SlideShare uma empresa Scribd logo
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
1
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIRO
CFO
“Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem
do que se envergonhar, mas que maneja bem a palavra da verdade”
2Tim.2:15.
DUQUE DE CAXIAS,
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
2
2019
Q
Amado irmão em Cristo,
Antes de subir aos céus Jesus nos deu um comando (Mateus 28:18-20). Ele nos ordenou
a fazermos discípulos, introduzindo as pessoas no reino, também salientou a necessidade
de ensiná-los a guardar todas as coisas que Ele havia ordenado. Isto é o Caminho,
aprender e ensinar a viver conforme Jesus viveu.
Este material foi compilado para fundamentar seus primeiros passos em direção ao alvo
eclesiástico, uma ferramenta da igreja para formação de obreiros fiéis.
Todo material que está aqui é de suma importância para os que almejam ao ministério,
pois diz respeito às bases da nossa fé... NO QUE CREMOS!
Não nos preocupamos em aprofundar teologicamente os temas, a fim de deixar a
essência da Escritura bem clara e direta, para que todos possam compreender e guardar
estas palavras no coração. A Igreja não necessita de um ensino acadêmico
intelectualizado, necessita de prática cristã. (1Co1:18-31;2:1-16)
Deus nunca vai nos examinar com base em nosso conhecimento bíblico, Ele vai nos
perguntar como vivemos. A doutrina deve apontar sempre para a prática da vida dos
discípulos (Tt 2:1-15).
Que esta compilação o ajude a estar preparado para “toda” boa obra.
Deus o Abençoe, rica e poderosamente.
Na Paz de Jesus Cristo!
“Lembra-lhes que se sujeitem aos que governam, às autoridades; sejam obedientes, estejam prontos para toda
boa obra. Aconselhe que não falem mal de ninguém, mas que sejam calmos e pacíficos
e tratem todos com educação”.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
3
( Tito 3:1-2 )
SUMÁRIO
1-INTRODUÇÃO...............................................................................................................................4
2- A IGREJA - BREVE COMENTÁRIO.............................................................................................5
3- MINISTÉRIO DA IGREJA.............................................................................................................6
4- DEFINIÇÃO.................................................................................................................... ..............8
5- CARGOS MINISTERIAIS e suas atribuições.......................................................................... .....9
6-O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO ..................................................................15
7- O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES E ATIVIDADES MINISTERIAS ...................................17
8-CONDUTA,POSTURA E ETICA DOS OBREIROS.....................................................................18
9-SACRAMENTOS E ORDENANÇAS............................................................................................22
10-O OBREIRO COMO LÍDER.......................................................................................................24
11-OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL .......................................................................................25
12-PALAVRAS FINAIS AOS OBREIROS......................................................................................26
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
4
1 – INTRODUÇÃO
“Este ensinamento é verdadeiro: se alguém quer
muito ser LÍDER na Igreja, está desejando um
trabalho excelente”. (I Timóteo 3:1- NLH)
Esta apostila de conteúdo simplificado visa proporcionar a todos que almejam
ingressar na Assembleia de Deus Resgate de Vidas como líderes, informações básicas
que lhes possibilitem desempenhar atividades relacionadas ao Ministério de modo que
possam contribuir para o crescimento do Reino de Deus entre os homens, e para a
edificação da Igreja – o Corpo de Cristo (Ef 4.15,15).
Na raiz da palavra OBREIRO, está a designação máxima da vida Cristã, “OBRA” (do latin
opera = trabalho). No Dicionário Aurélio encontramos a tradução “Aquele que colabora
na realização de uma idéia, plano, campanha ou missão”.
Desde que Deus criou o homem, ele tem demonstrado a necessidade de Seu povo ser
conduzido por líderes (Gn 1.26-30). Apesar da fraqueza do homem e do fracasso de
alguns, a verdade bíblica sobre o propósito de Deus não pode ser anulada.
A Igreja vista como um organismo composto de membros com funções (dons) e
necessidades diversas, requer uma administração criativa que possibilite a expressão
destas funções, bem como a criação de mecanismos, onde cada necessidade daquele
corpo de crentes possa ser suprida. Com isto, almas perdidas terão uma oportunidade
válida de conhecer o plano de salvação.
A criação de departamentos e ou ministérios específicos na Igreja, voltadas para dar
oportunidade a cada cristão de exercer um tipo eficiente de trabalho conforme seus
talentos é uma forma dinâmica, bíblica e comprovada, de funcionamento da Igreja, que, de
fato, glorificam a Deus prioritariamente, e como consequência, suprem as necessidades
do corpo. Ao mesmo tempo criam um senso sadio de realização pessoal no serviço
sagrado, quanto à vocação de cada crente diante de Deus. Melhor de tudo, é que Deus é
grandemente glorificado através de um crescente número de almas salvas,
acompanhadas e edificadas num discipulado sério e constante.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
5
2 - A IGREJA
Sempre foi necessário ao ministério das igrejas evangélicas um curso preparatório
para os obreiros, tudo em virtude do crescimento ministerial que tem ocorrido nas igrejas e
da crescente onda de mundanismo que tenta invadir as congregações em nosso país e ao
redor do mundo.
Haja vista que a estrutura social da Igreja tem tomado muito mais forma do que a
espiritual. Aqueles que tem aceitado a Cristo hoje, já não se parecem nada com o cidadão
que o aceitava há vinte anos atrás, geralmente ele conhece as leis civis, os códigos de
conduta sociais e às vezes alguns aspectos da fé.
É comum atualmente ouvirmos termos como: ética, respeito, educação, postura,
etc, sendo exigido de nossos obreiros, por parte dos membros da igreja. Essa é uma
característica do tempo presente, o lado social vai crescendo enquanto o espiritual vai
ficando para o segundo plano, isso deve ser combatido, e só com obreiros preparados
isso será possível.
É fácil observar pessoas tristes e frustradas por não receberem uma oportunidade
ou não serem convidadas para esse ou aquele evento na igreja.
A ideia com esse estudo, é mostrar o que a Bíblia nos ensina, pois é possível ser social e
altamente espiritual At 6.5. Hoje o Obreiro deve aprender que “estar ligado” nem sempre é
estar em espírito, às vezes é “estar prestando atenção!”
Como Instituição Divina escondida em Deus e revelada através dos séculos em
Cristo Jesus, seu fundador e Senhor do qual ela depende diretamente, tem a nobre função
de propagar, guardar, viver e sofrer pelo Evangelho.
Como representante de Deus na Terra deve estar bem organizada para desempenhar sua
missão.
O seu governo está tecnicamente sustentando em duas plataformas que se
interagem, visando o seu bom funcionamento: o diaconato, que trata da parte assistencial
e o presbitério que a preside. (Atos 6. 1-6)
As pessoas são, primeiramente, levantadas pelo próprio Deus e reconhecidas pela Igreja,
ocupam os cargos respectivos, tendo início no diaconato e posteriormente, depois de
serem provados e aprovados, no presbitério.
Como sugere as escrituras em 1 Tm 3.13. “Porque os que servirem bem como diáconos,
adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.”
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
6
3-MINISTÉRIO DA IGREJA
(Ef.4.11) E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para
evangelistas, e outros para pastores e doutores,
12 Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do
corpo de Cristo;
13 Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a
homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
14 Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento
de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
15 Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça,
Cristo,
No início da igreja primitiva, a igreja estava vivendo uma fase de organização, se
estruturando, foi visto pelos apóstolos a necessidade de obreiros/ministros para o cuidado
da igreja que cresciam a cada dia.
Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda
restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei: (Tito 1: 5).
E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e
anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. (Atos 15: 4).
Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos,
para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. (Atos 20:
28)
Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não
soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe
ganância; (Tito 1: 7)
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio,
honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (I Timóteo 3: 2)
Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito
vinho, não cobiçosos de torpe ganância; (I Timóteo 3: 8)
Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita
confiança na fé que há em Cristo Jesus. (I Timóteo 3: 13) Observamos que nos dias
primitivo o termo: bispo, presbítero, ancião, eram os termos dado para o ministro que
exercia o pastorado da igreja local da época(pastor).
Com o avançar dos tempos as funções foram organizada, passando assim a ter uma
estrutura, organizacional que utilizamos nos dias atuais, Visando o melhor
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
7
desenvolvimento para a obra de DEUS.
I Pe.2.5 (Sacerdócio Santo)
5 Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo,
para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
I Pe.2.9 (Sacerdócio Real)
9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para
que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;
Ap.1.6; 5.10 (Reis e Sacerdotes para Deus)
6 E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o
sempre. Amém.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
8
4-DEFINIÇÕES
Damos aqui algumas definições para facilitar o estudo:
Obreiro
Em um sentido genérico, seria todo aquele que trabalha na Obra do senhor, mas o termo é
usado especificamente no meio evangélico para designar os que foram consagrados para
exercerem cargos ministeriais de qualquer natureza, seja pastor, presbítero, diácono ou
auxiliar de trabalho, seja homem ou mulher, todos são obreiros do Senhor, é muito comum
em algumas igrejas o uso do termo para designar apenas o auxiliar de trabalho ou
cooperador.
Pastor
É o anjo da Igreja, ou líder espiritual do rebanho, o que tem a função principal de
apascentar as ovelhas e recebe orientação do Senhor no desempenho dessa missão Ap
2.1. Tem a função também de administrador da Igreja de Cristo 1 Pe 5.1-3. Devido à
necessidade da obra de Deus e ao chamado, o pastor também recebe designações
especiais como Evangelista e Missionário.
APASCENTAR="Levar as ovelhas ao pasto/alimentar, cuidar delas e protegê-las (Ez 34.8;
Jo 21.15). V. PASTOR."
Evangelista
Evangelista, tem a função de coordenar os trabalhos de evangelismo na área de influencia
da igreja local, pode também ser enviado para abrir ou dirigir algum trabalho de oração ou
até mesmo alguma congregação.
Missionário
É o obreiro comissionado para uma obra de missão, dentro ou fora do país, para
evangelização e/ou abertura de congregações, é também atribuído às irmãs consagradas
para essa obra.
Presbítero
O nome vem do grego que significa “o mais idoso” era o ancião responsável pela
observância da justiça nas cidades gregas, em o Novo Testamento, equivale ao pastor e
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
9
ao bispo At 20.17,18, e por essa equivalência em muitas denominações atualmente o
presbítero se constitui em um auxiliar e substituto direto do pastor e exerce funções
administrativas e de ministro, responsável pelo ensino da Palavra, aconselhamento,
direção dos trabalhos da igreja e unção com o óleo, entre outras. No tempo apostólico o
presbítero era o dirigente das congregações Tt 1.5-7, atualmente vem antes do pastor na
hierarquia funcional, há quem critique as denominações evangélicas de tirarem o sentido
real e a importância da palavra ao criarem o cargo de pastor.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
10
5 - CARGOS MINISTERIAIS
Os cargos ministeriais são divididos da seguinte maneira:
DIACONIA: - Obreiro (a) Cooperador
- Diácono ou Diaconisa
PRESBITÉRIO:
- Presbítero
- Evangelista
- Pastor
- Missionário
DIACONIA
- Obreiro/auxiliar, Cooperador
O Auxiliar é uma função que precede ao Diácono, o termo é relativamente novo e não se
encontra na Bíblia, por conta disso, algumas denominações mais rígidas quanto à doutrina,
não o reconhecem como cargo ministerial. Embora não haja referência bíblica sobre o
cargo, ele pode ser inferido no contexto de 1 Tm 3.10. Baseado neste conceito, o cargo de
auxiliar foi criado com o objetivo de experimentar o obreiro para o diaconato, é como se o
obreiro ficasse em um período de observação, para ao ser aprovado como obreiro, fosse
então separado a Diácono. Ocorre frequentemente no meio “assembleano”, que alguns
auxiliares de trabalho se destaquem tanto, que a própria igreja local o considerem como
diácono antes mesmo da sua separação.
A princípio, todos os membros da Igreja de Cristo são ministros do Senhor Jesus,
entretanto a carreira ministerial, segundo o Estatuto da Igreja ADRV, tem início no cargo
de obreiro com base no livro de 1 Tm. 3.10 que diz: “E também estes sejam primeiro
provados, depois exercitem o diaconato, se forem irrepreensíveis”.
Características básicas para o obreiro - O obreiro será um auxiliar direto do Pastor
local, subordinado a um líder delegado por este último. Deverão primar pelo fiel
cumprimento das ordens emanadas pela liderança da Igreja, auxiliando, da melhor forma
possível o Pastor local na condução da obra de Deus. Os obreiros terão também, entre
outras atribuições que lhe forem delegadas, as seguintes missões.
O Obreiro e sua vida pessoal – é impossível que um obreiro seja verdadeiramente
espiritual em público e carnal na vida particular (Hb 4.13).
Quando casado
a) Ter um lar padrão – ITm 3.4,5
b) Criar os filhos à luz da Bíblia – Ef 6.6
c) Liderança e sujeição – Ef 5.22-30
Preparação de Obreiros
Quando solteiro
a) Cuidar das coisas do Senhor – ICo 7.32
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
11
b) Ser exemplo dos fiéis – ITm 4.12
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
12
c) Fugir da prostituição – IITm 2.22
Sua chamada: a preparação para o cargo de obreiro obedecerá aos seguintes
requisitos:
SUAS ATRIBUIÇÕES
Exercerá diversas funções na igreja, como serviços auxiliares de competência dos
diáconos, podendo, na falta destes, serem substituídos em suas funções.
Exercerão tarefas não tão especificas, ficando assim, à disposição do ministério quando
solicitados; auxiliando na segurança e recepção da Igreja. O obreiro pode ser solteiro.
Como exemplo: Crianças, pátio da igreja, estando atento a todo movimento estranho
dentro e fora da Igreja (como, por exemplo, a segurança dos veículos estacionados na
área externa, durante o culto). Cuidar dos utensílios, como microfones, instrumentos
musicais. Ser o primeiro a chegar para as preparações e o último a sair para ajudar a
desligar os aparelhos e fechar a casa do Senhor. É importante observar que o obreiro,
neste período, estará sendo observado pela igreja.
Chegar antes do início do culto para verificar as condições e toda a estrutura de
arrumação do templo (cadeiras, luzes, banheiros, ventiladores, som, arrumação do púlpito,
etc), tomando todas as providências, dentro de sua esfera de atribuições, para que o
trabalho seja iniciado no horário previsto;
Estar em condições de iniciar o culto, no impedimento do Pastor local, ou da pessoa por
este designada; além de realizar orações, ou trazer uma reflexão acerca da Palavra de
Deus, em ocasiões especiais; Receber, de maneira Cortez e alegre, todos os irmãos e
visitantes que adentrarem ao local do culto;
Impedir a entrada de animais, pessoas em visível estado de embriaguez, pessoas que
demonstrem a nítida intenção de desviar a atenção dos demais presentes, ou pessoas
que demonstrem explicitamente o desejo de atrapalhar o bom andamento do culto;
Coibir qualquer pessoa que venha causar transtorno na boa ordem do culto, procurando,
se for o caso, retirá-la da nave principal do templo, sempre da maneira mais polida e
discreta possível;
Coibir pessoas, que estejam sem motivo justificado, do lado de fora do templo durante os
cultos, de maneira cordial, porém, enérgica, principalmente quem se apresentar em
conduta que desabone o testemunho como cristão;
Nos momentos de oração, quer seja pelos que estão se convertendo, ou pelos membros
da Igreja, deverão dar a devida cobertura a quem está à frente do trabalho, impondo as
mãos sobre o público alvo e conduzindo-os para o local que lhes for determinado;
Deverão, quando do término da reunião, fiscalizar e auxiliar a devida arrumação do
templo, bem como a guarda de qualquer material que deva ser recolhido, acionando os
responsáveis para tal;
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
13
Auxiliar a administração da Igreja no sentido de que haja a maior economia possível
quando aos gastos com água, energia elétrica, telefone, bem como contribuir ativa e
passivamente com a segurança do templo;
Deve ser alguém com maturidade espiritual, pronto a respeitar e acatar ordens da
liderança superior.
Deve fazer bom uso da comunicação de informações;
Deve se limitar a decidir dentro do poder e área que lhe foram delegados, sem criar
conflitos com outros departamentos ou com os propósitos explícitos da igreja.
DIÁCONO
Não veio para ser servido (Mc.10.45) Mas para servir
O nome vem do grego e significa “servidor”, leia At 6.1-7. Entende-se nesta passagem que
o objetivo da instituição dos diáconos era basicamente para servir as mesas, mas devido
à ascensão social da Igreja as funções do diácono tiveram seu caráter modificado,
embora mantenha a mesma essência, agora o diácono é o principal responsável pelos
meios que fazem o culto funcionar, como água, som, limpeza da igreja, organização, e
anotações diversas entre outras. Diante do aqui exposto o diácono é o cargo ministerial
que melhor expressa a intenção do Senhor em Jo 13.12-15. O ideal é que todo obreiro
antes de alcançar qualquer função de maior responsabilidade ou relevância na Obra de
Deus, tenha passado pela escola do diaconato, assim como Moisés passou quarenta
anos no deserto aprendendo a servir em humildade para só depois então, ser enviado
pelo Senhor para libertar e conduzir o povo de Deus pelo deserto até a terra prometida Ex
3.2,10.- Servo - Qualificações (I Tim. 3.8-10, 12-13).
“Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito
Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.” Atos 6:3.
Sua chamada: atenderá aos mesmos requisitos para o cargo de obreiro, podendo ou não
ser casados, dando um bom testemunho do casamento.
DIACONISA
Alguns justificam a existência deste ofício com base em Rm. 16.1 e I Tim.3.11.
É o equivalente ao diácono e diz respeito às irmãs consagradas com as mesmas funções
dos diáconos, algumas denominações não adotam este cargo por não encontrarem
referência Bíblica dele, porém existem tarefas que são peculiares às irmãs, como
cozinhar, tomar conta de berçário entre outras. Várias mulheres na Palavra de Deus, foram
cooperadoras do Senhor Jesus no seu ministério terreno Mt 27.55,56.
SUAS ATRIBUIÇÕES
O diácono ou a diaconisa exercerá todas as funções dos obreiros, entretanto suas funções
serão avaliadas, pois estará em contato com as famílias através das visitas assistenciais,
dirigindo atenção especial quanto à necessidade de pessoas especiais como: idosos,
viúvas e órfãos.
Também será responsável pela preparação da mesa da Ceia, bem como ministrando as
necessidades das pessoas (membros e visitantes) não só em cultos específicos, mas em
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
14
todos, os dentro e fora do tempo. Estes atos terão efeito especial na vida do diácono, uma
vez que estará cuidando do rebanho de uma forma indireta, espiritual e materialmente.
Começando, com isso, a ter contato com os problemas vividos pelas ovelhas, recebendo
assim, um aprendizado de amor dentro da sua própria função. Daí o porquê de afirmar que
um bom diácono será um bom Presbítero e este por sua vez um bom Pastor.
Deve ser perseverante no exercício da oração, portanto, cheio do Espírito Santo. Tem
acesso ao altar se, contudo, deixar de atender suas atribuições primordiais. O conselho é
que venha ao altar quando for solicitado, pois suas funções não são, prioritariamente,
relativas ao altar. Cabe ainda ao Diácono, ficar atento às solicitações do dirigente do
culto, atender as necessidades das pessoas, acomodar os que chegam, recepcionar os
visitantes enviando seus nomes e cargos ao púlpito em bilhetes, ficar atento ao movimento
dentro da Igreja a fim de manter a ordem até mesmo evitar furtos por aqueles que vem
com essa finalidade, pois a Igreja recebe a todos. Fora do Templo, o Diácono poderá
estender seu ministério dando assistência domiciliar a pessoas idosas, sem condições de
efetuarem determinados serviços, desde que esteja na condição deste obreiro. Pode
também atuar como assistente social visitando os necessitados e colhendo recursos para
os assistirem. O Diácono é o obreiro de ligação entre as necessidades das pessoas, e o
governo da Igreja, sendo, portanto, os olhos do pastor.
PRESBITERO-Cargo Líder na Igreja, hoje normalmente atua como um coo pastor, e/ou
pastor auxiliar, dando apoio e auxiliando o pastor titular (pastor presidente). Tomando
conta de congregações, militando no ministério do ensino. etc.
BISPO - Cargo de Supervisionar. Nos dias atuais, o bispo assume uma função de muita
importância na obra de DEUS, ele não deixa de ser um pastor, mais lhe é agregada
maiores responsabilidade no Reino, passando agora a ter tanto o cuidado com o rebanho
de Deus, bem como o cuidado, com as lideranças sob sua supervisão, ou seja: ele tem a
responsabilidade tanto de cuidar das ovelhas quanto dos pastores e lideres sobre sua
responsabilidade. (Pastor de ovelhas e pastor de pastores)
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio,
honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 1 Timóteo 3:2
SUA CHAMADA: Que tenha passado pela escola da diaconia, servido ao Senhor e sua
Igreja, tendo sido notado por parte do Ministério e de toda Igreja sua vocação para o cargo
de Presbítero, sendo necessário que seja irrepreensível, ou seja, não havendo nada em
sua situação presente passível de repreensão. O segredo aqui é observar aqueles que no
transcorrer do diaconato se mostrem aptos, lembrando sempre que quem levanta é o
Senhor e a Igreja confirma e separa.
SUAS ATRIBUIÇÕES: O presbítero tem as mesmas atribuições do pastor, uma vez que
as Igrejas primitivas dão o mesmo sentido para Bispo e Ancião. Está ele apto para oficiar
as ordenanças da Igreja, como batismo, Santa ceia, apresentação de crianças,
casamento, unção com óleo aos enfermos, acompanhar a Igreja em trabalhos extra
templo, preservar a direção da Igreja, aconselhar o Pastor, substituí-lo em sua falta, auxilia-
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
15
lo na ministração esporádica aos membros, com hora marcada, para aconselhamento e
apoio, sempre com oração.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
16
EVANGELISTA
E no dia seguinte, partindo dali Paulo, e nós que com ele estávamos, chegamos a
Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com
ele. Atos 21:8
SUA CHAMADA: Os irmãos que recebem esse cargo passam pelo presbitério ou
recebem a unção do mesmo para exercerem o cargo, pois são também ministros.
Serão chamados aqueles que possuem o dom de evangelizar, serão os oficiais do
evangelismo, pois o próprio nome indica a função.
SUAS ATRIBUIÇÕES: ademais de sermos todos evangelistas, os chamados
Evangelistas são oficiais do evangelismo - obreiros que estarão à frente de todas as
atribuições evangelísticas extra templo, tais como: cultos evangelísticos, cruzadas
evangelísticas, campanhas evangelísticas, trabalhos que demandam para o evangelismo
em massa, atuando também nos hospitais, lares, praças, presídios, etc.
De maneira semelhante ao missionário, poderá ser levantando o Evangelista solteiro,
porém, somente aqueles que tenham esse dom. Será levantado exclusivamente para o
evangelismo, mas sem poder oficiar e presidir na Igreja.
PASTOR - Dom de cuidar e alimentar o rebanho (At.20.28)
Qualificações: (I Tim.3.1-6; Tt.1.7-9)
Ordenação (I Tim.4.14; Tt.1.5)
Cuidar ou supervisionar (I Tim.3.1), Presidir (I Tim.5.17),
Defender a Sã Doutrina (Tt.1.9)
Parece coincidir com a posição bíblica de bispo ou presbítero ou ambos. Isto dado
mediante a presbítero ou ancião, ter seu ofício de liderança conforme a tradição das
sinagogas judaicas. Com o passar do tempo o termo “bispo” passou a ser empregado
para o cargo de “supervisor” do ancião, o que se assemelha hoje com a responsabilidade
de supervisão espiritual da igreja a ele confiada por Cristo Jesus.
O termo grego poimên (pastor) é usado uma única vez no N.T. com referência direta ao
ministério do pastor (Ef.4.11).
Em Atos 20.17 Paulo convoca os presbíteros (presbutorous) da igreja em Éfeso. No
(v.28) Bispos (episkopous) e Pastores (poimainein).
Três áreas que os pastores devem se dedicar são:
1. Administração, Liderança e gestão (I Pe.5.1-4)
2. Cuidados Pastorais e psicologia (I Tim.3.5; Hb.13.17)
3. Instrução, oratória e ensino (I Tim.3.2; 5.17; Tt.1.9)
Nunca esquecer que o Supremo Pastor é Jesus Cristo ( I Pe.2.25; Mc.9.42-44;
Lc.22.27).
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
17
SUA CHAMADA: apegado a Palavra fiel que é segundo a doutrina, de modo que tenha
poder para exortar pelo ensino assim como para convencer os que contradizem. O
PASTOR deverá ser aquele que atenda os requisitos do diaconato e do presbitério e
ainda o dom de apascentar o rebanho. 1 Tm 4:14
SUAS ATRIBUIÇÕES: como a própria palavra sugere, o PASTOR tem em sua função
conduzir e proteger o rebanho;
Na área do ensino, deve ensinar a Palavra de Deus preservando a Sã Doutrina, cuidando
para que os jugos não venham a ser pesados. Ensinar o rebanho a discernir através da
palavra as heresias que insistentemente se apresentam às ovelhas.
Exortar e repreender com amor, longanimidade e doutrina usando de autoridade. Observe
que repreender no contexto acima significa impedir, só podendo repreender se tiver
autoridade, daí o porquê é dito em Tito 1.9 que tem de ter o poder para exortar. Ainda na
área do ensino, deverá estar sempre formando discípulos, pois o verdadeiro líder se
caracteriza principalmente, por formar outros lideres. Jesus fez assim.
Acerca dos dons espirituais, eles existem através do Espírito Santo para cooperarem com
a Igreja. Como Igreja Pentecostal não deve o PASTOR da mesma extinguir o Espírito (1 Ts
5.19), antes trabalhar para que toda Igreja tenha experiência com o Espírito Santo, através
dos dons. O PASTOR deve ter o dom do discernimento a fim de evitar extravagâncias,
sem, contudo, reprimir aqueles que estão buscando ao Senhor, sabendo que a
manifestação do Espírito edificará sua Igreja na comunhão com Ele, e produzirá um efeito
especial, com salvação de almas e regeneração de vidas.
Deve o Pastor lembrar-se que seu trabalho não se restringe ao altar, pois está a ele
atribuída a nobre função de ir atrás das ovelhas perdidas e feridas, a exemplo de Cristo
em Mateus 18.12. Sobretudo, deve o Pastor ser investido de um dom excelente e que
excede todos os outros dons, onde se encerra a obra de Deus, que é o dom do amor.
Esse dom nos capacita com imparcialidade, com desinteresse, com sinceridade no
cuidado e no trato com as almas. “O amor nunca falha”.
MISSIONARIO
“Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra
com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar
testemunho do evangelho da graça de Deus.” Atos 20:24
SUA CHAMADA: De maneira semelhante a do Evangelista, está esse cargo muito
relacionado ao dom. Depois de reconhecido pela Igreja será ordenado, obedecendo aos
parâmetros do presbitério. Da mesma forma que o Evangelista, poderá ser solteiro, sua
função será de acordo com o dom sem oficiar ou presidir a Igreja do nosso Senhor Jesus
Cristo.
SUAS ATRIBUIÇÕES: será convocado, separado e ordenado pela Igreja para missões,
como o nome propõe. Estará na maioria das vezes longe da família, de sua Igreja,
enfrentará perigos até a morte. Para uma missão mais distante é necessário que o
Missionário esteja com a família, pois fundará Igrejas, instituirão obreiros, exercerá neste
caso, função de pastor até que a Igreja envie ou forme Pastores do próprio rebanho. Daí o
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
18
porquê de preparo e dom. Quando não estiver distante, o Missionário ou a Missionária
estará atendendo missões locais como um Evangelista.
6- O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO
TIPOS DE CHAMADA – em todas as questões do ministério, a primeira de todas as
perguntas que se faz, é se o obreiro foi realmente chamado por Deus para o ministério.
Muitas pessoas têm experimentado o “caos espiritual” porque se fizeram simplesmente
“obreiros profissionais”.
CHAMADA UNIVERSAL – há um sentido em que todos os crentes são chamados para a
obra, e essa chamada se caracteriza pelo amor as almas e por um intenso espírito de
evangelização (Lc 19.10; Mc 15.16 e Rm 10.18).
CHAMADA ESPECÍFICA – certas pessoas, porém, são chamadas e escolhidas pelo
Senhor para servirem de modo definido e marcante. Comparando a Igreja do Senhor
como um grande exército, torna-se necessário uma variedade de ministérios, como:
pastores, evangelistas, missionários, diáconos, intercessores, mantenedores, professores,
porteiros, visitadores, líderes, e muitos outros, todos “obreiros” na obra de Deus. Cada
crente tem o seu trabalho que é “determinado pelo Senhor”, e é um privilégio receber a
tarefa específica dada pelo Senhor (Jo 15.16; Ef 4.15,16); Reconhecimento pelos outros-
colegas e líderes, etc.
VARIEDADES DE MINISTÉRIOS – assim como um corpo precisa de uma variedade de
membros para funcionar em harmonia, a Igreja do Senhor, como um corpo, mantêm o
mesmo princípio (Rm 10.15; 12.4-8; Ef 4.8,11; ITm 3 e Ex 31.6);
MINISTÉRIOS FALSOS – concluímos que existem pessoas que escolhem o ministério
como profissão (Lv 10.1-3), para adquirir prestígio (Nm 16.1-3), e pelo simples prazer de
querer ser. (IISm 18.22; Ez 3.3,6).
MODO DA CHAMADA – como pode alguém saber que está sendo chamado por Deus
para o ministério? Como evitar o erro de Aimaás “o corredor” (2Sam 18:19-33), Nadabe e
Abiu (Lev 10:1-2)? Como não se tornar um empecilho para os outros? A chamada divina
se caracteriza pelos seguintes aspectos:
1 - Conceito espiritual – ICo 2.14; Is 30.21
2 - Iniciativa divina – Jo 15.16; Is 19.19; Am 7.14,15
3 - Direção do Espírito Santo – At 16.6-10
4 - Aptidões naturais – eloqüência, desenvoltura, etc
5 - Sensibilidade espiritual – IICo 3.5.
QUALIFICAÇÕES PARA A CHAMADA
1 - Novo Nascimento – Jo 3.3; ICo 2.14-16
2 - Revestimento de poder – Lc 24.47-49
3 - Andar com Deus – At 3.12
4 - Educação – At 7.22
5 - A Escola da experiência – IICo 1.4,5
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
19
6 - Humildade – ICo 1.27-29
7 - Conhecimento bíblico – Mt 2.7
EXIGÊNCIAS PARA A CHAMADA
- Qualificações naturais:
a) Coragem – At 19.30
b) Diligência – Rm 12.8,11; ITm 1.15
c) Tato – IITm 4.1,2; ITm 5.1,2
d) Discrição – ITm 6.11
e) Cortesia – IPe 3.8
f) Asseio – Mt 5.37; Tg 5.12
g) Pontualidade – Mt 5.37
h) Responsabilidade – Jr 48.10
Qualificações espirituais:
a) Amor – Jo 15.12
b) Fé – Hb 11.6
c) Santidade – Is 52.11; Hb 12.14
d) Humildade – Mt 11.29
e) Paciência – Tg 5.7
f) Espírito perdoador – Lc 23.34
g) Distrações – IITm 2.4
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
20
7-O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES
Obreiros (IITm 2.15) - são servos escolhidos segundo os critérios da Palavra de Deus,
consagrados pelo Ministério da Igreja, mediante prévia aprovação do mesmo.
A exemplo dos líderes, conforme preconiza a Bíblia, devem se consagrar ao serviço dos
santos, sendo bons cooperadores na obra (ICo 16.15,16), suprindo as necessidades que
surgirem em qualquer área da Igreja que necessite da atuação dos mesmos (ICo 16.17).
Os obreiros serão submetidos a um período de experiência (I Tim 3:8-13), após o qual
poderão ser conduzidos, ou não, para exercer efetivamente o seu encargo ministerial.
1 - Moral - de boa conduta (At 6.3)
2 - Espiritual – cheio do Espírito Santo (At 6.3)
3 - Intelectual – cheios de sabedoria (At 6.3)
De acordo com as normas de ITm 3.8-13, o obreiro deve ser:
a) Conservador do mistério da fé;
b) Experimentado;
c) Governar bem a sua casa;
d) Irrepreensível;
e) Não cobiçoso de sórdida ganância;
f) Não maldizente;
g) Portador de uma consciência limpa;
h) Responsável;
i) Ser dizimista e ofertante;
j) Ser fiel em tudo;
k) Ser temperante;
l) Sincero (de uma só palavra)
O OBREIRO E AS ATIVIDADES MINISTERIAIS
1 - O Culto
A direção do culto (saudação inicial, leitura e oração);
A palavra sobre ofertório (grupos familiares e reuniões extras);
A Mensagem (salvação e edificação);
A confissão de fé (decisão);
Encerramento (oração final e bênção apostólica).
2 - A Santa Ceia
3 - O Batismo nas águas
4 - Outras cerimônias
Casamento
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
21
Apresentação de criança
Ato fúnebre
Visita a enfermos
8 - A CONDUTA DOS OBREIROS
OBREIROS E OBREIRAS.
Somos pessoas diferentes e andamos na contramão do mundo. Importa agradarmos a
Deus como sacrifício vivo, porém, devemos ser também pessoas sociáveis, amáveis,
dóceis, ternas, amigas do bem, encorajadoras para que o bom perfume de Cristo tome
conta de todos os lugares por onde andarmos. O mundo precisa saber que o crente é de
Deus.
Temos de pregar somente o que vivermos para que não sejamos pegos pelo laço do
acusador. Nunca devemos usar o púlpito para fazer ataques aos ouvintes e nem tão pouco
as Igrejas coirmãs. A Igreja é lugar de Paz e quando necessário o Pastor exorta e
admoesta com amor divino, pois, deve ser um lugar onde as pessoas descarreguem as
suas cargas e não um tribunal de acusações. Deve ser um hospital que trata todos os
enfermos de maneira igual.
Há dois aspectos importantes com relação ao trabalho dos obreiros que precisam ser
ressaltados, quais sejam, o compromisso e a reverencia.
Compromisso do Obreiro:
Dentre os compromissos dos obreiros, estão os seguintes:
1. O obreiro deve chegar com antecedência para os trabalhos, respeitando os horários;
2. Transmitir a palavra do Senhor de forma a manter a atenção dos ouvintes;
3. Evitar manter a Igreja de pé, sem necessidade;
4. Solicitar que a Igreja permaneça de pé quando se tratar de leitura oficial, como abertura
e mensagem, sendo que as demais leituras torna-se desnecessário ficar em pé;
5. Participar da Escola Bíblica Dominical/Estudo Bíblico: Lembre-se que somos exemplos
para os fiéis, como manda a palavra.
6. Ser dizimista e ofertante, estando assim, em dia com a palavra de Deus.
Reverência: É tolerável quando alguns atos de irreverência acontecem durante os cultos,
por serem involuntários, principalmente quando estes acontecem por parte dos membros.
Entretanto, nunca deve ocorrer com os obreiros, pois eles são o exemplo do rebanho.
Aqui vão algumas dicas de atitudes que não devem acontecer por parte dos obreiros
durante o culto:
1. Não é admissível ausentar-se do culto antes do seu término, exceto em casos
especiais;
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
22
2. Não é permitido o uso do celular;
3. Não transitar no recinto durante a leitura da palavra de Deus e mensagem;
4. Não fazer conversas paralelas desnecessárias;
5. Não se alimentar durante o culto ou mascar chicletes, balas e doces em geral e tomar
agua (faça antes ou depois do culto).
CONDUTA DO OBREIRO NAS ATIVIDADES DA IGREJA
É durante o culto e eventos, da igreja, que o obreiro mais tem contato com os
membros de uma forma geral, é nesse momento que ele é observado e julgado por suas
atitudes pela igreja, podemos minimizar ao máximo os danos causados pelo julgamento
precipitado, observando, além daquilo que a Bíblia coloca como requisitos para o
ministério e das tarefas específicas do obreiro, alguns procedimentos diante da igreja, que
passaremos a apresentar a seguir.
Tudo o que a Bíblia ensina como comportamento e ordenanças para o povo de Deus,
deve ser primeiramente evidenciados nos obreiros para que estes sirvam como exemplo
para todos os membros, assim o obreiro será também um agente motivador.
Obs: Todas as recomendações apresentadas aqui, devem ser seguidas por todos os
obreiros, seja homem ou mulher, basta que esteja a serviço do Senhor.
Aspectos Pessoais
a) Apresentação individual
Qualquer empresa ou instituição zela pela boa apresentação de seus funcionários, pois
isso por si só já se constitui em um cartão de visita, é correto afirmarmos que a roupa não
salva, mas também devemos observar na casa de Deus o que a Bíblia chama de “ordem e
decência,” até mesmo pela ênfase que Palavra de Deus dá ao assunto At 6.3. Detalhes
como roupa limpa e passada, barba bem feita, cabelo cortado, sapato engraxado e unhas
cortadas, podem fazer muita diferença diante de Deus e dos homens. Diante de Deus,
pela importância que demonstramos a tudo aquilo que se relaciona com nosso Deus e
diante dos homens pela ação motivadora e glorificação ao nome de Deus 2 Cr 9.3,4.
b) Gentileza
Há razões simples para sermos gentis no trato com todos, uma delas seria a própria fé
que pregamos, pois seria no mínimo incoerente falarmos que o fruto do espírito é amor,
benignidade, bondade, paz, etc, Gl 5.22, e assumirmos uma atitude hostil ou ranzinza para
com os irmãos. Existe principalmente a questão do exemplo, é fácil notar quando existe o
clima fraternal entre os irmãos, pelo sorriso espontâneo, pelo abraço, entre outros gestos,
e isso também pode ser percebido pelos de fora, a exemplo disso existem muitos irmãos
que ao procurarem uma igreja para congregarem, acabam preferindo aquela onde além
de serem, melhor recebidos, também observaram as atitudes uns para com os outros. As
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
23
pessoas estão procurando os lugares onde se prega e se vive a Palavra de Deus,
esperamos convencê-las que isso ocorre em nossas igrejas, porém sabemos que o
exemplo fala mais que as palavras 1 Jo 3.18, além do mais para aquele que é gentil o
Senhor está pronto para abrir as portas 1 Sm 16.18.
c) Educação
O obreiro deve observar regras simples de boa educação como aguardar sua vez de
falar, pedir licença ao sair e ao entrar, cumprimentar a todos quanto for possível, evitar
gritarias, respeitar a hierarquia funcional usando os pronomes de tratamento corretos (Sr
ou você), nisso estaremos todos em uma só ligação, além dessas regras existem outras, é
só ter um pouco de bom senso e seguir a Palavra de Deus, Mt 7.12.
A POSTURA DOS OBREIROS
1 - O obreiro
No exercício de seu ministério, o obreiro deve estar sempre de boa aparência.
A postura do obreiro no púlpito deve ser adequada, não devendo ficar de pernas
esticadas, como se fosse deitar. Não bocejar, não fazer uso do púlpito como apoio e
evitar os vícios de linguagem, principalmente às gírias.
2 - A Obreira
Igualmente ao irmão obreiro, a obreira também deve estar sempre com boa aparência,
com roupas discretas e com cabeços sempre bem cuidados e arrumados. Os cabelos são
como véu, por isso devem sempre estar limpos, bonitos, desembaraçados e com todo o
trato.
Para o comprimento dos cabelos, não existe um padrão a ser seguido, porém, em nossa
sociedade existe, entre todos os padrões existente, o que é considerado normal razoável,
sendo do bom costume cristão não acompanhar o modismo, que muitas vezes extrapola o
bom senso.
As roupas não devem ser muito decotadas, curtas e transparentes.
Devemos cuidar de nossa aparência de forma modesta, porém sem opressão.
O cristão deve ter a sã consciência de que sempre estaremos transmitindo uma
mensagem com roupa que usamos, devendo lembrar que o nosso corpo deve glorificar a
Deus que é Santo.
ÉTICA
Ética são códigos de conduta para o bom relacionamento entre as pessoas dentro
dos grupos, variam de grupo para grupo, existem ética empresarial, ética política, etc e
também existe a ética cristã. São códigos que se forem quebrados podem danificar os
relacionamentos, prejudicar a imagem da instituição e até trazer escândalos ao Corpo de
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
24
Cristo, convém estar atento a alguns procedimentos:
- Celulares, os obreiros devem colocar seus aparelhos para o modo silencioso ou
desligarem durante o culto;
- Evitar conversas a parte com irmãs casadas ou entre obreiros casados e irmãs solteiras,
a não ser quando for necessário e por breve período de tempo;
- Evitar beijos no rosto e abraços com as irmãs, que se conhece há pouco tempo ou novas
convertidas;
- Evitar ficar do lado de fora da igreja durante o culto;
- Evitar andar sem necessidade no meio da igreja durante o culto;
- Ser breve nas oportunidades, evitando principalmente histórias particulares e infindáveis;
- Nas oportunidades, nunca se referir ao problema particular de um irmão por mais que
seja do conhecimento de todos;
- Não chamar a atenção dos obreiros diante da igreja, deve-se falar em particular, na
presença de outro obreiro ou nas reuniões;
- Evitar o uso de apelidos;
- Respeitar a dor dos outros;
- Ao orar em grupo, deve ser feito com ordem e em comum acordo com os irmãos, para
evitar os falatórios sem objetivo;
- Evitar quaisquer atividades que tirem a ligação do culto, como trocar uma lâmpada,
arrastar uma mesa, afinar uma guitarra ou bateria, salvo o que for necessário, todo
preparo do culto deve ser feito antes;
Além dessas normas, poderíamos citar muitas outras, mas por hora essas parecem
ser as mais comuns.
O obreiro deve aprender que a ética a ser praticada entre os irmãos do Ministério e
destes para com os membros da igreja, é aquela que leva em consideração a pessoa do
próximo, seu nível social, seus costumes, seu patamar espiritual, etc. Diante disso
entendemos que alem da Ética Cristã, que é comum a todos os crentes, existem também
a ética social e a cultural que variam de indivíduo para indivíduo ou entre grupos, nem
sempre o que é certo pra mim, será para o meu irmão, um exemplo clássico disso é
aquele irmão que tem o costume de cumprimentar as irmãs com beijos no rosto ou às
vezes com abraços, esse costume geralmente vem do convívio familiar e não representa
nada para aqueles que o praticam, sendo apenas uma mera saudação, mas sabemos que
nem todos vêem com bons olhos esse hábito, sendo então recomendável que não se use
dessa prática no convívio entre os irmãos em Cristo quando se tratar de novos convertidos
ou irmãs, cujos maridos não são convertidos ainda. A manutenção da ética independe do
que eu penso ou considero, e sim, leva em conta a Palavra de Deus e o meu próximo.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
25
9-SACRAMENTOS E ORDENANÇAS
João Calvino escreveu que um sacramento é “um sinal externo pelo qual o Senhor sela em
nossas consciências as promessas de sua boa vontade para conosco, para sustentar a
fraqueza da nossa fé; e nós, consequentemente, atestamos nossa piedade para com ele
na presença do Senhor e dos seus anjos e diante dos homens”.
São sacramentos da igreja: Batismo e Santa Ceia, as demais celebrações figuram no
quadro de ordenanças.
SACRAMENTOS
a) Batismo
Após aceitar Jesus por meio de confissão pública e ter sido atestado a libertação de
vícios e regularizada a situação civil, deverão ser batizados por imersão em nome do Pai,
do Filho e do Espírito Santo.
É importante saber que o batismo não salva e não liberta ninguém, é apenas uma
profissão pública de fé testemunhando na Terra e no Céu o ingresso da pessoa na
comunhão da igreja do Senhor Jesus. Sempre se possível, o candidato deverá passar
pelo discipulado. Somente o oficial do presbitério estará apto à realização do batismo.
Esse é um ato importante à grande comissão, portanto toda a Igreja deve estar presente
se possível. Marcos 16.16. O batismo deve ser um dia especial na vida dos batizandos,
deve-se guardar essa data com carinho, fazer registros de imagens, enfim, tratar como se
tratamos os melhores momentos de nossas vidas.
Será expedido pela Igreja o certificado sendo entregues à noite, no culto da santa ceia
.
b) Santa Ceia
Sacramento em forma de culto. Um selo com o Senhor. É uma cerimônia também
estabelecida pelo nosso Senhor Jesus em memória de sua morte até que Ele venha. Deve
ser ministrada somente aos crentes, mesmo de outras denominações que estejam em
comunhão, pois fala da comunhão com Cristo.
Apesar de ser um culto restrito, deve ser presenciado pelos não crentes por ter um caráter
convidativo para que outros possam fazer parte dessa família. Os Diáconos, aqui, tem
função especial de preparar a mesa e todos os seus cuidados.
Depois de consagrados os elementos, pão e vinho, serão distribuídos pelos diáconos
como prescritos em 1 Co 11.23.
ORDENANÇAS
a) Apresentação de Crianças
A Igreja Cristã Pentecostal Brasileira não batiza crianças, pois, compreende que o
verdadeiro sentido do batismo contém arrependimento. Sendo assim, quando nascem,
são apresentadas a Deus e a Igreja, por sem heranças do Senhor.
A apresentação pode ser em culto normal com a seguinte sequência: convida-se os pais,
podendo se honrar também os avos, um dos oficiais de culto auxilia o Pastor, em seguida,
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
26
lê-se o texto correspondente em Lucas 2.25-33, ora-se a Deus, ungido a criança. Caso os
pais queiram pode-se registrar o momento com fotos ou filmagem.
Por esta ocasião será expedido um certificado de apresentação.
b) Casamento
O casamento obedecerá aos padrões bíblicos, por ser uma instituição de Deus que existe
para dar continuidade às famílias e para a boa formação da sociedade.
O ministro deve observar as seguintes condições: os nubentes deverão ser solteiros e
estarem de posse do registro civil de casamento para receberem as bênçãos da Igreja.
Os demais casos deverão ser avaliados pela junta ministerial formada pelos oficiais do
ministério.
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
27
10-O OBREIRO COMO LÍDER
- Princípios Específicos
Planejamento: trabalho
Organização: tempo e recursos
Integração: tarefas
Motivação: equipe de trabalho
Avaliação: resultados
Alvos: realistas para atingir objetivos
Características Básicas
Interesse pelos outros
Identificação com os outros
Perspectiva: visão dos problemas
Prioridades: a importância do trabalho
Propósitos: estabelecer alvos para sua liderança
Perfil Social
Integridade: caráter reto e princípios morais
Convicção: fundamentos da fé em Deus para realizar a sua obra
Lealdade: ao Senhor, superiores e liderados;
Estabilidade: confiabilidade e capacidade de domínio de circunstância
Discernimento: conhecimento dos fatos, consciência do que precisa ser feito,
e desenvolvimento de plano de ação
Tato: capacidade de lidar com outros sem ofender
Conhecimento: da tarefa, das nossas forças e dos nossos pontos fracos, procurando
sempre melhorar
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
28
11-OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL
Ética nas Relações Eclesiásticas
Em Relação à Igreja
a) manter-se leal ou solicitar desligamento caso haja discórdia (Rm 14.22);
b) jamais fazer críticas à mesma publicamente (ICo 6.1-9);
c) esforçar-se para promover o seu desenvolvimento (At 2.41-47);
d) conhecer a história sua história e seus objetivos principais
e) como membro do Corpo de Cristo, tratá-la com estima (Ef 5.23);
f) não se deixar levar por indivíduos ou facções (IPe 5.1-3);
g) reconhecer o momento certo de se afastar de sua função quando perceber
tal necessidade (II Tm 4.7);
h) não fazer qualquer manobra política interna (I Co 10.23,31);
i) acatar as deliberações da mesma (I Pe 5.2,3);
j) ser cuidadoso no relacionamento com pessoas do sexo oposto, revelando
pureza em seus gestos (Ec 9.8);
l) manter o respeito para com os membros da mesma (Tg 3.2,8).
5.1.3 - Em Relação à sua Função
a) ser fiel a Deus em tudo e em todo o seu trabalho (Ap 2.11);
b) nos eventos fora da Igreja, portar-se com discrição e absoluta dignidade
cristã (I Tm 5.1-15);
c) não comentar com familiares assuntos confidenciais cuja divulgação seja
pejorativa para a obra do Senhor (ITm 3.1-5);
d) zelar pelo decoro do púlpito e pelo seu próprio preparo (IITm 2.15);
e) acatar orientações e projetos prioritários da Igreja (Tg 4.6).
Ética nas Atividades Ministeriais
Em Relação aos Colegas
a) zelar pela reputação de seus colegas, não, permitindo comentários
desabonadores a seu respeito (Jo 15.17);
b) não suscitar dúvidas no coração de seus colegas (Ef 4.13);
c) cultivar junto aos colegas o hábito da franqueza, bondade, lealdade e da
cooperação (Rm 12.9,17)
d) não prestar falso testemunho contra o colega (Pv 6.19);
e) restituir, quando prejudicar o colega não somente os bens materiais, mas,
também, os morais e espirituais;
f) perdoar ao colega ofensor, mesmo que lhe seja de direito exigir justificação
daquele que o ofende (Mt 6.12).
ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS
29
12- PALAVRAS FINAIS AOS OBREIROS
Este trabalho, de maneira alguma encerra os direitos e os deveres de nossos obreiros e
obreiras, mas foi elaborado com carinho para facilitar o bom desenvolvimento do obreiro
fiel. Entretanto é com Jesus que aprendemos a conquistar o amor das pessoas decidindo
amá-la primeiramente, entendendo que a autoridade não se impõe, e, sim, se conquista. É
fundamental a sinceridade e a imparcialidade no trato com todos, pois o serviço cristão
cooperará em muito para que a igreja seja um lugar de refúgio, onde as pessoas, sem
distinção, possam ser bem recebidas e conduzidas à salvação.
“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do
Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” (1Cor. 15, 58)
Deus nos abençoe.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espíritoLição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Erberson Pinheiro
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
Simpósio de EBD
Simpósio de EBDSimpósio de EBD
Simpósio de EBD
Antonio Fernandes
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
Felicio Araujo
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
Vandeir Monteiro Mendes
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Moisés Sampaio
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
Carlos Cirleno Neves
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Adenísio dos Reis
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
guestc5d870
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Curso de evangelismo
Curso de evangelismoCurso de evangelismo
Curso de evangelismo
adnacoes
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
A família sob ataque
A família sob ataqueA família sob ataque
A família sob ataque
Moisés Sampaio
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Christian Lepelletier
 
Liderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentaçãoLiderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentação
Junior Cesar Santiago
 
Os benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casaOs benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casa
Joary Jossué Carlesso
 
O pecado de Davi
O pecado de DaviO pecado de Davi
O pecado de Davi
Paulo Roberto
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
Ismael Isidio
 

Mais procurados (20)

estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espíritoLição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
Simpósio de EBD
Simpósio de EBDSimpósio de EBD
Simpósio de EBD
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Culto e Liturgia
 
Curso de evangelismo
Curso de evangelismoCurso de evangelismo
Curso de evangelismo
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
A família sob ataque
A família sob ataqueA família sob ataque
A família sob ataque
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
Liderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentaçãoLiderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentação
 
Os benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casaOs benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casa
 
O pecado de Davi
O pecado de DaviO pecado de Davi
O pecado de Davi
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 

Semelhante a Manual do obreiro adrv 2019

58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc
Anapaula Ribeiro
 
Teologia pastoral
Teologia pastoralTeologia pastoral
Teologia pastoral
ibaderj
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Robson Rocha
 
Teologia pastoral ibaderj
Teologia pastoral ibaderjTeologia pastoral ibaderj
Teologia pastoral ibaderj
Dangelo Nascimento
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
EdinaldoVieiradeSous
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
boasnovassena
 
Doutrina Da Igreja Modulo 2
Doutrina Da Igreja Modulo 2Doutrina Da Igreja Modulo 2
Doutrina Da Igreja Modulo 2
fogotv
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
mgno42
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
MINISTERIO IPCA.
 
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de CristoDons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Viva a Igreja
 
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
ESCRIBAVALDEMIR
 
Administração eclesiástica
Administração eclesiásticaAdministração eclesiástica
Administração eclesiástica
Samuel Vieira
 
Manual do diacono
Manual do diaconoManual do diacono
Manual do diacono
diaconosdapituba
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
Welkencharlois
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
Carlos Alberto Alves Campos
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Apostila maf obreiros
Apostila maf obreirosApostila maf obreiros
Apostila maf obreiros
maftaguatinga
 
Manual do pastor
Manual do pastorManual do pastor
Manual do pastor
SERGIODEMELLOQUEIROZ
 
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
Carlos Alberto Monteiro
 
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazarenoExplorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Marcelo Petronilio
 

Semelhante a Manual do obreiro adrv 2019 (20)

58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc
 
Teologia pastoral
Teologia pastoralTeologia pastoral
Teologia pastoral
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
Teologia pastoral ibaderj
Teologia pastoral ibaderjTeologia pastoral ibaderj
Teologia pastoral ibaderj
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
 
Doutrina Da Igreja Modulo 2
Doutrina Da Igreja Modulo 2Doutrina Da Igreja Modulo 2
Doutrina Da Igreja Modulo 2
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
 
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de CristoDons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
 
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME I (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1936 ...
 
Administração eclesiástica
Administração eclesiásticaAdministração eclesiástica
Administração eclesiástica
 
Manual do diacono
Manual do diaconoManual do diacono
Manual do diacono
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
Apostila maf obreiros
Apostila maf obreirosApostila maf obreiros
Apostila maf obreiros
 
Manual do pastor
Manual do pastorManual do pastor
Manual do pastor
 
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
G12 Estudos e Reflexoes sobre o movimento.
 
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazarenoExplorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
 

Mais de Alice Costa

LIVRO PÓS-ROUND cm.docx
LIVRO PÓS-ROUND cm.docxLIVRO PÓS-ROUND cm.docx
LIVRO PÓS-ROUND cm.docx
Alice Costa
 
ESCALA DE SWIFT.pptx
ESCALA DE SWIFT.pptxESCALA DE SWIFT.pptx
ESCALA DE SWIFT.pptx
Alice Costa
 
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdfDOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
Alice Costa
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.ppt
Alice Costa
 
programas de saude.pptx
programas de saude.pptxprogramas de saude.pptx
programas de saude.pptx
Alice Costa
 
(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos
Alice Costa
 
Ambiencia
AmbienciaAmbiencia
Ambiencia
Alice Costa
 
Acolhimento classificaao risco_servico_urgencia
Acolhimento classificaao risco_servico_urgenciaAcolhimento classificaao risco_servico_urgencia
Acolhimento classificaao risco_servico_urgencia
Alice Costa
 
10 passos seguranca paciente
10 passos seguranca paciente10 passos seguranca paciente
10 passos seguranca paciente
Alice Costa
 
áCido peracético
áCido peracéticoáCido peracético
áCido peracético
Alice Costa
 

Mais de Alice Costa (10)

LIVRO PÓS-ROUND cm.docx
LIVRO PÓS-ROUND cm.docxLIVRO PÓS-ROUND cm.docx
LIVRO PÓS-ROUND cm.docx
 
ESCALA DE SWIFT.pptx
ESCALA DE SWIFT.pptxESCALA DE SWIFT.pptx
ESCALA DE SWIFT.pptx
 
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdfDOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
DOC 01 CHECK LIST. LINHA DE CUIDADOS PAC LESÃO DE PELE.pdf
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.ppt
 
programas de saude.pptx
programas de saude.pptxprogramas de saude.pptx
programas de saude.pptx
 
(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos
 
Ambiencia
AmbienciaAmbiencia
Ambiencia
 
Acolhimento classificaao risco_servico_urgencia
Acolhimento classificaao risco_servico_urgenciaAcolhimento classificaao risco_servico_urgencia
Acolhimento classificaao risco_servico_urgencia
 
10 passos seguranca paciente
10 passos seguranca paciente10 passos seguranca paciente
10 passos seguranca paciente
 
áCido peracético
áCido peracéticoáCido peracético
áCido peracético
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 

Último (18)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 

Manual do obreiro adrv 2019

  • 1. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 1 CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIRO CFO “Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, mas que maneja bem a palavra da verdade” 2Tim.2:15. DUQUE DE CAXIAS,
  • 2. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 2 2019 Q Amado irmão em Cristo, Antes de subir aos céus Jesus nos deu um comando (Mateus 28:18-20). Ele nos ordenou a fazermos discípulos, introduzindo as pessoas no reino, também salientou a necessidade de ensiná-los a guardar todas as coisas que Ele havia ordenado. Isto é o Caminho, aprender e ensinar a viver conforme Jesus viveu. Este material foi compilado para fundamentar seus primeiros passos em direção ao alvo eclesiástico, uma ferramenta da igreja para formação de obreiros fiéis. Todo material que está aqui é de suma importância para os que almejam ao ministério, pois diz respeito às bases da nossa fé... NO QUE CREMOS! Não nos preocupamos em aprofundar teologicamente os temas, a fim de deixar a essência da Escritura bem clara e direta, para que todos possam compreender e guardar estas palavras no coração. A Igreja não necessita de um ensino acadêmico intelectualizado, necessita de prática cristã. (1Co1:18-31;2:1-16) Deus nunca vai nos examinar com base em nosso conhecimento bíblico, Ele vai nos perguntar como vivemos. A doutrina deve apontar sempre para a prática da vida dos discípulos (Tt 2:1-15). Que esta compilação o ajude a estar preparado para “toda” boa obra. Deus o Abençoe, rica e poderosamente. Na Paz de Jesus Cristo! “Lembra-lhes que se sujeitem aos que governam, às autoridades; sejam obedientes, estejam prontos para toda boa obra. Aconselhe que não falem mal de ninguém, mas que sejam calmos e pacíficos e tratem todos com educação”.
  • 3. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 3 ( Tito 3:1-2 ) SUMÁRIO 1-INTRODUÇÃO...............................................................................................................................4 2- A IGREJA - BREVE COMENTÁRIO.............................................................................................5 3- MINISTÉRIO DA IGREJA.............................................................................................................6 4- DEFINIÇÃO.................................................................................................................... ..............8 5- CARGOS MINISTERIAIS e suas atribuições.......................................................................... .....9 6-O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO ..................................................................15 7- O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES E ATIVIDADES MINISTERIAS ...................................17 8-CONDUTA,POSTURA E ETICA DOS OBREIROS.....................................................................18 9-SACRAMENTOS E ORDENANÇAS............................................................................................22 10-O OBREIRO COMO LÍDER.......................................................................................................24 11-OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL .......................................................................................25 12-PALAVRAS FINAIS AOS OBREIROS......................................................................................26
  • 4. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 4 1 – INTRODUÇÃO “Este ensinamento é verdadeiro: se alguém quer muito ser LÍDER na Igreja, está desejando um trabalho excelente”. (I Timóteo 3:1- NLH) Esta apostila de conteúdo simplificado visa proporcionar a todos que almejam ingressar na Assembleia de Deus Resgate de Vidas como líderes, informações básicas que lhes possibilitem desempenhar atividades relacionadas ao Ministério de modo que possam contribuir para o crescimento do Reino de Deus entre os homens, e para a edificação da Igreja – o Corpo de Cristo (Ef 4.15,15). Na raiz da palavra OBREIRO, está a designação máxima da vida Cristã, “OBRA” (do latin opera = trabalho). No Dicionário Aurélio encontramos a tradução “Aquele que colabora na realização de uma idéia, plano, campanha ou missão”. Desde que Deus criou o homem, ele tem demonstrado a necessidade de Seu povo ser conduzido por líderes (Gn 1.26-30). Apesar da fraqueza do homem e do fracasso de alguns, a verdade bíblica sobre o propósito de Deus não pode ser anulada. A Igreja vista como um organismo composto de membros com funções (dons) e necessidades diversas, requer uma administração criativa que possibilite a expressão destas funções, bem como a criação de mecanismos, onde cada necessidade daquele corpo de crentes possa ser suprida. Com isto, almas perdidas terão uma oportunidade válida de conhecer o plano de salvação. A criação de departamentos e ou ministérios específicos na Igreja, voltadas para dar oportunidade a cada cristão de exercer um tipo eficiente de trabalho conforme seus talentos é uma forma dinâmica, bíblica e comprovada, de funcionamento da Igreja, que, de fato, glorificam a Deus prioritariamente, e como consequência, suprem as necessidades do corpo. Ao mesmo tempo criam um senso sadio de realização pessoal no serviço sagrado, quanto à vocação de cada crente diante de Deus. Melhor de tudo, é que Deus é grandemente glorificado através de um crescente número de almas salvas, acompanhadas e edificadas num discipulado sério e constante.
  • 5. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 5 2 - A IGREJA Sempre foi necessário ao ministério das igrejas evangélicas um curso preparatório para os obreiros, tudo em virtude do crescimento ministerial que tem ocorrido nas igrejas e da crescente onda de mundanismo que tenta invadir as congregações em nosso país e ao redor do mundo. Haja vista que a estrutura social da Igreja tem tomado muito mais forma do que a espiritual. Aqueles que tem aceitado a Cristo hoje, já não se parecem nada com o cidadão que o aceitava há vinte anos atrás, geralmente ele conhece as leis civis, os códigos de conduta sociais e às vezes alguns aspectos da fé. É comum atualmente ouvirmos termos como: ética, respeito, educação, postura, etc, sendo exigido de nossos obreiros, por parte dos membros da igreja. Essa é uma característica do tempo presente, o lado social vai crescendo enquanto o espiritual vai ficando para o segundo plano, isso deve ser combatido, e só com obreiros preparados isso será possível. É fácil observar pessoas tristes e frustradas por não receberem uma oportunidade ou não serem convidadas para esse ou aquele evento na igreja. A ideia com esse estudo, é mostrar o que a Bíblia nos ensina, pois é possível ser social e altamente espiritual At 6.5. Hoje o Obreiro deve aprender que “estar ligado” nem sempre é estar em espírito, às vezes é “estar prestando atenção!” Como Instituição Divina escondida em Deus e revelada através dos séculos em Cristo Jesus, seu fundador e Senhor do qual ela depende diretamente, tem a nobre função de propagar, guardar, viver e sofrer pelo Evangelho. Como representante de Deus na Terra deve estar bem organizada para desempenhar sua missão. O seu governo está tecnicamente sustentando em duas plataformas que se interagem, visando o seu bom funcionamento: o diaconato, que trata da parte assistencial e o presbitério que a preside. (Atos 6. 1-6) As pessoas são, primeiramente, levantadas pelo próprio Deus e reconhecidas pela Igreja, ocupam os cargos respectivos, tendo início no diaconato e posteriormente, depois de serem provados e aprovados, no presbitério. Como sugere as escrituras em 1 Tm 3.13. “Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.”
  • 6. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 6 3-MINISTÉRIO DA IGREJA (Ef.4.11) E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, 12 Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; 13 Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, 14 Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. 15 Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, No início da igreja primitiva, a igreja estava vivendo uma fase de organização, se estruturando, foi visto pelos apóstolos a necessidade de obreiros/ministros para o cuidado da igreja que cresciam a cada dia. Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei: (Tito 1: 5). E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. (Atos 15: 4). Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. (Atos 20: 28) Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância; (Tito 1: 7) Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (I Timóteo 3: 2) Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância; (I Timóteo 3: 8) Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus. (I Timóteo 3: 13) Observamos que nos dias primitivo o termo: bispo, presbítero, ancião, eram os termos dado para o ministro que exercia o pastorado da igreja local da época(pastor). Com o avançar dos tempos as funções foram organizada, passando assim a ter uma estrutura, organizacional que utilizamos nos dias atuais, Visando o melhor
  • 7. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 7 desenvolvimento para a obra de DEUS. I Pe.2.5 (Sacerdócio Santo) 5 Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. I Pe.2.9 (Sacerdócio Real) 9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Ap.1.6; 5.10 (Reis e Sacerdotes para Deus) 6 E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.
  • 8. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 8 4-DEFINIÇÕES Damos aqui algumas definições para facilitar o estudo: Obreiro Em um sentido genérico, seria todo aquele que trabalha na Obra do senhor, mas o termo é usado especificamente no meio evangélico para designar os que foram consagrados para exercerem cargos ministeriais de qualquer natureza, seja pastor, presbítero, diácono ou auxiliar de trabalho, seja homem ou mulher, todos são obreiros do Senhor, é muito comum em algumas igrejas o uso do termo para designar apenas o auxiliar de trabalho ou cooperador. Pastor É o anjo da Igreja, ou líder espiritual do rebanho, o que tem a função principal de apascentar as ovelhas e recebe orientação do Senhor no desempenho dessa missão Ap 2.1. Tem a função também de administrador da Igreja de Cristo 1 Pe 5.1-3. Devido à necessidade da obra de Deus e ao chamado, o pastor também recebe designações especiais como Evangelista e Missionário. APASCENTAR="Levar as ovelhas ao pasto/alimentar, cuidar delas e protegê-las (Ez 34.8; Jo 21.15). V. PASTOR." Evangelista Evangelista, tem a função de coordenar os trabalhos de evangelismo na área de influencia da igreja local, pode também ser enviado para abrir ou dirigir algum trabalho de oração ou até mesmo alguma congregação. Missionário É o obreiro comissionado para uma obra de missão, dentro ou fora do país, para evangelização e/ou abertura de congregações, é também atribuído às irmãs consagradas para essa obra. Presbítero O nome vem do grego que significa “o mais idoso” era o ancião responsável pela observância da justiça nas cidades gregas, em o Novo Testamento, equivale ao pastor e
  • 9. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 9 ao bispo At 20.17,18, e por essa equivalência em muitas denominações atualmente o presbítero se constitui em um auxiliar e substituto direto do pastor e exerce funções administrativas e de ministro, responsável pelo ensino da Palavra, aconselhamento, direção dos trabalhos da igreja e unção com o óleo, entre outras. No tempo apostólico o presbítero era o dirigente das congregações Tt 1.5-7, atualmente vem antes do pastor na hierarquia funcional, há quem critique as denominações evangélicas de tirarem o sentido real e a importância da palavra ao criarem o cargo de pastor.
  • 10. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 10 5 - CARGOS MINISTERIAIS Os cargos ministeriais são divididos da seguinte maneira: DIACONIA: - Obreiro (a) Cooperador - Diácono ou Diaconisa PRESBITÉRIO: - Presbítero - Evangelista - Pastor - Missionário DIACONIA - Obreiro/auxiliar, Cooperador O Auxiliar é uma função que precede ao Diácono, o termo é relativamente novo e não se encontra na Bíblia, por conta disso, algumas denominações mais rígidas quanto à doutrina, não o reconhecem como cargo ministerial. Embora não haja referência bíblica sobre o cargo, ele pode ser inferido no contexto de 1 Tm 3.10. Baseado neste conceito, o cargo de auxiliar foi criado com o objetivo de experimentar o obreiro para o diaconato, é como se o obreiro ficasse em um período de observação, para ao ser aprovado como obreiro, fosse então separado a Diácono. Ocorre frequentemente no meio “assembleano”, que alguns auxiliares de trabalho se destaquem tanto, que a própria igreja local o considerem como diácono antes mesmo da sua separação. A princípio, todos os membros da Igreja de Cristo são ministros do Senhor Jesus, entretanto a carreira ministerial, segundo o Estatuto da Igreja ADRV, tem início no cargo de obreiro com base no livro de 1 Tm. 3.10 que diz: “E também estes sejam primeiro provados, depois exercitem o diaconato, se forem irrepreensíveis”. Características básicas para o obreiro - O obreiro será um auxiliar direto do Pastor local, subordinado a um líder delegado por este último. Deverão primar pelo fiel cumprimento das ordens emanadas pela liderança da Igreja, auxiliando, da melhor forma possível o Pastor local na condução da obra de Deus. Os obreiros terão também, entre outras atribuições que lhe forem delegadas, as seguintes missões. O Obreiro e sua vida pessoal – é impossível que um obreiro seja verdadeiramente espiritual em público e carnal na vida particular (Hb 4.13). Quando casado a) Ter um lar padrão – ITm 3.4,5 b) Criar os filhos à luz da Bíblia – Ef 6.6 c) Liderança e sujeição – Ef 5.22-30 Preparação de Obreiros Quando solteiro a) Cuidar das coisas do Senhor – ICo 7.32
  • 11. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 11 b) Ser exemplo dos fiéis – ITm 4.12
  • 12. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 12 c) Fugir da prostituição – IITm 2.22 Sua chamada: a preparação para o cargo de obreiro obedecerá aos seguintes requisitos: SUAS ATRIBUIÇÕES Exercerá diversas funções na igreja, como serviços auxiliares de competência dos diáconos, podendo, na falta destes, serem substituídos em suas funções. Exercerão tarefas não tão especificas, ficando assim, à disposição do ministério quando solicitados; auxiliando na segurança e recepção da Igreja. O obreiro pode ser solteiro. Como exemplo: Crianças, pátio da igreja, estando atento a todo movimento estranho dentro e fora da Igreja (como, por exemplo, a segurança dos veículos estacionados na área externa, durante o culto). Cuidar dos utensílios, como microfones, instrumentos musicais. Ser o primeiro a chegar para as preparações e o último a sair para ajudar a desligar os aparelhos e fechar a casa do Senhor. É importante observar que o obreiro, neste período, estará sendo observado pela igreja. Chegar antes do início do culto para verificar as condições e toda a estrutura de arrumação do templo (cadeiras, luzes, banheiros, ventiladores, som, arrumação do púlpito, etc), tomando todas as providências, dentro de sua esfera de atribuições, para que o trabalho seja iniciado no horário previsto; Estar em condições de iniciar o culto, no impedimento do Pastor local, ou da pessoa por este designada; além de realizar orações, ou trazer uma reflexão acerca da Palavra de Deus, em ocasiões especiais; Receber, de maneira Cortez e alegre, todos os irmãos e visitantes que adentrarem ao local do culto; Impedir a entrada de animais, pessoas em visível estado de embriaguez, pessoas que demonstrem a nítida intenção de desviar a atenção dos demais presentes, ou pessoas que demonstrem explicitamente o desejo de atrapalhar o bom andamento do culto; Coibir qualquer pessoa que venha causar transtorno na boa ordem do culto, procurando, se for o caso, retirá-la da nave principal do templo, sempre da maneira mais polida e discreta possível; Coibir pessoas, que estejam sem motivo justificado, do lado de fora do templo durante os cultos, de maneira cordial, porém, enérgica, principalmente quem se apresentar em conduta que desabone o testemunho como cristão; Nos momentos de oração, quer seja pelos que estão se convertendo, ou pelos membros da Igreja, deverão dar a devida cobertura a quem está à frente do trabalho, impondo as mãos sobre o público alvo e conduzindo-os para o local que lhes for determinado; Deverão, quando do término da reunião, fiscalizar e auxiliar a devida arrumação do templo, bem como a guarda de qualquer material que deva ser recolhido, acionando os responsáveis para tal;
  • 13. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 13 Auxiliar a administração da Igreja no sentido de que haja a maior economia possível quando aos gastos com água, energia elétrica, telefone, bem como contribuir ativa e passivamente com a segurança do templo; Deve ser alguém com maturidade espiritual, pronto a respeitar e acatar ordens da liderança superior. Deve fazer bom uso da comunicação de informações; Deve se limitar a decidir dentro do poder e área que lhe foram delegados, sem criar conflitos com outros departamentos ou com os propósitos explícitos da igreja. DIÁCONO Não veio para ser servido (Mc.10.45) Mas para servir O nome vem do grego e significa “servidor”, leia At 6.1-7. Entende-se nesta passagem que o objetivo da instituição dos diáconos era basicamente para servir as mesas, mas devido à ascensão social da Igreja as funções do diácono tiveram seu caráter modificado, embora mantenha a mesma essência, agora o diácono é o principal responsável pelos meios que fazem o culto funcionar, como água, som, limpeza da igreja, organização, e anotações diversas entre outras. Diante do aqui exposto o diácono é o cargo ministerial que melhor expressa a intenção do Senhor em Jo 13.12-15. O ideal é que todo obreiro antes de alcançar qualquer função de maior responsabilidade ou relevância na Obra de Deus, tenha passado pela escola do diaconato, assim como Moisés passou quarenta anos no deserto aprendendo a servir em humildade para só depois então, ser enviado pelo Senhor para libertar e conduzir o povo de Deus pelo deserto até a terra prometida Ex 3.2,10.- Servo - Qualificações (I Tim. 3.8-10, 12-13). “Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.” Atos 6:3. Sua chamada: atenderá aos mesmos requisitos para o cargo de obreiro, podendo ou não ser casados, dando um bom testemunho do casamento. DIACONISA Alguns justificam a existência deste ofício com base em Rm. 16.1 e I Tim.3.11. É o equivalente ao diácono e diz respeito às irmãs consagradas com as mesmas funções dos diáconos, algumas denominações não adotam este cargo por não encontrarem referência Bíblica dele, porém existem tarefas que são peculiares às irmãs, como cozinhar, tomar conta de berçário entre outras. Várias mulheres na Palavra de Deus, foram cooperadoras do Senhor Jesus no seu ministério terreno Mt 27.55,56. SUAS ATRIBUIÇÕES O diácono ou a diaconisa exercerá todas as funções dos obreiros, entretanto suas funções serão avaliadas, pois estará em contato com as famílias através das visitas assistenciais, dirigindo atenção especial quanto à necessidade de pessoas especiais como: idosos, viúvas e órfãos. Também será responsável pela preparação da mesa da Ceia, bem como ministrando as necessidades das pessoas (membros e visitantes) não só em cultos específicos, mas em
  • 14. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 14 todos, os dentro e fora do tempo. Estes atos terão efeito especial na vida do diácono, uma vez que estará cuidando do rebanho de uma forma indireta, espiritual e materialmente. Começando, com isso, a ter contato com os problemas vividos pelas ovelhas, recebendo assim, um aprendizado de amor dentro da sua própria função. Daí o porquê de afirmar que um bom diácono será um bom Presbítero e este por sua vez um bom Pastor. Deve ser perseverante no exercício da oração, portanto, cheio do Espírito Santo. Tem acesso ao altar se, contudo, deixar de atender suas atribuições primordiais. O conselho é que venha ao altar quando for solicitado, pois suas funções não são, prioritariamente, relativas ao altar. Cabe ainda ao Diácono, ficar atento às solicitações do dirigente do culto, atender as necessidades das pessoas, acomodar os que chegam, recepcionar os visitantes enviando seus nomes e cargos ao púlpito em bilhetes, ficar atento ao movimento dentro da Igreja a fim de manter a ordem até mesmo evitar furtos por aqueles que vem com essa finalidade, pois a Igreja recebe a todos. Fora do Templo, o Diácono poderá estender seu ministério dando assistência domiciliar a pessoas idosas, sem condições de efetuarem determinados serviços, desde que esteja na condição deste obreiro. Pode também atuar como assistente social visitando os necessitados e colhendo recursos para os assistirem. O Diácono é o obreiro de ligação entre as necessidades das pessoas, e o governo da Igreja, sendo, portanto, os olhos do pastor. PRESBITERO-Cargo Líder na Igreja, hoje normalmente atua como um coo pastor, e/ou pastor auxiliar, dando apoio e auxiliando o pastor titular (pastor presidente). Tomando conta de congregações, militando no ministério do ensino. etc. BISPO - Cargo de Supervisionar. Nos dias atuais, o bispo assume uma função de muita importância na obra de DEUS, ele não deixa de ser um pastor, mais lhe é agregada maiores responsabilidade no Reino, passando agora a ter tanto o cuidado com o rebanho de Deus, bem como o cuidado, com as lideranças sob sua supervisão, ou seja: ele tem a responsabilidade tanto de cuidar das ovelhas quanto dos pastores e lideres sobre sua responsabilidade. (Pastor de ovelhas e pastor de pastores) Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 1 Timóteo 3:2 SUA CHAMADA: Que tenha passado pela escola da diaconia, servido ao Senhor e sua Igreja, tendo sido notado por parte do Ministério e de toda Igreja sua vocação para o cargo de Presbítero, sendo necessário que seja irrepreensível, ou seja, não havendo nada em sua situação presente passível de repreensão. O segredo aqui é observar aqueles que no transcorrer do diaconato se mostrem aptos, lembrando sempre que quem levanta é o Senhor e a Igreja confirma e separa. SUAS ATRIBUIÇÕES: O presbítero tem as mesmas atribuições do pastor, uma vez que as Igrejas primitivas dão o mesmo sentido para Bispo e Ancião. Está ele apto para oficiar as ordenanças da Igreja, como batismo, Santa ceia, apresentação de crianças, casamento, unção com óleo aos enfermos, acompanhar a Igreja em trabalhos extra templo, preservar a direção da Igreja, aconselhar o Pastor, substituí-lo em sua falta, auxilia-
  • 15. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 15 lo na ministração esporádica aos membros, com hora marcada, para aconselhamento e apoio, sempre com oração.
  • 16. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 16 EVANGELISTA E no dia seguinte, partindo dali Paulo, e nós que com ele estávamos, chegamos a Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. Atos 21:8 SUA CHAMADA: Os irmãos que recebem esse cargo passam pelo presbitério ou recebem a unção do mesmo para exercerem o cargo, pois são também ministros. Serão chamados aqueles que possuem o dom de evangelizar, serão os oficiais do evangelismo, pois o próprio nome indica a função. SUAS ATRIBUIÇÕES: ademais de sermos todos evangelistas, os chamados Evangelistas são oficiais do evangelismo - obreiros que estarão à frente de todas as atribuições evangelísticas extra templo, tais como: cultos evangelísticos, cruzadas evangelísticas, campanhas evangelísticas, trabalhos que demandam para o evangelismo em massa, atuando também nos hospitais, lares, praças, presídios, etc. De maneira semelhante ao missionário, poderá ser levantando o Evangelista solteiro, porém, somente aqueles que tenham esse dom. Será levantado exclusivamente para o evangelismo, mas sem poder oficiar e presidir na Igreja. PASTOR - Dom de cuidar e alimentar o rebanho (At.20.28) Qualificações: (I Tim.3.1-6; Tt.1.7-9) Ordenação (I Tim.4.14; Tt.1.5) Cuidar ou supervisionar (I Tim.3.1), Presidir (I Tim.5.17), Defender a Sã Doutrina (Tt.1.9) Parece coincidir com a posição bíblica de bispo ou presbítero ou ambos. Isto dado mediante a presbítero ou ancião, ter seu ofício de liderança conforme a tradição das sinagogas judaicas. Com o passar do tempo o termo “bispo” passou a ser empregado para o cargo de “supervisor” do ancião, o que se assemelha hoje com a responsabilidade de supervisão espiritual da igreja a ele confiada por Cristo Jesus. O termo grego poimên (pastor) é usado uma única vez no N.T. com referência direta ao ministério do pastor (Ef.4.11). Em Atos 20.17 Paulo convoca os presbíteros (presbutorous) da igreja em Éfeso. No (v.28) Bispos (episkopous) e Pastores (poimainein). Três áreas que os pastores devem se dedicar são: 1. Administração, Liderança e gestão (I Pe.5.1-4) 2. Cuidados Pastorais e psicologia (I Tim.3.5; Hb.13.17) 3. Instrução, oratória e ensino (I Tim.3.2; 5.17; Tt.1.9) Nunca esquecer que o Supremo Pastor é Jesus Cristo ( I Pe.2.25; Mc.9.42-44; Lc.22.27).
  • 17. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 17 SUA CHAMADA: apegado a Palavra fiel que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder para exortar pelo ensino assim como para convencer os que contradizem. O PASTOR deverá ser aquele que atenda os requisitos do diaconato e do presbitério e ainda o dom de apascentar o rebanho. 1 Tm 4:14 SUAS ATRIBUIÇÕES: como a própria palavra sugere, o PASTOR tem em sua função conduzir e proteger o rebanho; Na área do ensino, deve ensinar a Palavra de Deus preservando a Sã Doutrina, cuidando para que os jugos não venham a ser pesados. Ensinar o rebanho a discernir através da palavra as heresias que insistentemente se apresentam às ovelhas. Exortar e repreender com amor, longanimidade e doutrina usando de autoridade. Observe que repreender no contexto acima significa impedir, só podendo repreender se tiver autoridade, daí o porquê é dito em Tito 1.9 que tem de ter o poder para exortar. Ainda na área do ensino, deverá estar sempre formando discípulos, pois o verdadeiro líder se caracteriza principalmente, por formar outros lideres. Jesus fez assim. Acerca dos dons espirituais, eles existem através do Espírito Santo para cooperarem com a Igreja. Como Igreja Pentecostal não deve o PASTOR da mesma extinguir o Espírito (1 Ts 5.19), antes trabalhar para que toda Igreja tenha experiência com o Espírito Santo, através dos dons. O PASTOR deve ter o dom do discernimento a fim de evitar extravagâncias, sem, contudo, reprimir aqueles que estão buscando ao Senhor, sabendo que a manifestação do Espírito edificará sua Igreja na comunhão com Ele, e produzirá um efeito especial, com salvação de almas e regeneração de vidas. Deve o Pastor lembrar-se que seu trabalho não se restringe ao altar, pois está a ele atribuída a nobre função de ir atrás das ovelhas perdidas e feridas, a exemplo de Cristo em Mateus 18.12. Sobretudo, deve o Pastor ser investido de um dom excelente e que excede todos os outros dons, onde se encerra a obra de Deus, que é o dom do amor. Esse dom nos capacita com imparcialidade, com desinteresse, com sinceridade no cuidado e no trato com as almas. “O amor nunca falha”. MISSIONARIO “Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” Atos 20:24 SUA CHAMADA: De maneira semelhante a do Evangelista, está esse cargo muito relacionado ao dom. Depois de reconhecido pela Igreja será ordenado, obedecendo aos parâmetros do presbitério. Da mesma forma que o Evangelista, poderá ser solteiro, sua função será de acordo com o dom sem oficiar ou presidir a Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo. SUAS ATRIBUIÇÕES: será convocado, separado e ordenado pela Igreja para missões, como o nome propõe. Estará na maioria das vezes longe da família, de sua Igreja, enfrentará perigos até a morte. Para uma missão mais distante é necessário que o Missionário esteja com a família, pois fundará Igrejas, instituirão obreiros, exercerá neste caso, função de pastor até que a Igreja envie ou forme Pastores do próprio rebanho. Daí o
  • 18. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 18 porquê de preparo e dom. Quando não estiver distante, o Missionário ou a Missionária estará atendendo missões locais como um Evangelista. 6- O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO TIPOS DE CHAMADA – em todas as questões do ministério, a primeira de todas as perguntas que se faz, é se o obreiro foi realmente chamado por Deus para o ministério. Muitas pessoas têm experimentado o “caos espiritual” porque se fizeram simplesmente “obreiros profissionais”. CHAMADA UNIVERSAL – há um sentido em que todos os crentes são chamados para a obra, e essa chamada se caracteriza pelo amor as almas e por um intenso espírito de evangelização (Lc 19.10; Mc 15.16 e Rm 10.18). CHAMADA ESPECÍFICA – certas pessoas, porém, são chamadas e escolhidas pelo Senhor para servirem de modo definido e marcante. Comparando a Igreja do Senhor como um grande exército, torna-se necessário uma variedade de ministérios, como: pastores, evangelistas, missionários, diáconos, intercessores, mantenedores, professores, porteiros, visitadores, líderes, e muitos outros, todos “obreiros” na obra de Deus. Cada crente tem o seu trabalho que é “determinado pelo Senhor”, e é um privilégio receber a tarefa específica dada pelo Senhor (Jo 15.16; Ef 4.15,16); Reconhecimento pelos outros- colegas e líderes, etc. VARIEDADES DE MINISTÉRIOS – assim como um corpo precisa de uma variedade de membros para funcionar em harmonia, a Igreja do Senhor, como um corpo, mantêm o mesmo princípio (Rm 10.15; 12.4-8; Ef 4.8,11; ITm 3 e Ex 31.6); MINISTÉRIOS FALSOS – concluímos que existem pessoas que escolhem o ministério como profissão (Lv 10.1-3), para adquirir prestígio (Nm 16.1-3), e pelo simples prazer de querer ser. (IISm 18.22; Ez 3.3,6). MODO DA CHAMADA – como pode alguém saber que está sendo chamado por Deus para o ministério? Como evitar o erro de Aimaás “o corredor” (2Sam 18:19-33), Nadabe e Abiu (Lev 10:1-2)? Como não se tornar um empecilho para os outros? A chamada divina se caracteriza pelos seguintes aspectos: 1 - Conceito espiritual – ICo 2.14; Is 30.21 2 - Iniciativa divina – Jo 15.16; Is 19.19; Am 7.14,15 3 - Direção do Espírito Santo – At 16.6-10 4 - Aptidões naturais – eloqüência, desenvoltura, etc 5 - Sensibilidade espiritual – IICo 3.5. QUALIFICAÇÕES PARA A CHAMADA 1 - Novo Nascimento – Jo 3.3; ICo 2.14-16 2 - Revestimento de poder – Lc 24.47-49 3 - Andar com Deus – At 3.12 4 - Educação – At 7.22 5 - A Escola da experiência – IICo 1.4,5
  • 19. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 19 6 - Humildade – ICo 1.27-29 7 - Conhecimento bíblico – Mt 2.7 EXIGÊNCIAS PARA A CHAMADA - Qualificações naturais: a) Coragem – At 19.30 b) Diligência – Rm 12.8,11; ITm 1.15 c) Tato – IITm 4.1,2; ITm 5.1,2 d) Discrição – ITm 6.11 e) Cortesia – IPe 3.8 f) Asseio – Mt 5.37; Tg 5.12 g) Pontualidade – Mt 5.37 h) Responsabilidade – Jr 48.10 Qualificações espirituais: a) Amor – Jo 15.12 b) Fé – Hb 11.6 c) Santidade – Is 52.11; Hb 12.14 d) Humildade – Mt 11.29 e) Paciência – Tg 5.7 f) Espírito perdoador – Lc 23.34 g) Distrações – IITm 2.4
  • 20. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 20 7-O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES Obreiros (IITm 2.15) - são servos escolhidos segundo os critérios da Palavra de Deus, consagrados pelo Ministério da Igreja, mediante prévia aprovação do mesmo. A exemplo dos líderes, conforme preconiza a Bíblia, devem se consagrar ao serviço dos santos, sendo bons cooperadores na obra (ICo 16.15,16), suprindo as necessidades que surgirem em qualquer área da Igreja que necessite da atuação dos mesmos (ICo 16.17). Os obreiros serão submetidos a um período de experiência (I Tim 3:8-13), após o qual poderão ser conduzidos, ou não, para exercer efetivamente o seu encargo ministerial. 1 - Moral - de boa conduta (At 6.3) 2 - Espiritual – cheio do Espírito Santo (At 6.3) 3 - Intelectual – cheios de sabedoria (At 6.3) De acordo com as normas de ITm 3.8-13, o obreiro deve ser: a) Conservador do mistério da fé; b) Experimentado; c) Governar bem a sua casa; d) Irrepreensível; e) Não cobiçoso de sórdida ganância; f) Não maldizente; g) Portador de uma consciência limpa; h) Responsável; i) Ser dizimista e ofertante; j) Ser fiel em tudo; k) Ser temperante; l) Sincero (de uma só palavra) O OBREIRO E AS ATIVIDADES MINISTERIAIS 1 - O Culto A direção do culto (saudação inicial, leitura e oração); A palavra sobre ofertório (grupos familiares e reuniões extras); A Mensagem (salvação e edificação); A confissão de fé (decisão); Encerramento (oração final e bênção apostólica). 2 - A Santa Ceia 3 - O Batismo nas águas 4 - Outras cerimônias Casamento
  • 21. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 21 Apresentação de criança Ato fúnebre Visita a enfermos 8 - A CONDUTA DOS OBREIROS OBREIROS E OBREIRAS. Somos pessoas diferentes e andamos na contramão do mundo. Importa agradarmos a Deus como sacrifício vivo, porém, devemos ser também pessoas sociáveis, amáveis, dóceis, ternas, amigas do bem, encorajadoras para que o bom perfume de Cristo tome conta de todos os lugares por onde andarmos. O mundo precisa saber que o crente é de Deus. Temos de pregar somente o que vivermos para que não sejamos pegos pelo laço do acusador. Nunca devemos usar o púlpito para fazer ataques aos ouvintes e nem tão pouco as Igrejas coirmãs. A Igreja é lugar de Paz e quando necessário o Pastor exorta e admoesta com amor divino, pois, deve ser um lugar onde as pessoas descarreguem as suas cargas e não um tribunal de acusações. Deve ser um hospital que trata todos os enfermos de maneira igual. Há dois aspectos importantes com relação ao trabalho dos obreiros que precisam ser ressaltados, quais sejam, o compromisso e a reverencia. Compromisso do Obreiro: Dentre os compromissos dos obreiros, estão os seguintes: 1. O obreiro deve chegar com antecedência para os trabalhos, respeitando os horários; 2. Transmitir a palavra do Senhor de forma a manter a atenção dos ouvintes; 3. Evitar manter a Igreja de pé, sem necessidade; 4. Solicitar que a Igreja permaneça de pé quando se tratar de leitura oficial, como abertura e mensagem, sendo que as demais leituras torna-se desnecessário ficar em pé; 5. Participar da Escola Bíblica Dominical/Estudo Bíblico: Lembre-se que somos exemplos para os fiéis, como manda a palavra. 6. Ser dizimista e ofertante, estando assim, em dia com a palavra de Deus. Reverência: É tolerável quando alguns atos de irreverência acontecem durante os cultos, por serem involuntários, principalmente quando estes acontecem por parte dos membros. Entretanto, nunca deve ocorrer com os obreiros, pois eles são o exemplo do rebanho. Aqui vão algumas dicas de atitudes que não devem acontecer por parte dos obreiros durante o culto: 1. Não é admissível ausentar-se do culto antes do seu término, exceto em casos especiais;
  • 22. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 22 2. Não é permitido o uso do celular; 3. Não transitar no recinto durante a leitura da palavra de Deus e mensagem; 4. Não fazer conversas paralelas desnecessárias; 5. Não se alimentar durante o culto ou mascar chicletes, balas e doces em geral e tomar agua (faça antes ou depois do culto). CONDUTA DO OBREIRO NAS ATIVIDADES DA IGREJA É durante o culto e eventos, da igreja, que o obreiro mais tem contato com os membros de uma forma geral, é nesse momento que ele é observado e julgado por suas atitudes pela igreja, podemos minimizar ao máximo os danos causados pelo julgamento precipitado, observando, além daquilo que a Bíblia coloca como requisitos para o ministério e das tarefas específicas do obreiro, alguns procedimentos diante da igreja, que passaremos a apresentar a seguir. Tudo o que a Bíblia ensina como comportamento e ordenanças para o povo de Deus, deve ser primeiramente evidenciados nos obreiros para que estes sirvam como exemplo para todos os membros, assim o obreiro será também um agente motivador. Obs: Todas as recomendações apresentadas aqui, devem ser seguidas por todos os obreiros, seja homem ou mulher, basta que esteja a serviço do Senhor. Aspectos Pessoais a) Apresentação individual Qualquer empresa ou instituição zela pela boa apresentação de seus funcionários, pois isso por si só já se constitui em um cartão de visita, é correto afirmarmos que a roupa não salva, mas também devemos observar na casa de Deus o que a Bíblia chama de “ordem e decência,” até mesmo pela ênfase que Palavra de Deus dá ao assunto At 6.3. Detalhes como roupa limpa e passada, barba bem feita, cabelo cortado, sapato engraxado e unhas cortadas, podem fazer muita diferença diante de Deus e dos homens. Diante de Deus, pela importância que demonstramos a tudo aquilo que se relaciona com nosso Deus e diante dos homens pela ação motivadora e glorificação ao nome de Deus 2 Cr 9.3,4. b) Gentileza Há razões simples para sermos gentis no trato com todos, uma delas seria a própria fé que pregamos, pois seria no mínimo incoerente falarmos que o fruto do espírito é amor, benignidade, bondade, paz, etc, Gl 5.22, e assumirmos uma atitude hostil ou ranzinza para com os irmãos. Existe principalmente a questão do exemplo, é fácil notar quando existe o clima fraternal entre os irmãos, pelo sorriso espontâneo, pelo abraço, entre outros gestos, e isso também pode ser percebido pelos de fora, a exemplo disso existem muitos irmãos que ao procurarem uma igreja para congregarem, acabam preferindo aquela onde além de serem, melhor recebidos, também observaram as atitudes uns para com os outros. As
  • 23. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 23 pessoas estão procurando os lugares onde se prega e se vive a Palavra de Deus, esperamos convencê-las que isso ocorre em nossas igrejas, porém sabemos que o exemplo fala mais que as palavras 1 Jo 3.18, além do mais para aquele que é gentil o Senhor está pronto para abrir as portas 1 Sm 16.18. c) Educação O obreiro deve observar regras simples de boa educação como aguardar sua vez de falar, pedir licença ao sair e ao entrar, cumprimentar a todos quanto for possível, evitar gritarias, respeitar a hierarquia funcional usando os pronomes de tratamento corretos (Sr ou você), nisso estaremos todos em uma só ligação, além dessas regras existem outras, é só ter um pouco de bom senso e seguir a Palavra de Deus, Mt 7.12. A POSTURA DOS OBREIROS 1 - O obreiro No exercício de seu ministério, o obreiro deve estar sempre de boa aparência. A postura do obreiro no púlpito deve ser adequada, não devendo ficar de pernas esticadas, como se fosse deitar. Não bocejar, não fazer uso do púlpito como apoio e evitar os vícios de linguagem, principalmente às gírias. 2 - A Obreira Igualmente ao irmão obreiro, a obreira também deve estar sempre com boa aparência, com roupas discretas e com cabeços sempre bem cuidados e arrumados. Os cabelos são como véu, por isso devem sempre estar limpos, bonitos, desembaraçados e com todo o trato. Para o comprimento dos cabelos, não existe um padrão a ser seguido, porém, em nossa sociedade existe, entre todos os padrões existente, o que é considerado normal razoável, sendo do bom costume cristão não acompanhar o modismo, que muitas vezes extrapola o bom senso. As roupas não devem ser muito decotadas, curtas e transparentes. Devemos cuidar de nossa aparência de forma modesta, porém sem opressão. O cristão deve ter a sã consciência de que sempre estaremos transmitindo uma mensagem com roupa que usamos, devendo lembrar que o nosso corpo deve glorificar a Deus que é Santo. ÉTICA Ética são códigos de conduta para o bom relacionamento entre as pessoas dentro dos grupos, variam de grupo para grupo, existem ética empresarial, ética política, etc e também existe a ética cristã. São códigos que se forem quebrados podem danificar os relacionamentos, prejudicar a imagem da instituição e até trazer escândalos ao Corpo de
  • 24. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 24 Cristo, convém estar atento a alguns procedimentos: - Celulares, os obreiros devem colocar seus aparelhos para o modo silencioso ou desligarem durante o culto; - Evitar conversas a parte com irmãs casadas ou entre obreiros casados e irmãs solteiras, a não ser quando for necessário e por breve período de tempo; - Evitar beijos no rosto e abraços com as irmãs, que se conhece há pouco tempo ou novas convertidas; - Evitar ficar do lado de fora da igreja durante o culto; - Evitar andar sem necessidade no meio da igreja durante o culto; - Ser breve nas oportunidades, evitando principalmente histórias particulares e infindáveis; - Nas oportunidades, nunca se referir ao problema particular de um irmão por mais que seja do conhecimento de todos; - Não chamar a atenção dos obreiros diante da igreja, deve-se falar em particular, na presença de outro obreiro ou nas reuniões; - Evitar o uso de apelidos; - Respeitar a dor dos outros; - Ao orar em grupo, deve ser feito com ordem e em comum acordo com os irmãos, para evitar os falatórios sem objetivo; - Evitar quaisquer atividades que tirem a ligação do culto, como trocar uma lâmpada, arrastar uma mesa, afinar uma guitarra ou bateria, salvo o que for necessário, todo preparo do culto deve ser feito antes; Além dessas normas, poderíamos citar muitas outras, mas por hora essas parecem ser as mais comuns. O obreiro deve aprender que a ética a ser praticada entre os irmãos do Ministério e destes para com os membros da igreja, é aquela que leva em consideração a pessoa do próximo, seu nível social, seus costumes, seu patamar espiritual, etc. Diante disso entendemos que alem da Ética Cristã, que é comum a todos os crentes, existem também a ética social e a cultural que variam de indivíduo para indivíduo ou entre grupos, nem sempre o que é certo pra mim, será para o meu irmão, um exemplo clássico disso é aquele irmão que tem o costume de cumprimentar as irmãs com beijos no rosto ou às vezes com abraços, esse costume geralmente vem do convívio familiar e não representa nada para aqueles que o praticam, sendo apenas uma mera saudação, mas sabemos que nem todos vêem com bons olhos esse hábito, sendo então recomendável que não se use dessa prática no convívio entre os irmãos em Cristo quando se tratar de novos convertidos ou irmãs, cujos maridos não são convertidos ainda. A manutenção da ética independe do que eu penso ou considero, e sim, leva em conta a Palavra de Deus e o meu próximo.
  • 25. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 25 9-SACRAMENTOS E ORDENANÇAS João Calvino escreveu que um sacramento é “um sinal externo pelo qual o Senhor sela em nossas consciências as promessas de sua boa vontade para conosco, para sustentar a fraqueza da nossa fé; e nós, consequentemente, atestamos nossa piedade para com ele na presença do Senhor e dos seus anjos e diante dos homens”. São sacramentos da igreja: Batismo e Santa Ceia, as demais celebrações figuram no quadro de ordenanças. SACRAMENTOS a) Batismo Após aceitar Jesus por meio de confissão pública e ter sido atestado a libertação de vícios e regularizada a situação civil, deverão ser batizados por imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. É importante saber que o batismo não salva e não liberta ninguém, é apenas uma profissão pública de fé testemunhando na Terra e no Céu o ingresso da pessoa na comunhão da igreja do Senhor Jesus. Sempre se possível, o candidato deverá passar pelo discipulado. Somente o oficial do presbitério estará apto à realização do batismo. Esse é um ato importante à grande comissão, portanto toda a Igreja deve estar presente se possível. Marcos 16.16. O batismo deve ser um dia especial na vida dos batizandos, deve-se guardar essa data com carinho, fazer registros de imagens, enfim, tratar como se tratamos os melhores momentos de nossas vidas. Será expedido pela Igreja o certificado sendo entregues à noite, no culto da santa ceia . b) Santa Ceia Sacramento em forma de culto. Um selo com o Senhor. É uma cerimônia também estabelecida pelo nosso Senhor Jesus em memória de sua morte até que Ele venha. Deve ser ministrada somente aos crentes, mesmo de outras denominações que estejam em comunhão, pois fala da comunhão com Cristo. Apesar de ser um culto restrito, deve ser presenciado pelos não crentes por ter um caráter convidativo para que outros possam fazer parte dessa família. Os Diáconos, aqui, tem função especial de preparar a mesa e todos os seus cuidados. Depois de consagrados os elementos, pão e vinho, serão distribuídos pelos diáconos como prescritos em 1 Co 11.23. ORDENANÇAS a) Apresentação de Crianças A Igreja Cristã Pentecostal Brasileira não batiza crianças, pois, compreende que o verdadeiro sentido do batismo contém arrependimento. Sendo assim, quando nascem, são apresentadas a Deus e a Igreja, por sem heranças do Senhor. A apresentação pode ser em culto normal com a seguinte sequência: convida-se os pais, podendo se honrar também os avos, um dos oficiais de culto auxilia o Pastor, em seguida,
  • 26. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 26 lê-se o texto correspondente em Lucas 2.25-33, ora-se a Deus, ungido a criança. Caso os pais queiram pode-se registrar o momento com fotos ou filmagem. Por esta ocasião será expedido um certificado de apresentação. b) Casamento O casamento obedecerá aos padrões bíblicos, por ser uma instituição de Deus que existe para dar continuidade às famílias e para a boa formação da sociedade. O ministro deve observar as seguintes condições: os nubentes deverão ser solteiros e estarem de posse do registro civil de casamento para receberem as bênçãos da Igreja. Os demais casos deverão ser avaliados pela junta ministerial formada pelos oficiais do ministério.
  • 27. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 27 10-O OBREIRO COMO LÍDER - Princípios Específicos Planejamento: trabalho Organização: tempo e recursos Integração: tarefas Motivação: equipe de trabalho Avaliação: resultados Alvos: realistas para atingir objetivos Características Básicas Interesse pelos outros Identificação com os outros Perspectiva: visão dos problemas Prioridades: a importância do trabalho Propósitos: estabelecer alvos para sua liderança Perfil Social Integridade: caráter reto e princípios morais Convicção: fundamentos da fé em Deus para realizar a sua obra Lealdade: ao Senhor, superiores e liderados; Estabilidade: confiabilidade e capacidade de domínio de circunstância Discernimento: conhecimento dos fatos, consciência do que precisa ser feito, e desenvolvimento de plano de ação Tato: capacidade de lidar com outros sem ofender Conhecimento: da tarefa, das nossas forças e dos nossos pontos fracos, procurando sempre melhorar
  • 28. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 28 11-OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL Ética nas Relações Eclesiásticas Em Relação à Igreja a) manter-se leal ou solicitar desligamento caso haja discórdia (Rm 14.22); b) jamais fazer críticas à mesma publicamente (ICo 6.1-9); c) esforçar-se para promover o seu desenvolvimento (At 2.41-47); d) conhecer a história sua história e seus objetivos principais e) como membro do Corpo de Cristo, tratá-la com estima (Ef 5.23); f) não se deixar levar por indivíduos ou facções (IPe 5.1-3); g) reconhecer o momento certo de se afastar de sua função quando perceber tal necessidade (II Tm 4.7); h) não fazer qualquer manobra política interna (I Co 10.23,31); i) acatar as deliberações da mesma (I Pe 5.2,3); j) ser cuidadoso no relacionamento com pessoas do sexo oposto, revelando pureza em seus gestos (Ec 9.8); l) manter o respeito para com os membros da mesma (Tg 3.2,8). 5.1.3 - Em Relação à sua Função a) ser fiel a Deus em tudo e em todo o seu trabalho (Ap 2.11); b) nos eventos fora da Igreja, portar-se com discrição e absoluta dignidade cristã (I Tm 5.1-15); c) não comentar com familiares assuntos confidenciais cuja divulgação seja pejorativa para a obra do Senhor (ITm 3.1-5); d) zelar pelo decoro do púlpito e pelo seu próprio preparo (IITm 2.15); e) acatar orientações e projetos prioritários da Igreja (Tg 4.6). Ética nas Atividades Ministeriais Em Relação aos Colegas a) zelar pela reputação de seus colegas, não, permitindo comentários desabonadores a seu respeito (Jo 15.17); b) não suscitar dúvidas no coração de seus colegas (Ef 4.13); c) cultivar junto aos colegas o hábito da franqueza, bondade, lealdade e da cooperação (Rm 12.9,17) d) não prestar falso testemunho contra o colega (Pv 6.19); e) restituir, quando prejudicar o colega não somente os bens materiais, mas, também, os morais e espirituais; f) perdoar ao colega ofensor, mesmo que lhe seja de direito exigir justificação daquele que o ofende (Mt 6.12).
  • 29. ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE DE VIDAS 29 12- PALAVRAS FINAIS AOS OBREIROS Este trabalho, de maneira alguma encerra os direitos e os deveres de nossos obreiros e obreiras, mas foi elaborado com carinho para facilitar o bom desenvolvimento do obreiro fiel. Entretanto é com Jesus que aprendemos a conquistar o amor das pessoas decidindo amá-la primeiramente, entendendo que a autoridade não se impõe, e, sim, se conquista. É fundamental a sinceridade e a imparcialidade no trato com todos, pois o serviço cristão cooperará em muito para que a igreja seja um lugar de refúgio, onde as pessoas, sem distinção, possam ser bem recebidas e conduzidas à salvação. “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” (1Cor. 15, 58) Deus nos abençoe.