SlideShare uma empresa Scribd logo
mosquito da Dengue
Dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, que
pode ser de quatro sorotipos diferentes.
Esta doença afeta mais de 100 milhões de pessoas por ano no
mundo, e no Brasil é uma das que têm maior impacto na saúde
pública.
A dengue, doença tipicamente urbana, é de controle bastante
complexo, pois vai além do setor da saúde.
Enquanto não houver uma vacina disponível, somente uma ação
conjunta entre Poder Público, Setor Privado e população, poderá
ser capaz de controlar a doença.
Portanto, é essencial conhecer todas as informações possíveis
sobre a dengue, para que assim, se possa fazer a prevenção e o
combate, visto que é uma doença grave que pode levar a pessoa
a óbito.
O vírus causador da dengue possui 4 sorotipos:
• DEN-1 • DEN-2 • DEN-3 • DEN-4
Os sintomas e o tratamento são os mesmos, mas quando uma
pessoa é infectada por um deles, adquiri imunidade permanente
contra esse mesmo sorotipo, e imunidade parcial e temporária
contra os outros três. Assim, uma mesma pessoa pode ser
infectada até quatro vezes, caso seja picada por mosquitos
infectados pelos outros tipos de vírus.
É importante ressaltar, que a cada infecção aumentam as chances
de desenvolver uma forma mais grave da doença, como a
Hemorrágica, caso não seja identificada e tratada corretamente.
A dengue é transmitida através da
picada do Aedes aegypti (fêmea).
O mosquito ao se alimentar de sangue,
se infecta com o vírus quando pica
uma pessoa com dengue e passa a
transmitir para pessoas saudáveis em
novas picadas.
É importante destacar que não se transmite a doença pelo
contato direto de uma pessoa saudável com outra doente ou
por suas secreções, nem por meio de água ou alimentos.
Somente pela picada do mosquito infectado.
mosquito da Dengue
O Aedes aegypti se disseminou no mundo inteiro à partir de
países da África, provavelmente em navios que levavam escravos.
Além da Dengue, essa espécie transmite outras doenças como a
Febre Amarela.
É um mosquito que costuma medir menos de 1 cm, é de cor preta
ou marrom escuro e apresenta listras brancas distribuídas pelo
corpo e patas. Ao contrário dos mosquitos comuns (pernilongos)
que costumam estar mais ativos no final do dia e início da noite, o
mosquito da dengue tem hábitos diurnos, costuma voar baixo,
geralmente abaixo de meio metro, picando preferencialmente os
pés, tornozelos e as pernas e não produz zumbido. O Aedes
Aegypti não gosta de calor, por isso é mais ativo nas primeiras
horas da manhã e no final da tarde.
O motivo de ser somente a fêmea a transmitir o vírus, se dá pelo
fato de que ela precisa se alimentar de sangue para o
desenvolvimento e maturação dos seus ovos enquanto que o
macho se alimenta de carboidratos extraídos de vegetais.
O Ae. aegypti têm 4 fases evolutivas: ovo, larva, pupa e adulto.
Esse processo leva de 10 à 15 dias dependendo das condições de
alimentação e temperatura do ambiente.
Dengue Clássica:
Ocorre, geralmente, quando há a primeira infecção por um dos
vírus. A doença dura em média 5 a 7 dias e apresenta os
seguintes sintomas:
• Febre súbita e alta;
• Fortes dores de cabeça;
• Dor atrás dos olhos;
• Falta de apetite e paladar;
• Náuseas e vômito;
• Dores musculares;
• Dores nos ossos e nas
articulações;
• Moleza e cansaço;
• Manchas avermelhadas na
pele (parecidas com sarampo).
Fortes dores de cabeça
(Um dos sintomas da Dengue Clássica)
Dengue Hemorrágica:
No início, os sintomas são iguais aos da Dengue Clássica, podendo
ocorrer variações como:
• Dificuldade respiratória.
• Perda de consciência.
• Confusão mental, agitação e
insônia;
• Sangramento na boca, nas gengivas
e narinas;
• Vômitos intensos;
• Boca seca e sede excessiva;
• Pulso rápido e fraco.
• Fortes dores abdominais contínuas;
• Pele pálida, fria e úmida;
Fortes dores abdominais contínuas
(Um dos sintomas da Dengue Hemorrágica)
Ainda não foi desenvolvida vacina contra o vírus da dengue. A
prevenção à doença é feita, evitando a disseminação do vetor.
Para isso, é necessário acabar com os criadouros do mosquito
transmissor com ações como:
Manter a caixa d’água
fechada com tampa
adequada
Lavar por dentro, tanques
utilizados para armazenar
água (semanalmente)
Jogar no lixo, todo objeto
não utilizado que possa
acumular água da chuva
Remover folhas, galhos e
tudo que possa impedir a
água de correr pelas calhas
Não deixar água de chuva
acumulada sobre a laje
Manter bem tampados,
tonéis e barris d’água
Encher de areia até a
borda, os pratinhos dos
vasos de plantas
Lavar bem por dentro, os
vasos de plantas aquáticas,
uma vez por semana
Se não colocar areia, lavar
bem os pratos das plantas,
uma vez por semana
Guardar garrafas com as
bocas sempre viradas para
baixo
Guardar pneus velhos em
local coberto para que não
acumulem água da chuva
Manter a lixeira sempre
bem fechada. Não jogar
lixo em terrenos baldios
Além dos cuidados para evitar a disseminação do mosquito,
devemos tomar algumas precauções para evitar sua picada:
Uso de espirais ou vaporizadores elétricos;
Uso de mosquiteiros;
Uso de repelentes;
Uso de telas.
Não existe tratamento específico para a dengue, o que se faz é
controlar os sintomas para reduzir o mal-estar.
O paciente com dengue deve:
• ficar em repouso
• hidratar-se (ingerir muito líquido, como água, sucos ou chá);
• controlar a febre e a dor com analgésicos e antitérmicos;
• em caso de sangramento, procurar o médico imediatamente.
É importante lembrar que a pessoa
com vírus da dengue NÃO pode tomar
medicamentos à base de ácido acetil-
salicílico, como AAS, Melhoral, Doril,
Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena,
Doloxene e Buferin. Como eles têm um
efeito anticoagulante, podem causar
sangramentos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides dengue pdf
Slides dengue pdfSlides dengue pdf
Slides dengue pdf
Michelle Cirilo
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Dengue
Dengue Dengue
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxiaAula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
repolicarpo
 
Slides sobre a dengue
Slides sobre a dengueSlides sobre a dengue
Slides sobre a dengue
profsilvanavidal
 
Slide dengue 4° ano
Slide dengue 4° anoSlide dengue 4° ano
Slide dengue 4° ano
Hayana Oliveira
 
Dengue
DengueDengue
Todos contra Dengue Simplificado
Todos contra Dengue SimplificadoTodos contra Dengue Simplificado
Todos contra Dengue Simplificado
Daniel Marques
 
Palestra sobre combate a dengue
Palestra sobre combate a denguePalestra sobre combate a dengue
Palestra sobre combate a dengue
Multimix Air
 
Dengue fique por dentro
Dengue fique por dentroDengue fique por dentro
Dengue fique por dentro
Vera Mln Silva
 
Dengue - Precauções
Dengue - PrecauçõesDengue - Precauções
Dengue - Precauções
Nayara Camila
 
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AISAEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Vamos combater a dengue!
Vamos combater a dengue!Vamos combater a dengue!
Vamos combater a dengue!
Rafael Nunan
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Slides a dengue
Slides a dengueSlides a dengue
Slides a dengue
mariahelenacozzolino25
 
Dengue 5º c
Dengue 5º cDengue 5º c
Dengue 5º c
Pathyciane Melo
 
Apresentacao Dengue
Apresentacao DengueApresentacao Dengue
Apresentacao Dengue
Claudia Dutra
 
Dengue p alestra
Dengue p alestraDengue p alestra
Dengue p alestra
mobilizacaoser6
 
Aedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controleAedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controle
Ninho Cristo
 
Aedes aegypti
Aedes aegyptiAedes aegypti
Aedes aegypti
Janaina Spolidorio
 

Mais procurados (20)

Slides dengue pdf
Slides dengue pdfSlides dengue pdf
Slides dengue pdf
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue
Dengue Dengue
Dengue
 
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxiaAula sobre Dengue e sua profilaxia
Aula sobre Dengue e sua profilaxia
 
Slides sobre a dengue
Slides sobre a dengueSlides sobre a dengue
Slides sobre a dengue
 
Slide dengue 4° ano
Slide dengue 4° anoSlide dengue 4° ano
Slide dengue 4° ano
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Todos contra Dengue Simplificado
Todos contra Dengue SimplificadoTodos contra Dengue Simplificado
Todos contra Dengue Simplificado
 
Palestra sobre combate a dengue
Palestra sobre combate a denguePalestra sobre combate a dengue
Palestra sobre combate a dengue
 
Dengue fique por dentro
Dengue fique por dentroDengue fique por dentro
Dengue fique por dentro
 
Dengue - Precauções
Dengue - PrecauçõesDengue - Precauções
Dengue - Precauções
 
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AISAEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
 
Vamos combater a dengue!
Vamos combater a dengue!Vamos combater a dengue!
Vamos combater a dengue!
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Slides a dengue
Slides a dengueSlides a dengue
Slides a dengue
 
Dengue 5º c
Dengue 5º cDengue 5º c
Dengue 5º c
 
Apresentacao Dengue
Apresentacao DengueApresentacao Dengue
Apresentacao Dengue
 
Dengue p alestra
Dengue p alestraDengue p alestra
Dengue p alestra
 
Aedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controleAedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controle
 
Aedes aegypti
Aedes aegyptiAedes aegypti
Aedes aegypti
 

Destaque

Dengue
DengueDengue
Dengue em Campinas
Dengue em CampinasDengue em Campinas
Dengue em Campinas
Eni Bertolini
 
Atividades com turmas do 5º ano
Atividades com turmas do 5º anoAtividades com turmas do 5º ano
Atividades com turmas do 5º ano
emef25dejulho
 
Dengue 7
Dengue 7Dengue 7
Campanha Contra a Dengue
Campanha Contra a DengueCampanha Contra a Dengue
Campanha Contra a Dengue
Adilson P Motta Motta
 
O Mosquito da dengue
O Mosquito da dengueO Mosquito da dengue
O Mosquito da dengue
Eni Bertolini
 
Programa Municipal de Controle da Dengue
Programa Municipal de Controle da DenguePrograma Municipal de Controle da Dengue
Programa Municipal de Controle da Dengue
viniciuszerbeto
 
Cartilha de dengue
Cartilha de dengueCartilha de dengue
Cartilha de dengue
Beatriz COUTINHO
 
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníaseEnfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
Marcos Otilio
 
Audiencia publica dengue oficial
Audiencia publica dengue oficialAudiencia publica dengue oficial
Audiencia publica dengue oficial
Erica Franquini
 
História em quadrinhos dengue atividades
História em quadrinhos dengue atividadesHistória em quadrinhos dengue atividades
História em quadrinhos dengue atividades
Eva Ap. de Gois Caio
 
Atividade de português da 4ª série
Atividade de português da 4ª sérieAtividade de português da 4ª série
Atividade de português da 4ª série
Fabiana Rabello
 
CHIKUNGUNYA
CHIKUNGUNYACHIKUNGUNYA
CHIKUNGUNYA
Gessica Chaves
 
Febre chikungunya
Febre chikungunya Febre chikungunya
Febre chikungunya
Juracir Bezerra
 
dengue, zika, chicungunya
dengue, zika, chicungunyadengue, zika, chicungunya
dengue, zika, chicungunya
Allison Domecht
 
Dengue
DengueDengue
Descritor 1 50 questões de matemática 5º ano
Descritor 1   50 questões de matemática 5º anoDescritor 1   50 questões de matemática 5º ano
Descritor 1 50 questões de matemática 5º ano
Luiz Carlos
 

Destaque (18)

Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue em Campinas
Dengue em CampinasDengue em Campinas
Dengue em Campinas
 
Atividades com turmas do 5º ano
Atividades com turmas do 5º anoAtividades com turmas do 5º ano
Atividades com turmas do 5º ano
 
Dengue 7
Dengue 7Dengue 7
Dengue 7
 
Campanha Contra a Dengue
Campanha Contra a DengueCampanha Contra a Dengue
Campanha Contra a Dengue
 
O Mosquito da dengue
O Mosquito da dengueO Mosquito da dengue
O Mosquito da dengue
 
Programa Municipal de Controle da Dengue
Programa Municipal de Controle da DenguePrograma Municipal de Controle da Dengue
Programa Municipal de Controle da Dengue
 
Cartilha de dengue
Cartilha de dengueCartilha de dengue
Cartilha de dengue
 
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
CT Conjunta - 22.03.16 - Dengue, chikungunya e Zika: situação epidemiológica ...
 
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníaseEnfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
Enfermagem dengue, verminose, diarréia e hanseníase
 
Audiencia publica dengue oficial
Audiencia publica dengue oficialAudiencia publica dengue oficial
Audiencia publica dengue oficial
 
História em quadrinhos dengue atividades
História em quadrinhos dengue atividadesHistória em quadrinhos dengue atividades
História em quadrinhos dengue atividades
 
Atividade de português da 4ª série
Atividade de português da 4ª sérieAtividade de português da 4ª série
Atividade de português da 4ª série
 
CHIKUNGUNYA
CHIKUNGUNYACHIKUNGUNYA
CHIKUNGUNYA
 
Febre chikungunya
Febre chikungunya Febre chikungunya
Febre chikungunya
 
dengue, zika, chicungunya
dengue, zika, chicungunyadengue, zika, chicungunya
dengue, zika, chicungunya
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Descritor 1 50 questões de matemática 5º ano
Descritor 1   50 questões de matemática 5º anoDescritor 1   50 questões de matemática 5º ano
Descritor 1 50 questões de matemática 5º ano
 

Semelhante a mosquito da Dengue

6B - Vinnycius
6B - Vinnycius6B - Vinnycius
6B - Vinnycius
viannota
 
O que é dengue
O que é dengueO que é dengue
O que é dengue
Kamilla Souza
 
Oficina de slide
Oficina de slideOficina de slide
6B - Paulo walifer e kaio
6B - Paulo walifer e kaio6B - Paulo walifer e kaio
6B - Paulo walifer e kaio
viannota
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
Néli Freire
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
J. C.
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
J. C.
 
Mpdf
MpdfMpdf
Mpdf
catagerio
 
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengueTudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
adrianomedico
 
Tudo sobre dengue
Tudo sobre dengueTudo sobre dengue
Tudo sobre dengue
adrianomedico
 
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15 8 b
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15  8 bDengue -Guilherme grangeia willman n 15  8 b
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15 8 b
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Trabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos ATrabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos A
teresakashino
 
Trabalho sobre a dengue marcos
Trabalho sobre a dengue marcosTrabalho sobre a dengue marcos
Trabalho sobre a dengue marcos
teresakashino
 
6B - Gabriel e guilherme
6B - Gabriel e guilherme6B - Gabriel e guilherme
6B - Gabriel e guilherme
viannota
 
6B - Isabely e karolina n 10 n 18
6B - Isabely  e karolina  n 10  n 186B - Isabely  e karolina  n 10  n 18
6B - Isabely e karolina n 10 n 18
viannota
 
6B - Samara e sara barbosa
6B - Samara e sara barbosa6B - Samara e sara barbosa
6B - Samara e sara barbosa
viannota
 
Sintomas da dengue
Sintomas da dengueSintomas da dengue
Sintomas da dengue
adrianomedico
 
Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)
lyzandra de camargo
 
6B - Susana e fernanda1
6B - Susana e fernanda16B - Susana e fernanda1
6B - Susana e fernanda1
viannota
 
Apresentacao dengue
Apresentacao dengueApresentacao dengue
Apresentacao dengue
Tudo Sobre Floripa
 

Semelhante a mosquito da Dengue (20)

6B - Vinnycius
6B - Vinnycius6B - Vinnycius
6B - Vinnycius
 
O que é dengue
O que é dengueO que é dengue
O que é dengue
 
Oficina de slide
Oficina de slideOficina de slide
Oficina de slide
 
6B - Paulo walifer e kaio
6B - Paulo walifer e kaio6B - Paulo walifer e kaio
6B - Paulo walifer e kaio
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
 
Dengue 2008
Dengue 2008Dengue 2008
Dengue 2008
 
Mpdf
MpdfMpdf
Mpdf
 
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengueTudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
 
Tudo sobre dengue
Tudo sobre dengueTudo sobre dengue
Tudo sobre dengue
 
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15 8 b
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15  8 bDengue -Guilherme grangeia willman n 15  8 b
Dengue -Guilherme grangeia willman n 15 8 b
 
Trabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos ATrabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos A
 
Trabalho sobre a dengue marcos
Trabalho sobre a dengue marcosTrabalho sobre a dengue marcos
Trabalho sobre a dengue marcos
 
6B - Gabriel e guilherme
6B - Gabriel e guilherme6B - Gabriel e guilherme
6B - Gabriel e guilherme
 
6B - Isabely e karolina n 10 n 18
6B - Isabely  e karolina  n 10  n 186B - Isabely  e karolina  n 10  n 18
6B - Isabely e karolina n 10 n 18
 
6B - Samara e sara barbosa
6B - Samara e sara barbosa6B - Samara e sara barbosa
6B - Samara e sara barbosa
 
Sintomas da dengue
Sintomas da dengueSintomas da dengue
Sintomas da dengue
 
Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)
 
6B - Susana e fernanda1
6B - Susana e fernanda16B - Susana e fernanda1
6B - Susana e fernanda1
 
Apresentacao dengue
Apresentacao dengueApresentacao dengue
Apresentacao dengue
 

Mais de Vanderley Da Silva Acstro

Os indios
Os indiosOs indios
Gab prova de port 1
Gab prova de port 1Gab prova de port 1
Gab prova de port 1
Vanderley Da Silva Acstro
 
Convite para palestrantes
Convite para palestrantesConvite para palestrantes
Convite para palestrantes
Vanderley Da Silva Acstro
 
Historia sobre os africanos
Historia sobre os africanosHistoria sobre os africanos
Historia sobre os africanos
Vanderley Da Silva Acstro
 
Filosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
Filosofia medieval pensamento_cristao_exerciciosFilosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
Filosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
Vanderley Da Silva Acstro
 
Cerimônia
CerimôniaCerimônia
Osfilósofospré socráticos
Osfilósofospré socráticosOsfilósofospré socráticos
Osfilósofospré socráticos
Vanderley Da Silva Acstro
 
Verdade e-liberdade
Verdade e-liberdadeVerdade e-liberdade
Verdade e-liberdade
Vanderley Da Silva Acstro
 
Karlpopper
KarlpopperKarlpopper
Estoicismoeepicurismo
EstoicismoeepicurismoEstoicismoeepicurismo
Estoicismoeepicurismo
Vanderley Da Silva Acstro
 
éTica moral e valores
éTica moral e valoreséTica moral e valores
éTica moral e valores
Vanderley Da Silva Acstro
 
Afilosofia
AfilosofiaAfilosofia
Abioética
AbioéticaAbioética
Agostinho exercícios
Agostinho exercíciosAgostinho exercícios
Agostinho exercícios
Vanderley Da Silva Acstro
 
Palestra sobre dialogo(1)
Palestra sobre dialogo(1)Palestra sobre dialogo(1)
Palestra sobre dialogo(1)
Vanderley Da Silva Acstro
 
Vanderley misericcordia
Vanderley misericcordiaVanderley misericcordia
Vanderley misericcordia
Vanderley Da Silva Acstro
 
Vírus chikungunya
Vírus chikungunyaVírus chikungunya
Vírus chikungunya
Vanderley Da Silva Acstro
 
Zika vírus
Zika vírusZika vírus
Plano de atividade docente
Plano de atividade docentePlano de atividade docente
Plano de atividade docente
Vanderley Da Silva Acstro
 
Filosofia vanderley
Filosofia vanderleyFilosofia vanderley
Filosofia vanderley
Vanderley Da Silva Acstro
 

Mais de Vanderley Da Silva Acstro (20)

Os indios
Os indiosOs indios
Os indios
 
Gab prova de port 1
Gab prova de port 1Gab prova de port 1
Gab prova de port 1
 
Convite para palestrantes
Convite para palestrantesConvite para palestrantes
Convite para palestrantes
 
Historia sobre os africanos
Historia sobre os africanosHistoria sobre os africanos
Historia sobre os africanos
 
Filosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
Filosofia medieval pensamento_cristao_exerciciosFilosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
Filosofia medieval pensamento_cristao_exercicios
 
Cerimônia
CerimôniaCerimônia
Cerimônia
 
Osfilósofospré socráticos
Osfilósofospré socráticosOsfilósofospré socráticos
Osfilósofospré socráticos
 
Verdade e-liberdade
Verdade e-liberdadeVerdade e-liberdade
Verdade e-liberdade
 
Karlpopper
KarlpopperKarlpopper
Karlpopper
 
Estoicismoeepicurismo
EstoicismoeepicurismoEstoicismoeepicurismo
Estoicismoeepicurismo
 
éTica moral e valores
éTica moral e valoreséTica moral e valores
éTica moral e valores
 
Afilosofia
AfilosofiaAfilosofia
Afilosofia
 
Abioética
AbioéticaAbioética
Abioética
 
Agostinho exercícios
Agostinho exercíciosAgostinho exercícios
Agostinho exercícios
 
Palestra sobre dialogo(1)
Palestra sobre dialogo(1)Palestra sobre dialogo(1)
Palestra sobre dialogo(1)
 
Vanderley misericcordia
Vanderley misericcordiaVanderley misericcordia
Vanderley misericcordia
 
Vírus chikungunya
Vírus chikungunyaVírus chikungunya
Vírus chikungunya
 
Zika vírus
Zika vírusZika vírus
Zika vírus
 
Plano de atividade docente
Plano de atividade docentePlano de atividade docente
Plano de atividade docente
 
Filosofia vanderley
Filosofia vanderleyFilosofia vanderley
Filosofia vanderley
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 

mosquito da Dengue

  • 2. Dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, que pode ser de quatro sorotipos diferentes. Esta doença afeta mais de 100 milhões de pessoas por ano no mundo, e no Brasil é uma das que têm maior impacto na saúde pública. A dengue, doença tipicamente urbana, é de controle bastante complexo, pois vai além do setor da saúde. Enquanto não houver uma vacina disponível, somente uma ação conjunta entre Poder Público, Setor Privado e população, poderá ser capaz de controlar a doença. Portanto, é essencial conhecer todas as informações possíveis sobre a dengue, para que assim, se possa fazer a prevenção e o combate, visto que é uma doença grave que pode levar a pessoa a óbito.
  • 3. O vírus causador da dengue possui 4 sorotipos: • DEN-1 • DEN-2 • DEN-3 • DEN-4 Os sintomas e o tratamento são os mesmos, mas quando uma pessoa é infectada por um deles, adquiri imunidade permanente contra esse mesmo sorotipo, e imunidade parcial e temporária contra os outros três. Assim, uma mesma pessoa pode ser infectada até quatro vezes, caso seja picada por mosquitos infectados pelos outros tipos de vírus. É importante ressaltar, que a cada infecção aumentam as chances de desenvolver uma forma mais grave da doença, como a Hemorrágica, caso não seja identificada e tratada corretamente.
  • 4. A dengue é transmitida através da picada do Aedes aegypti (fêmea). O mosquito ao se alimentar de sangue, se infecta com o vírus quando pica uma pessoa com dengue e passa a transmitir para pessoas saudáveis em novas picadas. É importante destacar que não se transmite a doença pelo contato direto de uma pessoa saudável com outra doente ou por suas secreções, nem por meio de água ou alimentos. Somente pela picada do mosquito infectado.
  • 6. O Aedes aegypti se disseminou no mundo inteiro à partir de países da África, provavelmente em navios que levavam escravos. Além da Dengue, essa espécie transmite outras doenças como a Febre Amarela. É um mosquito que costuma medir menos de 1 cm, é de cor preta ou marrom escuro e apresenta listras brancas distribuídas pelo corpo e patas. Ao contrário dos mosquitos comuns (pernilongos) que costumam estar mais ativos no final do dia e início da noite, o mosquito da dengue tem hábitos diurnos, costuma voar baixo, geralmente abaixo de meio metro, picando preferencialmente os pés, tornozelos e as pernas e não produz zumbido. O Aedes Aegypti não gosta de calor, por isso é mais ativo nas primeiras horas da manhã e no final da tarde. O motivo de ser somente a fêmea a transmitir o vírus, se dá pelo fato de que ela precisa se alimentar de sangue para o desenvolvimento e maturação dos seus ovos enquanto que o macho se alimenta de carboidratos extraídos de vegetais.
  • 7. O Ae. aegypti têm 4 fases evolutivas: ovo, larva, pupa e adulto. Esse processo leva de 10 à 15 dias dependendo das condições de alimentação e temperatura do ambiente.
  • 8. Dengue Clássica: Ocorre, geralmente, quando há a primeira infecção por um dos vírus. A doença dura em média 5 a 7 dias e apresenta os seguintes sintomas: • Febre súbita e alta; • Fortes dores de cabeça; • Dor atrás dos olhos; • Falta de apetite e paladar; • Náuseas e vômito; • Dores musculares; • Dores nos ossos e nas articulações; • Moleza e cansaço; • Manchas avermelhadas na pele (parecidas com sarampo). Fortes dores de cabeça (Um dos sintomas da Dengue Clássica)
  • 9. Dengue Hemorrágica: No início, os sintomas são iguais aos da Dengue Clássica, podendo ocorrer variações como: • Dificuldade respiratória. • Perda de consciência. • Confusão mental, agitação e insônia; • Sangramento na boca, nas gengivas e narinas; • Vômitos intensos; • Boca seca e sede excessiva; • Pulso rápido e fraco. • Fortes dores abdominais contínuas; • Pele pálida, fria e úmida; Fortes dores abdominais contínuas (Um dos sintomas da Dengue Hemorrágica)
  • 10. Ainda não foi desenvolvida vacina contra o vírus da dengue. A prevenção à doença é feita, evitando a disseminação do vetor. Para isso, é necessário acabar com os criadouros do mosquito transmissor com ações como: Manter a caixa d’água fechada com tampa adequada Lavar por dentro, tanques utilizados para armazenar água (semanalmente) Jogar no lixo, todo objeto não utilizado que possa acumular água da chuva Remover folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas Não deixar água de chuva acumulada sobre a laje Manter bem tampados, tonéis e barris d’água Encher de areia até a borda, os pratinhos dos vasos de plantas Lavar bem por dentro, os vasos de plantas aquáticas, uma vez por semana Se não colocar areia, lavar bem os pratos das plantas, uma vez por semana Guardar garrafas com as bocas sempre viradas para baixo Guardar pneus velhos em local coberto para que não acumulem água da chuva Manter a lixeira sempre bem fechada. Não jogar lixo em terrenos baldios
  • 11. Além dos cuidados para evitar a disseminação do mosquito, devemos tomar algumas precauções para evitar sua picada: Uso de espirais ou vaporizadores elétricos; Uso de mosquiteiros; Uso de repelentes; Uso de telas.
  • 12. Não existe tratamento específico para a dengue, o que se faz é controlar os sintomas para reduzir o mal-estar. O paciente com dengue deve: • ficar em repouso • hidratar-se (ingerir muito líquido, como água, sucos ou chá); • controlar a febre e a dor com analgésicos e antitérmicos; • em caso de sangramento, procurar o médico imediatamente. É importante lembrar que a pessoa com vírus da dengue NÃO pode tomar medicamentos à base de ácido acetil- salicílico, como AAS, Melhoral, Doril, Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena, Doloxene e Buferin. Como eles têm um efeito anticoagulante, podem causar sangramentos.