SlideShare uma empresa Scribd logo
A televisão: zig zag da ausência de valores sociais 
A televisão tem uma grande influência na formação pessoal e social das crianças 
e dos jovens.Funciona como um estímulo que condiciona os comportamentos, positiva 
ou negativamente.A televisão difunde programas educativos edificantes, tais como o 
Zig Zag, os documentários sobre Historia, Ciências, informação sobre a atualidade, 
divulgação de novos produtos… 
Todavia, a televisão exerce também uma influência negativa, ao exibir modelos, 
cujas características são inatingíveis pelas crianças e jovens em geral. As suas 
qualidades físicas são amplificadas, os defeitos esbatidos, criando-se a imagem do herói 
/ heroína perfeitos. Esta construção produz sentimentos de insatisfação do eu consigo 
mesmo e de menosprezo pelo outro. 
A violência é outro aspecto negativo da televisão, em geral. As crianças/jovens 
tendem a imitar os comportamentos violentos dos heróis, o que pode colocar em risco a 
vida dos mesmos. 
O mesmo acontece com o visionamento de cenas de sexo. As crianças formam 
uma imagem distorcida da sua sexualidade, potencializando a pratica precoce de sexo e 
suscitando distúrbios afetivos. 
Em jeito de conclusão, é legítimo que se imponha às estações de televisão uma 
restrição de exibição de material violento ou desajustado à faixa etária nas suas grelhas 
de programação, dado que a exposição a este tipo de conteúdos é extremamente 
prejudicial no desenvolvimento das crianças e dos jovens, pois, tal como diz o povo, 
“violência só gera violência”. 
Aborto: pela defesa de um inocente 
Atualmente o aborto vem crescendo diariamente, meninas a cada dia 
engravidam mais cedo e por falta de estrutura familiar opinião por abortar o bebe, esquecendo-se 
que estão matando uma vida que esta dentro de si e esquecendo - se também que estão 
cometendo um crime. 
É comum notarmos que há muitas comunidades, igrejas e pessoas que fazem 
protestos ou campanhas contra o aborto, para que as pessoas se conscientizem deixem de 
colaborar e/ou participar desse ato. 
O ideal é que as escolas e faculdades em geral façam palestras alertando a 
todos a importância de combater o aborto no mundo, elaborando também cartazes e 
programando saídas as ruas para lutar a favor de novos ideais. 
Podemos também a cada dia colaborar com as campanhas contra o aborto, 
participando através de sites e links da internet que desapoiam o aborto. O importante é que 
todos estejam dispostos a lutar a favor de um mundo melhor.
Autodestruição 
Há tempos a questão da preservação do meio ambiente entrou no dia-a-dia das 
discussões do mundo inteiro. O excesso de poluição emitida pelas indústrias e 
automóveis e a devastação das florestas são as principais causas do efeito estufa e 
finalmente se tornaram motivo de preocupação. Contudo, até agora, os resultados pró-natureza 
são insignificantes perto dos prejuízos causados a ela. Essa diferença tem 
razões econômicas. Não é simples nem vantajoso uma fábrica que emite grande 
quantidade de poluentes comprar equipamentos que amenizam tal emissão. 
O mesmo acontece com automóveis, grandes vilões do ar nas cidades. Segundo 
reportagens, carros e ônibus velhos poluem quarenta vezes mais do que os novos, e não 
é por falta de vontade que os donos não os trocam, e sim por falta de dinheiro. 
Concluímos, então, que o mundo capitalista inviabiliza um acordo com o meio ambiente 
e, enquanto isso, o planeta adoece. Outros problemas é a falta de informação e educação 
ambiental. Muitas pessoas ainda desconhecem os malefícios do efeito estufa, como, por 
exemplo, o aumento da temperatura e, como conseqüência, a intensificação das secas. 
Esse desconhecimento somado ao egoísmo e descaso humano trazem-nos uma visão de 
futuro pessimista. Das poucas pessoas cientes desse problema, muitas não o levam a 
sério e não tentam mudar suas atitudes buscando uma solução. Enquanto os efeitos dos 
nossos atos não atingirem proporções mais danosas, permaneceremos acomodados com 
a situação, deixando para nossas futuras gerações o dever de “consertar” o meio 
ambiente. 
A triste conclusão a que chegamos é a de que a prudência e o bom senso do ser 
humano não são mais fortes que a sua ambição e egoísmo. Estamos destinados a morrer 
no planeta que matamos. Quando o fim é progredir Aluna: Sandra H. Gordon Há 
milhares de anos o universo existia em harmonia. Os ciclos de escuridão e luz se 
alternavam periodicamente. As estrelas nasciam, brilhavam e explodiam. Sempre o 
mesmo ciclo. Harmonia. Tranqüilidade. A luz fez um planeta fértil. Plantas surgiram. A 
harmonia continuou. Animais surgiram. Sucederam as eras geológicas. Surgiu, então, o 
homem. O homem não se contentou com os ciclos naturais. Construiu ferramentas e 
com estas ergueu as cidades, afastando-se até das memórias dos campos, da vida 
simples e natural. A harmonia se despedaçou. Ao homem foi dado o domínio da 
tecnologia, mas ele a usou para a destruição. Foi dada também a conquista do meio, mas 
ele o converteu em sua própria prisão. As florestas foram arrasadas. A atmosfera foi 
poluída. 
Enfim, a Terra criou o homem e foi destruída por sua criação. Os mais sábios 
tentaram impedir o progresso, mas o lucro do momento fechou os ouvidos do homem. 
A avalanche continuou. Cada um competiu para transformar uma parte maior do todo. 
Ignoraram completamente o ciclo natural. Materialismo passou a ser o novo indicador. 
O progresso abalou o homem até onde a ambição alcança. Ele cada vez sabe mais,
consegue mais e constrói mais. Só que não percebe, em sua escalada, a possibilidade da 
queda. Quando ele se der conta dos abusos que comete, será tarde demais para voltar. 
Quando o fim é progredir 
Há milhares de anos o universo existia em harmonia. Os ciclos de escuridão e 
luz se alternavam periodicamente. As estrelas nasciam, brilhavam e explodiam. Sempre 
o mesmo ciclo. Harmonia. Tranqüilidade. A luz fez um planeta fértil. Plantas surgiram. 
A harmonia continuou. Animais surgiram. Sucederam as eras geológicas. 
Surgiu, então, o homem. O homem não se contentou com os ciclos naturais. 
Construiu ferramentas e com estas ergueu as cidades, afastando-se até das memórias dos 
campos, da vida simples e natural. A harmonia se despedaçou. Ao homem foi dado o 
domínio da tecnologia, mas ele a usou para a destruição. Foi dada também a conquista 
do meio, mas ele o converteu em sua própria prisão. As florestas foram arrasadas. A 
atmosfera foi poluída. 
Enfim, a Terra criou o homem e foi destruída por sua criação. Os mais sábios 
tentaram impedir o progresso, mas o lucro do momento fechou os ouvidos do homem. 
A avalanche continuou. Cada um competiu para transformar uma parte maior do todo. 
Ignoraram completamente o ciclo natural. Materialismo passou a ser o novo indicador. 
O progresso abalou o homem até onde a ambição alcança. Ele cada vez sabe 
mais, consegue mais e constrói mais. Só que não percebe, em sua escalada, a 
possibilidade da queda. Quando ele se der conta dos abusos que comete, será tarde 
demais para voltar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
GoisBemnoEnem
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
Jaciara Mota
 
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAtividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Alex Santos
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
ma.no.el.ne.ves
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
GernciadeProduodeMat
 
PIAF CARDÁPIO 2023.pdf
PIAF CARDÁPIO 2023.pdfPIAF CARDÁPIO 2023.pdf
PIAF CARDÁPIO 2023.pdf
JlioAlbuquerque5
 
Debate regrado
Debate regradoDebate regrado
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
Angela Santos
 
TESTE VOCACIONAL 02.pdf
TESTE VOCACIONAL 02.pdfTESTE VOCACIONAL 02.pdf
TESTE VOCACIONAL 02.pdf
JULIA424139
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
GernciadeProduodeMat
 
FATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptxFATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptx
IaneSousaBrandao
 
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amareloAtividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
Maria de Lourdes Lourenço
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
ClaudiaAdrianaSouzaS
 
Conto
ContoConto
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
jpsales
 
Atribuições dos líderes de sala
Atribuições dos líderes de salaAtribuições dos líderes de sala
Atribuições dos líderes de sala
eebirmawienfrida
 
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comumAula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Leonardo Kaplan
 
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Poluição  - Texto e atividade de Ciências Poluição  - Texto e atividade de Ciências
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAtividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
 
PIAF CARDÁPIO 2023.pdf
PIAF CARDÁPIO 2023.pdfPIAF CARDÁPIO 2023.pdf
PIAF CARDÁPIO 2023.pdf
 
Debate regrado
Debate regradoDebate regrado
Debate regrado
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
TESTE VOCACIONAL 02.pdf
TESTE VOCACIONAL 02.pdfTESTE VOCACIONAL 02.pdf
TESTE VOCACIONAL 02.pdf
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
FATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptxFATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptx
 
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amareloAtividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
Atividades para as turmas 6 ao 9 anos setembro amarelo
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
 
Atribuições dos líderes de sala
Atribuições dos líderes de salaAtribuições dos líderes de sala
Atribuições dos líderes de sala
 
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comumAula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
Aula 6º ano - Introdução às ciências, método científico, ciências e senso comum
 
Poluição - Texto e atividade de Ciências
Poluição  - Texto e atividade de Ciências Poluição  - Texto e atividade de Ciências
Poluição - Texto e atividade de Ciências
 

Destaque

Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
mundograduado
 
Preservacao meio ambiente
Preservacao meio ambientePreservacao meio ambiente
Preservacao meio ambiente
Baptista Italiano
 
Texto complementar o que e cientifico
Texto complementar   o que e cientificoTexto complementar   o que e cientifico
Texto complementar o que e cientifico
Fabio Santos
 
Estrutura - texto argumentativo
Estrutura - texto argumentativoEstrutura - texto argumentativo
Estrutura - texto argumentativo
Dani Bertollo
 
Textos argumentativos
Textos argumentativosTextos argumentativos
Textos argumentativos
Angeles Bañon
 
Modulo Educação a distancia e produção de texto
Modulo Educação a distancia e produção de textoModulo Educação a distancia e produção de texto
Modulo Educação a distancia e produção de texto
Evanildo Gonçalves
 
3º trimestre especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
3º trimestre    especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...3º trimestre    especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
3º trimestre especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
SimoneHelenDrumond
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercício
José Roberto
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
elaniasf
 
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio AmbienteProduções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
Fazendo Novas Amizades Fauze
 
A responsabilidade social na formação de engenheiros
A responsabilidade social na formação de engenheirosA responsabilidade social na formação de engenheiros
A responsabilidade social na formação de engenheiros
Joana Cardozo
 
Texto argumentativo o amor é um sentimento mias forte que a amizade
Texto argumentativo   o amor é um sentimento mias forte que a amizadeTexto argumentativo   o amor é um sentimento mias forte que a amizade
Texto argumentativo o amor é um sentimento mias forte que a amizade
andrepaiva7a
 
Texto argumentativo
Texto argumentativoTexto argumentativo
Texto argumentativo
Carol Guedes
 
Texto Argumentativo
Texto ArgumentativoTexto Argumentativo
Texto Argumentativo
complementoindirecto
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Seduc/AM
 
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos  Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
complementoindirecto
 

Destaque (16)

Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 
Preservacao meio ambiente
Preservacao meio ambientePreservacao meio ambiente
Preservacao meio ambiente
 
Texto complementar o que e cientifico
Texto complementar   o que e cientificoTexto complementar   o que e cientifico
Texto complementar o que e cientifico
 
Estrutura - texto argumentativo
Estrutura - texto argumentativoEstrutura - texto argumentativo
Estrutura - texto argumentativo
 
Textos argumentativos
Textos argumentativosTextos argumentativos
Textos argumentativos
 
Modulo Educação a distancia e produção de texto
Modulo Educação a distancia e produção de textoModulo Educação a distancia e produção de texto
Modulo Educação a distancia e produção de texto
 
3º trimestre especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
3º trimestre    especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...3º trimestre    especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
3º trimestre especialista - meio ambiente (bolsa dia das mães) por simone ...
 
Texto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercícioTexto argumentativo exercício
Texto argumentativo exercício
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio AmbienteProduções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
Produções do 7º B após a leitura de textos sobre o Meio Ambiente
 
A responsabilidade social na formação de engenheiros
A responsabilidade social na formação de engenheirosA responsabilidade social na formação de engenheiros
A responsabilidade social na formação de engenheiros
 
Texto argumentativo o amor é um sentimento mias forte que a amizade
Texto argumentativo   o amor é um sentimento mias forte que a amizadeTexto argumentativo   o amor é um sentimento mias forte que a amizade
Texto argumentativo o amor é um sentimento mias forte que a amizade
 
Texto argumentativo
Texto argumentativoTexto argumentativo
Texto argumentativo
 
Texto Argumentativo
Texto ArgumentativoTexto Argumentativo
Texto Argumentativo
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos  Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
Texto expositivo, argumentativo, reflexivo, dissertativo e tipos de argumentos
 

Semelhante a Modelos de textos argumentativos

Power Point Andre
Power  Point  AndrePower  Point  Andre
Power Point Andre
elvira.sequeira
 
Fórum Social
Fórum SocialFórum Social
Fórum Social
Flávia Cremonesi
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
renatotf
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
Roberto Rabat Chame
 
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
Eugenio Hansen, OFS
 
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
João Soares
 
Gabriel - Sustentabilidade
Gabriel - SustentabilidadeGabriel - Sustentabilidade
Gabriel - Sustentabilidade
gabrielmiranda
 
Mae Terra
Mae TerraMae Terra
Mae terra
Mae terraMae terra
Mae terra
Lucy Queen
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
gueste62687ab
 
Forum Social Mundial
Forum Social MundialForum Social Mundial
Forum Social Mundial
João Melo
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
renatotf
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
herciliamoret
 
Um Outro Mundo é Possível e Urgente
Um Outro Mundo é Possível e UrgenteUm Outro Mundo é Possível e Urgente
Um Outro Mundo é Possível e Urgente
guestacec1f
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
maysa2009
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
herciliamoret
 
FóRum Social Mundial 2009
FóRum Social Mundial 2009FóRum Social Mundial 2009
FóRum Social Mundial 2009
guest9b75eaa
 
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
Caio Cesar Santos
 
forum_social
forum_socialforum_social
forum_social
peregrinodecristo
 
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
Gustavo C. Rodríguez
 

Semelhante a Modelos de textos argumentativos (20)

Power Point Andre
Power  Point  AndrePower  Point  Andre
Power Point Andre
 
Fórum Social
Fórum SocialFórum Social
Fórum Social
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.okAGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Nº 610 an 07 março_2017.ok
 
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
Leonardo Boff no Forum Social Munidal 2009
 
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
Os desafios da verdade ecológica- "O Instalador", n230, Junho 2015
 
Gabriel - Sustentabilidade
Gabriel - SustentabilidadeGabriel - Sustentabilidade
Gabriel - Sustentabilidade
 
Mae Terra
Mae TerraMae Terra
Mae Terra
 
Mae terra
Mae terraMae terra
Mae terra
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
Forum Social Mundial
Forum Social MundialForum Social Mundial
Forum Social Mundial
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
Um Outro Mundo é Possível e Urgente
Um Outro Mundo é Possível e UrgenteUm Outro Mundo é Possível e Urgente
Um Outro Mundo é Possível e Urgente
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
Forum Social
Forum SocialForum Social
Forum Social
 
FóRum Social Mundial 2009
FóRum Social Mundial 2009FóRum Social Mundial 2009
FóRum Social Mundial 2009
 
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
Fórum Social Mundial - O que posso fazer para ajudar a mudar o mundo?
 
forum_social
forum_socialforum_social
forum_social
 
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
L. Boff no Fórum Social Mundial 2009
 

Mais de Caique Fernando Silva Fistarol

Penpals - Interpretação Textual
Penpals - Interpretação TextualPenpals - Interpretação Textual
Penpals - Interpretação Textual
Caique Fernando Silva Fistarol
 
A timeline of television history
A timeline of television historyA timeline of television history
A timeline of television history
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Pôster - Passaporte
Pôster - Passaporte Pôster - Passaporte
Pôster - Passaporte
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Planejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticasPlanejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticas
Caique Fernando Silva Fistarol
 
A produção e filmagem de receitas caseiras
A produção e filmagem de receitas caseiras A produção e filmagem de receitas caseiras
A produção e filmagem de receitas caseiras
Caique Fernando Silva Fistarol
 
A Sequência Didática de O Mágico de Oz
A Sequência Didática de O Mágico de Oz A Sequência Didática de O Mágico de Oz
A Sequência Didática de O Mágico de Oz
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Oratória
Oratória Oratória
Diário de Tati [Fragmento]
Diário de Tati [Fragmento]Diário de Tati [Fragmento]
Diário de Tati [Fragmento]
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Trabalho de pesquisa e vídeo
Trabalho de pesquisa e vídeoTrabalho de pesquisa e vídeo
Trabalho de pesquisa e vídeo
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científica
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Resenha
ResenhaResenha
Procura se uma identidade
Procura se uma identidadeProcura se uma identidade
Procura se uma identidade
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Capitães da Areia [trecho]
Capitães da Areia [trecho]Capitães da Areia [trecho]
Capitães da Areia [trecho]
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Emprego de conectores
Emprego de conectoresEmprego de conectores
Emprego de conectores
Caique Fernando Silva Fistarol
 
De sexo, neoliberalismo e bundas
De sexo, neoliberalismo e bundasDe sexo, neoliberalismo e bundas
De sexo, neoliberalismo e bundas
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Cara de adolescente
Cara de adolescenteCara de adolescente
Cara de adolescente
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Cada vez mais feios e gordos
Cada vez mais feios e gordosCada vez mais feios e gordos
Cada vez mais feios e gordos
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Essa tal adolescência
Essa tal adolescênciaEssa tal adolescência
Essa tal adolescência
Caique Fernando Silva Fistarol
 
Que tipo de adolescente você é?
Que tipo de adolescente você é?Que tipo de adolescente você é?
Que tipo de adolescente você é?
Caique Fernando Silva Fistarol
 

Mais de Caique Fernando Silva Fistarol (20)

Penpals - Interpretação Textual
Penpals - Interpretação TextualPenpals - Interpretação Textual
Penpals - Interpretação Textual
 
A timeline of television history
A timeline of television historyA timeline of television history
A timeline of television history
 
Pôster - Passaporte
Pôster - Passaporte Pôster - Passaporte
Pôster - Passaporte
 
Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
 
Planejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticasPlanejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticas
 
A produção e filmagem de receitas caseiras
A produção e filmagem de receitas caseiras A produção e filmagem de receitas caseiras
A produção e filmagem de receitas caseiras
 
A Sequência Didática de O Mágico de Oz
A Sequência Didática de O Mágico de Oz A Sequência Didática de O Mágico de Oz
A Sequência Didática de O Mágico de Oz
 
Oratória
Oratória Oratória
Oratória
 
Diário de Tati [Fragmento]
Diário de Tati [Fragmento]Diário de Tati [Fragmento]
Diário de Tati [Fragmento]
 
Trabalho de pesquisa e vídeo
Trabalho de pesquisa e vídeoTrabalho de pesquisa e vídeo
Trabalho de pesquisa e vídeo
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científica
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Procura se uma identidade
Procura se uma identidadeProcura se uma identidade
Procura se uma identidade
 
Capitães da Areia [trecho]
Capitães da Areia [trecho]Capitães da Areia [trecho]
Capitães da Areia [trecho]
 
Emprego de conectores
Emprego de conectoresEmprego de conectores
Emprego de conectores
 
De sexo, neoliberalismo e bundas
De sexo, neoliberalismo e bundasDe sexo, neoliberalismo e bundas
De sexo, neoliberalismo e bundas
 
Cara de adolescente
Cara de adolescenteCara de adolescente
Cara de adolescente
 
Cada vez mais feios e gordos
Cada vez mais feios e gordosCada vez mais feios e gordos
Cada vez mais feios e gordos
 
Essa tal adolescência
Essa tal adolescênciaEssa tal adolescência
Essa tal adolescência
 
Que tipo de adolescente você é?
Que tipo de adolescente você é?Que tipo de adolescente você é?
Que tipo de adolescente você é?
 

Último

FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 

Último (20)

FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 

Modelos de textos argumentativos

  • 1. A televisão: zig zag da ausência de valores sociais A televisão tem uma grande influência na formação pessoal e social das crianças e dos jovens.Funciona como um estímulo que condiciona os comportamentos, positiva ou negativamente.A televisão difunde programas educativos edificantes, tais como o Zig Zag, os documentários sobre Historia, Ciências, informação sobre a atualidade, divulgação de novos produtos… Todavia, a televisão exerce também uma influência negativa, ao exibir modelos, cujas características são inatingíveis pelas crianças e jovens em geral. As suas qualidades físicas são amplificadas, os defeitos esbatidos, criando-se a imagem do herói / heroína perfeitos. Esta construção produz sentimentos de insatisfação do eu consigo mesmo e de menosprezo pelo outro. A violência é outro aspecto negativo da televisão, em geral. As crianças/jovens tendem a imitar os comportamentos violentos dos heróis, o que pode colocar em risco a vida dos mesmos. O mesmo acontece com o visionamento de cenas de sexo. As crianças formam uma imagem distorcida da sua sexualidade, potencializando a pratica precoce de sexo e suscitando distúrbios afetivos. Em jeito de conclusão, é legítimo que se imponha às estações de televisão uma restrição de exibição de material violento ou desajustado à faixa etária nas suas grelhas de programação, dado que a exposição a este tipo de conteúdos é extremamente prejudicial no desenvolvimento das crianças e dos jovens, pois, tal como diz o povo, “violência só gera violência”. Aborto: pela defesa de um inocente Atualmente o aborto vem crescendo diariamente, meninas a cada dia engravidam mais cedo e por falta de estrutura familiar opinião por abortar o bebe, esquecendo-se que estão matando uma vida que esta dentro de si e esquecendo - se também que estão cometendo um crime. É comum notarmos que há muitas comunidades, igrejas e pessoas que fazem protestos ou campanhas contra o aborto, para que as pessoas se conscientizem deixem de colaborar e/ou participar desse ato. O ideal é que as escolas e faculdades em geral façam palestras alertando a todos a importância de combater o aborto no mundo, elaborando também cartazes e programando saídas as ruas para lutar a favor de novos ideais. Podemos também a cada dia colaborar com as campanhas contra o aborto, participando através de sites e links da internet que desapoiam o aborto. O importante é que todos estejam dispostos a lutar a favor de um mundo melhor.
  • 2. Autodestruição Há tempos a questão da preservação do meio ambiente entrou no dia-a-dia das discussões do mundo inteiro. O excesso de poluição emitida pelas indústrias e automóveis e a devastação das florestas são as principais causas do efeito estufa e finalmente se tornaram motivo de preocupação. Contudo, até agora, os resultados pró-natureza são insignificantes perto dos prejuízos causados a ela. Essa diferença tem razões econômicas. Não é simples nem vantajoso uma fábrica que emite grande quantidade de poluentes comprar equipamentos que amenizam tal emissão. O mesmo acontece com automóveis, grandes vilões do ar nas cidades. Segundo reportagens, carros e ônibus velhos poluem quarenta vezes mais do que os novos, e não é por falta de vontade que os donos não os trocam, e sim por falta de dinheiro. Concluímos, então, que o mundo capitalista inviabiliza um acordo com o meio ambiente e, enquanto isso, o planeta adoece. Outros problemas é a falta de informação e educação ambiental. Muitas pessoas ainda desconhecem os malefícios do efeito estufa, como, por exemplo, o aumento da temperatura e, como conseqüência, a intensificação das secas. Esse desconhecimento somado ao egoísmo e descaso humano trazem-nos uma visão de futuro pessimista. Das poucas pessoas cientes desse problema, muitas não o levam a sério e não tentam mudar suas atitudes buscando uma solução. Enquanto os efeitos dos nossos atos não atingirem proporções mais danosas, permaneceremos acomodados com a situação, deixando para nossas futuras gerações o dever de “consertar” o meio ambiente. A triste conclusão a que chegamos é a de que a prudência e o bom senso do ser humano não são mais fortes que a sua ambição e egoísmo. Estamos destinados a morrer no planeta que matamos. Quando o fim é progredir Aluna: Sandra H. Gordon Há milhares de anos o universo existia em harmonia. Os ciclos de escuridão e luz se alternavam periodicamente. As estrelas nasciam, brilhavam e explodiam. Sempre o mesmo ciclo. Harmonia. Tranqüilidade. A luz fez um planeta fértil. Plantas surgiram. A harmonia continuou. Animais surgiram. Sucederam as eras geológicas. Surgiu, então, o homem. O homem não se contentou com os ciclos naturais. Construiu ferramentas e com estas ergueu as cidades, afastando-se até das memórias dos campos, da vida simples e natural. A harmonia se despedaçou. Ao homem foi dado o domínio da tecnologia, mas ele a usou para a destruição. Foi dada também a conquista do meio, mas ele o converteu em sua própria prisão. As florestas foram arrasadas. A atmosfera foi poluída. Enfim, a Terra criou o homem e foi destruída por sua criação. Os mais sábios tentaram impedir o progresso, mas o lucro do momento fechou os ouvidos do homem. A avalanche continuou. Cada um competiu para transformar uma parte maior do todo. Ignoraram completamente o ciclo natural. Materialismo passou a ser o novo indicador. O progresso abalou o homem até onde a ambição alcança. Ele cada vez sabe mais,
  • 3. consegue mais e constrói mais. Só que não percebe, em sua escalada, a possibilidade da queda. Quando ele se der conta dos abusos que comete, será tarde demais para voltar. Quando o fim é progredir Há milhares de anos o universo existia em harmonia. Os ciclos de escuridão e luz se alternavam periodicamente. As estrelas nasciam, brilhavam e explodiam. Sempre o mesmo ciclo. Harmonia. Tranqüilidade. A luz fez um planeta fértil. Plantas surgiram. A harmonia continuou. Animais surgiram. Sucederam as eras geológicas. Surgiu, então, o homem. O homem não se contentou com os ciclos naturais. Construiu ferramentas e com estas ergueu as cidades, afastando-se até das memórias dos campos, da vida simples e natural. A harmonia se despedaçou. Ao homem foi dado o domínio da tecnologia, mas ele a usou para a destruição. Foi dada também a conquista do meio, mas ele o converteu em sua própria prisão. As florestas foram arrasadas. A atmosfera foi poluída. Enfim, a Terra criou o homem e foi destruída por sua criação. Os mais sábios tentaram impedir o progresso, mas o lucro do momento fechou os ouvidos do homem. A avalanche continuou. Cada um competiu para transformar uma parte maior do todo. Ignoraram completamente o ciclo natural. Materialismo passou a ser o novo indicador. O progresso abalou o homem até onde a ambição alcança. Ele cada vez sabe mais, consegue mais e constrói mais. Só que não percebe, em sua escalada, a possibilidade da queda. Quando ele se der conta dos abusos que comete, será tarde demais para voltar.