SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE
OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO)

       Sessão 6

       Actividade 2

       Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa que elegeu, faça
       uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE,
       nesses Relatórios.



A escolha incidiu, aleatoriamente, sobre oito Relatórios de Avaliação, de diferentes
escolas do País, de Norte a Sul, publicados na página da IGE e que a seguir se
apresentam:

. ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA CHARNECA DA CAPARICA

. AGRUPAMENTO DAS ESCOLAS DE MAFRA

. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DRA MARIA ALICE GOUVEIA – COIMBRA

. ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO SÁ DA BANDEIRA – SANTARÉM

. ESCOLA SECUNDÁRIA POETA ANTÓNIO ALEIXO – PORTIMÃO

. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR

. ESCOLA EB1 /JI DE MONTE ABRAÃO – QUELUZ

. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FREIXO - PONTE DE LIMA




A análise e comentário crítico resultaram da leitura atenta dos referidos relatórios
tendo em comum extrair deles as referências às Bibliotecas Escolares.

De uma forma geral, em quase todos os relatórios são comuns os seguintes aspectos
que passo a enumerar:

- Referências escassas e incipientes às Bibliotecas Escolares, de forma generalizada;

- Menção em alguns casos, apenas como Centro de Recursos;
- Em alguns relatórios, ocorre a referência indirecta à BE através da alusão ao PNL e à
sua integração na RB, como se constata por exemplo, no Relatório do Agrupamento de
Escolas Dra. Maria Alice Gouveia de Coimbra, no ponto 3.3 Gestão dos Recursos
Materiais e Financeiros “A biblioteca escolar/ centro de recursos educativos foi
ampliada de modo a integrar a Rede Nacional de Bibliotecas” e no relatório do
Agrupamento de Escolas de Vila Flor que também menciona de forma indirecta a BE,
no ponto 2. Prestação do Serviço Educativo.

- Em geral, as actividades desenvolvidas na BE/CRE não são referenciadas em
articulação com o currículo;

- Omissão de referências, relativas à participação da BE nos documentos de
organização interna dos agrupamentos (PEA, PAA, PCA…)

- Na generalidade, os relatórios apenas se reportam à sua localização / espaço ou
funcionalidade, como é exemplo o relatório da IGE referente à Escola Secundária Sá da
Bandeira de Santarém, em que a BE/CRE é mencionada na caracterização da escola, na
descrição das instalações, localizando-a no edifício e referindo o espaço exíguo para o
acervo considerável de que dispõe, não fazendo mais nenhuma referência à mesma
nos outros domínios; o mesmo relatório refere a BE nos Constrangimentos “
conservação e adaptação do edifício às exigências actuais, nomeadamente o espaço
destinado ao funcionamento da BE.”, pese embora estas afirmações, não aponta nas
Oportunidades a necessidade de se expandir ou fazer obras.

O relatório do Agrupamento de Escolas de Mafra refere a integração da Biblioteca
Escolar na RBE e assinala que “os recursos, espaços e equipamento estão bem
organizados e acessíveis na BE/CRE”;

No relatório da Escola António Aleixo de Portimão a BE aparece descrita como espaço
e refere simplesmente algumas “…actividades desenvolvidas pela BE/CRE com a
comunidade no âmbito da Rede Nacional de Bibliotecas… são também contributos
para tornar a Escola um verdadeiro espaço cultural e formativo.”

- A maioria dos relatórios descrevem de forma superficial o trabalho desenvolvido pela
BE, recaindo a excepção sobre o relatório relativo às Escolas da Charneca da Caparica,
que ressalta claramente a sua importância, (apesar da referência, apenas, como
Centro de Recursos), no ponto 3.Organização e Gestão Escolar e 3.1 Concepção,
Planeamento e Desenvolvimento da Actividade e que passo a citar “ … o correlato
Plano de Actividades do Centro de Recursos Educativos, concebido como um eixo
central na disponibilização e coordenação de um conjunto de serviços e de recursos de
aprendizagem, organizados de acordo com os objectivos e finalidades da
reorganização curricular, destinados a estimular o prazer de ler e de escrever e a
desenvolver a autonomia dos alunos e outros utilizadores na consulta e produção de
informação, em diferentes suportes. O seu papel na construção e consolidação de um
ideário e cultura de escola assente na transversalidade e articulação das
aprendizagens, e a sua abertura às ideias e aos recursos culturais exteriores, locais ou
outros, são recheados de evidências.”


E no ponto 3.3 Qualidade e Acessibilidade dos Recursos” O Centro de Recursos
Educativos constitui o espaço por excelência da acessibilidade dos recursos educativos
existentes, dos livros, aos jogos, aos vídeos e CD-ROM adquiridos ou construídos pelos
alunos, ou à Internet, aberto a todos, funcionando como biblioteca, ludoteca ou
estudoteca, ou como centro para apoios a necessidades específicas, para estudo
acompanhado, ou para realização de projectos de pesquisa ou de trabalhos de aula.
Funcionando como um eixo fundamental da actividade educativa para todos os níveis
de ensino, articulando actividades específicas, ligadas ao desenvolvimento das
competências de leitura e de expressão oral e escrita, com outras áreas artísticas e
culturais, a sua acessibilidade decorre de uma criteriosa e criativa gestão do espaço e
do tempo de utilização, bem como dos recursos humanos que apoiam esta área de
serviços aberta a toda a comunidade educativa.”



- Como já referimos, a Biblioteca é mencionada, na generalidade dos relatórios,
principalmente   na    Gestão   dos     Recursos   Materiais   e   Financeiros,   como
espaço/recursos materiais e pouco mencionada como parte integrante e fundamental
do processo de ensino/aprendizagem; em casos pontuais aparece mencionada, na
Prestação do Serviço Educativo, Abrangência do Currículo e Valorização dos Saberes
da Aprendizagem, como é o caso do relatório da Escola EB1/JI de Monte Abraão em
Queluz, que descreve ” A frequência da BE/CRE pelas crianças e alunos constitui uma
rotina já instituída. Assim, cada turma tem definido o seu horário de requisição de
livros na Biblioteca. Neste espaço, decorado com a participação dos alunos realizam-se
actividades de pesquisa, leitura, reconto, dramatizações, entre outras, decorrentes da
adesão ao Plano Nacional de Leitura.”; a Escola do Freixo de Ponte de Lima refere
também que a BE/CRE oferece aos alunos actividades e projectos de enriquecimento
curricular, que consideram muito motivadores.

- Na Abertura à Inovação, referida no relatório do Agrupamento de Escolas de Mafra “
A BE/CRE tem desenvolvido algumas actividades de consolidação da identidade do
Agrupamento, entre as quais um projecto de escrita criativa que envolve todos os
níveis de educação e de ensino.”



Em síntese, podemos concluir:
- Pela análise da amostra dos relatórios, verifica-se que os campos de análise e os
domínios de referência da IGE, em que as BE são mencionadas, variam de escola para
escola. Tal facto, poderá dever-se à importância que cada escola atribui à sua BE ou,
então com a própria equipa de avaliação externa, que nem sempre atribui à BE o
mesmo grau de importância. O facto é que as referências nem sempre ocorrem da
mesma forma (directa ou indirecta), nem nos mesmos campos / domínios.

- Constata-se que a Biblioteca Escolar ainda não é devidamente valorizada na maioria
das Escolas, independentemente da sua tipologia e da zona do país onde se encontra,
à excepção de um reduzido número de relatórios que referem a BE apontando no
sentido da sua importância.

- O processo da Auto-avaliação da BE deverá conduzir à reflexão e originar mudanças
concretas na prática, contribuindo para a afirmação e reconhecimento do papel da BE
na Escola.

- Com uma auto-avaliação constante e sistemática, a BE será capaz, futuramente, de
impor a sua presença na Escola e consequentemente nos relatórios da IGE.



                                                       Maria Antónia do Carmo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tarefa 6 2ª Parte
Tarefa 6  2ª ParteTarefa 6  2ª Parte
Tarefa 6 2ª Partejoana56
 
MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2ameliafig
 
Sessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefaSessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefamarta.medeiro
 
ComentáRio CríTico 7ª SessãO Mav
ComentáRio CríTico 7ª SessãO MavComentáRio CríTico 7ª SessãO Mav
ComentáRio CríTico 7ª SessãO MavCristina Calado
 
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dez
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 DezS6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dez
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dezbiblioteclar
 
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 ComentarioRbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentarioisabelcristinavale
 
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeSessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeAnaigreja
 
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...gigilu
 
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...mariajoaorodrigues
 
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...jorgemferreira
 
Microsoft Word AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…
Microsoft Word   AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…Microsoft Word   AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…
Microsoft Word AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…catiarodriguessousa
 

Mais procurados (16)

Tarefa 6 2ª Parte
Tarefa 6  2ª ParteTarefa 6  2ª Parte
Tarefa 6 2ª Parte
 
MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2
 
Sessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefaSessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefa
 
ComentáRio CríTico 7ª SessãO Mav
ComentáRio CríTico 7ª SessãO MavComentáRio CríTico 7ª SessãO Mav
ComentáRio CríTico 7ª SessãO Mav
 
7 dezembro vanda
7 dezembro vanda7 dezembro vanda
7 dezembro vanda
 
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dez
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 DezS6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dez
S6 T7 Metodologias De OperacionalizaçãO Conc 8 Dez
 
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 ComentarioRbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
 
A C
A CA C
A C
 
Tarefa 6 .2 Isabel
Tarefa 6 .2 IsabelTarefa 6 .2 Isabel
Tarefa 6 .2 Isabel
 
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeSessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
 
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...
Sessão 6 análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da...
 
Tarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 IsabelTarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 Isabel
 
Comentário
ComentárioComentário
Comentário
 
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...
Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (parte II)...
 
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
 
Microsoft Word AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…
Microsoft Word   AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…Microsoft Word   AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…
Microsoft Word AnáLise E ComentáRio CríTico à PresençA De ReferêNcias A R…
 

Destaque

Modelo De Auto AvaliaçãO Tarefa 7 (1)
Modelo De Auto AvaliaçãO  Tarefa 7 (1)Modelo De Auto AvaliaçãO  Tarefa 7 (1)
Modelo De Auto AvaliaçãO Tarefa 7 (1)Julita Silva
 
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicosmariaantoniadocarmo
 
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...mariaantoniadocarmo
 
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação 1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação mariaantoniadocarmo
 
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESASO PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESASMaisoDias
 

Destaque (10)

Comentario Tarefa 3 - 2ª parte
Comentario Tarefa 3 - 2ª parteComentario Tarefa 3 - 2ª parte
Comentario Tarefa 3 - 2ª parte
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Tarefa 7 (1)
Modelo De Auto AvaliaçãO  Tarefa 7 (1)Modelo De Auto AvaliaçãO  Tarefa 7 (1)
Modelo De Auto AvaliaçãO Tarefa 7 (1)
 
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
 
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
 
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
 
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação 1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
 
Tarefa 2 - 2ª parte
Tarefa 2 - 2ª parteTarefa 2 - 2ª parte
Tarefa 2 - 2ª parte
 
Análise síntese final
Análise síntese finalAnálise síntese final
Análise síntese final
 
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESASO PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS
O PERFIL EMPREEDEDOR COMO DIFERENCIAL NA INTERCIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS
 

Semelhante a O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão)

Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Emília Firmino
 
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das be
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das beAnálise e comentário crítico à presença de referências a respeito das be
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das beeb23am
 
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes SilvaAnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silvalurdesilva
 
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...margaridafer
 
Aprender com a_biblioteca_escolar
Aprender com a_biblioteca_escolarAprender com a_biblioteca_escolar
Aprender com a_biblioteca_escolarSandra Rebelo
 
Aprender com a_biblioteca_escolar guião
Aprender com a_biblioteca_escolar guiãoAprender com a_biblioteca_escolar guião
Aprender com a_biblioteca_escolar guiãoSofia Rebêlo
 
Comentario Relatorios Av Externa
Comentario Relatorios Av ExternaComentario Relatorios Av Externa
Comentario Relatorios Av Externabonifvieira
 
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolar
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolarAprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolar
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolarMaria Ribeiro
 
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13bepedronunes
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário críticocandidamatos
 
6 análise e comentário crítico vera monteiro
6 análise e comentário crítico vera monteiro6 análise e comentário crítico vera monteiro
6 análise e comentário crítico vera monteiroBe Moinho Das Leituras
 

Semelhante a O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) (20)

Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
 
Análise e comentário
Análise e comentárioAnálise e comentário
Análise e comentário
 
Anlise e comentário
Anlise e comentárioAnlise e comentário
Anlise e comentário
 
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das be
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das beAnálise e comentário crítico à presença de referências a respeito das be
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das be
 
IGE e MAABE
IGE e MAABEIGE e MAABE
IGE e MAABE
 
6ª tarefa - 2ª parte
6ª tarefa - 2ª parte6ª tarefa - 2ª parte
6ª tarefa - 2ª parte
 
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes SilvaAnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
 
Aprender com a_biblioteca_escolar
Aprender com a_biblioteca_escolarAprender com a_biblioteca_escolar
Aprender com a_biblioteca_escolar
 
Aprender com a_biblioteca_escolar guião
Aprender com a_biblioteca_escolar guiãoAprender com a_biblioteca_escolar guião
Aprender com a_biblioteca_escolar guião
 
Comentario Relatorios Av Externa
Comentario Relatorios Av ExternaComentario Relatorios Av Externa
Comentario Relatorios Av Externa
 
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolar
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolarAprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolar
Aprender com as Bibliotecas Escolares_com_a_biblioteca_escolar
 
Aprender com a Biblioteca Escolar- RBE
Aprender com a Biblioteca Escolar- RBEAprender com a Biblioteca Escolar- RBE
Aprender com a Biblioteca Escolar- RBE
 
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13
Relatório de avaliação da biblioteca escolar esas 2012-13
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
 
6 análise e comentário crítico vera monteiro
6 análise e comentário crítico vera monteiro6 análise e comentário crítico vera monteiro
6 análise e comentário crítico vera monteiro
 
Sintese 7
Sintese 7Sintese 7
Sintese 7
 

Mais de mariaantoniadocarmo

Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...mariaantoniadocarmo
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamentomariaantoniadocarmo
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...mariaantoniadocarmo
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolaresmariaantoniadocarmo
 

Mais de mariaantoniadocarmo (8)

Acções Futuras D1
Acções Futuras D1Acções Futuras D1
Acções Futuras D1
 
Tabela B1
Tabela B1Tabela B1
Tabela B1
 
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
 
Crítica
CríticaCrítica
Crítica
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 

Último

Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão)

  • 1. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃO) Sessão 6 Actividade 2 Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa que elegeu, faça uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios. A escolha incidiu, aleatoriamente, sobre oito Relatórios de Avaliação, de diferentes escolas do País, de Norte a Sul, publicados na página da IGE e que a seguir se apresentam: . ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA CHARNECA DA CAPARICA . AGRUPAMENTO DAS ESCOLAS DE MAFRA . AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DRA MARIA ALICE GOUVEIA – COIMBRA . ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO SÁ DA BANDEIRA – SANTARÉM . ESCOLA SECUNDÁRIA POETA ANTÓNIO ALEIXO – PORTIMÃO . AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR . ESCOLA EB1 /JI DE MONTE ABRAÃO – QUELUZ . AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FREIXO - PONTE DE LIMA A análise e comentário crítico resultaram da leitura atenta dos referidos relatórios tendo em comum extrair deles as referências às Bibliotecas Escolares. De uma forma geral, em quase todos os relatórios são comuns os seguintes aspectos que passo a enumerar: - Referências escassas e incipientes às Bibliotecas Escolares, de forma generalizada; - Menção em alguns casos, apenas como Centro de Recursos;
  • 2. - Em alguns relatórios, ocorre a referência indirecta à BE através da alusão ao PNL e à sua integração na RB, como se constata por exemplo, no Relatório do Agrupamento de Escolas Dra. Maria Alice Gouveia de Coimbra, no ponto 3.3 Gestão dos Recursos Materiais e Financeiros “A biblioteca escolar/ centro de recursos educativos foi ampliada de modo a integrar a Rede Nacional de Bibliotecas” e no relatório do Agrupamento de Escolas de Vila Flor que também menciona de forma indirecta a BE, no ponto 2. Prestação do Serviço Educativo. - Em geral, as actividades desenvolvidas na BE/CRE não são referenciadas em articulação com o currículo; - Omissão de referências, relativas à participação da BE nos documentos de organização interna dos agrupamentos (PEA, PAA, PCA…) - Na generalidade, os relatórios apenas se reportam à sua localização / espaço ou funcionalidade, como é exemplo o relatório da IGE referente à Escola Secundária Sá da Bandeira de Santarém, em que a BE/CRE é mencionada na caracterização da escola, na descrição das instalações, localizando-a no edifício e referindo o espaço exíguo para o acervo considerável de que dispõe, não fazendo mais nenhuma referência à mesma nos outros domínios; o mesmo relatório refere a BE nos Constrangimentos “ conservação e adaptação do edifício às exigências actuais, nomeadamente o espaço destinado ao funcionamento da BE.”, pese embora estas afirmações, não aponta nas Oportunidades a necessidade de se expandir ou fazer obras. O relatório do Agrupamento de Escolas de Mafra refere a integração da Biblioteca Escolar na RBE e assinala que “os recursos, espaços e equipamento estão bem organizados e acessíveis na BE/CRE”; No relatório da Escola António Aleixo de Portimão a BE aparece descrita como espaço e refere simplesmente algumas “…actividades desenvolvidas pela BE/CRE com a comunidade no âmbito da Rede Nacional de Bibliotecas… são também contributos para tornar a Escola um verdadeiro espaço cultural e formativo.” - A maioria dos relatórios descrevem de forma superficial o trabalho desenvolvido pela BE, recaindo a excepção sobre o relatório relativo às Escolas da Charneca da Caparica, que ressalta claramente a sua importância, (apesar da referência, apenas, como
  • 3. Centro de Recursos), no ponto 3.Organização e Gestão Escolar e 3.1 Concepção, Planeamento e Desenvolvimento da Actividade e que passo a citar “ … o correlato Plano de Actividades do Centro de Recursos Educativos, concebido como um eixo central na disponibilização e coordenação de um conjunto de serviços e de recursos de aprendizagem, organizados de acordo com os objectivos e finalidades da reorganização curricular, destinados a estimular o prazer de ler e de escrever e a desenvolver a autonomia dos alunos e outros utilizadores na consulta e produção de informação, em diferentes suportes. O seu papel na construção e consolidação de um ideário e cultura de escola assente na transversalidade e articulação das aprendizagens, e a sua abertura às ideias e aos recursos culturais exteriores, locais ou outros, são recheados de evidências.” E no ponto 3.3 Qualidade e Acessibilidade dos Recursos” O Centro de Recursos Educativos constitui o espaço por excelência da acessibilidade dos recursos educativos existentes, dos livros, aos jogos, aos vídeos e CD-ROM adquiridos ou construídos pelos alunos, ou à Internet, aberto a todos, funcionando como biblioteca, ludoteca ou estudoteca, ou como centro para apoios a necessidades específicas, para estudo acompanhado, ou para realização de projectos de pesquisa ou de trabalhos de aula. Funcionando como um eixo fundamental da actividade educativa para todos os níveis de ensino, articulando actividades específicas, ligadas ao desenvolvimento das competências de leitura e de expressão oral e escrita, com outras áreas artísticas e culturais, a sua acessibilidade decorre de uma criteriosa e criativa gestão do espaço e do tempo de utilização, bem como dos recursos humanos que apoiam esta área de serviços aberta a toda a comunidade educativa.” - Como já referimos, a Biblioteca é mencionada, na generalidade dos relatórios, principalmente na Gestão dos Recursos Materiais e Financeiros, como espaço/recursos materiais e pouco mencionada como parte integrante e fundamental do processo de ensino/aprendizagem; em casos pontuais aparece mencionada, na Prestação do Serviço Educativo, Abrangência do Currículo e Valorização dos Saberes da Aprendizagem, como é o caso do relatório da Escola EB1/JI de Monte Abraão em Queluz, que descreve ” A frequência da BE/CRE pelas crianças e alunos constitui uma
  • 4. rotina já instituída. Assim, cada turma tem definido o seu horário de requisição de livros na Biblioteca. Neste espaço, decorado com a participação dos alunos realizam-se actividades de pesquisa, leitura, reconto, dramatizações, entre outras, decorrentes da adesão ao Plano Nacional de Leitura.”; a Escola do Freixo de Ponte de Lima refere também que a BE/CRE oferece aos alunos actividades e projectos de enriquecimento curricular, que consideram muito motivadores. - Na Abertura à Inovação, referida no relatório do Agrupamento de Escolas de Mafra “ A BE/CRE tem desenvolvido algumas actividades de consolidação da identidade do Agrupamento, entre as quais um projecto de escrita criativa que envolve todos os níveis de educação e de ensino.” Em síntese, podemos concluir: - Pela análise da amostra dos relatórios, verifica-se que os campos de análise e os domínios de referência da IGE, em que as BE são mencionadas, variam de escola para escola. Tal facto, poderá dever-se à importância que cada escola atribui à sua BE ou, então com a própria equipa de avaliação externa, que nem sempre atribui à BE o mesmo grau de importância. O facto é que as referências nem sempre ocorrem da mesma forma (directa ou indirecta), nem nos mesmos campos / domínios. - Constata-se que a Biblioteca Escolar ainda não é devidamente valorizada na maioria das Escolas, independentemente da sua tipologia e da zona do país onde se encontra, à excepção de um reduzido número de relatórios que referem a BE apontando no sentido da sua importância. - O processo da Auto-avaliação da BE deverá conduzir à reflexão e originar mudanças concretas na prática, contribuindo para a afirmação e reconhecimento do papel da BE na Escola. - Com uma auto-avaliação constante e sistemática, a BE será capaz, futuramente, de impor a sua presença na Escola e consequentemente nos relatórios da IGE. Maria Antónia do Carmo