SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
PLATELMINTOS E
NEMATELMINTOS
PLATELMINTOS

• TÊM O CORPO ACHATADO;
• VIVEM EM AMBIENTES AQUÁTICOS OU
  ÚMIDOS;
• PODEM SER PARASITAS OU DE VIDA
  LIVRE;
• PODEM MEDIR MILÍMETROS OU METROS
  DE COMPRIMENTO;
• POSSUEM       TUBO      DIGESTÓRIO
  INCOMPLETO (PELA BOCA INGEREM O
  ALIMENTO E ELIMINAM AS FEZES);
• ALGUNS     NÃO    POSSUEM      TUBO
  DIGESTÓRIO,      RETIRANDO        OS
  NUTRIENTES    ATRAVÉS    DA     PELE
  (PARASITAS).
GRUPOS DE PLATELMINTOS

• PLANÁRIAS: TÊM VIDA LIVRE E SE
 LOCOMOVEM POR MEIO DE CÍLIOS. SÃO
 HERMAFRODITAS E TÊM GRANDE PODER
 DE REGENERAÇÃO.
• TÊNIAS (SOLITÁRIAS): PODEM ATINGIR MAIS
    DE 8 M DE COMPRIMENTO. O CORPO PODE SER
    DIVIDIDO EM TRÊS PARTES:
-   CABEÇA OU ESCÓLEX;
-   PESCOÇO – CURTO PROLONGAMENTO DA
    CABEÇA;
-     CORPO OU ESTRÓBILO – DIVIDIDO EM
    SEGMENTOS CHAMADOS PROGLOTES OU
    ANÉIS.
TENÍASE

• A teníase é resultado da presença da
 forma adulta da Taenia solium ou da
 Taenia saginata no intestino delgado do
 homem. É uma parasitose intestinal que
 pode causar dores abdominais, náuseas,
 debilidade, perda de peso, flatulência
 (gases), diarréia ou constipação. Quando
 o parasita permanece no intestino, o
 parasitismo pode ser considerado benigno.
• Em alguns casos, pode provocar retardo
 no crescimento e no desenvolvimento das
 crianças e baixa produtividade no adulto.
 A infestação pode ser percebida pela
 eliminação espontânea de proglotes (parte
 do corpo do verme que contém ovos) nas
 fezes.
CISTICERCOSE
• A cisticercose é causada pela larva da Taenia solium nos
    tecidos humanos.
•   As manifestações clínicas dependem da localização e do
    número de larvas que infectaram o indivíduo, da fase de
    desenvolvimento dos cisticercos e da resposta
    imunológica do hospedeiro (é assim que costumam ser
    chamadas as pessoas que "hospedam" o verme). As
    formas graves estão localizadas no sistema nervoso
    central e apresentam sintomas neuro-psíquicos
    (convulsões, distúrbio de comportamento, hipertensão
    intracraniana) e oculares.
• ESQUISTOSSOMO: (Schistosoma mansoni) É UM
    VERME QUE CAUSA NOS SERES HUMANOS A
    DOENÇA DENOMINADA ESQUISTOSSOMOSE;
•   TÊM SEXOS SEPARADOS;
•   A FÊMEA PÕE OS OVOS NAS VEIAS DO
    INTESTINO DE UMA PESSOA DOENTE QUE
    ELIMINA AS FEZES CONTAMINANDO O SOLO
    QUE PODE ALCANÇAR A ÁGUA DE UM LAGO OU
    REPRESA.
• Origina larvas ciliadas denominadas miracídeos;
• Essas larvas podem penetrar o corpo de um
    caramujo de gênero Biomphalaria originando
    larvas com cauda chamadas cercárias;
•   As cercárias saem do caramujo e passam para a
    água podendo penetrar na pele humana,
    atingindo a corrente sanguínea.      Ocorre o
    aumento no volume do abdome devido ao
    crescimento desproporcional do fígado e do
    baço.
NEMATELMINTOS

• SÃO VERMES DE CORPO CILÍNDRICO E
  AFILADO NAS EXTREMIDADES;
• SÃO PARASITAS OU DE VIDA LIVRE;
• POSSUEM       TUBO      DIGESTÓRIO
  COMPLETO;
• TÊM SEXOS SEPARADOS.
ANCILÓSTOMOS

• VIVEM   NO   INTESTINO   DELGADO
  HUMANO;
• POSSUEM GUANCHOS NA CAVIDADE DA
  BOCA QUE PROVOCAM LESÕES NA
  PAREDE DO INTESTINO;
• PROVOCAM HEMORRAGIA QUE DEIXAM A
  PESSOA ANÊMICA – ANCILOSTOMÍASE
  (AMARELÃO)
LOMBRIGAS (Ascaris lumbricoides)

• VIVEM NO INTESTINO HUMANO SE
  ALIMENTANDO     DE    SUBSTÂNCIAS
  NUTRITIVAS;
• A DOENÇA PROVOCADA POR ESSE VERME
  É DENOMINADA ASCARIDÍASE.
• SINTOMAS:    NÁUSEAS,     VÔMITOS,
  CÓLICAS       ABDOMINAIS         E
  EMAGRECIMENTO.
• PODE-SE  EVITAR   A    ASCARIDÍASE
 LAVANDO CUIDADODAMENTE FRUTAS E
 VERDURAS, INGERINDO APENAS ÁGUA
 TRATADA OU FERVIDA E USANDO
 INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ADEQUADAS.
OXIÚRUS (Enterobius vermicularis)

• MEDEM DE OITO A DOZE MILÍMETROS
 DE COMPRIMENTO E VIVEM NO
 INTESTINO GROSSO, ONDE PROVOCAM
 INFLAMAÇÕES.
FILÁRIAS
• SÃO VERMES QUE SE ALOJAM EM VASOS
    LINFÁTICOS COMO MAMAS E PERNAS.
•   ESSES VERMES OBSTRUEM OS VASOS
    LINFÁTICOS E DIFICULTAM O DESLOCAMENTO
    DA LINFA, COM ISSO A PERNA DE UMA PESSOA
    FICA MUITO INCHADA, LEMBRANDO A PERNA
    DE UM ELEFANTE – ELEFANTÍASE.
•   UMA PESSOA ADQUIRE ELEFANTÍASE QUANDO
    É PICADA POR UM MOSQUITO DO GÊNERO
    CULEX.
Platelmintos e nematelmintos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Aula platelmintos e nematelmintos
Aula  platelmintos e nematelmintosAula  platelmintos e nematelmintos
Aula platelmintos e nematelmintos
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Aulaporifera
AulaporiferaAulaporifera
Aulaporifera
 
7º ano cap 23 mamíferos
7º ano cap 23  mamíferos7º ano cap 23  mamíferos
7º ano cap 23 mamíferos
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Poriferos
PoriferosPoriferos
Poriferos
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
 
Filo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e NematodaFilo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e Nematoda
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 

Semelhante a Platelmintos e nematelmintos

Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintosbioblocmb
 
Parte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitasParte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitasVanessa Queiroz
 
Platelmintos e nematelmintos gabi
Platelmintos e nematelmintos gabiPlatelmintos e nematelmintos gabi
Platelmintos e nematelmintos gabipatycorso
 
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosAscaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosITPAC PORTO
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistasISJ
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaTurma Olímpica
 
Platelmintos & nematodeos
Platelmintos & nematodeosPlatelmintos & nematodeos
Platelmintos & nematodeosNóh Lopez
 
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSE
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSEINVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSE
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSERosa Dall'Agnol
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protistaISJ
 
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - PlatelmintosFilo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - PlatelmintosCarla Brígida
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctistainfoeducp2
 

Semelhante a Platelmintos e nematelmintos (20)

Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Parte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitasParte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitas
 
Platelmintos e nematelmintos gabi
Platelmintos e nematelmintos gabiPlatelmintos e nematelmintos gabi
Platelmintos e nematelmintos gabi
 
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosAscaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Platelmintos & nematodeos
Platelmintos & nematodeosPlatelmintos & nematodeos
Platelmintos & nematodeos
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSE
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSEINVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSE
INVERTEBRADOS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA PARA O HOMEM: TENÍASE - NEUROCISTICERCOSE
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
1ª protozoarios
 1ª protozoarios 1ª protozoarios
1ª protozoarios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - PlatelmintosFilo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
 

Último

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 

Último (20)

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 

Platelmintos e nematelmintos

  • 2. PLATELMINTOS • TÊM O CORPO ACHATADO; • VIVEM EM AMBIENTES AQUÁTICOS OU ÚMIDOS; • PODEM SER PARASITAS OU DE VIDA LIVRE; • PODEM MEDIR MILÍMETROS OU METROS DE COMPRIMENTO;
  • 3. • POSSUEM TUBO DIGESTÓRIO INCOMPLETO (PELA BOCA INGEREM O ALIMENTO E ELIMINAM AS FEZES); • ALGUNS NÃO POSSUEM TUBO DIGESTÓRIO, RETIRANDO OS NUTRIENTES ATRAVÉS DA PELE (PARASITAS).
  • 4. GRUPOS DE PLATELMINTOS • PLANÁRIAS: TÊM VIDA LIVRE E SE LOCOMOVEM POR MEIO DE CÍLIOS. SÃO HERMAFRODITAS E TÊM GRANDE PODER DE REGENERAÇÃO.
  • 5.
  • 6. • TÊNIAS (SOLITÁRIAS): PODEM ATINGIR MAIS DE 8 M DE COMPRIMENTO. O CORPO PODE SER DIVIDIDO EM TRÊS PARTES: - CABEÇA OU ESCÓLEX; - PESCOÇO – CURTO PROLONGAMENTO DA CABEÇA; - CORPO OU ESTRÓBILO – DIVIDIDO EM SEGMENTOS CHAMADOS PROGLOTES OU ANÉIS.
  • 7.
  • 8. TENÍASE • A teníase é resultado da presença da forma adulta da Taenia solium ou da Taenia saginata no intestino delgado do homem. É uma parasitose intestinal que pode causar dores abdominais, náuseas, debilidade, perda de peso, flatulência (gases), diarréia ou constipação. Quando o parasita permanece no intestino, o parasitismo pode ser considerado benigno.
  • 9. • Em alguns casos, pode provocar retardo no crescimento e no desenvolvimento das crianças e baixa produtividade no adulto. A infestação pode ser percebida pela eliminação espontânea de proglotes (parte do corpo do verme que contém ovos) nas fezes.
  • 10. CISTICERCOSE • A cisticercose é causada pela larva da Taenia solium nos tecidos humanos. • As manifestações clínicas dependem da localização e do número de larvas que infectaram o indivíduo, da fase de desenvolvimento dos cisticercos e da resposta imunológica do hospedeiro (é assim que costumam ser chamadas as pessoas que "hospedam" o verme). As formas graves estão localizadas no sistema nervoso central e apresentam sintomas neuro-psíquicos (convulsões, distúrbio de comportamento, hipertensão intracraniana) e oculares.
  • 11.
  • 12.
  • 13. • ESQUISTOSSOMO: (Schistosoma mansoni) É UM VERME QUE CAUSA NOS SERES HUMANOS A DOENÇA DENOMINADA ESQUISTOSSOMOSE; • TÊM SEXOS SEPARADOS; • A FÊMEA PÕE OS OVOS NAS VEIAS DO INTESTINO DE UMA PESSOA DOENTE QUE ELIMINA AS FEZES CONTAMINANDO O SOLO QUE PODE ALCANÇAR A ÁGUA DE UM LAGO OU REPRESA.
  • 14. • Origina larvas ciliadas denominadas miracídeos; • Essas larvas podem penetrar o corpo de um caramujo de gênero Biomphalaria originando larvas com cauda chamadas cercárias; • As cercárias saem do caramujo e passam para a água podendo penetrar na pele humana, atingindo a corrente sanguínea. Ocorre o aumento no volume do abdome devido ao crescimento desproporcional do fígado e do baço.
  • 15.
  • 16. NEMATELMINTOS • SÃO VERMES DE CORPO CILÍNDRICO E AFILADO NAS EXTREMIDADES; • SÃO PARASITAS OU DE VIDA LIVRE; • POSSUEM TUBO DIGESTÓRIO COMPLETO; • TÊM SEXOS SEPARADOS.
  • 17. ANCILÓSTOMOS • VIVEM NO INTESTINO DELGADO HUMANO; • POSSUEM GUANCHOS NA CAVIDADE DA BOCA QUE PROVOCAM LESÕES NA PAREDE DO INTESTINO; • PROVOCAM HEMORRAGIA QUE DEIXAM A PESSOA ANÊMICA – ANCILOSTOMÍASE (AMARELÃO)
  • 18.
  • 19. LOMBRIGAS (Ascaris lumbricoides) • VIVEM NO INTESTINO HUMANO SE ALIMENTANDO DE SUBSTÂNCIAS NUTRITIVAS; • A DOENÇA PROVOCADA POR ESSE VERME É DENOMINADA ASCARIDÍASE. • SINTOMAS: NÁUSEAS, VÔMITOS, CÓLICAS ABDOMINAIS E EMAGRECIMENTO.
  • 20. • PODE-SE EVITAR A ASCARIDÍASE LAVANDO CUIDADODAMENTE FRUTAS E VERDURAS, INGERINDO APENAS ÁGUA TRATADA OU FERVIDA E USANDO INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ADEQUADAS.
  • 21.
  • 22. OXIÚRUS (Enterobius vermicularis) • MEDEM DE OITO A DOZE MILÍMETROS DE COMPRIMENTO E VIVEM NO INTESTINO GROSSO, ONDE PROVOCAM INFLAMAÇÕES.
  • 23.
  • 24. FILÁRIAS • SÃO VERMES QUE SE ALOJAM EM VASOS LINFÁTICOS COMO MAMAS E PERNAS. • ESSES VERMES OBSTRUEM OS VASOS LINFÁTICOS E DIFICULTAM O DESLOCAMENTO DA LINFA, COM ISSO A PERNA DE UMA PESSOA FICA MUITO INCHADA, LEMBRANDO A PERNA DE UM ELEFANTE – ELEFANTÍASE. • UMA PESSOA ADQUIRE ELEFANTÍASE QUANDO É PICADA POR UM MOSQUITO DO GÊNERO CULEX.