O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Jornadas 2015: RCAAP: Parte I

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 189 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Semelhante a Jornadas 2015: RCAAP: Parte I (20)

Mais de João Mendes Moreira (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Jornadas 2015: RCAAP: Parte I

  1. 1. Repositório Científico de Acesso Aberto do Portugal RCAAP
  2. 2. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades 2
  3. 3. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades 3
  4. 4. Informações Open Access
  5. 5. Agenda • Políticas • Negociações • Projetos • Eventos
  6. 6. Políticas OA Alguns exemplos recentes
  7. 7. Bill & Melinda Gates Foundation
  8. 8. Itália
  9. 9. Áustria
  10. 10. África do Sul
  11. 11. Análise de políticas – PASTEUR4OA
  12. 12. Number of Open Access policies worldwide
  13. 13. Policy criteria (conditions) Criterion (Green OA) Number of policies Criterion (Gold OA) Number of policies Deposit in repository required (Green OA) 3 63 OA publishing required 2 Deposit in repository requested 138 Recommended alternative to Green OA 96 Deposit in repository not specified 140 Permitted alternative to Green OA 83 Not specified/other 460 Total 641 641
  14. 14. Institutional repository deposit rates
  15. 15. Deposit Rates
  16. 16. Deposit rates in individual mandated institutions (2011-2013) Institution Country Number of articles in WoK Total FT (OA + RA) % Open Access % Restricted Access % Metadata-Only % Not deposited % All institutions 70,642 43.0 35.80 7.22 5.19 51.79 University of Liege Belgium 4,240 87.0 37.03 49.95 0.12 12.90 Instituto Politecnico de Braganca Portugal 267 85.8 56.93 28.84 0.00 14.23 National Institute of Oceanography India 462 79.7 79.65 0.00 0.22 20.13 Universidade do Minho Portugal 3,021 62.3 39.09 23.24 0.00 37.67 University of Pretoria South Africa 3,335 60.4 60.42 0.00 0.00 39.58 University of Nairobi Kenya 655 60.0 60.00 0.00 6.41 33.59 Queen Margaret University, Edinburgh United Kingdom 150 57.3 14.67 42.67 8.00 34.67 University of Luxembourg Luxembourg 761 55.8 18.92 36.93 0.53 43.63 Queensland University of Technology Australia 3,558 49.1% 44.38% 4.69% 34.99% 15.94% Belgorod State University Russia 189 45.0% 44.97% 0.00% 0.00% 55.03% University of Stirling United Kingdom 1,301 41.7% 15.68% 26.06% 0.00% 58.26% Universidade de São Paulo - USP Brazil 21,080 41.1% 41.12% 0.00% 3.36% 55.52% Universitat Politècnica de Catalunya Spain 3,394 39.8% 13.94% 25.90% 0.62% 59.55% University of Surrey United Kingdom 2,613 35.6% 29.39% 6.20% 0.08% 64.33% Massachussetts Institute of Technology (MIT) United States 14,019 32.3% 32.29% 0.00% 0.00% 67.71% University of Salford United Kingdom 822 31.1% 7.54% 23.60% 5.23% 63.63% University of Loughborough United Kingdom 2,615 30.7% 30.71% 0.00% 0.00% 69.29% Brunel University United Kingdom 2,244 30.1% 30.12% 0.00% 0.09% 69.79%
  17. 17. Effectiveness of particular policy criteria: Summary of the results of the regression analysis Correlated with Regression Significant correlation? Comments Must deposit Open Access deposit rate Restricted Access deposit rate Pairwise NBR, pairwise Yes As expected, when deposit is mandated, the deposit rate for Open Access items is higher. Cannot waive deposit Full-Text deposit rate Open Access deposit rate Restricted Access deposit rate NBR, pairwise Pairwise NBR, pairwise Yes (NBR and pairwise) Yes When authors cannot waive deposit the deposit rate is likely to be higher for Full- Text and Open Access deposits. Research evaluation Full-Text deposit rate Pairwise Yes When deposit is required for research evaluation, authors are more likely to deposit their full-text and Open Access articles Must make OA Open Access deposit rate Restricted Access deposit rate NBR, pairwise NBR, pairwise Negative correlation When it is required that the deposited item is made OA, authors are more likely to deposit the item as OA than if it were merely requested. However, the condition makes authors less likely to deposit their article as a Restricted Access item. They probably wait until an embargo has elapsed, and then make the deposit directly as an Open Access item. Cannot waive OA Full-Text deposit rate OA deposit rate Restricted Access deposit rate NBR, pairwise NBR, pairwise NBR, pairwise Negative correlation Negative correlation Negative correlation When authors are required to make their deposits Open Access the deposit rate is lower. This is likely to be because authors are reluctant to abuse a publisher embargo. Cannot waive rights Full-Text deposit rate NBR, pairwise There is a small but non-significant correlation with Open Access deposit if authors
  18. 18. Negociações…
  19. 19. Nacionais (Holanda)…
  20. 20. …sem acordo…
  21. 21. … e com acordos
  22. 22. Projetos
  23. 23. Projeto RECODE http://recodeproject.eu/
  24. 24. OpenAIRE 2020 OpenAIRE2020 - 50 parceiros, 42 meses •Serviço chave de apoio à implementação dos mandatos OA do H2020 (para publicações e dados abertos) •Extensão de serviços para um maior alcance e melhor integração dos data providers (repositórios e outros sistemas de informação científica). •Focado na interligação de publicações a dados (extendendo a ligação a software) •Enfâse nos novos tipos de comunicação científica •Abertura às Pequenas e Médias Empresas para Serviços Inovadores •Alinhamento global com outras redes de repositórios •Estabelecer estrutura governativa do OpenAIRE (entidade legal) 24
  25. 25. Análise piloto OpenAIRE para financiador nacional - FCT
  26. 26. Números dos Repositórios Apenas alvo de text mining os repositórios SARI + RepositóriUM. Eventuais publicações nos restantes repositórios resultam do processo de deduplicação OpenAIRE.
  27. 27. Exemplo de informação de repositórios: RepositoriUM com 23715 publicações agregadas das quais têm informação de financiamento: 1330 FCT 321 da Comissão Europeia. Repositórios SARI com este piloto têm as publicações FCT identificadas e poderão adicionar essa informação aos registos.
  28. 28. Publicação – Tese de Doutoramento com informação de financiamento FCT
  29. 29. Eventos
  30. 30. Teresa Costa Governing Council
  31. 31. Participantes
  32. 32. Títulos
  33. 33. Novos registos
  34. 34. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades 4.PTCRIS Update 37
  35. 35. Relatório de atividades José Carvalho João Mendes Moreira
  36. 36. Grandes linhas orientação 2014 • Aumentar o número de serviços alojados pelo RCAAP (repositórios e revistas) • Disponibilizar serviços RCAAP de elevado impacto e retorno para a comunidade de ensino e de investigação (Política AA, DL, preservação digital, repositórios de dados) • Compatibilizar serviços eletrónicos do RCAAP com o PTCRIS • Aumento fiabilidade infraestruturas (combate obsolescência, reforço, ajustes de arquitectura ) 39
  37. 37. Organização do Trabalho #WP Nome Notas Nível WP1 √ Serviços electrónicos - Operação e manutenção (inclui interoperabilidade OpenAIRE, b-on (metalib,SFX), DeGóis, DART, DIDL, OASIS) 26 SARIs + 2 SARIs 1 comum 1 SARDCIs + 2 SARDCIs 10 SARCs + 1 Portal 1 Validador 1 Directório 1 SECUR √ √ √ √ √ √ √ √ WP2 Helpdesk √ WP3 Plataforma e-ciencia Replicar serviços e storage LX/PO √ WP4 √ SARIs e SARDCI CALL 2 SARIs 2 SARDCIs √ √
  38. 38. Organização do Trabalho #WP Nome Notas Nível WP5 √ SARC (Revistas) CALL 2 (8 revistas) CALL 3 (8 revistas) √ √ WP6 Serviços electrónicos - Desenvolvimento Usabilidade e ergonomia RI, Portal Comum, Validador, Portal, upgrade SARC/SARI, SCEUR, Tese & Dissertações √ √ WP7 Políticas e Directrizes Actualização normas e procedimentos Avaliação periódica Artigo 50º DL graus e diplomas √ √ √ WP8 Comunicação, disseminação e formação Missões Formação (presencial e online) Semana OA WebSite projecto RCAAP E-learning √ √ √ √ WP9 √ Preservação Orientações e boas práticas Ferramentas √
  39. 39. Organização do Trabalho #WP Nome Deliverable Nível WP10 √ Estudos Ferramentas/Serviços para a comunidade (investigador, gestor, dirigente) Ferramenta monitorização política FCT √ √ WP11 Cooperação com o Brasil Integração com OASIS Directório Conferência OA √ √ √ WP12 Revistas Científicas (Blimunda) Registo SHERPA-ROMEO (revistas, editoras e contactos) Tradução interface SHERPA-ROMEO WebSite √* √* √* * - Participação voluntária da FCT/UNL
  40. 40. WP1 – Serviços eletrónicos - Migração • Implementar as recomendações do Relatório de Proposta de Robustecimento do RCAAP - 2013 • Reduzir a indisponibilidade e falhas dos Repositórios: – Ex: 4 e 5 de Novembro de 2013 • Reduzir a interdependência dos SARIs – dificuldade de análise dos problemas e sua deteção – suspeitas de vulnerabilidades em questões de segurança • Oportunidade de otimizar a infraestrutura/arquitetura – Upgrade do DSpace – Aquisição de hardware (Plataforma de Virtualização) 43
  41. 41. WP1 – Serviços eletrónicos - Migração VM • Aumentar a flexibilidade (Desenvolvimento, Pre- Produção, Produção) – Criação de um template base para os vários ambientes (testes carga, segurança) • Facilidade de reproduzir ambientes de produção (correr testes) • Reduzir TCO (total cost ownership) – Ambiente padronizado (diagnóstico e manutenção) 44
  42. 42. WP1 – Serviços eletrónicos - Migração VM • Estima-se que o processo de migração tenha consumido entre 30% a 40% da força de trabalho disponível para gerir os serviços eletrónicos do RCAAP! 45
  43. 43. WP1 - SE - Disponibilidade • Os resultados da disponibilidade dos SARI foram afetados pela quebra de comunicações verificadas entre 27 e 30 de Dezembro de 2014 • A disponibilidade do Portal RCAAP foi afetada por subdimensionamento da infraestrutura da migração
  44. 44. WP1 - SE - Falhas
  45. 45. WP2 - Helpdesk • Reiterar o envio exclusivo para emails de apoio ( info@rcaap.pt; helpdesk@rcaap.pt; comum@rcaap.pt) e não emails pessoais • Usar nº de telefone direto: 30 000 5272
  46. 46. WP2 - Helpdesk - Pedidos
  47. 47. WP2 - Helpdesk - Tempos de resposta
  48. 48. WP3 – Plataforma e-ciencia 53
  49. 49. WP4 – SARI • Uniformização dos Metadados • Integração de formulário de teses e dissertações • Correções de mapeamentos Degóis • Novidades SARI (DSpace 3.2): – Novo OAI-PMH • Com contextos e interface humana URL/oaiextended/request URL/oaiextended/driver URL/oaiextended/openaire – Embargos • Não preencher datas anteriores à data atual • Libertação automática dos registos • Perfil de validação no novo Validador 2.0
  50. 50. WP4 – SARI - RHB 55
  51. 51. WP4 – SARI - RISMAI 56
  52. 52. WP4 – SARDC - Testes CKAN • Instalação e Teste CKAN • Relatório sobre CKAN • Participação da Univ. do Porto (Augusto Ribeiro) • Comunidade Piloto: Campo Arqueológico de Mértola 57
  53. 53. WP5 – SARC Revistas Disponíveis em: http://revistas.rcaap.pt
  54. 54. WP5 – SARC - destaques • Teste Upgrade OJS 2.4.5 • 13 Revistas SARC integradas no Portal • Novos SARC (5): PSIlogos; ECR; Juridica; RPEducação; Anestesiologia; • Espaço de discussão para Revistas
  55. 55. WP5 – SARC - Revista Jurídica Portucalense / Portucalense Law Journal
  56. 56. WP5 – SARC - Estudos de Conservação e Restauro
  57. 57. WP5 – SARC - Psilogos
  58. 58. WP5 – SARC - Revista da Sociedade Portuguesa de Anestesiologia
  59. 59. WP5 – SARC - Revista Portuguesa de Educação
  60. 60. WP6 – SE - Repositório Comum
  61. 61. WP6 – SE - Repositório Comum
  62. 62. WP6 – Serviços eletrónicos desenvolvimento - Repositório Comum – Auditoria ISO 16363 – Alguns dados: • 38 Comunidades – Instituições • 1848 depósitos • 78,7% novas visitas
  63. 63. WP6 – SE - Validador 2 • Mais perfis de validação • Mais informação de Apoio • Mais intuitivo • Integra ferramenta de verificação de formatos de ficheiros para planos de preservação digital (FITS) • Tradução para inglês
  64. 64. WP6 – Serviços eletrónicos desenvolvimento • Upgrade DSpace 3.2 • Upgrade OJS para 2.4.5 (em testes) • Avaliação Periódica dos Repositórios – Problemas graves • Dc.types; dc.language – Melhorias • Dc.title; dc.description (abstract) Validem periodicamente os seus repositórios! – Serão contactados os casos com erros!!
  65. 65. WP6 – Serviços eletrónicos desenvolvimento • DL 115/2013: Artigo 50º altera o depósito legal de teses e dissertações. • Rede RCAAP: Recebe versão eletrónica da tese/dissertação
  66. 66. WP7 – Políticas e directrizes • Dart-Europe – Identificados problemas (devem distinguir teses da instituição das teses de outras instituições) – Estudo adiado até reformulação do depósito legal em Portugal. • Diretrizes OpenAIRE – Analisada a compatibilidade dos Repositórios – Foram efetuadas sugestões de melhoria Dspace – Próximo passo, interligação com dados científicos • Política de Acesso Aberto FCT • Portaria DL 115 / 2013 71
  67. 67. WP8 – CDF – Website • Inclusão de mais informação sobre Revistas / Dados Científicos / Blimunda • Atualização de informação em geral, em português e inglês e reformulação do interface / funcionalidades. – Próxima fase: • Mais conteúdos Revistas e Dados Científicos • Reorganização da Página inicial 72
  68. 68. WP8 – CDF – eLearning • Plataforma e-Learning – Serve a componente de formação do projeto – Serve de plataforma de colaboração dos grupos – http://elearning.rcaap.pt
  69. 69. WP8 – Comunicação, disseminação e formação
  70. 70. WP8 – Semana OA
  71. 71. WP8 – Semana OA
  72. 72. WP08 - CDF Aceitam-se contributos da comunidade para o Blog RCAAP !!! Enviar para info@rcaap.pt http://blog.rcaap.pt
  73. 73. WP 9 – Auditoria - Geral • Resultado da auditoria aos repositórios • [Em curso] Auditoria final 79
  74. 74. WP 9 – Preservação - ISO 16363
  75. 75. WP 9 – Preservação - ISO 16363
  76. 76. WP 9 – Preservação - Consultoria • A questão: Em que nível estamos? 82 5 4 3 2 1 Queremos estar aqui!
  77. 77. WP9 - Preservação • Integrado no Validador 2 a ferramenta FITS • [em curso] validação de documentos no upload no Dspace (addon) • [em curso] Ferramenta de conversão automática de ficheiros (serviço)
  78. 78. ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015 5ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto
  79. 79.   Submissões  propostas Submissões  aceites Comunicações 101 49 Posters 28 42 Total 129 91 Submissões por país Brasil 93 Portugal 32 Moçambique 2 Espanha 1 Venezuela 1 ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015
  80. 80. 280 inscrições provenientes de 8 países; 222 participantes (79%). ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015
  81. 81. ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015
  82. 82. ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015
  83. 83. ISCTE 10 a 12 de Fev. de 2015 https://educast.fccn.pt/vod/channels/j84e3uqat http://www.flickr.com/groups/confoa/ http://pt.slideshare.net/ConfOA http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos/index
  84. 84. 4 a 7 de Outubro de 2015
  85. 85. Indicadores
  86. 86. Indicadores - Portal 200 000 registos de Portugal
  87. 87. Indicadores - Repositórios Novos: +2 Repositório Hospital de Braga Repositório Instituto Superior da Maia* +13%
  88. 88. Indicadores - Revistas +35%
  89. 89. Indicadores - Depósitos Comum
  90. 90. Número de instituições no comum 38 (29 em 2013)
  91. 91. Portal de pesquisa e site RCAAP- 2013- 2014 www.rcaap.pt projecto.rcaap.pt
  92. 92. Indicadores - Blog RCAAP - Visualizações Ano Total 2009 1 327 2010 4 321 2011 2 969 2012 9 171 2013 6 053 2014 6 896 http://blog.rcaap.pt/
  93. 93. Facebook RCAAP www.facebook.com/rcaap
  94. 94. Análise crítica • Infraestruturas – A migração / virtualização dos serviços resultou, no caso dos SARI, em redução do número de falhas • Trabalho preparatório para: – Integração do RCAAP PTCRIS – Aplicação da política de acesso aberto • Por realizar – DL 115/2013
  95. 95. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades 102
  96. 96. Vasco Vaz Departamento da Sociedade da Informação 2015.02.11 Jornadas FCCN 2015|ISCTE Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  97. 97. TÓPICOSTÓPICOS Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia 02 | 18 1. Política aprovada a. Depósito b. Formas de publicação aceites c. Elegibilidade de custos 2. Implementação a. Planeamento b. Momentos de impacto c. Setores envolvidos d. Soluções de implementação e. Questões sensíveis / pontos críticos f. Faseamento da implementação g. Medidas h. Modelo de apoio ao utilizador
  98. 98. 1. POLÍTICA APROVADA 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Depósito, pelos autores, de qualquer publicação em qualquer repositório do RCAAP •Publicações de artigos em revistas e atas de conferências [embargo máximo de 6 a 12 meses (CSH)] •Teses de doutoramento (embargo máximo de 36 meses) ⇒Livros, capítulos de livros e monografias (embargo máximo de 18 meses) A aplicação de uma Licença Creative Commons CC-BY, ou equivalente, à publicação é recomendada 03 | 18Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  99. 99. 1. POLÍTICA APROVADA 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Publicação em revistas, atas de conferências ou livros que: a)Disponibilizem diretamente na Internet acesso imediato e sem restrições à versão final do artigo (publicação em Acesso Aberto)  O pagamento de “Custos de Processamento da Publicação” (CPP) pode ser cobrado e reembolso elegível (projetos ou unidades de I&D) ou b) Autorizem o acesso sem restrições ao artigo aceite, na versão final, mediante a sua disponibilização através de um repositório  Aceites períodos de embargo variáveis consoante o tipo de publicação e a área científica. Não é aceite o pagamento de CPP Em qualquer caso é exigido o depósito imediato, após aceitação para publicação, da versão final do autor num repositório do RCAAP 04 | 18Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  100. 100. 1. POLÍTICA APROVADA 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Condições para elegibilidade de pagamento de CPP a)Disponibilização na Internet de acesso imediato ao conteúdo integral da versão final da publicação b)Autorização de depósito imediato da versão final noutros repositórios que não o da própria revista ou editora c)Aplicação de Licença Creative Commons CC-BY, ou equivalente, ao conteúdo integral da publicação para ambos os casos acima referidos, não se admitindo qualquer restrição ao acesso ao – ou à reutilização do – conteúdo da publicação d)Limitação do valor dos CPP, a estabelecer de acordo com a evolução das melhores práticas internacionais em matéria de políticas de publicação em Acesso Aberto 05 | 18Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  101. 101. 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Planeamento – etapas • Identificação de momentos de impacto • Identificação de setores e de responsáveis • Questões sensíveis / pontos críticos – Identificação – Recolha e análise de informação adicional para apoio à decisão • Orientações políticas • Planeamento setorial – Calendarização 06 | 18Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  102. 102. Processos de negócio – momentos de impacto – 1. Edital/regulamento do concurso 2. Candidatura 3. Contrato 4. Depósito da publicação 5. Reporte científico e financeiro pelos beneficiários 6. Aprovação de despesa 7. Monitorização 8. Encerramento 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO 07 | 18Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  103. 103. Edital Contrato Impacto: reduzido … elevado Publicação Aprovação despesa Pre-grant Post-grant Monitorização / Reporte Grau de impacto 08 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  104. 104. Setores responsáveis ou que sofrem maior impacto• Conselho Diretivo • DSI • Projeto RCAAP • Departamentos FCT que gerem financiamento do sistema científico – DPP – DFRH – DSRICT • DivSI • Assessoria Jurídica • GabCom 09 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  105. 105. Soluções de implementação – ideias principais – • Associar cada publicação depositada no RCAAP com o respetivo instrumento financeiro • O portal de submissão de despesa apenas permitirá submeter despesas referentes a publicações depositadas no RCAAP • Um CPP (por AA Dourado) não pode ser elegível se a publicação a que se reporta não estiver depositada num repositório da rede RCAAP • Para efeitos de avaliação científica, apenas serão consideradas publicações depositadas no RCAAP 10 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  106. 106. Questões sensíveis / pontos críticos – identificação • Custos de Processamento de Publicações – limite ao montante elegível para pagamento – pagamentos / reembolsos a publicações ocorridas após o encerramento dos projetos • Recompensa / consequências por cumprimento / incumprimento – avaliação – retenção preventiva de verba – devolução de verba • Dificuldades de cumprimento não imputáveis ao autor – inexistência de meios de publicação alternativos • Co-autorias – repartição de CPP por instrumento de financiamento – entre autores sujeitos a diferentes condições de AA • Monitorização – exigência ao nível dos recursos humanos e técnicos 11 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  107. 107. Questões sensíveis / pontos críticos – pesquisa de informação • Informações agregadas ao nível global da FCT – número total de publicações declaradas durante um determinado período – número de investigadores diferentes que declararam publicações durante um determinado período • Falta de granularidade dos dados disponíveis – valor gasto com o pagamento de publicações durante um determinado período • Benchmarking e estudos internacionais – questões não sinalizadas por congéneres – falta de experiências práticas para questões identificadas – soluções implementadas não aplicáveis ao contexto nacional – inexistência de informação adicional Extremamente difícil determinar o impacto específico de cada opção, sobretudo quanto a custos, e propor soluções fundamentadas 12 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  108. 108. Proposta de implementação faseada • Faseamento – unidade a unidade • DPP • DSRICT • DFRH • restantes – em duas etapas distintas • 2015 a 2017 – período experimental • 2018 em diante – implementação plena • Objetivos 1. aquisição de dados seguros e suficientes para desenho de soluções definitivas 2. preparação adequada de todos os serviços da FCT e dos repositórios 3. habituação da comunidade científica nacional às práticas do Acesso Aberto 13 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  109. 109. Primeira fase de implementação • Medidas 1. flexibilidade • quanto à exigência do cumprimento dos prazos de embargo previstos 1. sem limites de CPP em AA Dourado • sem dotação orçamental própria • verbas com publicações retiradas do financiamento concedido pela FCT 1. prazos para pagamentos limitados • à data de encerramento do projeto 1. mecanismos automatizados de gestão do reporte científico e financeiro das publicações 2. mecanismos de registo, gestão e controlo dos CPP 3. início do processo de implementação pelo DPP 14 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  110. 110. Apoio ao utilizador – situação atual – • RCAAP – sistema de apoio ao utilizador formalizado – nó central – apoio local ao nível dos gestores de repositórios • FCT – não existe sistema de apoio ao utilizador formalizado e generalizado • exceções: alguns concursos ou áreas específicos – apoio direto ao utilizador prestado de forma distribuída 15 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  111. 111. Modelo de apoio ao utilizador – Bottom-up distribuído – 1ª Linha 2ª Linha Depósito Reporte científico Geral Política Reporte financeiro Candidaturas, contratos Submissão de despesas Reporte científico Reporte financeiro Depósito Geral Política Assuntos ExpertiseFAQ’s ExpertiseFAQ’s Listas de contactos atualizadas Canais de contacto 16 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  112. 112. Bottom-Up distribuído – prós, contras e requisitos – • Prós – apropriação do Acesso Aberto pelo maior número de técnicos e Instituições responsáveis – menor risco de estrangulamento – menores alterações ao funcionamento típico dos serviços de apoio – manutenção dos hábitos de interação vigentes • Contras – maior frequência de redireccionamento – risco de menor qualidade no apoio, nas matérias alheias aos serviços contactados – operacionalização do serviço mais demorada • Requisitos – produção de guiões de resposta com base em FAQ’s detalhadas, abrangendo todos os aspetos de implementação e cumprimento da Política – criação e formação de pontos de contacto na FCT para funções de 2.ª linha – organização de listas de contactos atualizadas 17 | 18 2. IMPLEMENTAÇÃO 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  113. 113. www.fct.pt EXCELÊNCIA| CONHECIMENTO | IMPACTO
  114. 114. Política de Acesso Aberto Âmbito: Numa primeira fase apenas projectos do DPP
  115. 115. Edital Contrato Publicação Aprovação despesa Pre-grant Pos-grant Monitorização / Reporting financeiro e científico RCAAP- Grau de impacto
  116. 116. Revistas Científicas 123
  117. 117. Revistas Científicas • Prever a introdução da informação de financiamento FCT / CE (nos patrocínios & plugin OpenAIRE) • Serviço de Envio para Repositórios (apresentado mais tarde nos serviços de valor acrescentado) 124
  118. 118. Overview 125
  119. 119. Repositórios Institucionais Requisitos 126
  120. 120. Identificação do Projeto FCT • Introdução do identificador do projeto FCT de acordo com mecanismo existente para o OpenAIRE • Obrigatório para o cumprimento da política e identificação do registo • Addon para Dspace com várias fontes de projetos (FP7, H2020, FCT, WT,…) 127
  121. 121. Registos Embargados • No caso de trabalhos com embargo, usar a data de fim de embargo (já configurado no DSpace 3.2). • No caso de embargos superiores ao definido na política deve ser justificado por escrito no momento do depósito. 128
  122. 122. Licença Creative Commons • No caso de publicações com custos de processamento (CPP / APC), é obrigatório o uso da licença Creative Commons CC-BY ou equivalente (ponto 4 C da política). 129
  123. 123. Licença Creative Commons •Adotar diretrizes DRIVER: colocar link para a licença numa nova instância do elemento dc:rights (ou adicionar passo para seleção de licença no DSpace) <dc:rights>openAccess</dc:rights> <dc:rights>http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/pt/</dc:rights> <dc:rights>http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/</dc:rights> 130
  124. 124. Perfil de Validação no Validador 2.0 •Efetua um filtro aos conteúdos do repositório para identificar os recursos financiados pela FCT através do valor: dc:relation: info:eu-repo/grantAgreement/FCT/ 131
  125. 125. Set FCT (facultativo) • Criar um “contexto” (set do OAI-PMH), com todos os conteúdos financiados pela FCT • À semelhança do set usado pelo DRIVER ou OpenAIRE, será também criado um para o contexto da FCT • Exemplo: URL/oaiextended/fct • Atualmente: URL/oaiextended/driver 132
  126. 126. Impacto Previsto no Portal 133
  127. 127. Impacto no Portal RCAAP • Com a monitorização da política OA da FCT • Com o DL (e futura portaria) sobre Teses e Dissertações • Em ambos os casos serão geridos recursos embargados e em acesso restrito! 134
  128. 128. Impacto no Portal RCAAP • Logo… o Portal RCAAP deverá agregar também recursos em acesso embargado e recursos em acesso restrito! – Obriga a reformulação de funcionalidades no Portal – Obriga a novas condições de agregação (como por exemplo set rcaap para quem possui conteúdos não científicos) 135
  129. 129. Set RCAAP (obrigatório se aplicável) • Opcionalmente, deverá ser criado um set “rcaap” para os repositórios que possuem outros tipos de conteúdos não científicos nos seus repositórios. 136
  130. 130. Conteúdos e Contextos nos Repositórios 137 Acesso Restrito Outros Conteúdos Set rcaap REPOSITÓRIO
  131. 131. ID Requisito SARI Não SARI DSpace Não DSpace 1 Identificação do projeto FCT Implementação do Authority Control com Lista de projetos FCT Configuração da Funcionalidade Authority Control com Lista de projetos FCT Implica a inclusão manual ou desenvolvimento de funcionalidade semelhante ao DSpace 2 Configuração de Embargo Configuração da Funcionalidade Embargo Configuração da Funcionalidade Embargo Lista manual ou desenvolvimento de funcionalidade idêntica 3 Atribuição da Licença CC CC-BY Alteração de formulários de depósito para permitir associar licença Ou Ativação das licenças CC Alteração de formulários de depósito para permitir associar licença Ou Ativação das licenças CC Permitir a inclusão / seleção de licença no processo de depósito. 4 Validação do Repositório Necessita de OAI-PMH ativo Necessita de OAI-PMH ativo Necessita de OAI-PMH ativo 5 Set FCT Configuração do OAI-PMH Configuração do OAI-PMH Desenvolvimento do filtro com base no OAI-PMH.
  132. 132. Portal RCAAP 139
  133. 133. Apresentar informação do projeto • Na página de cada registo no Portal RCAAP será apresentado o projeto associado (e ligação a página de projeto). 140 Financiamento: Projeto XPTO
  134. 134. Apresentar informação do projeto • Numa página própria do Portal RCAAP, apresenta informação agregada do projeto – Publicações – Informação de financiamento – Link para página web do projeto – Programa de Financiamento – Estatísticas 141
  135. 135. http://tinyurl.com/l2garx6
  136. 136. Toolbox para Projetos • Permite usar a informação do Portal RCAAP para: –Widget (lista de publicações para website) –Lista de publicações para relatórios (HTML; CSV;…) Coloca a informção em contexto! 143
  137. 137. Pesquisa por Projeto • Pesquisar e recuperar todos os registos associados a um projeto. Novo campo de pesquisa avançada. 144
  138. 138. Filtro por projeto • Filtrar da lista de resultados registos de um ou vários projetos em particular 145
  139. 139. Identificação do tipo de acesso • Identificação do tipo de acesso do documento de cada registo no Portal RCAAP 146
  140. 140. Set OAI-PMH para Recursos Financiados • Disponibilizar ao nível do Portal RCAAP um set com todos os registos associados a projetos da FCT • http://www.rcaap.pt/oai?verb=ListSets 147
  141. 141. API do Portal RCAAP • Tem uma abordagem para utilização genérica mas terá particularidades para ir ao encontro das necessidades do contexto da monitorização da política e das teses e dissertações. 148
  142. 142. Exemplo de Pedido para API • API REST com JSON e XML (CERIF-XML) 149
  143. 143. Mais info sobre API • Abordagem genérica – Deve permitir o acesso à informação através de pedidos genéricos (url; nome de autor, título, ORCID,…). • Abordagem Financiador – Deve considerar pedidos específicos como o de devolver uma lista de publicações com base no input de um id de projeto. • Abordagem Teses & Dissertações – Permitir que seja devolvida a informação de um trabalho (titulo, autor, etc...) com base no TID de uma publicação. 150
  144. 144. Disseminação da Política FCT • Informação prática / tutoriais no website do projeto • Informação de apoio nos cursos da plataforma e- Learning • Acompanhamento e divulgação da política no blog do RCAAP • Infográfico prático sobre o cumprimento da política • Emails de aviso (reminder) • Tutorial Vídeo sobre processo de Validação do Repositório 151
  145. 145. Plano de Execução • Todos os desenvolvimentos estão em curso, alguns em teste: • Repositórios – Até final de abril • Portal RCAAP – Até final de junho 152
  146. 146. Edital Contrato Publicação Aprovação despesa Pre-grant Pos-grant Monitorização / Reporting financeiro e científico Gestão financiamento - Grau de impacto
  147. 147. Requisitos Requisito Descrição RF-01 Lista de instrumentos de financiamento RF-02 Reporte financeiro RF-03 Relatório científico RF-04 Monitorização financeira RF-05 Monitorização técnica
  148. 148. RF-02- Lista de instrumentos de financiamento SARI (up) OJS (up) auto BD CERIF Fase I Fase II – CERIF-XML
  149. 149. RF-01 – Lista de instrumentos de financiamento 10-Set-14 156
  150. 150. RF-02 Report financeiro Template de submissão de despesa no PCT mantem-se. 1. Criada nova rúbrica para CPP. 2. Handle no campo descrição
  151. 151. RF-02 Report financeiro Fase Alerta Erro 1 Handle inexistente ou mal formado 2 Documento com embargo (e não devia) 3 DOI duplicado Título DOI não coincidente com o Handle Nenhum autor coincidente com projecto Sistema informático PCT valida template e emite alertas (bloqueantes ou não)
  152. 152. RF-03 Relatório científico intercalar FCT-SIG - Relatório de Progresso
  153. 153. RF-03 Relatório científico intercalar FCT-SIG - Relatório de Progresso
  154. 154. RF-03 Relatório científico final
  155. 155. RF-03 Relatório científico final
  156. 156. RF03 – Relatório científico API (CERIF-XML)
  157. 157. RF-04 Monitorização Financeira Lista de despesas: -Por rúbrica -Por projeto -Por instituição FCT-SIG Saldo Orçamental por rubrica
  158. 158. RF-05 Monitorização Técnica • http://www.rcaap.pt/fct/. • Dashboard – Registos financiados por mês, projeto, repositório, instituição – % de registos financiados vs registos depositados por cada instituição e em termos gerais
  159. 159. Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos (3x) 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades 166
  160. 160. Destaques I - DSpace 5.0 Rosa Marcos - IPLeiria Paulo Graça - FCT- FCCN
  161. 161. DSpace 5.0 1. Notas introdutórias 2. Novas funcionalidades 3. DSpace para o RCAAP 4. Autenticação federada 5. Importação DOI 6. ORCID 7. Futuro do DSpace
  162. 162. Notas introdutórias • A versão DSpace 5.0 foi lançada a 16 de Janeiro de 2015 • Não é aconselhada, a esta data, para ambientes em produção • O serviço RCAAP usa a versão DSpace 3.2 (interface JSPUI) • A FCT-FCCN é membro Gold da Duraspace com poderes de influência sobre o rumo do DSpace
  163. 163. Novas funcionalidades • Upgrade facilitado por via de automatismos • Importação em lote na interface • Associação de ORCID aos autores das publicações apenas para a interface XMLUI • Upload de ficheiros por HTML5 com Drag&Drop • Integração Sherpa/Romeo apenas para a interface XMLUI • REST API com operações de Criar/Consultar/Alterar/Eliminar • Interface RDF para websemântica • OpenAIRE v3 compliance na interface OAI-PMH • Thumbnails de imagens e PDF • Suporte DOI • Suporte para metadados para comunidade, coleções, itens, grupos e pessoas.
  164. 164. novo DSpace para o RCAAP • Nova interface web: – baseada na framework Bootstrap, com design responsive e adaptável a dispositivos móveis – Pesquisa melhorada com filtros (facets) – Reorganização dos menus • Integração ORCID - através do authority control • Preenchimento automático de metadados - integração com DOI • Autenticação federada - Shibboleth
  165. 165. Nova interface web - atual
  166. 166. Nova interface web
  167. 167. Nova interface web
  168. 168. Autenticação federada
  169. 169. Autenticação federada
  170. 170. Autenticação federada
  171. 171. Autenticação federada
  172. 172. Autenticação federada
  173. 173. Importação DOI
  174. 174. Importação DOI
  175. 175. Importação DOI
  176. 176. Importação DOI
  177. 177. Importação DOI
  178. 178. Importação DOI
  179. 179. ORCID
  180. 180. ORCID
  181. 181. ORCID
  182. 182. ORCID
  183. 183. ORCID
  184. 184. ORCID
  185. 185. Futuro do DSpace • Há tentativa de unificar o Roadmap do DSpace: XMLUI vs JSPUI • DSpace-CRIS num módulo em vez de distribuição • DSpace extensível com o conceito de plugins (@mire a Dezembro de 2014)
  186. 186. Intervalo

Notas do Editor

  • Dar a entender que novos saris e afins não foram feitos por causa de outras prioridades
  • JMM: consistência enter tabela e gráfico. Coerência nas cores!
  • JMM: deve ter indicadores sobre quantidade e qualidade. Se gráficos não legíveis então texto
  • JMM: lista de SARCs e não SARCs
  • JMM: penso que falta informação. Ver ConfOA?
  • JMM: penso que falta informação. Ver ConfOA?
  • JMM: penso que falta informação. Ver ConfOA?
  • 363 inscrições, ~250 participantes
    15 comunicações e 42 posters
    Videos do evento:
    dia 6 http://www.iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=18449
    Dia 7 http://www.iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=18456
    Dia 8 http://www.iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=18475
  • Aprovada em 16 de janeiro de 2014, entraram em vigor em 5 de maio de 2014
    Prazo de embargo para artigos de revistas científicas contados desde o momento da publicação formal
    Prazo de embargo para teses de doutoramento cfr. estabelecido pelo DL n.º 115/2013, de 7 de agosto
    contados desde a concessão do grau de Doutor
    Prazo de embargo para livros, capítulos de livros e monografias cfr. estabelecido pelo DL n.º 216/2000, de 2 de setembro (lei do preço fixo do livro)
    contados desde o momento da publicação formal

  • Coordenação
    ligação ao exterior
    ligação entre setores e entre estes e o CD FCT
    procura de soluções integradas e equilibradas, mais simples e fáceis de adotar
    preocupação com consequências do ponto de vista da comunidade científica
  • questões não sinalizadas por congéneres – parcerias internacionais / co-autorias
    falta de experiências práticas para questões identificadas – dificuldades de cumprimento não imputáveis ao autor e
    inexistência de meios de publicação alternativos; recompensa / consequências por cumprimento / incumprimento; limite ao montante elegível para pagamento
    soluções implementadas não aplicáveis ao contexto português – limite de CPP; pagamentos / reembolsos de custos com publicações ocorridas após o encerramento dos projetos
    inexistência de informação – limite ao montante elegível para pagamento; custos por publicação por área / disciplina científica
  • Motivos
    necessidade urgente de estabelecer mecanismos de implementação, com efeitos práticos esperados já em 2015
    ausência de informação relevante e confiável que permita optar de entre um leque mais alargado de soluções
    a volubilidade atual do contexto e mercado internacional das publicações científicas exige cautela
    sobre práticas e custos de publicação dos investigadores financiados pela FCT e sobre experiências em curso nos congéneres, de forma a sustentar o desenho das soluções aprofundadas de implementação previstas no texto da Política, como a do estabelecimento de um valor limite de custos de processamento de publicação, as quais seriam aplicadas na segunda fase de implementação
    provocar o mínimo de perturbações à organização e funcionamento dos serviços da FCT, assegurando a maior eficiência possível em termos de recursos em simultâneo com uma implementação da Política sem estrangulamentos nem sobressaltos
    provocar o mínimo de perturbações aos hábitos dos investigadores
  • Se o investigador não tiver outra opção, admitem-se prazos superiores aos determinados na política
    geridas pelos investigadores
    -
    A criar; Monitorização a priori , possibilidade de monitorização posterior por amostragem
    A criar
    Estrutura estável e consistente
  • Objetivos
    Consolidar (normalizar e de duplicar) dados fragmentados em vários sistemas legacy
    Suporte novas aplicações / módulos
    Repositório CERIF poderá facilitar a adoção de sistemas comerciais ou de opensource (ex: VIVO)com base na norma CERIF
    Base para sistema de reporting/datamining

×