SlideShare uma empresa Scribd logo
MANUELINO
Tatiana Barbosa
Introdução
◦ Com este trabalho que realizamos temos como
objetivo apresentar, essencialmente, um resumo
das principais informações da história do
"Manuelino", as suas características, as suas
construções e as suas origens.
Manuelino
◦ No século XV e XVI, à medida que em Itália os artistas
refaziam os modelos clássicos e afirmavam o
Renascimento enquanto que em Portugal, se mantinham
os modelos góticos. Na arquitetura, deram muito valor
aos elementos decorativos ligados á expansão, que
acabaram por gerar o estilo Manuelino.
◦ O Manuelino é um período português (o reinado de D.
Manuel I) que ficaria para sempre assinalado pela
descoberta do Brasil e da abertura da Rota do Cabo.
D. Manuel I
◦ Esta aptidão artística arquitetónica,
associou edifícios de estrutura
Gótica, elementos marítimos (redes,
esferas e cordas) e elementos
decorativos naturalistas (troncos,
folhas, algas, conchas, raízes). Os
arquitetos recorreram a símbolos
nacionais, como a fera amilar, a cruz
de Cristo e o escudo real, de forma a
destacar a grande aventura
das descobertas sobre o comando da
coroa portuguesa.
◦ Como centro artístico desse estilo
tipicamente português, temos a
cidade de Lisboa, de onde partiu
a viagem para a descoberta do
«Portugal Manuelino».
Características do Manuelino
◦ A característica predominante do estilo Manuelino é exuberância de formas e uma forte
interpretação naturalista-simbólica de temas originais, eruditos ou tradicionais. A janela tanto
em edifícios religiosos como seculares (muito antigos/igrejas/onde o clero esta), é um dos
elementos arquitetónicos onde melhor se pode observar. Estes motivos aparecem em
construções, pelourinhos, túmulos ou menos peças artísticas, como em ou ourivesaria, de que a
custódia, de Belém é um exemplo.
Construções do Manuelino
◦ Os primeiros exemplos de Igrejas Góticas portuguesas seguem os princípios técnicos e estéticos
do gótico europeu, mas apresentam as seguintes particularidades:
◦ São mais pequenas de dimensão e com pouca verticalidade;
◦ São simples nas estruturas em planta e volume;
◦ Têm pequenas e poucas aberturas;
◦ Mantêm os contrafortes românicos e as coberturas de
madeira, a par de abóbadas de pedra;
◦ Mostram uma decoração pobre, vegetalista, limitadas
aos capitéis nos interiores e, no exterior, aos portais;
Na arquitetura, as Igrejas apresentam:
◦ A mesma altura (as igrejas-salão) e sem transepto;
◦ plantas de 3 naves, ou plantas de nave única, com cabeceira quadrangular;
◦ Os arcos e as abóbadas são sempre variados.
Igreja da Abadia de Alcobaça
◦ A 1º construção Gótica em Portugal é a
Igreja da Abadia de Alcobaça (erguida em
1178 e 1252, por monges cistercienses,
vindos de França).
Igreja da Abadia de Alcobaça
Igreja de Cruz latina
◦ A Igreja de Cruz latina (a cruz que representa a Religião Cristã),
de 3 naves, quase a mesma altura, apresenta transepto saliente,
abside com deambulatório e cobertura com abóbada de arcos
Ogivais. A decoração vegetalista limita-se aos capiteis. O exterior
da Capela-Mor, coroada de ameias, apresenta os primeiros
arcobotantes construídos em Portugal.
Cruz Latina
Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa
◦ Estrutura do Pelourinho
◦ A estrutura do pelourinho é totalmente feita em granito:
o socalco é definido por quatro degraus. O fuste é
quadrangular decorado por colunelos cravados nos
ângulos, tendo metade da sua altura um cordame
volumoso; a coluna possui esferas, losangos, vieiras e
quadrifólios. O capitel tem folhas de acanto e vieiras; A sua
estrutura é de cariz arquitetural impressional, não menos
importante é a decoração volumosa e de talhe avultado.
Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa
Janelas Manuelinas (Palácio de Dom
Nuno de Sousa)
◦ Das 3 janelas a janela central é a mais elegante e ornamentada, devido a uma moldura
constituída por dois colunelos geminados em cada lado: o interior desenvolve-se para
formar uma dupla arcada que assenta no mainel e o exterior vai crescendo num
arco conupial e termina numa flor de Lis.
◦ As obreiras e o parapeito são profusamente decorados: as primeiras com temas
vegetalistas de inspiração gótica e as segundas apresentam-se como o elemento mais
moderno do conjunto, formado por uma placa de mármore aonde se desenvolve uma
teoria sobre fauna e flora fantásticas, de talhe elegante.
◦ As outras duas janelas enquadram-se numa mais simples, embora se mantenha o
lançamento de arcos geminados, cujo intradorso é decorado por pequenas rosetas.
Janelas Manuelinas
(Palácio de Dom Nuno de Sousa)
flor de Lis
Convento de Jesus de Setúbal
◦ Convento de Jesus de Setúbal (Igreja do antigo Mosteiro de
Jesus)
◦ Este convento é um dos primeiros exemplos e um dos
principais marcos do estilo manuelino em Portugal.
◦ Este convento foi fundado em 1490 pela ama do rei D.
Manuel I. O Rei D. João II mandou ampliar o projeto.
◦ A obra do convento foi concluída por volta de 1500. Esta
Igreja destaca-se por ter sido o primeiro ensaio em Portugal
de “igreja salão”, com belíssimas colunas torsas. O seu
interior possui arcos, janelas e colunas feitas em brecha da
Arrábida, que suportam a abóbada. O teto apresenta
nervuras espiraladas. A capela-mor é revestida
por azulejos de caixilho.
Convento de Jesus de Setúbal
Portal Manuelino da Capela de São
Miguel
◦ Esta capela é uma das mais belas deste estilo: de feitura
naturalista e de grande simbólica (Construído entre 1517 e
1522).
◦ Entre dois contrafortes, em forma de pilar torcido, está o
arco decorativo cujos aros se entrelaçam e terminam numa
cruz desenvolvida. Nos vãos ao centro está o Escudo Real,
ladeados pela Cruz de Cristo e pela Esfera Armilar. Por cima
estão três escudetes daqueles que demonstram os símbolos
da Paixão. Tem ainda outros símbolos como alcachofras
e cordas, também possui emblemas do ressurgimento de
um mundo perfeito a mando de Portugal e da Igreja
Católica.
Portal Manuelino da Capela de São Miguel
Palácio Dom Manuel
◦ Este palácio foi uma das
maiores obras arquitetónicas
do País e chegou a ser
considerado como um dos
edifícios mais notáveis do
reino (Foi construído por
volta do ano 1468) .
Palácio Dom Manuel

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
Vítor Santos
 
Cultura do salao
Cultura do salaoCultura do salao
Cultura do salao
Ana Barreiros
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
cindy1977
 
Reinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticasReinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticas
cattonia
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
kyzinha
 
A arte barroca em portugal
A arte barroca em portugalA arte barroca em portugal
A arte barroca em portugal
Pedro Silva
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
Ana Barreiros
 
A Arte Manuelina
A Arte ManuelinaA Arte Manuelina
A Arte Manuelina
bravobastos
 
Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em Portugal
Carlos Vieira
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
Ana Barreiros
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
Palácio de Versalhes
Palácio de VersalhesPalácio de Versalhes
Palácio de Versalhes
hcaslides
 
Luís XIV e o Absolutismo
Luís XIV e o AbsolutismoLuís XIV e o Absolutismo
Luís XIV e o Absolutismo
JoanaRitaSilva
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
Ana Barreiros
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Carlos Vieira
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
Jorge Almeida
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
cattonia
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
CatarinaTavares28
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Carlos Vieira
 

Mais procurados (20)

O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
Cultura do salao
Cultura do salaoCultura do salao
Cultura do salao
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Reinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticasReinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticas
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
A arte barroca em portugal
A arte barroca em portugalA arte barroca em portugal
A arte barroca em portugal
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
A Arte Manuelina
A Arte ManuelinaA Arte Manuelina
A Arte Manuelina
 
Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em Portugal
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
Palácio de Versalhes
Palácio de VersalhesPalácio de Versalhes
Palácio de Versalhes
 
Luís XIV e o Absolutismo
Luís XIV e o AbsolutismoLuís XIV e o Absolutismo
Luís XIV e o Absolutismo
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 

Semelhante a Manuelino

Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
10B
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
10B
 
Mosteirodos Jeronimos
Mosteirodos JeronimosMosteirodos Jeronimos
Mosteirodos Jeronimos
lanapaiva
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
cattonia
 
Portal sul dos jerónimos
Portal sul dos jerónimosPortal sul dos jerónimos
Portal sul dos jerónimos
Sara Oliveira
 
Palácio da Pena
Palácio da PenaPalácio da Pena
Palácio da Pena
hcaslides
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
cattonia
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
cattonia
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
Filipa Silva
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românica
becresforte
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
cattonia
 
Mosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos JerónimosMosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos Jerónimos
Umberto Pacheco
 
Arte gótica
Arte góticaArte gótica
Arte gótica
ArtesElisa
 
Arte gótica valencia e andre
Arte gótica valencia e andreArte gótica valencia e andre
Arte gótica valencia e andre
Biblioteca Casa
 
A arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelinoA arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelino
nanasimao
 
Convento de Mafra
Convento de MafraConvento de Mafra
Convento de Mafra
MariaOliveira551
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
carlosbidu
 
Pena
PenaPena
Pena
cattonia
 
Trabalho Individual
Trabalho IndividualTrabalho Individual
Trabalho Individual
angeldenis21
 
Sé Velha Telmo Novo
Sé Velha Telmo NovoSé Velha Telmo Novo
Sé Velha Telmo Novo
multicearte
 

Semelhante a Manuelino (20)

Arte romanica
Arte romanicaArte romanica
Arte romanica
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
 
Mosteirodos Jeronimos
Mosteirodos JeronimosMosteirodos Jeronimos
Mosteirodos Jeronimos
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
 
Portal sul dos jerónimos
Portal sul dos jerónimosPortal sul dos jerónimos
Portal sul dos jerónimos
 
Palácio da Pena
Palácio da PenaPalácio da Pena
Palácio da Pena
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românica
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
 
Mosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos JerónimosMosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos Jerónimos
 
Arte gótica
Arte góticaArte gótica
Arte gótica
 
Arte gótica valencia e andre
Arte gótica valencia e andreArte gótica valencia e andre
Arte gótica valencia e andre
 
A arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelinoA arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelino
 
Convento de Mafra
Convento de MafraConvento de Mafra
Convento de Mafra
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Pena
PenaPena
Pena
 
Trabalho Individual
Trabalho IndividualTrabalho Individual
Trabalho Individual
 
Sé Velha Telmo Novo
Sé Velha Telmo NovoSé Velha Telmo Novo
Sé Velha Telmo Novo
 

Último

UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 

Último (20)

UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 

Manuelino

  • 2. Introdução ◦ Com este trabalho que realizamos temos como objetivo apresentar, essencialmente, um resumo das principais informações da história do "Manuelino", as suas características, as suas construções e as suas origens.
  • 3. Manuelino ◦ No século XV e XVI, à medida que em Itália os artistas refaziam os modelos clássicos e afirmavam o Renascimento enquanto que em Portugal, se mantinham os modelos góticos. Na arquitetura, deram muito valor aos elementos decorativos ligados á expansão, que acabaram por gerar o estilo Manuelino. ◦ O Manuelino é um período português (o reinado de D. Manuel I) que ficaria para sempre assinalado pela descoberta do Brasil e da abertura da Rota do Cabo. D. Manuel I
  • 4. ◦ Esta aptidão artística arquitetónica, associou edifícios de estrutura Gótica, elementos marítimos (redes, esferas e cordas) e elementos decorativos naturalistas (troncos, folhas, algas, conchas, raízes). Os arquitetos recorreram a símbolos nacionais, como a fera amilar, a cruz de Cristo e o escudo real, de forma a destacar a grande aventura das descobertas sobre o comando da coroa portuguesa. ◦ Como centro artístico desse estilo tipicamente português, temos a cidade de Lisboa, de onde partiu a viagem para a descoberta do «Portugal Manuelino».
  • 5. Características do Manuelino ◦ A característica predominante do estilo Manuelino é exuberância de formas e uma forte interpretação naturalista-simbólica de temas originais, eruditos ou tradicionais. A janela tanto em edifícios religiosos como seculares (muito antigos/igrejas/onde o clero esta), é um dos elementos arquitetónicos onde melhor se pode observar. Estes motivos aparecem em construções, pelourinhos, túmulos ou menos peças artísticas, como em ou ourivesaria, de que a custódia, de Belém é um exemplo.
  • 6. Construções do Manuelino ◦ Os primeiros exemplos de Igrejas Góticas portuguesas seguem os princípios técnicos e estéticos do gótico europeu, mas apresentam as seguintes particularidades: ◦ São mais pequenas de dimensão e com pouca verticalidade; ◦ São simples nas estruturas em planta e volume; ◦ Têm pequenas e poucas aberturas; ◦ Mantêm os contrafortes românicos e as coberturas de madeira, a par de abóbadas de pedra; ◦ Mostram uma decoração pobre, vegetalista, limitadas aos capitéis nos interiores e, no exterior, aos portais;
  • 7. Na arquitetura, as Igrejas apresentam: ◦ A mesma altura (as igrejas-salão) e sem transepto; ◦ plantas de 3 naves, ou plantas de nave única, com cabeceira quadrangular; ◦ Os arcos e as abóbadas são sempre variados.
  • 8. Igreja da Abadia de Alcobaça ◦ A 1º construção Gótica em Portugal é a Igreja da Abadia de Alcobaça (erguida em 1178 e 1252, por monges cistercienses, vindos de França). Igreja da Abadia de Alcobaça
  • 9. Igreja de Cruz latina ◦ A Igreja de Cruz latina (a cruz que representa a Religião Cristã), de 3 naves, quase a mesma altura, apresenta transepto saliente, abside com deambulatório e cobertura com abóbada de arcos Ogivais. A decoração vegetalista limita-se aos capiteis. O exterior da Capela-Mor, coroada de ameias, apresenta os primeiros arcobotantes construídos em Portugal. Cruz Latina
  • 10. Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa ◦ Estrutura do Pelourinho ◦ A estrutura do pelourinho é totalmente feita em granito: o socalco é definido por quatro degraus. O fuste é quadrangular decorado por colunelos cravados nos ângulos, tendo metade da sua altura um cordame volumoso; a coluna possui esferas, losangos, vieiras e quadrifólios. O capitel tem folhas de acanto e vieiras; A sua estrutura é de cariz arquitetural impressional, não menos importante é a decoração volumosa e de talhe avultado. Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa
  • 11. Janelas Manuelinas (Palácio de Dom Nuno de Sousa) ◦ Das 3 janelas a janela central é a mais elegante e ornamentada, devido a uma moldura constituída por dois colunelos geminados em cada lado: o interior desenvolve-se para formar uma dupla arcada que assenta no mainel e o exterior vai crescendo num arco conupial e termina numa flor de Lis. ◦ As obreiras e o parapeito são profusamente decorados: as primeiras com temas vegetalistas de inspiração gótica e as segundas apresentam-se como o elemento mais moderno do conjunto, formado por uma placa de mármore aonde se desenvolve uma teoria sobre fauna e flora fantásticas, de talhe elegante. ◦ As outras duas janelas enquadram-se numa mais simples, embora se mantenha o lançamento de arcos geminados, cujo intradorso é decorado por pequenas rosetas.
  • 12. Janelas Manuelinas (Palácio de Dom Nuno de Sousa) flor de Lis
  • 13. Convento de Jesus de Setúbal ◦ Convento de Jesus de Setúbal (Igreja do antigo Mosteiro de Jesus) ◦ Este convento é um dos primeiros exemplos e um dos principais marcos do estilo manuelino em Portugal. ◦ Este convento foi fundado em 1490 pela ama do rei D. Manuel I. O Rei D. João II mandou ampliar o projeto. ◦ A obra do convento foi concluída por volta de 1500. Esta Igreja destaca-se por ter sido o primeiro ensaio em Portugal de “igreja salão”, com belíssimas colunas torsas. O seu interior possui arcos, janelas e colunas feitas em brecha da Arrábida, que suportam a abóbada. O teto apresenta nervuras espiraladas. A capela-mor é revestida por azulejos de caixilho. Convento de Jesus de Setúbal
  • 14. Portal Manuelino da Capela de São Miguel ◦ Esta capela é uma das mais belas deste estilo: de feitura naturalista e de grande simbólica (Construído entre 1517 e 1522). ◦ Entre dois contrafortes, em forma de pilar torcido, está o arco decorativo cujos aros se entrelaçam e terminam numa cruz desenvolvida. Nos vãos ao centro está o Escudo Real, ladeados pela Cruz de Cristo e pela Esfera Armilar. Por cima estão três escudetes daqueles que demonstram os símbolos da Paixão. Tem ainda outros símbolos como alcachofras e cordas, também possui emblemas do ressurgimento de um mundo perfeito a mando de Portugal e da Igreja Católica. Portal Manuelino da Capela de São Miguel
  • 15. Palácio Dom Manuel ◦ Este palácio foi uma das maiores obras arquitetónicas do País e chegou a ser considerado como um dos edifícios mais notáveis do reino (Foi construído por volta do ano 1468) . Palácio Dom Manuel