Minicurso de alfabetização s r e

1.012 visualizações

Publicada em

Oficina realizada na S R E Ituiutaba

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.012
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
642
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Minicurso de alfabetização s r e

  1. 1. 1º Encontro Pedagógico de Professores e Especialistas do 5º ano do E.F. 22/05/2014 Celia Martins Maria Lenice Eunice Mendes Análise de Produção Escrita e Intervenção Pedagógica S R E de Ituiutaba S M E C Capinópolis
  2. 2. TEMA: Análise de Produção Escrita e intervenção pedagógica
  3. 3. Fui alfabetizado no chão do quintal de minha casa, à sombra das mangueiras, com palavras do meu mundo e não do mundo maior dos meus pais. O chão foi o meu quadro negro; gravetos, o meu giz. PAULO FREIRE.
  4. 4. Nós, educadores estamos sendo desafiados a cada momento a mudar e a inovar com o intuito de atender às expectativas da atual sociedade. Mudar para adquirir novas técnicas metodológicas capazes de transformarem o espaço-escola do aprendiz em algo dinâmico, significativo e participativo, aproximando a teoria da prática com uma postura interdisciplinar, permitindo assim a criação de destrezas para com a vida.
  5. 5. 5. Para o construtivismo ◙ Não garantem que o aluno mesmo reproduzindo-as várias vezes a compreenda, ele apenas imita o modelo certo; ◙ É preciso mudar a atitude do Professor perante o erro do aluno, o erro na escola é visto como ausência de raciocínio, fracasso e falta de atenção, e a punição é o meio de consertar este erro, fazem com que o aluno copie a mesma palavra por diversas vezes como garantia de entenderem a forma correta de escrevê-la.
  6. 6. Tipo de ditado, no qual buscamos ensinar ortografia, refletindo sobre o que se está escrevendo.
  7. 7. Ditamos à turma um texto fazendo pausas diversas, nas quais convidamos os alunos a focalizar e discutir certas questões ortográficas previamente selecionadas ou levantadas durante a atividade. A opção por um texto já conhecido das crianças não é gratuita. Se o texto já foi lido e discutido, o grupo já estabeleceu com ele uma interação apropriada, tornando-o como unidade de sentido. A cada palavra tomada como objeto de discussão, examina-se por que ela constitui uma fonte de dificuldade.
  8. 8. Um encaminhamento semelhante ao ditado interativo é usado na releitura com focalização. Durante a releitura coletiva de um texto já conhecido, fazemos interrupções para debater certas palavras, lançando questões sobre sua grafia. Usar um texto desconhecido para desencadear a reflexão ortográfica seria distorcer a natureza e as finalidades do ato de ler um texto pela primeira vez.
  9. 9. Geralmente, quando reescrevemos um texto, nossa intenção é aprimorá-lo e, no que concerne à ortografia, corrigi-lo. Como o objetivo da reescrita é especificamente refletir sobre as propriedades de nossa norma ortográfica, também lançamos mão do recurso de pedir para às crianças que transgridam, reescrevendo “errado de propósito”. Assim como no caso das atividades anteriores, nossa intenção real é discutir com eles os acertos ou erros que produzem/descobrem. Para explorarmos ainda mais a situação podemos propor aos alunos que reescrevam a mesma história, mas, em lugar de escrever uma história, em quadrinhos, contarem o que tinha acontecido sem usar diálogos.
  10. 10. u
  11. 11. * Portadores de textos * Leitura deleite (vocabulário, palavras desconhecidas) * Produção textual * Lá vai a minha barquinha... * Estrelas do ditado *Trânsito Ortográfico * Dicionários
  12. 12. * CANTINHO DA ORTOGRAFIA * Ditado visual (palavras ou desenhos) * Auto ditado – Ditado Diferente * Ditado das Regularidades ortográficas *Caderno Viajante * Sequência Didática
  13. 13. PARA VOCÊ REFLETIR 1º - JAMAIS devemos deixar a AFETIVIDADE. Pois se quisermos conseguir de nossos alunos o sucesso, precisamos falar-lhes ao coração.
  14. 14. 3º- Vamos observar este exemplo que é o de um DITADO BADULAQUE AB-ROGAR ACTÍNEA CONTUPA Bagunça, adornos pelo corpo (revogar) (anêmona planta do mar). (inventada.) CAMBAPÉ AGAVACEA ADMOLIR ALASTRIM (rasteira) (inventou (inventou) (varíola branda) ALCANDORAR ALBURNO ANCHORCADO ( EMPOLEIRAR) (CASCO DE ÁRVORE) INVENTOU.
  15. 15. Entretanto, se o prefixo terminar em consoante, não se unem de jeito nenhum. Sub-reino ab-rogar sob-roda
  16. 16.  Como você se sentiu?? Ansiosos... aflitos... com medo de errar.  Não estão entendendo o pronunciar das palavras por quem está ditando?  Pode Ter certeza que seus alunos também sentem a mesma coisa. CORREÇÃO DAS PALAVRAS. O Q QUE SIGNIFICAM?
  17. 17. DITADO O objetivo do ditado é observar se a criança já domina o sistema de escrita. O foco se volta par sua capacidade de codificar palavras de grafia desconhecida. É importante observar que, mesmo que haja erros ortográficos como troca de letras, as hipóteses elaboradas pela criança para codificação de tais palavras estarão evidenciando princípios do sistema alfabético já apreendidos e generalizados. Para isso, é importante que o repertório de palavras desconhecidas envolva diferentes estruturas silábicas, canônicas e não canônicas, apesar de este tipo de ditado trazer uma certa angústia e conflito.
  18. 18. OBRIGADA A TODAS VOCÊS QUE NOS RECEBERAM COM TANTO CARINHO E ATENÇÃO! Que Deus continue dirigindo os seus passos nesta caminhada tão abençoada que é a missão de educar e que sempre possamos agradar ao Mestre dos Mestres – Jesus!

×