SlideShare uma empresa Scribd logo
Eça de Queiroz (1845-1900)
Estátua de Eça, em Lisboa




Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia.
                                                    in A Relíquia
OS MAIAS
Episódios da Vida Romântica
Título
                           Os Maias
       Caetano da Maia (Miguelista)


 Afonso da Maia (Liberal) +Maria Eduarda
  Runa (descendente dos condes de Runa)

Pedro da Maia (romântico) +Maria Monforte
                               (A negreira)


                                      Carlos da Maia (realista)


                                              Maria Eduarda
Subtítulo
Episódios da vida romântica
Osmaias captulos2-130209140557-phpapp01 (1)
Osmaias captulos2-130209140557-phpapp01 (1)
Capítulo I




A casa que os Maias vieram habitar em Lisboa,
     no Outono de 1875, era conhecida na
vizinhança da rua de S. Francisco de Paula, e
em todo o bairro das Janelas Verdes, pela casa
 do Ramalhete ou simplesmente o Ramalhete.
            (Os Maias cap. I, p. 5)
O Ramalhete   Capítulo I
Capítulo I
   Os Maias vêm habitar o Ramalhete (1875)
   A descrição do Ramalhete antes de 1875
   Vilaça, procurador dos Maias
   O restauro do Ramalhete (descreve-se a nova decoração)
   Afonso (retrato físico)
                INÍCIO DA ANALEPSE (pag.13)
   Caetano da Maia (pai intransigente)
   Juventude de Afonso
   Casamento e exílio
   Educação de Pedro (o padre Vasques)
   O regresso a Lisboa (casa de Benfica)
   A morte de Maria Eduarda Runa (mãe de Pedro)
   A paixão de Pedro
   Alencar conhece a mulher que Pedro vai amar (Maria Monforte)
   O casamento de Pedro e o corte de relações com Afonso
Capítulo II
   Partida de Pedro e Maria Monforte para Itália onde
    tencionam passar o Inverno numa felicidade de novela
   Gravidez de Maria Monforte e regresso a Lisboa
   Serões na casa de Arroios (presença de Alencar)
   O nascimento de uma filha (Maria Eduarda)
   O nascimento de um filho (Carlos)
   Tancredo, o Napolitano, frequenta casa de Pedro
   Fuga de Maria com Tancredo: e levo a Maria, que me não
    posso separar dela
   Ida de Pedro a casa do pai
   Pedro suicida-se
   Afonso parte com o neto para Santa Olávia
Capítulo III
   Vilaça em Santa Olávia
   A educação de Carlos (Mr.Brown, o modelo inglês)
   A educação de Eusebiozinho (modelo tradicional
    português)
   Um serão em Santa Olávia
   Vilaça informa sobre o paradeiro de Maria Monforte
   A confirmação da morte de Maria Eduarda (neta de
    Afonso)
   Vilaça morre e deixa ao filho, Manuel Vilaça, a
    procuradoria dos Maias.
   Carlos entra na faculdade
Capítulo IV
   Paços de Celas (vida boémia de Carlos em Coimbra)
   Amizade com João da Ega que cursa Direito
   Amores de Carlos (Hermengarda, Encarnacion)
   Carlos forma-se em medicina -Grande coisa ter um curso!
    Fim da analepse (pág.95)
   Carlos parte para uma viagem
   O regresso de Carlos
   A instalação no Ramalhete (1875)
   Os projectos grandiosos de Carlos: consultório, laboratório
   Diletantismo de Carlos e Ega
   Ega vem para Lisboa: projectos de publicação de Memórias de
    um Átomo
   Dandismo de Ega
O consultório de Carlos é no Rossio   Capítulo IV
Capítulo V
   Os serões no Ramalhete. Joga-se bilhar e whist
   Frequentadores do Ramalhete: general Sequeira, Vilaça,
    Steinbroken, Cruges, Taveira ...
   Carlos salva a sua primeira doente de pneumonia
   Laboratório de Carlos e carreira médica
   Idílio de Ega com Raquel Cohen, mulher do banqueiro
    Jacob Cohen
   Ega visita Carlos no consultório e lê um capítulo das
    Memórias de um Átomo intitulado A Hebreia (alusão a
    Raquel Cohen)
   Carlos vai a S. Carlos
   Em S. Carlos, Ega apresenta Carlos aos Gouvarinhos.
Joga-se bilhar e whist   Capítulo V
Teatro S. Carlos   Capítulo V
Capítulo VI
   Carlos visita Ega na vila Balzac
   Carlos e Ega conversam sobre Gouvarinhos
   Ega apresenta Craft a Carlos
   Convite de Ega para um jantar no Hotel Central para
    homenagear o Cohen
   Carlos vê uma senhora muito elegante maravilhosamente
    bem feita e com um passo soberano de deusa.
   Dâmaso informa acerca da identidade da senhora Castro
    Gomes
   Ega apresenta Alencar a Carlos
   No jantar discute-se literatura (Romantismo e Realismo),
    política, finanças, arte, crítica literária…
   Discussão e reconciliação de Alencar e Ega
   Sonho de Carlos com a senhora que vira no Hotel Central
O Hotel Central   Capítulo VI
Capítulo VII
   Craft íntimo do Ramalhete
   Dâmaso íntimo do Ramalhete (persegue Carlos)
   Ega informa Carlos sobre a paixão da
    Gouvarinho
   Carlos encontra no Aterro novamente a senhora
    Castro Gomes.
   A Gouvarinho vai ao consultório de Carlos
   Dâmaso acompanha os Castro Gomes a Sintra
   Carlos convida Cruges a acompanhá-lo a Sintra
    (com o intuito de encontrar a tal senhora...)
O Aterro   Capítulo VII
O Aterro = Av.24 de Julho Capítulo VII
Capítulo VIII
   Carlos e Cruges partem para Sintra
   Decide não ir para o Lawrence, mas sim para o
    Nunes
   Encontro com Eusebiozinho, o Palma e as espanholas
   Encontro com Alencar
   Vão a Seteais
   Carlos sabe que os Castro Gomes tinham já partido
    para Mafra e depois iriam para Lisboa.
   Jantar (bacalhau à Alencar)
   Regresso a Lisboa
   Cruges esquece-se das queijadas
Capítulo IX
   Convite dos Gouvarinhos a Carlos para jantar
   Dâmaso pede a Carlos para fazer uma visita médica à filha dos
    Castro Gomes (eles estavam em Queluz)
   Dâmaso confidencia a Carlos perspectivas de ter um romance
    com Madame Castro Gomes (Castro Gomes partirá para o
    Brasil).
   Carlos prepara-se para o baile em casa dos Cohen
   Ega (mascarado d Mefistófeles) conta a Carlos que tinha sido
    posto na rua pelo Cohen
   Noite em casa de Craft (Ega, Carlos e Craft)
   Fim do romance entre Ega e Raquel Cohen
   Partida de Ega para Celorico
   Carlos não quer pedir a Dâmaso que o apresente aos Castro
    Gomes
   Carlos vai ao chá a casa dos Gouvarinhos
   Sedução de Carlos pela condessa de Gouvarinho
Capítulo X
   As aventuras de Carlos com a condessa de Gouvarinho
   Carlos e o marquês avistam Rosa e a mãe
    Caramba. Aquilo pertence-lhe?/Irra! Que gratidão!
   Corridas no hipódromo de Belém
   Carlos joga e ganha
    Vous conaissez le proverbe: heureux au jeu...
   Dâmaso informa Carlos que Castro Gomes partiu para o
    Brasil
   Carlos sai das corridas e passa pela rua de S. Francisco
   Carlos recebe um bilhete de Madame Castro Gomes para
    ir visitar uma pessoa de família que se encontrava doente
    Você está a faiscar, homem. Você flameja!...Você parece
    que tem uma auréola na nuca!...Você sucedeu-lhe o que
    quer que seja de muito bom!
As corridas   Capítulo X




              Edgar Degas
Capítulo XI
   Carlos vai a casa de Madame C. Gomes na rua S.
    Francisco
   Início da relação amorosa entre Carlos e Maria
    Eduarda (visitas diárias)
   Carlos recebe um bilhete da Gouvarinho sobre uma
    ida a Santarém
   O Gouvarinho resolve a situação partindo com a
    mulher para o Porto, libertando Carlos de um
    incómodo compromisso
   Carlos e Dâmaso encontram-se em casa de Maria
    Eduarda
   Dâmaso pede explicações a Carlos
Rua S. Francisco = Rua Ivens Capítulo XI
Capítulo XII
   Ega volta para Lisboa e instala-se no Ramalhete
   Afonso critica a ociosidade de Carlos e Ega
   Carlos e Ega vão ao jantar dos Gouvarinho
   Dâmaso vai a casa de Maria Eduarda, mas esta
    recusa recebê-lo
   Carlos confessa o seu amor a Maria Eduarda
   Carlos compra a quinta dos Olivais a Craft
   Carlos confidencia os seus amores a Ega
Capítulo XIII
   Ega informa Carlos das difamações de Dâmaso a seu
    respeito e a respeito de Maria Eduarda.
   Carlos ameaça Dâmaso de lhe arrancar as orelhas
   Carlos e Maria Eduarda visitam a quinta dos Olivais
    (Toca)
   Aniversário de Afonso
   A Gouvarinho pede explicações a Carlos
   Carlos rompe as relações com a Gouvarinho
    Dâmaso quer saber se Carlos tinha intenção de o
    ofender
A Toca = Quinta do Contador Mor   Capítulo XIII
Capítulo XIV
   Afonso parte para Santa Olávia
   Maria Eduarda parte para os Olivais
   Ega parte para Sintra
   Carlos fica só em Lisboa
   Alencar apresenta Guimarães a Carlos
   Idílio Carlos/Maria Eduarda
   Maria Eduarda visita o Ramalhete
   Carlos vai a Santa Olávia e regressa
   Carlos recebe Castro Gomes e este revela-lhe que não é
    marido de Maria Eduarda
   Carlos fica desesperado e decide terminar a relação.
   Carlos perante Maria Eduarda não consegue manter decisão
   A longa história de Maria Eduarda
   Carlos propõe casamento a Maria Eduarda
Capítulo XV
   Maria Eduarda, na Toca, conta a Carlos a sua vida atribulada
   Carlos conta a Ega o propósito de partir com Maria Eduarda
   O avô – obstáculo a esta ideia
   Ega, Carlos e Maria Eduarda jantam nos Olivais
   Toca, ponto de reunião de amigos
   Dâmaso difama publicamente Carlos na “Corneta do Diabo”
   Ega e Cruges desafiam Dâmaso
   Dâmaso retracta-se num documento que é obrigado a escrever
   Carlos sente-se vingado
   Afonso regressa a Lisboa
   Carlos regressa ao Ramalhete
   Maria Eduarda regressa à rua de S. Francisco
   Ega vê Dâmaso com Raquel Cohen
   Ega publica a retractação de Dâmaso
Capítulo XVI
   Carlos e Ega em casa de Maria Eduarda
   O Sarau Literário no Teatro da Trindade ode intervêm:
    O Rufino que fala da caridade e do progresso num tom muito
    inflamado; o Alencar que recita uma poesia intitulada A
    Democracia; O Cruges que toca a Sonata Patética de Beethoven: E
    a marquesa de Soutal, muito séria, muito bela(...) disse que era a
    Sonata Pateta. Por toda a bancada foi um rastilho de risos
    sufocados.
   Guimarães confia a Ega um cofre que lhe tinha sido entregue, em
    Paris, pela mãe de Carlos antes de morrer
   Guimarães pede-lhe para entregar o cofre ao Carlos da Maia ou à
    irmã.
   Ega, horrorizado, resolve pôr o Vilaça ao corrente desta situação
Teatro da Trindade   Capítulo XVI
Capítulo XVII
   Vilaça revela a Carlos a notícia
   Ega e Carlos conversam sobre o assunto
   Carlos dá abruptamente a notícia a Afonso
   Afonso diz a Ega que sabia da paixão entre Carlos e Maria Eduarda
   Carlos decide dar ele mesmo a notícia a Maria Eduarda
   Carlos, face a Maria Eduarda, deixa-se levar e nada lhe revela:
    dorme com ela na plena consciência da consanguinidade.
   Carlos, vindo da casa de Maria Eduarda encontra o avô cujos olhos
    o fixam horrorizados, lendo o seu segredo.
   Afonso morre
   Carlos parte para Santa Olávia
   Ega revela a Maria Eduarda o seu parentesco com Carlos
   Maria Eduarda parte para Paris e Ega vai ter com Carlos
   Apanham os dois o mesmo comboio e despedem-se no
    Entroncamento
Capítulo XVIII
   A Gazeta ilustrada noticia a viagem de Carlos e João da Ega
   Ega volta a Lisboa ano e meio depois
   Carlos volta a Portugal, dez anos depois
   Carlos e Ega almoçam no Hotel Bragança
   Carlos e Ega visitam Ramalhete e comentam o casamento de Maria
    Eduarda com um fidalgo francês
   Passeiam por Lisboa e comentam a estagnação, a indolência, a
    decadência e a ociosidade em que continua mergulhado o país
   Expõem a sua filosofia de vida, dizem-se uns românticos,
    comentam que falharam a vida e que é inútil qualquer esforço
   Ambos desatam a correr para apanhar o americano
    Ainda o apanhamos!
    Ainda o apanhamos!
O Passeio de Carlos e Ega por Lisboa                   Capítulo XVIII




       Ora aí tens tu essa Avenida! Hem!...Já não é mau!
OS TRANSPORTES
Break
Vitória
De origem inglesa,
surgiu em meados do
século XIX. Carro
macio, leve,       com
capota que se abre. As
mais elegantes eram
pretas, sem decoração.
O nome veio da
rainha Vitória, que pôs
em moda este tipo de
carruagem
Caleche
Dog Cart
O comboio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando PessoaTexto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Diogo Reis
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
fromgaliza
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavras
armindaalmeida
 
Poemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto CaeiroPoemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto Caeiro
Leonardo C. Arinelli
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
12anogolega
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
Bruno Freitas
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
Inês Moreira
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
Sara Leonardo
 
Os Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo IOs Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo I
António Fernandes
 
Os Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IVOs Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IV
António Fernandes
 
Jose Regio
Jose RegioJose Regio
Jose Regio
Dina Baptista
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
Paula Oliveira Cruz
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
António Fernandes
 
Os Lusíadas
Os Lusíadas Os Lusíadas
Os Lusíadas
complementoindirecto
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Dina Baptista
 
Os Maias - Capítulo VIII
Os Maias - Capítulo VIIIOs Maias - Capítulo VIII
Os Maias - Capítulo VIII
António Fernandes
 
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdfResumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Rodrigo Roxo
 
Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9
Luís Ferreira
 
Deixis
DeixisDeixis
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
keve semedo
 

Mais procurados (20)

Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando PessoaTexto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavras
 
Poemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto CaeiroPoemas de Alberto Caeiro
Poemas de Alberto Caeiro
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
 
Os Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo IOs Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo I
 
Os Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IVOs Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IV
 
Jose Regio
Jose RegioJose Regio
Jose Regio
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
 
Os Lusíadas
Os Lusíadas Os Lusíadas
Os Lusíadas
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
 
Os Maias - Capítulo VIII
Os Maias - Capítulo VIIIOs Maias - Capítulo VIII
Os Maias - Capítulo VIII
 
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdfResumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdf
 
Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9
 
Deixis
DeixisDeixis
Deixis
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
 

Destaque

Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
margaridafelisberto
 
Os Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e IIOs Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e II
sin3stesia
 
Os maias análise
Os maias análiseOs maias análise
Os maias análise
luiza1973
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
elida_jaine
 
maiaseducao
maiaseducao maiaseducao
maiaseducao
Zita Dias
 
maiaspasseiofinal
maiaspasseiofinal maiaspasseiofinal
maiaspasseiofinal
Zita Dias
 
Rei Arthur
Rei ArthurRei Arthur
Os Maias | Capítulo 12
Os Maias | Capítulo 12Os Maias | Capítulo 12
Os Maias | Capítulo 12
Sara Guerra
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
luisprista
 
Italo calvino as cidades invisíveis
Italo calvino   as cidades invisíveisItalo calvino   as cidades invisíveis
Italo calvino as cidades invisíveis
Filipe Carvalho
 
Cidades Invisíveis Essencial
Cidades Invisíveis EssencialCidades Invisíveis Essencial
Cidades Invisíveis Essencial
Carlos Elson Cunha
 
Atividades Viagens de Gulliver
Atividades Viagens de GulliverAtividades Viagens de Gulliver
Atividades Viagens de Gulliver
Geo Honório
 
Os Maias_Jantar no Hotel Central
Os Maias_Jantar no Hotel CentralOs Maias_Jantar no Hotel Central
Os Maias_Jantar no Hotel Central
Joana Aguamel
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Lurdes Augusto
 
Apresentação do livro de portugues
Apresentação do livro de portuguesApresentação do livro de portugues
Apresentação do livro de portugues
12anogolega
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livro
Cristina Marcelino
 
Guião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livroGuião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livro
Biblioteca Escolar Sobreira
 

Destaque (18)

Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Os Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e IIOs Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e II
 
Os maias análise
Os maias análiseOs maias análise
Os maias análise
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
maiaseducao
maiaseducao maiaseducao
maiaseducao
 
maiaspasseiofinal
maiaspasseiofinal maiaspasseiofinal
maiaspasseiofinal
 
Rei Arthur
Rei ArthurRei Arthur
Rei Arthur
 
Os Maias | Capítulo 12
Os Maias | Capítulo 12Os Maias | Capítulo 12
Os Maias | Capítulo 12
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 105-106
 
Italo calvino as cidades invisíveis
Italo calvino   as cidades invisíveisItalo calvino   as cidades invisíveis
Italo calvino as cidades invisíveis
 
Cidades Invisíveis Essencial
Cidades Invisíveis EssencialCidades Invisíveis Essencial
Cidades Invisíveis Essencial
 
Atividades Viagens de Gulliver
Atividades Viagens de GulliverAtividades Viagens de Gulliver
Atividades Viagens de Gulliver
 
Os Maias_Jantar no Hotel Central
Os Maias_Jantar no Hotel CentralOs Maias_Jantar no Hotel Central
Os Maias_Jantar no Hotel Central
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
Apresentação do livro de portugues
Apresentação do livro de portuguesApresentação do livro de portugues
Apresentação do livro de portugues
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livro
 
Guião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livroGuião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livro
 

Semelhante a Osmaias captulos2-130209140557-phpapp01 (1)

osmaiaspontosessenciais.doc
osmaiaspontosessenciais.docosmaiaspontosessenciais.doc
osmaiaspontosessenciais.doc
FamIndisciplinadAA
 
Os Maias - análise
Os Maias - análiseOs Maias - análise
Os Maias - análise
António Fernandes
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
António Fernandes
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
António Fernandes
 
"Os Maias" capítulo VII
"Os Maias" capítulo VII"Os Maias" capítulo VII
"Os Maias" capítulo VII
Rita Costa
 
Maias.apontamentos
Maias.apontamentosMaias.apontamentos
Maias.apontamentos
Elisete Gonçalves
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Rita Magalhães
 
Os maias bruno
Os maias brunoOs maias bruno
Os maias bruno
bruno oliveira
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
Helena Coutinho
 
Os Maias - Cap. XIV
Os Maias - Cap. XIVOs Maias - Cap. XIV
Os Maias - Cap. XIV
Luís Rita
 
O mistério da estrada de sintra rita lopes
O mistério da estrada de sintra   rita lopesO mistério da estrada de sintra   rita lopes
O mistério da estrada de sintra rita lopes
fantas45
 
Memórias de um médico
Memórias de um médicoMemórias de um médico
Memórias de um médico
A F C
 
Eça de Queirós
Eça de QueirósEça de Queirós
Eça de Queirós
anitanaescola
 
Eça de queiroz
 Eça de queiroz Eça de queiroz
Eça de queiroz
sandra soares
 
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os MaiasApresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
Neizy Mandinga
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias de A a Z
Os Maias de A a ZOs Maias de A a Z
Os Maias de A a Z
lumigopereira
 
Os Maias XII capítulo
Os Maias XII capítuloOs Maias XII capítulo
Os Maias XII capítulo
DinisRocha2
 
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismoApostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Fernanda Rocha
 
Episodios maias
Episodios maiasEpisodios maias
Episodios maias
ameliapadrao
 

Semelhante a Osmaias captulos2-130209140557-phpapp01 (1) (20)

osmaiaspontosessenciais.doc
osmaiaspontosessenciais.docosmaiaspontosessenciais.doc
osmaiaspontosessenciais.doc
 
Os Maias - análise
Os Maias - análiseOs Maias - análise
Os Maias - análise
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
"Os Maias" capítulo VII
"Os Maias" capítulo VII"Os Maias" capítulo VII
"Os Maias" capítulo VII
 
Maias.apontamentos
Maias.apontamentosMaias.apontamentos
Maias.apontamentos
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
 
Os maias bruno
Os maias brunoOs maias bruno
Os maias bruno
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Os Maias - Cap. XIV
Os Maias - Cap. XIVOs Maias - Cap. XIV
Os Maias - Cap. XIV
 
O mistério da estrada de sintra rita lopes
O mistério da estrada de sintra   rita lopesO mistério da estrada de sintra   rita lopes
O mistério da estrada de sintra rita lopes
 
Memórias de um médico
Memórias de um médicoMemórias de um médico
Memórias de um médico
 
Eça de Queirós
Eça de QueirósEça de Queirós
Eça de Queirós
 
Eça de queiroz
 Eça de queiroz Eça de queiroz
Eça de queiroz
 
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os MaiasApresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Os Maias de A a Z
Os Maias de A a ZOs Maias de A a Z
Os Maias de A a Z
 
Os Maias XII capítulo
Os Maias XII capítuloOs Maias XII capítulo
Os Maias XII capítulo
 
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismoApostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
 
Episodios maias
Episodios maiasEpisodios maias
Episodios maias
 

Mais de Zita Dias

Aids1 110419202142-phpapp02
Aids1 110419202142-phpapp02Aids1 110419202142-phpapp02
Aids1 110419202142-phpapp02
Zita Dias
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
Zita Dias
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Zita Dias
 
4º ano
4º ano4º ano
4º ano
Zita Dias
 
Ficheirogeometria4ano
Ficheirogeometria4anoFicheirogeometria4ano
Ficheirogeometria4ano
Zita Dias
 
problemas 4º
problemas 4ºproblemas 4º
problemas 4º
Zita Dias
 
4º4º
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
Zita Dias
 
geometria 4º ano
geometria 4º anogeometria 4º ano
geometria 4º ano
Zita Dias
 

Mais de Zita Dias (9)

Aids1 110419202142-phpapp02
Aids1 110419202142-phpapp02Aids1 110419202142-phpapp02
Aids1 110419202142-phpapp02
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula81-82-130228124320-phpapp01
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
 
4º ano
4º ano4º ano
4º ano
 
Ficheirogeometria4ano
Ficheirogeometria4anoFicheirogeometria4ano
Ficheirogeometria4ano
 
problemas 4º
problemas 4ºproblemas 4º
problemas 4º
 
4º4º
 
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
Ficheirodeproblemasgave2 100609165100-phpapp02
 
geometria 4º ano
geometria 4º anogeometria 4º ano
geometria 4º ano
 

Osmaias captulos2-130209140557-phpapp01 (1)

  • 1. Eça de Queiroz (1845-1900)
  • 2. Estátua de Eça, em Lisboa Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia. in A Relíquia
  • 3. OS MAIAS Episódios da Vida Romântica
  • 4. Título Os Maias Caetano da Maia (Miguelista) Afonso da Maia (Liberal) +Maria Eduarda Runa (descendente dos condes de Runa) Pedro da Maia (romântico) +Maria Monforte (A negreira) Carlos da Maia (realista) Maria Eduarda
  • 8. Capítulo I A casa que os Maias vieram habitar em Lisboa, no Outono de 1875, era conhecida na vizinhança da rua de S. Francisco de Paula, e em todo o bairro das Janelas Verdes, pela casa do Ramalhete ou simplesmente o Ramalhete. (Os Maias cap. I, p. 5)
  • 9. O Ramalhete Capítulo I
  • 10. Capítulo I  Os Maias vêm habitar o Ramalhete (1875)  A descrição do Ramalhete antes de 1875  Vilaça, procurador dos Maias  O restauro do Ramalhete (descreve-se a nova decoração)  Afonso (retrato físico) INÍCIO DA ANALEPSE (pag.13)  Caetano da Maia (pai intransigente)  Juventude de Afonso  Casamento e exílio  Educação de Pedro (o padre Vasques)  O regresso a Lisboa (casa de Benfica)  A morte de Maria Eduarda Runa (mãe de Pedro)  A paixão de Pedro  Alencar conhece a mulher que Pedro vai amar (Maria Monforte)  O casamento de Pedro e o corte de relações com Afonso
  • 11. Capítulo II  Partida de Pedro e Maria Monforte para Itália onde tencionam passar o Inverno numa felicidade de novela  Gravidez de Maria Monforte e regresso a Lisboa  Serões na casa de Arroios (presença de Alencar)  O nascimento de uma filha (Maria Eduarda)  O nascimento de um filho (Carlos)  Tancredo, o Napolitano, frequenta casa de Pedro  Fuga de Maria com Tancredo: e levo a Maria, que me não posso separar dela  Ida de Pedro a casa do pai  Pedro suicida-se  Afonso parte com o neto para Santa Olávia
  • 12. Capítulo III  Vilaça em Santa Olávia  A educação de Carlos (Mr.Brown, o modelo inglês)  A educação de Eusebiozinho (modelo tradicional português)  Um serão em Santa Olávia  Vilaça informa sobre o paradeiro de Maria Monforte  A confirmação da morte de Maria Eduarda (neta de Afonso)  Vilaça morre e deixa ao filho, Manuel Vilaça, a procuradoria dos Maias.  Carlos entra na faculdade
  • 13. Capítulo IV  Paços de Celas (vida boémia de Carlos em Coimbra)  Amizade com João da Ega que cursa Direito  Amores de Carlos (Hermengarda, Encarnacion)  Carlos forma-se em medicina -Grande coisa ter um curso! Fim da analepse (pág.95)  Carlos parte para uma viagem  O regresso de Carlos  A instalação no Ramalhete (1875)  Os projectos grandiosos de Carlos: consultório, laboratório  Diletantismo de Carlos e Ega  Ega vem para Lisboa: projectos de publicação de Memórias de um Átomo  Dandismo de Ega
  • 14. O consultório de Carlos é no Rossio Capítulo IV
  • 15. Capítulo V  Os serões no Ramalhete. Joga-se bilhar e whist  Frequentadores do Ramalhete: general Sequeira, Vilaça, Steinbroken, Cruges, Taveira ...  Carlos salva a sua primeira doente de pneumonia  Laboratório de Carlos e carreira médica  Idílio de Ega com Raquel Cohen, mulher do banqueiro Jacob Cohen  Ega visita Carlos no consultório e lê um capítulo das Memórias de um Átomo intitulado A Hebreia (alusão a Raquel Cohen)  Carlos vai a S. Carlos  Em S. Carlos, Ega apresenta Carlos aos Gouvarinhos.
  • 16. Joga-se bilhar e whist Capítulo V
  • 17. Teatro S. Carlos Capítulo V
  • 18. Capítulo VI  Carlos visita Ega na vila Balzac  Carlos e Ega conversam sobre Gouvarinhos  Ega apresenta Craft a Carlos  Convite de Ega para um jantar no Hotel Central para homenagear o Cohen  Carlos vê uma senhora muito elegante maravilhosamente bem feita e com um passo soberano de deusa.  Dâmaso informa acerca da identidade da senhora Castro Gomes  Ega apresenta Alencar a Carlos  No jantar discute-se literatura (Romantismo e Realismo), política, finanças, arte, crítica literária…  Discussão e reconciliação de Alencar e Ega  Sonho de Carlos com a senhora que vira no Hotel Central
  • 19. O Hotel Central Capítulo VI
  • 20. Capítulo VII  Craft íntimo do Ramalhete  Dâmaso íntimo do Ramalhete (persegue Carlos)  Ega informa Carlos sobre a paixão da Gouvarinho  Carlos encontra no Aterro novamente a senhora Castro Gomes.  A Gouvarinho vai ao consultório de Carlos  Dâmaso acompanha os Castro Gomes a Sintra  Carlos convida Cruges a acompanhá-lo a Sintra (com o intuito de encontrar a tal senhora...)
  • 21. O Aterro Capítulo VII
  • 22. O Aterro = Av.24 de Julho Capítulo VII
  • 23. Capítulo VIII  Carlos e Cruges partem para Sintra  Decide não ir para o Lawrence, mas sim para o Nunes  Encontro com Eusebiozinho, o Palma e as espanholas  Encontro com Alencar  Vão a Seteais  Carlos sabe que os Castro Gomes tinham já partido para Mafra e depois iriam para Lisboa.  Jantar (bacalhau à Alencar)  Regresso a Lisboa  Cruges esquece-se das queijadas
  • 24. Capítulo IX  Convite dos Gouvarinhos a Carlos para jantar  Dâmaso pede a Carlos para fazer uma visita médica à filha dos Castro Gomes (eles estavam em Queluz)  Dâmaso confidencia a Carlos perspectivas de ter um romance com Madame Castro Gomes (Castro Gomes partirá para o Brasil).  Carlos prepara-se para o baile em casa dos Cohen  Ega (mascarado d Mefistófeles) conta a Carlos que tinha sido posto na rua pelo Cohen  Noite em casa de Craft (Ega, Carlos e Craft)  Fim do romance entre Ega e Raquel Cohen  Partida de Ega para Celorico  Carlos não quer pedir a Dâmaso que o apresente aos Castro Gomes  Carlos vai ao chá a casa dos Gouvarinhos  Sedução de Carlos pela condessa de Gouvarinho
  • 25. Capítulo X  As aventuras de Carlos com a condessa de Gouvarinho  Carlos e o marquês avistam Rosa e a mãe Caramba. Aquilo pertence-lhe?/Irra! Que gratidão!  Corridas no hipódromo de Belém  Carlos joga e ganha Vous conaissez le proverbe: heureux au jeu...  Dâmaso informa Carlos que Castro Gomes partiu para o Brasil  Carlos sai das corridas e passa pela rua de S. Francisco  Carlos recebe um bilhete de Madame Castro Gomes para ir visitar uma pessoa de família que se encontrava doente Você está a faiscar, homem. Você flameja!...Você parece que tem uma auréola na nuca!...Você sucedeu-lhe o que quer que seja de muito bom!
  • 26. As corridas Capítulo X Edgar Degas
  • 27. Capítulo XI  Carlos vai a casa de Madame C. Gomes na rua S. Francisco  Início da relação amorosa entre Carlos e Maria Eduarda (visitas diárias)  Carlos recebe um bilhete da Gouvarinho sobre uma ida a Santarém  O Gouvarinho resolve a situação partindo com a mulher para o Porto, libertando Carlos de um incómodo compromisso  Carlos e Dâmaso encontram-se em casa de Maria Eduarda  Dâmaso pede explicações a Carlos
  • 28. Rua S. Francisco = Rua Ivens Capítulo XI
  • 29. Capítulo XII  Ega volta para Lisboa e instala-se no Ramalhete  Afonso critica a ociosidade de Carlos e Ega  Carlos e Ega vão ao jantar dos Gouvarinho  Dâmaso vai a casa de Maria Eduarda, mas esta recusa recebê-lo  Carlos confessa o seu amor a Maria Eduarda  Carlos compra a quinta dos Olivais a Craft  Carlos confidencia os seus amores a Ega
  • 30. Capítulo XIII  Ega informa Carlos das difamações de Dâmaso a seu respeito e a respeito de Maria Eduarda.  Carlos ameaça Dâmaso de lhe arrancar as orelhas  Carlos e Maria Eduarda visitam a quinta dos Olivais (Toca)  Aniversário de Afonso  A Gouvarinho pede explicações a Carlos  Carlos rompe as relações com a Gouvarinho  Dâmaso quer saber se Carlos tinha intenção de o ofender
  • 31. A Toca = Quinta do Contador Mor Capítulo XIII
  • 32. Capítulo XIV  Afonso parte para Santa Olávia  Maria Eduarda parte para os Olivais  Ega parte para Sintra  Carlos fica só em Lisboa  Alencar apresenta Guimarães a Carlos  Idílio Carlos/Maria Eduarda  Maria Eduarda visita o Ramalhete  Carlos vai a Santa Olávia e regressa  Carlos recebe Castro Gomes e este revela-lhe que não é marido de Maria Eduarda  Carlos fica desesperado e decide terminar a relação.  Carlos perante Maria Eduarda não consegue manter decisão  A longa história de Maria Eduarda  Carlos propõe casamento a Maria Eduarda
  • 33. Capítulo XV  Maria Eduarda, na Toca, conta a Carlos a sua vida atribulada  Carlos conta a Ega o propósito de partir com Maria Eduarda  O avô – obstáculo a esta ideia  Ega, Carlos e Maria Eduarda jantam nos Olivais  Toca, ponto de reunião de amigos  Dâmaso difama publicamente Carlos na “Corneta do Diabo”  Ega e Cruges desafiam Dâmaso  Dâmaso retracta-se num documento que é obrigado a escrever  Carlos sente-se vingado  Afonso regressa a Lisboa  Carlos regressa ao Ramalhete  Maria Eduarda regressa à rua de S. Francisco  Ega vê Dâmaso com Raquel Cohen  Ega publica a retractação de Dâmaso
  • 34. Capítulo XVI  Carlos e Ega em casa de Maria Eduarda  O Sarau Literário no Teatro da Trindade ode intervêm: O Rufino que fala da caridade e do progresso num tom muito inflamado; o Alencar que recita uma poesia intitulada A Democracia; O Cruges que toca a Sonata Patética de Beethoven: E a marquesa de Soutal, muito séria, muito bela(...) disse que era a Sonata Pateta. Por toda a bancada foi um rastilho de risos sufocados.  Guimarães confia a Ega um cofre que lhe tinha sido entregue, em Paris, pela mãe de Carlos antes de morrer  Guimarães pede-lhe para entregar o cofre ao Carlos da Maia ou à irmã.  Ega, horrorizado, resolve pôr o Vilaça ao corrente desta situação
  • 35. Teatro da Trindade Capítulo XVI
  • 36. Capítulo XVII  Vilaça revela a Carlos a notícia  Ega e Carlos conversam sobre o assunto  Carlos dá abruptamente a notícia a Afonso  Afonso diz a Ega que sabia da paixão entre Carlos e Maria Eduarda  Carlos decide dar ele mesmo a notícia a Maria Eduarda  Carlos, face a Maria Eduarda, deixa-se levar e nada lhe revela: dorme com ela na plena consciência da consanguinidade.  Carlos, vindo da casa de Maria Eduarda encontra o avô cujos olhos o fixam horrorizados, lendo o seu segredo.  Afonso morre  Carlos parte para Santa Olávia  Ega revela a Maria Eduarda o seu parentesco com Carlos  Maria Eduarda parte para Paris e Ega vai ter com Carlos  Apanham os dois o mesmo comboio e despedem-se no Entroncamento
  • 37. Capítulo XVIII  A Gazeta ilustrada noticia a viagem de Carlos e João da Ega  Ega volta a Lisboa ano e meio depois  Carlos volta a Portugal, dez anos depois  Carlos e Ega almoçam no Hotel Bragança  Carlos e Ega visitam Ramalhete e comentam o casamento de Maria Eduarda com um fidalgo francês  Passeiam por Lisboa e comentam a estagnação, a indolência, a decadência e a ociosidade em que continua mergulhado o país  Expõem a sua filosofia de vida, dizem-se uns românticos, comentam que falharam a vida e que é inútil qualquer esforço  Ambos desatam a correr para apanhar o americano Ainda o apanhamos! Ainda o apanhamos!
  • 38. O Passeio de Carlos e Ega por Lisboa Capítulo XVIII Ora aí tens tu essa Avenida! Hem!...Já não é mau!
  • 40. Break
  • 41. Vitória De origem inglesa, surgiu em meados do século XIX. Carro macio, leve, com capota que se abre. As mais elegantes eram pretas, sem decoração. O nome veio da rainha Vitória, que pôs em moda este tipo de carruagem