SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 6 – 09 de maio de 2010
Subsídios – Lições Bíblicas Página 1
A Soberania e a Autoridade de Deus
Autor do subsídio: Pastor Ronaldo Batista.
Mestre em Teologia.
Convites: (21) 3904-3738
rb-pereira1966@hotmail.com
Texto áureo:
“Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro
para desonra?” Romano 9.21.
ESBOÇO
I. A visita à casa do oleiro
1. O propósito da visita, 18.2.
2. Uma nova revelação, 18.5-6.
3. Uma nova mensagem, 18.7-10
II. A soberania de Deus
1. O que é
2. O que não é
3. Eleição e predestinação
III. A soberania e o lado prático da vida cristã
1. As nossas orações
2. As nossas palavras
3. As nossas atitudes
INTRODUÇÃO
Senhores professores e demais estudiosos da Palavra de Deus, o Pr. Claudionor
de Andrade, comentarista deste trimestre não poderia olvidar de elaborar uma lição em
tão primoroso texto bíblico, que é Jeremias 18. Todavia, este assunto ora em apreço, vem
gerando polêmicas há séculos na história da igreja. Por isso senhores, dentro de uma
dedicação que é própria daqueles que são chamados ao ensino, e zelo pelos alunos, e
demais ouvintes, assim anunciemos o conselho de Deus, apoiando-nos nos ombros de
gigantes da fé e da prática cristã. Tais como Jeremias, Paulo, Tiago, etc.
Esta lição é uma ótima oportunidade de se aprender mais profundamente acerca
de Deus e sua vontade. Aprender também, como um povo pode a reagir a essa vontade
revelada, gerando-nos um discirnimento maior das atitudes e conseqüências.
Lição 6 – 09 de maio de 2010
Subsídios – Lições Bíblicas Página 2
I. A VISITA À CASA DO OLEIRO
1. O propósito da visita
Teria sido um dia comum como todos os outros, mas o Senhor Deus decidiu que
aquele seria diferente, pois tinha um propósito com Jeremias. E o seu desígnio para
Jeremias era que este descesse a olaria, que se localizava próxima à Porta do Oleiro e do
Vale de Hinon. Ali o profeta, naquele lugar de trabalho, atentamente observando um oleiro
teria uma nova experiência com Deus que disse: “Lá te farei ouvir as minhas palavras”, Jr
18.2. Observe, portanto que Deus queria que o profeta o ouvisse de uma maneira um
tanto diferente, assim era necessário que ele estivesse atento na olaria o trabalho que se
desempenhava ali.
Deus falou ao profeta ínumeras vezes diretamente utilizando palavras e frases,
mas agora era necessário que ele estivesse atento a lição que o Senhor queria que ele
aprendesse. Vejamos como Deus criativamente fala com o profeta, nada se repete da
mesma maneira. Para um líder ensinar, edificar, consolar, exortar ou predizer ele deve
como Jeremias ouvir primeiro a voz de Deus. Não devemos nos deixar levar pela
enxurrada de informações que nos rodeia, precisamos apenas “ouvir as palavras do
Senhor” e isso nos basta.
2. Uma nova revelação.
O Senhor Javé tinha para Jeremias uma nova revelação que teria efeito direto em
seu ministério. Tudo que hoje precisamos para conhecer sobre Deus, encontra-se
registrado na Bíblia Sagrada e Jeremias teve a sua participação. Todavia, nós poderemos
através da leitura e do exame cuidadoso das Escrituras, termos uma percepção ou
iluminação desta verdade anteriormente revelada. Nenhuma revelação produzida seria
capaz de somar, competir ou fazer desacreditar a que já existe. Portanto, o que
precisamos é de entendimento, luz acerca do que já foi revelado por Deus.
O que Deus aqui estava revelando a Jeremias era sua soberania ilustrada no oleiro
que modela o barro conforme a sua vontade (Jr 18.5-6), mas esta seria condicionada ao
posicionamento tanto de Israel como nação quanto as nações gentílicas também a
postura adotada quanto a sua vontade revelada, Jr 18.7-10. Conseqüêntemetne é um
grave engano imaginar que as promessas de Deus são incondicionais, principalmente no
tocante a salvação da alma, Mt 10.22; 24.13; Mc 13.13; Ap 2.10.
3. Uma nova mensagem.
Toda nova revelação dada aos profetas e apóstolos das Escrituras representava
uma visão ampliada da vontade divina a ser compartilhada, que ficou registrada para
todos os tempos. Logo, nada neste particular era dado ao profeta para ficar reservado
para exclusivamente para ele. Ao contrário, o profeta deveria compartilhar com a sua
geração essa nova mensagem de Deus. Assim como Jeremias exemplarmente procurou
fazer, Jr 18.7.
Nós hoje, quando temos uma nova percepção da Palavra de Deus também
devemos igualmente compartilhar pela fé com a Igreja de Deus ou onde formos dirigidos,
1Pe 4.11. Mas a nossa mensagem de fato não é nova, mas renovada pelo poder do
Espírito Santo que testifica nos corações quando falamos, Jo 15.26-27.
Lição 6 – 09 de maio de 2010
Subsídios – Lições Bíblicas Página 3
II. A SOBERANIA DE DEUS
Nem sempre a soberania divina foi entendida claramente, dando margens para
pensamentos arbitrários ou indiferentes da deidade. Alguns posicionamentos como a
predestinação absoluta ou o deísmo cego. Vejamos resumidamente acerca deles.
A predestinação absoluta ensina que os homens estão salvos ou condenados
d'ante mão eternamente, pois perderam a imagem de Deus no pecado original. E o
deísmo afirma sua crença em Deus, mas este não assiste a sua criatura, isto é,
abandonou o homem, essa teoria é ilustrada na figura do relojoeiro, que depois de haver
criado o relógio o pôs funcionando e o abandonou. Assim, ambos os posicionamentos
mutilam a soberania divina, mas vejamos então o que é de fato a soberania divina.
1. O que é.
A soberania de Deus consiste no poder ou autoridade suprema do soberano. Tanto
o seu poder quanto a sua vontade são soberanos. A sua autoridade moral e o seu poder
caminham juntos em plena harmonia, pois em sua soberania Ele só realiza aquilo que
condiz com a sua santidade. Todavia, Ele realiza aquilo que deseja sem que possa ser
interpelado por quem quer que seja, pois é Rei sobre toda terra e universo: “Pois o
SENHOR Altíssimo é tremendo, é o grande rei de toda a terra” Sl 47:2. Desta feita quem é
que pode interpelá-lo dizendo: “que fazes?”, Jó 9.12. Ele é o único Soberano que reina
em absoluto, não havendo qualquer comparação, Dt 4.39; Sl 83.13. Em suas mãos reside
todo o soberano poder, 1Cr 29.12; as nações estão sob seu governo, Sl 47.8; tudo está
sob o seu controle, inclusive o caminho dos homens para recompensá-los de acordo com
as suas obras, Is 14.13-14. A sua vontade soberana é expressa continuamente aludindo
ao seu trono de justiça, “O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o
cetro do teu reino” Sl 45.6. O entendimento da soberania do Senhor é expressado em
louvor ao longo das escrituras, pois porque dele, por ele, para ele são todas as coisas, a
Ele a glória para sempre!
2. O que não é.
Não se deve confundir soberania que é expressa num agir legítimo do Soberano
divino, baseado em princípio com o agir infundado dos soberanos humanos que agem de
acordo com seus caprichos e vaidades. Deus se move por leis e age de acordo com seus
princípios e decretos. Por isso seu nome é Javé, aquele que é e não muda jamais. Isso
aponta também para a justiça e imparcialidade do Ser.
Dentro do sistema teológico calvinista existe a predestinação absoluta ou fatalista,
pensamentos fomentados desde Agostinho de Hipona que com sua visão neoplatônica
influênciou muitos teólogos ao longo dos séculos. Agostinho ensinou que o homem na
prática do pecado original perdeu em si a liberdade, tornando-se escravo do pecado, com
isso também perdeu a imagem de Deus e ficou impossibilitado pela depravação ser um
homem pleno. Igualmente, Agostinho buscava um caminho oposto de * “Pelágio que
negava a depravação da humanidade”. Esse pensamento não reflete toda a plenitude do
que a Bíblia expressa sobre a soberania divina. E muito menos o deísmo, ilustrado na
pessoa do relojoeiro, como expusemos acima.
Lição 6 – 09 de maio de 2010
Subsídios – Lições Bíblicas Página 4
3. Eleição e predestinação
A eleição é um ato da escolha divina que recai sobre a sua Igreja como um todo.
Deus em sua sabedoria e poder providenciou um plano abrangente para todos, observe
que, quando a Bíblia trata da eleição está sempre no plural: “Não me escolhestes vós a
mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto
permaneça”, Jo 15.16. Veja também o que diz Paulo: “nos elegeu nele antes da fundação
do mundo”, Ef 1.4; “por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação”, 2Ts 2.13.
Essa escolha divina está ligada aos que estão em Cristo, o cabeça da nossa salvação.
Não aos indivíduos em si, mas a todos os que crerem em seu Filho. Aqui não há espaço a
arbitrariedade, pois Deus ama a todos, quer salvar a todos, não tem prazer na morte do
ímpio. Mesmo sabendo quem previamente será salvo ou perdido. Agora pense, que pai
justo e amoroso escolheria alguns dos filhos que gerou para a condenação? Nenhum,
muito menos Deus.
De igual modo acontece com a predestinação, nos textos de Paulo não está
separada da eleição, vide Rm 8.29-30; Ef 1.5,11. A predestinação está reservada aos
eleitos em Cristo, para serem conformes a imagem de seu Filho, para que ele mesmo
com o fim da adoção de filhos tornando-nos Cristo sua herança. Chamo a sua atenção
para que nenhuns dos textos indicados expressam decretos divinos condenatórios, pois
os contextos da palavra predestinar são aplicados a Igreja, Corpo de Cristo.
III. A SOBERANIA DE DEUS E O LADO PRÁTICO DA VIDA CRISTÃ
1. As nossas orações.
As orações não têm como propósito interferir em sua soberania ou mudar a
vontade de Deus, pois que ela é boa, perfeita e agradável, Rm 12.2. As respostas às
nossas orações nos revelam ainda mais acerca de Deus e da sua vontade, que como
seus servos devemos nos deleitar em cumprí-la. Isso, contudo não nos impede de sermos
respeitosamente ousados em nossa maneira de orar, basta nos lembrarmos da oração de
Moisés, de Elias, do Senhor Jesus e Paulo. Por outro lado, não se deve dirigir a Deus de
qualquer maneira, como se Ele fosse um escravo de nossas vontades e caprichos. Muitos
pedem e não recebem de Deus porque não têm fé ou sabedoria em pedir, Tg 1.6; 4.3.
Mesmo que reivindiquemos certas promessas, elas deverão ter um tempo para se
cumprirem visando o nosso próprio bem.
2. As nossas palavras
As nossas palavras costumam revelar o que de fato há em nosso coração, nossos
propósitos, sentimentos, anseios, etc. Todavia, devemos entender a importância da
nossa disposição contínua em nos submeter de coração a Deus. Devemos nos disciplinar
em nosso íntimo e em nossas palavras quanto à autoridade de Deus sobre nós, com o
propósito de sermos achados obedientes, mas também um agente influenciador
daqueles que nos rodeiam. Por exemplo, “se Deus quiser farei tal viagem ou farei isso ou
aquilo”, Tg 4.13-17. Todavia, isso não se aplica em casos lógicos revelados na Palavra
de Deus: “Se Deus quiser vou orar, vou evangelizar, vou expulsar demônios” porque isso
já foi revelado e ordenado aos seus servos fazerem.
Lição 6 – 09 de maio de 2010
Subsídios – Lições Bíblicas Página 5
3. As nossas atitudes
O cristão não só se expressa através de palavras, mas também de suas atitudes,
pois há essa linguagem sem palavras que se exprime por nosso intermédio. Nós
podemos parecer cristãos, agir como tais, nos vestirmos e falarmos à moda evangélica e
mesmo assim estarmos desligados interiormente de Deus, por amarmos o mundo. Ainda
que não pratiquemos nada que nos desabone socialmente, poderemos estar mortos
espiritualmente. Pelo fato de Deus não estar participando da nossa vida, dos nossos
planos, do nosso trabalho, do nosso lar. E também, sobretudo por não demonstrarmos
temor a Deus. Como a soberania e autoridade de Deus serão conhecidas, se Cristo não é
o centro das nossas vidas e nem demonstrarmos o temor ao seu nome? De maneira
nenhuma. Esse lado prático de nossa vida deve demonstrar uma indizível alegria, por
sermos eleitos em Cristo e predestinados para sermos conforme a sua imagem. A Ele
glória, honra e louvor para sempre, Rm 11.33-36. Amém.
CONCLUSÃO
Caro irmão visite a casa do Oleiro, isto é, esteja sensível a voz de Deus. Entenda
que Ele ali quer te falar acerca da sua soberania, autoridade e ou outra vontade
específica para a sua vida. Precisamos urgentemente ouvir a Palavra de Deus. Entenda
que há em Deus planos grandiosos, coisas firmes que Ele gostaria de compartilhar, mas
também se faz necessário clamar e ter determinação para viver de acordo com essa
vontade.
---------------------------------------------------
Obras consultadas
 Stanley Horton - Teologia Sistemática, Uma Perspectiva Pentecostal – CPAD.
 Enciclopédia Histórico Teológica da Igreja Cristã – Edições Vida Nova.
 Trabalho de Teologia Própria – Do autor.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livros Poéticos: Jó
Livros Poéticos: JóLivros Poéticos: Jó
Livros Poéticos: Jó
Viva a Igreja
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Panorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - EclesiastesPanorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - Eclesiastes
Respirando Deus
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
Quenia Damata
 
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
Hamilton Souza
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
Isaias Christal
 
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPADLição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
João Paulo Silva Mendes
 
4º módulo 1ª aula
4º módulo   1ª aula4º módulo   1ª aula
4º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
3º módulo 1ª aula
3º módulo   1ª aula3º módulo   1ª aula
3º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
Lbj lição 6 O pai-nosso
Lbj lição 6   O pai-nossoLbj lição 6   O pai-nosso
Lbj lição 6 O pai-nosso
boasnovassena
 
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPOLIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
Natalino das Neves Neves
 
Slides reflexão bíblica
Slides   reflexão bíblicaSlides   reflexão bíblica
Slides reflexão bíblica
eschappy
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
Decio Da Costa Costa
 
2021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 012021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 01
Joel Silva
 
Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
 Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018. Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
Ramón Zazatt
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
Ricardo Gondim
 
23. Os poéticos: Jó
23. Os poéticos: Jó23. Os poéticos: Jó
23. Os poéticos: Jó
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus CristoLição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Andrew Guimarães
 
Watchman nee as três atitudes do crente
Watchman nee   as três atitudes do crenteWatchman nee   as três atitudes do crente
Watchman nee as três atitudes do crente
Escola Bíblica Ministério Missões
 
Discipulado para jovens e adultos
Discipulado para jovens e adultosDiscipulado para jovens e adultos
Discipulado para jovens e adultos
Vilmar Nascimento
 

Mais procurados (20)

Livros Poéticos: Jó
Livros Poéticos: JóLivros Poéticos: Jó
Livros Poéticos: Jó
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
 
Panorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - EclesiastesPanorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - Eclesiastes
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
 
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
REVISTA ADULTO - 4º Trimestre de 2018 - As Parábolas de Jesus As Verdades e P...
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
 
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPADLição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
 
4º módulo 1ª aula
4º módulo   1ª aula4º módulo   1ª aula
4º módulo 1ª aula
 
3º módulo 1ª aula
3º módulo   1ª aula3º módulo   1ª aula
3º módulo 1ª aula
 
Lbj lição 6 O pai-nosso
Lbj lição 6   O pai-nossoLbj lição 6   O pai-nosso
Lbj lição 6 O pai-nosso
 
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPOLIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
 
Slides reflexão bíblica
Slides   reflexão bíblicaSlides   reflexão bíblica
Slides reflexão bíblica
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
 
2021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 012021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 01
 
Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
 Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018. Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
Unidade 4 - Descobrindo em parte "O Mistério da Trindade" - versão 2018.
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 
23. Os poéticos: Jó
23. Os poéticos: Jó23. Os poéticos: Jó
23. Os poéticos: Jó
 
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus CristoLição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
Lição 3 - Justificação, Somente Pela Fé Em Jesus Cristo
 
Watchman nee as três atitudes do crente
Watchman nee   as três atitudes do crenteWatchman nee   as três atitudes do crente
Watchman nee as três atitudes do crente
 
Discipulado para jovens e adultos
Discipulado para jovens e adultosDiscipulado para jovens e adultos
Discipulado para jovens e adultos
 

Destaque

A soberania de Deus
A soberania de  DeusA soberania de  Deus
A soberania de Deus
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
A Soberania de Deus
A Soberania de DeusA Soberania de Deus
A Soberania de Deus
Igreja Batista Regular da Fé
 
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
Regio Davis
 
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPEResultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
Portal Voluntários Online
 
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Fernanda Bornhausen Sá
 
Jeremias
JeremiasJeremias
Um Canteiro Moldável Ao Pai
Um Canteiro Moldável Ao PaiUm Canteiro Moldável Ao Pai
Um Canteiro Moldável Ao Pai
Calebe Santos
 
Barro nas maos de Deus
Barro nas maos de DeusBarro nas maos de Deus
Barro nas maos de Deus
Mensagens Virtuais
 
Boletim 208
Boletim 208Boletim 208
O barro e o oleiro
O barro e o oleiroO barro e o oleiro
O barro e o oleiro
Emerson Nascimento
 
Barro nas maos de deus e vaso
Barro nas maos de deus e vasoBarro nas maos de deus e vaso
Barro nas maos de deus e vaso
Fer Nanda
 
Olaria de deus
Olaria de deusOlaria de deus
Olaria de deus
Sthefanie Vieira
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Descendo a casa do oleiro
Descendo a casa do oleiroDescendo a casa do oleiro
Descendo a casa do oleiro
Gisele Natal
 
Nas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiroNas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiro
Aldenei Barros
 
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o BarroDeus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Carlos Oliveira
 
Oleiro
OleiroOleiro
Oleiro
Soraia Lino
 
A Soberania do Reino de Deus
A Soberania do Reino de DeusA Soberania do Reino de Deus
A Soberania do Reino de Deus
Rogério Nunes
 
Nnex o negócio do século XXI
Nnex o negócio do século XXINnex o negócio do século XXI
Nnex o negócio do século XXI
NnexOficial
 
Vaso novo ou vaso quebrado
Vaso novo ou vaso quebradoVaso novo ou vaso quebrado
Vaso novo ou vaso quebrado
dimas campos
 

Destaque (20)

A soberania de Deus
A soberania de  DeusA soberania de  Deus
A soberania de Deus
 
A Soberania de Deus
A Soberania de DeusA Soberania de Deus
A Soberania de Deus
 
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
Lição 01 - A Sobrevivência em Tempos de Crise
 
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPEResultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE
 
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
 
Jeremias
JeremiasJeremias
Jeremias
 
Um Canteiro Moldável Ao Pai
Um Canteiro Moldável Ao PaiUm Canteiro Moldável Ao Pai
Um Canteiro Moldável Ao Pai
 
Barro nas maos de Deus
Barro nas maos de DeusBarro nas maos de Deus
Barro nas maos de Deus
 
Boletim 208
Boletim 208Boletim 208
Boletim 208
 
O barro e o oleiro
O barro e o oleiroO barro e o oleiro
O barro e o oleiro
 
Barro nas maos de deus e vaso
Barro nas maos de deus e vasoBarro nas maos de deus e vaso
Barro nas maos de deus e vaso
 
Olaria de deus
Olaria de deusOlaria de deus
Olaria de deus
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
 
Descendo a casa do oleiro
Descendo a casa do oleiroDescendo a casa do oleiro
Descendo a casa do oleiro
 
Nas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiroNas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiro
 
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o BarroDeus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o Barro
 
Oleiro
OleiroOleiro
Oleiro
 
A Soberania do Reino de Deus
A Soberania do Reino de DeusA Soberania do Reino de Deus
A Soberania do Reino de Deus
 
Nnex o negócio do século XXI
Nnex o negócio do século XXINnex o negócio do século XXI
Nnex o negócio do século XXI
 
Vaso novo ou vaso quebrado
Vaso novo ou vaso quebradoVaso novo ou vaso quebrado
Vaso novo ou vaso quebrado
 

Semelhante a Lição 6 a soberania e a autoridade de deus

Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bjOs Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
bigbang519
 
A. w. pink os atributos de deus
A. w. pink   os atributos de deusA. w. pink   os atributos de deus
A. w. pink os atributos de deus
Rayane Leão Rayane
 
A. w. pink os atributos de Deus
A. w. pink   os atributos de DeusA. w. pink   os atributos de Deus
A. w. pink os atributos de Deus
Débora Cruz Rocha Farias
 
Princípios Doutrinários
Princípios DoutrináriosPrincípios Doutrinários
Princípios Doutrinários
Jessé Lopes
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Éder Tomé
 
cartas de Paulo - glossario.pptx
cartas de Paulo - glossario.pptxcartas de Paulo - glossario.pptx
cartas de Paulo - glossario.pptx
PIB Penha - SP
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Gerson G. Ramos
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
AlexDoAprisco1
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
Walber Michellon
 
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptxSlide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
ssuserc15eea1
 
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
boasnovassena
 
A MENTE OU A GRAÇA
A MENTE OU A GRAÇAA MENTE OU A GRAÇA
A MENTE OU A GRAÇA
Juarez Fragata
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Dangelo Nascimento
 
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu narizEu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
Tricô Fácil
 
Romanos 14
Romanos 14Romanos 14
Romanos 14
RibamarCantanhede3
 
O caráter de Deus
O caráter de DeusO caráter de Deus
O caráter de Deus
Quenia Damata
 
O homem sem deus
O homem sem deusO homem sem deus
O homem sem deus
Pastor Robson Colaço
 
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
DENISE DE ALMEIDA
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
Joel Silva
 

Semelhante a Lição 6 a soberania e a autoridade de deus (20)

Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bjOs Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
Os Atributos de Deus.pdf hhij hh. HB vfuj bj
 
A. w. pink os atributos de deus
A. w. pink   os atributos de deusA. w. pink   os atributos de deus
A. w. pink os atributos de deus
 
A. w. pink os atributos de Deus
A. w. pink   os atributos de DeusA. w. pink   os atributos de Deus
A. w. pink os atributos de Deus
 
Princípios Doutrinários
Princípios DoutrináriosPrincípios Doutrinários
Princípios Doutrinários
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
 
cartas de Paulo - glossario.pptx
cartas de Paulo - glossario.pptxcartas de Paulo - glossario.pptx
cartas de Paulo - glossario.pptx
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
 
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptxSlide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
Slide - EBD ADEB 2022 Licao 07 1Trim (1).pptx
 
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
 
A MENTE OU A GRAÇA
A MENTE OU A GRAÇAA MENTE OU A GRAÇA
A MENTE OU A GRAÇA
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
 
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu narizEu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
Eu e Minha Boca Grande - Joyce Meyer Sua resposta está bem debaixo do seu nariz
 
Romanos 14
Romanos 14Romanos 14
Romanos 14
 
O caráter de Deus
O caráter de DeusO caráter de Deus
O caráter de Deus
 
O homem sem deus
O homem sem deusO homem sem deus
O homem sem deus
 
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs - Lição 03 - 3ºTrimestre de 2015
 
Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 07.pptx
 

Mais de prvladimir

Dicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebreDicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebre
prvladimir
 
Princípios para tomada de decisões
Princípios para tomada de decisõesPrincípios para tomada de decisões
Princípios para tomada de decisões
prvladimir
 
Algumas verdades sobre relacionamentos
Algumas verdades sobre relacionamentosAlgumas verdades sobre relacionamentos
Algumas verdades sobre relacionamentos
prvladimir
 
A arte de crescer com as pessoas
A arte de crescer com as pessoasA arte de crescer com as pessoas
A arte de crescer com as pessoas
prvladimir
 
A importância da geração de discípulos
A importância da geração de discípulosA importância da geração de discípulos
A importância da geração de discípulos
prvladimir
 
Estratégias de evangelização dos pequeninos profª cristiane pessanha
Estratégias de evangelização dos pequeninos   profª cristiane pessanhaEstratégias de evangelização dos pequeninos   profª cristiane pessanha
Estratégias de evangelização dos pequeninos profª cristiane pessanha
prvladimir
 
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourãoRelacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
prvladimir
 
Conectando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
Conectando as gerações com a palavra de deus    pr. josé márioConectando as gerações com a palavra de deus    pr. josé mário
Conectando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
prvladimir
 
O desafio de ensinar a verdade na atualidade pr. germano soares
O desafio de ensinar a verdade na atualidade   pr. germano soaresO desafio de ensinar a verdade na atualidade   pr. germano soares
O desafio de ensinar a verdade na atualidade pr. germano soares
prvladimir
 
Confrontando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
Confrontando as gerações com a palavra de deus  pr. josé márioConfrontando as gerações com a palavra de deus  pr. josé mário
Confrontando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
prvladimir
 
Desafios de ensinar a verdade na atualidade pr germano soares
Desafios de ensinar a verdade na atualidade   pr germano soaresDesafios de ensinar a verdade na atualidade   pr germano soares
Desafios de ensinar a verdade na atualidade pr germano soares
prvladimir
 
Liderança2
Liderança2Liderança2
Liderança2
prvladimir
 
Liderança espiritual josué
Liderança espiritual josuéLiderança espiritual josué
Liderança espiritual josué
prvladimir
 
Lição 9 esperando contra a esperança
Lição 9   esperando contra a esperançaLição 9   esperando contra a esperança
Lição 9 esperando contra a esperança
prvladimir
 
Lição 8 o poder da verdadeira profecia - a
Lição 8   o poder da verdadeira profecia - aLição 8   o poder da verdadeira profecia - a
Lição 8 o poder da verdadeira profecia - a
prvladimir
 
Lição 7 o cuidado com as ovelhas
Lição 7   o cuidado com as ovelhasLição 7   o cuidado com as ovelhas
Lição 7 o cuidado com as ovelhas
prvladimir
 
Lição 1 jeremias, o profeta da esperança
Lição 1   jeremias, o profeta da esperançaLição 1   jeremias, o profeta da esperança
Lição 1 jeremias, o profeta da esperança
prvladimir
 
Lição 2 os perigos do desvio espiritual
Lição 2   os perigos do desvio espiritualLição 2   os perigos do desvio espiritual
Lição 2 os perigos do desvio espiritual
prvladimir
 
Lição 3 Anunciando ousadamente a palavra de deus
Lição 3   Anunciando ousadamente a palavra de deusLição 3   Anunciando ousadamente a palavra de deus
Lição 3 Anunciando ousadamente a palavra de deus
prvladimir
 
Lição 4 chorando aos pés do senhor
Lição 4   chorando aos pés do senhorLição 4   chorando aos pés do senhor
Lição 4 chorando aos pés do senhor
prvladimir
 

Mais de prvladimir (20)

Dicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebreDicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebre
 
Princípios para tomada de decisões
Princípios para tomada de decisõesPrincípios para tomada de decisões
Princípios para tomada de decisões
 
Algumas verdades sobre relacionamentos
Algumas verdades sobre relacionamentosAlgumas verdades sobre relacionamentos
Algumas verdades sobre relacionamentos
 
A arte de crescer com as pessoas
A arte de crescer com as pessoasA arte de crescer com as pessoas
A arte de crescer com as pessoas
 
A importância da geração de discípulos
A importância da geração de discípulosA importância da geração de discípulos
A importância da geração de discípulos
 
Estratégias de evangelização dos pequeninos profª cristiane pessanha
Estratégias de evangelização dos pequeninos   profª cristiane pessanhaEstratégias de evangelização dos pequeninos   profª cristiane pessanha
Estratégias de evangelização dos pequeninos profª cristiane pessanha
 
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourãoRelacionamento interpessoal no ministério educacional   pr. andré mourão
Relacionamento interpessoal no ministério educacional pr. andré mourão
 
Conectando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
Conectando as gerações com a palavra de deus    pr. josé márioConectando as gerações com a palavra de deus    pr. josé mário
Conectando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
 
O desafio de ensinar a verdade na atualidade pr. germano soares
O desafio de ensinar a verdade na atualidade   pr. germano soaresO desafio de ensinar a verdade na atualidade   pr. germano soares
O desafio de ensinar a verdade na atualidade pr. germano soares
 
Confrontando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
Confrontando as gerações com a palavra de deus  pr. josé márioConfrontando as gerações com a palavra de deus  pr. josé mário
Confrontando as gerações com a palavra de deus pr. josé mário
 
Desafios de ensinar a verdade na atualidade pr germano soares
Desafios de ensinar a verdade na atualidade   pr germano soaresDesafios de ensinar a verdade na atualidade   pr germano soares
Desafios de ensinar a verdade na atualidade pr germano soares
 
Liderança2
Liderança2Liderança2
Liderança2
 
Liderança espiritual josué
Liderança espiritual josuéLiderança espiritual josué
Liderança espiritual josué
 
Lição 9 esperando contra a esperança
Lição 9   esperando contra a esperançaLição 9   esperando contra a esperança
Lição 9 esperando contra a esperança
 
Lição 8 o poder da verdadeira profecia - a
Lição 8   o poder da verdadeira profecia - aLição 8   o poder da verdadeira profecia - a
Lição 8 o poder da verdadeira profecia - a
 
Lição 7 o cuidado com as ovelhas
Lição 7   o cuidado com as ovelhasLição 7   o cuidado com as ovelhas
Lição 7 o cuidado com as ovelhas
 
Lição 1 jeremias, o profeta da esperança
Lição 1   jeremias, o profeta da esperançaLição 1   jeremias, o profeta da esperança
Lição 1 jeremias, o profeta da esperança
 
Lição 2 os perigos do desvio espiritual
Lição 2   os perigos do desvio espiritualLição 2   os perigos do desvio espiritual
Lição 2 os perigos do desvio espiritual
 
Lição 3 Anunciando ousadamente a palavra de deus
Lição 3   Anunciando ousadamente a palavra de deusLição 3   Anunciando ousadamente a palavra de deus
Lição 3 Anunciando ousadamente a palavra de deus
 
Lição 4 chorando aos pés do senhor
Lição 4   chorando aos pés do senhorLição 4   chorando aos pés do senhor
Lição 4 chorando aos pés do senhor
 

Último

Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 

Último (15)

Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 

Lição 6 a soberania e a autoridade de deus

  • 1. Lição 6 – 09 de maio de 2010 Subsídios – Lições Bíblicas Página 1 A Soberania e a Autoridade de Deus Autor do subsídio: Pastor Ronaldo Batista. Mestre em Teologia. Convites: (21) 3904-3738 rb-pereira1966@hotmail.com Texto áureo: “Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?” Romano 9.21. ESBOÇO I. A visita à casa do oleiro 1. O propósito da visita, 18.2. 2. Uma nova revelação, 18.5-6. 3. Uma nova mensagem, 18.7-10 II. A soberania de Deus 1. O que é 2. O que não é 3. Eleição e predestinação III. A soberania e o lado prático da vida cristã 1. As nossas orações 2. As nossas palavras 3. As nossas atitudes INTRODUÇÃO Senhores professores e demais estudiosos da Palavra de Deus, o Pr. Claudionor de Andrade, comentarista deste trimestre não poderia olvidar de elaborar uma lição em tão primoroso texto bíblico, que é Jeremias 18. Todavia, este assunto ora em apreço, vem gerando polêmicas há séculos na história da igreja. Por isso senhores, dentro de uma dedicação que é própria daqueles que são chamados ao ensino, e zelo pelos alunos, e demais ouvintes, assim anunciemos o conselho de Deus, apoiando-nos nos ombros de gigantes da fé e da prática cristã. Tais como Jeremias, Paulo, Tiago, etc. Esta lição é uma ótima oportunidade de se aprender mais profundamente acerca de Deus e sua vontade. Aprender também, como um povo pode a reagir a essa vontade revelada, gerando-nos um discirnimento maior das atitudes e conseqüências.
  • 2. Lição 6 – 09 de maio de 2010 Subsídios – Lições Bíblicas Página 2 I. A VISITA À CASA DO OLEIRO 1. O propósito da visita Teria sido um dia comum como todos os outros, mas o Senhor Deus decidiu que aquele seria diferente, pois tinha um propósito com Jeremias. E o seu desígnio para Jeremias era que este descesse a olaria, que se localizava próxima à Porta do Oleiro e do Vale de Hinon. Ali o profeta, naquele lugar de trabalho, atentamente observando um oleiro teria uma nova experiência com Deus que disse: “Lá te farei ouvir as minhas palavras”, Jr 18.2. Observe, portanto que Deus queria que o profeta o ouvisse de uma maneira um tanto diferente, assim era necessário que ele estivesse atento na olaria o trabalho que se desempenhava ali. Deus falou ao profeta ínumeras vezes diretamente utilizando palavras e frases, mas agora era necessário que ele estivesse atento a lição que o Senhor queria que ele aprendesse. Vejamos como Deus criativamente fala com o profeta, nada se repete da mesma maneira. Para um líder ensinar, edificar, consolar, exortar ou predizer ele deve como Jeremias ouvir primeiro a voz de Deus. Não devemos nos deixar levar pela enxurrada de informações que nos rodeia, precisamos apenas “ouvir as palavras do Senhor” e isso nos basta. 2. Uma nova revelação. O Senhor Javé tinha para Jeremias uma nova revelação que teria efeito direto em seu ministério. Tudo que hoje precisamos para conhecer sobre Deus, encontra-se registrado na Bíblia Sagrada e Jeremias teve a sua participação. Todavia, nós poderemos através da leitura e do exame cuidadoso das Escrituras, termos uma percepção ou iluminação desta verdade anteriormente revelada. Nenhuma revelação produzida seria capaz de somar, competir ou fazer desacreditar a que já existe. Portanto, o que precisamos é de entendimento, luz acerca do que já foi revelado por Deus. O que Deus aqui estava revelando a Jeremias era sua soberania ilustrada no oleiro que modela o barro conforme a sua vontade (Jr 18.5-6), mas esta seria condicionada ao posicionamento tanto de Israel como nação quanto as nações gentílicas também a postura adotada quanto a sua vontade revelada, Jr 18.7-10. Conseqüêntemetne é um grave engano imaginar que as promessas de Deus são incondicionais, principalmente no tocante a salvação da alma, Mt 10.22; 24.13; Mc 13.13; Ap 2.10. 3. Uma nova mensagem. Toda nova revelação dada aos profetas e apóstolos das Escrituras representava uma visão ampliada da vontade divina a ser compartilhada, que ficou registrada para todos os tempos. Logo, nada neste particular era dado ao profeta para ficar reservado para exclusivamente para ele. Ao contrário, o profeta deveria compartilhar com a sua geração essa nova mensagem de Deus. Assim como Jeremias exemplarmente procurou fazer, Jr 18.7. Nós hoje, quando temos uma nova percepção da Palavra de Deus também devemos igualmente compartilhar pela fé com a Igreja de Deus ou onde formos dirigidos, 1Pe 4.11. Mas a nossa mensagem de fato não é nova, mas renovada pelo poder do Espírito Santo que testifica nos corações quando falamos, Jo 15.26-27.
  • 3. Lição 6 – 09 de maio de 2010 Subsídios – Lições Bíblicas Página 3 II. A SOBERANIA DE DEUS Nem sempre a soberania divina foi entendida claramente, dando margens para pensamentos arbitrários ou indiferentes da deidade. Alguns posicionamentos como a predestinação absoluta ou o deísmo cego. Vejamos resumidamente acerca deles. A predestinação absoluta ensina que os homens estão salvos ou condenados d'ante mão eternamente, pois perderam a imagem de Deus no pecado original. E o deísmo afirma sua crença em Deus, mas este não assiste a sua criatura, isto é, abandonou o homem, essa teoria é ilustrada na figura do relojoeiro, que depois de haver criado o relógio o pôs funcionando e o abandonou. Assim, ambos os posicionamentos mutilam a soberania divina, mas vejamos então o que é de fato a soberania divina. 1. O que é. A soberania de Deus consiste no poder ou autoridade suprema do soberano. Tanto o seu poder quanto a sua vontade são soberanos. A sua autoridade moral e o seu poder caminham juntos em plena harmonia, pois em sua soberania Ele só realiza aquilo que condiz com a sua santidade. Todavia, Ele realiza aquilo que deseja sem que possa ser interpelado por quem quer que seja, pois é Rei sobre toda terra e universo: “Pois o SENHOR Altíssimo é tremendo, é o grande rei de toda a terra” Sl 47:2. Desta feita quem é que pode interpelá-lo dizendo: “que fazes?”, Jó 9.12. Ele é o único Soberano que reina em absoluto, não havendo qualquer comparação, Dt 4.39; Sl 83.13. Em suas mãos reside todo o soberano poder, 1Cr 29.12; as nações estão sob seu governo, Sl 47.8; tudo está sob o seu controle, inclusive o caminho dos homens para recompensá-los de acordo com as suas obras, Is 14.13-14. A sua vontade soberana é expressa continuamente aludindo ao seu trono de justiça, “O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu reino” Sl 45.6. O entendimento da soberania do Senhor é expressado em louvor ao longo das escrituras, pois porque dele, por ele, para ele são todas as coisas, a Ele a glória para sempre! 2. O que não é. Não se deve confundir soberania que é expressa num agir legítimo do Soberano divino, baseado em princípio com o agir infundado dos soberanos humanos que agem de acordo com seus caprichos e vaidades. Deus se move por leis e age de acordo com seus princípios e decretos. Por isso seu nome é Javé, aquele que é e não muda jamais. Isso aponta também para a justiça e imparcialidade do Ser. Dentro do sistema teológico calvinista existe a predestinação absoluta ou fatalista, pensamentos fomentados desde Agostinho de Hipona que com sua visão neoplatônica influênciou muitos teólogos ao longo dos séculos. Agostinho ensinou que o homem na prática do pecado original perdeu em si a liberdade, tornando-se escravo do pecado, com isso também perdeu a imagem de Deus e ficou impossibilitado pela depravação ser um homem pleno. Igualmente, Agostinho buscava um caminho oposto de * “Pelágio que negava a depravação da humanidade”. Esse pensamento não reflete toda a plenitude do que a Bíblia expressa sobre a soberania divina. E muito menos o deísmo, ilustrado na pessoa do relojoeiro, como expusemos acima.
  • 4. Lição 6 – 09 de maio de 2010 Subsídios – Lições Bíblicas Página 4 3. Eleição e predestinação A eleição é um ato da escolha divina que recai sobre a sua Igreja como um todo. Deus em sua sabedoria e poder providenciou um plano abrangente para todos, observe que, quando a Bíblia trata da eleição está sempre no plural: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça”, Jo 15.16. Veja também o que diz Paulo: “nos elegeu nele antes da fundação do mundo”, Ef 1.4; “por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação”, 2Ts 2.13. Essa escolha divina está ligada aos que estão em Cristo, o cabeça da nossa salvação. Não aos indivíduos em si, mas a todos os que crerem em seu Filho. Aqui não há espaço a arbitrariedade, pois Deus ama a todos, quer salvar a todos, não tem prazer na morte do ímpio. Mesmo sabendo quem previamente será salvo ou perdido. Agora pense, que pai justo e amoroso escolheria alguns dos filhos que gerou para a condenação? Nenhum, muito menos Deus. De igual modo acontece com a predestinação, nos textos de Paulo não está separada da eleição, vide Rm 8.29-30; Ef 1.5,11. A predestinação está reservada aos eleitos em Cristo, para serem conformes a imagem de seu Filho, para que ele mesmo com o fim da adoção de filhos tornando-nos Cristo sua herança. Chamo a sua atenção para que nenhuns dos textos indicados expressam decretos divinos condenatórios, pois os contextos da palavra predestinar são aplicados a Igreja, Corpo de Cristo. III. A SOBERANIA DE DEUS E O LADO PRÁTICO DA VIDA CRISTÃ 1. As nossas orações. As orações não têm como propósito interferir em sua soberania ou mudar a vontade de Deus, pois que ela é boa, perfeita e agradável, Rm 12.2. As respostas às nossas orações nos revelam ainda mais acerca de Deus e da sua vontade, que como seus servos devemos nos deleitar em cumprí-la. Isso, contudo não nos impede de sermos respeitosamente ousados em nossa maneira de orar, basta nos lembrarmos da oração de Moisés, de Elias, do Senhor Jesus e Paulo. Por outro lado, não se deve dirigir a Deus de qualquer maneira, como se Ele fosse um escravo de nossas vontades e caprichos. Muitos pedem e não recebem de Deus porque não têm fé ou sabedoria em pedir, Tg 1.6; 4.3. Mesmo que reivindiquemos certas promessas, elas deverão ter um tempo para se cumprirem visando o nosso próprio bem. 2. As nossas palavras As nossas palavras costumam revelar o que de fato há em nosso coração, nossos propósitos, sentimentos, anseios, etc. Todavia, devemos entender a importância da nossa disposição contínua em nos submeter de coração a Deus. Devemos nos disciplinar em nosso íntimo e em nossas palavras quanto à autoridade de Deus sobre nós, com o propósito de sermos achados obedientes, mas também um agente influenciador daqueles que nos rodeiam. Por exemplo, “se Deus quiser farei tal viagem ou farei isso ou aquilo”, Tg 4.13-17. Todavia, isso não se aplica em casos lógicos revelados na Palavra de Deus: “Se Deus quiser vou orar, vou evangelizar, vou expulsar demônios” porque isso já foi revelado e ordenado aos seus servos fazerem.
  • 5. Lição 6 – 09 de maio de 2010 Subsídios – Lições Bíblicas Página 5 3. As nossas atitudes O cristão não só se expressa através de palavras, mas também de suas atitudes, pois há essa linguagem sem palavras que se exprime por nosso intermédio. Nós podemos parecer cristãos, agir como tais, nos vestirmos e falarmos à moda evangélica e mesmo assim estarmos desligados interiormente de Deus, por amarmos o mundo. Ainda que não pratiquemos nada que nos desabone socialmente, poderemos estar mortos espiritualmente. Pelo fato de Deus não estar participando da nossa vida, dos nossos planos, do nosso trabalho, do nosso lar. E também, sobretudo por não demonstrarmos temor a Deus. Como a soberania e autoridade de Deus serão conhecidas, se Cristo não é o centro das nossas vidas e nem demonstrarmos o temor ao seu nome? De maneira nenhuma. Esse lado prático de nossa vida deve demonstrar uma indizível alegria, por sermos eleitos em Cristo e predestinados para sermos conforme a sua imagem. A Ele glória, honra e louvor para sempre, Rm 11.33-36. Amém. CONCLUSÃO Caro irmão visite a casa do Oleiro, isto é, esteja sensível a voz de Deus. Entenda que Ele ali quer te falar acerca da sua soberania, autoridade e ou outra vontade específica para a sua vida. Precisamos urgentemente ouvir a Palavra de Deus. Entenda que há em Deus planos grandiosos, coisas firmes que Ele gostaria de compartilhar, mas também se faz necessário clamar e ter determinação para viver de acordo com essa vontade. --------------------------------------------------- Obras consultadas  Stanley Horton - Teologia Sistemática, Uma Perspectiva Pentecostal – CPAD.  Enciclopédia Histórico Teológica da Igreja Cristã – Edições Vida Nova.  Trabalho de Teologia Própria – Do autor.