SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Oficina de Formação
PRÁTICAS E MODELOS DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

Formadoras:

     Dr.ª Elsa Conde
     Dr.ª Paula Correia

Formanda:

     Sílvia Maria Passos Baltazar

                                               Outubro/Dezembro de 2009



                              Unidade 6

  O Modelo de Auto-Avaliação da BE: metodologias
           de operacionalização III


Objectivos da sessão:

- Compreender como é que a auto-avaliação pode ser concretizada para
demonstrar a contribuição da BE para o ensino e aprendizagem e a missão e
objectivos da escola.

- Ganhar familiaridade com o processo de auto-avaliação adoptado pelo
Modelo de Auto-Avaliação RBE e capacitar para a sua aplicação.

- Conhecer as técnicas e instrumentos propostos, o modo como se organizam e
podem ser usados.


Actividades:

Considerando os documentos disponíveis na Plataforma:

  1) “Tópicos   para   apresentação    da   escola:   campos   de   análise   de
     desempenho”, através do qual se orienta o conteúdo do texto e da
     apresentação das escolas à IGE;



                                                                               1
2) “Quadro de Referência para a avaliação de escolas e agrupamentos, em função do qual, a
       IGE elabora os seus Relatórios de Avaliação externa:

   3) Uma amostra, à sua escolha, de Relatórios de avaliação externa das escolas dos anos
       2006/07; 2007/08 e 2008/09



   1. Elaboração de um quadro que permita cruzar o tipo de informação resultante da auto-
       avaliação da BE nos seus diferentes Domínios com os Campos e Tópicos estabelecidos
       pela IGE, nos quais aquela informação deve ser enquadrada.



   2. Tendo por base a amostra de Relatórios de Avaliação Externa escolhidos proceder a uma
       análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses
       Relatórios.




Realização das actividades


   2. Tendo por base a amostra de Relatórios de Avaliação Externa escolhidos proceder a uma
       análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses
       Relatórios.




Agrupamento de Escolas de Boliqueime (DREAlg – Loulé, 2008)


Existem no documento dezoito referências à Biblioteca:



Referência vaga a actividades realizadas e promovidas pela Biblioteca Escolar e a actividades no
âmbito do Plano Nacional de Leitura. Referência igualmente vaga a deslocações de alunos do JI e
4.º ano à Biblioteca. A BE é ainda referida como recurso de apoio a actividades de apoio e
complemento curricular. Referência a melhoria das condições da BE/CRE da escola-sede que
pretende ser um espaço aglutinador das aprendizagens. A referência mais específica refere-se a
elementos da equipa da biblioteca que se deslocam para contar “histórias às crianças”, uma
alusão à Hora do Conto. Referência a que “por vezes” são desenvolvidos projectos no âmbito das

                                                                                              2
ACND com a BE/CRE. Referência mais específica às actividades dinamizadas pela BE/CRE e à sua
missão de promover hábitos de leitura e de motivar para a aprendizagem, oferecendo um leque
diversificado de recursos.

Comentário: As referências à BE são, em geral, vagas e abrangem sobretudo a dinamização de
actividades, nunca a organização e gestão da mesma.




Agrupamento de Escolas de Couto de Cucujães (DREN Oliveira de Azeméis, 2008)


Neste documento existem nove referências à Biblioteca. Curiosamente, não se referem a BE/CRE,
mas sim Biblioteca ou Biblioteca escolar.

Referência ao trabalho desenvolvido pelas bibliotecas escolares e à sua importância e à
valorização que conferem ao conhecimento, na sua vertente histórica, cultural e artística.



Comentário: Uma vez mais, a referência à Biblioteca escolar é breve, sucinta, vaga e centra-se
sobretudo na sua importância enquanto centro de recursos e de divulgação e promoção do
conhecimento.




Agrupamento de Escolas D. José I (DREAlg – Vila Real de Santo António, 2008)


Existem no documento dez referências à biblioteca escolar.

Referência ao espaço enquanto recurso educativo e de apoio. Uma referência curiosa a grupos de
alunos Monitores que acompanham os colegas nas pesquisas bibliográficas e a constituição de
um grupo de “Contadores de histórias”. Referência a actividades de âmbito cultural, sessões de
escritores e outras actividades de promoção da leitura.



Comentário: Existem referências breves às actividades realizadas pela Biblioteca, com alguns
destaques para determinadas actividades.




                                                                                             3
Agrupamento de Escolas Luís António Verney (Lisboa, 2008)


O documento apresenta sete registos sobre a biblioteca.

Referência a actividades de valorização da Língua Portuguesa. Actividades no âmbito do Plano
Nacional de Leitura. Referência ao encaminhamento de alunos em aula de substituição para a
Biblioteca escolar. Referência à ampliação do espaço da Biblioteca escolar, que, após obras de
intervenção, é amplo e possui material suficiente e adequado ao público.



Comentário: As referências à biblioteca escolar são, comparativamente aos documentos atrás
analisados, em menor número, reportando-se sobretudo às actividades no âmbito do Plano
Nacional de Leitura. Não há referência à equipa da BE.




Agrupamento de Escolas de Ourique (DRA – Ourique, 2008)


O documento regista cinco referências à Biblioteca escolar, reportando-se apenas à sua
participação em projectos, nomeadamente, o Plano Nacional de Leitura.



Comentário: Este documento apresenta um número de referências à biblioteca escolar muito
inferior aos anteriormente analisados, sendo que se trata de referências vagas, sempre numa
lista onde se incluem outros projectos da escola, isto é, sem ter propriamente um destaque
específico.




Agrupamento de Escolas de São Brás de Alportel (DREAlg - São Brás de Alportel)




O documento apresenta apenas duas referências à Biblioteca Escolar.

Existe uma referência à Feira do Livro, que é organizada pela equipa da Biblioteca escolar, em
parceria com a rede concelhia de Bibliotecas, no entanto, essa informação não é apresentada.
Existem referências a actividades relacionadas com o livro e a leitura, como por exemplo, “O livro
Viajante” e “Lendo e partilhando”, “Livros sobre rodas” ou a publicação “Nos Passos de
                                                                                                4
Bernardo”, mas não há ligação explícita destas actividades com a Biblioteca escolar, o que é de
estranhar.



Comentário: Este documento apresenta referências mínimas à Biblioteca escolar, que
recentemente foi implantada num espaço próprio, amplo e acolhedor, que é do meu
conhecimento. Apesar de apresentar referências a várias actividades relacionadas com a
promoção da leitura, não há registo de que estas actividades estejam relacionadas com a acção
desenvolvida pela Biblioteca escolar, o que é de estranhar, pois é impossível que não o estejam.




Comentário final


Os documentos elaborados pelas equipas da Inspecção-geral da Educação analisados foram
escolhidos, em parte, de forma aleatória e em parte porque já tive contacto com algumas das
escolas e suas Bibliotecas Escolares, como é o caso do Agrupamento de Escolas de Ourique, o
Agrupamento de Escolas de Boliqueime e o Agrupamento de Escolas de São Brás de Alportel.



Dos documentos analisados, registei o facto de as referências às Bibliotecas Escolares serem, em
geral, bastante breves e algo vagas, reportando-se sobretudo a algumas actividade dinamizadas,
muitas vezes com alusão ao Plano Nacional de Leitura. Não reportei, por exemplo, referências
negativas relativamente às Bibliotecas Escolares desses agrupamentos, o que é, pelo menos, um
bom sinal, no entanto, creio que as informações dadas carecem de referência à organização dos
espaços, à gestão de recursos financeiros e humanos das BEs, entre outros aspectos.

A implementação do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares irá, possivelmente,
ganhar o seu espaço próprio nestes documentos, pelo que as próximas avaliações externas terão,
quase de certeza, mais um tópico a abordar, onde será dado o relevo justo e merecido, assim se
espera, ao trabalho desenvolvido pelas Bibliotecas Escolares.




                     A Formanda: Sílvia Maria Passos Baltazar



                     São Brás de Alportel, 14 de Dezembro de 2009


                                                                                                   5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2ameliafig
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoão Alves Dos Reis
 
Bob news n33 setembro de 2010
Bob news n33 setembro de 2010Bob news n33 setembro de 2010
Bob news n33 setembro de 2010Biblio 2010
 
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeSessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeAnaigreja
 
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...jorgemferreira
 

Mais procurados (10)

MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2MAFSessao7 Tarefa2
MAFSessao7 Tarefa2
 
Análise e comentário
Análise e comentárioAnálise e comentário
Análise e comentário
 
Anlise e comentário
Anlise e comentárioAnlise e comentário
Anlise e comentário
 
A C
A CA C
A C
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
 
Bob news n33 setembro de 2010
Bob news n33 setembro de 2010Bob news n33 setembro de 2010
Bob news n33 setembro de 2010
 
7 dezembro vanda
7 dezembro vanda7 dezembro vanda
7 dezembro vanda
 
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios igeSessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
Sessão 7 actividade_2_análise e comentário à referência da be nos relatórios ige
 
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...Trabalho 6   analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
Trabalho 6 analise e-comentario_critico_a_presenca_de_referencias_a_respeit...
 
Tarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 IsabelTarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 Isabel
 

Destaque (6)

Avril 2012.
Avril 2012.Avril 2012.
Avril 2012.
 
Izquierda unida califica los presupuestos de rajoy como
Izquierda unida califica los presupuestos de rajoy comoIzquierda unida califica los presupuestos de rajoy como
Izquierda unida califica los presupuestos de rajoy como
 
UKIBC-FICCI-MOU
UKIBC-FICCI-MOUUKIBC-FICCI-MOU
UKIBC-FICCI-MOU
 
Homework Powerpoint
Homework PowerpointHomework Powerpoint
Homework Powerpoint
 
57125805 bab-10
57125805 bab-1057125805 bab-10
57125805 bab-10
 
크몽1
크몽1크몽1
크몽1
 

Semelhante a IGE e MAABE

Análise de relatórios
Análise de relatóriosAnálise de relatórios
Análise de relatóriosBibliotecajac
 
Comentario Critico Helia Pereira
Comentario Critico   Helia PereiraComentario Critico   Helia Pereira
Comentario Critico Helia PereiraHélia Jacob
 
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Emília Firmino
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...mariaantoniadocarmo
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário críticocandidamatos
 
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes SilvaAnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silvalurdesilva
 
Análise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEAnálise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEanapaulasilvasanches
 
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Ana Cristina Matias
 
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...Lucilia Fonseca
 
Análise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloAnálise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloesperancasantos
 
Análise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloAnálise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloesperancasantos
 
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 ComentarioRbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentarioisabelcristinavale
 
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...margaridafer
 
Sessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefaSessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefamarta.medeiro
 

Semelhante a IGE e MAABE (20)

Análise de relatórios
Análise de relatóriosAnálise de relatórios
Análise de relatórios
 
Comentario Critico Helia Pereira
Comentario Critico   Helia PereiraComentario Critico   Helia Pereira
Comentario Critico Helia Pereira
 
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
Análise e Comentário Crítico à Presença de Referências a Respeitodas BE nos r...
 
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operaci...
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
 
Tarefa 6 .2 Isabel
Tarefa 6 .2 IsabelTarefa 6 .2 Isabel
Tarefa 6 .2 Isabel
 
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes SilvaAnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
AnáLise E ComentáRio Lurdes Silva
 
Análise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEAnálise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEE
 
Sintese 7
Sintese 7Sintese 7
Sintese 7
 
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...
Análise e comentário crítico à presença de referências às be nos relatórios d...
 
Análise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloAnálise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modelo
 
Análise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modeloAnálise crítica e pessoal ao modelo
Análise crítica e pessoal ao modelo
 
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 ComentarioRbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
Rbe Sessao 7 Tarefa 2 Comentario
 
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
Referências à BE no Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas ...
 
4º MóDulo Tarefa
4º MóDulo Tarefa4º MóDulo Tarefa
4º MóDulo Tarefa
 
Sessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefaSessão 6 -2ª tarefa
Sessão 6 -2ª tarefa
 

Mais de Sílvia Baltazar (20)

Facto e opinião
Facto e opiniãoFacto e opinião
Facto e opinião
 
Lição nº 83
Lição nº 83Lição nº 83
Lição nº 83
 
Lição nº 82
Lição nº 82Lição nº 82
Lição nº 82
 
Lição nº 81
Lição nº 81Lição nº 81
Lição nº 81
 
Lição nº 78, 79 e 80
Lição nº 78, 79 e  80Lição nº 78, 79 e  80
Lição nº 78, 79 e 80
 
Fábulas
FábulasFábulas
Fábulas
 
Lição nº 77
Lição nº 77Lição nº 77
Lição nº 77
 
Lição nº 76
Lição nº 76Lição nº 76
Lição nº 76
 
Lição nº 74
Lição nº 74Lição nº 74
Lição nº 74
 
Lição nº 73
Lição nº 73Lição nº 73
Lição nº 73
 
Lição nº 72
Lição nº 72Lição nº 72
Lição nº 72
 
Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1
 
Lição nº 71
Lição nº 71Lição nº 71
Lição nº 71
 
Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
 
Lição nº 66
Lição nº 66Lição nº 66
Lição nº 66
 
Lição nº 67
Lição nº 67Lição nº 67
Lição nº 67
 
Lição nº 65
Lição nº 65Lição nº 65
Lição nº 65
 
Lição nº 64
Lição nº 64Lição nº 64
Lição nº 64
 

IGE e MAABE

  • 1. Oficina de Formação PRÁTICAS E MODELOS DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Formadoras: Dr.ª Elsa Conde Dr.ª Paula Correia Formanda: Sílvia Maria Passos Baltazar Outubro/Dezembro de 2009 Unidade 6 O Modelo de Auto-Avaliação da BE: metodologias de operacionalização III Objectivos da sessão: - Compreender como é que a auto-avaliação pode ser concretizada para demonstrar a contribuição da BE para o ensino e aprendizagem e a missão e objectivos da escola. - Ganhar familiaridade com o processo de auto-avaliação adoptado pelo Modelo de Auto-Avaliação RBE e capacitar para a sua aplicação. - Conhecer as técnicas e instrumentos propostos, o modo como se organizam e podem ser usados. Actividades: Considerando os documentos disponíveis na Plataforma: 1) “Tópicos para apresentação da escola: campos de análise de desempenho”, através do qual se orienta o conteúdo do texto e da apresentação das escolas à IGE; 1
  • 2. 2) “Quadro de Referência para a avaliação de escolas e agrupamentos, em função do qual, a IGE elabora os seus Relatórios de Avaliação externa: 3) Uma amostra, à sua escolha, de Relatórios de avaliação externa das escolas dos anos 2006/07; 2007/08 e 2008/09 1. Elaboração de um quadro que permita cruzar o tipo de informação resultante da auto- avaliação da BE nos seus diferentes Domínios com os Campos e Tópicos estabelecidos pela IGE, nos quais aquela informação deve ser enquadrada. 2. Tendo por base a amostra de Relatórios de Avaliação Externa escolhidos proceder a uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios. Realização das actividades 2. Tendo por base a amostra de Relatórios de Avaliação Externa escolhidos proceder a uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios. Agrupamento de Escolas de Boliqueime (DREAlg – Loulé, 2008) Existem no documento dezoito referências à Biblioteca: Referência vaga a actividades realizadas e promovidas pela Biblioteca Escolar e a actividades no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Referência igualmente vaga a deslocações de alunos do JI e 4.º ano à Biblioteca. A BE é ainda referida como recurso de apoio a actividades de apoio e complemento curricular. Referência a melhoria das condições da BE/CRE da escola-sede que pretende ser um espaço aglutinador das aprendizagens. A referência mais específica refere-se a elementos da equipa da biblioteca que se deslocam para contar “histórias às crianças”, uma alusão à Hora do Conto. Referência a que “por vezes” são desenvolvidos projectos no âmbito das 2
  • 3. ACND com a BE/CRE. Referência mais específica às actividades dinamizadas pela BE/CRE e à sua missão de promover hábitos de leitura e de motivar para a aprendizagem, oferecendo um leque diversificado de recursos. Comentário: As referências à BE são, em geral, vagas e abrangem sobretudo a dinamização de actividades, nunca a organização e gestão da mesma. Agrupamento de Escolas de Couto de Cucujães (DREN Oliveira de Azeméis, 2008) Neste documento existem nove referências à Biblioteca. Curiosamente, não se referem a BE/CRE, mas sim Biblioteca ou Biblioteca escolar. Referência ao trabalho desenvolvido pelas bibliotecas escolares e à sua importância e à valorização que conferem ao conhecimento, na sua vertente histórica, cultural e artística. Comentário: Uma vez mais, a referência à Biblioteca escolar é breve, sucinta, vaga e centra-se sobretudo na sua importância enquanto centro de recursos e de divulgação e promoção do conhecimento. Agrupamento de Escolas D. José I (DREAlg – Vila Real de Santo António, 2008) Existem no documento dez referências à biblioteca escolar. Referência ao espaço enquanto recurso educativo e de apoio. Uma referência curiosa a grupos de alunos Monitores que acompanham os colegas nas pesquisas bibliográficas e a constituição de um grupo de “Contadores de histórias”. Referência a actividades de âmbito cultural, sessões de escritores e outras actividades de promoção da leitura. Comentário: Existem referências breves às actividades realizadas pela Biblioteca, com alguns destaques para determinadas actividades. 3
  • 4. Agrupamento de Escolas Luís António Verney (Lisboa, 2008) O documento apresenta sete registos sobre a biblioteca. Referência a actividades de valorização da Língua Portuguesa. Actividades no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Referência ao encaminhamento de alunos em aula de substituição para a Biblioteca escolar. Referência à ampliação do espaço da Biblioteca escolar, que, após obras de intervenção, é amplo e possui material suficiente e adequado ao público. Comentário: As referências à biblioteca escolar são, comparativamente aos documentos atrás analisados, em menor número, reportando-se sobretudo às actividades no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Não há referência à equipa da BE. Agrupamento de Escolas de Ourique (DRA – Ourique, 2008) O documento regista cinco referências à Biblioteca escolar, reportando-se apenas à sua participação em projectos, nomeadamente, o Plano Nacional de Leitura. Comentário: Este documento apresenta um número de referências à biblioteca escolar muito inferior aos anteriormente analisados, sendo que se trata de referências vagas, sempre numa lista onde se incluem outros projectos da escola, isto é, sem ter propriamente um destaque específico. Agrupamento de Escolas de São Brás de Alportel (DREAlg - São Brás de Alportel) O documento apresenta apenas duas referências à Biblioteca Escolar. Existe uma referência à Feira do Livro, que é organizada pela equipa da Biblioteca escolar, em parceria com a rede concelhia de Bibliotecas, no entanto, essa informação não é apresentada. Existem referências a actividades relacionadas com o livro e a leitura, como por exemplo, “O livro Viajante” e “Lendo e partilhando”, “Livros sobre rodas” ou a publicação “Nos Passos de 4
  • 5. Bernardo”, mas não há ligação explícita destas actividades com a Biblioteca escolar, o que é de estranhar. Comentário: Este documento apresenta referências mínimas à Biblioteca escolar, que recentemente foi implantada num espaço próprio, amplo e acolhedor, que é do meu conhecimento. Apesar de apresentar referências a várias actividades relacionadas com a promoção da leitura, não há registo de que estas actividades estejam relacionadas com a acção desenvolvida pela Biblioteca escolar, o que é de estranhar, pois é impossível que não o estejam. Comentário final Os documentos elaborados pelas equipas da Inspecção-geral da Educação analisados foram escolhidos, em parte, de forma aleatória e em parte porque já tive contacto com algumas das escolas e suas Bibliotecas Escolares, como é o caso do Agrupamento de Escolas de Ourique, o Agrupamento de Escolas de Boliqueime e o Agrupamento de Escolas de São Brás de Alportel. Dos documentos analisados, registei o facto de as referências às Bibliotecas Escolares serem, em geral, bastante breves e algo vagas, reportando-se sobretudo a algumas actividade dinamizadas, muitas vezes com alusão ao Plano Nacional de Leitura. Não reportei, por exemplo, referências negativas relativamente às Bibliotecas Escolares desses agrupamentos, o que é, pelo menos, um bom sinal, no entanto, creio que as informações dadas carecem de referência à organização dos espaços, à gestão de recursos financeiros e humanos das BEs, entre outros aspectos. A implementação do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares irá, possivelmente, ganhar o seu espaço próprio nestes documentos, pelo que as próximas avaliações externas terão, quase de certeza, mais um tópico a abordar, onde será dado o relevo justo e merecido, assim se espera, ao trabalho desenvolvido pelas Bibliotecas Escolares. A Formanda: Sílvia Maria Passos Baltazar São Brás de Alportel, 14 de Dezembro de 2009 5