SlideShare uma empresa Scribd logo
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Marguerite Donnadieu , nasceu em 1914 em Vietnam, onde passou a sua infância e adolescência. Aos 17 anos, estudou Direito e Ciência Política no Sorbonne, em França.  Nessa altura, decide mudar o seu apelido Donnadieu por Duras, nome de uma vila francesa, terra natal do seu pai. Marguerite Duras morreu no dia 3 de Março de 1996, em Paris devido a um cancro na garganta. “ Quando esse pequeno pedaço de gente com grandes óculos e voz de final de comício participa da resistência ou faz política, quando acredita no comunismo e depois o execra, ela o faz com as suas entranhas, sem moderação nem prudência.”
A escritora relata-nos uma história de uma menina de quinze anos e meio que fez a travessia do rio Sadec até Saigão, para o pensionato, onde esta estudava. Apanhou o carro que saíra da praça do mercado de Sadec, e sua mãe recomendou-a ao motorista, para caso houvesse algum acidente, este sentou-a atrás de si. Chegou ao barco no qual iria para Saigão e é ai que se apaixona por um homem Chinês que chega de limusina e se aproxima dela perguntando se deseja fumar, esta limita-se a responder as suas perguntas e recusa fumar. Quando chegaram a Saigão o homem Chinês pergunta-lhe se aceita que a acompanhe até ao pensionato, ela sem maneira de dizer que não acaba por aceitar. No final das aulas o homem Chinês não acabava com o ritual, todos os dias ia buscá-la ao pensionato levando-a para sua casa, onde este viera-lhe a ensinar o significado do prazer, sendo doze anos mais velho que ela, que se torna seu amante.
Tem como história central a relação com o amante, mas porém, há uma descrição da vida colonial, da pobreza e da relação com a família, não sendo uma vida estável principalmente a figura da mãe com o seu irmão mais velho. Esta vida instável é devido à sua situação financeira não ser a mais acessível uma vez que vivem apenas das aparências, mantendo o estatuto até ai usufruído, e também devido à situação do irmão mais velho que entra por caminhos de ópio e chega a uma ponto que se vê sem dinheiro para o seu “investimento”, é quando este vai para França, supostamente para tirar um curso e acaba por enganar a mãe.
Com o seu namoro com o homem mais velho, extremamente rico, sendo filho de um empresário chinês e sendo dependente e de constituição física delicada. Todas estas características fazem com que a família da jovem lhe proporcione desprezo aquando um jantar num restaurante chiquíssimo, tendo sido um jantar de apresentação à família da jovem, mas esta dizia à família que eram apenas amigos, um amigo que a levou a casa. As mulheres são, em geral, vistas como seres solitários, dependentes e emocionalmente frágeis. E é essa fragilidade, essa solidão, que conduz a jovem até à relação intensa mas passageira com o amante. Havendo porém uma fragilidade vindo do homem rico, que não possui nome, uma vez que este não consegue assumir qualquer compromisso devido a uma cultura diferente e classes sociais diferentes.
Devido a estas razões, ela não se entrega por amor nem sequer por atracção, mas sim por revolta e solidão. Pelo contrário, é a sua paixão pela amiga do colégio, Hélène, que a realiza mesmo não passando de uma paixão platónica. O seu envolvimento com o homem rico acaba por finalizar uma vez que este é obrigado a casar e esta parte novamente para Sadec. Não havendo uma despedida como teria ficado combinado que após o seu casamento, ele voltaria a casa para terem o último momento juntos, isso não aconteceu, a jovem esperou e acabou por partir, vendo no regresso a Sadec, a limusina preta escondida para que esta não o visse. Com o regresso desta a Sadec o irmão mais novo dela, Paul, o único que tinha nome, acabara de falecer, sendo uma dor insuportável e sentido ela cada vez mais falta daquele homem rico que o deixara partir.
“ Qual é a idade do desejo?” “ Quem são os amantes?” “ São os que amam incessantemente e fazem deste amor tão importante quanto o ar que respiram.”
“ Aos dezoito anos envelheci. (…) Em vez de me assustar, vi operar-se este envelhecimento do meu rosto com o interesse que teria, por exemplo, pelo desenrolar de uma leitura. (… ) Conservei esse novo rosto. Foi o meu rosto.” “ A pele é duma sumptuosa suavidade. (…) Não o olha.Toca-o. Toca a doçura da pele, acaricia a cor dourada, a desconhecida novidade.(…). Está num estado de amor abominável.”  “ (...)E depois dissera-lho. Dissera-lhe que era como dantes, que ainda a amava, que nunca puderia deixar de a amar, que a amaria até à morte.”
CAPAS DOS LIVROS Á VOLTA DO MUNDO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
Célia Gonçalves
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livro
Cristina Marcelino
 
Projeto leitura 10ºano
Projeto leitura 10ºanoProjeto leitura 10ºano
Projeto leitura 10ºano
BibliotecaESDS
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
domplex123
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
Cláudia Cardoso
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
ClaudiaSacres
 
Processos fonologicos
Processos fonologicosProcessos fonologicos
Processos fonologicos
ameliapadrao
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
inessalgado
 
Ano da morte
Ano da morteAno da morte
Ano da morte
Veronica Baptista
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
Sílvia Faim
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
Raquel Antunes
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Maria João Lima
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Gijasilvelitz 2
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento direto
quintaldasletras
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
Susana Sobrenome
 
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os MaiasA Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
mauro dinis
 
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - PrimaveraO Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
Margarida Santos
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas
713773
 

Mais procurados (20)

Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livro
 
Projeto leitura 10ºano
Projeto leitura 10ºanoProjeto leitura 10ºano
Projeto leitura 10ºano
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
 
Processos fonologicos
Processos fonologicosProcessos fonologicos
Processos fonologicos
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
 
Ano da morte
Ano da morteAno da morte
Ano da morte
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Ficha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correçãoFicha formativa de orações com correção
Ficha formativa de orações com correção
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento direto
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os MaiasA Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
 
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - PrimaveraO Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas
 

Semelhante a Apresentação do livro de portugues

Ficha de leitura Ana Julia
Ficha de leitura Ana JuliaFicha de leitura Ana Julia
Ficha de leitura Ana Julia
12anogolega
 
Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
Andriane Cursino
 
Encarnação
EncarnaçãoEncarnação
Encarnação
LRede
 
O conto no moinho
O conto no moinhoO conto no moinho
O conto no moinho
frederico194320
 
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiçoApresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
teresakashino
 
Amor, O Interminavel Aprendizado Affonso Romano De Santana
Amor, O Interminavel Aprendizado   Affonso Romano De SantanaAmor, O Interminavel Aprendizado   Affonso Romano De Santana
Amor, O Interminavel Aprendizado Affonso Romano De Santana
Bruna Dalmagro
 
A painful cas1
A painful cas1A painful cas1
A painful cas1
Franciele Rosa
 
Enquanto Deus não está olhando
Enquanto Deus não está olhandoEnquanto Deus não está olhando
Enquanto Deus não está olhando
Ana Batista
 
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismoApostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Fernanda Rocha
 
Contrato de leitura,
Contrato de leitura, Contrato de leitura,
Contrato de leitura,
Joana_bessa
 
( Espiritismo) # - marcelo cezar - so deus sabe
( Espiritismo)   # - marcelo cezar - so deus sabe( Espiritismo)   # - marcelo cezar - so deus sabe
( Espiritismo) # - marcelo cezar - so deus sabe
Roberto Mac
 
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.pptslides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
GabyFreindemberg
 
A Moreninha.docx
A Moreninha.docxA Moreninha.docx
A Moreninha.docx
2014fernanda
 
Ficha de leitura sobre felicidade clandestina
Ficha de leitura sobre felicidade clandestinaFicha de leitura sobre felicidade clandestina
Ficha de leitura sobre felicidade clandestina
Duda Pequena
 
As Maninas
As ManinasAs Maninas
As Maninas
jorgealess
 
mua8.pptx
mua8.pptxmua8.pptx
mua8.pptx
ToSCompany
 
Apresentação1 (6)a moreninha guilherme e rafaela
Apresentação1 (6)a moreninha  guilherme e rafaelaApresentação1 (6)a moreninha  guilherme e rafaela
Apresentação1 (6)a moreninha guilherme e rafaela
teresakashino
 
Barbara cartland a fugitiva (coleção barbara cartland 384)
Barbara cartland    a  fugitiva (coleção barbara cartland 384)Barbara cartland    a  fugitiva (coleção barbara cartland 384)
Barbara cartland a fugitiva (coleção barbara cartland 384)
Marylin Loureiro
 
A painful case
A painful caseA painful case
A painful case
Franciele Rosa
 
Nathalia Costa 8a
Nathalia Costa 8aNathalia Costa 8a
Nathalia Costa 8a
Blairvll
 

Semelhante a Apresentação do livro de portugues (20)

Ficha de leitura Ana Julia
Ficha de leitura Ana JuliaFicha de leitura Ana Julia
Ficha de leitura Ana Julia
 
Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
 
Encarnação
EncarnaçãoEncarnação
Encarnação
 
O conto no moinho
O conto no moinhoO conto no moinho
O conto no moinho
 
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiçoApresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
Apresentação1 (4)giovanna e laura. senhora e O cortiço
 
Amor, O Interminavel Aprendizado Affonso Romano De Santana
Amor, O Interminavel Aprendizado   Affonso Romano De SantanaAmor, O Interminavel Aprendizado   Affonso Romano De Santana
Amor, O Interminavel Aprendizado Affonso Romano De Santana
 
A painful cas1
A painful cas1A painful cas1
A painful cas1
 
Enquanto Deus não está olhando
Enquanto Deus não está olhandoEnquanto Deus não está olhando
Enquanto Deus não está olhando
 
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismoApostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
Apostila sobre o romantismo em portugal e o pré modernismo
 
Contrato de leitura,
Contrato de leitura, Contrato de leitura,
Contrato de leitura,
 
( Espiritismo) # - marcelo cezar - so deus sabe
( Espiritismo)   # - marcelo cezar - so deus sabe( Espiritismo)   # - marcelo cezar - so deus sabe
( Espiritismo) # - marcelo cezar - so deus sabe
 
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.pptslides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
slides sobre MOLL FLANDERS- análise literária.ppt
 
A Moreninha.docx
A Moreninha.docxA Moreninha.docx
A Moreninha.docx
 
Ficha de leitura sobre felicidade clandestina
Ficha de leitura sobre felicidade clandestinaFicha de leitura sobre felicidade clandestina
Ficha de leitura sobre felicidade clandestina
 
As Maninas
As ManinasAs Maninas
As Maninas
 
mua8.pptx
mua8.pptxmua8.pptx
mua8.pptx
 
Apresentação1 (6)a moreninha guilherme e rafaela
Apresentação1 (6)a moreninha  guilherme e rafaelaApresentação1 (6)a moreninha  guilherme e rafaela
Apresentação1 (6)a moreninha guilherme e rafaela
 
Barbara cartland a fugitiva (coleção barbara cartland 384)
Barbara cartland    a  fugitiva (coleção barbara cartland 384)Barbara cartland    a  fugitiva (coleção barbara cartland 384)
Barbara cartland a fugitiva (coleção barbara cartland 384)
 
A painful case
A painful caseA painful case
A painful case
 
Nathalia Costa 8a
Nathalia Costa 8aNathalia Costa 8a
Nathalia Costa 8a
 

Mais de 12anogolega

Voluntariado - AP
Voluntariado - APVoluntariado - AP
Voluntariado - AP
12anogolega
 
Curiosidades - AP
Curiosidades - APCuriosidades - AP
Curiosidades - AP
12anogolega
 
Água - Biologia
Água - BiologiaÁgua - Biologia
Água - Biologia
12anogolega
 
Esquizofrenia - AP
Esquizofrenia - APEsquizofrenia - AP
Esquizofrenia - AP
12anogolega
 
Psi - Inês
Psi - InêsPsi - Inês
Psi - Inês
12anogolega
 
Psi3 - Inês
Psi3 - InêsPsi3 - Inês
Psi3 - Inês
12anogolega
 
Psi4 - Inês
Psi4 - InêsPsi4 - Inês
Psi4 - Inês
12anogolega
 
Psi2 - Inês
Psi2 - InêsPsi2 - Inês
Psi2 - Inês
12anogolega
 
Last PP - Telma
Last PP - TelmaLast PP - Telma
Last PP - Telma
12anogolega
 
Last PP - Leonor
Last PP - LeonorLast PP - Leonor
Last PP - Leonor
12anogolega
 
Last PP - Inês
Last PP - InêsLast PP - Inês
Last PP - Inês
12anogolega
 
Last PP - Guadalupe
Last PP - GuadalupeLast PP - Guadalupe
Last PP - Guadalupe
12anogolega
 
Last PP - Paulo
Last PP - PauloLast PP - Paulo
Last PP - Paulo
12anogolega
 
Last PP - Magy
Last PP - MagyLast PP - Magy
Last PP - Magy
12anogolega
 
Last PP - Constança
Last PP - ConstançaLast PP - Constança
Last PP - Constança
12anogolega
 
Last PP - Julha
Last PP - JulhaLast PP - Julha
Last PP - Julha
12anogolega
 
Last PP - Cláudia
Last PP - CláudiaLast PP - Cláudia
Last PP - Cláudia
12anogolega
 
Capítulo XIX - MC
Capítulo XIX - MCCapítulo XIX - MC
Capítulo XIX - MC
12anogolega
 
Last FL - Telma
Last FL - TelmaLast FL - Telma
Last FL - Telma
12anogolega
 

Mais de 12anogolega (20)

Voluntariado - AP
Voluntariado - APVoluntariado - AP
Voluntariado - AP
 
Curiosidades - AP
Curiosidades - APCuriosidades - AP
Curiosidades - AP
 
Água - Biologia
Água - BiologiaÁgua - Biologia
Água - Biologia
 
Esquizofrenia - AP
Esquizofrenia - APEsquizofrenia - AP
Esquizofrenia - AP
 
Psi - Inês
Psi - InêsPsi - Inês
Psi - Inês
 
Psi3 - Inês
Psi3 - InêsPsi3 - Inês
Psi3 - Inês
 
Psi4 - Inês
Psi4 - InêsPsi4 - Inês
Psi4 - Inês
 
Psi2 - Inês
Psi2 - InêsPsi2 - Inês
Psi2 - Inês
 
Last PP - Telma
Last PP - TelmaLast PP - Telma
Last PP - Telma
 
Last PP - Leonor
Last PP - LeonorLast PP - Leonor
Last PP - Leonor
 
Last PP - Inês
Last PP - InêsLast PP - Inês
Last PP - Inês
 
Last PP - Guadalupe
Last PP - GuadalupeLast PP - Guadalupe
Last PP - Guadalupe
 
Last PP - Paulo
Last PP - PauloLast PP - Paulo
Last PP - Paulo
 
Last PP - Magy
Last PP - MagyLast PP - Magy
Last PP - Magy
 
Last PP - Constança
Last PP - ConstançaLast PP - Constança
Last PP - Constança
 
Last PP - Julha
Last PP - JulhaLast PP - Julha
Last PP - Julha
 
Last PP - Adri
Last PP - AdriLast PP - Adri
Last PP - Adri
 
Last PP - Cláudia
Last PP - CláudiaLast PP - Cláudia
Last PP - Cláudia
 
Capítulo XIX - MC
Capítulo XIX - MCCapítulo XIX - MC
Capítulo XIX - MC
 
Last FL - Telma
Last FL - TelmaLast FL - Telma
Last FL - Telma
 

Apresentação do livro de portugues

  • 1.  
  • 2.
  • 3. Marguerite Donnadieu , nasceu em 1914 em Vietnam, onde passou a sua infância e adolescência. Aos 17 anos, estudou Direito e Ciência Política no Sorbonne, em França. Nessa altura, decide mudar o seu apelido Donnadieu por Duras, nome de uma vila francesa, terra natal do seu pai. Marguerite Duras morreu no dia 3 de Março de 1996, em Paris devido a um cancro na garganta. “ Quando esse pequeno pedaço de gente com grandes óculos e voz de final de comício participa da resistência ou faz política, quando acredita no comunismo e depois o execra, ela o faz com as suas entranhas, sem moderação nem prudência.”
  • 4. A escritora relata-nos uma história de uma menina de quinze anos e meio que fez a travessia do rio Sadec até Saigão, para o pensionato, onde esta estudava. Apanhou o carro que saíra da praça do mercado de Sadec, e sua mãe recomendou-a ao motorista, para caso houvesse algum acidente, este sentou-a atrás de si. Chegou ao barco no qual iria para Saigão e é ai que se apaixona por um homem Chinês que chega de limusina e se aproxima dela perguntando se deseja fumar, esta limita-se a responder as suas perguntas e recusa fumar. Quando chegaram a Saigão o homem Chinês pergunta-lhe se aceita que a acompanhe até ao pensionato, ela sem maneira de dizer que não acaba por aceitar. No final das aulas o homem Chinês não acabava com o ritual, todos os dias ia buscá-la ao pensionato levando-a para sua casa, onde este viera-lhe a ensinar o significado do prazer, sendo doze anos mais velho que ela, que se torna seu amante.
  • 5. Tem como história central a relação com o amante, mas porém, há uma descrição da vida colonial, da pobreza e da relação com a família, não sendo uma vida estável principalmente a figura da mãe com o seu irmão mais velho. Esta vida instável é devido à sua situação financeira não ser a mais acessível uma vez que vivem apenas das aparências, mantendo o estatuto até ai usufruído, e também devido à situação do irmão mais velho que entra por caminhos de ópio e chega a uma ponto que se vê sem dinheiro para o seu “investimento”, é quando este vai para França, supostamente para tirar um curso e acaba por enganar a mãe.
  • 6. Com o seu namoro com o homem mais velho, extremamente rico, sendo filho de um empresário chinês e sendo dependente e de constituição física delicada. Todas estas características fazem com que a família da jovem lhe proporcione desprezo aquando um jantar num restaurante chiquíssimo, tendo sido um jantar de apresentação à família da jovem, mas esta dizia à família que eram apenas amigos, um amigo que a levou a casa. As mulheres são, em geral, vistas como seres solitários, dependentes e emocionalmente frágeis. E é essa fragilidade, essa solidão, que conduz a jovem até à relação intensa mas passageira com o amante. Havendo porém uma fragilidade vindo do homem rico, que não possui nome, uma vez que este não consegue assumir qualquer compromisso devido a uma cultura diferente e classes sociais diferentes.
  • 7. Devido a estas razões, ela não se entrega por amor nem sequer por atracção, mas sim por revolta e solidão. Pelo contrário, é a sua paixão pela amiga do colégio, Hélène, que a realiza mesmo não passando de uma paixão platónica. O seu envolvimento com o homem rico acaba por finalizar uma vez que este é obrigado a casar e esta parte novamente para Sadec. Não havendo uma despedida como teria ficado combinado que após o seu casamento, ele voltaria a casa para terem o último momento juntos, isso não aconteceu, a jovem esperou e acabou por partir, vendo no regresso a Sadec, a limusina preta escondida para que esta não o visse. Com o regresso desta a Sadec o irmão mais novo dela, Paul, o único que tinha nome, acabara de falecer, sendo uma dor insuportável e sentido ela cada vez mais falta daquele homem rico que o deixara partir.
  • 8. “ Qual é a idade do desejo?” “ Quem são os amantes?” “ São os que amam incessantemente e fazem deste amor tão importante quanto o ar que respiram.”
  • 9. “ Aos dezoito anos envelheci. (…) Em vez de me assustar, vi operar-se este envelhecimento do meu rosto com o interesse que teria, por exemplo, pelo desenrolar de uma leitura. (… ) Conservei esse novo rosto. Foi o meu rosto.” “ A pele é duma sumptuosa suavidade. (…) Não o olha.Toca-o. Toca a doçura da pele, acaricia a cor dourada, a desconhecida novidade.(…). Está num estado de amor abominável.” “ (...)E depois dissera-lho. Dissera-lhe que era como dantes, que ainda a amava, que nunca puderia deixar de a amar, que a amaria até à morte.”
  • 10. CAPAS DOS LIVROS Á VOLTA DO MUNDO