SlideShare uma empresa Scribd logo
Questões do vestibular da UFSC sobre Idade Antiga
Prof. Elton Zanoni
Q1) UFSC 2013
A educação em Esparta
Ensinavam a ler e escrever apenas o estritamente necessário. O resto da educação
visava acostumá-los à obediência, torná-los duros à adversidade e fazê-los vencer o
combate. Do mesmo modo, quando cresciam, eles recebiam um treinamento mais
severo: raspavam a cabeça, andavam descalços, brincavam nus a maior parte do
tempo. Tais eram seus hábitos.
PLUTARCO. A vida de Licurgo. In: PINSKY, Jaime. 100 textos de História Antiga. 4. ed.
São Paulo: Contexto, 1998. p. 109.
Sobre o papel da educação e da escrita nas sociedades antigas, é CORRETO afirmar
que:
01. o Egito antigo, extremamente dependente do rio Nilo e de seu regime de cheias,
fez da agricultura sua principal atividade econômica. Esta característica impediu o
desenvolvimento da escrita naquela sociedade.
02. a escrita cuneiforme, criada pelos assírios na antiga Mesopotâmia, tinha por
função estabelecer acordos comerciais com os etíopes.
04. conforme o trecho acima citado, podemos perceber que a educação tem estreita
relação com as características sociais. O militarismo de Esparta influenciou a
educação de suas crianças.
08. a educação que uma criança recebia na antiguidade dependia da posição social e
do gênero. As mulheres atenienses, por exemplo, recebiam uma educação familiar
que lhes qualificava para as atividades domésticas e os cuidados com os filhos.
16. na China, o confucionismo valorizava uma educação pautada no respeito às
tradições, ressaltando valores como moderação e harmonia.
Q2) UFSC 2012
Várias sociedades antigas se desenvolveram ao longo de rios. Sobre elas, assinale
a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. As antigas China e Índia também são consideradas sociedades hidráulicas e se
favoreceram, respectivamente, dos rios Amarelo e Indo.
02. A China antiga foi rica em pensadores, como Sun Tzu, Confúcio e Lao-Tsé. Uma
obra conhecida até hoje e que foi produzida no seio desta sociedade é o tratado
militar “A arte da guerra”.
04. A Mesopotâmia, região localizada entre os rios Tigre e Eufrates, foi assim batizada
pelos gregos por ficar entre os dois rios.
08. Vários povos formavam o que conhecemos por Mesopotâmia. Entre os principais,
figuram aqueus, jônios, eólios e dórios.
16. O Egito foi uma sociedade expansionista desde o período inicial de sua unificação
política, o que levou aquela sociedade a estender suas conquistas até o território que
hoje conhecemos como Paquistão.
32. O ciclo agrícola proporcionado pelo rio Nilo se refletiu nas concepções mitológicas
dos egípcios antigos.
Q3) UFSC 2011
Leia o texto abaixo com atenção.
Nossa forma de governo não se baseia nas instituições dos povos vizinhos. Não
imitamos os outros. Servimos de modelo para eles. Somos uma democracia porque a
administração pública depende da maioria, e não de poucos. Nessa democracia, todos
os cidadãos são iguais perante as leis para resolver os conflitos particulares. Mas
quando se trata de escolher um cidadão para a vida pública, o talento e o mérito
reconhecidos em cada um dão acesso aos postos mais honrosos. [...] Usamos a
riqueza como um instrumento para agir, e não como motivo de orgulho e ostentação.
Entre nós, a pobreza não é causa de vergonha. Vergonhoso é não fazer o possível
para evitá-la. Todo o cidadão tem o direito de cuidar de sua vida particular e de seus
negócios privados. Mas aquele que não manifestar interesse pela política, pela vida
pública, é considerado um inútil. Em resumo, digo que nossa cidade é uma escola
para toda Hélade, e cada cidadão ateniense, por suas características, mostra-se capaz
de realizar as mais variadas formas de atividade.
TUCÍDEDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília/São
Paulo: UnB/Hucitec, 1986, cap. 37-41, Livro II.
Com base neste texto do historiador ateniense Tucídedes e sobre história antiga
ocidental, é CORRETO afirmar que:
01. Atenas era considerada um modelo de cidade para todo o Império Romano.
02. a riqueza mencionada por Tucídedes era vista como ingrediente necessário para
projetar a cidade de Atenas no cenário do mundo antigo.
04. o texto evidencia que todos os cidadãos deviam interessar-se por política para
não serem considerados inúteis.
08. a mobilização em busca de riqueza era mais importante para a democracia do que
o debate político, visto que a riqueza era “... um instrumento para agir.”
16. os postos administrativos de destaque na cidade de Atenas estavam vinculados à
quantidade de bens que o cidadão ateniense possuía.
32. de acordo com Tucídedes, os povos vizinhos de Atenas eram seus imitadores.
Podemos concluir que, dada à proximidade geográfica, Esparta adotou este modelo.
64. pobreza e riqueza não podiam existir paralelamente na cidade de Atenas, razão
pela qual devia haver um esforço para evitar a pobreza.
Q4) UFSC 2010
Entre os pobres muitos se dirigem a terras estranhas, vendidos e cobertos de
correntes [...].
Quantos dos que tinham sido vendidos, uns injustamente, outros com justiça, fiz
voltar para Atenas, sua pátria, fundada pelos deuses [...].
Dei liberdade a outros que, aqui mesmo (em Atenas), sofriam servidão indigna e
tremiam diante do humor dos patrões.
Eis o que realizei, graças à soberania da lei, fazendo com que a força e a justiça
agissem concordemente.
Sólon, Elegias. Apud HOLANDA, S. Buarque de. História da
Civilização. 6. ed. São Paulo: Nacional, 1979. p. 58.
Com base no texto acima e nos seus conhecimentos sobre a sociedade e a
democracia ateniense, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. Na experiência democrática vivida pelos atenienses durante o período helenístico,
a escravidão foi eliminada através da legislação elaborada por Sólon, sobrevivendo
apenas a servidão voluntária.
02. As leis de Sólon, consideradas avançadas para a época da sua promulgação,
admitiam a escravização dos endividados ou filhos de escravos, pois a perda de
direitos individuais não feria os princípios da democracia ateniense.
04. Na sociedade ateniense, as três principais classes sociais eram representadas por:
cidadãos nobres, homens livres nascidos de pai e mãe ateniense; metecos,
estrangeiros autorizados a viver na Ática; e escravos, prisioneiros de guerra ou filhos
de escravos.
08. Drácon publicou as primeiras leis escritas em Atenas e com elas reforçou o direito
dos nobres de interpretar as leis segundo as próprias conveniências, dando origem à
tirania e ao adjetivo “draconiano”, que significa severo, rígido.
16. As manifestações de descontentamento com as leis de Drácon fez com que a
administração de Atenas fosse confiada ao arconte Sólon, que realizou importantes
reformas: proibiu a escravização de pessoas endividadas e perdoou as dívidas dos
pequenos lavradores, devolvendo-lhes as terras perdidas.
32. As reformas implantadas por Sólon foram rechaçadas pelos tiranos, nobres
empobrecidos pelas decisões democráticas, tomadas em praça pública e com a
participação de toda a população de Atenas.
Q5) UFSC 2009
Deliberamos [Constantino Augusto e Licínio Augusto] conceder aos cristãos e a quem
quer que seja, a liberdade de praticar a religião de sua preferência a fim de que a
Divindade que nos céus reside venha a ser favorável e propícia para nós e para todos
os nossos súditos. Parece-nos ser medida boa, razoável, não recusar a nenhum de
nossos súditos, seja ele cristão ou adepto de qualquer outro culto, o direito de seguir
a religião que melhor lhe convenha. Assim sendo, a Divindade que cada um
reverenciar a seu modo, livremente, poderá também estender a nós sua benevolência
e seus habituais favores. (Édito de Milão).
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) referente(s) à Civilização Romana.
01. A religião romana era politeísta, ligada ao Estado, que estabelecia normas para o
culto, para as festas e cerimônias públicas.
02. As obras artísticas em Roma visavam à satisfação de um ideal estético, à
exaltação das glórias do Estado e à ostentação de riqueza dos nobres e soldados.
04. Penetraram em Roma inúmeros cultos, entre eles o Cristianismo que, prometendo
um mundo melhor aos pobres e oprimidos, foi transformado em religião oficial do
Estado.
08. Os cristãos foram perseguidos em Roma, pois o monoteísmo pregado por Cristo
não permitia a aceitação da divindade do imperador romano e porque, nas
catacumbas, planejava-se a queda do Império.
16. A liberdade de culto da época de Constantino e Licínio foi limitada durante a
administração de Teodósio através da imposição do monoteísmo cristão.
32. A Arquitetura era a arte mais desenvolvida em Roma, caracterizada pela sua
monumentalidade e influenciada pelo politeísmo, que exigia a construção de muitas
igrejas e mosteiros.
Q6) UFSC 2008
Subitamente, entreabria-se o quadro sonoro para irromper o coro das
lamentações. Acabavam no ar, lucíolas extintas, os derradeiros sons da harpa de
David; perdia-se em ecos a derradeira antístrofe de Salomão; [...]. Clamavam as
imprecações do dilúvio, os desesperos de Gomorra; flamejava no firmamento a
espada do anjo de Senaqueribe; dialogavam em concerto tétrico as súplicas do
Egito, os gemidos de Babilônia, as pedras condenadas de Jerusalém.
POMPÉIA, Raul. O Ateneu. São Paulo: Ática, 1990. p. 37.
Sobre os hebreus e os judeus, é CORRETO afirmar que:
01. David foi considerado o primeiro patriarca hebreu.
02. Senaqueribe foi o rei responsável pela retirada dos hebreus de Jerusalém para a
Babilônia, fato este conhecido como Êxodo.
04. no século XX, após a Segunda Guerra Mundial, com a criação do Estado de Israel
pela ONU, os judeus voltaram a se reunir em um território.
08. no primeiro milênio a.C., os hebreus foram retirados à força de Canaã pelos
egípcios, que os levaram ao vale do rio Nilo e os fizeram escravos.
16. o dilúvio, narrado no Antigo Testamento, provavelmente foi inspirado em um
relato muito mais antigo, conhecido pelos sumérios.
32. a construção do Templo de Jerusalém por Salomão foi um marco na centralização
política dos hebreus durante o período monárquico.
64. a religião dos hebreus não teve qualquer importância na construção da identidade
daquele povo.
Q7) UFSC 2007
“ELEFANTES – Vendo. Para circo ou zoológico. Usados mas em bom estado. Já
domados e com baixa do exército. Tratar com Aníbal.” (p. 143)
“TORRO TUDO – E toco cítara. Tratar com Nero.” (p.144)
VERISSIMO, Luis Fernando. “O Classificado através da História”. In:
Comédias para se ler na escola. São Paulo: Objetiva, 2001.
Sobre Roma na Antiguidade, é CORRETO afirmar que:
01. Aníbal foi um conhecido comandante de Cartago, que combateu os romanos
durante as Guerras Púnicas.
02. as Guerras Púnicas, que envolveram Cartago e Roma, aconteceram no contexto
da expansão territorial romana.
04. a expansão territorial acabou se revelando um fracasso. Isto pode ser percebido
pela ausência de alterações nos hábitos da sociedade romana nos períodos que se
sucederam.
08. o domínio de Roma no Mediterrâneo favoreceu o fim da República e a ascensão
do Império.
16. Nero foi um governante de Roma conhecido pelo apoio que prestou aos cristãos,
sendo responsável por elevar o Cristianismo a religião oficial do Império Romano.
32. o período de governo de Nero é conhecido como um momento de decadência do
Império Romano, cujos motivos estão, entre outros, nos graves problemas sociais
causados pela existência de uma cidadania restrita e pelos abusos administrativos.
64. a escravidão, embora presente, nunca foi economicamente relevante na
sociedade romana.
Q8) UFSC 2006
“Bagdá - O famoso tesouro de Nimrud, desaparecido há dois meses em Bagdá,
foi encontrado em boas condições em um cofre no Banco Central do Iraque em
Bagdá, submerso em água de esgoto, segundo informaram autoridades do exército
norte-americano. Cerca de 50 itens, do Museu Nacional do Iraque, estavam
desaparecidos desde os saques que seguiram à invasão de Bagdá pelas forças da
coalizão anglo-americana.
Os tesouros de Nimrud datam de aproximadamente 900 a.C. e foram
descobertos por arqueólogos iraquianos nos anos 80, em quatro túmulos reais na
cidade de Nimrud, perto de Mosul, no norte do país.
Os objetos, de ouro e pedras preciosas, foram encontrados no cofre do Banco
Central, em Bagdá, dentro de um outro cofre, submerso pela água da rede de esgoto.
Os tesouros, um dos achados arqueológicos mais significativos do século 20, não
eram expostos ao público desde a década de 90. Uma equipe de pesquisadores do
Museu Britânico chegará na próxima semana a Bagdá para estudar como proteger os
objetos.”
(O ESTADO DE SÃO PAULO. Versão eletrônica. São Paulo: 07 jun. 2003.
Disponível em www.estadao.com.br.)
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) em relação às sociedades que se
desenvolveram naquela região na Antigüidade.
01. A região compreendida entre os rios Tigre e Eufrates, onde hoje se localizam os
territórios do Iraque, do Kweite (Kwait) e parte da Síria, era conhecida como
Mesopotâmia.
02. Na Mesopotâmia viveram diversos povos, entre os quais podemos destacar os
sumérios, acádios, assírios e babilônios.
04. A religião teve notável influência na vida dos povos da Mesopotâmia. Entre eles
surgiu a crença em uma única divindade (monoteísmo).
08. Os babilônios ergueram magníficas construções feitas com blocos de pedra, das
quais são exemplos as pirâmides de Gisé.
16. Os povos da Mesopotâmia, além da significativa contribuição no campo da
Matemática, destacaram-se na Astronomia e entre eles surgiu um dos mais famosos
códigos de leis da Antigüidade, o de Hamurábi.
32. Muitos dos povos da Mesopotâmia possuíram governos autocráticos. Entre os
caldeus surgiu o sistema democrático de governo.
Q9) UFSC 2005
Sobre o Egito antigo, é CORRETO afirmar que:
01. a construção das pirâmides atendia às necessidades da vida após a morte dos
faraós. Esse tipo de construção foi característica da arquitetura funerária durante todo
o período do Egito antigo e só foi possível graças à enorme mão-de-obra escrava
existente desde o Antigo Reino.
02. o rio Nilo foi de suma importância em vários aspectos da vida dos antigos
egípcios. Não só a agricultura foi possível devido ao seu ciclo de cheias, como
também a noção de tempo cíclico, base do pensamento egípcio, levou à crença na
vida após a morte.
04. os egípcios antigos acreditavam em vários deuses que se relacionavam entre si
e formavam seu sistema mitológico.
08. a despeito da influência islâmica, o Egito atual mantém as mesmas crenças
religiosas do Egito antigo.
Q10) UFSC 2004
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências às características do
sistema feudal.
01. A sociedade feudal era agrária, sendo a terra a principal fonte de riqueza.
02. Na Alta Idade Média, a produção econômica do feudo, além de atender à
subsistência, destinava-se ao mercado externo, principalmente o asiático.
04. Os camponeses, além de produzirem o seu próprio sustento, eram obrigados a
executar tarefas suplementares para o senhor e a entregar-lhe parte da produção.
08. Na sociedade feudal, a realeza, a nobreza e a burguesia constituíam-se nas
classes superiores. Os clérigos, os servos de gleba e os vilões constituíam as camadas
mais baixas. Era grande a mobilidade social.
16. Na maior parte da sua existência na Europa Ocidental, o feudalismo ligou-se a
formas de governo caracterizadas pela descentralização política.
Q11) UFSC 2002
Leia o texto abaixo com atenção:
Até as feras selvagens que vagam pela Itália têm cada uma sua caverna, um covil
onde repousar. Mas aqueles que combatem e morrem pela Itália não têm nada além
da luz e do ar que respiram. Sem casa, sem ter onde se abrigar, vagam com a
mulher e os filhos [...] Vocês os fazem combater e morrer para defender a riqueza e
o luxo dos outros [...] Vocês os chamam de senhores do mundo, mas eles não
possuem nem um pedacinho de terra.
(Texto romano do século II. Apud DUARTE, Gleuso Damasceno. Jornada para o
nosso tempo. Belo Horizonte: Editora Lê, 1997. p.101).
De acordo com o texto acima e seus conhecimentos, assinale a(s) proposição(ões)
CORRETA(S).
O texto ...
01. justifica as precárias condições de vida dos camponeses romanos, atribuindo-as à
necessidade de serem pobres para poderem defender a pátria.
02. refere-se às determinações das "Leis das XII Tábuas", que proibiam aos plebeus e
patrícios a posse da terra.
04. critica as condições de vida dos soldados romanos, a quem a cidade devia sua
riqueza e glória, mas que quase nada recebiam em troca.
08. reflete a situação dos patrícios, clientes e plebeus, que eram forçados a entregar
ao Estado o excedente da sua produção, vivendo em condições miseráveis.
16. analisa a situação dos romanos pobres. Nas guerras, serviam como soldados. Nos
períodos de paz, sofriam sérias discriminações. A terra, riqueza fundamental, era
quase toda propriedade dos patrícios.
Q12) UFSC 2000
Entre as civilizações da antigüidade, que tiveram o Mar Mediterrâneo como cenário do
seu desenvolvimento, destacaram-se os hebreus (Judeus, Israelitas), por terem sido
o primeiro povo conhecido que afirmou sua fé em um único Deus. As bases da
história, da filosofia, da religião e das leis hebraicas estão contidas na Bíblia, cujos
relatos, em parte confirmados por achados arqueológicos, permitem traçar a evolução
histórica e cultural do povo hebreu e identificar suas influências sobre outras
civilizações.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências à cultura hebraica.
01. Os hebreus destacaram-se em diferentes áreas do conhecimento humano e nos
legaram os livros do Antigo Testamento (Tora).
02. O vínculo visível das influências do judaísmo sobre o cristianismo está na pessoa
de Cristo, considerado O Messias pelas duas religiões.
04. Entre os princípios religiosos contidos na Bíblia está o politeísmo, isto é, a crença
em muitos deuses.
08. O cristianismo e o islamismo, religiões que têm hoje milhões de seguidores,
receberam influências do judaísmo.
16. O Pentateuco, o Talmud e o Alcorão representam o conjunto dos escritos que
reúnem os preceitos do judaísmo.
Q13) UFSC 1999
As sociedades contemporâneas herdaram valores culturais significativos dos romanos
e gregos.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) relacionada(s) com essas civilizações.
01. A Filosofia grega exerceu influência marcante sobre o pensamento Ocidental,
especialmente através de sábios como Platão e Aristóteles.
02. As influências do Direito Romano se fazem presente no sistema jurídico de
Estados Ocidentais da atualidade como o Brasil.
04. Da língua latina originaram-se idiomas como o Português, o Espanhol e o Francês.
08. Na sociedade ateniense as mulheres participavam da administração da polis, sem
restrições das leis e dos costumes.
16. A posição social das mulheres era de inferioridade, apesar de desempenharem
papéis relevantes para a sociedade grega.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A china antiga
A china antigaA china antiga
A juventude do século XXI
A juventude do século XXIA juventude do século XXI
A juventude do século XXI
Jonathan Reis
 
Extremo Oriente - China Antiga
Extremo Oriente - China AntigaExtremo Oriente - China Antiga
Extremo Oriente - China Antiga
isameucci
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Das revoluções inglesas à revolução industrial
Das revoluções inglesas à revolução industrialDas revoluções inglesas à revolução industrial
Das revoluções inglesas à revolução industrial
Maiquel Laux
 
áFrica e américa
áFrica e américaáFrica e américa
áFrica e américa
Valeria Kosicki
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
Ócio do Ofício
 
Apresentação 2 power point
Apresentação 2  power pointApresentação 2  power point
Apresentação 2 power point
-
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
China Antiga
China AntigaChina Antiga
China Antiga
Vanessa Eduarda
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
harlissoncarvalho
 
Criacionismo x evolucionismo
Criacionismo x evolucionismoCriacionismo x evolucionismo
Criacionismo x evolucionismo
Elisa Dos Santos Cardoso
 
Slide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidãoSlide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidão
gislainegeografiahumanas
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)
Mary Alvarenga
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
Mayra Nascimento
 
A utilização da tecnologia no nosso cotidiano
A utilização da tecnologia no nosso cotidianoA utilização da tecnologia no nosso cotidiano
A utilização da tecnologia no nosso cotidiano
Francielle Leite
 
Mercantilismo e colonização
Mercantilismo e colonização Mercantilismo e colonização
Mercantilismo e colonização
Loredana Ruffo
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
Fatima Freitas
 
A ética na idade media
A ética na idade mediaA ética na idade media
A ética na idade media
Harrison Sodre Melônio
 

Mais procurados (20)

A china antiga
A china antigaA china antiga
A china antiga
 
A juventude do século XXI
A juventude do século XXIA juventude do século XXI
A juventude do século XXI
 
Extremo Oriente - China Antiga
Extremo Oriente - China AntigaExtremo Oriente - China Antiga
Extremo Oriente - China Antiga
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Das revoluções inglesas à revolução industrial
Das revoluções inglesas à revolução industrialDas revoluções inglesas à revolução industrial
Das revoluções inglesas à revolução industrial
 
áFrica e américa
áFrica e américaáFrica e américa
áFrica e américa
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
 
Apresentação 2 power point
Apresentação 2  power pointApresentação 2  power point
Apresentação 2 power point
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
 
China Antiga
China AntigaChina Antiga
China Antiga
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Criacionismo x evolucionismo
Criacionismo x evolucionismoCriacionismo x evolucionismo
Criacionismo x evolucionismo
 
Slide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidãoSlide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidão
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
 
A utilização da tecnologia no nosso cotidiano
A utilização da tecnologia no nosso cotidianoA utilização da tecnologia no nosso cotidiano
A utilização da tecnologia no nosso cotidiano
 
Mercantilismo e colonização
Mercantilismo e colonização Mercantilismo e colonização
Mercantilismo e colonização
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
 
A ética na idade media
A ética na idade mediaA ética na idade media
A ética na idade media
 

Semelhante a Lista UFSC - Idade Antiga

Mundo greco romano
Mundo greco romanoMundo greco romano
Mundo greco romano
Profdaltonjunior
 
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
KellyCarvalho2011
 
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
Ricardo Jorge
 
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo AtenienseGuia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Laboratório de História
 
Exercicios antiguidadeclassica1[1]
Exercicios antiguidadeclassica1[1]Exercicios antiguidadeclassica1[1]
Exercicios antiguidadeclassica1[1]
Lúcia Texeira
 
1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega
Cristiane Pantoja
 
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
Carlos Zaranza
 
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
ArthurSilva272154
 
Grécia jonas 2
Grécia jonas 2Grécia jonas 2
Grécia jonas 2
Jonas Araújo
 
Civilizacaogrega
CivilizacaogregaCivilizacaogrega
Civilizacaogrega
Nuno Pinto
 
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICOGRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
Jorge Miklos
 
Historia volume-1
Historia volume-1Historia volume-1
Historia volume-1
Josil Setenta
 
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
JuniorMadruga2
 
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade greciaCidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
Jonas Araújo
 
Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2
Ana Paula
 
Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2
Carlos Lopez Gomes
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
cattonia
 
01 história a_revisões_módulo_1
01 história a_revisões_módulo_101 história a_revisões_módulo_1
01 história a_revisões_módulo_1
Vítor Santos
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia
Kerol Brombal
 
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à HomeroCivilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Luiz Valentim
 

Semelhante a Lista UFSC - Idade Antiga (20)

Mundo greco romano
Mundo greco romanoMundo greco romano
Mundo greco romano
 
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
 
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
Simulado de História Geral de Pré-História e Antiguidade, 2016
 
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo AtenienseGuia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
 
Exercicios antiguidadeclassica1[1]
Exercicios antiguidadeclassica1[1]Exercicios antiguidadeclassica1[1]
Exercicios antiguidadeclassica1[1]
 
1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega
 
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
 
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
 
Grécia jonas 2
Grécia jonas 2Grécia jonas 2
Grécia jonas 2
 
Civilizacaogrega
CivilizacaogregaCivilizacaogrega
Civilizacaogrega
 
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICOGRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
 
Historia volume-1
Historia volume-1Historia volume-1
Historia volume-1
 
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
 
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade greciaCidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
 
Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2
 
Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2Historia7e8ano 2
Historia7e8ano 2
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
01 história a_revisões_módulo_1
01 história a_revisões_módulo_101 história a_revisões_módulo_1
01 história a_revisões_módulo_1
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia
 
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à HomeroCivilização Greco-Romana - De Minos à Homero
Civilização Greco-Romana - De Minos à Homero
 

Mais de Elton Zanoni

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
Elton Zanoni
 
Painel - Italianos em Salto
Painel - Italianos em SaltoPainel - Italianos em Salto
Painel - Italianos em Salto
Elton Zanoni
 
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
Elton Zanoni
 
Memória em postais - Salto/SP
Memória em postais - Salto/SPMemória em postais - Salto/SP
Memória em postais - Salto/SP
Elton Zanoni
 
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
Elton Zanoni
 
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de TavaresSalto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
Elton Zanoni
 
O fim do Antigo Regime
O fim do Antigo RegimeO fim do Antigo Regime
O fim do Antigo Regime
Elton Zanoni
 
O Segundo Reinado
O Segundo ReinadoO Segundo Reinado
O Segundo Reinado
Elton Zanoni
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
Elton Zanoni
 
O século XVIII
O século XVIIIO século XVIII
O século XVIII
Elton Zanoni
 
Aspectos políticos da colonização
Aspectos políticos da colonizaçãoAspectos políticos da colonização
Aspectos políticos da colonização
Elton Zanoni
 
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVIIMecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
Elton Zanoni
 
A Antiguidade Oriental
A Antiguidade OrientalA Antiguidade Oriental
A Antiguidade Oriental
Elton Zanoni
 
Introdução ao estudo da História
Introdução ao estudo da HistóriaIntrodução ao estudo da História
Introdução ao estudo da História
Elton Zanoni
 
As origens da presença europeia no Brasil
As origens da presença europeia no BrasilAs origens da presença europeia no Brasil
As origens da presença europeia no Brasil
Elton Zanoni
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Elton Zanoni
 
República dos Militares (1964-1985)
República dos Militares (1964-1985)República dos Militares (1964-1985)
República dos Militares (1964-1985)
Elton Zanoni
 
Apostila - História no Vestibular da UDESC
Apostila - História no Vestibular da UDESCApostila - História no Vestibular da UDESC
Apostila - História no Vestibular da UDESC
Elton Zanoni
 
Questões de História de Santa Catarina
Questões de História de Santa CatarinaQuestões de História de Santa Catarina
Questões de História de Santa Catarina
Elton Zanoni
 

Mais de Elton Zanoni (20)

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
Depoimento de Anselmo Duarte (1991)
 
Painel - Italianos em Salto
Painel - Italianos em SaltoPainel - Italianos em Salto
Painel - Italianos em Salto
 
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
Salto: história de suas ruas e praças (Ettore Liberalesso, 1998)
 
Memória em postais - Salto/SP
Memória em postais - Salto/SPMemória em postais - Salto/SP
Memória em postais - Salto/SP
 
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
Histórico da Capela e Irmandade de Nossa Senhora das Neves (1992)
 
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de TavaresSalto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
Salto, por que me encanta? Histórias imperdíveis sobre a terra de Tavares
 
O fim do Antigo Regime
O fim do Antigo RegimeO fim do Antigo Regime
O fim do Antigo Regime
 
O Segundo Reinado
O Segundo ReinadoO Segundo Reinado
O Segundo Reinado
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
O século XVIII
O século XVIIIO século XVIII
O século XVIII
 
Aspectos políticos da colonização
Aspectos políticos da colonizaçãoAspectos políticos da colonização
Aspectos políticos da colonização
 
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVIIMecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
Mecanismos econômicos da colonização portuguesa no Brasil - séculos XVI e XVII
 
A Antiguidade Oriental
A Antiguidade OrientalA Antiguidade Oriental
A Antiguidade Oriental
 
Introdução ao estudo da História
Introdução ao estudo da HistóriaIntrodução ao estudo da História
Introdução ao estudo da História
 
As origens da presença europeia no Brasil
As origens da presença europeia no BrasilAs origens da presença europeia no Brasil
As origens da presença europeia no Brasil
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império Napoleônico
 
República dos Militares (1964-1985)
República dos Militares (1964-1985)República dos Militares (1964-1985)
República dos Militares (1964-1985)
 
Apostila - História no Vestibular da UDESC
Apostila - História no Vestibular da UDESCApostila - História no Vestibular da UDESC
Apostila - História no Vestibular da UDESC
 
Questões de História de Santa Catarina
Questões de História de Santa CatarinaQuestões de História de Santa Catarina
Questões de História de Santa Catarina
 

Último

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 

Último (20)

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 

Lista UFSC - Idade Antiga

  • 1. Questões do vestibular da UFSC sobre Idade Antiga Prof. Elton Zanoni Q1) UFSC 2013 A educação em Esparta Ensinavam a ler e escrever apenas o estritamente necessário. O resto da educação visava acostumá-los à obediência, torná-los duros à adversidade e fazê-los vencer o combate. Do mesmo modo, quando cresciam, eles recebiam um treinamento mais severo: raspavam a cabeça, andavam descalços, brincavam nus a maior parte do tempo. Tais eram seus hábitos. PLUTARCO. A vida de Licurgo. In: PINSKY, Jaime. 100 textos de História Antiga. 4. ed. São Paulo: Contexto, 1998. p. 109. Sobre o papel da educação e da escrita nas sociedades antigas, é CORRETO afirmar que: 01. o Egito antigo, extremamente dependente do rio Nilo e de seu regime de cheias, fez da agricultura sua principal atividade econômica. Esta característica impediu o desenvolvimento da escrita naquela sociedade. 02. a escrita cuneiforme, criada pelos assírios na antiga Mesopotâmia, tinha por função estabelecer acordos comerciais com os etíopes. 04. conforme o trecho acima citado, podemos perceber que a educação tem estreita relação com as características sociais. O militarismo de Esparta influenciou a educação de suas crianças. 08. a educação que uma criança recebia na antiguidade dependia da posição social e do gênero. As mulheres atenienses, por exemplo, recebiam uma educação familiar que lhes qualificava para as atividades domésticas e os cuidados com os filhos. 16. na China, o confucionismo valorizava uma educação pautada no respeito às tradições, ressaltando valores como moderação e harmonia. Q2) UFSC 2012 Várias sociedades antigas se desenvolveram ao longo de rios. Sobre elas, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. As antigas China e Índia também são consideradas sociedades hidráulicas e se favoreceram, respectivamente, dos rios Amarelo e Indo. 02. A China antiga foi rica em pensadores, como Sun Tzu, Confúcio e Lao-Tsé. Uma obra conhecida até hoje e que foi produzida no seio desta sociedade é o tratado militar “A arte da guerra”.
  • 2. 04. A Mesopotâmia, região localizada entre os rios Tigre e Eufrates, foi assim batizada pelos gregos por ficar entre os dois rios. 08. Vários povos formavam o que conhecemos por Mesopotâmia. Entre os principais, figuram aqueus, jônios, eólios e dórios. 16. O Egito foi uma sociedade expansionista desde o período inicial de sua unificação política, o que levou aquela sociedade a estender suas conquistas até o território que hoje conhecemos como Paquistão. 32. O ciclo agrícola proporcionado pelo rio Nilo se refletiu nas concepções mitológicas dos egípcios antigos. Q3) UFSC 2011 Leia o texto abaixo com atenção. Nossa forma de governo não se baseia nas instituições dos povos vizinhos. Não imitamos os outros. Servimos de modelo para eles. Somos uma democracia porque a administração pública depende da maioria, e não de poucos. Nessa democracia, todos os cidadãos são iguais perante as leis para resolver os conflitos particulares. Mas quando se trata de escolher um cidadão para a vida pública, o talento e o mérito reconhecidos em cada um dão acesso aos postos mais honrosos. [...] Usamos a riqueza como um instrumento para agir, e não como motivo de orgulho e ostentação. Entre nós, a pobreza não é causa de vergonha. Vergonhoso é não fazer o possível para evitá-la. Todo o cidadão tem o direito de cuidar de sua vida particular e de seus negócios privados. Mas aquele que não manifestar interesse pela política, pela vida pública, é considerado um inútil. Em resumo, digo que nossa cidade é uma escola para toda Hélade, e cada cidadão ateniense, por suas características, mostra-se capaz de realizar as mais variadas formas de atividade. TUCÍDEDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília/São Paulo: UnB/Hucitec, 1986, cap. 37-41, Livro II. Com base neste texto do historiador ateniense Tucídedes e sobre história antiga ocidental, é CORRETO afirmar que: 01. Atenas era considerada um modelo de cidade para todo o Império Romano. 02. a riqueza mencionada por Tucídedes era vista como ingrediente necessário para projetar a cidade de Atenas no cenário do mundo antigo. 04. o texto evidencia que todos os cidadãos deviam interessar-se por política para não serem considerados inúteis. 08. a mobilização em busca de riqueza era mais importante para a democracia do que o debate político, visto que a riqueza era “... um instrumento para agir.” 16. os postos administrativos de destaque na cidade de Atenas estavam vinculados à quantidade de bens que o cidadão ateniense possuía.
  • 3. 32. de acordo com Tucídedes, os povos vizinhos de Atenas eram seus imitadores. Podemos concluir que, dada à proximidade geográfica, Esparta adotou este modelo. 64. pobreza e riqueza não podiam existir paralelamente na cidade de Atenas, razão pela qual devia haver um esforço para evitar a pobreza. Q4) UFSC 2010 Entre os pobres muitos se dirigem a terras estranhas, vendidos e cobertos de correntes [...]. Quantos dos que tinham sido vendidos, uns injustamente, outros com justiça, fiz voltar para Atenas, sua pátria, fundada pelos deuses [...]. Dei liberdade a outros que, aqui mesmo (em Atenas), sofriam servidão indigna e tremiam diante do humor dos patrões. Eis o que realizei, graças à soberania da lei, fazendo com que a força e a justiça agissem concordemente. Sólon, Elegias. Apud HOLANDA, S. Buarque de. História da Civilização. 6. ed. São Paulo: Nacional, 1979. p. 58. Com base no texto acima e nos seus conhecimentos sobre a sociedade e a democracia ateniense, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. Na experiência democrática vivida pelos atenienses durante o período helenístico, a escravidão foi eliminada através da legislação elaborada por Sólon, sobrevivendo apenas a servidão voluntária. 02. As leis de Sólon, consideradas avançadas para a época da sua promulgação, admitiam a escravização dos endividados ou filhos de escravos, pois a perda de direitos individuais não feria os princípios da democracia ateniense. 04. Na sociedade ateniense, as três principais classes sociais eram representadas por: cidadãos nobres, homens livres nascidos de pai e mãe ateniense; metecos, estrangeiros autorizados a viver na Ática; e escravos, prisioneiros de guerra ou filhos de escravos. 08. Drácon publicou as primeiras leis escritas em Atenas e com elas reforçou o direito dos nobres de interpretar as leis segundo as próprias conveniências, dando origem à tirania e ao adjetivo “draconiano”, que significa severo, rígido. 16. As manifestações de descontentamento com as leis de Drácon fez com que a administração de Atenas fosse confiada ao arconte Sólon, que realizou importantes reformas: proibiu a escravização de pessoas endividadas e perdoou as dívidas dos pequenos lavradores, devolvendo-lhes as terras perdidas. 32. As reformas implantadas por Sólon foram rechaçadas pelos tiranos, nobres empobrecidos pelas decisões democráticas, tomadas em praça pública e com a participação de toda a população de Atenas.
  • 4. Q5) UFSC 2009 Deliberamos [Constantino Augusto e Licínio Augusto] conceder aos cristãos e a quem quer que seja, a liberdade de praticar a religião de sua preferência a fim de que a Divindade que nos céus reside venha a ser favorável e propícia para nós e para todos os nossos súditos. Parece-nos ser medida boa, razoável, não recusar a nenhum de nossos súditos, seja ele cristão ou adepto de qualquer outro culto, o direito de seguir a religião que melhor lhe convenha. Assim sendo, a Divindade que cada um reverenciar a seu modo, livremente, poderá também estender a nós sua benevolência e seus habituais favores. (Édito de Milão). Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) referente(s) à Civilização Romana. 01. A religião romana era politeísta, ligada ao Estado, que estabelecia normas para o culto, para as festas e cerimônias públicas. 02. As obras artísticas em Roma visavam à satisfação de um ideal estético, à exaltação das glórias do Estado e à ostentação de riqueza dos nobres e soldados. 04. Penetraram em Roma inúmeros cultos, entre eles o Cristianismo que, prometendo um mundo melhor aos pobres e oprimidos, foi transformado em religião oficial do Estado. 08. Os cristãos foram perseguidos em Roma, pois o monoteísmo pregado por Cristo não permitia a aceitação da divindade do imperador romano e porque, nas catacumbas, planejava-se a queda do Império. 16. A liberdade de culto da época de Constantino e Licínio foi limitada durante a administração de Teodósio através da imposição do monoteísmo cristão. 32. A Arquitetura era a arte mais desenvolvida em Roma, caracterizada pela sua monumentalidade e influenciada pelo politeísmo, que exigia a construção de muitas igrejas e mosteiros. Q6) UFSC 2008 Subitamente, entreabria-se o quadro sonoro para irromper o coro das lamentações. Acabavam no ar, lucíolas extintas, os derradeiros sons da harpa de David; perdia-se em ecos a derradeira antístrofe de Salomão; [...]. Clamavam as imprecações do dilúvio, os desesperos de Gomorra; flamejava no firmamento a espada do anjo de Senaqueribe; dialogavam em concerto tétrico as súplicas do Egito, os gemidos de Babilônia, as pedras condenadas de Jerusalém. POMPÉIA, Raul. O Ateneu. São Paulo: Ática, 1990. p. 37. Sobre os hebreus e os judeus, é CORRETO afirmar que: 01. David foi considerado o primeiro patriarca hebreu.
  • 5. 02. Senaqueribe foi o rei responsável pela retirada dos hebreus de Jerusalém para a Babilônia, fato este conhecido como Êxodo. 04. no século XX, após a Segunda Guerra Mundial, com a criação do Estado de Israel pela ONU, os judeus voltaram a se reunir em um território. 08. no primeiro milênio a.C., os hebreus foram retirados à força de Canaã pelos egípcios, que os levaram ao vale do rio Nilo e os fizeram escravos. 16. o dilúvio, narrado no Antigo Testamento, provavelmente foi inspirado em um relato muito mais antigo, conhecido pelos sumérios. 32. a construção do Templo de Jerusalém por Salomão foi um marco na centralização política dos hebreus durante o período monárquico. 64. a religião dos hebreus não teve qualquer importância na construção da identidade daquele povo. Q7) UFSC 2007 “ELEFANTES – Vendo. Para circo ou zoológico. Usados mas em bom estado. Já domados e com baixa do exército. Tratar com Aníbal.” (p. 143) “TORRO TUDO – E toco cítara. Tratar com Nero.” (p.144) VERISSIMO, Luis Fernando. “O Classificado através da História”. In: Comédias para se ler na escola. São Paulo: Objetiva, 2001. Sobre Roma na Antiguidade, é CORRETO afirmar que: 01. Aníbal foi um conhecido comandante de Cartago, que combateu os romanos durante as Guerras Púnicas. 02. as Guerras Púnicas, que envolveram Cartago e Roma, aconteceram no contexto da expansão territorial romana. 04. a expansão territorial acabou se revelando um fracasso. Isto pode ser percebido pela ausência de alterações nos hábitos da sociedade romana nos períodos que se sucederam. 08. o domínio de Roma no Mediterrâneo favoreceu o fim da República e a ascensão do Império. 16. Nero foi um governante de Roma conhecido pelo apoio que prestou aos cristãos, sendo responsável por elevar o Cristianismo a religião oficial do Império Romano. 32. o período de governo de Nero é conhecido como um momento de decadência do Império Romano, cujos motivos estão, entre outros, nos graves problemas sociais causados pela existência de uma cidadania restrita e pelos abusos administrativos. 64. a escravidão, embora presente, nunca foi economicamente relevante na sociedade romana.
  • 6. Q8) UFSC 2006 “Bagdá - O famoso tesouro de Nimrud, desaparecido há dois meses em Bagdá, foi encontrado em boas condições em um cofre no Banco Central do Iraque em Bagdá, submerso em água de esgoto, segundo informaram autoridades do exército norte-americano. Cerca de 50 itens, do Museu Nacional do Iraque, estavam desaparecidos desde os saques que seguiram à invasão de Bagdá pelas forças da coalizão anglo-americana. Os tesouros de Nimrud datam de aproximadamente 900 a.C. e foram descobertos por arqueólogos iraquianos nos anos 80, em quatro túmulos reais na cidade de Nimrud, perto de Mosul, no norte do país. Os objetos, de ouro e pedras preciosas, foram encontrados no cofre do Banco Central, em Bagdá, dentro de um outro cofre, submerso pela água da rede de esgoto. Os tesouros, um dos achados arqueológicos mais significativos do século 20, não eram expostos ao público desde a década de 90. Uma equipe de pesquisadores do Museu Britânico chegará na próxima semana a Bagdá para estudar como proteger os objetos.” (O ESTADO DE SÃO PAULO. Versão eletrônica. São Paulo: 07 jun. 2003. Disponível em www.estadao.com.br.) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) em relação às sociedades que se desenvolveram naquela região na Antigüidade. 01. A região compreendida entre os rios Tigre e Eufrates, onde hoje se localizam os territórios do Iraque, do Kweite (Kwait) e parte da Síria, era conhecida como Mesopotâmia. 02. Na Mesopotâmia viveram diversos povos, entre os quais podemos destacar os sumérios, acádios, assírios e babilônios. 04. A religião teve notável influência na vida dos povos da Mesopotâmia. Entre eles surgiu a crença em uma única divindade (monoteísmo). 08. Os babilônios ergueram magníficas construções feitas com blocos de pedra, das quais são exemplos as pirâmides de Gisé. 16. Os povos da Mesopotâmia, além da significativa contribuição no campo da Matemática, destacaram-se na Astronomia e entre eles surgiu um dos mais famosos códigos de leis da Antigüidade, o de Hamurábi. 32. Muitos dos povos da Mesopotâmia possuíram governos autocráticos. Entre os caldeus surgiu o sistema democrático de governo. Q9) UFSC 2005 Sobre o Egito antigo, é CORRETO afirmar que: 01. a construção das pirâmides atendia às necessidades da vida após a morte dos faraós. Esse tipo de construção foi característica da arquitetura funerária durante todo
  • 7. o período do Egito antigo e só foi possível graças à enorme mão-de-obra escrava existente desde o Antigo Reino. 02. o rio Nilo foi de suma importância em vários aspectos da vida dos antigos egípcios. Não só a agricultura foi possível devido ao seu ciclo de cheias, como também a noção de tempo cíclico, base do pensamento egípcio, levou à crença na vida após a morte. 04. os egípcios antigos acreditavam em vários deuses que se relacionavam entre si e formavam seu sistema mitológico. 08. a despeito da influência islâmica, o Egito atual mantém as mesmas crenças religiosas do Egito antigo. Q10) UFSC 2004 Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências às características do sistema feudal. 01. A sociedade feudal era agrária, sendo a terra a principal fonte de riqueza. 02. Na Alta Idade Média, a produção econômica do feudo, além de atender à subsistência, destinava-se ao mercado externo, principalmente o asiático. 04. Os camponeses, além de produzirem o seu próprio sustento, eram obrigados a executar tarefas suplementares para o senhor e a entregar-lhe parte da produção. 08. Na sociedade feudal, a realeza, a nobreza e a burguesia constituíam-se nas classes superiores. Os clérigos, os servos de gleba e os vilões constituíam as camadas mais baixas. Era grande a mobilidade social. 16. Na maior parte da sua existência na Europa Ocidental, o feudalismo ligou-se a formas de governo caracterizadas pela descentralização política. Q11) UFSC 2002 Leia o texto abaixo com atenção: Até as feras selvagens que vagam pela Itália têm cada uma sua caverna, um covil onde repousar. Mas aqueles que combatem e morrem pela Itália não têm nada além da luz e do ar que respiram. Sem casa, sem ter onde se abrigar, vagam com a mulher e os filhos [...] Vocês os fazem combater e morrer para defender a riqueza e o luxo dos outros [...] Vocês os chamam de senhores do mundo, mas eles não possuem nem um pedacinho de terra. (Texto romano do século II. Apud DUARTE, Gleuso Damasceno. Jornada para o nosso tempo. Belo Horizonte: Editora Lê, 1997. p.101).
  • 8. De acordo com o texto acima e seus conhecimentos, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). O texto ... 01. justifica as precárias condições de vida dos camponeses romanos, atribuindo-as à necessidade de serem pobres para poderem defender a pátria. 02. refere-se às determinações das "Leis das XII Tábuas", que proibiam aos plebeus e patrícios a posse da terra. 04. critica as condições de vida dos soldados romanos, a quem a cidade devia sua riqueza e glória, mas que quase nada recebiam em troca. 08. reflete a situação dos patrícios, clientes e plebeus, que eram forçados a entregar ao Estado o excedente da sua produção, vivendo em condições miseráveis. 16. analisa a situação dos romanos pobres. Nas guerras, serviam como soldados. Nos períodos de paz, sofriam sérias discriminações. A terra, riqueza fundamental, era quase toda propriedade dos patrícios. Q12) UFSC 2000 Entre as civilizações da antigüidade, que tiveram o Mar Mediterrâneo como cenário do seu desenvolvimento, destacaram-se os hebreus (Judeus, Israelitas), por terem sido o primeiro povo conhecido que afirmou sua fé em um único Deus. As bases da história, da filosofia, da religião e das leis hebraicas estão contidas na Bíblia, cujos relatos, em parte confirmados por achados arqueológicos, permitem traçar a evolução histórica e cultural do povo hebreu e identificar suas influências sobre outras civilizações. Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências à cultura hebraica. 01. Os hebreus destacaram-se em diferentes áreas do conhecimento humano e nos legaram os livros do Antigo Testamento (Tora). 02. O vínculo visível das influências do judaísmo sobre o cristianismo está na pessoa de Cristo, considerado O Messias pelas duas religiões. 04. Entre os princípios religiosos contidos na Bíblia está o politeísmo, isto é, a crença em muitos deuses. 08. O cristianismo e o islamismo, religiões que têm hoje milhões de seguidores, receberam influências do judaísmo. 16. O Pentateuco, o Talmud e o Alcorão representam o conjunto dos escritos que reúnem os preceitos do judaísmo.
  • 9. Q13) UFSC 1999 As sociedades contemporâneas herdaram valores culturais significativos dos romanos e gregos. Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) relacionada(s) com essas civilizações. 01. A Filosofia grega exerceu influência marcante sobre o pensamento Ocidental, especialmente através de sábios como Platão e Aristóteles. 02. As influências do Direito Romano se fazem presente no sistema jurídico de Estados Ocidentais da atualidade como o Brasil. 04. Da língua latina originaram-se idiomas como o Português, o Espanhol e o Francês. 08. Na sociedade ateniense as mulheres participavam da administração da polis, sem restrições das leis e dos costumes. 16. A posição social das mulheres era de inferioridade, apesar de desempenharem papéis relevantes para a sociedade grega.