SlideShare uma empresa Scribd logo
Filo dosFilo dos
MoluscosMoluscos
CARACTERÍSTICAS
GERAISCorpo:
• Mole e viscoso.
• Concha de calcário presente na maioria.
• Dividido em cabeça, massa visceral, manto e pé.
Habitat:
• Aquáticos (água doce ou salgada).
• Terrestres.
Respiração:
• Branquial (maioria).
• Superfície do corpo (cutânea)
• Pulmonar (simples)
A maioria dos animais desse filo possui o corpo dividido em
cabeça, pé e massa visceral. Dependendo da classe, essas
partes são mais ou menos desenvolvidas. Ao redor da massa
visceral está o manto, responsável pela produção da concha,
quando ela se faz presente
Esses animais possuem sistemas nervoso, digestório,Esses animais possuem sistemas nervoso, digestório,
circulatório, excretor e reprodutor.circulatório, excretor e reprodutor.
São três as classes principais de Moluscos:
•Gastrópodes
•Bivalves ou Pelicípodes
•Cefalópodes
CARACTERÍSTICAS
GERAIS
CLASSIFICAÇÃO
GASTRÓPODES
• Exemplos: caracóis, caramujos e lesmas.
• Concha: Univalves (uma única concha) ou ausente.
• Cabeça: 2 pares de tentáculos (visão, olfato e tato).
• Massa visceral: tubo digestório completo (boca com rádula,
esôfago, estômago com gl. digestória, intestino e ânus) +
órgãos respiratórios, excretores e reprodutores.
• Pé: estrutura muscular para agarrar, cavar e arrastar.
• Manto: pele que produz a concha, está localizada na região
dorsal.
– Sexos
• Dióico (maioria)
• Gastrópodes - monóicos
– Fecundação
• Interna – gastrópodos e cefalópodos
• Externa – Bivalves
– Desenvolvimento
• Direto – gastrópodes e cefalópodes
• Indireto – Bivalves
Reprodução
CLASSIFICAÇÃO
Bivalves ou Pelecípodes
• Exemplos: mariscos, ostras e mexilhões
• Concha: dividida em duas partes encaixadas (valvas)
• Cabeça: praticamente não existe, com boca sem rádula.
• Massa visceral: com sifão inalante e exalante, tubo
digestório completo, + órgãos respiratórios, excretores e
reprodutores.
• Pé: muscular em forma de machado (usado para cavar).
• Manto
Pérolas naturais se formam quando partículas estranhas
(areia, pedaços de rochas) ou parasitas entram na concha
de algumas ostras, o que faz com que o animal secrete
camadas de nácar (madrepérola) como mecanismo de
defesa que cristaliza o invasor, defendendo o manto
(tecido que protege os órgãos da ostra); leva cerca de três
anos para que esse material se torne uma pérola. Pérolas
cultivadas pelo homem sofrem um processo igual, porém
o início da formação é intencionalmente causada pelo
homem: é introduzido um núcleo sintético na concha
para estimular o sistema de defesa da ostra. A única
forma de diferenciar uma pérola natural e uma cultivada
é analisar a parte interna da pérola.
Como se formam as Pérolas
manto
náca
r
calcário
mant
o
conch
a
pérol
a
Formação de
PÉROLAS
CLASSIFICAÇÃO
Cefalópodes
• Exemplos: polvo, lula e náutilus.
• Concha: ausente ou interna e muito reduzida.
Presente somente nos nautilus.
• Cabeça: com tentáculos cheios de ventosas e
sistema nervoso bem desenvolvido. Olho
semelhante aos dos vertebrados.
• Adaptações: glândula de tinta e camuflagem.
Polvos
Lulas Gigantes
NAUTILUS
Moluscos e seres humanos
• Alimentação: são preparados de diversas
maneiras. Pratos sofisticados.
• Concha: artesanato, ornamentação,
confecção de pentes e botões.
• Pérolas: usadas na fabricação de jóias.
• Cuidados: podem provocar intoxicações ao
serem consumidos.
Filo dos moluscos   7º ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
GabrielaMansur
 
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos VertebradosCordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Carlos Priante
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
MarianeSGS
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
Bio
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
Bio
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
Killer Max
 
Artrópodes e equinodermos
Artrópodes e equinodermosArtrópodes e equinodermos
Artrópodes e equinodermos
jrz758
 
Repteis
RepteisRepteis
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
profatatiana
 
Aves
AvesAves
Aves
kittymust
 
Moluscos e anelídeos
Moluscos e anelídeosMoluscos e anelídeos
Moluscos e anelídeos
Marcos Santos
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
Ronalld Sabino
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2
Grazi Grazi
 
Slide dos artrópodes
Slide dos artrópodesSlide dos artrópodes
Slide dos artrópodes
Seleste Mendes Pereira
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
Killer Max
 
OS EQUINODERMOS
OS EQUINODERMOSOS EQUINODERMOS
OS EQUINODERMOS
Nayana Maia
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
Bio
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
empaul_harris
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
Andrea Barreto
 

Mais procurados (20)

Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos VertebradosCordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Artrópodes e equinodermos
Artrópodes e equinodermosArtrópodes e equinodermos
Artrópodes e equinodermos
 
Repteis
RepteisRepteis
Repteis
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Aves
AvesAves
Aves
 
Moluscos e anelídeos
Moluscos e anelídeosMoluscos e anelídeos
Moluscos e anelídeos
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2
 
Slide dos artrópodes
Slide dos artrópodesSlide dos artrópodes
Slide dos artrópodes
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
 
OS EQUINODERMOS
OS EQUINODERMOSOS EQUINODERMOS
OS EQUINODERMOS
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
 

Semelhante a Filo dos moluscos 7º ano

Filo Molusca
Filo MoluscaFilo Molusca
Filo Molusca
jrz758
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Altair Hoepers
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
3 cordados
3 cordados3 cordados
Molusco
MoluscoMolusco
Molusco
Lua Veras
 
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
Colégio Batista de Mantena
 
Mollusca
MolluscaMollusca
000728502.pdf
000728502.pdf000728502.pdf
000728502.pdf
rickriordan
 
Mollusca
MolluscaMollusca
Mollusca
Mariinazorzi
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
Marcos Albuquerque
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
Marcos Albuquerque
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Colégio Batista de Mantena
 
Tetrápodes
TetrápodesTetrápodes
Tetrápodes
Antonio Carlos
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
URCA
 
moluscos .pptx
moluscos .pptxmoluscos .pptx
moluscos .pptx
Maira
 
moluscos ensino medio
 moluscos ensino medio  moluscos ensino medio
moluscos ensino medio
gabrielklenio
 
Moluscos novo
Moluscos novoMoluscos novo
Moluscos novo
letyap
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
Altair Hoepers
 
Invertebrados - por Fabia Mello
Invertebrados - por Fabia MelloInvertebrados - por Fabia Mello
Invertebrados - por Fabia Mello
Thiago Vieira
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
IgorAlves153
 

Semelhante a Filo dos moluscos 7º ano (20)

Filo Molusca
Filo MoluscaFilo Molusca
Filo Molusca
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
3 cordados
3 cordados3 cordados
3 cordados
 
Molusco
MoluscoMolusco
Molusco
 
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
 
Mollusca
MolluscaMollusca
Mollusca
 
000728502.pdf
000728502.pdf000728502.pdf
000728502.pdf
 
Mollusca
MolluscaMollusca
Mollusca
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
 
Tetrápodes
TetrápodesTetrápodes
Tetrápodes
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
moluscos .pptx
moluscos .pptxmoluscos .pptx
moluscos .pptx
 
moluscos ensino medio
 moluscos ensino medio  moluscos ensino medio
moluscos ensino medio
 
Moluscos novo
Moluscos novoMoluscos novo
Moluscos novo
 
Mamiferos
MamiferosMamiferos
Mamiferos
 
Invertebrados - por Fabia Mello
Invertebrados - por Fabia MelloInvertebrados - por Fabia Mello
Invertebrados - por Fabia Mello
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
 

Último

LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 

Último (20)

LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 

Filo dos moluscos 7º ano

  • 2. CARACTERÍSTICAS GERAISCorpo: • Mole e viscoso. • Concha de calcário presente na maioria. • Dividido em cabeça, massa visceral, manto e pé. Habitat: • Aquáticos (água doce ou salgada). • Terrestres. Respiração: • Branquial (maioria). • Superfície do corpo (cutânea) • Pulmonar (simples)
  • 3.
  • 4. A maioria dos animais desse filo possui o corpo dividido em cabeça, pé e massa visceral. Dependendo da classe, essas partes são mais ou menos desenvolvidas. Ao redor da massa visceral está o manto, responsável pela produção da concha, quando ela se faz presente Esses animais possuem sistemas nervoso, digestório,Esses animais possuem sistemas nervoso, digestório, circulatório, excretor e reprodutor.circulatório, excretor e reprodutor. São três as classes principais de Moluscos: •Gastrópodes •Bivalves ou Pelicípodes •Cefalópodes CARACTERÍSTICAS GERAIS
  • 5. CLASSIFICAÇÃO GASTRÓPODES • Exemplos: caracóis, caramujos e lesmas. • Concha: Univalves (uma única concha) ou ausente. • Cabeça: 2 pares de tentáculos (visão, olfato e tato). • Massa visceral: tubo digestório completo (boca com rádula, esôfago, estômago com gl. digestória, intestino e ânus) + órgãos respiratórios, excretores e reprodutores. • Pé: estrutura muscular para agarrar, cavar e arrastar. • Manto: pele que produz a concha, está localizada na região dorsal.
  • 6. – Sexos • Dióico (maioria) • Gastrópodes - monóicos – Fecundação • Interna – gastrópodos e cefalópodos • Externa – Bivalves – Desenvolvimento • Direto – gastrópodes e cefalópodes • Indireto – Bivalves Reprodução
  • 7.
  • 8.
  • 9. CLASSIFICAÇÃO Bivalves ou Pelecípodes • Exemplos: mariscos, ostras e mexilhões • Concha: dividida em duas partes encaixadas (valvas) • Cabeça: praticamente não existe, com boca sem rádula. • Massa visceral: com sifão inalante e exalante, tubo digestório completo, + órgãos respiratórios, excretores e reprodutores. • Pé: muscular em forma de machado (usado para cavar). • Manto
  • 10.
  • 11.
  • 12. Pérolas naturais se formam quando partículas estranhas (areia, pedaços de rochas) ou parasitas entram na concha de algumas ostras, o que faz com que o animal secrete camadas de nácar (madrepérola) como mecanismo de defesa que cristaliza o invasor, defendendo o manto (tecido que protege os órgãos da ostra); leva cerca de três anos para que esse material se torne uma pérola. Pérolas cultivadas pelo homem sofrem um processo igual, porém o início da formação é intencionalmente causada pelo homem: é introduzido um núcleo sintético na concha para estimular o sistema de defesa da ostra. A única forma de diferenciar uma pérola natural e uma cultivada é analisar a parte interna da pérola. Como se formam as Pérolas
  • 14. CLASSIFICAÇÃO Cefalópodes • Exemplos: polvo, lula e náutilus. • Concha: ausente ou interna e muito reduzida. Presente somente nos nautilus. • Cabeça: com tentáculos cheios de ventosas e sistema nervoso bem desenvolvido. Olho semelhante aos dos vertebrados. • Adaptações: glândula de tinta e camuflagem.
  • 15.
  • 19. Moluscos e seres humanos • Alimentação: são preparados de diversas maneiras. Pratos sofisticados. • Concha: artesanato, ornamentação, confecção de pentes e botões. • Pérolas: usadas na fabricação de jóias. • Cuidados: podem provocar intoxicações ao serem consumidos.