SlideShare uma empresa Scribd logo
Os Reinos Germânicos
Professor Denis F. Gascó
O Feudalismo (palavra germânica para gado)
• Processo gradativo de formação
• 2 perspectivas:
• 2 Períodos:
• Resultado de:
 392d.C. : oficial cristianismo  1453: Queda de Constantinopla
 476d.C. : Queda último rei romano  1492: Colombo na América
(Idade Média)
 Criou divisão da História Ocidental
 Alta Idade Média (V-X)
 Baixa Idade Média XI-XV
“Idade das Trevas” – ideia de retrocesso
Cristoph Keller (1638-1707) Antiga
Média
Moderna
 Cultura Romana (Crise do Império)
 Cultura Germânica (“Invasões”)
+ • Crise do modo de produção escravista
• Pressão dos Hunos
Thomas Cole's 'The Fall of Rome'
Fluxos dos germanos no Império Romano
• Deslocamento pacífico
• Grande escala
• Acordo com Gov. de Roma
2 fases:
Migrações (Séc. II e III)
 Minas de ferro e ouro
 “sequestro”
 “aliados”
- ingresso no exército de Roma
- Chefes: altos cargos
- - casamento
Integração na sociedade Romana
• Penetração violenta
• Fatores:
Invasões (Séc. IV e VI)
 Avanço dos hunos
 Fuga dos visigodos
 455: Vândalos saqueiam Roma (15dias)
 476: Romulo Augusto deposto por ODOACRO
Permissão do
Imperador Valente
para entrar em Roma
(travessia do Danúbio)
Saques!!
- Cidade incendiada
- Cidadãos escravizados
Chefe dos Hérulos
Queda do Império Romano
Romanos Germanos
• Villa: unidade de produção
• Colonato:
• Administração imperial:
• Crise do poder político:
• Religião cristã (sincretismo religioso)
 Trabalho Rural vinculado à terra
 Base do sistema servil
 autossuficiente
 Descentralização
 Aumenta poder de senhores de terras
 Sistema de Províncias
 Cobrança de tributos
• Economia natural:
• Sociedade estratificada:
• Sistema político:
• Religião: Politeísmo
 Consumo próprio e imediato
 Trocas sem moeda
 Tecelagem
 Base familiar (patriarcal)
 Guerreiros
 Homens Livres
 escravos
 Individualismo tribal
 Sem Estado Jurídico
 Direito consuetudinário
 Comitatus
 Povos ágrafos
- Leis não escritas
- Base nos costumes
- Elementos da natureza
- sacerdotes rituais/justiça
=
A formação dos reinos germânicos
• Germanos se estabelecem por toda Europa Ocidental
• Grandes transformações sociais + características romanas
• Mantém prática de produção econômica romana
• cidades
• ruralização
• Adoção do cristianismo
• Preservam LATIM  línguas modernas
• Descentralização política  Novos Reinos
- Maioria vida curta
- Exceção= Francos
Processo de
fusão de
culturas
Assimilação da cultura cristã:
• “de cima para baixo”
• Bispo cristão na corte recém-convertida
• Apropriação cristã de ritos pagãos
Reis + famílias
População das tribos
 Conselheiro
 Confessor
 Cronista (principal fonte de estudos)
 25 de dezembro (Solis Invictus) Auréola
 Culto a S. Patrício
 Dias da semana (culto pagão)
- serpente = metáfora do paganismo
- 17 de março (data pagã – fertilidade)
Signet ring of Childeric I,
(457 to 481)
Inscription “CHILDIRICI REGIS”
“The Salian tribes constituted a loose
confederacy that banded together to
negotiate with Roman authority. Each
tribe consisted of extended family groups
centered around a particularly renowned
or noble family. The importance of the
family bond was made clear by the Salic
Law, which ordained that an individual had
no right to protection if not part of a
family.”
(http://en.wikipedia.org/wiki/Salian_Franks)
Record of a judgement by Childebert III
• Francos (Norte da Gália)  Séc. V: unificação das tribos
• Região “franca” em meio a território Romano
O primeiro rei cristão bárbaro
Meroveu: Salian Franks dynasty (também conhecidos como "long-haired kings“)
Childerico I
Childerico III: em 743 foi nomeado legalmente o REI da França
752:deposto pelo Papa, sob influência de Pepino o Breve
The Frankish Foederati' around 360 A.D (based on the maps present at the tacitus.nu
website; LINK; showing the Frankish expansion.)
ABRACURIX, […] É O CHEFE DA TRIBO. MAJESTOSO, CORAJOSO,
COLÉRICO, O VELHO GUERREIRO É RESPEITADO PELOS SÚDITOS E
TEMIDO PELOS INIMIGOS. SÓ TEM MEDO DE UMA COISA: QUE O
CÉU CAIA EM SUA CABEÇA, MAS COMO ELE PRÓPRIO AFIRMA:
“QUEM MORRE DE VÉSPERA É PERU.”
Éautomatix: ferreiro
1 2
Abracurix
Ordemalfabétix
(peixeiro)
Obélix
Panoramix
Cacofonix
4
6
5
7
Decanonix
Família
de
Falbala
Astérix
8
Gérard Depardieu antes e depois do javali assado
Os Francos (Séc. V - IX)
.D. 400-600, Franks - 025 - Costumes of All Nations (1882)
2 períodos:
• Dinastia Merovíngea (V-VIII)
• Dinastia Carolíngea (VIII – IX)
• Francos (Norte da Gália)
• Iniciada com Clóvis (neto de Meroveu)
 496: derrota os alamanos e casa com Clotilde (cristã)
 Une-se À Igreja
 Conquista territórios pagãos
 Administração do reino:
- Divisão da Igreja em Bispados
- Divisão do território em condados
Cria cargo MAJORDOMUS (prefeito do palácio ou mordomo)
''The baptism of Clovis in Reims in 496 made him the only
barbarian Christian king and won him increased support from his
former Roman subjects in Gaul. This romantic recreation of the
event was by François-Louis Dejuinne (1786-1844), completed in
1837''
Séc VII: os reis indolentes
“negligente, descuidado”
Importância dos majordomus
Carlos Martel
732: Batalha de Poitiers
• Majordomus cargo hereditário
Pepino, o Breve:
• Depôs Childerico III (último rei merovíngio)
• Combate aos árabes (Aquitânia)
• Derrota os lombardos (Península Itálica)
• Doa terra para a Igreja
• Poder temporal consolidado
Dinastia Carolíngea
Coronation in 752 of Pépin the Short
by Boniface, Archbishop of Mainz
Muslim troops leaving Narbonne to Pépin le Bref in 759, after 40 years of occupation
Registro de julgamento do rei da
França Childeric III (c. 717 – c. 754),
an was King of Franciafrom 743 until
he was deposed by Pope Zachary in
March 752 at the instigation of Pepin
the Short.
Carlos Magno (768-814):
• Forte ligação com Igreja (auxílio ao papa Leão III)
• Combate tribos pagãs
• Anexa:
• Estabelece forte estrutura militar
• Conversão forçada aos pagãos
• Organização em condados e bispados
• Desenvolvimento cultural
- Norte da Itália (lombardos)
- Baviera (ávaros)
- Catalunha
800: coroado imperador pelo papa (ritual)
 Missi dominici (emissários – fiscais)
Poder Centralizado
 Capitulares (1ª leis escritas da Era Medieval)
 Criação de escolas
 Construção de igrejas (Aix-la-Chapelle)
 Busca de tradição greco-romana
814: morre
Imperial Coronation of Charlemagne
Panorama of Aachen downtown, including townhall and cathedral.
Battle of the Catalaunian Plains
Terma de Kin Ecbert (Vikings)
Luis, o Piedoso(768-814):
• Mantém centralidade do poder
• 840: morte
Intrigas familiares
Herança germânica X herança romana
(divisão) (primogenitura)
843: Tratado de Verdum
• Divisão do império (3 partes)
 Lotário (França Central) – imperador
 Carlos, o Calvo (França Ocidental)
 Luis, o Germânico (França Oriental)
911: fim da Dinastia Carolíngea
• Eleição do imperador (Duques)
Charlemagne and his son, Louis the Pious
Henrique I(911-936):
• Luta por manter união do império
• Conter invasão dos húngaros
Oto I:
• Continuidade ao trabalho do pai
• Recebe sagração imperial pelo Papa
Funda o Sacro Império Romano Germânico (962)
• Choque entre os poderes da cristandade
Poder Temporal Poder EspiritualX(Rei) (Papa)
Séc XI: reforma no interior da Igreja (Ordem de Cluny)
• 1059: criação do COLÉGIO DE CARDEAIS
• Questão da Investidura (1075-1122) (p.23)
• 1122: Concordata de Worms
 Eleger Papa
 Controlar influência do Imperador sobre Igreja
 Definição do celibato (1074)
 Define prevalecer da investidura espiritual
O Feudo
A economia feudal:
• Essencialmente agrícola
• Regime de trabalho servil (divisão de glebas)
• Artesãos (gêneros necessários)
• Século V-XI:
 Corvéia: trabalhar alguns dias no manso senhorial
 Talha: metade da produção para senhor feudal
 Banalidades: pequenas taxas
 Técnica rudimentar (arado de madeira)
 Solos pobres
 Sistema de pousio
 Ferreiro
 Pedreiro
 Carpinteiro
 tecelões
 Redução populacional das cidades
 Pequenos povoamentos murados
 Descentralização
 Particularismo político
 Poder real apenas simbólico
 Senhor Feudal (poder efetivo)
Sociedade:
Oratores
Belatores
Laboratores
Sociedade:
• Caráter estamental (estratificada)
• Relações sociais:
Verticais = Horizontais
Senhores Feudais
Servos
 Talha
 Corveia
 Banalidades
 Mão morta
 formariage
Relação de
Dependência
Terra
Proteção
Serviços
Tributos
• Suserano Vassalo Vassalo
• Poder centralizado
• “Relações de Cavalaria”
Justiça
Terras
Serviços militares
Hospedagem
tributos
 Senhor feudal
 Duque (dux-latim = grande general)
 Marquês (mark-germânico = proteger fronteiras)
 Conde (cone-latim= adm. do reino/condado)
 Visconde (viscones-latim = subsituto do conde)
 Barão (Vir-latim [varão] = homem ilustre)
 Cavaleiro (degrau inicial da nobreza)
O caso de Nottinhan e a chegada da comitiva de King John à cidade de “loucos”
Vila medieval de servos, recriada por arqueólogos, na Inglaterra
Residência Camponesa Pobre Residência Camponesa Rica
Comida rápida que era levada para o campo e misturada com cerveja
A Igreja
• Mais poderosa instituição da sociedade
• Monopólio cultural (letrados)
• Clero Secular X Clero Regular
• Agente social
• Aliada direta e legitimadora
do poder feudal
Comercialização de:
 Mediadora entre ricos e pobres
 Mantenedora da organização social
 Hospitais
 Orfanatos
 Escolas
 Bibliotecas
 Crstianização
Mosteiros
- Beneditinos
- Cistercienses
- Franciscanos
- Carmelitas
A constante
presença do
sobrenatural
O Conto dos três vivos e os três mortos
 Produtos
 Relíquias
 preces
O ensino medieval
• Para ingressos na vida religiosa
• Criação de Universidades
 Latim  Trivium  Quadrivium
- Gramática
- Retórica
- Lógica
- Música
- Aritmética
- Geometria
- astronomia
1088: • Bolonha
• Primeira escola laica (Direito)
Universidade de Bolonha
• Paris (1170)
• Coimbra (1308)
• Oxford (1249)
Princípio da autonomia universitária (autogoverno)
“doutores da Igreja”
São Tomás de Aquino (1224-1274)
Iluminura que apresenta São Benedito “curando” um de seus monges que sofria de preguiça e não queria ficar dentro da capela, fazendo
suas preces pois, segundo as crenças da época, esta sendo tentado pelo demônio (História contada pelo padre beneditino Giovanni
O´Shannassy)
Por sua grande devoção, as preces dos monges passaram a ter grande valor comercial e após uma batalha, a Igreja
ordenava que fossem realizadas 120 penitências para cada pessoa morta. Desta maneira, muitos monastérios
começaram a enriquecer e organizar a formação de cidades, em torno dos monastérios controladas pelos Abades.
Monastério cistircense, de arquitetura característica e cuja a vida se caracterizava pela simplicidade de vida
Tinham sofisticado sistema de abastecimento
de água – Torneira em bronze
Desenvolveram um tipo de ovelha que produzia mais lã e de melhor qualidade.
Os monges foram responsáveis por um grande desenvolvimento da gastronomia, devido o tempo livre que tinham e a grande
quantidade de comida que mantinham nos monastérios. Os mesmo se deu com a cultura do vinho e cerveja.
Exemplos de relíquias da época. Pedaços de corpos dos santos, madeira onde teria sido servida a santa ceia e até mesmo parte da
argila da qual teria sido moldado Adão.
Pálácio de Avenue, onde o Papa vivia, durante o Século XIV Lugar onde o Papa fazia suas aparições públicas,
paranoicamente protegido contra ataques
Fundo falso, dentro da sala do tesouro, onde eram escondidos os
tesouros mais importantes da Igreja.
Cidade de Avenue, nos dias de hoje.
O Tribunal do Santo Ofício
• Fundado por Papa Gregório IX  perseguir Hereges e Bruxaria
• 1252: Papa Inocência  bulla “Ad Exstirpanda”
• Supervisão por ordens mendicantes (franciscanos e dominicanos)
• ”Index Librorum Prohibitorum”
• Uso segundo interesses de imperadores
• Maior poder e duração na Península Ibérica  observar
• Abolida em 1821
 Autoriza tortura como forma de obter conversão
Autos de fé
• MOURISCOS
• MARRANOS
Cristãos Novos
As Cruzadas
Séc. XI: viragem do milênio
• Transformações
• invasões
• epidemias
 Sociais
 Econômicas
 Culturais
• Estabilidade
• população
• obrigações
servis
(mesmos rendimentos)
Estado de Tensão
• Fome
• Nobreza sem terras
• violência
• Servos expulsos
- Principio da Primogenitura
- Conquistas
- “barões-ladrões”
Muitos marginalizados
O povo exigia soluções e a Igreja era a instituição mais poderosa
do período...
• Saques nas igrejas
• Árabes impediam peregrinação cristão à Jerusalém
• Cisma do Oriente (1054)
“Aqueles que lutaram impiedosamente
contra os cristãos, devem lutar contra os
infiéis... Aqueles que até ontem fora
ladrões devem ser tornar soldados.
Aqueles que antigamente brigavam contra
seus irmãos e parentes irão lutar contra os
bárbaros como devem. Aqueles que
outrora foram mercenários, a baixos
salários, irão receber a recompensas das
vidas eternas. A terras que habitamos é
cercada pelo mar e por picos de
montanhas, é pequena demais para a
nossa grande população. Em nossa terra a
riqueza não abunda, nem há alimentos
para todas as pessoas. Precisamos tomar o
caminho de Jerusalém, local onde jorra o
leite e o mel, como um novo paraíso de
deleite s. Vamos tomar um novo caminho
do Santo Sepulcro; tiraremos aquela terra
da perversa raça dos muçulmanos...”.
Pope Urban speaks to the crowd,
Illustration from Francois Guizot, "History of France...", 1883
1095: Urbano II
• Formação de ordens militares
• Reunificar a cristandade
• Impedir avanço muçulmano
Cruzadas
 Afeta peregrinações
 Afeta comercio marítimo
Fracasso!!!
• Inadequação dos exércitos europeus
- Epidemias
- Desidratação
- Armamentos impróprios
A monk named Peter the Hermit leads a
Christian army during the First Crusade,
in the late 11th century. The artwork
comes from a 14th-century book
called Abreviamen de las estorias.
Medieval Europe, c. 9th-11th century AD. Bronze ring engraved with a cross with 5-wounds-of-Christ design. Soft green patina, earthen deposits. US size 6 1/2. ex-D
Glover, UK. #JR2029: $175
http://ganoksin.com/blog/primitive/2010/06/21/medieval-workshop-machinery/
Medieval Armenia. Cilician Period, c. 1198 - 1375 AD. Fantastic and large bronze long-bow arrowhead. Two barbed blades with raised central
midriff and long squared tang. 79 mm (3 1/8") long! Olive-green patina with earthen deposits. Still very sharp! Extremely rare. #WP2030:
$299
• 1291:  Cruzados definitivamente expulsos da Palestina
 Queda de São João D´Acre
Siege of Nicaea. Crusaders Throwing Heads Of Muslims Over Ramparts. (Séc XVIII) Fonte:
"Histoire d'Outre Mer" Guillaume de Tyr. Reproduction from "Croisades", Claude Lebedel.
Saladino decidiu ocupar lugares estratégicos para preparar uma defensiva contra os cruzados. Em 1183, tomou a cidade de Aleppo e, três anos
mais tarde, conseguiu ocupar toda a Alta Mesopotâmia. Segundo seus biógrafos e historiadores, ele era diplomático: tentava chegar a um acordo
com os inimigos e só partia para a guerra quando não conseguia atingir seus objetivos de outro modo. Graças a esse tom conciliador, ele
conseguiu minimizar o conflito entre xiitas e sunitas e dominar as capitais de Damasco, Bagdá e Cairo, que somavam mais de 2 milhões de
habitantes.
Resultados:
• Varias cruzadas foram transformadas em expedições de pilhagens
• Reabertura das Rotas Comerciais
• Possibilitou a reconquista da Península Ibérica
 Estados feudais na região
 Formação de entrepostos comerciais
 Criação de bases de apoio para cristãos
Aged only 56, El Cid was shot by a stray arrow in a battle on July 10th 1099 and he died shortly afterwards. After his death Ximena ruled in his place for three years until
the Almoravids once again besieged the city. Unable to hold it, she abandoned the city and organised the evacuation of the Christians. King Alfonso ordered the city to
be destroyed to prevent it from falling into the hands of the Almoravids and what was left of Valencia was captured by Masdali on May 5th1102 and would not become
a Christian city again for over one hundred and twenty five years. Ximena fled north with the Cid’s body to Burgos where he was originally buried in the monastery of
San Pedro de Cardeña but his body now lies at the centre of the Burgos Cathedral.
A Península Ibérica
• Expansão árabe
• Igreja incentiva combates
 Pequeno território
 Montanhas das Astúrias
 Oferece indulgências
 Proíbe cristãos ibéricos no Oriente
- Reino de Castela
- Reino de Leão
- Reino de Aragão
- Reino de Navarra
Manter peregrinação de
Santiago de Compostela
Resistência
A Reconquista
Séc X: Reino de Astúrias Reino de León
Séc XI: Desintegração do Califado de Córdoba Divide-se em Taifas (reinos menores)
• Reorganização do Reinos Cristãos ao norte
• Incursões leonesas, castellanas e aragonesa
 Galícia
 León
 Castilla
 Navarra
 Cataluña (divide-se em condados catalões)
 Apoio da dinastia africana dos Almorávides (ao Sul)
1086: Parada da expansão muçulmana
1195: Cristãos Almohades (nova dinastia muçulmana)X
Vitória
1162: criada a Santa Inquisição
1211: Castillo de Salvatierra tomado por muçulmanos (ameaça à Toledo)
Alfonso VIII solicita ajuda dos reinos cristãos e do papa
Luta ganha caráter de cruzada
León e Navarra recusam-se a participar
1212: invasões cristãs - Conquistas pelo caminho
- Adesão de exércitos cristãos
Batalha de Las Navas de Tolosa
Vitória Cristã
1238: fundado o Reino Nazarí de Granada
• Ultimo reduto muçulmano
1340: Batalha de Salado (enfraquece granada)
Casamento dos Reis: Castilla + Aragón
1491: Tomada de Granada
• Quase um ano de batalhas
• Contrução de fortificação cristã (Santa Fé)
• 50.000 cristãos cercam Granada
1492: rendição muçulmana
Resultados:
• Fim de 700 anos de batalhas
• Processo de unificação cultural (Reinado de Isabel e Fernando)
• Castilla anexa Navarra
• Expansão marítima
• 1139: Afonso Henrique funda Portugal
 Conversão obrigada dos muçulmano
 Expulsão dos judeus
Reino de Portucale
https://www.rijksmuseum.nl/en/collection/SK-A-1451
https://www.youtube.com/watch?v=Yg3YDN5gTX0
Desvendando o pensamento medieval
https://www.youtube.com/watch?v=HYGm0PkJm08
Terry Jones Medieval Lives
http://www.youtube.com/watch?v=uBs4LysfpvE
Brumas de Avalon Legendado
https://www.youtube.com/watch?v=NhnB8RbYmkw
Grandes Batallas 3 - La Reconquista española
https://www.youtube.com/watch?v=UEh1V-QA_cI
Discovery na Escola - Feudalismo: Guerra de Castelos
https://www.youtube.com/watch?v=LtGoBZ4D4_E&src_vid=bDaB-
NNyM8o&feature=iv&annotation_id=annotation_559561
https://www.youtube.com/watch?v=F8OPQ_28mdo
The Bayeux Tapestry - Seven Ages of Britain - BBC One
http://www.youtube.com/watch?v=9C9c_dEhzbE
The Vikings: Documentary on the life, culture and Legacy (BBC)
http://www.youtube.com/watch?v=uXpqgmBS6DM
BBC Blood Of The Vikings 1 First Blood
https://www.youtube.com/watch?v=vWZkitw1_Fw
MEDIEVAL WEAPONS & COMBAT: The Shield
https://www.youtube.com/watch?v=NCp-eB3gvog
Las Tribus Germanicas EP01

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizaçõesMeta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
Denis Gasco
 
RESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade médiaRESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade média
Agassis Paulo Bezerra
 
ALTA IDADE MÉDIA
ALTA IDADE MÉDIAALTA IDADE MÉDIA
A alta idade média
A alta idade médiaA alta idade média
A alta idade média
Dione Pereira
 
Carolingio e feudalismo
Carolingio e feudalismo Carolingio e feudalismo
Carolingio e feudalismo
mundica broda
 
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
Darlan Campos
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
Janayna Lira
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Edenilson Morais
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
Denis Gasco
 
A IDADE MÉDIA
A IDADE MÉDIAA IDADE MÉDIA
Alta idade média ocidental
Alta idade média ocidentalAlta idade média ocidental
Alta idade média ocidental
Murilo Benevides
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
Gisele Finatti Baraglio
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Daniel Alves Bronstrup
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
Over Lane
 
Idade media
Idade mediaIdade media
Idade media
Sarah Lima
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
Annalu Jannuzzi
 
5. idade média
5. idade média5. idade média
5. idade média
José Augusto Fiorin
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
marcos ursi
 
IDADE MÉDIA
IDADE MÉDIAIDADE MÉDIA
IDADE MÉDIA
Jackeline Póvoas
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizaçõesMeta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
Meta: Antiguidade oriental e o desenvolvimento das primeiras civilizações
 
RESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade médiaRESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade média
 
ALTA IDADE MÉDIA
ALTA IDADE MÉDIAALTA IDADE MÉDIA
ALTA IDADE MÉDIA
 
A alta idade média
A alta idade médiaA alta idade média
A alta idade média
 
Carolingio e feudalismo
Carolingio e feudalismo Carolingio e feudalismo
Carolingio e feudalismo
 
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
05. aula de história geral - idade média parte 1 alta idade média
 
Alta Idade Média
Alta Idade Média Alta Idade Média
Alta Idade Média
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 
A IDADE MÉDIA
A IDADE MÉDIAA IDADE MÉDIA
A IDADE MÉDIA
 
Alta idade média ocidental
Alta idade média ocidentalAlta idade média ocidental
Alta idade média ocidental
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Idade media
Idade mediaIdade media
Idade media
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Médiawww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História -  Alta Idade Média
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - História - Alta Idade Média
 
5. idade média
5. idade média5. idade média
5. idade média
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
 
IDADE MÉDIA
IDADE MÉDIAIDADE MÉDIA
IDADE MÉDIA
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 

Destaque

Colonização Espanhola
Colonização EspanholaColonização Espanhola
Colonização Espanhola
Denis Gasco
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
Denis Gasco
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
Denis Gasco
 
A grande guerra
A grande guerraA grande guerra
A grande guerra
Denis Gasco
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Denis Gasco
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
Denis Gasco
 
Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)
Denis Gasco
 
Roma monarquia e república
Roma monarquia e repúblicaRoma monarquia e república
Roma monarquia e república
Denis Gasco
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
Denis Gasco
 
Meta: Introdução à História
Meta: Introdução à HistóriaMeta: Introdução à História
Meta: Introdução à História
Denis Gasco
 
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra FriaSegunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Denis Gasco
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Denis Gasco
 
Animação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra FriaAnimação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra Fria
Denis Gasco
 
8º ano a grande guerra
8º ano   a grande guerra8º ano   a grande guerra
8º ano a grande guerra
Denis Gasco
 
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoLiberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Denis Gasco
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
Denis Gasco
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
Denis Gasco
 
Reino franco
Reino francoReino franco
Reino franco
PROFºWILTONREIS
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
Íris Ferreira
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Elaine Bogo Pavani
 

Destaque (20)

Colonização Espanhola
Colonização EspanholaColonização Espanhola
Colonização Espanhola
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
A grande guerra
A grande guerraA grande guerra
A grande guerra
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
 
Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)
 
Roma monarquia e república
Roma monarquia e repúblicaRoma monarquia e república
Roma monarquia e república
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
Meta: Introdução à História
Meta: Introdução à HistóriaMeta: Introdução à História
Meta: Introdução à História
 
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra FriaSegunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Animação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra FriaAnimação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra Fria
 
8º ano a grande guerra
8º ano   a grande guerra8º ano   a grande guerra
8º ano a grande guerra
 
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoLiberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
Reino franco
Reino francoReino franco
Reino franco
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 

Semelhante a O feudalismo

Alta Idade Média
Alta Idade MédiaAlta Idade Média
Alta Idade Média
cecilianoclaro
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
Over Lane
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Portal do Vestibulando
 
A idade média no ocidente
A idade média no ocidenteA idade média no ocidente
A idade média no ocidente
guest85fbf7c
 
A idade média no ocidente
A idade média no ocidenteA idade média no ocidente
A idade média no ocidente
guest85fbf7c
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
Kerol Brombal
 
Império Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, HistóriaImpério Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, História
Pedro Artigas Daiha
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
Kerol Brombal
 
IDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
IDADE MÉDIA_MONITORIA.pptIDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
IDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
ScottSummers41
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
historiando
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Os francos e o feudalismo
Os francos e o feudalismoOs francos e o feudalismo
Os francos e o feudalismo
maida marciano
 
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDOIDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
mariapinheiro710
 
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. MedeirosOs Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
João Medeiros
 
Idade média - 3º Ano
Idade média - 3º AnoIdade média - 3º Ano
Idade média - 3º Ano
Auxiliadora
 
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
Claudenilson da Silva
 
Feudalismo e Bárbaros
Feudalismo e BárbarosFeudalismo e Bárbaros
Feudalismo e Bárbaros
dmflores21
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Eliphas Rodrigues
 
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
Andre Nascimento
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
Nelia Salles Nantes
 

Semelhante a O feudalismo (20)

Alta Idade Média
Alta Idade MédiaAlta Idade Média
Alta Idade Média
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
 
A idade média no ocidente
A idade média no ocidenteA idade média no ocidente
A idade média no ocidente
 
A idade média no ocidente
A idade média no ocidenteA idade média no ocidente
A idade média no ocidente
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
Império Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, HistóriaImpério Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, História
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
IDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
IDADE MÉDIA_MONITORIA.pptIDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
IDADE MÉDIA_MONITORIA.ppt
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Idade Media
 
Os francos e o feudalismo
Os francos e o feudalismoOs francos e o feudalismo
Os francos e o feudalismo
 
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDOIDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
IDADE MEDIA E REINOS EXPLICAÇÃO RESUMIDO
 
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. MedeirosOs Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
 
Idade média - 3º Ano
Idade média - 3º AnoIdade média - 3º Ano
Idade média - 3º Ano
 
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
 
Feudalismo e Bárbaros
Feudalismo e BárbarosFeudalismo e Bárbaros
Feudalismo e Bárbaros
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
História da Igreja I: Aula 9: Império e Cristianismo Latino Teutônico (2/2)
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 

Último

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 

Último (20)

Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 

O feudalismo

  • 2. O Feudalismo (palavra germânica para gado) • Processo gradativo de formação • 2 perspectivas: • 2 Períodos: • Resultado de:  392d.C. : oficial cristianismo  1453: Queda de Constantinopla  476d.C. : Queda último rei romano  1492: Colombo na América (Idade Média)  Criou divisão da História Ocidental  Alta Idade Média (V-X)  Baixa Idade Média XI-XV “Idade das Trevas” – ideia de retrocesso Cristoph Keller (1638-1707) Antiga Média Moderna  Cultura Romana (Crise do Império)  Cultura Germânica (“Invasões”) + • Crise do modo de produção escravista • Pressão dos Hunos Thomas Cole's 'The Fall of Rome'
  • 3. Fluxos dos germanos no Império Romano • Deslocamento pacífico • Grande escala • Acordo com Gov. de Roma 2 fases: Migrações (Séc. II e III)  Minas de ferro e ouro  “sequestro”  “aliados” - ingresso no exército de Roma - Chefes: altos cargos - - casamento Integração na sociedade Romana • Penetração violenta • Fatores: Invasões (Séc. IV e VI)  Avanço dos hunos  Fuga dos visigodos  455: Vândalos saqueiam Roma (15dias)  476: Romulo Augusto deposto por ODOACRO Permissão do Imperador Valente para entrar em Roma (travessia do Danúbio) Saques!! - Cidade incendiada - Cidadãos escravizados Chefe dos Hérulos Queda do Império Romano
  • 4. Romanos Germanos • Villa: unidade de produção • Colonato: • Administração imperial: • Crise do poder político: • Religião cristã (sincretismo religioso)  Trabalho Rural vinculado à terra  Base do sistema servil  autossuficiente  Descentralização  Aumenta poder de senhores de terras  Sistema de Províncias  Cobrança de tributos • Economia natural: • Sociedade estratificada: • Sistema político: • Religião: Politeísmo  Consumo próprio e imediato  Trocas sem moeda  Tecelagem  Base familiar (patriarcal)  Guerreiros  Homens Livres  escravos  Individualismo tribal  Sem Estado Jurídico  Direito consuetudinário  Comitatus  Povos ágrafos - Leis não escritas - Base nos costumes - Elementos da natureza - sacerdotes rituais/justiça =
  • 5. A formação dos reinos germânicos • Germanos se estabelecem por toda Europa Ocidental • Grandes transformações sociais + características romanas • Mantém prática de produção econômica romana • cidades • ruralização • Adoção do cristianismo • Preservam LATIM  línguas modernas • Descentralização política  Novos Reinos - Maioria vida curta - Exceção= Francos Processo de fusão de culturas
  • 6. Assimilação da cultura cristã: • “de cima para baixo” • Bispo cristão na corte recém-convertida • Apropriação cristã de ritos pagãos Reis + famílias População das tribos  Conselheiro  Confessor  Cronista (principal fonte de estudos)  25 de dezembro (Solis Invictus) Auréola  Culto a S. Patrício  Dias da semana (culto pagão) - serpente = metáfora do paganismo - 17 de março (data pagã – fertilidade)
  • 7. Signet ring of Childeric I, (457 to 481) Inscription “CHILDIRICI REGIS” “The Salian tribes constituted a loose confederacy that banded together to negotiate with Roman authority. Each tribe consisted of extended family groups centered around a particularly renowned or noble family. The importance of the family bond was made clear by the Salic Law, which ordained that an individual had no right to protection if not part of a family.” (http://en.wikipedia.org/wiki/Salian_Franks) Record of a judgement by Childebert III • Francos (Norte da Gália)  Séc. V: unificação das tribos • Região “franca” em meio a território Romano O primeiro rei cristão bárbaro Meroveu: Salian Franks dynasty (também conhecidos como "long-haired kings“) Childerico I Childerico III: em 743 foi nomeado legalmente o REI da França 752:deposto pelo Papa, sob influência de Pepino o Breve
  • 8. The Frankish Foederati' around 360 A.D (based on the maps present at the tacitus.nu website; LINK; showing the Frankish expansion.)
  • 9.
  • 10. ABRACURIX, […] É O CHEFE DA TRIBO. MAJESTOSO, CORAJOSO, COLÉRICO, O VELHO GUERREIRO É RESPEITADO PELOS SÚDITOS E TEMIDO PELOS INIMIGOS. SÓ TEM MEDO DE UMA COISA: QUE O CÉU CAIA EM SUA CABEÇA, MAS COMO ELE PRÓPRIO AFIRMA: “QUEM MORRE DE VÉSPERA É PERU.”
  • 11.
  • 13. Gérard Depardieu antes e depois do javali assado
  • 14. Os Francos (Séc. V - IX) .D. 400-600, Franks - 025 - Costumes of All Nations (1882) 2 períodos: • Dinastia Merovíngea (V-VIII) • Dinastia Carolíngea (VIII – IX)
  • 15. • Francos (Norte da Gália) • Iniciada com Clóvis (neto de Meroveu)  496: derrota os alamanos e casa com Clotilde (cristã)  Une-se À Igreja  Conquista territórios pagãos  Administração do reino: - Divisão da Igreja em Bispados - Divisão do território em condados Cria cargo MAJORDOMUS (prefeito do palácio ou mordomo) ''The baptism of Clovis in Reims in 496 made him the only barbarian Christian king and won him increased support from his former Roman subjects in Gaul. This romantic recreation of the event was by François-Louis Dejuinne (1786-1844), completed in 1837''
  • 16. Séc VII: os reis indolentes “negligente, descuidado” Importância dos majordomus Carlos Martel 732: Batalha de Poitiers • Majordomus cargo hereditário Pepino, o Breve: • Depôs Childerico III (último rei merovíngio) • Combate aos árabes (Aquitânia) • Derrota os lombardos (Península Itálica) • Doa terra para a Igreja • Poder temporal consolidado Dinastia Carolíngea Coronation in 752 of Pépin the Short by Boniface, Archbishop of Mainz Muslim troops leaving Narbonne to Pépin le Bref in 759, after 40 years of occupation Registro de julgamento do rei da França Childeric III (c. 717 – c. 754), an was King of Franciafrom 743 until he was deposed by Pope Zachary in March 752 at the instigation of Pepin the Short.
  • 17. Carlos Magno (768-814): • Forte ligação com Igreja (auxílio ao papa Leão III) • Combate tribos pagãs • Anexa: • Estabelece forte estrutura militar • Conversão forçada aos pagãos • Organização em condados e bispados • Desenvolvimento cultural - Norte da Itália (lombardos) - Baviera (ávaros) - Catalunha 800: coroado imperador pelo papa (ritual)  Missi dominici (emissários – fiscais) Poder Centralizado  Capitulares (1ª leis escritas da Era Medieval)  Criação de escolas  Construção de igrejas (Aix-la-Chapelle)  Busca de tradição greco-romana 814: morre Imperial Coronation of Charlemagne Panorama of Aachen downtown, including townhall and cathedral. Battle of the Catalaunian Plains
  • 18. Terma de Kin Ecbert (Vikings)
  • 19. Luis, o Piedoso(768-814): • Mantém centralidade do poder • 840: morte Intrigas familiares Herança germânica X herança romana (divisão) (primogenitura) 843: Tratado de Verdum • Divisão do império (3 partes)  Lotário (França Central) – imperador  Carlos, o Calvo (França Ocidental)  Luis, o Germânico (França Oriental) 911: fim da Dinastia Carolíngea • Eleição do imperador (Duques) Charlemagne and his son, Louis the Pious
  • 20. Henrique I(911-936): • Luta por manter união do império • Conter invasão dos húngaros Oto I: • Continuidade ao trabalho do pai • Recebe sagração imperial pelo Papa Funda o Sacro Império Romano Germânico (962) • Choque entre os poderes da cristandade Poder Temporal Poder EspiritualX(Rei) (Papa)
  • 21. Séc XI: reforma no interior da Igreja (Ordem de Cluny) • 1059: criação do COLÉGIO DE CARDEAIS • Questão da Investidura (1075-1122) (p.23) • 1122: Concordata de Worms  Eleger Papa  Controlar influência do Imperador sobre Igreja  Definição do celibato (1074)  Define prevalecer da investidura espiritual
  • 23. A economia feudal: • Essencialmente agrícola • Regime de trabalho servil (divisão de glebas) • Artesãos (gêneros necessários) • Século V-XI:  Corvéia: trabalhar alguns dias no manso senhorial  Talha: metade da produção para senhor feudal  Banalidades: pequenas taxas  Técnica rudimentar (arado de madeira)  Solos pobres  Sistema de pousio  Ferreiro  Pedreiro  Carpinteiro  tecelões  Redução populacional das cidades  Pequenos povoamentos murados  Descentralização  Particularismo político  Poder real apenas simbólico  Senhor Feudal (poder efetivo)
  • 24.
  • 25.
  • 27. Sociedade: • Caráter estamental (estratificada) • Relações sociais: Verticais = Horizontais Senhores Feudais Servos  Talha  Corveia  Banalidades  Mão morta  formariage Relação de Dependência Terra Proteção Serviços Tributos • Suserano Vassalo Vassalo • Poder centralizado • “Relações de Cavalaria” Justiça Terras Serviços militares Hospedagem tributos  Senhor feudal  Duque (dux-latim = grande general)  Marquês (mark-germânico = proteger fronteiras)  Conde (cone-latim= adm. do reino/condado)  Visconde (viscones-latim = subsituto do conde)  Barão (Vir-latim [varão] = homem ilustre)  Cavaleiro (degrau inicial da nobreza)
  • 28.
  • 29. O caso de Nottinhan e a chegada da comitiva de King John à cidade de “loucos”
  • 30. Vila medieval de servos, recriada por arqueólogos, na Inglaterra
  • 31. Residência Camponesa Pobre Residência Camponesa Rica
  • 32. Comida rápida que era levada para o campo e misturada com cerveja
  • 34. • Mais poderosa instituição da sociedade • Monopólio cultural (letrados) • Clero Secular X Clero Regular • Agente social • Aliada direta e legitimadora do poder feudal Comercialização de:  Mediadora entre ricos e pobres  Mantenedora da organização social  Hospitais  Orfanatos  Escolas  Bibliotecas  Crstianização Mosteiros - Beneditinos - Cistercienses - Franciscanos - Carmelitas A constante presença do sobrenatural O Conto dos três vivos e os três mortos  Produtos  Relíquias  preces
  • 35. O ensino medieval • Para ingressos na vida religiosa • Criação de Universidades  Latim  Trivium  Quadrivium - Gramática - Retórica - Lógica - Música - Aritmética - Geometria - astronomia 1088: • Bolonha • Primeira escola laica (Direito) Universidade de Bolonha • Paris (1170) • Coimbra (1308) • Oxford (1249) Princípio da autonomia universitária (autogoverno) “doutores da Igreja” São Tomás de Aquino (1224-1274)
  • 36. Iluminura que apresenta São Benedito “curando” um de seus monges que sofria de preguiça e não queria ficar dentro da capela, fazendo suas preces pois, segundo as crenças da época, esta sendo tentado pelo demônio (História contada pelo padre beneditino Giovanni O´Shannassy)
  • 37. Por sua grande devoção, as preces dos monges passaram a ter grande valor comercial e após uma batalha, a Igreja ordenava que fossem realizadas 120 penitências para cada pessoa morta. Desta maneira, muitos monastérios começaram a enriquecer e organizar a formação de cidades, em torno dos monastérios controladas pelos Abades.
  • 38. Monastério cistircense, de arquitetura característica e cuja a vida se caracterizava pela simplicidade de vida Tinham sofisticado sistema de abastecimento de água – Torneira em bronze Desenvolveram um tipo de ovelha que produzia mais lã e de melhor qualidade.
  • 39. Os monges foram responsáveis por um grande desenvolvimento da gastronomia, devido o tempo livre que tinham e a grande quantidade de comida que mantinham nos monastérios. Os mesmo se deu com a cultura do vinho e cerveja.
  • 40. Exemplos de relíquias da época. Pedaços de corpos dos santos, madeira onde teria sido servida a santa ceia e até mesmo parte da argila da qual teria sido moldado Adão.
  • 41. Pálácio de Avenue, onde o Papa vivia, durante o Século XIV Lugar onde o Papa fazia suas aparições públicas, paranoicamente protegido contra ataques Fundo falso, dentro da sala do tesouro, onde eram escondidos os tesouros mais importantes da Igreja. Cidade de Avenue, nos dias de hoje.
  • 42. O Tribunal do Santo Ofício • Fundado por Papa Gregório IX  perseguir Hereges e Bruxaria • 1252: Papa Inocência  bulla “Ad Exstirpanda” • Supervisão por ordens mendicantes (franciscanos e dominicanos) • ”Index Librorum Prohibitorum” • Uso segundo interesses de imperadores • Maior poder e duração na Península Ibérica  observar • Abolida em 1821  Autoriza tortura como forma de obter conversão Autos de fé • MOURISCOS • MARRANOS Cristãos Novos
  • 43.
  • 44.
  • 46. Séc. XI: viragem do milênio • Transformações • invasões • epidemias  Sociais  Econômicas  Culturais • Estabilidade • população • obrigações servis (mesmos rendimentos) Estado de Tensão • Fome • Nobreza sem terras • violência • Servos expulsos - Principio da Primogenitura - Conquistas - “barões-ladrões” Muitos marginalizados O povo exigia soluções e a Igreja era a instituição mais poderosa do período... • Saques nas igrejas • Árabes impediam peregrinação cristão à Jerusalém • Cisma do Oriente (1054)
  • 47. “Aqueles que lutaram impiedosamente contra os cristãos, devem lutar contra os infiéis... Aqueles que até ontem fora ladrões devem ser tornar soldados. Aqueles que antigamente brigavam contra seus irmãos e parentes irão lutar contra os bárbaros como devem. Aqueles que outrora foram mercenários, a baixos salários, irão receber a recompensas das vidas eternas. A terras que habitamos é cercada pelo mar e por picos de montanhas, é pequena demais para a nossa grande população. Em nossa terra a riqueza não abunda, nem há alimentos para todas as pessoas. Precisamos tomar o caminho de Jerusalém, local onde jorra o leite e o mel, como um novo paraíso de deleite s. Vamos tomar um novo caminho do Santo Sepulcro; tiraremos aquela terra da perversa raça dos muçulmanos...”. Pope Urban speaks to the crowd, Illustration from Francois Guizot, "History of France...", 1883
  • 48. 1095: Urbano II • Formação de ordens militares • Reunificar a cristandade • Impedir avanço muçulmano Cruzadas  Afeta peregrinações  Afeta comercio marítimo Fracasso!!! • Inadequação dos exércitos europeus - Epidemias - Desidratação - Armamentos impróprios A monk named Peter the Hermit leads a Christian army during the First Crusade, in the late 11th century. The artwork comes from a 14th-century book called Abreviamen de las estorias.
  • 49. Medieval Europe, c. 9th-11th century AD. Bronze ring engraved with a cross with 5-wounds-of-Christ design. Soft green patina, earthen deposits. US size 6 1/2. ex-D Glover, UK. #JR2029: $175
  • 51. Medieval Armenia. Cilician Period, c. 1198 - 1375 AD. Fantastic and large bronze long-bow arrowhead. Two barbed blades with raised central midriff and long squared tang. 79 mm (3 1/8") long! Olive-green patina with earthen deposits. Still very sharp! Extremely rare. #WP2030: $299
  • 52. • 1291:  Cruzados definitivamente expulsos da Palestina  Queda de São João D´Acre Siege of Nicaea. Crusaders Throwing Heads Of Muslims Over Ramparts. (Séc XVIII) Fonte: "Histoire d'Outre Mer" Guillaume de Tyr. Reproduction from "Croisades", Claude Lebedel.
  • 53. Saladino decidiu ocupar lugares estratégicos para preparar uma defensiva contra os cruzados. Em 1183, tomou a cidade de Aleppo e, três anos mais tarde, conseguiu ocupar toda a Alta Mesopotâmia. Segundo seus biógrafos e historiadores, ele era diplomático: tentava chegar a um acordo com os inimigos e só partia para a guerra quando não conseguia atingir seus objetivos de outro modo. Graças a esse tom conciliador, ele conseguiu minimizar o conflito entre xiitas e sunitas e dominar as capitais de Damasco, Bagdá e Cairo, que somavam mais de 2 milhões de habitantes.
  • 54.
  • 55. Resultados: • Varias cruzadas foram transformadas em expedições de pilhagens • Reabertura das Rotas Comerciais • Possibilitou a reconquista da Península Ibérica  Estados feudais na região  Formação de entrepostos comerciais  Criação de bases de apoio para cristãos Aged only 56, El Cid was shot by a stray arrow in a battle on July 10th 1099 and he died shortly afterwards. After his death Ximena ruled in his place for three years until the Almoravids once again besieged the city. Unable to hold it, she abandoned the city and organised the evacuation of the Christians. King Alfonso ordered the city to be destroyed to prevent it from falling into the hands of the Almoravids and what was left of Valencia was captured by Masdali on May 5th1102 and would not become a Christian city again for over one hundred and twenty five years. Ximena fled north with the Cid’s body to Burgos where he was originally buried in the monastery of San Pedro de Cardeña but his body now lies at the centre of the Burgos Cathedral.
  • 57. • Expansão árabe • Igreja incentiva combates  Pequeno território  Montanhas das Astúrias  Oferece indulgências  Proíbe cristãos ibéricos no Oriente - Reino de Castela - Reino de Leão - Reino de Aragão - Reino de Navarra Manter peregrinação de Santiago de Compostela Resistência A Reconquista
  • 58. Séc X: Reino de Astúrias Reino de León Séc XI: Desintegração do Califado de Córdoba Divide-se em Taifas (reinos menores) • Reorganização do Reinos Cristãos ao norte • Incursões leonesas, castellanas e aragonesa  Galícia  León  Castilla  Navarra  Cataluña (divide-se em condados catalões)  Apoio da dinastia africana dos Almorávides (ao Sul) 1086: Parada da expansão muçulmana 1195: Cristãos Almohades (nova dinastia muçulmana)X Vitória 1162: criada a Santa Inquisição
  • 59. 1211: Castillo de Salvatierra tomado por muçulmanos (ameaça à Toledo) Alfonso VIII solicita ajuda dos reinos cristãos e do papa Luta ganha caráter de cruzada León e Navarra recusam-se a participar 1212: invasões cristãs - Conquistas pelo caminho - Adesão de exércitos cristãos Batalha de Las Navas de Tolosa Vitória Cristã
  • 60. 1238: fundado o Reino Nazarí de Granada • Ultimo reduto muçulmano 1340: Batalha de Salado (enfraquece granada) Casamento dos Reis: Castilla + Aragón 1491: Tomada de Granada • Quase um ano de batalhas • Contrução de fortificação cristã (Santa Fé) • 50.000 cristãos cercam Granada 1492: rendição muçulmana Resultados: • Fim de 700 anos de batalhas • Processo de unificação cultural (Reinado de Isabel e Fernando) • Castilla anexa Navarra • Expansão marítima • 1139: Afonso Henrique funda Portugal  Conversão obrigada dos muçulmano  Expulsão dos judeus Reino de Portucale
  • 61.
  • 62. https://www.rijksmuseum.nl/en/collection/SK-A-1451 https://www.youtube.com/watch?v=Yg3YDN5gTX0 Desvendando o pensamento medieval https://www.youtube.com/watch?v=HYGm0PkJm08 Terry Jones Medieval Lives http://www.youtube.com/watch?v=uBs4LysfpvE Brumas de Avalon Legendado https://www.youtube.com/watch?v=NhnB8RbYmkw Grandes Batallas 3 - La Reconquista española https://www.youtube.com/watch?v=UEh1V-QA_cI Discovery na Escola - Feudalismo: Guerra de Castelos https://www.youtube.com/watch?v=LtGoBZ4D4_E&src_vid=bDaB- NNyM8o&feature=iv&annotation_id=annotation_559561 https://www.youtube.com/watch?v=F8OPQ_28mdo The Bayeux Tapestry - Seven Ages of Britain - BBC One http://www.youtube.com/watch?v=9C9c_dEhzbE The Vikings: Documentary on the life, culture and Legacy (BBC) http://www.youtube.com/watch?v=uXpqgmBS6DM BBC Blood Of The Vikings 1 First Blood https://www.youtube.com/watch?v=vWZkitw1_Fw MEDIEVAL WEAPONS & COMBAT: The Shield https://www.youtube.com/watch?v=NCp-eB3gvog Las Tribus Germanicas EP01