SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
ACÇÕES FUTURAS D1


          Duas coisas a
                                                         Justificação
         deixar de fazer

1 - Avaliação de actividades e realização   1- O novo conceito de gestão da BE não
   de reuniões de forma informal.              se concilia com estes procedimentos. É
                                               fundamental construir instrumentos de
                                               recolha de informação qualitativa e
                                               quantitativa para que a recolha de
                                               dados tenha um carácter sistemático e
                                               rotineiro.


2- Dinamizar actividades de formação de     2- É necessário dinamizar actividades de
  utilizadores apenas para os novos            formação para todos os alunos da
  alunos da escola (5º ano).                   Escola, de forma a atrai-los à BE e
                                               torná-los mais autónomos.




        Duas coisas para
                                                         Justificação
       continuar a fazer

1- Articulação entre a BE e as escolas do 1- Pretende-se fortalecer esta articulação
   1º ciclo do Agrupamento com ou sem        através da realização de encontros
   BE integrada na rede.                     periódicos entre os Coordenadores das
                                             escolas do agrupamento, para a
                                             planificação de actividades conjuntas,
                                             contempladas no PAA e para a partilha
                                             de recursos, nomeadamente ao nível
                                             do PNL.

2- Articulação de actividades/ Projectos 2- Pretende-se consolidar/ampliar a
   de forma mais sistemática com os         articulação com os Departamentos /
   Departamentos Curriculares /             docentes realizando reuniões com os
   Conselhos de Turma                       vários departamentos curriculares para
planear actividades em conjunto. Deve
                                            ainda inteirar-se dos projectos
                                            curriculares de diferentes turmas para
                                            articular actividades e mobilizar
                                            recursos de apoio aos projectos e
                                            actividades curriculares.



        Duas coisas para
                                                      Justificação
        começar a fazer


1- Aperfeiçoar e criar novos             1- O aperfeiçoamento e a criação de
   instrumentos de recolha da               novos instrumentos permitirão
   informação.                              implementar um sistema de avaliação
                                            contínua, controlando desta forma o
                                            processo de funcionamento da BE,
                                            identificando os pontos fracos e fortes,
                                            proporcionando a melhoria da
                                            qualidade, através da análise e
                                            divulgação dos resultados e
                                            subsequente plano de acção.

                                         2- É importante rentabilizar os recursos
2 - Implementar Projecto de Circulação
                                            entre as várias escolas/bibliotecas do
   de Recursos no Agrupamento.
                                            Agrupamento, sobretudo quando estes
                                            ainda são escassos, mas é também
                                            necessário que exista uma
                                            responsabilidade individual pela sua
                                            conservação, pelo cumprimento do
                                            calendário estabelecido e pela
                                            optimização dos portefólios
                                            constituídos, associados à exploração
                                            dos recursos.




                                                           Maria Antónia do Carmo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Referencial de formação contínua be 2009
Referencial de formação contínua be 2009Referencial de formação contínua be 2009
Referencial de formação contínua be 2009cristinamlcoelho
 
DomíNio D3 SessãO 5
DomíNio D3 SessãO 5DomíNio D3 SessãO 5
DomíNio D3 SessãO 5guest0d6192
 
Tarefa 5
Tarefa 5Tarefa 5
Tarefa 5filoru
 
Sessao7 Tarefa 2 Luisa Lamas
Sessao7 Tarefa 2  Luisa LamasSessao7 Tarefa 2  Luisa Lamas
Sessao7 Tarefa 2 Luisa LamasLuisa Lamas
 
DescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefa
DescriçãO AvaliaçãO 1ª TarefaDescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefa
DescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefamargaridafer
 
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca EscolarGrelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolarflorafialho
 
Workshop Dia 14 De Dezembro
Workshop Dia 14 De DezembroWorkshop Dia 14 De Dezembro
Workshop Dia 14 De Dezembroaevisobibliovis
 
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliaçãoguest36ad53
 
Modelo De Auto 4º
Modelo De Auto  4ºModelo De Auto  4º
Modelo De Auto 4ºisabelflosa
 

Mais procurados (15)

Referencial de formação contínua be 2009
Referencial de formação contínua be 2009Referencial de formação contínua be 2009
Referencial de formação contínua be 2009
 
DomíNio D3 SessãO 5
DomíNio D3 SessãO 5DomíNio D3 SessãO 5
DomíNio D3 SessãO 5
 
Quadro mabe aee
Quadro mabe aeeQuadro mabe aee
Quadro mabe aee
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 
Tarefa 5
Tarefa 5Tarefa 5
Tarefa 5
 
Sessao7 Tarefa 2 Luisa Lamas
Sessao7 Tarefa 2  Luisa LamasSessao7 Tarefa 2  Luisa Lamas
Sessao7 Tarefa 2 Luisa Lamas
 
DescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefa
DescriçãO AvaliaçãO 1ª TarefaDescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefa
DescriçãO AvaliaçãO 1ª Tarefa
 
Tabela D1
Tabela D1Tabela D1
Tabela D1
 
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca EscolarGrelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Grelha Subdomínio D3 - Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
 
Workshop Dia 14 De Dezembro
Workshop Dia 14 De DezembroWorkshop Dia 14 De Dezembro
Workshop Dia 14 De Dezembro
 
Tabela D.1
Tabela D.1Tabela D.1
Tabela D.1
 
Tabela D.1
Tabela D.1Tabela D.1
Tabela D.1
 
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação
7ª Sessão- 1ª Actividade: Distinguir descrição de avaliação
 
Accoes Futuras
Accoes FuturasAccoes Futuras
Accoes Futuras
 
Modelo De Auto 4º
Modelo De Auto  4ºModelo De Auto  4º
Modelo De Auto 4º
 

Destaque

Giesta Amarela
Giesta AmarelaGiesta Amarela
Giesta Amarelaefabeselga
 
RelatóRio Do Projeto Folclore
RelatóRio Do Projeto FolcloreRelatóRio Do Projeto Folclore
RelatóRio Do Projeto Folcloregeralda123
 
Sociologia
SociologiaSociologia
SociologiaEstadual
 
CPI Requerimento 22 - 11/08/09
CPI Requerimento 22 - 11/08/09CPI Requerimento 22 - 11/08/09
CPI Requerimento 22 - 11/08/09Alexandre Santos
 
Comprobante De Egreso Nº 1
Comprobante De Egreso Nº 1Comprobante De Egreso Nº 1
Comprobante De Egreso Nº 1rodrigogomez2
 
Denuncia Corrupción México - Honor y Justicia
Denuncia Corrupción México - Honor y JusticiaDenuncia Corrupción México - Honor y Justicia
Denuncia Corrupción México - Honor y JusticiaSergio Arizaga
 
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...Samira Mantilla
 
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefa
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª TarefaSessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefa
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefarapscasg
 
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefa
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª TarefaEnunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefa
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefamargaridafer
 

Destaque (20)

Giesta Amarela
Giesta AmarelaGiesta Amarela
Giesta Amarela
 
RelatóRio Do Projeto Folclore
RelatóRio Do Projeto FolcloreRelatóRio Do Projeto Folclore
RelatóRio Do Projeto Folclore
 
Ferosa
FerosaFerosa
Ferosa
 
Rafael
RafaelRafael
Rafael
 
Portaria 319 99
Portaria 319 99Portaria 319 99
Portaria 319 99
 
Pistas de 1º A
Pistas de 1º APistas de 1º A
Pistas de 1º A
 
Act1 subd
Act1 subdAct1 subd
Act1 subd
 
Normal Supeior
Normal SupeiorNormal Supeior
Normal Supeior
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
CPI Requerimento 22 - 11/08/09
CPI Requerimento 22 - 11/08/09CPI Requerimento 22 - 11/08/09
CPI Requerimento 22 - 11/08/09
 
Edmarbsb01
Edmarbsb01Edmarbsb01
Edmarbsb01
 
Diretoria Do Sintect 5
Diretoria Do Sintect  5Diretoria Do Sintect  5
Diretoria Do Sintect 5
 
Comprobante De Egreso Nº 1
Comprobante De Egreso Nº 1Comprobante De Egreso Nº 1
Comprobante De Egreso Nº 1
 
Denuncia Corrupción México - Honor y Justicia
Denuncia Corrupción México - Honor y JusticiaDenuncia Corrupción México - Honor y Justicia
Denuncia Corrupción México - Honor y Justicia
 
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...
EnumeraçãO De Enterococcus Spp. A Partir De LinguiçAs Frescais SuíNas Pela Té...
 
Apropiacion indebida
Apropiacion indebidaApropiacion indebida
Apropiacion indebida
 
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefa
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª TarefaSessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefa
SessãO 7 AnáLise E ComentáRio CríTico 2ª Tarefa
 
RioBlanco!!
RioBlanco!!RioBlanco!!
RioBlanco!!
 
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefa
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª TarefaEnunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefa
Enunciados Gerais EspecíFicos 2ª Tarefa
 
Idese e Bloco Saúde (Rafael Bernardini)
Idese e Bloco Saúde (Rafael Bernardini)Idese e Bloco Saúde (Rafael Bernardini)
Idese e Bloco Saúde (Rafael Bernardini)
 

Semelhante a Ações futuras BE

1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matrizalcinasousa
 
1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matrizalcinasousa
 
7ª Sessão Fórum 1
7ª Sessão   Fórum 17ª Sessão   Fórum 1
7ª Sessão Fórum 1martamedeiros
 
Sintese 6 T3
Sintese 6 T3Sintese 6 T3
Sintese 6 T3rbento
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop FormativoMacogomes
 
Acções Futuras da BE
Acções Futuras da BEAcções Futuras da BE
Acções Futuras da BEguest0462827d
 
Tarefa 5 Actividade 1
Tarefa 5 Actividade 1Tarefa 5 Actividade 1
Tarefa 5 Actividade 1luinog
 
Sistematização dos Grupos de Trabalho
Sistematização dos Grupos de TrabalhoSistematização dos Grupos de Trabalho
Sistematização dos Grupos de TrabalhoClaraluz Gris
 
Tarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviarTarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviaresperancasantos
 
Tarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviarTarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviaresperancasantos
 
O Modelo de Auto-Avaliação
O Modelo de Auto-AvaliaçãoO Modelo de Auto-Avaliação
O Modelo de Auto-AvaliaçãoBe Carrazeda
 
Plano De Av Sessao5
Plano De  Av Sessao5Plano De  Av Sessao5
Plano De Av Sessao5FilipaNeves
 

Semelhante a Ações futuras BE (20)

Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1Acções Futuras D.1
Acções Futuras D.1
 
1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz
 
1ª Tarefa Tabela Matriz Novo Curso
1ª Tarefa  Tabela Matriz   Novo Curso1ª Tarefa  Tabela Matriz   Novo Curso
1ª Tarefa Tabela Matriz Novo Curso
 
1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz
 
1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz1ª Tarefa Tabela Matriz
1ª Tarefa Tabela Matriz
 
Af
AfAf
Af
 
7ª Sessão Fórum 1
7ª Sessão   Fórum 17ª Sessão   Fórum 1
7ª Sessão Fórum 1
 
Sintese 6 T3
Sintese 6 T3Sintese 6 T3
Sintese 6 T3
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Tarefa 5 Tabela D2 Isabel
Tarefa 5 Tabela D2   IsabelTarefa 5 Tabela D2   Isabel
Tarefa 5 Tabela D2 Isabel
 
Acções Futuras da BE
Acções Futuras da BEAcções Futuras da BE
Acções Futuras da BE
 
Tarefa 5 Actividade 1
Tarefa 5 Actividade 1Tarefa 5 Actividade 1
Tarefa 5 Actividade 1
 
Plano De Acção
Plano De AcçãoPlano De Acção
Plano De Acção
 
Sistematização dos Grupos de Trabalho
Sistematização dos Grupos de TrabalhoSistematização dos Grupos de Trabalho
Sistematização dos Grupos de Trabalho
 
Tarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviarTarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviar
 
Acções Futuras
Acções  FuturasAcções  Futuras
Acções Futuras
 
Tarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviarTarefa 1 sessão6 enviar
Tarefa 1 sessão6 enviar
 
O Modelo de Auto-Avaliação
O Modelo de Auto-AvaliaçãoO Modelo de Auto-Avaliação
O Modelo de Auto-Avaliação
 
Plano De Av Sessao5
Plano De  Av Sessao5Plano De  Av Sessao5
Plano De Av Sessao5
 
Sessão 5 Parte 2
Sessão 5  Parte 2Sessão 5  Parte 2
Sessão 5 Parte 2
 

Mais de mariaantoniadocarmo

2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicosmariaantoniadocarmo
 
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação 1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação mariaantoniadocarmo
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...mariaantoniadocarmo
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...mariaantoniadocarmo
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamentomariaantoniadocarmo
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...mariaantoniadocarmo
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolaresmariaantoniadocarmo
 

Mais de mariaantoniadocarmo (16)

Análise síntese final
Análise síntese finalAnálise síntese final
Análise síntese final
 
Tarefa 2 - 2ª parte
Tarefa 2 - 2ª parteTarefa 2 - 2ª parte
Tarefa 2 - 2ª parte
 
Comentario Tarefa 3 - 2ª parte
Comentario Tarefa 3 - 2ª parteComentario Tarefa 3 - 2ª parte
Comentario Tarefa 3 - 2ª parte
 
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
2ª ACTIVIDADE – distinguir enunciados gerais de específicos
 
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação 1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
1ª ACTIVIDADE – distinguir descrição de avaliação
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
 
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (CONCLUSÃ...
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
 
Tabela B1
Tabela B1Tabela B1
Tabela B1
 
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operaci...
 
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
Comentário ao Trabalho em Power Point relativo ao Modelo de Auto Avaliação BE...
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
 
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
Comentário Fundamentado à Análise Crítica do Modelo de Auto Avaliação - Maria...
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
 
Crítica
CríticaCrítica
Crítica
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 

Último

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 

Último (20)

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 

Ações futuras BE

  • 1. ACÇÕES FUTURAS D1 Duas coisas a Justificação deixar de fazer 1 - Avaliação de actividades e realização 1- O novo conceito de gestão da BE não de reuniões de forma informal. se concilia com estes procedimentos. É fundamental construir instrumentos de recolha de informação qualitativa e quantitativa para que a recolha de dados tenha um carácter sistemático e rotineiro. 2- Dinamizar actividades de formação de 2- É necessário dinamizar actividades de utilizadores apenas para os novos formação para todos os alunos da alunos da escola (5º ano). Escola, de forma a atrai-los à BE e torná-los mais autónomos. Duas coisas para Justificação continuar a fazer 1- Articulação entre a BE e as escolas do 1- Pretende-se fortalecer esta articulação 1º ciclo do Agrupamento com ou sem através da realização de encontros BE integrada na rede. periódicos entre os Coordenadores das escolas do agrupamento, para a planificação de actividades conjuntas, contempladas no PAA e para a partilha de recursos, nomeadamente ao nível do PNL. 2- Articulação de actividades/ Projectos 2- Pretende-se consolidar/ampliar a de forma mais sistemática com os articulação com os Departamentos / Departamentos Curriculares / docentes realizando reuniões com os Conselhos de Turma vários departamentos curriculares para
  • 2. planear actividades em conjunto. Deve ainda inteirar-se dos projectos curriculares de diferentes turmas para articular actividades e mobilizar recursos de apoio aos projectos e actividades curriculares. Duas coisas para Justificação começar a fazer 1- Aperfeiçoar e criar novos 1- O aperfeiçoamento e a criação de instrumentos de recolha da novos instrumentos permitirão informação. implementar um sistema de avaliação contínua, controlando desta forma o processo de funcionamento da BE, identificando os pontos fracos e fortes, proporcionando a melhoria da qualidade, através da análise e divulgação dos resultados e subsequente plano de acção. 2- É importante rentabilizar os recursos 2 - Implementar Projecto de Circulação entre as várias escolas/bibliotecas do de Recursos no Agrupamento. Agrupamento, sobretudo quando estes ainda são escassos, mas é também necessário que exista uma responsabilidade individual pela sua conservação, pelo cumprimento do calendário estabelecido e pela optimização dos portefólios constituídos, associados à exploração dos recursos. Maria Antónia do Carmo