SlideShare uma empresa Scribd logo
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar Rede de Bibliotecas Escolares Outubro 2010
Conceito central A Biblioteca Escolar constitui um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.
Factores decisivos para o sucesso desta missão Níveis de colaboração entre o professor bibliotecário e os restantes docentes na identificação de recursos e no desenvolvimento de actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno. Acessibilidade e qualidade dos serviços prestados. Adequação da colecção e dos recursos tecnológicos.
Auto-avaliação da Biblioteca Escolar o impacto que as actividades realizadas pela e com a Biblioteca Escolar vão tendo no processo de ensino e na aprendizagem; É importante que cada escola conheça: o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados; o grau de satisfação dos utilizadores.
Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (BE) permite: contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE; determinar até que ponto a missão e os objectivos para a BE estão ou não a ser alcançados; identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar; identificar pontos fracos que importa melhorar.
Ideias-chave que presidem à construção deste modelo e perspectivas de aplicação Noção de valor – é importante a existência de uma BE agradável e bem apetrechada, no entanto, a esse facto deve estar associada uma utilização consequente capaz de produzir resultados que contribuam para os objectivos da escola em que se insere. Pretende-se avaliar a qualidade e eficácia da BE como um processo pedagógico e regulador. Utilização flexível com adaptação à realidade de cada escola e de cada BE. Aplicação exequível e facilmente integrável nas práticas de gestão da equipa da BE.
DOMÍNIOS E SUBDOMÍNIOS OBJECTO DE AVALIAÇÃO A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes A2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular C2. Projectos e parcerias D. Gestão da Biblioteca Escolar D1. Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D3. Gestão da colecção/ da informação
Cada domínio é apresentado num quadro como o do exemplo seguinte: Reforçar a cooperação e o diálogo com todos os docentes. Aumentar o nível de formação dos elementos da equipa da BE. Incluir na equipa da BE elementos provenientes de áreas disciplinares variadas ou com formações diferenciadas. Produzir e partilhar materiais utilizados noutras escolas e BE. Melhorar a apresentação e os conteúdos e diversificar a forma de difusão dos materiais produzidos. Plano de actividades da BE. Registos de reuniões/ contactos. Registos de projectos/ actividades. Materiais de apoio produzidos e editados. Questionário aos docentes (QD1). O plano de actividades da BE inclui actividades de apoio curricular a turmas/ grupos/ alunos. A equipa da BE auxilia no acompanhamento de grupos/ turmas/ alunos em trabalho orientado na BE. A equipa da BE participa com os docentes em actividades de sala de aula, quando acordado. A utilização da BE é rentabilizada pelos docentes em actividades de educação/ ensino, e de apoio com os alunos, desenvolvidas em parceria com a BE ou de forma autónoma. A BE produz ou colabora com os docentes na elaboração de materiais pedagógicos: sítios  Web ,  Webquests , guiões de pesquisa, orientadores de leitura, maletas pedagógicas, dossiês temáticos, fichas de trabalho e outros ... A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no espaço da BE ou tendo por base os seus recursos Acções para a melhoria/ exemplos Evidências Factores críticos de sucesso Indicadores
PERFIS DE DESEMPENHO A avaliação realizada vai articular-se, em cada domínio/ subdomínio, com os  perfis de desempenho  que caracterizam o que se espera da BE. Note-se que, na maioria dos casos, esse desempenho não depende da acção isolada da própria BE, estando envolvidos outros actores, como os órgãos de administraçãoe gestão e os docentes em geral, pelo que  a avaliação da BE acaba por envolver e implicar toda a escola/ agrupamento . Para caracterizar os perfis de desempenho é utilizada uma  escala de quatro níveis  que apresentam os seguintes  descritores : A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. 1 A BE começou a desenvolver trabalhoneste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 2 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio, mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. 3 A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo. 4 Descrição Nível
RECOMENDAÇÕES A avaliação, como instrumento de melhoria da qualidade, não constitui um fim, devendo conduzir à reflexão e originar mudanças concretas na prática. A avaliação deverá contribuir para a elaboração de um plano de desenvolvimento, ao possibilitar a identificação mais clara dos pontos fracos e fortes, orientando para o estabelecimento de objectivos e prioridades de acordo com uma perspectiva realista face à BE e ao contexto em que ela se insere. Este plano deve instituir-se como um compromisso da escola, na sua globalidade, já que um melhor desempenho da BE irá beneficiar o trabalho de todos, docentes e alunos.
METODOLOGIA DE APLICAÇÃO DO MODELO Selecção do domínio:  será objecto de avaliação um domínio por ano de forma a que ao fim de quatro anos todos os domínios tenham sido avaliados. Recolha de evidências:  há conveniência em implementar alguns procedimentos regulares (determinado tipo de registos) que auxiliem o processo. Identificação do perfil de desempenho:  no sentido de verificar qual é o nível em que a BE se situa. Registo da auto-avaliação:  os resultados serão reportados no relatório de auto-avaliação, onde deverão, também, ser assinaladas as acções consideradas necessárias para a melhoria.
DOMÍNIO SELECCIONADO A selecção, em cada ano, de um domínio para ser objecto de avaliação representará um investimento mais significativo nesse domínio, no sentido de procurar aferir, de forma sistemática e objectiva, os resultados efectivos do trabalho desenvolvido. No entanto, o trabalho e a acção educativa da BE efectivam-se, também em cada ano, nos quatro domínios.
RESULTADOS DA AVALIAÇÃO A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade Assim... Os resultados obtidos no processo de auto-avaliação devem ser objecto de análise colectiva e de reflexão na escola e originar a implementação de medidas adequadas aos resultados obtidos.  Devem ser identificados os pontos fortes e os pontos fracos no trabalho realizado em cada um dos domínios da BE.
RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO É elaborado com recurso a uma aplicação informática disponibilizada pela Rede de Bibliotecas Escolares. Descreve os resultados da auto-avaliação. Delineia o conjunto de acções a ter em conta no planeamento de actuações futuras a desenvolver. Deve assumir-se como instrumento de sistematização e de difusão de resultados a ser apresentado junto dos órgãos de gestão e de decisão pedagógica. Deve originar uma súmula que será integrada no relatório para a avaliação externa da escola.
DOMÍNIO SELECCIONADO PARA 2010/2011 A selecção do domínio teve em atenção a reflexão levada a cabo nas diversas estruturas pedagógicas do agrupamento e na recomendação que o Conselho Pedagógico deixou expressa ao validar o relatório de auto-avaliação da BE do ano lectivo anterior:   “O Conselho Pedagógico reforçou a ideia de que a BE é um recurso efectivo com que todos os docentes deverão contar na sua prática pedagógica.” A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes A2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital
Escola EB23 da Costa da Caparica A professora bibliotecária Fátima Pedro Novembro de 2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo Auto Av BE
Modelo Auto Av BEModelo Auto Av BE
Modelo Auto Av BE
lmac69
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
mjoaocaldeira
 
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CPApresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
ESCascais
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Be Carrazeda
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
Teresa Gonçalves
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
MLurdesAlmeida
 
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno TavaresTrabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
gueste04715
 
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1000a
 
Powerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop FormativoPowerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop Formativo
Lucas Fernando
 
Dominio A
Dominio ADominio A
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
beloule
 
Bibliotecas e literacias
Bibliotecas e literaciasBibliotecas e literacias
Bibliotecas e literacias
rukka
 
Auto AvaliaçãO Da SessãO
Auto AvaliaçãO Da SessãOAuto AvaliaçãO Da SessãO
Auto AvaliaçãO Da SessãO
guesta59717
 
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
rbento
 
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara MarApres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
biblosblogue
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Maria Da Graça Gonçalves
 

Mais procurados (16)

Modelo Auto Av BE
Modelo Auto Av BEModelo Auto Av BE
Modelo Auto Av BE
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CPApresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be CarrazedaModelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno TavaresTrabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
 
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
 
Powerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop FormativoPowerpoint Workshop Formativo
Powerpoint Workshop Formativo
 
Dominio A
Dominio ADominio A
Dominio A
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
Bibliotecas e literacias
Bibliotecas e literaciasBibliotecas e literacias
Bibliotecas e literacias
 
Auto AvaliaçãO Da SessãO
Auto AvaliaçãO Da SessãOAuto AvaliaçãO Da SessãO
Auto AvaliaçãO Da SessãO
 
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
 
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara MarApres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
Apres Mod Aval Cp Agrup Gandara Mar
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
 

Destaque

Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
Consuelo Becerra
 
Que es e_twinning_madrid_julio
Que es e_twinning_madrid_julioQue es e_twinning_madrid_julio
Que es e_twinning_madrid_julio
eTwinning España
 
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
alejandroserraochoa
 
I colaboración europea portales y registro
I colaboración europea  portales y registroI colaboración europea  portales y registro
I colaboración europea portales y registro
Alicia López Palomera
 
eTwinning Presentación Proyecto
eTwinning Presentación ProyectoeTwinning Presentación Proyecto
eTwinning Presentación Proyecto
rcampillo49
 
A Cidade e suas especificidades
A Cidade e suas especificidadesA Cidade e suas especificidades
A Cidade e suas especificidades
Marcio Lourenço
 
Presentación cole para proyecto etwinning i read you draw
Presentación cole para proyecto etwinning i read you drawPresentación cole para proyecto etwinning i read you draw
Presentación cole para proyecto etwinning i read you draw
EstherMeseguer
 
E twinning y fp m isabel vila23-06-16
E twinning y fp m isabel vila23-06-16E twinning y fp m isabel vila23-06-16
E twinning y fp m isabel vila23-06-16
Maria Figueroa
 
2 A Cidade
2  A Cidade2  A Cidade
2 A Cidade
Ana Cunha
 
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europeaTu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
Alicia López Palomera
 
Presentacion proyectos etwinning
Presentacion proyectos etwinning Presentacion proyectos etwinning
Presentacion proyectos etwinning
Verónica
 
Etwinning
EtwinningEtwinning
Etwinning
elenavise
 

Destaque (12)

Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
Plataforma educativa innovacion en el colegio de nuestra señora del pilar cha...
 
Que es e_twinning_madrid_julio
Que es e_twinning_madrid_julioQue es e_twinning_madrid_julio
Que es e_twinning_madrid_julio
 
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
PRESENTACIÓN COLE 1974-85 (4ª PARTE)
 
I colaboración europea portales y registro
I colaboración europea  portales y registroI colaboración europea  portales y registro
I colaboración europea portales y registro
 
eTwinning Presentación Proyecto
eTwinning Presentación ProyectoeTwinning Presentación Proyecto
eTwinning Presentación Proyecto
 
A Cidade e suas especificidades
A Cidade e suas especificidadesA Cidade e suas especificidades
A Cidade e suas especificidades
 
Presentación cole para proyecto etwinning i read you draw
Presentación cole para proyecto etwinning i read you drawPresentación cole para proyecto etwinning i read you draw
Presentación cole para proyecto etwinning i read you draw
 
E twinning y fp m isabel vila23-06-16
E twinning y fp m isabel vila23-06-16E twinning y fp m isabel vila23-06-16
E twinning y fp m isabel vila23-06-16
 
2 A Cidade
2  A Cidade2  A Cidade
2 A Cidade
 
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europeaTu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
Tu aula se abre: diseños eTwinning en clave europea
 
Presentacion proyectos etwinning
Presentacion proyectos etwinning Presentacion proyectos etwinning
Presentacion proyectos etwinning
 
Etwinning
EtwinningEtwinning
Etwinning
 

Semelhante a Apresentação mabe fátima pedro enviada

Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
lurdesilva
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
NoemiaMaria
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
guestf38751
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
bibliotecaescolarsalazar
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
alcinasousa
 
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
guest36ad53
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
Margarida Mota
 
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_DBE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
Julieta Silva
 
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
Bibliotecajac
 
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico ZéModelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
mizedomingues
 
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
isabelborges1962
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
Ana Arminda Moreira
 
MAABE: Domínio D beflg
MAABE: Domínio D beflgMAABE: Domínio D beflg
MAABE: Domínio D beflg
paulafernandadiogo
 
Workshop Ppt
Workshop PptWorkshop Ppt
Workshop Ppt
Fernanda Gonçalves
 
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho finalMaabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
oliviaqueiroz4
 
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Biblioteca Quinta das Flores
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Maria Da Graça Gonçalves
 
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas EscolaresModelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
mizedomingues
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
mjoaocaldeira
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
beloule
 

Semelhante a Apresentação mabe fátima pedro enviada (20)

Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o pa...
 
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
IntegraçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Na Escola Tarefa 1 Sessao3
 
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_DBE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D
 
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
Tabela para o_trabalho_2_sessao_3
 
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico ZéModelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
Modelo AutoavaliaçãO No PedagóGico Zé
 
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
 
6º Tarefa 3
6º   Tarefa 36º   Tarefa 3
6º Tarefa 3
 
MAABE: Domínio D beflg
MAABE: Domínio D beflgMAABE: Domínio D beflg
MAABE: Domínio D beflg
 
Workshop Ppt
Workshop PptWorkshop Ppt
Workshop Ppt
 
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho finalMaabe   problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final
 
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
 
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas EscolaresModelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
Modelo Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 

Mais de Fatimapedro

Conto eu
Conto euConto eu
Conto eu
Fatimapedro
 
O natal das bruxas
O natal das bruxasO natal das bruxas
O natal das bruxas
Fatimapedro
 
Feira do livro
Feira do livroFeira do livro
Feira do livro
Fatimapedro
 
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedroAuto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
Fatimapedro
 
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedroAuto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
Fatimapedro
 
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedroAuto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
Fatimapedro
 
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
Fatimapedro
 
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedroAuto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
Fatimapedro
 
Reflexão crítica fátima pedro
Reflexão crítica   fátima pedroReflexão crítica   fátima pedro
Reflexão crítica fátima pedro
Fatimapedro
 

Mais de Fatimapedro (10)

Conto eu
Conto euConto eu
Conto eu
 
As mães magali
As mães   magaliAs mães   magali
As mães magali
 
O natal das bruxas
O natal das bruxasO natal das bruxas
O natal das bruxas
 
Feira do livro
Feira do livroFeira do livro
Feira do livro
 
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedroAuto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 3ª actividade - fátima pedro
 
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedroAuto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
Auto avaliação - 2ª actividade - fátima pedro
 
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedroAuto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
Auto avaliação 4ª e 5ª sessões fátima pedro
 
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
1ª actividade auto avaliação - fatima pedro
 
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedroAuto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
Auto avaliação - 6ª sessão online - fátima pedro
 
Reflexão crítica fátima pedro
Reflexão crítica   fátima pedroReflexão crítica   fátima pedro
Reflexão crítica fátima pedro
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 

Apresentação mabe fátima pedro enviada

  • 1. Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar Rede de Bibliotecas Escolares Outubro 2010
  • 2. Conceito central A Biblioteca Escolar constitui um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.
  • 3. Factores decisivos para o sucesso desta missão Níveis de colaboração entre o professor bibliotecário e os restantes docentes na identificação de recursos e no desenvolvimento de actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno. Acessibilidade e qualidade dos serviços prestados. Adequação da colecção e dos recursos tecnológicos.
  • 4. Auto-avaliação da Biblioteca Escolar o impacto que as actividades realizadas pela e com a Biblioteca Escolar vão tendo no processo de ensino e na aprendizagem; É importante que cada escola conheça: o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados; o grau de satisfação dos utilizadores.
  • 5. Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (BE) permite: contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE; determinar até que ponto a missão e os objectivos para a BE estão ou não a ser alcançados; identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar; identificar pontos fracos que importa melhorar.
  • 6. Ideias-chave que presidem à construção deste modelo e perspectivas de aplicação Noção de valor – é importante a existência de uma BE agradável e bem apetrechada, no entanto, a esse facto deve estar associada uma utilização consequente capaz de produzir resultados que contribuam para os objectivos da escola em que se insere. Pretende-se avaliar a qualidade e eficácia da BE como um processo pedagógico e regulador. Utilização flexível com adaptação à realidade de cada escola e de cada BE. Aplicação exequível e facilmente integrável nas práticas de gestão da equipa da BE.
  • 7. DOMÍNIOS E SUBDOMÍNIOS OBJECTO DE AVALIAÇÃO A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes A2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular C2. Projectos e parcerias D. Gestão da Biblioteca Escolar D1. Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D3. Gestão da colecção/ da informação
  • 8. Cada domínio é apresentado num quadro como o do exemplo seguinte: Reforçar a cooperação e o diálogo com todos os docentes. Aumentar o nível de formação dos elementos da equipa da BE. Incluir na equipa da BE elementos provenientes de áreas disciplinares variadas ou com formações diferenciadas. Produzir e partilhar materiais utilizados noutras escolas e BE. Melhorar a apresentação e os conteúdos e diversificar a forma de difusão dos materiais produzidos. Plano de actividades da BE. Registos de reuniões/ contactos. Registos de projectos/ actividades. Materiais de apoio produzidos e editados. Questionário aos docentes (QD1). O plano de actividades da BE inclui actividades de apoio curricular a turmas/ grupos/ alunos. A equipa da BE auxilia no acompanhamento de grupos/ turmas/ alunos em trabalho orientado na BE. A equipa da BE participa com os docentes em actividades de sala de aula, quando acordado. A utilização da BE é rentabilizada pelos docentes em actividades de educação/ ensino, e de apoio com os alunos, desenvolvidas em parceria com a BE ou de forma autónoma. A BE produz ou colabora com os docentes na elaboração de materiais pedagógicos: sítios Web , Webquests , guiões de pesquisa, orientadores de leitura, maletas pedagógicas, dossiês temáticos, fichas de trabalho e outros ... A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no espaço da BE ou tendo por base os seus recursos Acções para a melhoria/ exemplos Evidências Factores críticos de sucesso Indicadores
  • 9. PERFIS DE DESEMPENHO A avaliação realizada vai articular-se, em cada domínio/ subdomínio, com os perfis de desempenho que caracterizam o que se espera da BE. Note-se que, na maioria dos casos, esse desempenho não depende da acção isolada da própria BE, estando envolvidos outros actores, como os órgãos de administraçãoe gestão e os docentes em geral, pelo que a avaliação da BE acaba por envolver e implicar toda a escola/ agrupamento . Para caracterizar os perfis de desempenho é utilizada uma escala de quatro níveis que apresentam os seguintes descritores : A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. 1 A BE começou a desenvolver trabalhoneste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 2 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio, mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. 3 A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo. 4 Descrição Nível
  • 10. RECOMENDAÇÕES A avaliação, como instrumento de melhoria da qualidade, não constitui um fim, devendo conduzir à reflexão e originar mudanças concretas na prática. A avaliação deverá contribuir para a elaboração de um plano de desenvolvimento, ao possibilitar a identificação mais clara dos pontos fracos e fortes, orientando para o estabelecimento de objectivos e prioridades de acordo com uma perspectiva realista face à BE e ao contexto em que ela se insere. Este plano deve instituir-se como um compromisso da escola, na sua globalidade, já que um melhor desempenho da BE irá beneficiar o trabalho de todos, docentes e alunos.
  • 11. METODOLOGIA DE APLICAÇÃO DO MODELO Selecção do domínio: será objecto de avaliação um domínio por ano de forma a que ao fim de quatro anos todos os domínios tenham sido avaliados. Recolha de evidências: há conveniência em implementar alguns procedimentos regulares (determinado tipo de registos) que auxiliem o processo. Identificação do perfil de desempenho: no sentido de verificar qual é o nível em que a BE se situa. Registo da auto-avaliação: os resultados serão reportados no relatório de auto-avaliação, onde deverão, também, ser assinaladas as acções consideradas necessárias para a melhoria.
  • 12. DOMÍNIO SELECCIONADO A selecção, em cada ano, de um domínio para ser objecto de avaliação representará um investimento mais significativo nesse domínio, no sentido de procurar aferir, de forma sistemática e objectiva, os resultados efectivos do trabalho desenvolvido. No entanto, o trabalho e a acção educativa da BE efectivam-se, também em cada ano, nos quatro domínios.
  • 13. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade Assim... Os resultados obtidos no processo de auto-avaliação devem ser objecto de análise colectiva e de reflexão na escola e originar a implementação de medidas adequadas aos resultados obtidos. Devem ser identificados os pontos fortes e os pontos fracos no trabalho realizado em cada um dos domínios da BE.
  • 14. RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO É elaborado com recurso a uma aplicação informática disponibilizada pela Rede de Bibliotecas Escolares. Descreve os resultados da auto-avaliação. Delineia o conjunto de acções a ter em conta no planeamento de actuações futuras a desenvolver. Deve assumir-se como instrumento de sistematização e de difusão de resultados a ser apresentado junto dos órgãos de gestão e de decisão pedagógica. Deve originar uma súmula que será integrada no relatório para a avaliação externa da escola.
  • 15. DOMÍNIO SELECCIONADO PARA 2010/2011 A selecção do domínio teve em atenção a reflexão levada a cabo nas diversas estruturas pedagógicas do agrupamento e na recomendação que o Conselho Pedagógico deixou expressa ao validar o relatório de auto-avaliação da BE do ano lectivo anterior: “O Conselho Pedagógico reforçou a ideia de que a BE é um recurso efectivo com que todos os docentes deverão contar na sua prática pedagógica.” A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes A2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital
  • 16. Escola EB23 da Costa da Caparica A professora bibliotecária Fátima Pedro Novembro de 2010