SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
1º Encontro
Pedagógico de
Professores do
3º ano do
E.F.
Celia Martins
Maria Lenice
Eunice Mendes
Análise de
Produção
Escrita e
Intervenção
Pedagógica
S R E de Ituiutaba
S M E C Capinópolis
TEMA:
Análise de
Produção Escrita
e intervenção
pedagógica
Fui alfabetizado no chão do
quintal de minha casa, à sombra
das mangueiras, com palavras do
meu mundo e não do mundo maior
dos meus pais.
O chão foi o meu
quadro negro; gravetos,
o meu giz.
PAULO FREIRE.
Nós, educadores estamos sendo
desafiados a cada momento a mudar
e a inovar com o intuito de atender
às expectativas da atual sociedade.
Mudar para adquirir novas técnicas
metodológicas capazes de
transformarem o espaço-escola do
aprendiz em algo dinâmico,
significativo e participativo,
aproximando a teoria da prática com
uma postura interdisciplinar,
permitindo assim a criação de
destrezas para com a vida.
5. Para o construtivismo
◙ Não garantem que o aluno mesmo
reproduzindo-as várias vezes a
compreenda, ele apenas imita o modelo
certo;
◙ É preciso mudar a atitude do Professor
perante o erro do aluno, o erro na escola é visto
como ausência de raciocínio, fracasso e falta de
atenção, e a punição é o meio de consertar este
erro, fazem com que o aluno copie a mesma
palavra por diversas vezes como garantia de
entenderem a forma correta de escrevê-la.
u
8-EUFALOASSIM/EUESCREVOASSIM;
VAMOSVERALGUNSEXEMPLOS.
1- Painel-de-palavras
SOMDEI SOMDEU
COMEÇO MEIO FIM COMEÇO MEIO FIM
IGREJA QUEIJO FUI URUBU SAÚDE BAÚ.
ConclusãoEscrevopalavras comsomdeucomletrau,quandocomparamosatonicidade (baú / urubu)
Escrevopalavrascom somdeu com letra oquandoofinal for fraco MENINO Ex;dee/i fraco: leite
dentepente Forte:Uruguai papaiFunai
2-Passaramúsica- Quemsabe-sabe (pegueumapalavraedigaseestácerta ouerradaeporque )
3- Gincanadaspalavras. –porquêviagem escrevecom geviajarescreve-secom j?
4-textoparacorreção:Transcriçãoda falaefinalcom som dei. ojabuti.
6
Por que viagem se escreve com g e viajar com j?
* Portadores de textos
* Leitura deleite (vocabulário, palavras
desconhecidas)
* Produção textual
* Lá vai a minha barquinha...
* Estrelas do ditado
*Trânsito Ortográfico
* Dicionários
* CANTINHO DA ORTOGRAFIA
* Ditado visual (palavras ou desenhos)
* Auto ditado – Ditado Diferente
* Ditado das Regularidades
ortográficas
*Caderno Viajante
* Sequência
Didática
PARA VOCÊ
REFLETIR
1º - JAMAIS devemos
deixar a AFETIVIDADE. Pois se
quisermos conseguir de
nossos alunos o sucesso,
precisamos falar-lhes ao
coração.
3º- Vamos observar este
exemplo que é o de um
DITADO
BADULAQUE ABROGAR ACTÍNEA CONTUPA
(revogar) (anemôla planta do mar). (inventada.)
CAMBAPÉ AGAVACEA ADMOLIR ALASTRIM
(rasteira) (inventou (inventou) (varíola branda)
ALCANDORAR ALBURNO ANCHORCADO
( EMPOLEIRAR) (CASCO DE ÁRVORE) INVENTOU.
 Como você se sentiu?? Ansiosos...
aflitos... com medo de errar.
 Não estão entendendo o pronunciar
das palavras por quem está ditando?
 Pode Ter certeza que seus alunos
também sentem a mesma coisa.
CORREÇÃO DAS PALAVRAS. O
Q QUE SIGNIFICAM?
DITADO
O objetivo do ditado é observar se a criança já domina o
sistema de escrita. O foco se volta par sua capacidade de codificar
palavras de grafia desconhecida.
É importante observar que, mesmo que haja erros ortográficos
como troca de letras, as hipóteses elaboradas pela criança para
codificação de tais palavras estarão evidenciando princípios do
sistema alfabético já apreendidos e generalizados. Para isso, é
importante que o repertório de palavras desconhecidas envolva
diferentes estruturas silábicas, canônicas e não canônicas, apesar
de este tipo de ditado trazer uma certa angústia e conflito.
Alguns pareceres dos professores a
respeito da escrita e dos erros ortográficos,
a necessidade ou não da cópia, as
possíveis intervenções realizadas nas
produções textuais dos alunos.
O que é a escrita para você?
A professora “A” e a professora “B”
compartilham a mesma opinião,
respectivamente:
“É um meio de transmitir pensamentos”.
“Registro do pensamento”.
A professora “D”, diz que a escrita é “processo
de decifração de código e
decodificação”. Por fim, a professora “F”
acredita que a escrita seja “transcrição
da fala, uma maneira de comunicar-se,
o registro da própria história”.
• Como você trabalha a escrita com seus
alunos em sala de aula?
A professora “A” : “Através do alfabeto, usando o próprio
nome, através de embalagens e propagandas, etc”.
Continuando com a professora “B”: “De forma
permanente, todos os dias as crianças escrevem,
considero atividade de escrita uma que não seja cópia”.
Dando sequência, a professora “D” diz: “Inicio com a escrita
espontânea, para saber o nível de sua escrita depois trabalhamos
sistematicamente com a reestruturação das produções para
melhorar a escrita dos alunos”. Por fim, a professora “F”
relata: “Através de estudos com textos e materiais
lúdicos”.
• A cópia contribui no processo do aprendizado da
escrita? Por quê?
As professoras “A”, “B” e “F” não acreditam que a cópia contribua no
aprendizado da escrita
Professora “A”: “Não, porque se a criança não sabe ler ela não vai
entender o que está copiando”.
Professora “B”: “Não, pois é uma atividade que não traz
reflexão. A atividade de cópia é feita para aprendermos a
copiar”.
Professora “F” diz: “Não, porque é um ato mecânico e não favorece a
construção do conhecimento”.
Já a professora “D” comenta: “A cópia com objetivo de
melhorar a escrita contribui para melhorar a ortografia
somente”.
• Para você é necessário trabalhar erros
ortográficos no 1º ano do ensino
professoras “A”, “B” e “D” acreditam que sim, conforme seguem
as suas opiniões:
Professora “A”: “Sim, porque a criança já começa assimilar os
erros através da escrita”.
Professora “B”: “Sim, no momento em que a criança torna-se
alfabética já é capaz de entender que as palavras têm uma forma
fixa de escrevê-la”.
Professora “D”: “Sim, porque é através dos erros que lançamos
estratégias para melhorar a aprendizagem de nossos alunos”.
A professora “F” acredita que não é necessário trabalhar os
erros ortográficos explicando: “Não, ensinar a ler e escrever
já é o suficiente. Não podemos dificultar o processo de
alfabetização tornando-o impossível ao aluno”.
• Quais são as possíveis intervenções realizadas por
você nas produções de textos dos seus alunos?
A professora “A”: “Se a criança consegue produzir um texto,
podemos corrigir quanto à escrita e coerência”.
Professora “B”: “Revisão coletiva de textos produzidos pelos
alunos, análise de textos bem escritos para que
as crianças tenham noção de como, que estratégias
usam os bons autores para superar os problemas de repetições,
pontuação, etc”.
Professora “D”: “Reestruturação de textos, para verificar junto
com os alunos quais foram os erros cometidos. Auxílio da
família para melhorar as suas realizações”.
Professora “F”: “Reescrita e análise coletiva;
se necessário, análise individual”.
• Para você como se dá a construção da escrita em crianças
do primeiro ano do ensino fundamental?
Professora “B”: “Através da interação, reflexão. Refletindo
sobre o que a escrita representa e como ela representa o
som”.
Professora “C”: “É um processo de construção conceitual,
apoiado da reflexão sobre as características e o
funcionamento da escrita: trata-se de compreender pouco a
pouco as regularidades que caracterizam a escrita.
(trabalhando com textos)”.
Professora “E”: “Através do processo oral e visual.
Trabalhando todos os conceitos; tais como: visual, oral,
auditivo; lateralidade e etc...”
Minicurso de alfabetização s r e
Minicurso de alfabetização s r e

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
Professora Cida
 
Sequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxaSequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxa
Professora Cida
 
Actividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológicaActividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológica
Ana Paula Santos
 
Sugestoes didaticas ortografizacao
Sugestoes didaticas ortografizacaoSugestoes didaticas ortografizacao
Sugestoes didaticas ortografizacao
dialogoeducacao
 
Processo E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da AlfabetizaçãoProcesso E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da Alfabetização
J. C.
 
SEQUENCIA PRONTA
SEQUENCIA PRONTASEQUENCIA PRONTA
SEQUENCIA PRONTA
Luúh Reis
 
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Magda Ferreira
 
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de moraisResumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
Carla Fernanda Matté Marengo
 
Projeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetizaçãoProjeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetização
faculdade4
 

Mais procurados (20)

Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
 
Candida certo vilma
Candida certo vilmaCandida certo vilma
Candida certo vilma
 
Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
 
Atividades Pedagógicas 1_2_ano_Alfabetização
Atividades Pedagógicas 1_2_ano_AlfabetizaçãoAtividades Pedagógicas 1_2_ano_Alfabetização
Atividades Pedagógicas 1_2_ano_Alfabetização
 
Dislexia
Dislexia Dislexia
Dislexia
 
Sequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxaSequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxa
 
Actividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológicaActividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológica
 
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela KleimanÉ preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
É preciso "ensinar" letramento? - Angela Kleiman
 
Sugestoes didaticas ortografizacao
Sugestoes didaticas ortografizacaoSugestoes didaticas ortografizacao
Sugestoes didaticas ortografizacao
 
Sequencia galinha pintadinha
Sequencia galinha pintadinhaSequencia galinha pintadinha
Sequencia galinha pintadinha
 
Projeto alfa
Projeto alfaProjeto alfa
Projeto alfa
 
Processo E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da AlfabetizaçãoProcesso E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da Alfabetização
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
SEQUENCIA PRONTA
SEQUENCIA PRONTASEQUENCIA PRONTA
SEQUENCIA PRONTA
 
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
 
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de moraisResumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
Resumo de parte do livro ortografia artur gomes de morais
 
Projeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetizaçãoProjeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetização
 
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantisOperadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
 
Ditado interativo
Ditado interativoDitado interativo
Ditado interativo
 
O guarda chuva do guarda/Bartolomeu Campos de Queirós
O guarda chuva do guarda/Bartolomeu Campos de QueirósO guarda chuva do guarda/Bartolomeu Campos de Queirós
O guarda chuva do guarda/Bartolomeu Campos de Queirós
 

Semelhante a Minicurso de alfabetização s r e

Co 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativosCo 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativos
Jeh Antunes
 
Construindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativosConstruindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativos
Lukass da Silva
 
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Terc Cre
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
Jean Carvalho
 
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
con_seguir
 
CompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De TextoCompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De Texto
guest67b92
 
9° quinzena ava
9° quinzena ava9° quinzena ava
9° quinzena ava
annajullia
 

Semelhante a Minicurso de alfabetização s r e (20)

Minicurso de alfabetização s r e
Minicurso de alfabetização s r eMinicurso de alfabetização s r e
Minicurso de alfabetização s r e
 
Projeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadasProjeto leitura- conto de fadas
Projeto leitura- conto de fadas
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
 
Projeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadasProjeto Leitura- conto de fadas
Projeto Leitura- conto de fadas
 
Projeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadasProjeto leitura - conto de fadas
Projeto leitura - conto de fadas
 
Slide projeto
Slide projetoSlide projeto
Slide projeto
 
Projeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadasProjeto Leitura-conto de fadas
Projeto Leitura-conto de fadas
 
Gestar Ii 26 05 09
Gestar Ii 26 05 09Gestar Ii 26 05 09
Gestar Ii 26 05 09
 
Encontro PNAIC 12 de setembro 2015 Fabiana Esteves
Encontro PNAIC 12 de setembro 2015 Fabiana EstevesEncontro PNAIC 12 de setembro 2015 Fabiana Esteves
Encontro PNAIC 12 de setembro 2015 Fabiana Esteves
 
Alfabetização e educação inclusiva
Alfabetização e educação inclusivaAlfabetização e educação inclusiva
Alfabetização e educação inclusiva
 
Co 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativosCo 163 contruindo planejamentos significativos
Co 163 contruindo planejamentos significativos
 
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
 
Construindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativosConstruindo planejamentos significativos
Construindo planejamentos significativos
 
Projeto interdisciplinar de alfabetização
Projeto interdisciplinar de alfabetizaçãoProjeto interdisciplinar de alfabetização
Projeto interdisciplinar de alfabetização
 
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
Alfabetização não tem receita, mas tem princípios (patrícia corsino)
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
 
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
Orientações sobre as atividades de alfabetização módulo 1
 
TCC - Pedagogia
TCC - PedagogiaTCC - Pedagogia
TCC - Pedagogia
 
CompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De TextoCompreensãO E ProduçãO De Texto
CompreensãO E ProduçãO De Texto
 
9° quinzena ava
9° quinzena ava9° quinzena ava
9° quinzena ava
 

Mais de Eunice Mendes de Oliveira

Caderno de boas práticas dos especialistas em educação
Caderno de boas práticas dos especialistas em educaçãoCaderno de boas práticas dos especialistas em educação
Caderno de boas práticas dos especialistas em educação
Eunice Mendes de Oliveira
 

Mais de Eunice Mendes de Oliveira (20)

Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
 
Apresentação flexibilização curricular
Apresentação flexibilização curricularApresentação flexibilização curricular
Apresentação flexibilização curricular
 
DIA D 2014 - A COMUNIDADE ESCOLAR - O dia d e o pip 2
DIA D 2014 - A COMUNIDADE ESCOLAR - O dia d e o pip 2DIA D 2014 - A COMUNIDADE ESCOLAR - O dia d e o pip 2
DIA D 2014 - A COMUNIDADE ESCOLAR - O dia d e o pip 2
 
Mensagem ao professor
Mensagem ao professorMensagem ao professor
Mensagem ao professor
 
Falarcomdeu sco
Falarcomdeu scoFalarcomdeu sco
Falarcomdeu sco
 
Aprendizagem orquideas
Aprendizagem orquideasAprendizagem orquideas
Aprendizagem orquideas
 
Ortografização ok
Ortografização okOrtografização ok
Ortografização ok
 
Dinâmica boas vindas!
Dinâmica boas vindas!Dinâmica boas vindas!
Dinâmica boas vindas!
 
Planejamento pip 2014 apresent março
Planejamento pip 2014 apresent marçoPlanejamento pip 2014 apresent março
Planejamento pip 2014 apresent março
 
Planejamento pip 2014 apresent março
Planejamento pip 2014 apresent marçoPlanejamento pip 2014 apresent março
Planejamento pip 2014 apresent março
 
Caderno de boas práticas dos especialistas em educação
Caderno de boas práticas dos especialistas em educaçãoCaderno de boas práticas dos especialistas em educação
Caderno de boas práticas dos especialistas em educação
 
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópia
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópiaApresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópia
Apresen tação o supervisor escolar em ação- adilaine- - cópia
 
P18kui0ru717g0avh1aav14hu4go4
P18kui0ru717g0avh1aav14hu4go4P18kui0ru717g0avh1aav14hu4go4
P18kui0ru717g0avh1aav14hu4go4
 
Atividade de leitura_e_escrita[1]
Atividade de leitura_e_escrita[1]Atividade de leitura_e_escrita[1]
Atividade de leitura_e_escrita[1]
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Apresentação flexibilização curricular
Apresentação flexibilização curricularApresentação flexibilização curricular
Apresentação flexibilização curricular
 
Apresenta..[1]
Apresenta..[1]Apresenta..[1]
Apresenta..[1]
 
Sondagem 110130111547-phpapp02
Sondagem 110130111547-phpapp02Sondagem 110130111547-phpapp02
Sondagem 110130111547-phpapp02
 
Mc3a9todo 28-palavras (1)
Mc3a9todo 28-palavras (1)Mc3a9todo 28-palavras (1)
Mc3a9todo 28-palavras (1)
 
Consc fonol limpo
Consc fonol limpoConsc fonol limpo
Consc fonol limpo
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 

Minicurso de alfabetização s r e

  • 1. 1º Encontro Pedagógico de Professores do 3º ano do E.F. Celia Martins Maria Lenice Eunice Mendes Análise de Produção Escrita e Intervenção Pedagógica S R E de Ituiutaba S M E C Capinópolis
  • 2. TEMA: Análise de Produção Escrita e intervenção pedagógica
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Fui alfabetizado no chão do quintal de minha casa, à sombra das mangueiras, com palavras do meu mundo e não do mundo maior dos meus pais. O chão foi o meu quadro negro; gravetos, o meu giz. PAULO FREIRE.
  • 8. Nós, educadores estamos sendo desafiados a cada momento a mudar e a inovar com o intuito de atender às expectativas da atual sociedade. Mudar para adquirir novas técnicas metodológicas capazes de transformarem o espaço-escola do aprendiz em algo dinâmico, significativo e participativo, aproximando a teoria da prática com uma postura interdisciplinar, permitindo assim a criação de destrezas para com a vida.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23. 5. Para o construtivismo ◙ Não garantem que o aluno mesmo reproduzindo-as várias vezes a compreenda, ele apenas imita o modelo certo; ◙ É preciso mudar a atitude do Professor perante o erro do aluno, o erro na escola é visto como ausência de raciocínio, fracasso e falta de atenção, e a punição é o meio de consertar este erro, fazem com que o aluno copie a mesma palavra por diversas vezes como garantia de entenderem a forma correta de escrevê-la.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. u
  • 31.
  • 32. 8-EUFALOASSIM/EUESCREVOASSIM; VAMOSVERALGUNSEXEMPLOS. 1- Painel-de-palavras SOMDEI SOMDEU COMEÇO MEIO FIM COMEÇO MEIO FIM IGREJA QUEIJO FUI URUBU SAÚDE BAÚ. ConclusãoEscrevopalavras comsomdeucomletrau,quandocomparamosatonicidade (baú / urubu) Escrevopalavrascom somdeu com letra oquandoofinal for fraco MENINO Ex;dee/i fraco: leite dentepente Forte:Uruguai papaiFunai 2-Passaramúsica- Quemsabe-sabe (pegueumapalavraedigaseestácerta ouerradaeporque ) 3- Gincanadaspalavras. –porquêviagem escrevecom geviajarescreve-secom j? 4-textoparacorreção:Transcriçãoda falaefinalcom som dei. ojabuti.
  • 33. 6 Por que viagem se escreve com g e viajar com j?
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37. * Portadores de textos * Leitura deleite (vocabulário, palavras desconhecidas) * Produção textual * Lá vai a minha barquinha... * Estrelas do ditado *Trânsito Ortográfico * Dicionários
  • 38. * CANTINHO DA ORTOGRAFIA * Ditado visual (palavras ou desenhos) * Auto ditado – Ditado Diferente * Ditado das Regularidades ortográficas *Caderno Viajante * Sequência Didática
  • 39. PARA VOCÊ REFLETIR 1º - JAMAIS devemos deixar a AFETIVIDADE. Pois se quisermos conseguir de nossos alunos o sucesso, precisamos falar-lhes ao coração.
  • 40.
  • 41. 3º- Vamos observar este exemplo que é o de um DITADO BADULAQUE ABROGAR ACTÍNEA CONTUPA (revogar) (anemôla planta do mar). (inventada.) CAMBAPÉ AGAVACEA ADMOLIR ALASTRIM (rasteira) (inventou (inventou) (varíola branda) ALCANDORAR ALBURNO ANCHORCADO ( EMPOLEIRAR) (CASCO DE ÁRVORE) INVENTOU.
  • 42.  Como você se sentiu?? Ansiosos... aflitos... com medo de errar.  Não estão entendendo o pronunciar das palavras por quem está ditando?  Pode Ter certeza que seus alunos também sentem a mesma coisa. CORREÇÃO DAS PALAVRAS. O Q QUE SIGNIFICAM?
  • 43. DITADO O objetivo do ditado é observar se a criança já domina o sistema de escrita. O foco se volta par sua capacidade de codificar palavras de grafia desconhecida. É importante observar que, mesmo que haja erros ortográficos como troca de letras, as hipóteses elaboradas pela criança para codificação de tais palavras estarão evidenciando princípios do sistema alfabético já apreendidos e generalizados. Para isso, é importante que o repertório de palavras desconhecidas envolva diferentes estruturas silábicas, canônicas e não canônicas, apesar de este tipo de ditado trazer uma certa angústia e conflito.
  • 44. Alguns pareceres dos professores a respeito da escrita e dos erros ortográficos, a necessidade ou não da cópia, as possíveis intervenções realizadas nas produções textuais dos alunos.
  • 45. O que é a escrita para você? A professora “A” e a professora “B” compartilham a mesma opinião, respectivamente: “É um meio de transmitir pensamentos”. “Registro do pensamento”. A professora “D”, diz que a escrita é “processo de decifração de código e decodificação”. Por fim, a professora “F” acredita que a escrita seja “transcrição da fala, uma maneira de comunicar-se, o registro da própria história”.
  • 46. • Como você trabalha a escrita com seus alunos em sala de aula? A professora “A” : “Através do alfabeto, usando o próprio nome, através de embalagens e propagandas, etc”. Continuando com a professora “B”: “De forma permanente, todos os dias as crianças escrevem, considero atividade de escrita uma que não seja cópia”. Dando sequência, a professora “D” diz: “Inicio com a escrita espontânea, para saber o nível de sua escrita depois trabalhamos sistematicamente com a reestruturação das produções para melhorar a escrita dos alunos”. Por fim, a professora “F” relata: “Através de estudos com textos e materiais lúdicos”.
  • 47. • A cópia contribui no processo do aprendizado da escrita? Por quê? As professoras “A”, “B” e “F” não acreditam que a cópia contribua no aprendizado da escrita Professora “A”: “Não, porque se a criança não sabe ler ela não vai entender o que está copiando”. Professora “B”: “Não, pois é uma atividade que não traz reflexão. A atividade de cópia é feita para aprendermos a copiar”. Professora “F” diz: “Não, porque é um ato mecânico e não favorece a construção do conhecimento”. Já a professora “D” comenta: “A cópia com objetivo de melhorar a escrita contribui para melhorar a ortografia somente”.
  • 48. • Para você é necessário trabalhar erros ortográficos no 1º ano do ensino professoras “A”, “B” e “D” acreditam que sim, conforme seguem as suas opiniões: Professora “A”: “Sim, porque a criança já começa assimilar os erros através da escrita”. Professora “B”: “Sim, no momento em que a criança torna-se alfabética já é capaz de entender que as palavras têm uma forma fixa de escrevê-la”. Professora “D”: “Sim, porque é através dos erros que lançamos estratégias para melhorar a aprendizagem de nossos alunos”. A professora “F” acredita que não é necessário trabalhar os erros ortográficos explicando: “Não, ensinar a ler e escrever já é o suficiente. Não podemos dificultar o processo de alfabetização tornando-o impossível ao aluno”.
  • 49. • Quais são as possíveis intervenções realizadas por você nas produções de textos dos seus alunos? A professora “A”: “Se a criança consegue produzir um texto, podemos corrigir quanto à escrita e coerência”. Professora “B”: “Revisão coletiva de textos produzidos pelos alunos, análise de textos bem escritos para que as crianças tenham noção de como, que estratégias usam os bons autores para superar os problemas de repetições, pontuação, etc”. Professora “D”: “Reestruturação de textos, para verificar junto com os alunos quais foram os erros cometidos. Auxílio da família para melhorar as suas realizações”. Professora “F”: “Reescrita e análise coletiva; se necessário, análise individual”.
  • 50. • Para você como se dá a construção da escrita em crianças do primeiro ano do ensino fundamental? Professora “B”: “Através da interação, reflexão. Refletindo sobre o que a escrita representa e como ela representa o som”. Professora “C”: “É um processo de construção conceitual, apoiado da reflexão sobre as características e o funcionamento da escrita: trata-se de compreender pouco a pouco as regularidades que caracterizam a escrita. (trabalhando com textos)”. Professora “E”: “Através do processo oral e visual. Trabalhando todos os conceitos; tais como: visual, oral, auditivo; lateralidade e etc...”