Apostila historia e_geografia-rondonia

16.769 visualizações

Publicada em

historia egeografia-rondonia

Publicada em: Educação
1 comentário
16 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.769
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
701
Comentários
1
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila historia e_geografia-rondonia

  1. 1. ATENÇÃO: Esta apostila é uma versão de demonstração, contendo 35 páginas. A apostila completa contém 52 páginas e está disponível para download aos usuários assinantes do ACHEI CONCURSOS APOSTILA PARA CONCURSOS PÚBLICOS HISTÓRIA E GEOGRAFIA DO ESTADO DE RONDÔNIA Encontre o material de estudo para seu concurso preferido em www.acheiconcursos.com.br Conteúdo: 1. História e Geografia do Estado de Rondônia; 2. 125 questões de concursos anteriores. www.acheiconcursos.com.br
  2. 2. 1 Didatismo e Conhecimento GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE RONDÔNIA GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE RONDÔNIA O moderno Estado de Rondônia, cuja capital é Porto Velho, surgiu da cisão de terras que, no passado, pertenciam aos seguintes Estados: Mato Grosso e Amazonas. Ao ser criado, em 1943, foi denominado de “território de Guaporé”. Em 17 de fevereiro de 1956, passou a ser chamado de Rondônia, mas só foi integrado à Federação em 1981. Seu nome é uma homenagem ao explorador dos sertões do Amazonas e do Mato Grosso, Cândido Mariano da Silva Rondon, o conhecido marechal Rondon. Em busca de novas terras e riquezas, franceses, ingleses, portugueses, holandeses e espanhóis entraram no Estado do Amazonas, por volta do século 17, período em que teve início a ocupação européia em terras amazonenses. Mas essa invasão passou a ser controlada, especialmente, pelo Tratado de Tordesilhas (importante documento que regulou a expansão e descobertas de Portugal e Espanha por meio de medidas limítrofes) e pelo Tratado de Madri (documento que gerou novas definições de limites, concedendo a Portugal o direito de proteger e de se apropriar definitivamente da região). Seu povoamento foi efetivado com a exploração dos seringais, no século 19, por ocasião da etapa do ciclo da borracha. Nesse período, a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) foi importantíssima. Bacias hidrográficas As três bacias principais: Bacia do Rio Madeira O principal rio dessa bacia se chama Madeira. É muito importante, pois converge do rioAmazonas (margem direita), juntamente com seus afluentes. As expedições estrangeiras navegaram muito por suas águas e os jesuítas estabeleceram uma base missionária em sua foz. As proporções do rio Madeira são interessantes. Sua profundidade pode ir além dos 13 metros e sua largura varia entre 440 e 9.900 metros. Por causa disso, é natural que grandes navios naveguem por suas águas. Segundo a Enciclopédia Britânica, o rio Madeira, apesar de ser extenso: 3.370 km, só pode ser navegado num percurso total de 1.500 km. Devido ao seu tamanho, percorre os Estados do Amazonas e Rondônia. Bacia dos rios Guaporé e Mamoré O rio Guaporé está situado entre o Brasil e a Bolívia. Seu percurso total é de 1.716 km. Nasce a 1.800 m de altitude na Chapada dos Parecis, em Mato Grosso. Ao entrar em área rondoniense, encontra-se com o rio Mamoré, cuja largura varia entre 150 e 710 metros, com cerca de 2 a 10 metros de profundidade. O rio Guaporé “presenciou” grandes lutas, travadas entre os portugueses e os espanhóis. O rio Mamoré, por sua vez, é proveniente da Cordilheira dos Andes (na Bolívia), onde é conhecido pelo nome de Grande de La Plata. Ao receber as águas do rio Guaporé, que se unem ao rio Beni (também na Bolívia), passa a ser designado de Mamoré, formando a nascente do rio Madeira. Bacia do rio Ji-Paraná O rio Ji-Paraná é o mais destacado afluente do rio Madeira, em Rondônia, devido à longa extensão do seu curso, que cruza todo o Estado no sentido Sudeste/Nordeste. Sua complexidade hidrográfica atinge uma superfície de 92.500 km², aproximadamente. Os principais rios que formam estas Bacias hidrográficas: Rio Guaporé Nasce na serra dos Parecis, região de Mato Grosso. Ao alcançar a cidade de Vila Bela, toma a direção norte-oeste entrando em terras rondonienses na cidade de Pimenteiras do Oeste, passando por Cabixi, Cerejeiras, São Miguel do Guaporé até Costa Marques. A 12o de latitude sul recebe as águas do rio Mamoré. Seu trecho navegável é de 1.500 quilômetros e se constitui em fronteira natural entre o Brasil e a Bolívia. Seus afluentes brasileiros são os rios Cabixi, Corumbiara, Mequéns, Colorado, São Miguel, Cautário e Cautarinho, todos com nascentes na Chapada dos Parecis; Rio Mamoré Nasce na Cordilheira dos Andes, em território boliviano com o nome Grande de La Plata, passando a ser designado Mamoré quando alcança a Serra dos Pacaás Novos, região de Guajará-Mirim. Constituindo- se em fronteira natural entre o Brasil e a Bolívia, recebe as águas do rio Guaporé e, ao juntar-se ao Beni, outro rio boliviano, recebe a designação Mamoré e passa a formar a nascente do rio Madeira. Seu curso possui uma extensão de 1.100 quilômetros e é totalmente navegável. Tem como principais afluentes brasileiros os rios Sotério, pacaás Novos, Bananeiras e Ribeirão ou Lajes. Seus acidentes hidrográficos são as corredeiras Lages, Bananeiras, Guajará-Acu e Guajará- Mirim; Rio Ji-Paraná ou Machado Nasce da junção dos rios Barão de Melgaço, também chamado de Comemoração de Floriano, e Apediá, chamado de Pimenta Bueno, na chapada dos Parecis. Seu curso tem uma extensão de 800 quilômetros, atravessando a região central do Estado até desembocar no rio Madeira, região de Calama, no município de Porto Velho. Tem como afluentes pela margem direita os rios Riozinho, Lourdes, São João e Tarumã. Pela margem esquerda os afluentes são os rios Luiz deAlbuquerque, Rolim www.acheiconcursos.com.br
  3. 3. 2 Didatismo e Conhecimento GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE RONDÔNIA de Moura, Ricardo Franco, Preto, Jaru, Boa Vista, Urupá e Machadinho. Seu principal acidente hidrográfico, dentre os vários existentes e que dificultam a navegação, é a cachoeira 02 de Novembro, localizada no município de Machadinho do Oeste. Rio Madeira ou Caiary Nasce na junção dos rios Beni e Mamoré, sendo o maior afluente do rio Amazonas pela margem direita. Sua extensão é de 3.240 quilômetros, sendo 1.700 em território brasileiro. Mas, devido aos diversos acidentes hidrográficos, seu curso navegável é de 1.116 quilômetros, a partir da cachoeira de SantoAntonio, em Porto Velho até Itacoatiara,AM. Seus afluentes pela margem direita são os rios Ribeirão, Mutum-Paraná, Jacy-Paraná, Jamari e Machado. Pela margem esquerda os afluentes são os rios Abunã, Ferreiros, José Alves, São Simão e o igarapé Cuniã. - Os acidentes hidrográficos existentes no rio Madeira são os seguintes: (trecho Porto Velho/Guajará-Mirim) Corredeiras: Periquitos, Três Irmãos, Macaco, Morrinhos, Pederneiras, Chocolatal, Araras e Lages. Guajará-Açu e Guajará-Mirim; Cachoeiras: Santo Antonio, Caldeirão do Inferno, Paredão, Misericórdia, Madeira, Pau Grande e Bananeiras; Saltos: Teotônio, Girau e Ribeirão. As principais Ilhas do Estado: No Rio Madeira, Santana, Jacy-Paraná, Três Irmãos, 7 de Setembro, Misericórdia, 15 de Novembro, Marina e Anús ou da Confluência: No Rrio Mamoré, Soares e Saldanha: No Rio Guaporé, Comprida. PLANÍCIE AMAZÔNICA (vale do Madeira), serra dos Parecis e serra dos Pacaás Novos (vale do Guaporé). Nesta serra localiza-se o ponto mais elevado de Rondônia, o Pico do Tracuá. Principais rios Rios Machado ou Ji-Paraná; Guaporé, Mamoré, Madeira, Jacy-Paraná, Mutum-Paraná, Aripuanã ou Roosevelt, e Jamary. A planície Amazônica situada nos estados de Rondônia, apresenta a altitude de 90 a 200 metros acima do nível do mar, estende-se desde o extremo norte nos limites deste com o Estado do Amazonas, se prolongando nas direções sul e sudeste até encontrar as primeiras ramificações da chapada dos Parecis e da Encosta Setentrional.Esta Planície se constitui em sua superfície aplainada morfoclimática típica de floresta, resultante das oscilações climáticas do período quaternário com climas mais secos sucedidos por climas mais úmidos, atuando para o seu aplainamento e compartimentação da superfície revestida por seixos, laterito, sedimentos areno-argilosos nas áreas de terra firme, de acumulação areno-argilosos recentes nas áreas de várzea e de constituição argilo-ferruginosa nos barrancos. ENCOSTA SETENTRIONAL DO PLANALTO BRASILEIRO Este acidente do relevo do Estado é correspondente a uma faixa de terreno arqueano, constituída de restos de uma superfície de aplainamento rebaixada pelas sucessivas fases erosivas, subdivididas em patamares de altitude entre mais de 100 metros e menos de 600 metros formando detritos residuais espersas, colinas de topos plainados, colinas com inselbergs, pontões, afilamentos de granitos, lateritos e matacões de tamanhos variados, morros isolados e esporões de cristas agudas. Sobre as superfícies plainadas surgem rochas sedimentares (pleistocenas) e depósitos em conseqüência da erosão provocada por violentas enxurradas, ocorridas em períodos remotos, em decorrência do clima mais seco e por falta da cobertura florestal. CHAPADA DOS PARECIS - PACAÁS NOVOS A chapada dos Parecis-Pacaás Novos constitui a superfície cimeira do Estado, desenvolvendo-se na direção Noroeste - Sudeste é pertencente ao sistema mato-grossense do Maciço Central Brasileiro com altitude acima de 300, e entre 600 a 900 metros, com pontos culminantes acima de 1.000 m. A Chapada é originária de uma antiga área de deposição, soerguida e entalhada pela erosão por intenso processo de movimentos diastróficos de caráter epirogenético, originando falhamento e diaclasamento do relevo, como: superfície cimeira entalhada de rochas correspondentes às partes mais elevadas; restos de antigas superfícies deformadas por desdobramentos de grandes raios de curvaturas bastante dissecada e delimitadas por falhas; e patamares de erosão antiga glacial escalonadas. Vários rios nascem em suas encostas Sul e Oeste descendo na direção do rio Guaporé. A Chapada serve de divisória de águas entre as bacias do rio Jaci - Paraná e dos rios Guaporé - Mamoré, do rio Jí-Paraná e do Roosevelt. VALE DO GUAPORÉ-MAMORÉ Vale do Guaporé-Mamoré é uma vasta planície dissimétrica de forma tabular, formada por terrenos sedimentares recentes, cuja altitude média fica entre 100 a 200 metros. Estende-se desde o sopé das chapadas dos Parecis e Pacaás Novos no Estado de Rondônia, até atingir os primeiros contrafortes dos Andes, na República da Bolívia; na direção Sudeste se prolonga pelo Estado de Mato Grosso. A porção pertencente ao Estado é restrita, fica limitada na direção Leste - Oeste entre a Chapada dos Parecis e rios Guaporé e Mamoré, ambos linhas de limite entre o Brasil e a Bolívia; na direção Norte - Sul, entre a Encosta Setentrional e rio Cabixi, nos limites com o Estado de Mato Grosso. Esta região é constituída por terrenos alagadiços, associados a platôs mais elevados. É drenada pelas águas dos rios Guaporé, Mamoré e pelos baixos cursos de seus afluentes. As enchentes dos rios inundam dezenas de quilômetros das áreas mais baixas, formando lagos temporários e amplos meandros divagantes de escoamento bastante complexo. www.acheiconcursos.com.br
  4. 4. 3 Didatismo e Conhecimento GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE RONDÔNIA ASPECTOS GEOGRÁFICOS Área Geográfica: 238.512,8 km2, representando 6,19% da região Norte e 2,80% do País. Rondônia é 3º Estado em extensão territorial da região Norte. No contexto nacional, constitui-se o 15º em extensão territorial e o 23º em termos populacionais. Limites: ao Norte e Nordeste, estado do Amazonas; ao Sul e Oeste, República da Bolívia; a Leste e Sudeste, estado de Mato Grosso; a Noroeste, os estados do Acre e do Amazonas. A extensão da fronteira do Estado de Rondônia com a república da Bolívia é de 1.342 quilômetros. Setor Primário do Estado – Agricultura, pecuária, piscicultura, apicultura, extrativismo vegetal e mineral. - O extrativismo mineral destaca-se pela ocorrência de ouro, cassiterita, diamante, nióbio, quartzo, granito e água mineral. - O extrativismo vegetal destaca-se pela produção de cacau, madeira em toras, castanha-do-pará e borracha silvestre. - O setor agrícola destaca-se nacionalmente por produzir cereais, café, soja, milho, banana, mandioca e algodão, além de hortifrutigranjeiros. - O efetivo pecuário é composto, principalmente, de rebanhos bovinos de corte e de leite, com mais de cinco milhões de cabeças e uma Bacia leiteira em franca expansão, notadamente nas regiões de Porto Velho, Jaru e Ouro Preto do Oeste. Setor secundário Prevalece a agroindústria, notadamente na produção de laticínios, na região central do Estado. Mas crescem as indústrias de transformação destinadas aos setores moveleiro, de confecções, couro e calçados. Setor terciário Envolve comércio e serviços, é o que mais cresce no Estado, tendo em vista a evolução urbana, a exemplo de municípios como Vilhena, Pimenta Bueno, Rolim de Moura, Cacoal, Ji-Paraná, Jaru, Ouro Preto e Ariquemes. Principais grupos indígenas existentes – Suruí, Gavião, Cinta Larga, Karipuna, Pakaas Nova, Arara, Kaxarari, Eu-Uru-Uau-Uau, Nhanbiquara e Karitiana. Clima Predominante: - Equatorial quente-úmido ou tropical úmido, variando de acordo com a altitude, com a temperatura variando entre 18o e 33o centígrados. A variação mínima ocorre no município de Vilhena e região, e a máxima no de Porto Velho e região. A estação chuvosa vai de outubro a março e o período de seca, de maio a setembro. Localização Geográfica: Região Norte, ao sul da Amazônia Ocidental. A região amazônica abrange os seguintes países: Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname, Peru, Venezuela e Brasil. No Brasil, onde fica localizada a Amazônia Ocidental, a Amazônia corresponde a 50% do território nacional e abrange os estados do Pará, Amazonas, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Tocantins, parte do Maranhão e do Mato Grosso. Poder Político A representação política do Estado de Rondônia é constituída por três senadores e oito deputados federaisqueatuamnoCongressoNacional.Emnívelestadual, a Assembléia Legislativa é composta por 24 deputados estaduais. No plano municipal, existem 537 vereadores, 52 prefeitos e 52 vice-prefeitos. O Poder Executivo Estadual é exercido pelo governador e, nos seus impedimentos, pelo vice-governador. Formação Étnica É semelhante ao restante do país, formada por brancos, negros e índios. Mas em virtude das fases de atração imigratória e migratória ocorrentes durante os ciclos de produção econômica, diversos povos dessas raças deram sua contribuição para o elemento humano rondoniense, cuja identidade regional ainda está em formação. Ocupação humana O processo de povoamento do espaço físico que constitui o estado de Rondônia começa no século XVIII, durante o ciclo do Ouro, quando mineradores, comercializadores, militares e padres jesuítas fundam os primeiros arraiais e vilas nos vales Guaporé-Madeira. A decadência desse ciclo de produção aurífera causa a involução populacional desses arraiais, vilas e cidades surgidas no auge do ciclo do Ouro, com o êxodo dos portugueses e paulistas que formavam o topo da sociedade da época. Mas ficam os negros remanescentes do escravismo, os mulatos e os índios já aculturados. No século XIX, o primeiro ciclo da Borracha, em sua fase primária, atraiu basicamente nordestinos e bolivianos para o trabalho nos seringais, mas não gerou núcleos de povoamento nesse espaço geográfico tendo em vista o conceito econômico, que não produzia riquezas locais, por tratar-se de uma economia de exportação, cujos principais núcleos localizavam-se Manaus e Belém. No entanto, os sub-ciclos gerados em decorrência da construção e funcionamento da Ferrovia Madeira-Mamoré, o Ferroviário, e das Estações Telegráficas da Comissão Rondon, o do Telégrafo, atraíram povoadores para as terras rondonienses originários de várias regiões brasileiras e de outros países, que se fixaram e formaram núcleos urbanos. As estações telegráficas da Comissão Rondon atraíram, principalmente, matogrossenses, paulistas e nordestinos, que trabalhavam nos serviços de telegrafia, e acomodavam- se em suas cercanias gerando pequenos núcleos urbanos, como Ariquemes, Presidente Pena ou Urupá, Pimenta Bueno e Vilhena. A Madeira-Mamoré atraiu vários contingentes imigratórios destinados ao trabalho nas obras da ferrovia, nos setores técnicos e administrativos da empresa com seus diversos ramos de exploração, comercialização e serviços, e ao comércio que se formava ao redor. Nesta fase de imigrações instalaram-se em terras rondonienses, notadamente nos núcleos urbanos de Porto Velho, Jacy- Paraná, Mutum-Paraná, Abunã, Guajará-Mirim e Costa Marques, imigrantes turcos, sírios, judeus, gregos, libaneses, italianos, bolivianos, indianos, cubanos, panamenhos, porto- www.acheiconcursos.com.br
  5. 5. 4 Didatismo e Conhecimento GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE RONDÔNIA riquenhos, italianos, barbadianos, tobaguenses, jamaicanos e bolivianos. A migração ocorreu com a fixação de nordestinos procedentes dos estados do Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte e Paraíba, além de amazonenses, paraenses e matogrossenses. O segundo ciclo da Borracha, iniciado em 1942, funcionou completamente diferenciado do primeiro e encontrou a região com sua infra-estrutura em fase de consolidação. Os povoadores dos seringais eram nordestinos, mas divididos em duas categorias, os seringueiros civis e os soldados da borracha, estes, incorporados ao Batalhão da Borracha. Os núcleos urbanos desenvolveram-se. O sistema de saúde pública melhorou consideravelmente e as ações de governo estenderam-se para o interior. A geopolítica regional passa por total transformação tendo em vista a criação do Território Federal do Guaporé em terras desmembradas dos estados de Mato Grosso e do Amazonas. Nesse período, as estações telegráficas da Comissão Rondon funcionavam como receptores de uma ocupação humana rural-rural, procedente do Mato Grosso, destinada á pecuária, formando grandes latifúndios onde funcionavam antigos seringais. O ciclo do Diamante promoveu mudanças substanciais na ocupação humana e desenvolvimento dos povoados de Rondônia (hoje Ji-Paraná) e Pimenta Bueno, enquanto o ciclo da Cassiterita expandiu a ocupação humana no espaço físico que compreende as microrregiões de Porto Velho e Ariquemes. O ciclo da Agricultura, cuja atração migratória começou desordenadamente em 1964, fixou em Rondônia contingentes migratórios procedentes do Mato Grosso, Goiás, Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Amazonas, Pará, Acre e do Nordeste, destacando-se os estados do Ceará, Bahia, Piauí, Paraíba e Sergipe. As microrregiões formadas pelos municípios de Vilhena, Pimenta Bueno e Rolim de Moura, receberam migrantes mato-grossenses, gaúchos e paranaenses, em sua maioria. As microrregiões formadas pelos municípios de Cacoal, Presidente Médice e Ji-Paraná, recebem gaúchos, paranaenses, paulistas, e nordestinos, em sua maioria. Migrantes capixabas, paranaenses, mineiros e baianos formam a maioria dos que se fixaram nas microrregiões de Ouro Preto, Jaru e Ariquemes. As regiões de Porto Velho e Guajará-Mirim receberam povoadores, mas em menor escala e de categorias diferentes, considerando-se que o ciclo da Agricultura atraiu, em princípio, uma migração rural-rural, para, em seguida, fixarem-se migrantes de características rural-urbana - Os municípios rondonienses localizados na faixa da fronteira boliviana são: Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Costa Marques, Alta Floresta do Oeste, São Francisco do Guaporé, Alto Alegre dos Parecis, , Pimenteiras do Oeste e Cabixi. Divisão geopolítica: o estado de Rondônia é formado por 52 municípios e 57 distritos. Municípios Rondonienses Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Porto Velho, Candeias do Jamary, Itapuã do Oeste, Alto Paraíso, Monte Negro, Buritis, Campo Novo de Rondônia, Rio Crespo, Cujubim, Ariquemes, Cacaulândia, Machadinho do Oeste, Vale do Anari, Theobroma, Governador Jorge Teixeira, Jaru, Vale do Paraíso, Nova União, Mirante da Serra, Teixeirópolis, Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná, Presidente Médice, Urupá,Alvorada do Oeste, São Miguel do Guaporé, Seringueiras, São Francisco do Guaporé, Costa Marques, Nova Brasilândia do Oeste, Novo Horizonte do Oeste, Castanheiras, Alta Floresta do Oeste, Alto Alegre dos Parecis, Santa Luzia do Oeste, Rolim de Moura, Ministro Andreazza, Cacoal, Espigão do Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe d’Oeste, Parecis, Pimenta Bueno, Chupinguaia, Colorado do Oeste, Corumbiara, Cerejeiras, Pimenteiras do Oeste, Cabixi e Vilhena. Dois municípios rondonienses estão entre os 15 municípios brasileiros que obtiveram as maiores taxas nacionais de médias de crescimento populacional. Buritis, com 29,09% e Campo Novo de Rondônia com 23,20%. CRIAÇÃO DO ESTADO DE RONDÔNIA E PROCESSOS DE POVOAMENTO. NÚCLEOS DE POVOAMENTO Entre as fases de desenvolvimento do estado de Rondônia podemos destacar a descoberta de ouro no rio Corumbiara, no século XVIII; a conquista e o povoamento dos vales do Guaporé, Mamoré e Madeira; a construção do Real Forte do Príncipe da Beira, no período colonial; o Primeiro e o Segundo Ciclos da Extração de Látex; a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e a descoberta de minério de estanho (cassiterita) em 1952. O período mais expressivo do desenvolvimento regional ocorreu a partir da abertura da BR 364, e com implantação de projetos de colonização, pelo Governo Federal, através do INCRA. Buscamos, de forma simples, apresentar como ocorreu a ocupação do espaço regional, que tem início no século XVIII, com a fundação da aldeia de Santo Antônio, pelo padre jesuíta João Sampaio, na primeira cachoeira do rio Madeira, sentido foz-nascente. Posteriormente as descobertas de ouro nos afluentes da margem direita do rio Guaporé despertaram interesses na Coroa Portuguesa pela posse da terra, portanto, em 1748, funda a capitania de Mato Grosso, cujos limites abrangiam a maior parte das terras do atual estado de Rondônia. Dom Antônio Rolim de Moura Tavares, considerado o primeiro governador da capitania de Mato Grosso (1751- 1764), iniciou uma política de povoamento e fundação de feitorias ao longo dos rios Guaporé e Madeira e construiu o Forte de Conceição que foi substituído pelo Real Forte do Príncipe da Beira. Nesse mesmo período, iniciou-se a exploração fluvial do rio Madeira e seus afluentes Mamoré e Guaporé, pela Companhia Geral do Comércio do Grão-Pará e Maranhão, que utilizava essa rota fluvial com exclusividade para o abastecimento das minas de ouro dos afluentes do rio Guaporé e da capital da capitania de Mato Grosso (Vila Bela da Santíssima Trindade). (...) ESTE É UM MODELO DE DEMONSTRAÇÃO DA APOSTILA E CONTÉM APENAS UM TRECHO DO CONTEÚDO ORIGINAL. O DESENVOLVIMENTO DA MATÉRIA CONTINUA POR MAIS PÁGINAS NA APOSTILA COMPLETA, QUE VOCÊ PODERÁ OBTER EM http://www.acheiconcursos.com.br . www.acheiconcursos.com.br
  6. 6. HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE RONDÔNIA - QUESTÕES DE CONCURSOS (TCE-RO, Cesgranrio - Técnico em Informática - 2007) 01. A partir da observação do quadro acima, pode-se afirmar que, como produto predominantemente amazônico, durante a Primeira República, a(o): a) borracha entrou em decadência após algumas décadas, em virtude da concorrência da produção asiática. b) café alcançou grande desenvolvimento pela existência da terra roxa e da mão-de-obra assalariada. c) algodão alcançou novamente o ápice de sua produção no primeiro quartel do século XX, em função do declínio da borracha. d) açúcar sofreu grande declínio, graças à procura do açúcar de beterraba pelos consumidores europeus. e) couro e as peles apresentavam um baixo rendimento, porque, em geral, os derivados da pecuária eram pouco utilizados no clima tropical brasileiro. www.acheiconcursos.com.br
  7. 7. 02. Os relatos espetaculares sobre a Amazônia, presentes nos depoimentos dos indígenas e nas crenças europeias, contrapunham, a todo momento, duas visões da nova terra: a idílica e a temível, a paradisíaca e a trágica. Esse contraponto, na verdade, refletia o contexto histórico no qual estava inserido, significando que: a) a força dos nativos da Amazônia, proveniente de sua forte ligação com a natureza, comoveu e transformou o universo ideológico europeu do século XVI. b) o longo confronto entre Portugal e Espanha, decorrente da Guerra de Reconquista, perpetuava-se, na América, com a disputa de territórios além-mar. c) o encontro com o indígena significava, para o europeu, um estranhamento perante aquele desconhecido, sempre vitorioso nos conflitos iniciais, apesar de suas armas rudimentares. d) mesmo enfrentando dificuldades de toda sorte, a conquista da região significava alcançar riquezas materiais que as expedições da época moderna buscavam. e) quaisquer que fossem os perigos que a região apresentasse, deveriam ser enfrentados, pois esta era a vontade divina, tanto no que se refere ao europeu, como no imaginário nativo. 03. A região do atual Estado de Rondônia passou a integrar oficialmente a colônia portuguesa na América somente em 1750, quando foi firmado o Tratado de Madri, cuja base para determinações acerca de territórios foi o princípio do uti possidetis, segundo o qual: a) a aquisição dos territórios reivindicados só pode ser realizada através da compra. b) as terras situadas às margens dos rios Guaporé e Mamoré passam a pertencer aos proprietários das minas de Potosi. c) os territórios anteriormente ocupados pelos espanhóis ficam protegidos por expedições marítimas e terrestres. d) os territórios devem pertencer a quem realmente os ocupa. e) todos os acidentes geográficos devem alterar sua denominação, se mudarem os proprietários dos respectivos territórios. 04. No século XVIII, paralelamente à atividade mineradora, desenvolveu-se no Vale do Guaporé a: a) atividade industrial, decorrente da mineração, que garantiu a sobrevivência da população após o esgotamento da produção mineral. www.acheiconcursos.com.br
  8. 8. b) atividade agrícola de exportação, com produtos como cacau, café e especiarias destinadas à região do Grão-Pará. c) lavoura de subsistência direcionada ao atendimento das necessidades da população na região. d) pecuária de corte associada ao povoamento da região. e) exploração de poços petrolíferos naturais, que garantiram a auto-suficiência da região até os dias atuais. 05. No século XVIII, paralelamente à atividade mineradora, desenvolveu-se no Vale do Guaporé a: a) atividade industrial, decorrente da mineração, que garantiu a sobrevivência da população após o esgotamento da produção mineral. b) atividade agrícola de exportação, com produtos como cacau, café e especiarias destinadas à região do Grão-Pará. c) lavoura de subsistência direcionada ao atendimento das necessidades da população na região. d) pecuária de corte associada ao povoamento da região. e) exploração de poços petrolíferos naturais, que garantiram a auto-suficiência da região até os dias atuais. 06. Na década de 60 do século XX, uma onda migratória em direção ao Território Federal de Rondônia aqueceu a economia da região. Essa onda migratória: a) era composta por imigrantes atraídos pelas vantagens oferecidas pelo sistema de parceria, implantado pelo Senador Nicolau Vergueiro. b) era composta, em sua maioria, por garimpeiros em busca de cassiterita, atraídos pelas vantagens oferecidas pelo Governo Federal. c) reviveu os antigos bandeirantes, que utilizavam os cursos de rios para atingir o interior. d) representou uma melhoria na qualidade de vida dos povos indígenas ali instalados. e) levou o Governo Federal a controlar com maior rigor as reservas minerais encontradas no subsolo amazônico, criando projetos integrados de colonização. 07. Rondônia é um dos estados da Amazônia que passou a ter problemas ambientais decorrentes de sua rápida expansão desenvolvimentista. Sobre este fato, é correto afirmar que: a) os organismos internacionais, ao criarem projetos de colonização, tinham como objetivo socializar os recursos naturais da floresta, reduzindo, assim, as alterações no ecossistema. b) o governo de Jorge Viana, cuja gestão foi batizada como "governo da floresta", tem contribuído para aliviar os efeitos da poluição ambiental. c) o plantio da soja e a pecuária extensiva atraíram maciços investimentos para a região, como parte do Plano Amazônia Sustentável. d) as reservas ecológicas, como a Reserva Extrativista Chico Mendes, são respeitadas pela população, o que garante a preservação do Território de Rondônia. e) a intensa exploração dos recursos naturais acabou por alterar consideravelmente o ecossistema, interferindo nas mudanças climáticas que atingem a região. Leia o texto abaixo para responder às questões 08 e 09: Durante o período colonial, a região do Vale do Guaporé foi foco de atenção do governo português, por sua situação limítrofe e pela atividade comercial que a caracterizava. Em consequência, nela se delineou uma estrutura social típica da colônia portuguesa. 08. Sobre a estrutura social dos Vales do Guaporé e do Madeira nesta época, é correto afirmar que: a) grande parte da população cativa resistiu à escravidão, de maneiras diversas: desde fugas, muitas vezes apoiadas pelos vizinhos castelhanos, até o aldeamento em quilombos. b) ao contrário do que ocorria nas demais regiões brasileiras, a elite branca era muito reduzida e possuía funções de caráter exclusivamente militar, ficando a classe média encarregada da organização política. www.acheiconcursos.com.br
  9. 9. c) parte da população escrava da região originou-se da migração de nordestinos na época do primeiro ciclo de extração do látex. d) a grande maioria dos trabalhadores dos Vales do Guaporé e do Madeira era de indígenas originários do Vale do Paraguai e submetidos à escravidão. e) a entrada de migrantes para trabalhar nos seringais e na construção da ferrovia Madeira-Mamoré promoveu a formação dos primeiros núcleos urbanos à margem dos rios. 09. A crise que atingiu a região do Vale do Guaporé, a partir do início do século XIX, pode ser explicada pela: a) quantidade de expedições científicas na região, as quais controlavam o número de transações mercantis. b) abertura da navegação fluvial pelo rio Madeira para escoar a produção agrícola e de manufaturados da região. c) chegada dos jesuítas, em cujas missões era terminantemente proibida a atividade comercial. d) decadência da mineração aliada à importância militar da região do Vale do Paraguai. e) decretação do final da escravidão na Amazônia, desguarnecendo de mão-de-obra as companhias comerciais. 10. "O que quer que façam ou não, os norte-americanos devem agora começar a olhar para longe." MAHAN, Alfred T., in MORISON, S.E. e COMMAGER, H.S., História dos Estados Unidos da América. SP: Melhoramentos, Tomo II, p. 447. A afirmativa acima tentava justificar o expansionismo norte-americano que, com base na Doutrina Monroe e no chamado Destino Manifesto, atuava sobre o continente americano. Na tentativa de se proteger dessas investidas e preservar a soberania territorial brasileira no século XIX, o governo imperial: a) comprou da Bolívia o Território do Acre, já ocupado por seringueiros brasileiros, que foram, também, indenizados. b) estabeleceu a hidrovia Amazonas-Madeira como trajeto exclusivo para a exploração e o escoamento do ouro encontrado na região. c) decretou o monopólio da navegação no rio Amazonas, concedendo sua exploração à companhia fundada por Irineu Evangelista de Souza. d) permitiu a livre navegação no rio Amazonas, na esperança de que, pressionados por outros países, os EUA desistissem de seus ideais expansionistas. e) impediu a internacionalização da navegação fluvial na Amazônia, a partir da isenção de impostos, concedida a quem passasse a utilizar o porto de Belém, no Oceano Atlântico. Leia o texto abaixo para responder às questões 11 e 12: A Região Norte do Brasil sempre teve sua economia marcada pelo extrativismo vegetal e, pelas próprias condições sócio-espaciais, pela utilização da mão-de-obra indígena. Contudo, no início do século XX, duas mudanças são sentidas: o aparecimento de uma mão-de-obra não indígena e a queda da borracha no mercado internacional. 11. O fator que justificou o surgimento da mão-de-obra não indígena na região foi a: a) saída dos holandeses do Nordeste, provocando o desmantelamento das pequenas empresas e o crescente desemprego dos nordestinos. b) grande seca no sertão do Nordeste no final do século XIX, provocando a migração de nordestinos para a região. c) escravização dos negros africanos comprados pelos regatões para o trabalho nos seringais. d) decadência da cafeicultura do Sudeste, resultando no deslocamento da mão-de-obra ociosa para o Vale do Guaporé. e) libertação dos escravos africanos e seu consequente emprego no extrativismo amazônico, como mão-de-obra livre. www.acheiconcursos.com.br
  10. 10. 12. Apesar da queda sofrida pela produção amazônica da borracha, um novo surto de exportação acontece em terras amazônicas nos anos 40 do século XX. Assinale a opção que explica corretamente o fato citado. a) O trabalho era coletivo, o que beneficiava os investimentos no abastecimento dos seringais e na comercialização do produto. b) A criação das reservas extrativistas comunitárias facilitou a sustentabilidade do uso dos recursos naturais, o que acarretou o aumento da produção de látex. c) A descoberta do processo de vulcanização da borracha, em meados do século XX, aumentou a demanda de matéria-prima, não suprida pela produção da Malásia. d) A entrada dos EUA na 2ª Guerra Mundial desviou os esforços da produção norte-americana da borracha para a indústria bélica, o que levou o Brasil a retomar seu lugar nas exportações. e) Com os seringais da Malásia nas mãos dos japoneses, os norte-americanos passaram, por determinação dos Acordos de Washington, a reativar a exploração e o fornecimento da borracha para as suas indústrias. 13. Considera-se como um dos fatores determinantes da criação do Estado de Rondônia o(a): a) desmatamento de grande parte da área florestada da Amazônia Ocidental. b) surto demográfico em função da agropecuária e dos garimpos. c) obtenção de terras a partir dos incentivos governamentais. d) insistência da Bolívia na devolução do território pelo Brasil. e) transferência da capital brasileira para o Centro-Oeste. 14. "Para reajustar o organismo político às necessidades econômicas de o país garantir as medidas apontadas, não se oferecia outra alternativa além da que foi tomada, instaurando- se um regime forte, de paz, de justiça e de trabalho." FENELON, Dea. Proclamação de Getúlio Vargas in 50 Textos da História do Brasil. SP: Hucitec, 1974, p. 159. Com esta proclamação, irradiada por todo o país, Getúlio Vargas anunciava o Estado Novo. Assinale, dentre as opções abaixo, a que caracteriza a repercussão dessa ditadura implantada na região amazônica, em especial, no Território Federal do Guaporé. a) Todas as decisões políticas referentes ao território eram tomadas pelo Presidente da República e pelo Ministério da Defesa. b) Os prefeitos dos municípios e os deputados federais eram eleitos por sufrágio universal direto. c) O Ministério do Interior era o único responsável pela administração da região da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, enquanto ao governador cabia a administração do restante do Território. d) Os funcionários públicos, denominados cutubas, eram nomeados pelo governo federal, através do voto indireto do colégio eleitoral. e) O governador era nomeado pelo Presidente da República, não existindo Poder Legislativo em âmbito estadual ou municipal. 15. Sobre o crescimento populacional de Rondônia, pode-se afirmar que: I - nas décadas de 70 e 80 do século XX, o aumento da população coincidiu com o programa de colonização implantado pelo INCRA; II - as políticas agrícolas implementadas no final do século XX aceleraram a urbanização no Estado de Rondônia;<br> III - logo após as duas guerras mundiais, muitos europeus decidiram deixar o continente arrasado e iniciar uma nova vida na América, especificamente no Estado de Rondônia; IV - a presença de um sistema integrado de transporte, criado a partir da construção da BR-364, integrando a Amazônia ao Centro-Sul, facilitou a mobilidade espacial da população em direção a Rondônia. Estão corretas, apenas, as afirmativas: a) I e II b) II e III www.acheiconcursos.com.br
  11. 11. c) III e IV d) I, II e III e) I, II e IV 16. Durante o desenrolar da chamada "questão acreana", alguns líderes defenderam a emancipação do Acre, tanto no que se refere à Bolívia, como em relação ao Brasil. Contudo, essa proposta não se concretizou, entre outros motivos, porque: a) seringalistas e comerciantes brasileiros sentiram seus interesses ameaçados, sobretudo após o arrendamento da região ao Bolivian Syndicate. b) o general José Pando comandou uma expedição até a nascente do rio Javari, eliminando os focos insurretos. c) os mineradores bolivianos temiam perder sua maior fonte de renda, que era a exploração das minas de estanho da região. d) uma força internacional, liderada por França, Inglaterra, Alemanha, EUA e Suíça, ocupou a região, por determinação do Tratado de Petrópolis. e) um contingente misto de norte-americanos e brasileiros, liderado por Plácido de Castro, ocupou a região, com a finalidade de neutralizar o monopólio boliviano sobre a extração do látex. (SEDUC-RO, Funrio - Professor - 2008) 17. Com relação ao fuso horário, quantas horas a “Hora de Rondônia” está atrasada em relação a “Hora de Greenwich”? a) 1 hora. b) 2 horas. c) 3 horas. d) 4 horas. e) 5 horas. 18. Com quais destes estados Rondônia não faz limite? a) Amazonas. b) Pará. c) Mato Grosso. d) Acre. e) Nenhum dos citados. 19. Em que década, do século XX, foi aberta a rodovia federal 364? a) Década de 50. b) Década de 40. c) Década de 60. d) Década de 20. e) Década de 80. 20. Em que ano foi criado o Estado de Rondônia? a) 1875. b) 1981. c) 1962. d) 1902. e) 1943. www.acheiconcursos.com.br
  12. 12. 21. Até a implantação da Rodovia Federal BR-364, qual era a principal modalidade de transporte de Rondônia? a) Hidroferroviário. b) Rodoviário. c) Metroviário. d) Aéreo. e) Nenhuma das opções. (SEDUC-RO, Funrio - Agente Educador - 2008) 22. O primeiro núcleo colonial português na região da Amazônia se estabeleceu no século: a) XIV. b) XV. c) XVII. d) XX. e) XXI. 23. Um dos eventos que contribuiu fortemente para o crescimento populacional e desenvolvimento da região de Rondônia foi a: a) pavimentação da BR-101. b) pavimentação da BR-364. c) construção de Brasília. d) eleição de Fernando Henrique Cardoso. e) eleição de Luiz Inácio Lula da Silva. 24. Em que ano ocorreu a primeira eleição estadual após a criação do estado de Rondônia? a) 1982 b) 1970 c) 1843 d) 1902 e) 2005 25. Quem foi o presidente da república que sancionou a lei que criou legalmente o Estado de Rondônia? a) Getúlio Vargas. b) Fernando Henrique Cardoso. c) João Goulart. d) João Baptista Figueiredo. e) Jânio Quadros. 26. Com relação à ocupação da região amazônica, é correto afirmar que a década e o principal motivo das preocupações do governo brasileiro terem se agravado foram, respectivamente: a) 1930, pois houve uma queda na exportação da borracha, importante produto da região. b) 1960, pela renúncia de Jânio Quadros e as repercussões na política nacional. c) 1970, em função de uma possível invasão americana e receio de uma guerra civil. d) 1980, pela criação do Estado de Rondônia e a manutenção das áreas fronteiriças. www.acheiconcursos.com.br
  13. 13. e) 1990, em função da elevação da taxa de juros que afetou as exportações. 27. A população do estado de Rondônia é, aproximadamente, de: a) 300 mil habitantes. b) 527 mil habitantes. c) 1,3 milhão de habitantes. d) 5,4 milhões de habitantes. e) 7,2 milhões de habitantes. 28. Com qual país o Estado de Rondônia faz fronteira? a) Venezuela. b) Chile. c) Uruguai. d) Paraguai. e) Bolívia. 29. É sabido que a região onde se encontra o Estado de Rondônia recebeu um grande fluxo migratório ao longo da história. Com relação a década de 90 do século XX, pode-se afirmar sobre os fluxos migratórios que houve um(a): a) manutenção do fluxo migratório para a região, e com isso um aumento da urbanização. b) redução da entrada de migrantes e um aumento do fluxo migratório interno das zonas rurais para zonas urbanas. c) redução da entrada de migrantes e uma redução de moradores nas áreas urbanas. d) aumento da entrada de migrantes e um consequente aumento da urbanização. e) aumento da saída de migrantes para outras regiões do país, além da emigração para outros países, principalmente europeus. 30. De forma geral, pode-se afirmar que o relevo do estado de Rondônia é: a) pouco acidentado, sem grandes elevações ou depressões. b) muito acidentado, possuindo grandes elevações que beiram os 2.000 metros. c) relativamente acidentado, possuindo grande número de elevações com média de 1.000 metros. d) não possui quaisquer acidentes geográficos. e) relativamente acidentado, com preponderância de picos e montanhas. 31. Segundo a classificação Köppen, Rondônia possui que tipo de clima? a) Tropical Seco b) Temperado c) Ártico d) Tropical Chuvoso e) Subtropical (Corpo De Bombeiros - RO, Funcab - Soldado - 2008) 32. “No final do século XIX e durante a primeira metade do século XX (1877- 1960), todos os principais rios de Rondônia eram utilizados para navegação. Nesse período os rios davam acesso aos diversos seringais existentes na região.” (Oliveira, O. Amélio. Geo. Rondônia). Atualmente, uma importante via de transporte fluvial e o rio: www.acheiconcursos.com.br
  14. 14. a) Machado, entre a cachoeira Dois de Novembro e a localidade de Tabajara; b) Mamoré, entre Guajará-Mirim e o encontro com o rio Beni; c) Madeira, entre Porto Velho e a foz, no rio Amazonas; d) Guaporé, entre Guajará-Mirim e o encontro com o rio Beni; e) Madeira, entre Campo Novo de Rondônia e a localidade de Tabajara. 33. De acordo com Ovídio A. de Oliveira, o rio que nasce na região Sul do estado do Acre, na fronteira com a Bolívia, faz o limite entre Brasil e Bolívia, tem a foz no Madeira e o rio Marmelo como principal afluente a margem esquerda, do lado brasileiro,em terras de Rondônia, chama-se: a) Abuna; b) Guaporé; c) Jamari; d) Jiparaná; e) Roosevelt. 34. As florestas de Rondônia são ricas em espécies vegetais. Pode-se dizer que o primeiro produto explorado, responsável pelo povoamento dos vales do Madeira, Mamoré, Guaporé, Machado e seus afluentes foi: a) a madeira da espécie castanheira; b) o mogno, madeira considerada nobre; c) a seiva da árvore seringueira; d) a madeira, de cor avermelhada, chamada pau-brasil; e) o jatobá, madeira considerada nobre. 35. A exploração agrícola do espaço territorial de Rondônia iniciou-se a partir do desmatamento, e a substituição da floresta pelo cultivo das lavouras de arroz, feijão, milho e café, nas regiões de Ouro Preto do Oeste, Cacoal, Ariquemes, Sidney Girão e Colorado do Oeste teve inicio basicamente: a) no século XIX; b) no inicio do século XX; c) no século XX, durante a década de 70; d) após a da 2ª Guerra Mundial; e) após a 1ª Guerra Mundial. 36. Rondônia exporta carne bovina principalmente para o sudeste do pais. Para o abate do gado de corte, os frigoríficos do estado estão localizados nos seguintes municípios: a) Ariquemes, Urupá, Guajará-Mirim, Jaru, Buritis, Corumbiara e Porto Velho; b) Alvorada D'Oeste, Buritis, Castanheiras, Corumbiara, Guajará-Mirim, Vilhena e Porto Velho; c) Ariquemes, Parecis, Jarú, Monte Negro, Porto Velho, Vale do Anari e Vilhena; d) Buritis, Cacoal, Castanheiras, Corumbiara, Guajará-Mirim, Jarú e Rolim de Moura; e) Ariquemes, Jarú, Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura, Vilhena e Porto Velho. 37. A produção de leite no estado de Rondônia e responsável pelo aquecimento da economia de muitos municípios, sendo a microrregião considerada a maior produtora do estado, dentre as abaixo apresentadas: a) Costa Marques; b) Guajará-Mirim; c) Itapuã do Norte; d) Ji-Paraná; www.acheiconcursos.com.br
  15. 15. e) Presidente Médici. 38. A evolução e a emancipação política de Rondônia (de Território Federal a condição de Estado) foi lenta e, segundo Edilson L. de Medeiros, alguns estudiosos da história de Rondônia atribuem a emancipação política aos seguintes fatores: I. amadurecimento de um grupo político que passou a lutar junto ao Congresso Nacional, buscando a emancipação política de Rondônia; II. atuação do Presidente Getulio Vargas na luta pela emancipação política de Rondônia; III. construção da BR-364, que liga Porto Velho a Cuiabá, aumentando o fluxo migratório e o surgimento de novos povoados; IV. extração de cassiterita, possibilitando o nascimento das primeiras industrias e desenvolvimento econômico. Dos itens acima mencionados, estão corretos apenas: a) I e II; b) II e III; c) III e IV; d) I, III e IV; e) II, III e IV. 39. A alta rentabilidade do látex desde o final do século XIX atraiu a atenção de contrabandistas e, em 1876, a Inglaterra já dispunha de grande quantidade de mudas para remeter as suas colônias do sudeste asiático. Pode-se dizer que uma das fortes razões para a redução da produção da borracha (1912) e o consequente encerramento do ciclo foi a: a) introdução da navegação a vapor (1850) e a internacionalização da navegação pelos rios da bacia Amazônica; b) instalação das primeiras fábricas que produziam produtos de borracha na América do Norte e na Europa; c) utilização da borracha brasileira na fabricação de pneus; d) utilização da borracha brasileira na fabricação de diversos equipamentos bélicos; e) desvalorização da borracha no mercado internacional. 40. A retomada da demanda da extração do látex na região do vale Madeira-Guaporé ocorreu em decorrência da 2ª Guerra Mundial pois: a) os seringais brasileiros se tornaram competitivos graças ao investimento do governo brasileiro em tecnologia para extração do látex; b) a ação de contrabandistas ingleses, noruegueses e alemães intensificou-se; c) a produção do látex no Oriente (Malásia) aumentou; d) o Tratado de Petrópolis restabeleceu a paz entre Brasil e Alemanha; e) os seringais da Malásia foram ocupados por tropas japonesas, não sendo possível continuar a produção. 41. A obra de construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré foi iniciada em 1872, quando chegaram a Santo Antônio os trabalhadores e o material suficiente para a construção dos primeiros 36 km de ferrovia. Entretanto a obra teve um ritmo lento considerando que: I. os trabalhadores que chegavam eram dizimados pela fome e por doenças endêmicas da região; II. os ataques dos índio Karipunas aos acampamentos eram constantes; III. era de interesse tanto do Brasil quanto da Bolívia construir uma estrada que vencesse o trecho encachoeirado dos rios Madeira e Mamoré; IV. o maior de todos os obstáculos era a própria selva amazônica, com suas adversidades. Dos itens acima mencionados, estão corretos apenas: www.acheiconcursos.com.br
  16. 16. a) I e II; b) II e III; c) III e IV; d) I, II e III ; e) I, II e IV. 42. A construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré foi muito importante para o desenvolvimento do vale do rio Madeira. ______________ e _____________ foram os primeiros núcleos de povoamento a se desenvolverem na região, fundamentalmente por serem ponto inicial e final da referida estrada. A sequência de palavras que preenche corretamente as lacunas e: a) Porto Velho / Guajará-Mirim; b) Ji-Paraná / Porto Velho; c) Jarú /Ariquemes; d) Parecis / Porto Velho; e) Porto Velho / Parecis. 43. No início do período de colonização (1970) foi deflagrada pelo governo uma campanha publicitária nas regiões Sul e Sudeste do pais, com o “Rondônia, o Novo Eldorado”, cujo objetivo principal era: a) inaugurar o Hospital da Candelária entre Porto Velho e Santo Antônio; b) gerar fluxo migratório de colonos com destino ao então território de Rondônia; c) reativar a produção do látex; d) impedir o avanço das tropas bolivianas no território de Rondônia; e) formar a cidade de Cacoal. (PM-RO, Funcab - Soldado - 2008) Leia o texto abaixo e responda às questões 44 e 45. “A hidrografia do estado de Rondônia é formada por uma bacia principal, a do rio Madeira, que é composta por cinco bacias tributárias: Guaporé, Mamoré, Abunã, Jamari e Machado ou Jiparaná, e pela bacia do rio Roosevelt ( ... )”. (Oliveira,O. Amélio.Geo. Rondônia) 44. A Usina Hidrelétrica de Samuel, que tem potencial de geração de 216Mw de energia elétrica, está instalada no rio: a) Jamari e situada no Município de Candeias do Jamari; b) Abunã e situada no Município de Itapuã do Oeste; c) Jamari e situada no Município de Itapuã do Leste; d) Abunã e situada no Município de Jaru; e) Machado e situada no Município de Ji-Paraná. 45. O rio Madeira tem uma extensão navegável de, aproximadamente, 1056km. Entretanto, apesar de não impedir a navegação, durante o período da seca há um trecho em que surgem obstáculos ocasionados por assoreamento no leito do rio.Trata-se do trecho entre: a) o Município de Porto Velho e a foz; b) a Cachoeira de Santo Antônio e a foz; c) a Cordilheira dos Andes e o encontro com o rio Guaporé; d) os rios Ouro Preto e Pacaás Novos; e) os rios Jamari e Guaporé. www.acheiconcursos.com.br
  17. 17. Leia o texto abaixo e responda às questões 46 e 47. “O relevo do estado de Rondônia é pouco acidentado, não apresentando grandes elevações ou depressões(...). As áreas mais acidentadas encontram-se localizadas no divisor das águas das bacias hidrográficas dos rios Guaporé- Mamoré com as bacias do Madeira e Machado(...). As maiores altitudes ocorrem no Município de Vilhena e as menores no Município de Porto Velho(...)”. (Oliveira,O. Amélio. Geo Rondônia) 46. A unidade morfoestrutural que corresponde ao trecho onde o rio Madeira elaborou uma faixa de aluviões sobre terrenos sedimentares de idade pleistocênica, localizada na porção norte do estado de Rondônia, ao longo do rio Madeira, denomina-se: a) Planalto Sedimentar dos Parecis; b) Planaltos Residuais do Guaporé; c) Planícies do Médio Guaporé; d) Planície Amazônica; e) Chapadas do Cachimbo. 47. De acordo com o IBGE (anuário estatístico 2000) os pontos mais altos do estado de Rondônia: a) têm pouca importância pois o relevo caracteriza-se pela presença de grandes depressões; b) estão situados na região central do Município de Porto Velho; c) estão situados na região central do estado de Rondônia, na serra dos Pacaás Novos; d) localizam-se no sul da planície Amazônica; e) localizam-se entre o norte do estado de Rondônia e a Cordilheira dos Andes. 48. Vários ciclos econômicos marcaram o desenvolvimento da região que abrange Rondônia, mas atualmente predomina a produção agropecuária tendo como destaque: a) criação de bovinos; b) plantio da lavoura de cacau; c) criação de muares; d) cultivo da soja; e) criação de caprinos. 49. A influência da mineração em Rondônia está presente desde o século XVIII, quando descobriu-se ouro no rio Corumbiara. Depois veio a garimpagem de diamantes no leito do rio Jiparaná, a garimpagem de cassiterita, etc. Acerca do assunto, pode-se afirmar que os garimpos de ouro em Rondônia entraram em decadência no século: a) XVIII; b) XIX; c) XX, durante a década de 60; d) XX, durante a década de 70; e) XX, durante a década de 90. 50. No dia 22 de dezembro de 1981 o então Presidente da República, João Batista de Figueiredo, cria o Estado de Rondônia e, no dia 4 de janeiro de 1982 instalou-se o mais novo estado da União, e empossado como primeiro governador o: a) Sr. Francisco Paiva; b) Sr. Francisco Chiquilito Coimbra Erse; c) Sr. Ângelo Angelim; d) Coronel Jorge Teixeira de Oliveira; e) Deputado Áureo Melo. www.acheiconcursos.com.br
  18. 18. 51. O primeiro ciclo de extração do látex acontece a partir de 1877 e entra em decadência em 1910. Entretanto, podem ser destacados os seguintes méritos deste período, EXCETO: a) a instalação das Linhas Telegráficas Estratégicas do Mato Grosso ao Amazonas; b) a construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré, margeando o rio Madeira, iniciando assim o surgimento de várias cidades; c) a fundação da aldeia de Santo Antonio, na primeira cachoeira do Madeira, pelo padre jesuíta João Sampayo; d) o início da formação de diversos povoados como Papagaios (atual Ariquemes) em consequência da penetração do seringueiros nos afluentes do rio Madeira; e) o início da conquista do território do atual estado do Acre em consequência da penetração dos seringueiros pelos rios Purus e Acre, onde foram surgindo povoados. 52. Acerca dos primeiros passos da construção da ferrovia Madeira-Mamoré, pode-se estabelecer a ordem cronológica correta dos fatos, atribuindo o número 1 ao fato que aconteceu primeiro: ( ) o Tratado da Amizade, Limites, Navegação, Comércio e Extradição é assinado entre Brasil e Bolívia; ( ) chega à região de Santo Antonio a primeira leva de trabalhadores para iniciar a construção da ferrovia Madeira-Mamoré; ( ) devido à Guerra do Paraguai, o Brasil fica impedido de trafegar pela bacia do Prata. Surge a ideia de buscar novas rotas; ( ) Church obtém a concessão do governo brasileiro para a construção da ferrovia Madeira-Mamoré; ( ) Public Works pede rescisão do contrato para a construção da ferrovia. A sequência numérica correta, de cima para baixo, é: a) 1, 3, 2, 5, 4; b) 2, 4, 1, 3, 5; c) 3, 4, 2, 1, 5; d) 4, 3, 5, 1, 2; e) 5, 2, 1, 4, 3. 53. A ocupação de terras do atual estado de Rondônia teve início no século XVIII. Acerca do expressivo movimento migratório, pode-se dizer que foi marcado pelos seguintes períodos: I. no primeiro ciclo da borracha, em que a maioria dos migrantes era nordestina, fugindo da seca, à procura de trabalho na extração do látex; II. durante a 2ª Guerra Mundial, devido ao acordo realizado entre os governos brasileiro e norte- americano, dando novo incentivo à produção do látex; III. durante a década de 60, no século XX, devido à Guerra do Vietnã e os Estados Unidos, dando incentivo à produção da cassiterita; IV. nas décadas de 70 e 80 do século XX, com a influência da abertura da BR 364 e implantação de projetos oficiais de colonização. Dos itens acima mencionados, estão corretos apenas: a) I e II; b) I e III; c) II e III; d) I, II e III; e) I, II e IV. 54. Durante o primeiro ciclo da borracha, a grande comercialização do látex desperta no governo brasileiro a necessidade de integrar a região da bacia do rio Madeira com as demais regiões do país. O www.acheiconcursos.com.br
  19. 19. então Presidente Afonso Pena nomeia uma comissão, comandada por Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1907, que integrou essa região ao restante da nação através: a) da construção das linhas telegráficas; b) da construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré; c) da criação do Território Federal do Guaporé; d) da organização da exploração da cassiterita em Rondônia; e) da criação do PAR - Projeto de Assentamento Rápido. 55. A área do atual estado do Acre foi anexada ao território brasileiro mediante acordo de pagamento de dois milhões de libras esterlinas ao governo boliviano e, ainda, da construção de uma ferrovia margeando os rios Madeira e Mamoré, no trecho encachoeirado. Esse acordo foi realizado através da assinatura, em 17 de novembro de 1903, do tratado: a) da Amizade, Limites, Navegação, Comércio e Extradição; b) de Petrópolis; c) de Ayacucho; d) do Livre Comércio entre Brasil e Bolívia; e) de Tordesilhas. (IDARON-RO, Funcab - Assistente Administrativo - 2008) 56. O Brasil concentra mais de 10% da água doce disponível na superfície do planeta. O vasto emaranhado de rios formam oito grandes bacias hidrográficas sendo a Amazônica a maior do mundo, com aproximadamente 3,8 milhões de quilômetros quadrados (em terras brasileiras). Toda essa caudalosa riqueza representa: a) possibilidade de navegação fluvial com todas as capitais dos países que fazem a fronteira Norte do Brasil; b) um bem extremamente valioso para irrigar terras secas existentes no semi-árido nordestino; c) facilidade que os rios representam na ocupação e povoamento da Amazônia, inclusive contribuindo para a configuração geográfica do país; d) dificuldade de penetração no interior da floresta, pois os rios são de longa extensão; e) existência de um enorme potencial de energia hidrelétrica, porque a maioria dos rios corre nos planaltos. 57. “Moro num país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza” (...) Jorge Ben Jor acerta na canção, pois a maior parte do nosso território está situada na faixa intertropical. No entanto, a classificação climática do Brasil abrange cerca de seis tipos climáticos. De acordo com o IBGE, o clima predominante no estado de Rondônia é: a) tropical; b) tropical de Altitude; c) tropical Chuvoso; d) subequatorial; e) equatorial. 58. A ideia de “desenvolvimento sustentável” está cada vez em maior evidência entre as questões da atualidade. De acordo com este conceito, considera-se que: a) o meio ambiente, fundamental como fonte de recursos naturais para as gerações futuras, deve ser intocável; www.acheiconcursos.com.br
  20. 20. b) é o modelo de desenvolvimento que tem sido aplicado em toda a Região Sudeste do Brasil, mas não em Rondônia; c) deve buscar se explorar os recursos naturais de uma região, mas sem comprometer o meio ambiente e prejudicar a qualidade de vida das populações; d) deve se estimular tanto a preservação das terras indígenas como o desmatamento para sustentar melhor as populações rurais; e) precisamos deixar de utilizar os recursos naturais e minerais para melhorar a qualidade de vida dos habitantes do País. 59. “Entre 1960 e 1980, os incentivos fiscais à agricultura e a descoberta de minérios provocaram um surto de desenvolvimento em Rondônia, e uma onda de imigrações elevou a população de 70 mil para 500 mil pessoas.” De acordo com o IBGE, no Censo Demográfico de 2000, este total atingiu 1.379.787 habitantes. Essa aceleração no crescimento da população de Rondônia pode ser atribuída: a) aos dois ciclos de extração de látex que permitiram a fixação dos seringueiros vindos do Ceará em vários povoados ao longo do rio Madeira e do Mamoré; b) à distribuição da população rondoniense ao longo dos rios que cortam o estado e seus afluentes que, com atividades extrativas vegetais, fixam a população no campo; c) à Comissão Rondon, que instalou estações telegráficas em Vilhena, Pimenta Bueno, Ji-Paraná, Jaru, Ariquemes e Porto Velho, o que permitiu a comunicação entre essas cidades e acelerou o processo de urbanização; d) a um conjunto de fatores de ordem política, socioeconômica de infra-estrutura (abertura da BR-364) que, ao atrair fluxos de migrantes de vários estados, aumentou a população e a rede de cidades; e) ao aumento das atividades extrativas minerais e vegetais que atraiu migrantes tanto do Nordeste como do Sul do país e representavam mão-de-obra qualificada. 60. “Dois terços de Rondônia são cobertos pela floresta Amazônica. Embora dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indiquem uma redução do desmatamento no estado de 13%, entre 2004 e 2005, parte importante da natureza está destruída. Segundo o Inpe, já foram queimadas ou derrubadas 57% da vegetação em áreas não protegidas e 31% nas áreas protegidas. (In: Atlas National Geographic, São Paulo:Abril Coleções, 2008, p.45). Tentando reduzir esses danos ambientais, foram criadas as seguintes zonas (e subzonas) socioeconômico-ecológicas abaixo relacionadas: a) áreas protegidas pelos indígenas (zona 1); áreas de uso restrito por lei (zona 2) e áreas institucionais (zona 3); b) na zona 1, estão as de uso agropecuária, agroflorestais e florestais; zona 2, áreas de usos especiais para a conservação de recursos naturais passíveis de uso sob manejo sustentável e na zona 3, áreas institucionais constituídas pelas áreas protegidas de uso restrito e controlado, prevista em Lei e instituídas pela União, Estado e Municípios; c) áreas de uso agropecuária, agroflorestais e florestais (zona 1); áreas de usos especiais não possíveis de manejo sustentável (zona 2) e áreas institucionais, isto é, áreas protegidas de uso restrito e controlado, prevista em Lei e instituídas pela Federação dos Estados (zona 3); d) áreas de usos especiais (zona 1); áreas institucionais previstas por leis federais, estaduais e municipais (zona 2); áreas de usos agroflorestais (zona 3); e) áreas de uso no agronegócio (zona 1); usos restritos aos povos indígenas (zona 2); áreas de usos especiais para a conservação dos recursos naturais (zona 3). 61. Com a ocupação dos seringais da Malásia por tropas japonesas durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), os Estados Unidos e a Inglaterra buscaram matéria-prima para equipamentos bélicos na importação de borracha brasileira. Para tanto, foi necessária a assinatura de acordos entre os Estados Unidos e o Brasil. Estes acordos, assinados em março de 1942, foram chamados de “Acordos...: a) da Amazônia”; b) Brasileiros” ; www.acheiconcursos.com.br
  21. 21. c) de Washington”; d) da Borracha” ; e) Ingleses”. 62. A estrada de ferro Madeira-Mamoré foi um fator de relevante importância para o vale do Madeira, pois até 1907 existia apenas um povoado, o de Santo Antônio do Rio Madeira. A construção da ferrovia trouxe para a região os mais variados grupos sociais, como operários, mascates, comerciantes e as diversões. Assim, a partir daquele ano, formou-se a cidade de: a) Esperidião Marques; b) Porto Velho; c) Abunã; d) Vila Murtinho; e) Jaci-Paraná. 63. Devido à grande demanda da exploração da borracha, durante a Segunda Guerra Mundial, muitos nordestinos foram atraídos com promessas de trabalho nos seringais da Amazônia. Eram conhecidos como: a) “mercenários da borracha”; b) “trabalhadores da borracha”; c) “empregados da borracha”; d) “soldados da borracha”; e) “nordestinos da borracha”. 64. Sobre a história da emancipação política de Rondônia, considere as afirmações. I. A extração de cassiterita promoveu o desenvolvimento econômico e propiciou a instalação das primeiras indústrias. II. A construção da BR-364, ligando Porto Velho à cidade de Cuiabá, possibilitou o grande fluxo migratório e a formação de novos núcleos de povoação. III. Um grupo político amadurecido junto ao Congresso Nacional lutou obstinadamente em favor da emancipação política de Rondônia. Assinale a opção correta. a) apenas I; b) apenas II; c) apenas III; d) apenas I e II; e) I, II e III. 65. A ocupação inicial de Rondônia insere-se no todo das atividades extrativistas desenvolvidas no período colonial na Amazônia. Ela foi importante por que: a) aproveitou a mão-de-obra dos seringueiros que vinham do Nordeste, em especial de cearenses; b) aproveitou a mão-de-obra indígena na coleta das chamadas “drogas do sertão”; c) reproduziu em Rondônia o sistema de monocultura da seringueira que existia na Amazônia; d) desenvolveu a região, o que permitiu a fixação do homem ao longo dos rios; e) viabilizou a integração da Região Norte do Brasil com os países andinos. (IDARON-RO, Funcab - Fiscal de Defesa Sanitária - 2008) 66. www.acheiconcursos.com.br
  22. 22. “Vivemos tempos dramáticos com grandes crises: a ecológica, a climática, a alimentar, a energética e a socioeconômica. [...] Precisamos de uma mudança, de um novo horizonte utópico, de coragem para inventar novos caminhos. Faz-se necessário uma figura carismática que inspire confiança, segurança e serenidade para enfrentar estes cataclismos e galvanizar as pessoas para um novo ensaio de convivência, um modo diferente de arquitetar a economia e a montagem de um tipo de globalização pluripolar que respeite as diferenças e possa incluir a todos num mesmo destino juntamente com a Casa Comum, a Terra.” Obama: a realização do sonho de Luther King. (In: Leonardo Boff. JBEcológico, Jornal do Brasil, ano 7, n 82, nov. 2008, p.35) Disponível, também, em: http://www.leonardoboff.com/ A partir da situação-problema colocada, no ponto de vista do autor e, também, baseado em seus conhecimentos sobre o atual momento socioeconômico mundial, pode-se concluir que: a) o processo de globalização é recente, originou-se na revolução técnico-informacional ocorrida desde os anos 70 e é controlado tanto pelos EUA como pela ONU; b) das grandes questões do mundo atual, emerge a do novo papel do Estado, que vem sofrendo redução em suas funções e, apesar da crise sistêmica, não intervém no mercado, o que facilita a ação dos grandes grupos econômicos, em especial, os financeiros; c) a atual conjuntura internacional será alterada com o triunfo de Obama, pois, em seu governo haverá grandes investimentos no desmatamento da floresta Amazônica, no sentido de exportar árvores de valor comercial para os EUA; d) no atual momento de crise econômico-financeira mundial, propõe-se um novo modelo de globalização – mais ecológico - que torne menos vulnerável as economias de nações emergentes, como o Brasil; e) no texto acima, Leonardo Boff preconiza uma globalização que indica uma relação de causa e consequência da situação-problema: eleição de Barack Obama e solução das crises mencionadas, tanto no nível nacional como global. 67. Interpretando-se o mapa de Rondônia, a seguir, observamos que ele localiza o estado com suas coordenadas geográficas e limites, apresenta alguns dos seus aspectos físicos - relevo e hidrografia - e a distribuição de suas principais cidades. Percebe-se, também, uma parte da planície Amazônica destacando-se pequenos planaltos, cujo ponto culminante está na serra Pacaás Novos. Além disso, alguns dos rios fazem parte da bacia Amazônica. No que diz respeito às questões demográficas, ao processo de urbanização e às atividades econômicas, o mapa permite concluir que a atual distribuição populacional foi muito marcada... Disponível em: http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://waveland __1.tripod.com/mapas/rondonia Acesso em: 05/01/2009. a) por incentivos públicos à agricultura e pela descoberta de minérios, que atraíram uma grande migração com consequências na urbanização que, por sua vez, teve na BR-364, o eixo que passou a interligar diversas cidades, fazendo a conexão rodoviária entre o Mato Grosso e o Acre; www.acheiconcursos.com.br
  23. 23. b) pela hidrografia do estado, pois cerca de 80% dos rondonienses habitam ao longo dos rios, com destaque para Porto Velho (rio Madeira), Guajará Mirim (rio Mamoré) e Costa Marques (rio Guaporé); c) pela estrada de ferro Madeira-Mamoré, a via de fixação de cidades e do escoamento da produção de látex e da castanha, que até hoje permite que a maioria da população do estado esteja localizada ao longo do seu itinerário; d) pelo crescimento recente da população do estado, com os fluxos de migrantes principalmente do Nordeste, como aconteceu no Primeiro Ciclo de Extração de Látex e no período posterior à Segunda Guerra Mundial, quando os preços do produto o tornaram novamente valorizado no mercado internacional; e) pela fronteira com a Bolívia, fator de segurança nacional e de projetos de colonização financiados pelo INCRA, no sentido de atrair fluxos de migrantes vindos do Sul do Brasil. 68. Reflita sobre o seguinte trecho da matéria “Amazônia: a verdade sobre a saúde da floresta” “Na Amazônia encontram-se duas vezes mais espécies de aves que nos EUA e no Canadá. Apesar dos números superlativos, calcula-se que apenas um décimo da biodiversidade da região tenha sido estudado. [...] Não se sabe ao certo em que medida o desaparecimento desse extraordinário bioma afetaria o aquecimento global. Mas estudos recentes mostram que o sumiço da floresta alteraria a precipitação das chuvas em várias regiões do globo, entre elas a Bacia do Prata, a Califórnia, o sul dos EUA, o México e o Oriente Médio, causando perturbações à agricultura dessas regiões. No Brasil não seria diferente.” (In: Veja, 26/3/2008, p.96 Edição Especial) Do ponto de vista geográfico, os impactos ambientais decorrentes da ocupação humana e das atividades econômicas em Rondônia fazem-se presentes no desmatamento, nas mudanças climáticas, no desaparecimento de espécies da fauna e da flora e de outros recursos naturais. Daí a importância do “desenvolvimento sustentável”. Assinale a alternativa que explica este conceito-chave: a) tipo de desenvolvimento que não exige dos governos ou das pessoas um posicionamento ideológico ou uma consciência ecológica, pois a sociedade se apropria da natureza, usa seus recursos e preocupa-se somente com o que dá lucro financeiro; b) modalidade de desenvolvimento que se preocupa em ampliar as áreas desmatadas da Amazônia como forma de aumentar a produtividade do agronegócio, visando a exportação para países do Hemisfério Norte; c) tipo de desenvolvimento, em que as florestas tornam-se intocáveis e servirão de reservas para as populações futuras, pois as intervenções humanas estão contribuindo para a degradação ambiental em Rondônia; d) desenvolvimento que implica em mudanças no nosso comportamento, na formação de uma cultura englobando princípios como sustentabilidade - econômica, social, ecológica e político-institucional; integrando esses elementos, muitos deles conflitantes ou concorrentes, num processo de gestão de conflitos sociais; e) tipo de desenvolvimento que causa danos ambientais, mas que é paradigma para o sistema capitalista industrial, pois visa a exaustão dos produtos naturais de um estado como Rondônia, não se importando com as consequências para os habitantes locais e prejuízos para o país. 69. Analise as informações do quadro “A composição econômica e a participação nacional” no processo produtivo que se referem ao estado de Rondônia (dados econômicos mais recentes): www.acheiconcursos.com.br
  24. 24. Com base no quadro anterior e nos seus conhecimentos, pode-se afirmar que: a) a participação do PIB do estado no PIB nacional, ou seja, a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos pelo Brasil num determinado ano, é elevada; b) a participação da atividade industrial (30,6%) na composição do PIB estadual revela a agregação de valor às cadeias produtivas regionais, como carne e leite, que atendem tanto ao mercado interno como externo; c) a atividade agropecuária no estado vem se expandindo pelas áreas de floresta onde são plantados os cafezais; d) no setor de serviços, no qual se concentra cerca de 30% da população economicamente ativa, os salários são elevados, o que resulta numa renda anual bastante expressiva; e) pelo avanço do desmatamento no estado, Rondônia destaca-se como o maior exportador de madeira certificada do mundo, daí o alto percentual dessa atividade na pauta de exportação do país. 70. “Nas palavras e atos do passado jaz oculto um tesouro que o homem pode utilizar para fortalecer e elevar o seu próprio caráter. O estudo do passado não deve se limitar a um mero conhecimento da história, mas deve, através da aplicação desse conhecimento, procurar dar atualidade ao passado.” (I Ching, livro-base milenar chinesa). Procurando “dar atualidade ao mapa” (abaixo), Portugal e Espanha ao “partilharem” o Novo Mundo entre ambas as Coroas, celebraram o Tratado de Tordesilhas (1494). Conforme o acordo, coube a Portugal as terras situadas a leste daquela linha imaginária e à Espanha, as situadas além dela. Até que, com a União Ibérica (1580 - 1640), os bandeirantes chegaram às terras que hoje formam Rondônia. www.acheiconcursos.com.br
  25. 25. A importância da região Amazônica tornava-se cada vez maior, pois a facilidade de penetração no território, por meio de seus rios, permitia a ligação com as colônias espanholas. Era necessário, no entanto, evitar que a região ficasse aberta aos estrangeiros. Assinale a alternativa correta: a) o governo da União Ibérica (1621) criou o estado do Maranhão e Grão-Pará para inibir a ação de estrangeiros; b) o novo governo unificado criou, em 1621, o estado do Grão-Pará para garantir a posse dessas terras; c) para evitar a presença estrangeira na região, a União Ibérica, em1621, criou o estado do Maranhão; d) como forma de repelir a presença estrangeira na região, o novo governo criou, em 1621, o estado de Grão-Pará e Amazonas; e) com o objetivo de evitar a ação de piratas estrangeiros na Amazônia, em 1621, o governo da União Ibérica criou os estados do Amazonas e Maranhão. 71. Em meados do século XVIII, a seringueira, também denominada de látex, entrou para o mundo da ciência como produto vegetal mais cobiçado do planeta. Essa borracha era infiltrada em tecidos, lãs e couros e os tornava impermeáveis. Com a demanda crescente pelas fábricas nos EUA e Europa, houve, no norte brasileiro, uma atração de mão-de-obra e a penetração para o interior da floresta. Esse “boom” da riqueza transformou Manaus de um povoamento indígena em uma cidade de cerca de 50 mil habitantes (1880). No entanto, com o contrabando, pelos ingleses, de sementes de seringueira para a Malásia, Manaus tornara-se quase uma cidade fantasma e a economia regional ficou arruinada. Neste contexto, os primeiros exploradores que chegaram aos vales dos rios Madeira e Mamoré, iniciando o 1º Ciclo da Borracha em busca das seringueiras, pertenciam a três grupos básicos: www.acheiconcursos.com.br
  26. 26. a) nativos e sulistas; os africanos e os portugueses; b) bolivianos e escravos; os mulatos e os portugueses; c) mamelucos e os nativos; os bolivianos e os nordestinos; d) negros e nordestinos; os nativos e os bolivianos; e) escravos e índios; os nordestinos e os bolivianos. 72. A história política do atual estado de Rondônia vem sendo desenhada desde o período em que ele fazia parte dos atuais Estados do Amazonas e do Mato Grosso. Essa região, ao se tornar Território Federal do Guaporé em 1943, deu um grande salto para sua futura autonomia política. A emancipação política do estado de Rondônia e a sua instalação em 1982, ocorreu pela conjugação dos fatores: a) extração da cassiterita promovendo o desenvolvimento econômico e favorecendo o surgimento de indústrias; desenvolvimento do turismo direcionado ao forte Príncipe da Beira, além da abertura da RO- 399, facilitando a migração e a fixação do homem; b) a construção da BR-364, possibilitando o grande fluxo migratório; extração de cassiterita promovendo o desenvolvimento econômico, além da luta obstinada de um grupo político esclarecido junto ao Congresso Nacional; c) desenvolvimento do turismo na região, principalmente direcionado ao forte Príncipe da Beira e à estrada de ferro Madeira-Mamoré; os incansáveis pedidos e argumentações de um grupo político esclarecido junto ao Congresso Nacional; d) construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré, promovendo uma maior dinamização da economia da região; exploração do ouro, dando condições para a implantação das primeiras indústrias; e) construção da BR-364, ligando Porto Velho a Cuiabá; a extração do ouro, dando possibilidades à instalação das primeiras indústrias, além do turismo em toda a região. 73. A construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré não é um fato que se restringe aos séculos XIX ou ao XX. Já no século XVIII, Dom Francisco de Souza Coutinho se defrontou com a necessidade de construir uma estrada para vencer a parte não navegável do rio Madeira. Posteriormente, outros pensaram também na necessidade de vencer o trecho encachoeirado do mesmo rio. Essa situação só veio a ter solução no século XX, com a construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré em 1907. Assinale a opção correta: a) a construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré tornou-se possível pela eficácia da P.&T. Collins; b) devido à eficiência da empresa Dorsay e Caldwel, a construção da estrada de ferro foi efetivada; c) a construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré foi, realmente possível, devido a ação da empresa Public Works; d) a responsabilidade pela construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré coube à May, Jekyll &Randolph; e) só foi possível tornar o sonho da estrada de ferro uma realidade após a Dorsay e a Public Works assumirem a sua construção. 74. Há mais de dois séculos a borracha nativa do Brasil (Hevea brasiliense) tem sido importante fator econômico da região amazônica. As variações entre a maior ou a menor demanda está relacionada, infelizmente, a guerras. No primeiro Ciclo, houve uma rentável exploração durante a guerra franco- alemã, em 1872. A partir de 1912, ocorreu uma grande desvalorização da borracha brasileira e, consequentemente, gradativo abandono das áreas de sua produção. O Segundo Ciclo da Borracha só teve início anos mais tarde, em função de uma grande contenda bélica, já nos meados do século XX. Nesse contexto, devemos considerar: a) a eclosão da Guerra do Paraguai, que interferiu no aspecto político mundial; b) a Revolução Espanhola que alterou o panorama econômico mundial; c) a eclosão da Segunda Guerra Mundial, que transformou os aspectos sócio-econômico-político mundial; d) a Guerra do Golfo, que mudou drasticamente os aspectos sócio-políticos do mundo atual; www.acheiconcursos.com.br
  27. 27. e) a eclosão da Guerra de Secessão (EUA), quando foi afetada a economia norte-americana, atingindo também a economia mundial. (SESAU-RO, Funcab - Médico - 2009) 75. O período compreendido entre 1877 e 1910 ficou conhecido no Brasil como “Primeiro Ciclo da Borracha”. Extraía-se a borracha na Amazônia, principalmente entre o Brasil e a Bolívia, onde está situado o Estado de Rondônia. Um pouco depois, a produção brasileira entrou em decadência. Podemos apontar como causa principal do declínio desta produção: a) o isolamento da Região Norte; b) a falta de mão-de-obra para a exploração; c) a produção de látex feita pelo Reino Unido; d) a preocupação com a preservação ambiental; e) a proposta de internacionalização da Amazônia. 76. A ferrovia Madeira-Mamoré, importante ponto de escoamento da produção da borracha no início do século XX, encontra-se atualmente quase toda abandonada. A construção dessa ferrovia no território de Rondônia deveu-se, entre outros motivos à: a) necessidade de povoar a Amazônia; b) desordenada demanda populacional; c) produção de látex no Sudeste Asiático; d) ocupação de asiáticos e europeus; e) ocupação pelos seringueiros do território boliviano. 77. Em sua vasta extensão territorial, o Brasil situa sua economia entre as metrópoles do Sudeste e áreas quase despovoadas, que começam agora, a integrarem-se à economia nacional. Entre estas áreas, podemos citar estados como Tocantins, Acre e Rondônia entre outros. Esta integração é feita atualmente por: a) vasta área de lazer e cultura; b) extensa rede de transportes; c) expansão das fronteiras agrícolas; d) investimento em conservação ambiental; e) aumento considerável do transporte hidroviário. 78. Embora na Amazônia as temperaturas sejam elevadas o ano todo, em alguns pontos de seu território como no sul do Amazonas, no Acre e em Rondônia, ocorrem quedas bruscas de temperatura conhecidas como fenômeno da friagem. Isto ocorre devido: a) à evaporação das águas dos rios e dos lagos; b) ao deslocamento de massa de ar polar vinda do Sul; c) a intensas chuvas chamadas de inverno; d) à grande quantidade de rios na região; e) à temperatura quente e úmida vinda da floresta. 79. Em 1966, no governo do marechal Castelo Branco, foi definida uma nova região de planejamento para os estados do Norte entre eles Rondônia, além dos Estados do Maranhão e Mato Grosso. Este projeto denominou a região como “Amazônia Legal” e foi criado pelo órgão chamado: a) Suframa; b) Sudene; c) Cadevasf; www.acheiconcursos.com.br
  28. 28. d) Sudam; e) Sudeco. 80. No ano de 1956 a Lei nº 2.731 mudou o nome “Território de Guaporé” para “Território Federal de Rondônia”. Posteriormente, a Lei Complementar nº 41 elevou Rondônia à condição de Estado. Isto ocorreu durante o governo do presidente: a) João Batista de Figueiredo; b) Getúlio Vargas; c) Eurico Gaspar Dutra; d) Juscelino Kubitschek; e) João Goulart. (SESAU-RO, Funcab - Técnico em Enfermagem - 2009) 81. Durante o período colonial, a porção norte do território brasileiro, na qual se encontra o atual Estado de Rondônia, não despertou interesse à metrópole a não ser pelas “drogas do sertão”. Podemos dizer que são elas: a) sal, seda e açúcar; b) açúcar e especiarias nativas; c) açúcar, sal e baunilha; d) cravo, canela e baunilha; e) baunilha, açúcar e cravo. 82. Em torno do século XVII, as missões religiosas jesuíticas deram início aos primeiros núcleos de povoamento. No século XVIII, teve início a primeira povoação que resultou no atual Estado de Rondônia. Esta povoação se deu à margem direita do rio: a) Guaporé; b) Madeira; c) Paraná; d) Amazonas; e) Tocantins. 83. A construção da ferrovia Madeira-Mamoré, situada no Estado de Rondônia, beneficiou o Brasil e outro país da América do Sul. Este país é: a) Bolívia; b) Peru; c) Chile; d) Paraguai; e) Argentina. 84. O aspecto geográfico da região Norte é um dos mais exuberantes do planeta. No território de Rondônia, encontramos aspectos geomorfológicos do Brasil Central e Amazônico. Entre eles, destacamos: a) caatinga; b) coxilha; c) agreste; d) cerrado; e) praias. www.acheiconcursos.com.br
  29. 29. 85. Inserido na “Amazônia Legal”, o Estado de Rondônia faz parte do maior sistema fluvial do mundo. Entre as bacias hidrográficas do Estado destaca-se a: a) Bacia do São Francisco; b) Bacia Platina; c) Bacia do Paraná; d) Bacia do Uruguai; e) Bacia do Abunã. (SESAU-RO, Funcab - Assistente Administrativo - 2009) 86. Embora pareçam uma só, a região Norte e a Amazônia são duas formas de regionalização diferentes. O Estado de Rondônia faz parte delas, mas o que as diferencia é que a Amazônia: a) tem cerca de 3,8 milhões de km²; b) é uma região muito povoada; c) possui um grande complexo hidroviário; d) estende-se por outros países latino-americanos; e) é suprida por excelente rede hoteleira. 87. A ocupação portuguesa na Amazônia teve início em 1616 com a fundação do Forte do Presépio. No entanto, os primeiros núcleos de povoamento em terras que seriam o futuro Estado de Rondônia se deram: a) pela colaboração dos indígenas da região; b) devido ao fácil acesso pelos rios da região; c) através das missões religiosas dos séculos XVII e XVIII; d) com o empenho dos espanhóis em colonizar a região; e) pelo declínio da resistência indígena. 88. A região Norte, onde fica localizada o Estado de Rondônia, abriga a bacia Amazônica, maior sistema fluvial do planeta e que se estende através de seus afluentes por outros países. É correto dizer que entre estes países estão: a) Venezuela e Equador; b) Chile e Bolívia; c) Suriname e Chile; d) Colômbia e Uruguai; e) Colômbia e Paraguai. 89. A Amazônia é coberta pela maior e mais exuberante floresta tropical da superfície terrestre, que vem sendo destruída pelas atividades econômicas da região. Dessas atividades, no Estado de Rondônia encontramos: a) a criação de búfalos; b) a plantação de capim para alimentar o gado; c) a extração de mogno, madeira nobre; d) o plantio de milho e soja; e) a instalação de indústrias de grande porte. 90. A construção da ferrovia Madeira-Mamoré, onde hoje é o Estado de Rondônia, resultou de um acordo feito entre Brasil e Bolívia em 1903. Esse acordo ficou conhecido como o Tratado: a) de Guaporé; b) da Amizade; www.acheiconcursos.com.br
  30. 30. c) de Navegação; d) Amazônico; e) de Petrópolis. (DETRAN-RO, FEC - Pedagogo - 2007) Leia o texto abaixo para responder às questões de número 91 e 92. “( ... ) Rondônia foi o primeiro estado brasileiro a regulamentar a ocupação do espaço territorial com a implantação de Zoneamento Sócio-Econômico-Ecológico e com o Plano Agropecuário e Florestal PLANAFORO implantado a partir da identificação dos problemas surgidos com intenso fluxo migratório ocorrido nas décadas de 70 e 80 do século XX (... )” (Oliveira, Ovídio A.Geografia de Rondônia) 91. Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª: (1) destinada à conservação (2) destinada à consolidação das atividades sócio-econômicas ( ) área com alto nível de ocupação humana, alto potencial natural, o uso da floresta natural é inviável pelo alto grau de ocupação. ( ) área com baixo ou médio nível de ocupação humana e alta vulnerabilidade ambiental. ( ) áreas institucionais que são unidades de conservação e terras indígenas já existentes. A sequência correta, de cima para baixo, é: a) 1, 1 e 2. b) 2, 2 e 1. c) 2, 2 e 1. d) 1, 2 e 1. e) 1, 2 e 2. 92. De acordo com a Lei Complementar nº 233, de 6 de junho de 2000, as subzonas são caracterizadas: a) pelo grau de ocupação, vulnerabilidade ambiental e aptidão de uso, definidas dentro das suas respectivas zonas; b) pelo manejo sustentado dos recursos hídricos; c) pela aplicação de políticas de interesse eleitoral, visando lucro para empresas; d) por áreas institucionais controladas pelos municípios com a ajuda da guarda municipal; e) pela ação do poder executivo no que diz respeito às decisões sobre os recursos naturais da área agrícola exclusivamente. 93. Com base no IBGE-Anuário Estatístico do Brasil 2001, pode-se afirmar sobre a população do estado de Rondônia que: I. a população urbana é maior que a população rural; II. a concentração da população urbana é mais acentuada na capital; III. a população feminina é bem maior que a população masculina. Dos itens acima apenas: a) I está correto; b) II está correto; c) III está correto; d) I e II estão corretos; e) I e III estão corretos. www.acheiconcursos.com.br
  31. 31. 94. A fronteira entre o Brasil e Bolívia, nos vales do rio Madeira, Mamoré e Guaporé, foi definida pelos seguintes tratados: a) Tordesilhas, Madri e Petrópolis; b) Utrechet(I), Tordesilhas e Petrópolis; c) da Antártida, Ayacucho e Utrechet(I); d) Utrechet(I), Petrópolis e de Versalhes; e) Madri, Ayacucho e Petrópolis. 95. Até 1943, a área do atual estado de Rondônia pertencia aos estados de: a) Amazonas e Pará; b) Mato Grosso e Acre; c) Pará e Acre; d) Mato Grosso e Amazonas; e) Acre e Amazonas. 96. O primeiro dos principais períodos de ocupação do espaço territorial rondoniense, caracterizado pelo movimento migratório ocorreu: a) entre 1877-1912, época da extração de látex, vindo principalmente nordestinos para o vale do Madeira e seus afluentes; b) entre 1914-1918, época que coincidiu com a Primeira Guerra Mundial, vindo principalmente italianos e alemães; c) entre 1939-1945, época da extração de látex, vindo principalmente índios e negros da Bahia; d) a partir de 1942, com a assinatura do tratado, entre Brasil e EUA, de incentivo à extração de látex na Amazônia; e) a partir de 1970, com a abertura da BR 364 e implantação de projeto de colonização pelo INCRA. 97. Observe o quadro abaixo: Sobre ele, pode-se afirmar que: I. o período de maior crescimento da população de Rondônia foi entre 1980 e 1991; II. em todos os períodos apresentados, o crescimento da população de Rondônia tem sido maior, proporcionalmente, do que o crescimento populacional na região Norte; III. o período de maior crescimento populacional na região Norte foi entre 1991 e 2000; IV. a cada década o crescimento populacional do Brasil vem diminuindo. Dos itens acima, estão corretos apenas: a) I e II; b) I e III; c) II e IV; d) III e IV; e) II, III e IV. www.acheiconcursos.com.br
  32. 32. 98. Sobre a hidrografia de Rondônia pode-se afirmar que: I. o rio Madeira é o principal rio de Rondônia, formado com a junção dos rios Mamoré e Beni; II. o rio Guaporé nasce em território Boliviano e seu principal afluente é o rio Mamoré; III. o trecho navegável do rio Madeira, de Porto Velho até a foz do rio Amazonas, tem uma extensão de, aproximadamente, 1056 km; IV. o encontro do rio Mamoré com o rio Beni forma o rio Madeira. Dos itens acima, estão corretos apenas: a) I e IV; b) I e III; c) II e III; d) I, III e IV; e) I, II e III. 99. Observe o quadro abaixo: Sobre os dados, pode-se afirmar, EXCETO, que: a) em 1980, o rebanho bovino do estado de Rondônia ultrapassa 250.000 cabeças; b) há uma redução no crescimento do rebanho bovino entre 2000 e 2001; c) proporcionalmente, o grande crescimento do rebanho está entre 1970 e 1980; d) em 2004, o rebanho bovino do estado de Rondônia ultrapassa 10.000.000 de cabeças; e) o rebanho bovino cresceu, de 1990 a 1995, mais de 100%. 100. A grande responsável pelo aquecimento da economia de muitos municípios de Rondônia é a produção de: a) leite; b) ouro; c) soja; d) argila; e) café. www.acheiconcursos.com.br
  33. 33. (EMDUR-RO, FJPF - Almoxarife - 2008) 101. Relevo é o conjunto das formas da crosta terrestre, manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras emersas. O relevo brasileiro, como é muito antigo, vem sofrendo a ação dos agentes externos em seu trabalho de erosão, sedimentação e transporte. No caso do estado de Rondônia, uma das características de seu relevo é: a) terras baixas e sedimentares na porção sul e sudeste b) variação de altitudes na faixa entre 1000 e 3000 metros c) pouco acidentado sem grandes elevações e depressões d) ocorrência de maiores altitudes no município de Porto Velho e) localização do ponto culminante no Planalto da Borborema 102. A atividade de mineração em Rondônia ocorre desde o século XVIII. Dentre os seus principais recursos minerais, está o estanho ou cassiteria, cujos garimpos estão situados nas bacias dos seguintes rios: a) Corumbiara, Guaporé e Candeia b) Jamari, Jacundá e Machadinho c) Madeira, Machado e Jipiraná d) Mamoré, Abunã e Roosevelt e) Beni, Jiral e Teotônio 103. O ecossistema que corresponde ao estado de Rondônia apresenta o domínio dos seguintes tipos de vegetação: a) Floresta Amazônica e Cerrado b) Mata de Araucária e Pantanal c) Floresta Tropical e Campos d) Mata dos Cocais e Savana e) Mata Atlântica e Caatinga 104. O Sistema de Vigilância da Amazônia foi criado com o objetivo de controlar informações das mais variadas fontes referentes à Região Amazônica, no intuito de proteger e preservar esse território. Interligados entre si e ao Centro de Coordenação Geral estão os três Centros Regionais de Vigilância, voltados para a concentração, tratamento e difusão de dados e informações nas respectivas áreas de abrangência, proporcionando o conhecimento necessário para atuação dos participantes do Sistema de Proteção da Amazônia. Esses centros estão localizados nas cidades de Porto Velho é: a) Santarém e Cruzeiro do Sul b) Palmas e Cruzeiro do Sul c) Rio Branco e Santarém d) Rio Branco e Macapá e) Manaus e Belém 105. O espaço territorial de Rondônia é composto, em sua maior parte, por porções de terras férteis, favorecendo o cultivo de lavouras de vários tipos. Os produtos agrícolas mais cultivados no município de Porto Velho são: a) laranja, batata e arroz b) batata, feijão e arroz c) feijão, laranja e soja d) arroz, milho e café e) café, soja e milho www.acheiconcursos.com.br
  34. 34. (MP-RO, Cesgranrio - Analista Contábil - 2005) As questões de nos 106 e 107 serão respondidas com base no texto que se segue. “Desde sua descoberta casual em 1542, a Amazônia tem funcionado como cabo de guerra entre fato e ficção, fantasia e realidade (...). Assim que os ensandecidos conquistadores do século XVI foram substituídos pelos meticulosos cientistas do século XIX – entre eles o francês La Condamine, o descobridor da borracha – ficou claro que o maior tesouro da Amazônia era vegetal.” BUENO, Eduardo. Brasil: uma história. 2ª ed. ver. São Paulo: Ática, 2003, p. 156. 106. Apesar de a região amazônica ser conhecida desde a época citada, não houve, até o século XVIII, por parte do governo português, qualquer projeto de efetiva colonização do interior da Amazônia. Contudo, o desinteresse português era relativo, o que pode ser evidenciado pela(o): a) assinatura do Tratado de Madri, em 1750, que garantia à Espanha a exploração da Bacia Amazônica. b) dificuldade em transpor os obstáculos dos rios Madeira e Mamoré para embarcar produtos nativos extraídos da região. c) expansão das missões jesuíticas castelhanas que, sob o beneplácito da Igreja e da Coroa Portuguesa, garantiram a catequese e a disponibilidade de mão-de-obra escrava indígena. d) presença de uma população nativa, com cultura diversificada da européia, resistente ao trabalho escravo. e) envio de expedições e fundação de fortificações, com o objetivo de conter as investidas dos espanhóis, afastando-os das regiões mineradoras do centro-oeste. 107. Ao afirmar que o maior tesouro da Amazônia era vegetal, o autor se refere a características que favoreceram o crescimento do atual Estado de Rondônia e sua capital Porto Velho porque: a) realça a importância da atividade mineradora, que fez surgirem povoados como Vila Bela da Santíssima Trindade, atual Porto Velho. b) valoriza o extrativismo das drogas do sertão, cujos coletores foram responsáveis também pelo extermínio de indígenas e pela ocupação efetiva do vale Guaporé-Madeira. c) destaca a presença de um ecossistema variado que reflete a manutenção da biodiversidade do planeta. d) destaca a produção da borracha em larga escala, o que favoreceu o crescimento demográfico da região, atraindo comerciantes, exportadores e investidores estrangeiros. e) reforça a preocupação em manter a cobertura vegetal nativa como forma de garantir a permanência de solos férteis para cultivo de produtos agrícolas de exportação. 108. “A partir de 1970, a migração para a Amazônia Ocidental passou a ser fortemente orientada pelo governo federal, acrescida por pequenos e médios produtores e investidores do sul do país que se dirigiam para Rondônia e Mato Grosso.” BECKER, Bertha. Amazônia. Série Princípios. São Paulo: Ática, 1990. Sobre a consolidação do processo migratório na região, pode-se afirmar que ele: a) constituiu condição não só de povoamento como também da formação da força de trabalho, tornando-se estratégia de ocupação adotada pelo Estado. b) vinculou-se ao extrativismo animal e à extração de óleos e madeiras nobres oriundas das reservas encontradas no baixo Madeira. c) determinou a demarcação das terras indígenas com o objetivo de preservar a cultura local dos grupos nativos. d) contribuiu para modificar a configuração étnica da população local, como é o caso dos barbadianos, cujos descendentes já constituem 80% da população de Rondônia. e) foi proibido pelo governo pós-anistia, que acusava os elementos exógenos de descaracterizar a cultura regional. www.acheiconcursos.com.br
  35. 35. 109. “A fronteira amazônica não é semelhante nem ao movimento de produtores familiares que caracterizaram a fronteira dos EUA no século XIX, nem às frentes pioneiras que se desenvolveram no centro-sul brasileiro na metade do século XX.” BECKER, Bertha. Amazônia. Série Princípios. São Paulo: Ática, 1990. Dentre os fatores que contribuíram para a indefinição das fronteiras amazônicas no século XIX, destaca-se a(o): a) grande diversidade de possibilidades econômicas, o que fez surgirem unidades de produção completamente distintas em cada um dos estados amazônicos, desde o século XVII. b) ausência de recursos naturais que justificassem a estratégia de ampliação das fronteiras ocidentais brasileiras. c) presença de uma população nativa que impedia a permanência de colonizadores na região. d) desconhecimento da abrangência da bacia amazônica e de suas vias de penetração para o interior da região. e) cumprimento do princípio do uti possidetis até os dias de hoje, o que garante, juridicamente, a internacionalização da Amazônia. 110. Bastante polêmica e criticada no Brasil, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré tornou-se fundamental para a formação sociopolítico-econômica de Rondônia, mas não atingiu os objetivos para os quais fora construída. Todas as opções estão associadas ao período conhecido como “erradicação da Madeira-Mamoré”, EXCETO: a) a falta de infra-estrutura viária entre Brasil e Bolívia. b) a presença de novas frentes agrícolas. c) a abertura de novas estradas de rodagem em território nacional. d) o declínio do ciclo da borracha. e) os altos custos de operacionalização da estrada de ferro. (MP-RO, Cesgranrio - Oficial de Diligências - 2005) 111. A migração para Rondônia, a partir da década de 70, foi resultado de um grande êxodo rural ocorrido no centro-sul do país ocasionado pelos fatores abaixo relacionados, EXCETO um. Assinale-o. a) Evasão dos trabalhadores rurais, a partir da introdução das leis trabalhistas no campo. b) Ênfase na agricultura comercial com a mecanização das lavouras. c) Substituição da produção agrícola tradicional, como a do café, pela plantação de soja. d) Expansão do capitalismo no campo e especialização da produção. e) Reativação da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. 112. A abertura da Rodovia BR-364 (Cuiabá-Porto Velho) fez com que um forte fluxo migratório seguisse em direção a Rondônia, além de ter colocado um fim no isolamento rodoviário da região. Sobre as transformações ocorridas nesta região, pode-se afirmar que: I - a colonização da região foi marcada pela presença de uma população extrativista nômade em torno do eixo rodoviário; II - o aumento da população na região ocorreu em função da busca de riqueza extrativa, como a borracha e a cassiterita; III - a presença de núcleos de colonização ao longo da rodovia desenvolveu novas formas de uso do solo, como a agropecuária; IV - o aumento da população na região levou ao desmembramento, em dois estados, do antigo Estado de Mato Grosso. Estão corretas as afirmativas: a) I e II, apenas. b) I e III, apenas. c) II e III, apenas. www.acheiconcursos.com.br

×