SlideShare uma empresa Scribd logo
Domínio /Subdomínio de análise: A.2 (Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital) Indicador de Processo A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação Indicador de Impacto A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.  PLANO DE AVALIAÇÃO Diagnóstico /problema A utilização dos recursos da BE pelos professores restringe-se a: Requisição pontual de obras de referência para ilustração de conteúdos; Requisição pontual de computadores para pesquisas rápidas durante o tempo lectivo; Consulta rápida de dicionários, durante um pequeno período da aula (o aluno sai da aula para ver o significado de uma palavra); Requisição de DVD, para uso nas aulas de substituição. Os alunos dirigem-se à BE, essencialmente, para: Visionar DVDs; Utilizar jogos didácticos; Fazer pesquisas (de imagens) nos computadores; Realizar trabalhos de casa. Os recursos da BE não são rentabilizados pelos docentes na sua prática lectiva. Os alunos não incorporam, no seu trabalho, qualquer processo de pesquisa ou de tratamento da informação. Por outro lado, os alunos, apesar de frequentarem a BE, nem sempre revelam comportamentos ou atitudes adequadas a um espaço que se pretende de informação e de formação. Identificação do objecto da avaliação Indicador de Processo A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação Indicador de Impacto A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.  Objectivos A2.2. / A2.5. Consciencializar os docentes das valências da BE enquanto espaço de fomento de aprendizagens; Comprovar, junto dos docentes, que o trabalho colaborativo com a BE enriquece as suas práticas; Salientar o papel formativo da BE junto dos alunos, enquanto espaço de disponibilização das ferramentas adequados ao seu sucesso; Alertar os alunos para a indispensabilidade da adopção de comportamentos adequados no espaço da BE. Limitações A2.2 /A2.5.  A consecução deste plano de avaliação não poderá contar com a participação de uma equipa da BE, apenas com a Professora Bibliotecária e os demais intervenientes (restantes docentes/alunos), uma vez que a equipa é quase inexistente; Os recursos informáticos na BE são obsoletos, não favorecendo uma explanação completa das mais-valias do seu uso; A cultura da escola vai no sentido de que a BE é um espaço onde os alunos têm oportunidade de desenvolver actividades de carácter predominantemente lúdico. Tipo de avaliação de medida a empreender Indicador de ProcessoA.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informaçãoFactores Críticos de SucessoA BE procede ao levantamento das competências transversais adequadas a cada ano de escolaridade;A BE promove a integração de um plano para a literacia da informação no Projecto Educativo de Agrupamento;A BE propõe um modelo de pesquisa de informação a ser usado pela escola;A BE estimula a inserção nas NAC do ensino e treino de competências da informação;A BE produz e divulga, em colaboração com os docentes, guiões de pesquisa e outros materiais de apoio ao trabalho de exploração dos recursos de informação pelos alunos;A BE participa, em cooperação com os docentes, nas actividades de ensino de competências de informação com turmas/grupos/alunos.Recolha de evidênciasPlano Anual de Actividades da BEProjecto Educativo de AgrupamentoRegistos de reuniõesMateriais de apoio produzidos e editadosIntervenientesProfessora BibliotecáriaDirectores de TurmaProfessores de Estudo Acompanhado e/ou  Área de ProjectoCalendarização/ ProcedimentosPlanificação das actividades a realizar, de acordo com os problemas diagnosticados – Outubro;Reuniões com os docentes, nomeadamente os Directores de Turma, para apresentação das actividades planificadas – Novembro;Calendarização das actividades conjuntamente com os professores em cujas aulas as actividades serão realizadas (Estudo Acompanhado/Área de Projecto) – Novembro /Dezembro;Disponibilização de guiões de trabalho na BE para uso de professores com os alunos;Disponibilização de guiões de pesquisa para uso dos alunos;Apresentação do Modelo Plus às turmas, pela Professora Bibliotecária, nas NAC.Recolha de dados e análise das evidências  - 2º período. Indicador de ProcessoA.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. Factores Críticos de SucessoOs alunos aplicam modalidades de trabalho diversificadas e realizam tarefas diferenciadas, de acordo com a estruturação espacial e funcional da BE;Os alunos estabelecem entre si um ambiente de confiança e de respeito mútuo, cumprindo normas de actuação, de convivência e de trabalho, inerentes ao sistema de organização e funcionamento da BE;Os alunos revelam valores de cooperação, autonomia e responsabilidade, conformes a uma aprendizagem autónoma, activa e colaborativa;Os alunos demonstram atitudes de curiosidade, iniciativa, criatividade e reflexão crítica, necessárias a uma aprendizagem baseada em recursos.Recolha de evidênciasObservação da utilização da BE (O1);Questionário aos professores (QP1) – 20% do número total de professores;Questionário aos alunos (QA1) – 10% do número de alunos em cada nível de escolaridade;Regimento da BE.Selecção dos instrumentos de recolha(restrição das questões e dos itens de observação)Observação da utilização da BE (O1)4- Localiza livros e outros recursos na biblioteca.12 – É autónomo e responsável, sem estar sempre a pedir ajuda, cumprindo prazos;13 – Trabalha individualmente, a pares, em grupo e colectivamente;14 – Ajuda e partilha ideias e conhecimentos com os outros colegas;15 – Assume um comportamento adequado na biblioteca, seguindo as orientações dos professores e as regras de utilização da biblioteca.Questionário aos professores (QP1)Na sua prática lectiva, promove a utilização da biblioteca nos trabalhos efectuados pelos alunos?Quando utilizam a BE, os seus alunos estão munidos das indicações sobre a tarefa a executar e de sugestões de bibliografia a consultar?Como classifica as suas competências pessoais para o uso autónomo da BE com os seus alunos?14 – Como classifica as suas competências para o uso autónomo da BE, por parte dos alunos?17 – Em que medida considera que a BE influencia, nos seus alunos, o desenvolvimento de valores e atitudes de convivência, iniciativa, cooperação e autonomia?Questionário aos alunos (QA1)9 – À medida que vais realizando mais trabalhos na BE, nas várias disciplinas, achas que os teus trabalhos de pesquisa vão melhorando e fazes progressos?10 – Como classificarias as tuas competências para o uso autónomo da BE?10.1. Competências para o uso dos serviços e equipamentos da BE10.2. Competências TIC10.3. Competências para a exploração dos diferentes recursos de informação11. O trabalho da BE contribui para que te vás sentindo mais seguro e confiante nas tarefas da pesquisa, consulta e produção de informação que tens de realizar?12- Consideras que o trabalho da BE exige de ti alguma capacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os teus colegas?13- Como avalias, em geral, o nível de aprendizagens que realizas na BE através do trabalho orientado que aí efectuas com os teus professores?IntervenientesProfessora Bibliotecária e professores que têm algumas horas do seu horário na  BE;Professores das NACs e diferentes Departamentos;Alunos dos diferentes anos de escolaridade que frequentam a BE;Calendarização/ ProcedimentosReuniões com os docentes, nomeadamente os professores das Novas Áreas Curriculares Não Disciplinares, para apresentação do propósito e metodologias da avaliação;Divulgação dos instrumentos, junto dos professores, a serem utilizados para a recolha de evidências – início do segundo período;Calendarização da aplicação dos questionários – final do segundo período;Calendarização da aplicação da grelha de observação – terceiro período (início).Recolha e tratamento dos dados referentes à aplicação dos questionários e da grelha de observação – terceiro período. Análise e comunicação da informação Depois de recolhidos e tratados os dados, é altura de analisar, com eficácia, a informação recolhida. Para isso, é preciso ter em atenção os descritores apresentados no Modelo de  Auto - Avaliação,  que balizam o nível de desempenho da BE no sub - domínio avaliado. Os descritores retratam o tipo de performance da BE em cada um dos 4 níveis de desempenho – Fraco/ Satisfatório/ Bom /Excelente. Para que a BE se situe num determinado nível, deverá corresponder, no mínimo, aos descritores apresentados numa relação de 4/5, 5/6, 6/7, de acordo com o número de itens que o perfil de desempenho apresentar. NívelDescrição4- ExcelenteA BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.3- BomA BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.2- SatisfatórioA BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.FracoA BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. Depois de analisados os dados, resta comunicar os resultados à Comunidade Escolar. Esta comunicação é importante, uma vez que proporcionará uma análise colectiva e uma reflexão da escola sobre os resultados. Por outro lado, consciencializa as pessoas de que o seu comprometimento é essencial na delineação de um plano de melhoria, bem como na consecução do mesmo.  A comunicação da informação deverá ser feita em Conselho Pedagógico e deverá ficar disponível, para consulta da Comunidade, na página da escola. Os resultados da avaliação deverão integrar o Relatório Final da Avaliação da Biblioteca Escolar, que, por sua vez, deverá integrar o Relatório de Auto-Avaliação do Agrupamento. 26 de Novembro de 2009 Ana Violante Agrupamento de Escolas da Freixianda
Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009
BE/CRE
 
Intro E Guia Out2009 2
Intro E Guia Out2009 2Intro E Guia Out2009 2
Intro E Guia Out2009 2
eudorapereira
 
Introdução e guia da Sessão 5
Introdução e guia da Sessão 5Introdução e guia da Sessão 5
Introdução e guia da Sessão 5
Macogomes
 
Guia Out2009
Guia Out2009Guia Out2009
Guia Out2009
rbento
 
Intro E Guia Out2009 Alt
Intro E Guia Out2009 AltIntro E Guia Out2009 Alt
Intro E Guia Out2009 Alt
Antonio Tavares
 
Guia Da SessãO 5
Guia Da SessãO 5Guia Da SessãO 5
Guia Da SessãO 5
Macogomes
 
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
claudinapires
 
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
RBE Algarve
 
Apresentação mabe fátima pedro enviada
Apresentação mabe fátima pedro enviadaApresentação mabe fátima pedro enviada
Apresentação mabe fátima pedro enviada
Fatimapedro
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
Filipe Pereira
 
Actividade sessão 6
Actividade sessão 6Actividade sessão 6
Actividade sessão 6
Anaigreja
 
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela VarejaoSessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
Manuela Varejao
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
MLurdesAlmeida
 
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho PedagogicoApresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
nuno.jose.duarte
 
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamentoIntegracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
rosamfsilvabiblio
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
alcinasousa
 
Da teoria à prática
Da teoria à práticaDa teoria à prática
Da teoria à prática
Escola D.Inês de Castro
 

Mais procurados (17)

Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009
 
Intro E Guia Out2009 2
Intro E Guia Out2009 2Intro E Guia Out2009 2
Intro E Guia Out2009 2
 
Introdução e guia da Sessão 5
Introdução e guia da Sessão 5Introdução e guia da Sessão 5
Introdução e guia da Sessão 5
 
Guia Out2009
Guia Out2009Guia Out2009
Guia Out2009
 
Intro E Guia Out2009 Alt
Intro E Guia Out2009 AltIntro E Guia Out2009 Alt
Intro E Guia Out2009 Alt
 
Guia Da SessãO 5
Guia Da SessãO 5Guia Da SessãO 5
Guia Da SessãO 5
 
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
 
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
 
Apresentação mabe fátima pedro enviada
Apresentação mabe fátima pedro enviadaApresentação mabe fátima pedro enviada
Apresentação mabe fátima pedro enviada
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
Actividade sessão 6
Actividade sessão 6Actividade sessão 6
Actividade sessão 6
 
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela VarejaoSessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
SessãO4 Plano De Avaliacao Manuela Varejao
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho PedagogicoApresentacao ao Conselho Pedagogico
Apresentacao ao Conselho Pedagogico
 
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamentoIntegracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
Integracao do modelo_de_auto-avaliacao_na_escola.agrupamento
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 
Da teoria à prática
Da teoria à práticaDa teoria à prática
Da teoria à prática
 

Destaque

Menús Digitales Inalambricos
Menús Digitales InalambricosMenús Digitales Inalambricos
Menús Digitales Inalambricos
muestraempresarial2
 
Dispositivo Ambiental
Dispositivo AmbientalDispositivo Ambiental
Dispositivo Ambiental
muestraempresarial2
 
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 D
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 DAnalisis De La Encuestas Eq 1 9 D
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 D
Jeison Hurtado
 
Web 20
Web 20Web 20
Direitos humanos na web
Direitos humanos na webDireitos humanos na web
Direitos humanos na web
André Luís Batista Martins
 
Declaracion Publica Comunidad Mapuche Inalafken
Declaracion  Publica  Comunidad  Mapuche  InalafkenDeclaracion  Publica  Comunidad  Mapuche  Inalafken
Declaracion Publica Comunidad Mapuche Inalafken
Jj Oberreuter A
 
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
Leticia Bade
 
WEB 2.0? O QUE É??????
WEB 2.0? O QUE É??????WEB 2.0? O QUE É??????
Galeria de Arte
Galeria de ArteGaleria de Arte
Galeria de Arte
mamedealbuquerque
 
Materiais Concretos
Materiais ConcretosMateriais Concretos
Materiais Concretos
edsonn
 
MCP Certificate
MCP Certificate MCP Certificate
MCP Certificate
Mpho Morotoba
 
Amadonervo
AmadonervoAmadonervo
Pdf Tendencias 2009
Pdf Tendencias 2009Pdf Tendencias 2009
Pdf Tendencias 2009
observatoriofashion
 
Arquitetura Sateré Mawé
Arquitetura Sateré MawéArquitetura Sateré Mawé
Arquitetura Sateré Mawé
Ceci Maria
 
Mesa Fomento CNPQ
Mesa Fomento CNPQMesa Fomento CNPQ
Mesa Fomento CNPQ
Fórum Pesquisa CCH
 
Murodeberlim
MurodeberlimMurodeberlim
Murodeberlim
ap8dgrp4
 

Destaque (20)

Menús Digitales Inalambricos
Menús Digitales InalambricosMenús Digitales Inalambricos
Menús Digitales Inalambricos
 
Dispositivo Ambiental
Dispositivo AmbientalDispositivo Ambiental
Dispositivo Ambiental
 
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 D
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 DAnalisis De La Encuestas Eq 1 9 D
Analisis De La Encuestas Eq 1 9 D
 
Web 20
Web 20Web 20
Web 20
 
Vendimia 2012 (2)
Vendimia 2012 (2)Vendimia 2012 (2)
Vendimia 2012 (2)
 
Direitos humanos na web
Direitos humanos na webDireitos humanos na web
Direitos humanos na web
 
Declaracion Publica Comunidad Mapuche Inalafken
Declaracion  Publica  Comunidad  Mapuche  InalafkenDeclaracion  Publica  Comunidad  Mapuche  Inalafken
Declaracion Publica Comunidad Mapuche Inalafken
 
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
Palestra Infnet: Planejamento e gerenciamento de sites institucionais e hotsi...
 
WEB 2.0? O QUE É??????
WEB 2.0? O QUE É??????WEB 2.0? O QUE É??????
WEB 2.0? O QUE É??????
 
35674
3567435674
35674
 
Galeria de Arte
Galeria de ArteGaleria de Arte
Galeria de Arte
 
30700
3070030700
30700
 
34378
3437834378
34378
 
Materiais Concretos
Materiais ConcretosMateriais Concretos
Materiais Concretos
 
MCP Certificate
MCP Certificate MCP Certificate
MCP Certificate
 
Amadonervo
AmadonervoAmadonervo
Amadonervo
 
Pdf Tendencias 2009
Pdf Tendencias 2009Pdf Tendencias 2009
Pdf Tendencias 2009
 
Arquitetura Sateré Mawé
Arquitetura Sateré MawéArquitetura Sateré Mawé
Arquitetura Sateré Mawé
 
Mesa Fomento CNPQ
Mesa Fomento CNPQMesa Fomento CNPQ
Mesa Fomento CNPQ
 
Murodeberlim
MurodeberlimMurodeberlim
Murodeberlim
 

Semelhante a Plano Avaliacao A22 A25

Plano De AvaliaçãO Da Be 4ª SessãO
Plano De AvaliaçãO Da Be   4ª SessãOPlano De AvaliaçãO Da Be   4ª SessãO
Plano De AvaliaçãO Da Be 4ª SessãO
1000a
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
mjoaocaldeira
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Maria Da Graça Gonçalves
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
Julita Silva
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
cristinamlcoelho
 
Plano avaliação
Plano avaliaçãoPlano avaliação
Plano avaliação
Sílvia Bastos
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
guestf38751
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
NoemiaMaria
 
Temática relacionada com a be
Temática relacionada com a beTemática relacionada com a be
Temática relacionada com a be
slideschearBE
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
biblioavrt2
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
MatheusSimoesMasuoka1
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
claudinapires
 
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
bedjoaoii
 
O Modelo De Auto
O Modelo De AutoO Modelo De Auto
O Modelo De Auto
claudinapires
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
claudinapires
 
DomíNio B
DomíNio BDomíNio B
DomíNio B
becrepombais
 
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca EscolarModelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
mizedomingues
 
avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010
Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes
 
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Biblioteca Quinta das Flores
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
Ana Arminda Moreira
 

Semelhante a Plano Avaliacao A22 A25 (20)

Plano De AvaliaçãO Da Be 4ª SessãO
Plano De AvaliaçãO Da Be   4ª SessãOPlano De AvaliaçãO Da Be   4ª SessãO
Plano De AvaliaçãO Da Be 4ª SessãO
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Sessão nº2
Sessão nº2Sessão nº2
Sessão nº2
 
Plano avaliação
Plano avaliaçãoPlano avaliação
Plano avaliação
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Temática relacionada com a be
Temática relacionada com a beTemática relacionada com a be
Temática relacionada com a be
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
Relatorio de Execução de Atividades e do Plano de Melhoria da biblioteca 13-14
 
O Modelo De Auto
O Modelo De AutoO Modelo De Auto
O Modelo De Auto
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
 
DomíNio B
DomíNio BDomíNio B
DomíNio B
 
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca EscolarModelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
Modelo Auto AvaliaçãO Da Biblioteca Escolar
 
avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010
 
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
 

Mais de Ana Violante

Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
Ana Violante
 
Programa definitivo(1)
Programa definitivo(1)Programa definitivo(1)
Programa definitivo(1)
Ana Violante
 
Lista livros-metas-1ºciclo
Lista livros-metas-1ºcicloLista livros-metas-1ºciclo
Lista livros-metas-1ºciclo
Ana Violante
 
Dia Internacional da Pessoa com Deficiência
Dia Internacional da Pessoa com DeficiênciaDia Internacional da Pessoa com Deficiência
Dia Internacional da Pessoa com DeficiênciaAna Violante
 
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTecaRequisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Ana Violante
 
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTecaRequisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Ana Violante
 
Conto veado.florido
Conto veado.floridoConto veado.florido
Conto veado.florido
Ana Violante
 
A bruxa mimi[1]
A bruxa mimi[1]A bruxa mimi[1]
A bruxa mimi[1]
Ana Violante
 
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsxDesculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
Ana Violante
 
Historia da roda dos alimentos
Historia da roda dos alimentosHistoria da roda dos alimentos
Historia da roda dos alimentos
Ana Violante
 
Lista conj leitura_orientada_1º ciclo
Lista conj leitura_orientada_1º cicloLista conj leitura_orientada_1º ciclo
Lista conj leitura_orientada_1º ciclo
Ana Violante
 
Apresentação (2)
Apresentação (2)Apresentação (2)
Apresentação (2)Ana Violante
 
Mês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolaresMês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolares
Ana Violante
 
Mês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolaresMês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolares
Ana Violante
 
Catálogo obras
Catálogo obrasCatálogo obras
Catálogo obras
Ana Violante
 
261224 633921912696695000 ver1
261224 633921912696695000 ver1261224 633921912696695000 ver1
261224 633921912696695000 ver1
Ana Violante
 
Formação de utilizadores
Formação de utilizadores Formação de utilizadores
Formação de utilizadores
Ana Violante
 
Accoes Futuras D1
Accoes Futuras D1Accoes Futuras D1
Accoes Futuras D1
Ana Violante
 
Tabela D 1
Tabela D 1Tabela D 1
Tabela D 1
Ana Violante
 
Apresentação do Modelo ao Conselho Pedagógico
Apresentação  do Modelo  ao Conselho PedagógicoApresentação  do Modelo  ao Conselho Pedagógico
Apresentação do Modelo ao Conselho Pedagógico
Ana Violante
 

Mais de Ana Violante (20)

Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
Projeto "Todos Juntos Podemos Ler"
 
Programa definitivo(1)
Programa definitivo(1)Programa definitivo(1)
Programa definitivo(1)
 
Lista livros-metas-1ºciclo
Lista livros-metas-1ºcicloLista livros-metas-1ºciclo
Lista livros-metas-1ºciclo
 
Dia Internacional da Pessoa com Deficiência
Dia Internacional da Pessoa com DeficiênciaDia Internacional da Pessoa com Deficiência
Dia Internacional da Pessoa com Deficiência
 
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTecaRequisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição de livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
 
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTecaRequisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
Requisição dos livros dos nossos amigos na BiBlioTeca
 
Conto veado.florido
Conto veado.floridoConto veado.florido
Conto veado.florido
 
A bruxa mimi[1]
A bruxa mimi[1]A bruxa mimi[1]
A bruxa mimi[1]
 
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsxDesculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
Desculpa por acaso és uma bruxa.ppsx
 
Historia da roda dos alimentos
Historia da roda dos alimentosHistoria da roda dos alimentos
Historia da roda dos alimentos
 
Lista conj leitura_orientada_1º ciclo
Lista conj leitura_orientada_1º cicloLista conj leitura_orientada_1º ciclo
Lista conj leitura_orientada_1º ciclo
 
Apresentação (2)
Apresentação (2)Apresentação (2)
Apresentação (2)
 
Mês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolaresMês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolares
 
Mês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolaresMês internacional das bibliotecas escolares
Mês internacional das bibliotecas escolares
 
Catálogo obras
Catálogo obrasCatálogo obras
Catálogo obras
 
261224 633921912696695000 ver1
261224 633921912696695000 ver1261224 633921912696695000 ver1
261224 633921912696695000 ver1
 
Formação de utilizadores
Formação de utilizadores Formação de utilizadores
Formação de utilizadores
 
Accoes Futuras D1
Accoes Futuras D1Accoes Futuras D1
Accoes Futuras D1
 
Tabela D 1
Tabela D 1Tabela D 1
Tabela D 1
 
Apresentação do Modelo ao Conselho Pedagógico
Apresentação  do Modelo  ao Conselho PedagógicoApresentação  do Modelo  ao Conselho Pedagógico
Apresentação do Modelo ao Conselho Pedagógico
 

Plano Avaliacao A22 A25

  • 1. Domínio /Subdomínio de análise: A.2 (Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital) Indicador de Processo A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação Indicador de Impacto A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. PLANO DE AVALIAÇÃO Diagnóstico /problema A utilização dos recursos da BE pelos professores restringe-se a: Requisição pontual de obras de referência para ilustração de conteúdos; Requisição pontual de computadores para pesquisas rápidas durante o tempo lectivo; Consulta rápida de dicionários, durante um pequeno período da aula (o aluno sai da aula para ver o significado de uma palavra); Requisição de DVD, para uso nas aulas de substituição. Os alunos dirigem-se à BE, essencialmente, para: Visionar DVDs; Utilizar jogos didácticos; Fazer pesquisas (de imagens) nos computadores; Realizar trabalhos de casa. Os recursos da BE não são rentabilizados pelos docentes na sua prática lectiva. Os alunos não incorporam, no seu trabalho, qualquer processo de pesquisa ou de tratamento da informação. Por outro lado, os alunos, apesar de frequentarem a BE, nem sempre revelam comportamentos ou atitudes adequadas a um espaço que se pretende de informação e de formação. Identificação do objecto da avaliação Indicador de Processo A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação Indicador de Impacto A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. Objectivos A2.2. / A2.5. Consciencializar os docentes das valências da BE enquanto espaço de fomento de aprendizagens; Comprovar, junto dos docentes, que o trabalho colaborativo com a BE enriquece as suas práticas; Salientar o papel formativo da BE junto dos alunos, enquanto espaço de disponibilização das ferramentas adequados ao seu sucesso; Alertar os alunos para a indispensabilidade da adopção de comportamentos adequados no espaço da BE. Limitações A2.2 /A2.5. A consecução deste plano de avaliação não poderá contar com a participação de uma equipa da BE, apenas com a Professora Bibliotecária e os demais intervenientes (restantes docentes/alunos), uma vez que a equipa é quase inexistente; Os recursos informáticos na BE são obsoletos, não favorecendo uma explanação completa das mais-valias do seu uso; A cultura da escola vai no sentido de que a BE é um espaço onde os alunos têm oportunidade de desenvolver actividades de carácter predominantemente lúdico. Tipo de avaliação de medida a empreender Indicador de ProcessoA.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informaçãoFactores Críticos de SucessoA BE procede ao levantamento das competências transversais adequadas a cada ano de escolaridade;A BE promove a integração de um plano para a literacia da informação no Projecto Educativo de Agrupamento;A BE propõe um modelo de pesquisa de informação a ser usado pela escola;A BE estimula a inserção nas NAC do ensino e treino de competências da informação;A BE produz e divulga, em colaboração com os docentes, guiões de pesquisa e outros materiais de apoio ao trabalho de exploração dos recursos de informação pelos alunos;A BE participa, em cooperação com os docentes, nas actividades de ensino de competências de informação com turmas/grupos/alunos.Recolha de evidênciasPlano Anual de Actividades da BEProjecto Educativo de AgrupamentoRegistos de reuniõesMateriais de apoio produzidos e editadosIntervenientesProfessora BibliotecáriaDirectores de TurmaProfessores de Estudo Acompanhado e/ou Área de ProjectoCalendarização/ ProcedimentosPlanificação das actividades a realizar, de acordo com os problemas diagnosticados – Outubro;Reuniões com os docentes, nomeadamente os Directores de Turma, para apresentação das actividades planificadas – Novembro;Calendarização das actividades conjuntamente com os professores em cujas aulas as actividades serão realizadas (Estudo Acompanhado/Área de Projecto) – Novembro /Dezembro;Disponibilização de guiões de trabalho na BE para uso de professores com os alunos;Disponibilização de guiões de pesquisa para uso dos alunos;Apresentação do Modelo Plus às turmas, pela Professora Bibliotecária, nas NAC.Recolha de dados e análise das evidências - 2º período. Indicador de ProcessoA.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. Factores Críticos de SucessoOs alunos aplicam modalidades de trabalho diversificadas e realizam tarefas diferenciadas, de acordo com a estruturação espacial e funcional da BE;Os alunos estabelecem entre si um ambiente de confiança e de respeito mútuo, cumprindo normas de actuação, de convivência e de trabalho, inerentes ao sistema de organização e funcionamento da BE;Os alunos revelam valores de cooperação, autonomia e responsabilidade, conformes a uma aprendizagem autónoma, activa e colaborativa;Os alunos demonstram atitudes de curiosidade, iniciativa, criatividade e reflexão crítica, necessárias a uma aprendizagem baseada em recursos.Recolha de evidênciasObservação da utilização da BE (O1);Questionário aos professores (QP1) – 20% do número total de professores;Questionário aos alunos (QA1) – 10% do número de alunos em cada nível de escolaridade;Regimento da BE.Selecção dos instrumentos de recolha(restrição das questões e dos itens de observação)Observação da utilização da BE (O1)4- Localiza livros e outros recursos na biblioteca.12 – É autónomo e responsável, sem estar sempre a pedir ajuda, cumprindo prazos;13 – Trabalha individualmente, a pares, em grupo e colectivamente;14 – Ajuda e partilha ideias e conhecimentos com os outros colegas;15 – Assume um comportamento adequado na biblioteca, seguindo as orientações dos professores e as regras de utilização da biblioteca.Questionário aos professores (QP1)Na sua prática lectiva, promove a utilização da biblioteca nos trabalhos efectuados pelos alunos?Quando utilizam a BE, os seus alunos estão munidos das indicações sobre a tarefa a executar e de sugestões de bibliografia a consultar?Como classifica as suas competências pessoais para o uso autónomo da BE com os seus alunos?14 – Como classifica as suas competências para o uso autónomo da BE, por parte dos alunos?17 – Em que medida considera que a BE influencia, nos seus alunos, o desenvolvimento de valores e atitudes de convivência, iniciativa, cooperação e autonomia?Questionário aos alunos (QA1)9 – À medida que vais realizando mais trabalhos na BE, nas várias disciplinas, achas que os teus trabalhos de pesquisa vão melhorando e fazes progressos?10 – Como classificarias as tuas competências para o uso autónomo da BE?10.1. Competências para o uso dos serviços e equipamentos da BE10.2. Competências TIC10.3. Competências para a exploração dos diferentes recursos de informação11. O trabalho da BE contribui para que te vás sentindo mais seguro e confiante nas tarefas da pesquisa, consulta e produção de informação que tens de realizar?12- Consideras que o trabalho da BE exige de ti alguma capacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os teus colegas?13- Como avalias, em geral, o nível de aprendizagens que realizas na BE através do trabalho orientado que aí efectuas com os teus professores?IntervenientesProfessora Bibliotecária e professores que têm algumas horas do seu horário na BE;Professores das NACs e diferentes Departamentos;Alunos dos diferentes anos de escolaridade que frequentam a BE;Calendarização/ ProcedimentosReuniões com os docentes, nomeadamente os professores das Novas Áreas Curriculares Não Disciplinares, para apresentação do propósito e metodologias da avaliação;Divulgação dos instrumentos, junto dos professores, a serem utilizados para a recolha de evidências – início do segundo período;Calendarização da aplicação dos questionários – final do segundo período;Calendarização da aplicação da grelha de observação – terceiro período (início).Recolha e tratamento dos dados referentes à aplicação dos questionários e da grelha de observação – terceiro período. Análise e comunicação da informação Depois de recolhidos e tratados os dados, é altura de analisar, com eficácia, a informação recolhida. Para isso, é preciso ter em atenção os descritores apresentados no Modelo de Auto - Avaliação, que balizam o nível de desempenho da BE no sub - domínio avaliado. Os descritores retratam o tipo de performance da BE em cada um dos 4 níveis de desempenho – Fraco/ Satisfatório/ Bom /Excelente. Para que a BE se situe num determinado nível, deverá corresponder, no mínimo, aos descritores apresentados numa relação de 4/5, 5/6, 6/7, de acordo com o número de itens que o perfil de desempenho apresentar. NívelDescrição4- ExcelenteA BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.3- BomA BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.2- SatisfatórioA BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.FracoA BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. Depois de analisados os dados, resta comunicar os resultados à Comunidade Escolar. Esta comunicação é importante, uma vez que proporcionará uma análise colectiva e uma reflexão da escola sobre os resultados. Por outro lado, consciencializa as pessoas de que o seu comprometimento é essencial na delineação de um plano de melhoria, bem como na consecução do mesmo. A comunicação da informação deverá ser feita em Conselho Pedagógico e deverá ficar disponível, para consulta da Comunidade, na página da escola. Os resultados da avaliação deverão integrar o Relatório Final da Avaliação da Biblioteca Escolar, que, por sua vez, deverá integrar o Relatório de Auto-Avaliação do Agrupamento. 26 de Novembro de 2009 Ana Violante Agrupamento de Escolas da Freixianda