev 2014 Abr 2014 Mai-Jan Jornadas Fev 2015 5
  • 7. Missão Assegurar a criação e o desenvolvimento sustentado de um ecossistema nacional integrado de informação de suporte à atividade científica desenvolvida em Portugal, de acordo com as melhores normas e práticas internacionais 10-Set-14 7
  • 8. Objetivos 1. Definir o quadro normativo a adotar pelos vários sistemas 2. Coordenar a adaptação e integração dos sistemas da FCT de acordo com o quadro normativo 3. Coordenar a integração dos sistemas externos à FCT (nacionais e internacionais) de acordo com o quadro normativo 4. Apoiar e divulgar na comunidade a utilização dos sistemas do PTCRIS. 10-Set-14 8
  • 9. Tipos de sistemas de gestão e tecnologia CRIS – Current Research Information Systems Academic expertise Organizations database Scientific Infrastructures Statistics Funding database Grant management Outcomes / outputs Reserach news Research ethics Research portal 10-Set-14 9
  • 10. Quadro normativo Alinhamento: • H2020 • Digital ERA fórum • RDA PT-CRIS Dados Dicionário / Interop. Ontologias Id Inv., Docentes, alunos, staff, etc Id Organizações 10
  • 11. 1 - Interoperabilidade Um output deverá ser registado apenas uma vez e reutilizado múltiplas! 10-Set-14 11 HUB CV Grants Outros RCAAPEditores RENATES CRIS locais
  • 12. 2 - Pessoas, competências e CV Nova plataforma de CV (ergonómica e usável e integrada no PTCRIS) 10-Set-14 12
  • 13. 3 - Identificadores Constituir bases de dados autoritativas de organizações e investigadores 10-Set-14 13 Organizações Investigadores, docentes, alunos, staff
  • 14. 4 – Infraestruturas científicas Constituir um sistema de informação de infraestruturas científicas 10-Set-14 14
  • 15. 5 – Alicerces PT-CRIS na FCT Base de dados “ponto de verdade” e normalizada. BD CERIF Sistemas existentes Indicadores (KPI) Indicadores operacionais (excel ODBC) APIs CERIF-XML Novos sistemas (comerciais) Novos sistemas (medida) 10-Set-14 15
  • 16. Agenda • Contexto • Trabalho desenvolvido • Análise crítica • Conclusões 10-Set-14 16
  • 17. Organização trabalho – fase 1 10-Set-14 17 * WP 1 – Renomeado “outputs” para “Interoperabilidade” * WP3 – Renomeado “Gestão Organizações” para “Gestão Indentificadores” Workpackage Responsável WP 1 - Interoperabilidade PTCRIS, Parceiros WP 2 - Pessoas, competências e CVs UM-DSI WP 3 - Identificadores PTCRIS WP 4 - Infraestruturas Científicas SIGCiência WP 5 - Fundações PT-CRIS PTCRIS | Fornecedor WP 0 - Coordenação PTCRIS WP 6 - Indicadores Bibliométricos PTCRIS| FCT-NEI | DGEEC WP 7 - Research Portal RCAAP WP 8 - Gestão de identidade Área Serviços de Rede WP 10 - Comunicação, disseminação e formação PTCRIS | GabCom | ASA-SAW
  • 18. Estado geral do Projeto WP1 - Interoperabilidade WP2 – Academic CV WP4 – Infraestruturas científicas WP3 - Organizações Visão geral 18 Data de Inicio fase 1: 01/04/14 Data de fim fase 1 prevista: 31/10/15 De acordo com plano de projeto Desalinhado com o plano de projeto, mas em recuperação Desalinhado com o plano de projeto WP4 – BD “ponto único de verdade”* *Piloto
  • 19. WP0 - Coordenação Tarefas realizadas • Mobilização de recursos • Alinhamento de visão e estratégia • Formalização de parcerias nacionais e internacionais • Contratação de serviços Dificuldades • Recursos Humanos – Alocação menor/ tardia – Rotatividade 10-Set-14 19 Perfil Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Perfil Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev 100% Luís Valente Andreia Feijão Marco Gomes 100% 100% Gestor de projeto / Analista Analista/ técnico 100% Gestor de projeto / Analista Analista/ técnico
  • 20. WP0 - Coordenação 10-Set-14 20 CRIS na europa do SUL (GR, PT, IT, ES) Acordo de Cooperação Técnica Grupo informal ORCID Premium Membership level Review Steering Committee
  • 21. WP1 - Interoperabilidade Tarefas realizadas • Estudos e prospeção • Primeira abordagem • Mobilização perito / parceiros • Especificações funcionais • Validação com parceiros • Planos de trabalho sectoriais • Protótipos Dificuldades • Consenso • Alguma complexidade • Implementação do modelo 10-Set-14 21
  • 22. WP2 - CV Tarefas realizadas • Nova framework • Estudos e prospeção • Compatibilização CASRAI • Análise e implementação • Prototipagem Dificuldades • Recursos – Saída um elemento – Baixa médica prolongada de outro • Maturidade modelo CASRAI – Funding • Ergonomia e usabilidade 10-Set-14 22
  • 23. WP3 - Identificadores Tarefas realizadas • Estudos prospetivos • Acompanhamento CASRAI- UK-Org-Id • Correção inconsistências BD Ringgold (IES) Dificuldades • Modelo e normativos internacionais pouco estabelecidos • Recursos humanos escassos • Relatório CASRAI-UK-Org- Id disponibilizado em Novembro 10-Set-14 23
  • 24. WP4 – Infraestruturas científicas Avaliaçãode tecnologia existente • Estudo de soluções existentes, open-source ou cedidas por instituições com soluções similares. • Contemplou-se a utilização de um portal/serviço já existente ou a instalação de • Não se encontrou uma solução externa que fizesse correspondência com os requisitos pretendidos. Decisões tomadas • Curto-prazo (2014): Exportar a listagem do Roteiro de Infraestruturas 2013 e publicá-la no site FCT • Médio-prazo (2015): Utilizar plataforma de nova geração para desenvolver um portal à medida
  • 25. WP5 – BD CERIF “ponto único verdade” Tarefas realizadas • Análise funcional • Análise técnica • Implementação piloto • Testes • Protótipo (Bolsas) Dificuldades • Disponibilidade de recursos da SIGCiência • Maturidade do modelo • Complexidade do modelo • Qualidade dos dados • Disponibilização de informação para importação 10-Set-14 25
  • 26. WP10 – Com., disseminação e formação • Imagem do projeto • Sítio web 10-Set-14 26
  • 27. Nov-2013 http://pt.slideshare.net/JooMoreira3/ptcris-eurocris-2013 Mai-2014 http://pt.slideshare.net/JooMoreira3/pt-criscasrairome16may2014v1 Oct-2014 https://www.coar-repositories.org/files/Profile-RCAAP_PTCRIS.pdf Set-2014 https://orcid.org/content/webinar-orcid-adoption-funding-organizations Oct-2014 Oct-2014 http://pt.slideshare.net/ConfOA/s5c03-gesto-de-cincia-integrada Jan-2015 Fev-2015 (a confirmar) WP10 – Com., disseminação e formação 10-Set-14 27
  • 29. Outras tarefas • Implementação política de acesso aberto • Integração dos sistemas PTCRIS com federação RCTSAAI • Registo nacional de publicações científicas (não indexada e indexada) • Estatísticas e Indicadores completas e transversais (suporte modelo nórdico) 10-Set-14 29
  • 30. Agenda • Contexto • Trabalho desenvolvido • Análise crítica • Conclusões 10-Set-14 30
  • 31. Análise crítica • Normativo PTCRIS – Sistemas nacionais: dificuldades moderadas na adoção (quase sempre ultrapassadas) – Sistemas internacionais: adoção em curso • Ex: Dspace vs ORCID / ISNI vs CERIF-XML • Ex: ORCID-XML vs CERIF-XML • Responsabilidade concentrada sobre o ecossistema é um ativo para o Programa PTCRIS 10-Set-14 31
  • 32. Agenda • Contexto • Trabalho desenvolvido • Análise crítica • Conclusões 10-Set-14 32
  • 34. Registos ORCID e importação de produções ORCID no DeGóis 10-Set-14 34
  • 35. ORCID que usaram o Uber Wizard 10-Set-14 35 Data ORCIDs 12-10-2014 223 30-10-2014 1035 27-11-2014 1137 03-01-2015 1207 06-02-2015 1336
  • 36. Grant Management 10-Set-14 36 Utilizadores 160.000 registados 22.000 com ORCID Nota: 14.000 (concurso unidades) + 63%
  • 37. Análise piloto OpenAIRE para financiador nacional - FCT
  • 38. Agregação de informação de diversos financiadores 10-Set-14 38
  • 39. Informação sobre projetos de financiador 10-Set-14 39
  • 40. Página do projeto – ferramentas: lista de publicações (para relatório, etc.)
  • 41. Conclusões • 2014: do conceito ao protótipo – Normativo PTCRIS foi parcialmente implementado em sistemas nacionais (RCAAP, CV, Grant Mng) – Modelo de interoperabilidade aparenta funcionar! • Elevada mobilização dos parceiros nacionais e internacionais • Lobby: PTCRIS em centros de decisão (ORCID, CASRAI, DSpace, etc) com o objetivo de influenciar o rumo dos produtos/serviços e normas destas organizações • Acreditamos que o PTCRIS vai colocar Portugal na linha da frente da gestão de ciência 10-Set-14 41
  • 42. Agenda Parte I • WP0: Ponto situação • WP1: Demo: interoperabilidade • WP1: Desconstruindo interoperabilidade • WP2: Novo sistema CV • Ciência-IUL (CRIS ISCTE) Parte II • WP3: Identificadores de Organizações • Ante projeto novo SI Grant Management • WP4: Fundações PTCRIS • WP10: Sítio web PTCRIS • Plano de atividades 2015 10-Set-14 42
  • 44. Sumário • Motivação • Contexto • Personagem • Casos de uso 10-Fev-2015 44
  • 45. Motivação 10-Fev-2015 45 “Um output deverá ser registado apenas uma vez e reutilizado múltiplas!” João Mendes Moreira Sessão PTCRIS, Jornadas 2014
  • 47. 1 - Interoperabilidade Um output deverá ser registado apenas uma vez e reutilizado múltiplas! 47 Outputs - DeGóis - RCAAP - ORCID - Editores - Indexadores - Datacite - Crossref - outros Financiamento (projetos) - DeGóis (em desenv.) - RCAAP (em desenv.) - ORCID - UberWizard HUB CV Grants Outros RCAAPEditores RENATES CRIS locais Intra-ecossistema PTCRIS HUB PTCRIS (ORCID) Extra-ecosistema PTCRIS
  • 48. Sumário • Motivação • Contexto • Personagem • Casos de uso 10-Fev-2015 48
  • 49. Contexto - Atores 10-Fev-2015 51 Pedro Lopes Paulo Graça José Carvalho Narrador: João Mendes Moreira
  • 50. Sumário • Motivação • Contexto • Personagem • Casos de uso 10-Fev-2015 52
  • 51. Personagem Marina R. Cunha Professora Auxiliar Investigadora LEME e CESAM http://orcid.org/0000-0002-5216-3501 (prd) http://sandbox.orcid.org/0000-0002-6305-4618 (desen)  Financiamento FCT  Dadoscientíficos emDatacite  Artigos noRCAAP  WoS  Scopus 10-Fev-2015 53
  • 52. Sumário • Motivação • Contexto • Perfil • Casos de uso 10-Fev-2015 54
  • 53. Proposta de caso de uso 1/2 10-Fev-2015 55 # Sistema Ação 1 Verificaçãodeestadoinicial Mecanismosdeimportação“ecossistemainternacional” Importaçãofinanciamento(FCTviaUberResearch) 2 Login federado no DeGóis (RCTSAAI) SincronizaçãocomHUB(registosORCID) Registo manual 3 Login federado Autor com ORCID Submissão e aprovação de artigo em Revista Científica
  • 54. Proposta de caso de uso 2/2 10-Fev-2015 56 # Sistema Ação 4 Login federado Depósito documento em Repositório Institucional (via crossref) 5 Mostrar registos criados (repositório e revista) Enviar registos para o HUB (Add-to, Wizard) 6 SincronizaçãocomHUB (verificaçãoderegistosDeGóiseRCAAP) 7 SincronizaçãocomHUB(verregistosRCAAP)
  • 55. 10-Fev-2015 57 DeGóis Grants RCAAPEditores RENATES CRIS locais SARI OJS # Sistema Ação 1 Verificaçãodeestadoinicial Mecanismosdeimportação“ecossistemainternacional” Importaçãofinanciamento(FCTviaUberResearch)
  • 57. DeGóis Grants RCAAPEditores RENATES CRIS locais 10-Fev-2015 70 # Sistema Ação 2 Login federado no DeGóis (RCTSAAI) SincronizaçãocomHUB(registosORCID) Registo manual
  • 59. 10-Fev-2015 81 # Sistema Ação 3 Login federado Autor com ORCID Submissão e aprovação de artigo em Revista Científica 4 Login federado Depósito documento em Repositório Institucional (via crossref) 5 Mostrar registos criados (repositório e revista) Enviar registos para o HUB (Add-to, Wizard)
  • 62. DeGóis Grants RCAAPEditores RENATES CRIS locais 10-Fev-2015 101 # Sistema Ação 6 SincronizaçãocomHUB (verificaçãoderegistosDeGóiseRCAAP)
  • 67. Conclusões • O protótipo demonstrou que: – é possível reutilizar informação – O modelo funciona qq que seja o sistema onde a informação é originada / alterada – é possível ligar o ecossistema nacional ao internacional • O modelo é escalável a outros sistemas nacionais / locais 10-Fev-2015 106
  • 69. Agenda Parte I • WP0: Ponto situação • WP1: Demo: interoperabilidade • WP1: Desconstruindo interoperabilidade • WP2: Novo sistema CV • Ciência-IUL (CRIS ISCTE) Parte II • WP3: Identificadores de Organizações • Ante projeto novo SI Grant Management • WP4: Fundações PTCRIS • WP10: Sítio web PTCRIS • Plano de atividades 2015 10-Set-14 110
  • 70. Desconstruindo o modelo de interoperabilidade Alcino Cunha João Mendes Moreira 10-Set-14 111
  • 71. Motivação PTCRIS #1 Um output deverá ser registado uma vez e reutilizado múltiplas! 19/02/2018 112
  • 72. Motivação • Desenvolver modelo de interoperabilidade entre sistemas intra/extra PTCRIS • Averiguar viabilidade com casos de uso conhecidos • Ferramentas de suporte à implementação do modelo de interoperabilidade 19/02/2018 113
  • 73. Motivação - Princípios • Os serviços podem ser centralizados ou distribuídos. • Os serviços existentes serão usados sempre que possível. • Os serviços devem ser de utilização fácil, intuitiva, eficiente e eficaz. • Somente os serviços que satisfazerem as necessidades de ensino e investigação serão implementados. • A partilha de serviços permitirá otimização de custos. 19/02/2018 114
  • 74. Motivação - Princípios • O sustentabilidade dos serviços é de vital importância. • O ciclo de vida de investigação deve ser integralmente coberto por serviços. • As restrições legais devem ser observadas. • O serviços são guiados por normas nacionais e internacionais e as melhores práticas. • O serviços serão disponibilizados através de interfaces e normas bem definidas a fim de que eles possam ser usados de forma autónoma pelas organizações. 19/02/2018 115
  • 75. Etapas 10-Set-14 116 1ª Iteração Ago-Set Bases Modelos de interoperabilidade Ferramentas Princípios base (Ids, HUB) Magia->Realidade Reunião 10- Set
  • 77. Ciência na Gestão de ciência? 10-Set-14 118
  • 78. Etapas 10-Set-14 119 1ª Iteração Ago-Set Bases Modelos de interoperabilidade Ferramentas Princípios base Magia->Realidade 2ª Iteração Oct-Nov Investigador Alcino Cunha (INESCTEC) Debate RCAAP e DeGóis 1º modelo Reunião com equipa ORCID 2º Modelo Prototipagem (Dez / Jan) RCAAP: Portal, SARI e SARC DeGóis Versão final (Fev-Set) Estabilizar modelo Produção DeGóis / RCAAP Outros SI (nacionais) Piloto CRIS local HUB Kit e CDF
  • 80. Cenários Estrela – HUB Central Fullmesh 19/02/2018 121 ORCID CRIS Locais Grant. CV RENATES RCAAP ORCID CRIS Locais Grant CV RENATES RCAAP HUB CV Grants Outros RCAAPEditores RENATES CRIS locais
  • 81. Análise comparativa 19/02/2018 122 Categoria Requisito HUB Fullmesh Gerais Utilização, intuitiva, eficiente e eficaz standard (tipo ORCID) à medida Flexibilidade (centralizado vs distribuído) sim Complexo Abrangente (eco PTCRIS, sistemas externos) sim Não Facilidade de implementação sim. sempre igual. Varia com sistema Robustez / Fiabilidade Infraestrutura mundial Infraestrutura local Segurança Standard / boas práticas Varia com sistema Suporte Mundial e com escala Local e com restrições Documentação Abundante Varia com sistema Funcionais Técnicos
  • 82. ORCID como HUB Central? 10-Set-14 123
  • 83. ORCID como HUB central • Elevada cobertura de requisitos (e pronto a usar) • Elevada abrangência externa (Scopus,WoS,CrossRef,Datacite,etc) • Elevada cobertura da comunidade nacional (concursodasunidades) – 15000 Investigadores, 90% outputs (5 anos) • Sustentável (custo muito reduzido) • Riscos mitigados – Colapso ORCID • Código (open source /github) • Base de dados (cópia mensal) – Robustez, resiliência e segurança (infraestrutura mundial) 10-Set-14 124
  • 84. Concepção do Modelo de Interoperabilidade PTCRIS Alcino Cunha
  • 85. Consistência é o problema
  • 86. No PTCRIS e não só
  • 88. Metodologia de concepção Para cada serviço PTCRIS: 1. Especificar noção de consistência com o hub 2. Especificar procedimento de sincronização (para recuperação da consistência) 3. Implementar procedimento de sincronização 4. Testar conformidade com a especificação
  • 89. “The first principle is that you must not fool yourself, and you are the easiest person to fool.” –Richard Feynman
  • 90. Validação e verificação • Especificar formalmente a noção de consistência e procedimento de sincronização • Usar ferramentas automáticas na • Geração de cenários para validação pelos diversos interlocutores • Verificação de propriedades desejáveis • Usar esses cenários no teste de conformidade
  • 92. O novo ORCID • Podem existir vários registos de fontes distintas para o mesmo trabalho • Os registos só podem ser editados pela sua fonte • Dois registos consideram-se do mesmo trabalho se e só se partilham algum ID único (DOI,EID,ISBN,…) • Para cada trabalho, o utilizador pode escolher qual o registo preferido
  • 93. Problemas do ORCID • Há sempre um registo preferido, mesmo que não seja o “preferido” do utilizador • Qualidade dos metadados por vezes duvidosa - o maior valor está nos IDs • API limitada pode dificultar a implementação do procedimento de sincronização desejado
  • 95. Consistência v0.2 A. Para todo o registo no ORCID cuja fonte é o DeGóis deve existir um registo idêntico no DeGóis (mesmo ID e atributos) B. Para todo o trabalho no ORCID (com um ou mais registos): • Ou existe um registo no DeGóis com todos os seus IDs • Ou existe um registo no DeGóis com alguns dos IDs e uma notificação para lhe acrescentar os IDs em falta • Ou existe uma notificação para criar um registo para esse trabalho, com todos os seus IDs e atributos da fonte “favorita” C. Não existem notificações espúrias para além destas
  • 96. Consistência v0.2 • O utilizador retém o controlo dos seus CVs, podendo manter versões diferentes no ORCID e no DeGóis (consistência leve semi-automática) • Só importa e exporta os trabalhos que quer • Pode editar no DeGóis os atributos de registos importados • Alterações aos atributos feitas no DeGóis são sincronizadas automaticamente para os registos exportados no ORCID • Nesta versão, alterações aos atributos feitas no ORCID não são sincronizadas automaticamente para o DeGóis (só novos IDs) • Já suporta a maioria dos casos de uso desejados no PTCRIS
  • 97. Sincronização Queremos um procedimento de sincronização: • Correcto (recupera a consistência) • Estável (não faz nada se não houver inconsistência) • Previsível (tem sempre o mesmo resultado para o mesmo estado inicial)
  • 98. Cenários • Um cenário é composto por: 1. Um estado inicial consistente 2. Uma acção (do utilizador ou outra) que pode ou não causar uma inconsistência 3. O estado final consistente, conforme determinado pelo procedimento de sincronização especificado • Para cada versão da noção de consistência são criadas dezenas de cenários para validação
  • 99. Exemplo de cenário v0.2 1. Existe um trabalho no DeGóis sem equivalente no ORCID 2. O utilizador introduz manualmente um registo no ORCID que partilha apenas alguns IDs com esse trabalho 3. Deve ser criada uma notificação para acrescentar os IDs em falta
  • 100. Trabalho futuro • Especificar a versão final da noção de consistência e procedimento de sincronização para todas os serviços PTCRIS • Definir um conjunto de cenários alargado para dar suporte ao teste (automatizar o processo de teste seria o desejável) • Sincronização como web-service • Exportar este modelo de interoperabilidade
  • 102. Agenda Parte I • WP0: Ponto situação • WP1: Demo: interoperabilidade • WP1: Desconstruindo interoperabilidade • WP2: Novo sistema CV • Ciência-IUL (CRIS ISCTE) Parte II • WP3: Identificadores de Organizações • Ante projeto novo SI Grant Management • WP4: Fundações PTCRIS • WP10: Sítio web PTCRIS • Plano de atividades 2015 10-Set-14 143
  • 103. DeGóis Jornadas FCCN 2015 10 de Fevereiro de 2015 – ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa Carlos Sousa Pinto csp@dsi.uminho.pt 144
  • 104. DeGóis Sumário: 1. Trabalho realizado em 2014 2. Demonstração do protótipo do novo DeGóis 3. Evolução prevista para 2015 145
  • 105. DeGóis No início de 2014 o PT-CRIS era fundamentalmente uma ideia resultante da “visão” do que deveria ser o ecosistema de gestão de ciência e tecnologia nacional, a necessitar de aprovação para se tornar no projeto nacional que hoje é. Identificar o que estava a ser feito a nível mundial nesta área, era fundamental e foram analisados diversos sistemas, normas e referenciais. Iniciou-se o estudo do dicionário CASRAI, que haveria de influenciar fortemente o desenho da nova versão do DeGóis. 146
  • 106. DeGóis A análise do CASRAI assim como o trabalho colaborativo envolvendo um especialista em usabilidade (da FCT), permitiu a obtenção de um novo desenho para a plataforma e uma reorganização das funcionalidades disponíveis. Esta fase prolongou-se até finais de Junho de 2014 e, em paralelo, foram sendo realizados outros estudos e desenvolvidos componentes cuja reutilização era previsível em diversas áreas funcionais da plataforma. 147
  • 107. DeGóis No início de Setembro de 2014, foi confirmado finalmente o modelo que rege o ecosistema PT-CRIS. Os trabalhos até então realizados, com base no referencial CASRAI, revelaram-se uma aposta ganha! Ainda na sequência dessa confirmação foi tomada a decisão de adotar o ORCID como HUB central de produções científicas e sistema de identificação única de autores. 148
  • 108. DeGóis Nessa altura foi também adotado o princípio estruturante para o PT-CRIS “Registar uma vez, reutilizar múltiplas vezes”. Este princípio influenciou os desenvolvimentos realizados até agora e a realizar no futuro, não só a nível do DeGóis, mas também nos outros sistemas que integram o PT-CRIS. 149
  • 109. DeGóis As decisões tomadas tiveram no DeGóis implicações a vários níveis: 1. Desenho da plataforma; 2. Modelo de dados de suporte; 3. Funcionalidades a implementar, influenciadas por: •Interoperabilidade; •Cenários de utilização; •Sincronização de informação com outros sistemas. 150
  • 110. DeGóis Realizou-se um estudo comparativo entre o modelo de dados DeGóis, e os modelos propostos pelo CASRAI e pelo ORCID, com o objetivo de avaliar o impacto da adoção desses referenciais. Nesse estudo foram considerados os 20 tipos de produções e serviços com mais registos na plataforma desde 2007. Para o período em análise, os registos considerados representavam cerca de 80% do total de registos no DeGóis. 151
  • 111. DeGóis Conclusões desse estudo: 1. Os investigadores registavam acima de tudo dados relativos a artigos, conferências e livros, sendo também os serviços uma componente importante dos seus CV; 1. O mapeamento direto entre o dicionário CASRAI e o DeGóis era possível para 17 dos 20 tipos de registos considerados, isto é, para 85% do total de registos no DeGóis; 2. O ORCID não contemplava (e não contempla) a componente relativa aos serviços. 152
  • 112. DeGóis Protótipo do novo DeGóis (Pedro Lopes – DSI Universidade Minho) 153
  • 114. DeGóis Quer o CASRAI, quer o ORCID, são referenciais em evolução! Implicarão alterações futuras na plataforma DeGóis. É desejável o maior alinhamento possível com tais referenciais, tendo em vista também, eventuais interações com outros sistemas que os adotaram ou estão em vias de adotar. 155
  • 115. DeGóis Presentemente o ORCID apenas cobre a componente produções de um CV. Outras componentes, como o caso dos serviços, não são consideradas. Por exemplo: Participações em júris; Orientações de teses e dissertações; Organização de conferências; Lecionação de aulas; … 156
  • 116. DeGóis Em muitos casos essa informação está disponível em CRIS locais ou institucionais. O PT-CRIS prevê a interação do DeGóis com tais sistemas locais, por forma a ser possível completar um CV DeGóis com essa informação, sem necessidade de repetição de introdução de dados. Esta interação ainda está em fase de análise e de identificação de uma solução, havendo no entanto cenários de potencial implementação. 157
  • 117. DeGóis CRIS LocalParser valida estrutura CVs Criação CV PENDENTE Web Services Credênciais de acesso Metadados de CV institucional 12 3 4 Investigador Utilizador valida os dados do CV 5 158 DeGóis Criação de CV
  • 118. DeGóis CRIS LocalParser valida estrutura CVs Atualização de CV PENDENTE Web Services 2 3 Investigador Validação de atualização de dados 5 Metadados de CV institucional 1 Notificação de dados a validar 4 159 DeGóis Atualização de CV
  • 119. DeGóis Outras atividades previstas: Início do processo de “restyling” da plataforma; Ativação de Web Services (CRIS locais, FCT, RCAAP, …) População com informação de outras fontes: REBIDES (Registo Biográfico de Docentes do Ensino Superior); Unidades de Investigação (para efeitos de afiliação e não só); RENATES (teses de doutoramento em curso e concluídos); … 160
  • 120. DeGóis Novas funcionalidades: Gestão de afiliações (instituições e centros de investigação); Controlo de privacidade de informação; … 161
  • 121. DeGóis Serão migrados para a nova plataforma os currículos atualmente no DeGóis (mais de 21.500). Alguma informação deverá perder-se nesse processo, dadas as alterações verificadas em termos do modelo de dados que a suporta. Será mantida disponível durante algum tempo a plataforma ainda em produção, por forma a permitir que os utilizadores possam salvaguardar informação perdida no processo de migração. 162
  • 122. DeGóis A informação mais relevante para um CV DeGóis será mantida. A análise realizada aos casos de previsível perda de informação durante o processo de migração de dados, permitiu chegar a essa conclusão. Um exemplo de não mapeamento: • O CASRAI não prevê o tipo “Outras produções”, que o DeGóis atual considera, para produções que o utilizador não achou adequado associar a algum dos tipos de produções predefinidos. Estas situações são, contudo, residuais. 163
  • 123. DeGóis Prevista para o início de Setembro de 2015 a entrada em produção da nova versão da plataforma DeGóis. 164
  • 125. Agenda Parte I • WP0: Ponto situação • WP1: Demo: interoperabilidade • WP1: Desconstruindo interoperabilidade • WP2 Novo sistema CV • Ciência-IUL (CRIS ISCTE) Parte II • WP3: Identificadores de Organizações • Ante projeto novo SI Grant Management • WP4: Fundações PTCRIS • WP10: Sítio web PTCRIS • Plano de atividades 2015 10-Set-14 166