SlideShare uma empresa Scribd logo
    A água é fundamental para a vida dos
    animais e das plantas;
   Para os seres humanos, além de fonte de
    sobrevivência é também importante
    recurso econômico;
    Da superfície do planeta, 73% é coberto
    por água nos estados líquidos e sólidos;
   A água esta distribuída da seguinte forma
    na terra, 95,96% estão nos oceanos e
    mares;
   Dos 4,04% que restam – a água doce –
    somente cerca de 1/3 está disponível na
    superfície e no subsolo, o restante é
    constituído por geleiras e neves de difícil
    utilização.
Esses números nos mostram a importância do
uso racional da água doce para que não
haja escassez.
 O território brasileiro possui a maior
  disponibilidade de água doce do
  planeta;
 distribuição da água:
 Amazônia 68,5%
 Centro-Oeste 15,7%
 Sul 6,5%
 Sudeste 6,0%
 Nordeste 3,3%
 A água que se infiltrar no solo e a que
  escoa pela superfície dirigem-se, pela
  ação da gravidade, ou às partes mais
  baixas do relevo, alimentando córregos,
  rios, lagos, oceanos e aquíferos;
 A água que se infiltra no solo alimenta os
  aquíferos – zonas saturadas de água no
  subsolo, áreas encharcadas;
A      maior disponibilidade de água
  subterrânea do Brasil é encontrada no
  aquífero Guarani, um dos maiores
  reservatórios de água doce do mundo
  1,2 milhão de km² estados brasileiros,
  além Paraguai, Argentina e Uruguai.
 O Brasil, em razão de sua grande extensão
  territorial e da predominância de climas
  úmidos, possui uma extensa e densa rede
  hidrográficas.
 Os rios brasileiros têm diversos usos, como o
  abastecimento, a irrigação, o lazer, a
  pesca, a geração de energia e o
  transporte, que embora pouco utilizado
  vem adquirindo cada vez mais importância
  no pais. Em regiões planálticas, nossos rios
  apresentam        um     enorme      potencial
  hidrelétrico, bastante explorado no Centro-
  Sul    e    nos    rios  São    Francisco   e
  Tocantins, com tendência de crescimento
  na Amazônia e Centro-Oeste.
 A maior bacia hidrográfica do planeta.
  Drena 56% do território brasileiro;
 Seu    rio principal nasce no córrego
  Apacheta do Peru, onde o curso de água
  recebe ainda os nomes de Lloqueta,
  Apurimac, Ene, Tambo e o Ucayali;
 Passa a ser denominado Solimões da
  fronteira brasileira até o encontro com o rio
  Negro e, a partir, daí, recebe o nome de
  Amazonas.
 É o rio mais extenso (6992 km) e de
  maior volume de água do planeta;
 Possui o maior potencial hidrelétrico
  disponível do país;
 O rio Amazonas, que corre no centro da
  planície, é inteiramente navegável.
 Esta bacia drena 11% do território nacional;
 Abrange partes dos estados do Tocantins,
  do Pará e do Maranhão;
 O Rio Tocantins recebe seu principal
  afluente o Araguaia, onde se encontra a
  maior ilha fluvial do mundo, a do Bananal;
 O rio Tocantins é utilizado para escoar
  parte      da      produção     de      grãos
  (principalmente soja) das regiões próximas
  e nele foi construída a Usina hidrelétrica de
  Tucuruí, a segunda maior do país.
 Estas bacias drenam 16% do território
  brasileiro;
 Segunda maior bacia hidrográfica do
  planeta;
 Seus rios mais importantes:
 Paraná: Principal rio da bacia Platina, é
  formado      pelos    rios    grande     e
  Paranaíba, na junção dos estados de
  São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso
  do Sul;
 É o maior potencial hidrelétrico instalado
  do país;
 Paraguai: segundo dos grandes rios da
  bacia platina, nascem em mato
  grosso, atravessa o relevo plano do
  pantanal e avança pelo Paraguai até
  encontrar o rio Paraná;
 É o segundo grande rio de planície do
  pais, percorrendo 1400 km em território
  brasileiro;
 Uruguai:    percorre a divisa Brasil-
  Argentina e a Uruguai-Argentina até
  desembocar no rio da Prata.
  Menor das quatro grandes bacias
  hidrográficas brasileira, ela é responsável
  pela drenagem de 7,5% do território
  nacional;
 O Rio São Francisco nasce na serra da
  Canastra, em Minas Gerais, atravessa o
  sertão semiárido e desemboca no Oceano
  Atlântico, entre os estados de Sergipe e
  Alagoas;
 Tem poucos afluentes e é aproveitado
  para irrigação e navegação.
 Drena 3,9% do território nacional e é a
  segunda mais importante da região
  Nordeste;
 Parte dessa bacia está localizada em
  região de clima semiárido
    o Brasil possui cinco conjuntos, ou
    agrupamentos de rios, chamados bacia
    hidrográfica do Atlântico: Nordeste
    Ocidental, Nordeste Oriental e Leste,
    Sudeste e Sul.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rio Guarani
Rio GuaraniRio Guarani
Rio Guarani
Sandra Alves
 
Bacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio UruguaiBacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio Uruguai
Naira Delazari
 
Apresentação Hg6
Apresentação Hg6Apresentação Hg6
Apresentação Hg6
veroleal
 
Apresentação HG 1
Apresentação HG 1Apresentação HG 1
Apresentação HG 1
veroleal
 
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na AmazôniaGEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
Diego Lopes
 
ApresentaçãO Def
ApresentaçãO DefApresentaçãO Def
ApresentaçãO Def
analuisacvieira
 
Bacia do Paraná
Bacia do ParanáBacia do Paraná
Bacia do Paraná
Naira Delazari
 
Hidrografia do paraná
Hidrografia do paranáHidrografia do paraná
Hidrografia do paraná
Ana Carolina
 
Geo araguaia
Geo araguaiaGeo araguaia
Geo araguaia
edsonluz
 
Unidade 1 7ano
Unidade 1   7anoUnidade 1   7ano
Unidade 1 7ano
Christie Freitas
 
Região Norte
Região NorteRegião Norte
Região Norte
Lolla Sttar
 
Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondonia
Fabricio Profeta
 
Aspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasilAspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasil
Maria Cledionora Tavares Tavares
 
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBACARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
E. AQUINO
 
Material completo - Região norte brasileira
Material completo - Região norte brasileiraMaterial completo - Região norte brasileira
Material completo - Região norte brasileira
Ana Maciel
 
GEO PSC1 - Região Norte
GEO PSC1 - Região NorteGEO PSC1 - Região Norte
GEO PSC1 - Região Norte
Diego Lopes
 
RegiõEs Do Brasil Norte
RegiõEs Do Brasil   NorteRegiõEs Do Brasil   Norte
RegiõEs Do Brasil Norte
ecsette
 
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
Conceição Fontolan
 
Os Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNiaOs Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNia
Daniela F Almenara
 
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUESANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
Conceição Fontolan
 

Mais procurados (20)

Rio Guarani
Rio GuaraniRio Guarani
Rio Guarani
 
Bacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio UruguaiBacia do Rio Uruguai
Bacia do Rio Uruguai
 
Apresentação Hg6
Apresentação Hg6Apresentação Hg6
Apresentação Hg6
 
Apresentação HG 1
Apresentação HG 1Apresentação HG 1
Apresentação HG 1
 
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na AmazôniaGEO PSC1 - Clima na Amazônia
GEO PSC1 - Clima na Amazônia
 
ApresentaçãO Def
ApresentaçãO DefApresentaçãO Def
ApresentaçãO Def
 
Bacia do Paraná
Bacia do ParanáBacia do Paraná
Bacia do Paraná
 
Hidrografia do paraná
Hidrografia do paranáHidrografia do paraná
Hidrografia do paraná
 
Geo araguaia
Geo araguaiaGeo araguaia
Geo araguaia
 
Unidade 1 7ano
Unidade 1   7anoUnidade 1   7ano
Unidade 1 7ano
 
Região Norte
Região NorteRegião Norte
Região Norte
 
Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondonia
 
Aspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasilAspectos fisicos do brasil
Aspectos fisicos do brasil
 
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBACARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
CARACTERIZAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARNAÍBA
 
Material completo - Região norte brasileira
Material completo - Região norte brasileiraMaterial completo - Região norte brasileira
Material completo - Região norte brasileira
 
GEO PSC1 - Região Norte
GEO PSC1 - Região NorteGEO PSC1 - Região Norte
GEO PSC1 - Região Norte
 
RegiõEs Do Brasil Norte
RegiõEs Do Brasil   NorteRegiõEs Do Brasil   Norte
RegiõEs Do Brasil Norte
 
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANÁ
 
Os Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNiaOs Principais Rios De RondôNia
Os Principais Rios De RondôNia
 
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUESANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
 

Semelhante a O espaço natural brasileiro - Hidrografia

Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Salageo Cristina
 
Hidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumoHidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumo
edna2
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
frankfranklyn
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
Carlão Otavio
 
Bacias hidrográficas 2014
Bacias hidrográficas 2014Bacias hidrográficas 2014
Bacias hidrográficas 2014
Jr Nascimento
 
O Pantanal
O PantanalO Pantanal
Modulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no BrasilModulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no Brasil
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Bacias hidrograficas
Bacias hidrograficasBacias hidrograficas
Bacias hidrograficas
ERLANDIEGO
 
Hidrografia brasileira
Hidrografia brasileiraHidrografia brasileira
Hidrografia brasileira
dela28
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
Waender Soares
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
IPA Metodista
 
A Bacia Do Paraná Localiza
A  Bacia Do  Paraná LocalizaA  Bacia Do  Paraná Localiza
A Bacia Do Paraná Localiza
Aryel Gutkoski
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
Professor
 
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
valdeniDinamizador
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
SIMONE SCHADE
 
Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8
Pablo Alves Alfradique
 
Materia
MateriaMateria
Materia
takahico
 
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
MARIAAPARECIDAALVESD27
 
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias MundiasOs Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Giulia Soares
 

Semelhante a O espaço natural brasileiro - Hidrografia (20)

Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
 
Hidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumoHidrografia 6ªresumo
Hidrografia 6ªresumo
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Bacias hidrográficas 2014
Bacias hidrográficas 2014Bacias hidrográficas 2014
Bacias hidrográficas 2014
 
O Pantanal
O PantanalO Pantanal
O Pantanal
 
Modulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no BrasilModulo 10 - As águas no Brasil
Modulo 10 - As águas no Brasil
 
Bacias hidrograficas
Bacias hidrograficasBacias hidrograficas
Bacias hidrograficas
 
Hidrografia brasileira
Hidrografia brasileiraHidrografia brasileira
Hidrografia brasileira
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
A Bacia Do Paraná Localiza
A  Bacia Do  Paraná LocalizaA  Bacia Do  Paraná Localiza
A Bacia Do Paraná Localiza
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
A Hidrografia Brasileira ( Geografia)
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8Hidrografia 1220403083710955-8
Hidrografia 1220403083710955-8
 
Materia
MateriaMateria
Materia
 
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
 
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias MundiasOs Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias Mundias
 

Mais de PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência

Grecia atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
Grecia  atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousaGrecia  atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
Grecia atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Livreto para grafica o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
Livreto para grafica   o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidianoLivreto para grafica   o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
Livreto para grafica o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Slides o escravo negro no brasil colonial tráfico e cotidiano
Slides o escravo negro no brasil colonial   tráfico e cotidianoSlides o escravo negro no brasil colonial   tráfico e cotidiano
Slides o escravo negro no brasil colonial tráfico e cotidiano
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidianoPlano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Texto sobre existência de raças humanas ação o escravo negro no brasil colo...
Texto sobre existência de raças humanas   ação o escravo negro no brasil colo...Texto sobre existência de raças humanas   ação o escravo negro no brasil colo...
Texto sobre existência de raças humanas ação o escravo negro no brasil colo...
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Pinturas de debret e rugendas
Pinturas de debret e rugendasPinturas de debret e rugendas
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidianoLivreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)
Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)
Relevo e Biomas piauienses
Relevo e Biomas piauiensesRelevo e Biomas piauienses
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquicaOs movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
O modernismo em portugal
O modernismo em portugalO modernismo em portugal
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Natação
NataçãoNatação
Diabetes mellitus
Diabetes mellitusDiabetes mellitus
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A região nordeste
A região nordesteA região nordeste
A arte na grécia
A arte na gréciaA arte na grécia
O espaço natural brasileiro - Clima
O espaço natural brasileiro - ClimaO espaço natural brasileiro - Clima

Mais de PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (20)

Grecia atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
Grecia  atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousaGrecia  atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
Grecia atividade a luta por direitos - hq mauricio de sousa
 
Livreto para grafica o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
Livreto para grafica   o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidianoLivreto para grafica   o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
Livreto para grafica o escravo negro no brasil colonial - trafico e cotidiano
 
Slides o escravo negro no brasil colonial tráfico e cotidiano
Slides o escravo negro no brasil colonial   tráfico e cotidianoSlides o escravo negro no brasil colonial   tráfico e cotidiano
Slides o escravo negro no brasil colonial tráfico e cotidiano
 
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidianoPlano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
 
Texto sobre existência de raças humanas ação o escravo negro no brasil colo...
Texto sobre existência de raças humanas   ação o escravo negro no brasil colo...Texto sobre existência de raças humanas   ação o escravo negro no brasil colo...
Texto sobre existência de raças humanas ação o escravo negro no brasil colo...
 
Pinturas de debret e rugendas
Pinturas de debret e rugendasPinturas de debret e rugendas
Pinturas de debret e rugendas
 
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidianoLivreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
Livreto O escravo negro no Brasil Colonial: tráfico e cotidiano
 
Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)
Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)
Trânsito Beneditinos-PI (Alunos UEPMP)
 
Relevo e Biomas piauienses
Relevo e Biomas piauiensesRelevo e Biomas piauienses
Relevo e Biomas piauienses
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquicaOs movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
 
O modernismo em portugal
O modernismo em portugalO modernismo em portugal
O modernismo em portugal
 
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Engenharia civil
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Diabetes mellitus
Diabetes mellitusDiabetes mellitus
Diabetes mellitus
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
Brasil - Primeira república
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
A região nordeste
A região nordesteA região nordeste
A região nordeste
 
A arte na grécia
A arte na gréciaA arte na grécia
A arte na grécia
 
O espaço natural brasileiro - Clima
O espaço natural brasileiro - ClimaO espaço natural brasileiro - Clima
O espaço natural brasileiro - Clima
 

Último

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 

Último (20)

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 

O espaço natural brasileiro - Hidrografia

  • 1.
  • 2. A água é fundamental para a vida dos animais e das plantas;  Para os seres humanos, além de fonte de sobrevivência é também importante recurso econômico;  Da superfície do planeta, 73% é coberto por água nos estados líquidos e sólidos;  A água esta distribuída da seguinte forma na terra, 95,96% estão nos oceanos e mares;  Dos 4,04% que restam – a água doce – somente cerca de 1/3 está disponível na superfície e no subsolo, o restante é constituído por geleiras e neves de difícil utilização.
  • 3. Esses números nos mostram a importância do uso racional da água doce para que não haja escassez.
  • 4.  O território brasileiro possui a maior disponibilidade de água doce do planeta;  distribuição da água:  Amazônia 68,5%  Centro-Oeste 15,7%  Sul 6,5%  Sudeste 6,0%  Nordeste 3,3%
  • 5.  A água que se infiltrar no solo e a que escoa pela superfície dirigem-se, pela ação da gravidade, ou às partes mais baixas do relevo, alimentando córregos, rios, lagos, oceanos e aquíferos;  A água que se infiltra no solo alimenta os aquíferos – zonas saturadas de água no subsolo, áreas encharcadas; A maior disponibilidade de água subterrânea do Brasil é encontrada no aquífero Guarani, um dos maiores reservatórios de água doce do mundo 1,2 milhão de km² estados brasileiros, além Paraguai, Argentina e Uruguai.
  • 6.
  • 7.  O Brasil, em razão de sua grande extensão territorial e da predominância de climas úmidos, possui uma extensa e densa rede hidrográficas.  Os rios brasileiros têm diversos usos, como o abastecimento, a irrigação, o lazer, a pesca, a geração de energia e o transporte, que embora pouco utilizado vem adquirindo cada vez mais importância no pais. Em regiões planálticas, nossos rios apresentam um enorme potencial hidrelétrico, bastante explorado no Centro- Sul e nos rios São Francisco e Tocantins, com tendência de crescimento na Amazônia e Centro-Oeste.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.  A maior bacia hidrográfica do planeta. Drena 56% do território brasileiro;  Seu rio principal nasce no córrego Apacheta do Peru, onde o curso de água recebe ainda os nomes de Lloqueta, Apurimac, Ene, Tambo e o Ucayali;  Passa a ser denominado Solimões da fronteira brasileira até o encontro com o rio Negro e, a partir, daí, recebe o nome de Amazonas.
  • 13.  É o rio mais extenso (6992 km) e de maior volume de água do planeta;  Possui o maior potencial hidrelétrico disponível do país;  O rio Amazonas, que corre no centro da planície, é inteiramente navegável.
  • 14.
  • 15.
  • 16.  Esta bacia drena 11% do território nacional;  Abrange partes dos estados do Tocantins, do Pará e do Maranhão;  O Rio Tocantins recebe seu principal afluente o Araguaia, onde se encontra a maior ilha fluvial do mundo, a do Bananal;  O rio Tocantins é utilizado para escoar parte da produção de grãos (principalmente soja) das regiões próximas e nele foi construída a Usina hidrelétrica de Tucuruí, a segunda maior do país.
  • 17.  Estas bacias drenam 16% do território brasileiro;  Segunda maior bacia hidrográfica do planeta;  Seus rios mais importantes:  Paraná: Principal rio da bacia Platina, é formado pelos rios grande e Paranaíba, na junção dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul;  É o maior potencial hidrelétrico instalado do país;
  • 18.  Paraguai: segundo dos grandes rios da bacia platina, nascem em mato grosso, atravessa o relevo plano do pantanal e avança pelo Paraguai até encontrar o rio Paraná;  É o segundo grande rio de planície do pais, percorrendo 1400 km em território brasileiro;  Uruguai: percorre a divisa Brasil- Argentina e a Uruguai-Argentina até desembocar no rio da Prata.
  • 19.  Menor das quatro grandes bacias hidrográficas brasileira, ela é responsável pela drenagem de 7,5% do território nacional;  O Rio São Francisco nasce na serra da Canastra, em Minas Gerais, atravessa o sertão semiárido e desemboca no Oceano Atlântico, entre os estados de Sergipe e Alagoas;  Tem poucos afluentes e é aproveitado para irrigação e navegação.
  • 20.
  • 21.  Drena 3,9% do território nacional e é a segunda mais importante da região Nordeste;  Parte dessa bacia está localizada em região de clima semiárido
  • 22. o Brasil possui cinco conjuntos, ou agrupamentos de rios, chamados bacia hidrográfica do Atlântico: Nordeste Ocidental, Nordeste Oriental e Leste, Sudeste e Sul.