SlideShare uma empresa Scribd logo
Metodologias Ativas
Grasiela Dourado
.
.
Agenda
1- Análise de conjuntura
2- MAA
3- Reflexões...
1. Os estudantes são passivos
2. Queremos estudantes mais ativos
3. O que entendemos sobre ser “passivo” e
ser “ativo”
Há muitas pesquisas e
publicações sobre essa
temática.
No Google, em português:
mais de 40 mil resultados
para a expressão
“metodologias ativas de
aprendizagem”.
Em inglês, para a expressão
“active learning
methodologies”: mais de
230 mil resultados.
Uma ideia central das
metodologias ativas (em
inglês) é:
• No More Passive Students.
/Estudantes passivos, nunca
mais.
METODOLOGIAS ATIVAS DE APRENDIZAGEM: O QUE SÃO?
Como formar estudantes ativos?
O que ganharemos se nos dedicarmos a formar estudantes ativos? Há
riscos nisso? Podem ocorrer perdas?
Que tipos de dificuldades teremos que enfrentar para formar
estudantes ativos?
Os ganhos compensam o esforço para a mudança?
Quais novas funções o professor e a escola devem desempenhar na
formação de alunos ativos?
DILEMA
É PRECISO AVALIAR:
O grau de
compreensão das
metodologias ativas.
As metodologias
já adotadas são
ou se aproximam
de metodologias
ativas?
O grau de
aceitabilidade do
seu corpo
docente.
Metodologias Ativas
Aluno no
centro
Autonomia
Professor
mediador,
facilitador,
ativador
Problemat
ização da
realidade
Reflexão
Trabalho
em equipe
1. Demandam e estimulam a participação do aluno envolvendo-o em todas
as suas dimensões : sensório-motor, afetivo-emocional, mental-cognitiva.
2. Respeitam e estimulam a liberdade de escolha do aluno frente aos estudos
e atividades propostas, atendendo múltiplos interesses e objetivos.
3. Valorizam e adotam a contextualização do conhecimento, imprimindo um
sentido de realidade e utilidade nos estudos e atividades desenvolvidas.
4. Estimulam as atividades em grupos, possibilitando as contribuições
formativas do trabalho em equipe.
5. Promovem a utilização de múltiplos recursos culturais, científicos,
tecnológicos providenciados pelos próprios alunos no mundo em que
vivemos.
6. Promovem a competência de socialização do conhecimento e dos
resultados obtidos nas atividades desenvolvidas.
8
CARACTERÍSTICAS
metodologias ativas de ensino para formadores
metodologias ativas de ensino para formadores
o que
gostam de
estudar?
como
preferem
aprender?
o que os
faz
desistir?
em que
costumam
errar?
quais
emoções os
dominam?
quando
fracassam?
quais são
seus
sonhos ?
de que forma
persistir em
alcançá-los?
metodologias ativas de ensino para formadores
.
Quem sabe mais?
1.Decroly
2.Mo.
ntessori
3.Makarenko
4.Claparéde
5.Dewey
6.Kilpatrick
7.Freinet
...e outros mais recentes como:
8. Hernandez
9. Coll
Inteligências múltiplas (Howard Gardner)
Empreendedorismo
Conectivismo (Aprendizagem em Rede)
Indisciplinação do conhecimento ( interdisciplinaridade)
RELAÇÃO COLATERAL
1- Filosofia
(o que é o conhecimento, como se o adquire, que tipos de
conhecimentos existem, como se avalia um conhecimento?)
2- Os 6 processos cognitivos de Bloom
(retenção e transferência).
3 A teoria de aprendizagem de Ausubel
(aprendizagem mecânica e aprendizagem significativa).
4 A teoria do desenvolvimento de Piaget
(assimilação e acomodação).
CONCEPÇÃO DO CONHECIMENTO
Aprendizagem Baseada em Problemas
(ABProb)
Aprendizagem Baseada em Projetos
(ABProj)
Sequências Didáticas
Design Thinking
PROPÓSTAS PRÁTICAS:
Na ABProblemas, os temas tratados são geralmente
escolhidos pelo professor, que pode levar em conta
os objetivos e os conteúdos de sua disciplina ou
curso.
Na ABProjetos o aluno tem grande liberdade de
escolha do tema que estará contido em seu projeto,
o qual, muitas vezes, não se enquadra exatamente
nos conteúdos propostos para a disciplina.
17
1. início (entendimento inicial do problema proposto);
2. geração de ideias (listar soluções iniciais baseadas no que já se
sabe);
3. análise (decompor o problema e identificar partes);
4. elaboração de questões (para orientar a investigação);
5. definição de objetivos (o que se espera aprender com esse
trabalho);
6. estudo (individual e em grupo);
7. síntese e avaliação (estabelecer os resultados obtidos);
8. apresentação (mostra de processos e resultados e conclusões).
ETAPAS ABProb
Projetos de Aprendizagem do tipo Explicativo (ou didático):
O aluno identifica e se familiariza com conceitos e conhecimentos
científicos ali aplicados.
Projetos de aprendizagem do tipo construtivo:
Objetiva a construção de algo que pode ser um equipamento,
dispositivo ou um sistema.
Projetos de aprendizagem do tipo investigativo:
Objetiva vivenciar o processo da ciência. Requer um prazo mais longo
de execução e domínio dos processos de medidas, análise de dados e
uma orientação cuidadosa do professor, principalmente na fase de
formulação da questão de pesquisa científica.
ABProj - 3 TIPOS DE PROJETOS
• Grupos de trabalho com número reduzido de alunos (4 a 6 alunos)
• Definição de prazos para concretização do projeto (2 a 4 meses)
• Definição de temas via negociação entre alunos e professor
• Finalidade útil para os projetos para que os alunos percebam um
sentido real dos mesmos
• Uso de múltiplos recursos incluindo aqueles providenciados pelos
próprios alunos dentro ou fora do ambiente escolar
• Socialização dos resultados dos projetos em diversos níveis, como
a sala de aula, a escola e a comunidade.
RECOMENDAÇÕES
ESTRATÉGIAS
• Organizar espaços administrativo-acadêmicos para incentivar e
gerenciar o desenvolvimento de metodologias ativas, como núcleos e
grupos de estudo e pesquisa sobre concepção e formas de
implantação de metodologias ativas na escola.
• Criar condições para capacitação de recursos humanos que viabilizem
a implantação de metodologias ativas na escola.
• Criar espaços institucionais para promover e incentivar a realização e
apresentação pública de trabalhos.
CONTROVÉRSIAS
• As MAA não estão em grande escala.
• Os resultados compensam os esforços e os riscos enfrentados.
• A imposição de conteúdos disciplinares se opõe as MAA.
• Recomenda-se:
– “trabalhar com projetos/problemas” quem não pode
– “trabalhar por projetos/problemas”.
OBRIGADA
Grasiela Dourado
grasieladourado@gmail.com.br
Insta: igrasiela
Face: grasiela dourado ir marcella
71-9 8802-8056

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a metodologias ativas de ensino para formadores

Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
jmpg2011
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
jmpg2011
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
ticEDUCA2010
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Vera Zacharias
 
Tendêcias Pedagógicas para 2018
Tendêcias Pedagógicas para 2018Tendêcias Pedagógicas para 2018
Tendêcias Pedagógicas para 2018
Universidade Federal de Pernambuco
 
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na EducaçãoDefesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
Márcio Darlen Lopes Cavalcante
 
Estrategias de ensino
Estrategias de ensinoEstrategias de ensino
Estrategias de ensino
Rosângela Leão
 
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdfEO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
Natalia384006
 
Replanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodriguesReplanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodrigues
telasnorte1
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
Deia Araujo
 
Competências Digitais na Educação
Competências Digitais na EducaçãoCompetências Digitais na Educação
Competências Digitais na Educação
Luciano Sathler
 
Andragogia
AndragogiaAndragogia
Andragogia
Betânia Rocha
 
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
familiaestagio
 
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de focoEnsinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Francisco Restivo
 
Projeto o que é como se faz
Projeto o que é como se fazProjeto o que é como se faz
Projeto o que é como se faz
Teresa Kátia A. de Albuquerque
 
Projeto o que é como se faz
Projeto o que é como se fazProjeto o que é como se faz
Projeto o que é como se faz
Teresa Kátia A. de Albuquerque
 
UDL - principios orientadores
UDL - principios orientadoresUDL - principios orientadores
UDL - principios orientadores
Antónia Almeida ESanto
 
Apresentação metacognição proposta 2
Apresentação metacognição   proposta 2Apresentação metacognição   proposta 2
Apresentação metacognição proposta 2
ramalhorolim
 
Epistemologia da docência
Epistemologia da docênciaEpistemologia da docência
Epistemologia da docência
Andrezza Kênia Carvalho
 

Semelhante a metodologias ativas de ensino para formadores (20)

Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Ensino com pesquisa
 
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
399 - Aprendizagem de conceitos: uma estrategia de ensino com as tic
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
 
Tendêcias Pedagógicas para 2018
Tendêcias Pedagógicas para 2018Tendêcias Pedagógicas para 2018
Tendêcias Pedagógicas para 2018
 
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na EducaçãoDefesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
Defesa Mestrado em Educação - Gamificação na Educação
 
Estrategias de ensino
Estrategias de ensinoEstrategias de ensino
Estrategias de ensino
 
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdfEO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
 
Replanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodriguesReplanejamento ee milton silva rodrigues
Replanejamento ee milton silva rodrigues
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Competências Digitais na Educação
Competências Digitais na EducaçãoCompetências Digitais na Educação
Competências Digitais na Educação
 
Andragogia
AndragogiaAndragogia
Andragogia
 
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
 
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de focoEnsinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
 
Projeto o que é como se faz
Projeto o que é como se fazProjeto o que é como se faz
Projeto o que é como se faz
 
Projeto o que é como se faz
Projeto o que é como se fazProjeto o que é como se faz
Projeto o que é como se faz
 
UDL - principios orientadores
UDL - principios orientadoresUDL - principios orientadores
UDL - principios orientadores
 
Apresentação metacognição proposta 2
Apresentação metacognição   proposta 2Apresentação metacognição   proposta 2
Apresentação metacognição proposta 2
 
Epistemologia da docência
Epistemologia da docênciaEpistemologia da docência
Epistemologia da docência
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 

metodologias ativas de ensino para formadores

  • 2. . . Agenda 1- Análise de conjuntura 2- MAA 3- Reflexões...
  • 3. 1. Os estudantes são passivos 2. Queremos estudantes mais ativos 3. O que entendemos sobre ser “passivo” e ser “ativo”
  • 4. Há muitas pesquisas e publicações sobre essa temática. No Google, em português: mais de 40 mil resultados para a expressão “metodologias ativas de aprendizagem”. Em inglês, para a expressão “active learning methodologies”: mais de 230 mil resultados. Uma ideia central das metodologias ativas (em inglês) é: • No More Passive Students. /Estudantes passivos, nunca mais. METODOLOGIAS ATIVAS DE APRENDIZAGEM: O QUE SÃO?
  • 5. Como formar estudantes ativos? O que ganharemos se nos dedicarmos a formar estudantes ativos? Há riscos nisso? Podem ocorrer perdas? Que tipos de dificuldades teremos que enfrentar para formar estudantes ativos? Os ganhos compensam o esforço para a mudança? Quais novas funções o professor e a escola devem desempenhar na formação de alunos ativos? DILEMA
  • 6. É PRECISO AVALIAR: O grau de compreensão das metodologias ativas. As metodologias já adotadas são ou se aproximam de metodologias ativas? O grau de aceitabilidade do seu corpo docente.
  • 8. 1. Demandam e estimulam a participação do aluno envolvendo-o em todas as suas dimensões : sensório-motor, afetivo-emocional, mental-cognitiva. 2. Respeitam e estimulam a liberdade de escolha do aluno frente aos estudos e atividades propostas, atendendo múltiplos interesses e objetivos. 3. Valorizam e adotam a contextualização do conhecimento, imprimindo um sentido de realidade e utilidade nos estudos e atividades desenvolvidas. 4. Estimulam as atividades em grupos, possibilitando as contribuições formativas do trabalho em equipe. 5. Promovem a utilização de múltiplos recursos culturais, científicos, tecnológicos providenciados pelos próprios alunos no mundo em que vivemos. 6. Promovem a competência de socialização do conhecimento e dos resultados obtidos nas atividades desenvolvidas. 8 CARACTERÍSTICAS
  • 11. o que gostam de estudar? como preferem aprender? o que os faz desistir? em que costumam errar? quais emoções os dominam? quando fracassam? quais são seus sonhos ? de que forma persistir em alcançá-los?
  • 14. Inteligências múltiplas (Howard Gardner) Empreendedorismo Conectivismo (Aprendizagem em Rede) Indisciplinação do conhecimento ( interdisciplinaridade) RELAÇÃO COLATERAL
  • 15. 1- Filosofia (o que é o conhecimento, como se o adquire, que tipos de conhecimentos existem, como se avalia um conhecimento?) 2- Os 6 processos cognitivos de Bloom (retenção e transferência). 3 A teoria de aprendizagem de Ausubel (aprendizagem mecânica e aprendizagem significativa). 4 A teoria do desenvolvimento de Piaget (assimilação e acomodação). CONCEPÇÃO DO CONHECIMENTO
  • 16. Aprendizagem Baseada em Problemas (ABProb) Aprendizagem Baseada em Projetos (ABProj) Sequências Didáticas Design Thinking PROPÓSTAS PRÁTICAS:
  • 17. Na ABProblemas, os temas tratados são geralmente escolhidos pelo professor, que pode levar em conta os objetivos e os conteúdos de sua disciplina ou curso. Na ABProjetos o aluno tem grande liberdade de escolha do tema que estará contido em seu projeto, o qual, muitas vezes, não se enquadra exatamente nos conteúdos propostos para a disciplina. 17
  • 18. 1. início (entendimento inicial do problema proposto); 2. geração de ideias (listar soluções iniciais baseadas no que já se sabe); 3. análise (decompor o problema e identificar partes); 4. elaboração de questões (para orientar a investigação); 5. definição de objetivos (o que se espera aprender com esse trabalho); 6. estudo (individual e em grupo); 7. síntese e avaliação (estabelecer os resultados obtidos); 8. apresentação (mostra de processos e resultados e conclusões). ETAPAS ABProb
  • 19. Projetos de Aprendizagem do tipo Explicativo (ou didático): O aluno identifica e se familiariza com conceitos e conhecimentos científicos ali aplicados. Projetos de aprendizagem do tipo construtivo: Objetiva a construção de algo que pode ser um equipamento, dispositivo ou um sistema. Projetos de aprendizagem do tipo investigativo: Objetiva vivenciar o processo da ciência. Requer um prazo mais longo de execução e domínio dos processos de medidas, análise de dados e uma orientação cuidadosa do professor, principalmente na fase de formulação da questão de pesquisa científica. ABProj - 3 TIPOS DE PROJETOS
  • 20. • Grupos de trabalho com número reduzido de alunos (4 a 6 alunos) • Definição de prazos para concretização do projeto (2 a 4 meses) • Definição de temas via negociação entre alunos e professor • Finalidade útil para os projetos para que os alunos percebam um sentido real dos mesmos • Uso de múltiplos recursos incluindo aqueles providenciados pelos próprios alunos dentro ou fora do ambiente escolar • Socialização dos resultados dos projetos em diversos níveis, como a sala de aula, a escola e a comunidade. RECOMENDAÇÕES
  • 21. ESTRATÉGIAS • Organizar espaços administrativo-acadêmicos para incentivar e gerenciar o desenvolvimento de metodologias ativas, como núcleos e grupos de estudo e pesquisa sobre concepção e formas de implantação de metodologias ativas na escola. • Criar condições para capacitação de recursos humanos que viabilizem a implantação de metodologias ativas na escola. • Criar espaços institucionais para promover e incentivar a realização e apresentação pública de trabalhos.
  • 22. CONTROVÉRSIAS • As MAA não estão em grande escala. • Os resultados compensam os esforços e os riscos enfrentados. • A imposição de conteúdos disciplinares se opõe as MAA. • Recomenda-se: – “trabalhar com projetos/problemas” quem não pode – “trabalhar por projetos/problemas”.