SlideShare uma empresa Scribd logo
Orquestra
Uma Introdução
“Diz-se, com muita propriedade, que a música é
a fala dos anjos”
Thomas Carlyle
Platão, que se interessava pelos efeitos da
música nas pessoas, afirmava que ela “é o
remédio da alma e tem poder de transformar.”
A música erudita, em especial, é considerada
por suas propriedades de acalmar, promover
elevação espiritual, harmonizar sentimentos.
Mas, atualmente, poucas
pessoas consideram que
conhecem a música erudita e,
também, é reduzido o número
daqueles que a apreciam.
Entretanto, as pessoas que afirmam
desconhecer ou desgostar da música erudita
já devem ter ouvido mais música orquestral e
devem ter se emocionado com ela muito mais
do que imaginam.
A música erudita está presente em filmes, em
programas de televisão, para dar o tom da
emoção a uma cena ou evento...
...o medo e o terror em filmes como Psicose, de
Alfred Hitchcock
o humor em desenhos animados
o clima de amor em filmes românticos
o sentimento de ação em jogos de video-game
Se você prestar atenção perceberá que
composições eruditas estão por toda a parte.
A primeira coisa que as pessoas normalmente
notam quando ouvem música sinfônica é a sua
GRANDIOSIDADE e a sua complexidade.
A produção de música
erudita tem uma longa
história, que se inicia
no período Barroco, de
1600 a 1750.
Nessa época, a música
era concebida para os
reis, a nobreza e a
Igreja.
Assim como a arquitetura, a pintura e a
escultura dessa época, a música era cheia de
detalhes, pode se dizer exagerada e impactante.
Em Veneza, na Itália, compositores compunham
músicas para serem tocadas na Catedral de São
Marcos.
Os músicos se colocavam nos balcões perto do
altar e por toda igreja, para envolver os ouvintes
na música. Assim nasceu a música orquestral.
Entre os músicos dessa época estão Vivaldi e Bach.
Antônio Vivaldi era um padre e músico veneziano,
com grande talento para o violino.
Seus concertos ficaram famosos na Europa e o
formato que ele desenvolveu serviu de modelo para
concertos compostos por todo o mundo.
Ele combinava 3 partes, chamadas movimentos,
cujo andamento variava de rápido, para o lento e
novamente para o rápido.
Vivaldi compôs cerca de 500 concertos para
instrumentos solo e orquestras, mas sua obra
mais famosa é “As Quatro Estações”, uma série
de quatro concertos para violino.
Um concerto é uma peça musical de média
duração, que consiste na oposição de um ou
mais instrumentos solistas a uma orquestra ou a
um grupo instrumental que executa o
acompanhamento.
Vivaldi viveu de
1678 a 1741.
Outro compositor importante foi Johann Sebastian
Bach, um grande músico na sua época e ainda hoje
comemorado.
Apesar de não ter sido conhecido mundialmente
em vida, depois de quase 100 anos de sua morte,
quando outro músico, Mendelssohn, o descobriu.
Uma de suas composições mais famosas foi um
peça composta para músicos que tocam
instrumentos de teclas, chamada “O cravo bem-
temperado”.
O período da música clássica iniciou
aproximadamente em 1770 e se estendeu até 1830.
As músicas eram mais simples que aquelas do
Barroco, pois objetivavam agradar a pessoas
comuns, como comerciantes e professores que
lecionavam a crianças.
Essa era a época chamada Idade da Razão, da
invenção da eletricidade, das grandes edificações.
Havia muitos comerciantes que financiavam a
produção artística, o que era chamado de
mecenato, em homenagem a Caio Mecenas,
conselheiro do imperador romano César.
Um dos grandes compositores dessa época é
Haydn, que viveu de 1732 a 1809.
Fanz Joseph Haydn foi um compositor austríaco,
excelente professor, que teve como alunos
Mozart e Beethoven.
Compôs 104 sinfonias, óperas e peças religiosas,
lançando as bases da música produzida após sua
obra.
Mozart, outro músico da época clássica, foi
considerado um menino-prodígio, pois desde
criança, aos 5 anos, apresentava talento
excepcional para a música.
Ele era capaz de compor uma música ‘de uma
vez’, como se tivesse ‘inteira na cabeça’. Certa
vez ele disse:
“Eu componho música como um porco faz xixi.”
Beethoven (1770-1827) foi outro músico clássico
importante, não apenas por seu talento e gênio,
mas também porque sua música refletia a arte e
pensamento da era clássica.
Ele foi o responsável por lançar os elementos do
romantismo na música, fazendo uma ponte
entre os dois períodos.
Uma das obras mais marcantes de Beethoven
também foi uma das últimas, a Nona sinfonia.
O impacto que essa obra teve sobre o público de
sua época e até hoje é impressionante.
O coro da Nona de Beethoven pode ser composto
por 35 vozes, mas muitas vezes se apresentam
como se fossem mais de 100. Com vozes humanas
cantando “Ode à alegria”, do poeta Schiller,
Beethoven conseguiu transmitir uma mensagem de
paz e fraternidade da forma mais eficaz do que
seria possível por qualquer outro meio.
No período romântico a música orquestral já havia
avançado muito. Era dotada de floreados e
profusão de notas como no barroco, mas com a
simplicidade reflexiva da era clássica.
Os compositores românticos aceitaram de bom
grado as lições dos períodos anteriores e deram à
música paixão e dramaticidade.
Usavam a música para imprimir paixão, tristeza e
outros sentimentos arrebatadores. Os músicos
nessa época eram vistos como estrelas, assim como
são hoje.
Entre os compositores dessa época estão:
Wagner (1813-1883)
Tchaikovsky (1840-1893)
Brahms (1833-1897)
Na era moderna, a música orquestral passa por
muitas mudanças. Os compositores passam a
explorar novos tipos de músicas e instrumentos,
além de diversificar as formas de compor e executar
as obras musicais.
A pintura, a poesia e até os caubóis passam a ser
inspiração para músicas.
Elementos de todos os períodos anteriores se
fundem, além de incorporar músicas de outras
épocas, locais, culturas.
São compositores dessa época:
Debussy (1862-1918)
Stravinsky (1882-1971)
Gershwin (1898-1937)
Orquestra introdução

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Período Clássico - Música
Período Clássico - MúsicaPeríodo Clássico - Música
Período Clássico - Música
Carolina Sobrenome
 
Powerpoint musica antiga - barroco i
Powerpoint   musica antiga - barroco iPowerpoint   musica antiga - barroco i
Powerpoint musica antiga - barroco i
Ricardo Catete
 
Artes performáticas: Música,teatro e festividades
Artes performáticas: Música,teatro e festividadesArtes performáticas: Música,teatro e festividades
Artes performáticas: Música,teatro e festividades
Márcia Cristine
 
Música clássica
Música clássicaMúsica clássica
Música clássica
IsabelPereira2010
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
diogo_lopes
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
Felipe Pouchucq
 
Música na europa renascença
Música na europa renascençaMúsica na europa renascença
Música na europa renascença
ceciliavanessa
 
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
Leonardo Brum
 
CULTURA ERUDITA
CULTURA ERUDITA CULTURA ERUDITA
CULTURA ERUDITA
Isabelle Lacerda
 
Musica barroca
Musica barrocaMusica barroca
Musica barroca
Junior Onildo
 
A música barroca
A música barrocaA música barroca
A música barroca
Isabella Silva
 
A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)
Wesley Germano Otávio
 
Períodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música OcidentalPeríodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música Ocidental
cecilianoclaro
 
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e BarrocoMúsica, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Gabriel Resende
 
O Período Barroco e a Música
O Período Barroco e a MúsicaO Período Barroco e a Música
O Período Barroco e a Música
João Costa
 
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power PointNovo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
martinsramon
 
A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)
Marcos Feitosa
 
Beethoven trabalho artes
Beethoven trabalho artesBeethoven trabalho artes
Beethoven trabalho artes
danielhc08
 
A música na Idade Média, por Marcos Filho
A música na Idade Média, por Marcos FilhoA música na Idade Média, por Marcos Filho
A música na Idade Média, por Marcos Filho
Marcos Filho
 
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
Jonas Martins
 

Mais procurados (20)

Período Clássico - Música
Período Clássico - MúsicaPeríodo Clássico - Música
Período Clássico - Música
 
Powerpoint musica antiga - barroco i
Powerpoint   musica antiga - barroco iPowerpoint   musica antiga - barroco i
Powerpoint musica antiga - barroco i
 
Artes performáticas: Música,teatro e festividades
Artes performáticas: Música,teatro e festividadesArtes performáticas: Música,teatro e festividades
Artes performáticas: Música,teatro e festividades
 
Música clássica
Música clássicaMúsica clássica
Música clássica
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
 
Historia da musica
Historia da musicaHistoria da musica
Historia da musica
 
Música na europa renascença
Música na europa renascençaMúsica na europa renascença
Música na europa renascença
 
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
História da Música I - 7ª e 8ª aulas (Renascimento)
 
CULTURA ERUDITA
CULTURA ERUDITA CULTURA ERUDITA
CULTURA ERUDITA
 
Musica barroca
Musica barrocaMusica barroca
Musica barroca
 
A música barroca
A música barrocaA música barroca
A música barroca
 
A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)A música clássica (Classicismo)
A música clássica (Classicismo)
 
Períodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música OcidentalPeríodos Da Música Ocidental
Períodos Da Música Ocidental
 
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e BarrocoMúsica, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
 
O Período Barroco e a Música
O Período Barroco e a MúsicaO Período Barroco e a Música
O Período Barroco e a Música
 
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power PointNovo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
Novo(A) ApresentaçãO Do Microsoft Power Point
 
A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)A música e o ruído (aula interativa)
A música e o ruído (aula interativa)
 
Beethoven trabalho artes
Beethoven trabalho artesBeethoven trabalho artes
Beethoven trabalho artes
 
A música na Idade Média, por Marcos Filho
A música na Idade Média, por Marcos FilhoA música na Idade Média, por Marcos Filho
A música na Idade Média, por Marcos Filho
 
História da Música - FVJ
História da Música - FVJ História da Música - FVJ
História da Música - FVJ
 

Semelhante a Orquestra introdução

Van Beethoven
Van BeethovenVan Beethoven
Van Beethoven
martinsramon
 
Van Beethoven
Van BeethovenVan Beethoven
Van Beethoven
jussara cavalcanti
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
Meire Falco
 
A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1
HOME
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
RuteFolhas
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
Regina Coutinho
 
Historia da música clássica
Historia da música clássicaHistoria da música clássica
Historia da música clássica
Umberto Pacheco
 
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
Marcos Antonio da Silva
 
Periodo Clássico / Classicismo
Periodo Clássico / ClassicismoPeriodo Clássico / Classicismo
Periodo Clássico / Classicismo
Carolina Sobrenome
 
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
Sílvia Mendonça
 
Musica
MusicaMusica
A história da música (resumo)
A história da música (resumo)A história da música (resumo)
A história da música (resumo)
Musician
 
Beethove nforçalevezaemisterio (2)
Beethove nforçalevezaemisterio (2)Beethove nforçalevezaemisterio (2)
Beethove nforçalevezaemisterio (2)
Jean Francesco
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
andreiapintocm
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da Música
Meire Falco
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
BE/CRE
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
be23ceb
 
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
BRIAN MOORE
 
Gui
GuiGui
A musica no periodo classico
A musica no periodo classicoA musica no periodo classico
A musica no periodo classico
SarahBlasi
 

Semelhante a Orquestra introdução (20)

Van Beethoven
Van BeethovenVan Beethoven
Van Beethoven
 
Van Beethoven
Van BeethovenVan Beethoven
Van Beethoven
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
 
A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1A HistóRia Da MúSic1
A HistóRia Da MúSic1
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
 
Powerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusicaPowerpoint bibliomusica
Powerpoint bibliomusica
 
Historia da música clássica
Historia da música clássicaHistoria da música clássica
Historia da música clássica
 
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
Bach e Pink Floyd - Breve estudo comparativo entre as musicas - Pe Bertrand L...
 
Periodo Clássico / Classicismo
Periodo Clássico / ClassicismoPeriodo Clássico / Classicismo
Periodo Clássico / Classicismo
 
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
Ludwig Van Beethoven (1770 1827)
 
Musica
MusicaMusica
Musica
 
A história da música (resumo)
A história da música (resumo)A história da música (resumo)
A história da música (resumo)
 
Beethove nforçalevezaemisterio (2)
Beethove nforçalevezaemisterio (2)Beethove nforçalevezaemisterio (2)
Beethove nforçalevezaemisterio (2)
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da Música
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
 
História da Música
História da MúsicaHistória da Música
História da Música
 
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
Bach e pink floyd breve estudo comparativo entre a música clássica e a música...
 
Gui
GuiGui
Gui
 
A musica no periodo classico
A musica no periodo classicoA musica no periodo classico
A musica no periodo classico
 

Mais de Anaí Peña

Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educação
Anaí Peña
 
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino MédioEncontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Anaí Peña
 
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopeeOs desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Anaí Peña
 
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi   sopeeTdah e seus desafios na escola do século xxi   sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
Anaí Peña
 
Apresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicólogaApresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicóloga
Anaí Peña
 
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEBApresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
Anaí Peña
 
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
Formação UNIEB -   Desafios a inclusãoFormação UNIEB -   Desafios a inclusão
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
Anaí Peña
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
Anaí Peña
 
Material de apoio do seaa
Material de apoio do seaaMaterial de apoio do seaa
Material de apoio do seaa
Anaí Peña
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Anaí Peña
 
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
Anaí Peña
 
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdahEstratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Anaí Peña
 
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdahEstratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Anaí Peña
 
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamentalAvaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Anaí Peña
 
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantilProjeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Anaí Peña
 
Mapeamento institucional devolutiva
Mapeamento institucional   devolutivaMapeamento institucional   devolutiva
Mapeamento institucional devolutiva
Anaí Peña
 
Discalculia
DiscalculiaDiscalculia
Discalculia
Anaí Peña
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Anaí Peña
 
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAARelato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Anaí Peña
 
Mapeamento institucional concepções docentes
Mapeamento institucional   concepções docentesMapeamento institucional   concepções docentes
Mapeamento institucional concepções docentes
Anaí Peña
 

Mais de Anaí Peña (20)

Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educação
 
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino MédioEncontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
 
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopeeOs desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
 
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi   sopeeTdah e seus desafios na escola do século xxi   sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
 
Apresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicólogaApresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicóloga
 
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEBApresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
 
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
Formação UNIEB -   Desafios a inclusãoFormação UNIEB -   Desafios a inclusão
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 
Material de apoio do seaa
Material de apoio do seaaMaterial de apoio do seaa
Material de apoio do seaa
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
 
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
 
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdahEstratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
 
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdahEstratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
 
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamentalAvaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
 
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantilProjeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
 
Mapeamento institucional devolutiva
Mapeamento institucional   devolutivaMapeamento institucional   devolutiva
Mapeamento institucional devolutiva
 
Discalculia
DiscalculiaDiscalculia
Discalculia
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAARelato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
 
Mapeamento institucional concepções docentes
Mapeamento institucional   concepções docentesMapeamento institucional   concepções docentes
Mapeamento institucional concepções docentes
 

Último

Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 

Último (20)

Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 

Orquestra introdução

  • 2. “Diz-se, com muita propriedade, que a música é a fala dos anjos” Thomas Carlyle
  • 3. Platão, que se interessava pelos efeitos da música nas pessoas, afirmava que ela “é o remédio da alma e tem poder de transformar.”
  • 4. A música erudita, em especial, é considerada por suas propriedades de acalmar, promover elevação espiritual, harmonizar sentimentos.
  • 5. Mas, atualmente, poucas pessoas consideram que conhecem a música erudita e, também, é reduzido o número daqueles que a apreciam.
  • 6. Entretanto, as pessoas que afirmam desconhecer ou desgostar da música erudita já devem ter ouvido mais música orquestral e devem ter se emocionado com ela muito mais do que imaginam.
  • 7. A música erudita está presente em filmes, em programas de televisão, para dar o tom da emoção a uma cena ou evento... ...o medo e o terror em filmes como Psicose, de Alfred Hitchcock
  • 8. o humor em desenhos animados
  • 9. o clima de amor em filmes românticos
  • 10. o sentimento de ação em jogos de video-game
  • 11. Se você prestar atenção perceberá que composições eruditas estão por toda a parte.
  • 12. A primeira coisa que as pessoas normalmente notam quando ouvem música sinfônica é a sua GRANDIOSIDADE e a sua complexidade.
  • 13. A produção de música erudita tem uma longa história, que se inicia no período Barroco, de 1600 a 1750. Nessa época, a música era concebida para os reis, a nobreza e a Igreja.
  • 14. Assim como a arquitetura, a pintura e a escultura dessa época, a música era cheia de detalhes, pode se dizer exagerada e impactante. Em Veneza, na Itália, compositores compunham músicas para serem tocadas na Catedral de São Marcos. Os músicos se colocavam nos balcões perto do altar e por toda igreja, para envolver os ouvintes na música. Assim nasceu a música orquestral.
  • 15. Entre os músicos dessa época estão Vivaldi e Bach. Antônio Vivaldi era um padre e músico veneziano, com grande talento para o violino. Seus concertos ficaram famosos na Europa e o formato que ele desenvolveu serviu de modelo para concertos compostos por todo o mundo. Ele combinava 3 partes, chamadas movimentos, cujo andamento variava de rápido, para o lento e novamente para o rápido.
  • 16. Vivaldi compôs cerca de 500 concertos para instrumentos solo e orquestras, mas sua obra mais famosa é “As Quatro Estações”, uma série de quatro concertos para violino. Um concerto é uma peça musical de média duração, que consiste na oposição de um ou mais instrumentos solistas a uma orquestra ou a um grupo instrumental que executa o acompanhamento.
  • 18. Outro compositor importante foi Johann Sebastian Bach, um grande músico na sua época e ainda hoje comemorado. Apesar de não ter sido conhecido mundialmente em vida, depois de quase 100 anos de sua morte, quando outro músico, Mendelssohn, o descobriu. Uma de suas composições mais famosas foi um peça composta para músicos que tocam instrumentos de teclas, chamada “O cravo bem- temperado”.
  • 19. O período da música clássica iniciou aproximadamente em 1770 e se estendeu até 1830. As músicas eram mais simples que aquelas do Barroco, pois objetivavam agradar a pessoas comuns, como comerciantes e professores que lecionavam a crianças. Essa era a época chamada Idade da Razão, da invenção da eletricidade, das grandes edificações. Havia muitos comerciantes que financiavam a produção artística, o que era chamado de mecenato, em homenagem a Caio Mecenas, conselheiro do imperador romano César.
  • 20. Um dos grandes compositores dessa época é Haydn, que viveu de 1732 a 1809. Fanz Joseph Haydn foi um compositor austríaco, excelente professor, que teve como alunos Mozart e Beethoven. Compôs 104 sinfonias, óperas e peças religiosas, lançando as bases da música produzida após sua obra.
  • 21. Mozart, outro músico da época clássica, foi considerado um menino-prodígio, pois desde criança, aos 5 anos, apresentava talento excepcional para a música. Ele era capaz de compor uma música ‘de uma vez’, como se tivesse ‘inteira na cabeça’. Certa vez ele disse: “Eu componho música como um porco faz xixi.”
  • 22. Beethoven (1770-1827) foi outro músico clássico importante, não apenas por seu talento e gênio, mas também porque sua música refletia a arte e pensamento da era clássica. Ele foi o responsável por lançar os elementos do romantismo na música, fazendo uma ponte entre os dois períodos.
  • 23. Uma das obras mais marcantes de Beethoven também foi uma das últimas, a Nona sinfonia. O impacto que essa obra teve sobre o público de sua época e até hoje é impressionante. O coro da Nona de Beethoven pode ser composto por 35 vozes, mas muitas vezes se apresentam como se fossem mais de 100. Com vozes humanas cantando “Ode à alegria”, do poeta Schiller, Beethoven conseguiu transmitir uma mensagem de paz e fraternidade da forma mais eficaz do que seria possível por qualquer outro meio.
  • 24. No período romântico a música orquestral já havia avançado muito. Era dotada de floreados e profusão de notas como no barroco, mas com a simplicidade reflexiva da era clássica. Os compositores românticos aceitaram de bom grado as lições dos períodos anteriores e deram à música paixão e dramaticidade. Usavam a música para imprimir paixão, tristeza e outros sentimentos arrebatadores. Os músicos nessa época eram vistos como estrelas, assim como são hoje.
  • 25. Entre os compositores dessa época estão: Wagner (1813-1883) Tchaikovsky (1840-1893) Brahms (1833-1897)
  • 26. Na era moderna, a música orquestral passa por muitas mudanças. Os compositores passam a explorar novos tipos de músicas e instrumentos, além de diversificar as formas de compor e executar as obras musicais. A pintura, a poesia e até os caubóis passam a ser inspiração para músicas. Elementos de todos os períodos anteriores se fundem, além de incorporar músicas de outras épocas, locais, culturas.
  • 27. São compositores dessa época: Debussy (1862-1918) Stravinsky (1882-1971) Gershwin (1898-1937)