SlideShare uma empresa Scribd logo
Conhecer, participar, ver, criar _ Sentidos com Futuro
                                                   JMA
                                                 (e GT)
   Saudação e esperança
   Reconhecimento e Gratidão (a todos os que
    acreditaram – e acreditam – a todos os que
    livremente quiseram, a todos os que se
    comprometeram a construir uma melhor
    educação e formação em Gondomar; e a
    todos os que vão querer ser AUTORES…)
   Confiança (nas inteligências dos
    gondomarenses, nas inteligências das
    organizações, nas capacidades de
    aprendizagem, nas possibilidades de
    ativarmos um trabalho de redes…)
   Repetindo(me) e citando António Nóvoa:
    Que fazer? Minha resposta é simples: mudar
    de posição e mudar de perspetiva. Mudar de
    posição: em vez de chamar para nós a
    responsabilidade, colocarmo-nos num
    espaço de redes (culturais, familiares, sociais)
    que construa novos compromissos em torno
    da educação.
   É preciso responsabilizar a sociedade pela
    escola. Mudar de perspetiva: em vez da
    escola fechada, baseada num modelo arcaico,
    imaginar nossa ação como elemento de um
    novo espaço público de educação. É tempo
    de pôr a "sociedade a serviço da escola" em
    vez da "escola a serviço da sociedade" (Albert
    Jacquard)
4teses subliminares
ao PEM
   “É preciso toda uma aldeia para educar uma
    criança” – a importância do território, dos
    atores, das interações para que a educação
    seja eficaz nas suas múltiplas promessas…
   Visão
   Sentido
   Re_ligação
   Integração
   Implicação
   Criação e autoria
   Liberdade
   Responsabilidade
Das vontades individuais
Da vontade coletiva
Da conjugação de vontades,
 saberes e recursos
   ..apresentaçõesApresentações
    pptLauraEsquivel_A caixa de fósforos.pptx
   Porque o todo é mais do que a soma das
    partes
   Mas também porque não há todo sem partes
   Comunicação
   Alianças
   Soma positiva
1)O que nos singulariza, o que
 nos marca, o que nos
 distingue, o que nos unifica? (
 O PEM como dinâmica de
 afirmação de uma identidade –
 o que somos, onde estamos –
 dados e perceções)
2)O que nos potencia, o que pode
 promover e alavancar um
 desenvolvimento articulado e
 sustentado? ( O PEM como fator
 de desenvolvimento de um
 território _ o que queremos, onde
 queremos chegar…)
3) O que nos mobiliza e anima, o
 que faz agir, em termos pessoais
 e institucionais? (O PEM como
 elemento inspirador e catalisador
 da ação – ativação das vontades
 individuais e coletivas intra e
 inter…)
4) Qual a mais valia, o que vem
 acrescentar aos projetos
 educativos já existentes,
 nomeadamente nas escolas e
 agrupamentos? (O PEM como
 vantagem percecionada)
5)O que pode regular e inspirar as
 ações das partes e do todo? (O
 PEM como instrumento de
 monitorização, regulação,
 avaliação formativa)
   1. Princípio da Participação/Implicação
   2. Princípio do Diálogo
   3. Princípio de Integração e Articulação
   4. Princípio da Equidade/Valorização das
    Pessoas e das Instituições
   5. Princípio da Utilidade/Orientação-Acção
   6. Princípio da Consequência e da
    Monitorização
   7. Princípio de Comprometimento e da
    Sustentabilidade
   Alargada coleta de dados através da análise
    de conteúdo, inquérito por questionário
    (administração direta e indireta), audições.
> Ver o que se não vê (no território, nas
 instituições, nas organizações…)

> Ativar e federar as dinâmicas de
 aprendizagem social

>Elevar os níveis de qualidade das práticas
Pedagógicas em contexto de sala de aula

>Promover o Valor do Conhecimento
   O PEM enumera uma alargada série de
    programas e projetos em curso no município.
    Gerados em tempos diferentes e possuindo
    finalidades, naturezas e dinâmicas
    específicas, seria talvez oportuno fazer uma
    avaliação participada das suas qualidades, do
    seu potencial educativo e formativo. Espero
    que este debate público dê um contributo
    para este conhecimento.
    Escolher alguns para ilustrar as dinâmicas
    em curso seria certamente injusto. Sinalizo,
    apenas, a necessidade de uma maior partilha
    das práticas educativas a nível municipal para
    que permita mais conhecimento e
    aprendizagem – a vantagem de construir
    estes dispositivos de partilha.
   1. Melhorar a rede educativa
   2. Promover o sucesso educativo
   3. Prevenir e Combater o Abandono Escolar e
    a Exclusão Social
   4. Educação Sustentável, Ambiente, Saúde e
    Segurança
   5. Consciencializar para a importância de
    uma cidadania inclusiva

6. Promover a elevação dos níveis de
 qualificação de base da população adulta

   7. Fomentar a Formação Continua
   1.1. Projeto “O que de melhor se faz na
    educação e formação em Gondomar”
   1.2. Divulgação dos Projetos Educativos de
    Escola
   1.3. Ciclo de Debates
   1.4. Projeto “CORE - Compromisso de
    Renovação da Educação”
Este projeto será transversal ao serviço das
  instituições educativas e formativas de
  Gondomar.
Funcionara como uma linha aberta de apoio ao
  desenvolvimento de projetos escolares de
  promoção de mais sucesso escolar dos/as
  alunos/as do município. Para tal, serão definidas
  Metas Concelhias a alcançar em 2015, para os
  Resultados das Provas de Aferição e dos Exames
  Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática, da
  Taxa de Repetência por ciclo de escolaridade e
  da Taxa de Desistência aos 14, 15 e 16 anos.
   1.11. Mediação de Estágios para Jovens em
    Formação
   1.12. Divulgação de formas de criação do
    próprio emprego
   1.13. Concurso sobre a melhor ideia
    empreendedora
   1.14. Criação de formação para futuros
    empresários
   Previsto um observatório que monitorize a
    concretização do PEM e sirva de dispositivo
    de avaliação e melhoria. Mas pode ser
    sensato pensar, sobretudo, num processo de
    articulação, formação na ação e dinamização.
   A clarificação das metas
   O estabelecimento de parcerias e protocolos
    a priori
   A especificação de alguns projetos mais
    emblemáticos e eficazes para a renovação da
    ação…
   A alavancagem a partir de boas práticas já
    existentes
   Maior focalização no essencial (elevação das
    aprendizagens)
   1º passo
   Apelo à participação criadora
   Imaginar novas formas de assumir e praticar
    as políticas educativas e formativas
   O vivo agradecimento prévio de todos os
    contributos
   O tesouro
 “Se   todos nós fizéssemos as
    coisas de que somos capazes,
    ficaríamos espantados connosco
    mesmos” (Edison)


   Obrigado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura digital
Cultura digitalCultura digital
Cultura digital
Alessandro Maia
 
Apresentando ppp completa abr10
Apresentando ppp completa abr10Apresentando ppp completa abr10
Apresentando ppp completa abr10
vanessacultura
 
Empresas Responsabilidade Social Educação
Empresas Responsabilidade Social EducaçãoEmpresas Responsabilidade Social Educação
Empresas Responsabilidade Social Educação
Isabella Aragão Araújo
 
As comunidades de aprendizagens e o novo papel
As comunidades de aprendizagens e o novo papelAs comunidades de aprendizagens e o novo papel
As comunidades de aprendizagens e o novo papel
japquimica
 
Relatório ICom 2014
Relatório ICom 2014Relatório ICom 2014
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
Dianova
 
Cultura digital
Cultura digitalCultura digital
Cultura digital
TecaAdri
 
Sumário infoAnimar
Sumário infoAnimarSumário infoAnimar
Sumário infoAnimar
sijo33
 
Formação para os Professores - Protagonismo
Formação para os Professores - ProtagonismoFormação para os Professores - Protagonismo
Formação para os Professores - Protagonismo
SandraRombi
 
Formação para os professores educação interdimensional
Formação para os professores educação interdimensionalFormação para os professores educação interdimensional
Formação para os professores educação interdimensional
SandraRombi
 
Projeto
ProjetoProjeto
Rede social colaborativa antonio prado, eva e maria de jesus
Rede social colaborativa   antonio prado, eva e maria de jesusRede social colaborativa   antonio prado, eva e maria de jesus
Rede social colaborativa antonio prado, eva e maria de jesus
Eva Nunes Ferreira
 
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
Eliane Ciolfi
 
Educacao360
Educacao360Educacao360
Educacao360
Melyssa Queiroz
 
Helena Thomé - Mobilização de Recursos
Helena Thomé - Mobilização de RecursosHelena Thomé - Mobilização de Recursos
Helena Thomé - Mobilização de Recursos
Portal Social
 
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
Vocação
 
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FTMódulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
Portal Voluntários Online
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
TainaCarvalho
 

Mais procurados (18)

Cultura digital
Cultura digitalCultura digital
Cultura digital
 
Apresentando ppp completa abr10
Apresentando ppp completa abr10Apresentando ppp completa abr10
Apresentando ppp completa abr10
 
Empresas Responsabilidade Social Educação
Empresas Responsabilidade Social EducaçãoEmpresas Responsabilidade Social Educação
Empresas Responsabilidade Social Educação
 
As comunidades de aprendizagens e o novo papel
As comunidades de aprendizagens e o novo papelAs comunidades de aprendizagens e o novo papel
As comunidades de aprendizagens e o novo papel
 
Relatório ICom 2014
Relatório ICom 2014Relatório ICom 2014
Relatório ICom 2014
 
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
Projecto educacao é melhor prevencao Financiadores 2010
 
Cultura digital
Cultura digitalCultura digital
Cultura digital
 
Sumário infoAnimar
Sumário infoAnimarSumário infoAnimar
Sumário infoAnimar
 
Formação para os Professores - Protagonismo
Formação para os Professores - ProtagonismoFormação para os Professores - Protagonismo
Formação para os Professores - Protagonismo
 
Formação para os professores educação interdimensional
Formação para os professores educação interdimensionalFormação para os professores educação interdimensional
Formação para os professores educação interdimensional
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
 
Rede social colaborativa antonio prado, eva e maria de jesus
Rede social colaborativa   antonio prado, eva e maria de jesusRede social colaborativa   antonio prado, eva e maria de jesus
Rede social colaborativa antonio prado, eva e maria de jesus
 
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
Artigo Uso das comunidades virtuais de prática na formação continuada dos pro...
 
Educacao360
Educacao360Educacao360
Educacao360
 
Helena Thomé - Mobilização de Recursos
Helena Thomé - Mobilização de RecursosHelena Thomé - Mobilização de Recursos
Helena Thomé - Mobilização de Recursos
 
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
Livro "O Jovem e Seu Projeto de Vida"
 
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FTMódulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
Módulo 2 - Capacitação para ONGs - Voluntariado Online FT
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 

Destaque

Importancia de las tics para mipes
Importancia de las tics para mipesImportancia de las tics para mipes
Importancia de las tics para mipes
juanitavelez
 
Venda con beneficios
Venda con beneficiosVenda con beneficios
Venda con beneficios
juanitavelez
 
Aindatomaremosumcafejuntos
AindatomaremosumcafejuntosAindatomaremosumcafejuntos
Aindatomaremosumcafejuntos
José Matias Alves
 
Resumen tema 3 carolina
Resumen tema 3 carolinaResumen tema 3 carolina
Resumen tema 3 carolina
Carolina
 
Diaggantaleja
DiaggantalejaDiaggantaleja
Diaggantaleja
moniquita1981
 
Fotos premiadas 4
Fotos premiadas 4Fotos premiadas 4
Fotos premiadas 4
Juan Carlos Fernandez
 
Pensoes ap-superiores-sp[1]
Pensoes ap-superiores-sp[1]Pensoes ap-superiores-sp[1]
Pensoes ap-superiores-sp[1]
José Matias Alves
 
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTESCapacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
sheilaberdugo
 
Faxinanaalma
FaxinanaalmaFaxinanaalma
Faxinanaalma
Alex Matos
 
João Paulo II - Monografia
João Paulo II - MonografiaJoão Paulo II - Monografia
João Paulo II - Monografia
Flor Martha S. Ferreira
 
Material de laboratorio2
Material de laboratorio2Material de laboratorio2
Material de laboratorio2
Álvaro Rodríguez del Corro
 
Jornal digitalfenix002
Jornal digitalfenix002Jornal digitalfenix002
Jornal digitalfenix002
José Matias Alves
 
Ppt escrita como aprenden los seres humanos
Ppt escrita como aprenden los seres humanosPpt escrita como aprenden los seres humanos
Ppt escrita como aprenden los seres humanos
Carolina
 
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControlIntegração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
Diego Tremper
 
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
José Matias Alves
 
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
uzzi
 
Areas
AreasAreas
Areas
Lisi Salas
 
Ángulos
ÁngulosÁngulos
Ángulos
Galletika
 
El corazón
El corazónEl corazón
Prepositions
PrepositionsPrepositions
Prepositions
Terra Londres
 

Destaque (20)

Importancia de las tics para mipes
Importancia de las tics para mipesImportancia de las tics para mipes
Importancia de las tics para mipes
 
Venda con beneficios
Venda con beneficiosVenda con beneficios
Venda con beneficios
 
Aindatomaremosumcafejuntos
AindatomaremosumcafejuntosAindatomaremosumcafejuntos
Aindatomaremosumcafejuntos
 
Resumen tema 3 carolina
Resumen tema 3 carolinaResumen tema 3 carolina
Resumen tema 3 carolina
 
Diaggantaleja
DiaggantalejaDiaggantaleja
Diaggantaleja
 
Fotos premiadas 4
Fotos premiadas 4Fotos premiadas 4
Fotos premiadas 4
 
Pensoes ap-superiores-sp[1]
Pensoes ap-superiores-sp[1]Pensoes ap-superiores-sp[1]
Pensoes ap-superiores-sp[1]
 
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTESCapacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
Capacitación FIDELIZACIÓN CLIENTES
 
Faxinanaalma
FaxinanaalmaFaxinanaalma
Faxinanaalma
 
João Paulo II - Monografia
João Paulo II - MonografiaJoão Paulo II - Monografia
João Paulo II - Monografia
 
Material de laboratorio2
Material de laboratorio2Material de laboratorio2
Material de laboratorio2
 
Jornal digitalfenix002
Jornal digitalfenix002Jornal digitalfenix002
Jornal digitalfenix002
 
Ppt escrita como aprenden los seres humanos
Ppt escrita como aprenden los seres humanosPpt escrita como aprenden los seres humanos
Ppt escrita como aprenden los seres humanos
 
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControlIntegração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
Integração Contínua com Cruise Control e phpUnderControl
 
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
Edelmantrustbarometer2011 portugalvsworld-110217063057-phpapp02
 
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
Captulo42 emergenciaspormaterialespeligrosos-091215032903-phpapp01
 
Areas
AreasAreas
Areas
 
Ángulos
ÁngulosÁngulos
Ángulos
 
El corazón
El corazónEl corazón
El corazón
 
Prepositions
PrepositionsPrepositions
Prepositions
 

Semelhante a Pem Gondomar

Projeto foresti
Projeto forestiProjeto foresti
Projeto foresti
SRSROSSETO
 
@rca2010
@rca2010@rca2010
@rca2010
Henrique Santos
 
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
CIDAADS
 
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdfProjeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
peixept
 
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
IvanDias28
 
Gestão escolar .pptx
Gestão escolar .pptxGestão escolar .pptx
Gestão escolar .pptx
GilmarBrezolini
 
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocpropostaIzabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
Apresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundoApresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundo
janiteacher Simoes
 
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
Instituto Unibanco
 
Como compreender os elementos que fundamentam a concepção do Estudo Orientado?
Como compreender os elementos  que fundamentam a concepção do  Estudo Orientado?Como compreender os elementos  que fundamentam a concepção do  Estudo Orientado?
Como compreender os elementos que fundamentam a concepção do Estudo Orientado?
PanteraNegra21
 
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdfcarderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
CleyberFernandoLimaP
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Neli Maria Mengalli
 
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdfEducao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
Nadsongeohistory1
 
Congresso apres. wildete inovações e ppp
Congresso apres. wildete inovações e pppCongresso apres. wildete inovações e ppp
Congresso apres. wildete inovações e ppp
Wildete Silva
 
Slideaula eldi
Slideaula eldiSlideaula eldi
Slideaula eldi
eldiparise
 
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comumUniversidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng.
 
Entrevista ao Jornal Pangeia
Entrevista ao Jornal PangeiaEntrevista ao Jornal Pangeia
Entrevista ao Jornal Pangeia
Henrique Santos
 
Acompanhamento pedagogico
Acompanhamento pedagogicoAcompanhamento pedagogico
Acompanhamento pedagogico
EducacaoIntegralPTC
 
Projeto educativo0001
Projeto educativo0001Projeto educativo0001
Projeto educativo0001
José Matias Alves
 
Prática: Fórum de Diretores
Prática: Fórum de DiretoresPrática: Fórum de Diretores
Prática: Fórum de Diretores
Conspiração Mineira pela Educação
 

Semelhante a Pem Gondomar (20)

Projeto foresti
Projeto forestiProjeto foresti
Projeto foresti
 
@rca2010
@rca2010@rca2010
@rca2010
 
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
Painel I – Plataforma Década EDS 2014+: Projeto Plataforma Década EDS 2014+ -...
 
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdfProjeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
Projeto de Intervenção Pedagógica - Diretora 2020-2024.pdf
 
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
Curso Docente (Curso de Tecnicas Inicias de Docente)
 
Gestão escolar .pptx
Gestão escolar .pptxGestão escolar .pptx
Gestão escolar .pptx
 
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocpropostaIzabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
Izabel pb01-grupo ab-is-consolidacaodocproposta
 
Apresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundoApresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundo
 
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
Relatório de Atividades do Instituto Unibanco 2009
 
Como compreender os elementos que fundamentam a concepção do Estudo Orientado?
Como compreender os elementos  que fundamentam a concepção do  Estudo Orientado?Como compreender os elementos  que fundamentam a concepção do  Estudo Orientado?
Como compreender os elementos que fundamentam a concepção do Estudo Orientado?
 
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdfcarderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
carderno-estudo-oriegfcghvgvghcghcntado.pdf
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
 
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdfEducao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
Educao_Empreendedora_e_seu_potencial_para_transformar_a_educao.pdf
 
Congresso apres. wildete inovações e ppp
Congresso apres. wildete inovações e pppCongresso apres. wildete inovações e ppp
Congresso apres. wildete inovações e ppp
 
Slideaula eldi
Slideaula eldiSlideaula eldi
Slideaula eldi
 
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comumUniversidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
 
Entrevista ao Jornal Pangeia
Entrevista ao Jornal PangeiaEntrevista ao Jornal Pangeia
Entrevista ao Jornal Pangeia
 
Acompanhamento pedagogico
Acompanhamento pedagogicoAcompanhamento pedagogico
Acompanhamento pedagogico
 
Projeto educativo0001
Projeto educativo0001Projeto educativo0001
Projeto educativo0001
 
Prática: Fórum de Diretores
Prática: Fórum de DiretoresPrática: Fórum de Diretores
Prática: Fórum de Diretores
 

Mais de José Matias Alves

A catedral
A catedralA catedral
A catedral
José Matias Alves
 
Programa ii edugest_2018_ret
Programa ii edugest_2018_retPrograma ii edugest_2018_ret
Programa ii edugest_2018_ret
José Matias Alves
 
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julhoAutonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
José Matias Alves
 
Cartaz a3 5 seminários de investigação
Cartaz a3 5 seminários de investigaçãoCartaz a3 5 seminários de investigação
Cartaz a3 5 seminários de investigação
José Matias Alves
 
Poster20150926 cabral's public lecture
Poster20150926 cabral's public lecturePoster20150926 cabral's public lecture
Poster20150926 cabral's public lecture
José Matias Alves
 
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
José Matias Alves
 
A pagina 205 capa af
A pagina 205 capa afA pagina 205 capa af
A pagina 205 capa af
José Matias Alves
 
Programa
ProgramaPrograma
Publico ucp20150522 (1)
Publico ucp20150522 (1)Publico ucp20150522 (1)
Publico ucp20150522 (1)
José Matias Alves
 
Programa asoe 20_05
Programa asoe 20_05Programa asoe 20_05
Programa asoe 20_05
José Matias Alves
 
Cartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-webCartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-web
José Matias Alves
 
Cartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-webCartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-web
José Matias Alves
 
Folheto programa seminario6_v2
Folheto programa seminario6_v2Folheto programa seminario6_v2
Folheto programa seminario6_v2
José Matias Alves
 
Catalogo face 2015
Catalogo face 2015Catalogo face 2015
Catalogo face 2015
José Matias Alves
 
Cartaz 2015(1)arriscar
Cartaz 2015(1)arriscarCartaz 2015(1)arriscar
Cartaz 2015(1)arriscar
José Matias Alves
 
Programa i seminario aoe nampula março 15
Programa i seminario aoe nampula março 15Programa i seminario aoe nampula março 15
Programa i seminario aoe nampula março 15
José Matias Alves
 
Programa asoe 25_02
Programa asoe 25_02Programa asoe 25_02
Programa asoe 25_02
José Matias Alves
 
Cartaz seminarios asoe
Cartaz seminarios asoeCartaz seminarios asoe
Cartaz seminarios asoe
José Matias Alves
 
Prémio spce regulamento 2014
Prémio spce regulamento 2014Prémio spce regulamento 2014
Prémio spce regulamento 2014
José Matias Alves
 
Programa
ProgramaPrograma

Mais de José Matias Alves (20)

A catedral
A catedralA catedral
A catedral
 
Programa ii edugest_2018_ret
Programa ii edugest_2018_retPrograma ii edugest_2018_ret
Programa ii edugest_2018_ret
 
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julhoAutonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
Autonomia e Flexibilização_Programa 5 julho
 
Cartaz a3 5 seminários de investigação
Cartaz a3 5 seminários de investigaçãoCartaz a3 5 seminários de investigação
Cartaz a3 5 seminários de investigação
 
Poster20150926 cabral's public lecture
Poster20150926 cabral's public lecturePoster20150926 cabral's public lecture
Poster20150926 cabral's public lecture
 
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
Cartaz projeto tertúlias educacionais v2
 
A pagina 205 capa af
A pagina 205 capa afA pagina 205 capa af
A pagina 205 capa af
 
Programa
ProgramaPrograma
Programa
 
Publico ucp20150522 (1)
Publico ucp20150522 (1)Publico ucp20150522 (1)
Publico ucp20150522 (1)
 
Programa asoe 20_05
Programa asoe 20_05Programa asoe 20_05
Programa asoe 20_05
 
Cartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-webCartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-web
 
Cartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-webCartaz 12 seminario-primavera-web
Cartaz 12 seminario-primavera-web
 
Folheto programa seminario6_v2
Folheto programa seminario6_v2Folheto programa seminario6_v2
Folheto programa seminario6_v2
 
Catalogo face 2015
Catalogo face 2015Catalogo face 2015
Catalogo face 2015
 
Cartaz 2015(1)arriscar
Cartaz 2015(1)arriscarCartaz 2015(1)arriscar
Cartaz 2015(1)arriscar
 
Programa i seminario aoe nampula março 15
Programa i seminario aoe nampula março 15Programa i seminario aoe nampula março 15
Programa i seminario aoe nampula março 15
 
Programa asoe 25_02
Programa asoe 25_02Programa asoe 25_02
Programa asoe 25_02
 
Cartaz seminarios asoe
Cartaz seminarios asoeCartaz seminarios asoe
Cartaz seminarios asoe
 
Prémio spce regulamento 2014
Prémio spce regulamento 2014Prémio spce regulamento 2014
Prémio spce regulamento 2014
 
Programa
ProgramaPrograma
Programa
 

Pem Gondomar

  • 1. Conhecer, participar, ver, criar _ Sentidos com Futuro JMA (e GT)
  • 2. Saudação e esperança
  • 3. Reconhecimento e Gratidão (a todos os que acreditaram – e acreditam – a todos os que livremente quiseram, a todos os que se comprometeram a construir uma melhor educação e formação em Gondomar; e a todos os que vão querer ser AUTORES…)
  • 4. Confiança (nas inteligências dos gondomarenses, nas inteligências das organizações, nas capacidades de aprendizagem, nas possibilidades de ativarmos um trabalho de redes…)
  • 5. Repetindo(me) e citando António Nóvoa: Que fazer? Minha resposta é simples: mudar de posição e mudar de perspetiva. Mudar de posição: em vez de chamar para nós a responsabilidade, colocarmo-nos num espaço de redes (culturais, familiares, sociais) que construa novos compromissos em torno da educação.
  • 6. É preciso responsabilizar a sociedade pela escola. Mudar de perspetiva: em vez da escola fechada, baseada num modelo arcaico, imaginar nossa ação como elemento de um novo espaço público de educação. É tempo de pôr a "sociedade a serviço da escola" em vez da "escola a serviço da sociedade" (Albert Jacquard)
  • 8. “É preciso toda uma aldeia para educar uma criança” – a importância do território, dos atores, das interações para que a educação seja eficaz nas suas múltiplas promessas…
  • 9. Visão  Sentido  Re_ligação  Integração  Implicação  Criação e autoria  Liberdade  Responsabilidade
  • 10. Das vontades individuais Da vontade coletiva Da conjugação de vontades, saberes e recursos
  • 11. ..apresentaçõesApresentações pptLauraEsquivel_A caixa de fósforos.pptx
  • 12. Porque o todo é mais do que a soma das partes  Mas também porque não há todo sem partes  Comunicação  Alianças  Soma positiva
  • 13. 1)O que nos singulariza, o que nos marca, o que nos distingue, o que nos unifica? ( O PEM como dinâmica de afirmação de uma identidade – o que somos, onde estamos – dados e perceções)
  • 14. 2)O que nos potencia, o que pode promover e alavancar um desenvolvimento articulado e sustentado? ( O PEM como fator de desenvolvimento de um território _ o que queremos, onde queremos chegar…)
  • 15. 3) O que nos mobiliza e anima, o que faz agir, em termos pessoais e institucionais? (O PEM como elemento inspirador e catalisador da ação – ativação das vontades individuais e coletivas intra e inter…)
  • 16. 4) Qual a mais valia, o que vem acrescentar aos projetos educativos já existentes, nomeadamente nas escolas e agrupamentos? (O PEM como vantagem percecionada)
  • 17. 5)O que pode regular e inspirar as ações das partes e do todo? (O PEM como instrumento de monitorização, regulação, avaliação formativa)
  • 18. 1. Princípio da Participação/Implicação  2. Princípio do Diálogo  3. Princípio de Integração e Articulação  4. Princípio da Equidade/Valorização das Pessoas e das Instituições  5. Princípio da Utilidade/Orientação-Acção  6. Princípio da Consequência e da Monitorização  7. Princípio de Comprometimento e da Sustentabilidade
  • 19. Alargada coleta de dados através da análise de conteúdo, inquérito por questionário (administração direta e indireta), audições.
  • 20. > Ver o que se não vê (no território, nas instituições, nas organizações…) > Ativar e federar as dinâmicas de aprendizagem social >Elevar os níveis de qualidade das práticas Pedagógicas em contexto de sala de aula >Promover o Valor do Conhecimento
  • 21. O PEM enumera uma alargada série de programas e projetos em curso no município. Gerados em tempos diferentes e possuindo finalidades, naturezas e dinâmicas específicas, seria talvez oportuno fazer uma avaliação participada das suas qualidades, do seu potencial educativo e formativo. Espero que este debate público dê um contributo para este conhecimento.
  • 22. Escolher alguns para ilustrar as dinâmicas em curso seria certamente injusto. Sinalizo, apenas, a necessidade de uma maior partilha das práticas educativas a nível municipal para que permita mais conhecimento e aprendizagem – a vantagem de construir estes dispositivos de partilha.
  • 23. 1. Melhorar a rede educativa  2. Promover o sucesso educativo  3. Prevenir e Combater o Abandono Escolar e a Exclusão Social  4. Educação Sustentável, Ambiente, Saúde e Segurança
  • 24. 5. Consciencializar para a importância de uma cidadania inclusiva 6. Promover a elevação dos níveis de qualificação de base da população adulta  7. Fomentar a Formação Continua
  • 25. 1.1. Projeto “O que de melhor se faz na educação e formação em Gondomar”  1.2. Divulgação dos Projetos Educativos de Escola  1.3. Ciclo de Debates  1.4. Projeto “CORE - Compromisso de Renovação da Educação”
  • 26. Este projeto será transversal ao serviço das instituições educativas e formativas de Gondomar. Funcionara como uma linha aberta de apoio ao desenvolvimento de projetos escolares de promoção de mais sucesso escolar dos/as alunos/as do município. Para tal, serão definidas Metas Concelhias a alcançar em 2015, para os Resultados das Provas de Aferição e dos Exames Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática, da Taxa de Repetência por ciclo de escolaridade e da Taxa de Desistência aos 14, 15 e 16 anos.
  • 27. 1.11. Mediação de Estágios para Jovens em Formação  1.12. Divulgação de formas de criação do próprio emprego  1.13. Concurso sobre a melhor ideia empreendedora  1.14. Criação de formação para futuros empresários
  • 28. Previsto um observatório que monitorize a concretização do PEM e sirva de dispositivo de avaliação e melhoria. Mas pode ser sensato pensar, sobretudo, num processo de articulação, formação na ação e dinamização.
  • 29. A clarificação das metas  O estabelecimento de parcerias e protocolos a priori  A especificação de alguns projetos mais emblemáticos e eficazes para a renovação da ação…  A alavancagem a partir de boas práticas já existentes  Maior focalização no essencial (elevação das aprendizagens)
  • 30. 1º passo  Apelo à participação criadora  Imaginar novas formas de assumir e praticar as políticas educativas e formativas  O vivo agradecimento prévio de todos os contributos
  • 31. O tesouro
  • 32.  “Se todos nós fizéssemos as coisas de que somos capazes, ficaríamos espantados connosco mesmos” (Edison)  Obrigado