SlideShare uma empresa Scribd logo
CLASSIFICAÇÃO GERAL
DOS SOLOS E SOLOS DO
BRASIL.
Professora: Priscila Baldner
9º ano Forte
   Solos

•   Solo é um corpo de material inconsolidado, que recobre a
    superfície terrestre emersa, entre a litosfera e a atmosfera. Os solos
    são constituídos de três fases: sólida (minerais e matéria orgânica),
    líquida (solução do solo) e gasosa (ar).
•   É produto do intemperismo sobre um material de origem, cuja
    transformação           se         desenvolve          em          um
    determinado relevo, clima, bioma e ao longo de um tempo.


          Obs.: Pedogênese é o processo químico e físico de alteração
    (adição, remoção, transporte e modificação) que atua sobre um
    material litológico, originando um solo.
   Tipos de solo

•   Solos arenosos - São aqueles que tem grande parte de suas
    partículas classificadas na fração areia, de tamanho entre 0,05 mm e
    2 mm, formado principalmente por cristais de quartzo e minerais
    primários. Os solos arenosos têm boa aeração e capacidade de
    infiltração de água. Certas plantas e microorganismos podem viver
    com mais dificuldades, devido à pouca capacidade de retenção de
    água.
•   Solos siltosos - São aqueles que tem grande parte de suas partículas
    classificadas na fração silte, de tamanho entre 0,05 e 0,002mm,
    geralmente são muito erosíveis. O silte não se agrega como as argilas
    e ao mesmo tempo suas partículas são muito pequenas e leves. São
    geralmente finos.
•   Solos argilosos - São aqueles que tem grande parte de suas
    partículas classificadas na fração argila, de tamanho menor que
    0,002mm (tamanho máximo de um colóide). Não são tão arejados,
    mas armazenam mais água quando bem estruturados. São
    geralmente menos permeáveis, embora alguns solos brasileiros muito
    argilosos apresentam grande permeabilidade - graças aos poros de
    origem biológica. Sua composição é de boa quantidade de óxidos de
    alumínio (gibbsita) e de ferro (goethita e hematita). Formam
    pequenos grãos que lembram a sensação táctil de pó-de-café e isso
    lhes dá certas caraterísticas similares ao arenoso.
   Tipos de solo

•   Latossolo - Possui a capacidade de troca de cations baixa, menor
    que 17 cmolc, presença de argilas de baixa atividade (Tb), geralmente
    são solos muito profundos (maior que 2 m), bem desenvolvidos,
    localizados em terrenos planos ou pouco ondulados, tem textura
    granular e coloração amarela a vermelha escura. São solos zonais
    típicos de regiões de clima tropical úmido e semiúmido, como Brasil e
    a África central. Sua coloração pode ser vermelha, alaranjada ou
    amarelada. Isso evidencia concentração de óxidos de Fe e Al em tais
    solos. São profundos, bastante porosos e bem intemperizados.
•   Solo lixiviado - São aqueles que a grande quantidade de chuva
    carrega seus nutrientes, tornando o solo pobre ( pobre de potássio, e
    nitrogênio).
•   Solos negros das Planícies e das Pradaria - São aqueles que são
    ricos em matéria orgânica.
•   Solo árido - São aqueles que pela ausência de chuva não
    desenvolvem seu solo.
•   Solos de montanhas - São aqueles que o solo é jovem.
• Solo orgânico - Composto de materiais orgânicos (restos de
organismos mortos e em decomposição), além da areia e da argila. Este
solo é o que mais favorece o desenvolvimento vida das plantas, porém
solos orgânicos tropicais como do Brasil, por exemplo, possuem
baixa fertilidade. O húmus é o resíduo ou composto solúvel originado
pela biodegradação da matéria orgânica, que o torna disponível para as
plantas nutrientes minerais e gasosos como o nitrogênio (N).

•Outros tipos de classificação: cor, textura, estrutura, consistência, etc.
   Perfis e Horizontes
•   Um solo possuí camadas horizontais de morfologia diferente entre si. Essas
    camadas são chamadas de horizontes. Essas camadas, apesar de todos as
    normas e técnicas, dependem para sua delimitação em campo estritamente
    dos sentidos do pedólogo.
•   A soma destas camadas define o perfil do solo. Como a ação pedogenética,
    tal como perturbação de seres vivos, infiltração de água, entre outros, é
    variável ao perfil, é constante o desenvolvimento de alguns horizontes. Diz-
    se que quanto mais distante da rocha mãe, mais intensa e/ou antiga foi a
    ação pedogenética.

O - O horizonte orgânico do solo e bastante escuro
H - Horizonte de constituição orgânica, superficial ou não, composto de
resíduos orgânicos acumulados ou em acumulação sob condições de
prolongada estagnação de água, salvo se artificialmente drenado.
A - Horizonte superficial, com bastante interferência do clima e da
biomassa. É o horizonte de maior mistura mineral com húmus.
E - Horizonte eluvial, ou seja, de exportação de material, geralmente
argilas e pequenos minerais. Por isso são geralmente mais claros que
demais horizontes.
B - Horizonte de maior concentração de argilas, minerais oriundos de
horizontes superiores (e, às vezes, de solos adjacentes). É o solo com
coloração mais forte, agregação e desenvolvimento.
C - Porção de mistura de solo pouco denso com rochas pouco alteradas
da rocha mãe. Equivale aproximadamente ao conceito de saprólito.
R ou D - Rocha matriz não alterada. De difícil acesso em campo.
SOLOS DO BRASIL
           No Brasil são encontrados quatro tipos de solo, são eles:
     terra roxa, massapé, salmorão e aluviais.

1.   Terra roxa
           Corresponde a um tipo de solo de extrema fertilidade que
     detém uma tonalidade avermelhada. Pode ser encontrado em
     Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. É
     originado a partir da decomposição de rochas, nesse caso de
     basalto.
2.   Massapé: 
         É um solo encontrado principalmente no litoral nordestino
     constituído a partir da decomposição de rochas com
     características minerais de gnaisses de tonalidade escura,
     calcários e filitos.
         Corresponde a um tipo de solo de extrema fertilidade que
     detém uma tonalidade avermelhada. Pode ser encontrado em
     Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. É
     originado a partir da decomposição de rochas, nesse caso de
     basalto.
3.   Salmourão: 
         Esse tipo de solo é encontrado ao longo das regiões Sul,
     Sudeste e Centro-Oeste brasileiro, é constituído pela
     fragmentação de rochas graníticas e gnaisses.
4.   Aluviais: 
         É um tipo de solo formado em decorrência da sedimentação
     em áreas de várzea ou vales, é possível de ser encontrado em
     diversos pontos do país.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Solos
SolosSolos
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
Carolina Corrêa
 
Tipos de rochas
Tipos de rochasTipos de rochas
Tipos de rochas
ANDRÉA LEMOS
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
Solos
SolosSolos
Solos
ceama
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Rodrigo Pavesi
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
profacacio
 
Tipos de-solo-6º-ano (1)
Tipos de-solo-6º-ano (1)Tipos de-solo-6º-ano (1)
Tipos de-solo-6º-ano (1)
Francieuda Oliveira
 
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASILESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
Prof.Paulo/geografia
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
Márcia Dutra
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Jadson Belem de Moura
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solo
Ivan Araujo
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
Ruana Viana
 
Powerpoint Solo
Powerpoint   SoloPowerpoint   Solo
Powerpoint Solo
Rosa Pereira
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
João José Ferreira Tojal
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Aula Geologia
Aula Geologia Aula Geologia
Aula Geologia
Eduardo Mendes
 
Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
Suely Takahashi
 
Tectonica Placas
Tectonica PlacasTectonica Placas
Tectonica Placas
Sérgio Luiz
 
O solo 6o ano
O solo 6o anoO solo 6o ano
O solo 6o ano
Nahya Paola Souza
 

Mais procurados (20)

Solos
SolosSolos
Solos
 
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
 
Tipos de rochas
Tipos de rochasTipos de rochas
Tipos de rochas
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
Tipos de-solo-6º-ano (1)
Tipos de-solo-6º-ano (1)Tipos de-solo-6º-ano (1)
Tipos de-solo-6º-ano (1)
 
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASILESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solo
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Powerpoint Solo
Powerpoint   SoloPowerpoint   Solo
Powerpoint Solo
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
 
Aula Geologia
Aula Geologia Aula Geologia
Aula Geologia
 
Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
 
Tectonica Placas
Tectonica PlacasTectonica Placas
Tectonica Placas
 
O solo 6o ano
O solo 6o anoO solo 6o ano
O solo 6o ano
 

Destaque

As grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundoAs grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundo
Thiago Sidney Miranda
 
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Lei de Uso e Ocupação do Solo -Lei 1470.1995
Lei de Uso e Ocupação do Solo  -Lei 1470.1995Lei de Uso e Ocupação do Solo  -Lei 1470.1995
Lei de Uso e Ocupação do Solo -Lei 1470.1995
Felipe Peixoto
 
Apostila de fundações poli
Apostila de fundações  poliApostila de fundações  poli
Apostila de fundações poli
Matheus Adam da Silva
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
engenhar
 
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Engenharia civil
Fabrício Travassos
 
Slide 1 ano solo
Slide 1 ano soloSlide 1 ano solo
Slide 1 ano solo
Sílvia Almada
 
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
Fellipe Prado
 
Fundamentos de pavimentação
Fundamentos de pavimentaçãoFundamentos de pavimentação
Fundamentos de pavimentação
Janilton Cerqueira
 
ECOLOPAVI
ECOLOPAVIECOLOPAVI
ECOLOPAVI
Jary Maciel
 
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MG
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MGPavimentação asfáltica ES BA RJ MG
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MG
ALX Terraplenagem Locação de Maquinas Pavimentação
 
Solos
SolosSolos
Jurandir Fernades
Jurandir Fernades Jurandir Fernades
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Unichristus Centro Universitário
 
Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7
Daniela Moreira Lima Santos
 
Solos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No MundoSolos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No Mundo
ProfMario De Mori
 
O solo e a agricultura
O solo e a agriculturaO solo e a agricultura
O solo e a agricultura
Fernando Côrtes
 
Apostila fundacoes
Apostila fundacoesApostila fundacoes
Apostila fundacoes
Ivandete de Oliveira
 
Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3
arqjoaocampos
 
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do soloUso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
Adriano Valoto de Andrade
 

Destaque (20)

As grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundoAs grandes obras de engenharia civil no mundo
As grandes obras de engenharia civil no mundo
 
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Engenharia civil
 
Lei de Uso e Ocupação do Solo -Lei 1470.1995
Lei de Uso e Ocupação do Solo  -Lei 1470.1995Lei de Uso e Ocupação do Solo  -Lei 1470.1995
Lei de Uso e Ocupação do Solo -Lei 1470.1995
 
Apostila de fundações poli
Apostila de fundações  poliApostila de fundações  poli
Apostila de fundações poli
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
 
Engenharia civil
Engenharia civilEngenharia civil
Engenharia civil
 
Slide 1 ano solo
Slide 1 ano soloSlide 1 ano solo
Slide 1 ano solo
 
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Ge...
 
Fundamentos de pavimentação
Fundamentos de pavimentaçãoFundamentos de pavimentação
Fundamentos de pavimentação
 
ECOLOPAVI
ECOLOPAVIECOLOPAVI
ECOLOPAVI
 
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MG
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MGPavimentação asfáltica ES BA RJ MG
Pavimentação asfáltica ES BA RJ MG
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Jurandir Fernades
Jurandir Fernades Jurandir Fernades
Jurandir Fernades
 
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
Sistema registral imobiliario aplicado a engenharia civil e negocios imobilia...
 
Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7Mecânica dos solos – aula 7
Mecânica dos solos – aula 7
 
Solos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No MundoSolos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No Mundo
 
O solo e a agricultura
O solo e a agriculturaO solo e a agricultura
O solo e a agricultura
 
Apostila fundacoes
Apostila fundacoesApostila fundacoes
Apostila fundacoes
 
Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3Mecânica dos solos e fundações msfc3
Mecânica dos solos e fundações msfc3
 
Uso e ocupação do solo
Uso e ocupação do soloUso e ocupação do solo
Uso e ocupação do solo
 

Semelhante a Classificação geral dos solos e solos do brasil

Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02
Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02
Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02Bárbara Ruth
 
GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO
AnaClaudiaHonorio
 
Solo - Pedogênese
Solo - PedogêneseSolo - Pedogênese
Solo - Pedogênese
Leandro A. Machado de Moura
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
ufmt
 
Os tipos de solo
Os tipos de soloOs tipos de solo
Os tipos de solo
Simone Viana de Araujo
 
Solo.pptx
Solo.pptxSolo.pptx
Solo.pptx
WallaceKaique1
 
Tipos de solo 1 c
Tipos de solo 1 cTipos de solo 1 c
Tipos de solo 1 c
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
1 solos
1 solos 1 solos
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do MundoSolos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
Giovani Leite
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Solos
SolosSolos
Solos
Neila
 
Origem dos Solos
Origem dos SolosOrigem dos Solos
Origem dos Solos
Murilo Sierro
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
RelatorioRelatorio
Solos tropicais e uso da terra
Solos tropicais e uso da terraSolos tropicais e uso da terra
Solos tropicais e uso da terra
Roberto Nunes
 
Solo
SoloSolo
Solos
SolosSolos
Solo
SoloSolo

Semelhante a Classificação geral dos solos e solos do brasil (20)

Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02
Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02
Classificaogeraldossolosesolosdobrasil 120821200540-phpapp02
 
GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO
 
Solo - Pedogênese
Solo - PedogêneseSolo - Pedogênese
Solo - Pedogênese
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
 
Os tipos de solo
Os tipos de soloOs tipos de solo
Os tipos de solo
 
Solo.pptx
Solo.pptxSolo.pptx
Solo.pptx
 
Tipos de solo 1 c
Tipos de solo 1 cTipos de solo 1 c
Tipos de solo 1 c
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
1 solos
1 solos 1 solos
1 solos
 
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do MundoSolos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
Solos e Recursos Minerais do Brasil e do Mundo
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Origem dos Solos
Origem dos SolosOrigem dos Solos
Origem dos Solos
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Relatorio
RelatorioRelatorio
Relatorio
 
Solos tropicais e uso da terra
Solos tropicais e uso da terraSolos tropicais e uso da terra
Solos tropicais e uso da terra
 
Solo
SoloSolo
Solo
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Solo
SoloSolo
Solo
 

Mais de Thamires Bragança

Os conflitos da nova ordem mundial (1)
Os conflitos da nova ordem mundial (1)Os conflitos da nova ordem mundial (1)
Os conflitos da nova ordem mundial (1)
Thamires Bragança
 
A globalização
A globalizaçãoA globalização
A globalização
Thamires Bragança
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
Thamires Bragança
 
Recursos minerais e política energética do brasil
Recursos minerais e política energética do brasilRecursos minerais e política energética do brasil
Recursos minerais e política energética do brasil
Thamires Bragança
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Thamires Bragança
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Thamires Bragança
 
áGuas oceânicas
áGuas oceânicasáGuas oceânicas
áGuas oceânicas
Thamires Bragança
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
Thamires Bragança
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
Thamires Bragança
 

Mais de Thamires Bragança (9)

Os conflitos da nova ordem mundial (1)
Os conflitos da nova ordem mundial (1)Os conflitos da nova ordem mundial (1)
Os conflitos da nova ordem mundial (1)
 
A globalização
A globalizaçãoA globalização
A globalização
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
 
Recursos minerais e política energética do brasil
Recursos minerais e política energética do brasilRecursos minerais e política energética do brasil
Recursos minerais e política energética do brasil
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
áGuas oceânicas
áGuas oceânicasáGuas oceânicas
áGuas oceânicas
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
 

Classificação geral dos solos e solos do brasil

  • 1. CLASSIFICAÇÃO GERAL DOS SOLOS E SOLOS DO BRASIL. Professora: Priscila Baldner 9º ano Forte
  • 2. Solos • Solo é um corpo de material inconsolidado, que recobre a superfície terrestre emersa, entre a litosfera e a atmosfera. Os solos são constituídos de três fases: sólida (minerais e matéria orgânica), líquida (solução do solo) e gasosa (ar). • É produto do intemperismo sobre um material de origem, cuja transformação se desenvolve em um determinado relevo, clima, bioma e ao longo de um tempo. Obs.: Pedogênese é o processo químico e físico de alteração (adição, remoção, transporte e modificação) que atua sobre um material litológico, originando um solo.
  • 3. Tipos de solo • Solos arenosos - São aqueles que tem grande parte de suas partículas classificadas na fração areia, de tamanho entre 0,05 mm e 2 mm, formado principalmente por cristais de quartzo e minerais primários. Os solos arenosos têm boa aeração e capacidade de infiltração de água. Certas plantas e microorganismos podem viver com mais dificuldades, devido à pouca capacidade de retenção de água. • Solos siltosos - São aqueles que tem grande parte de suas partículas classificadas na fração silte, de tamanho entre 0,05 e 0,002mm, geralmente são muito erosíveis. O silte não se agrega como as argilas e ao mesmo tempo suas partículas são muito pequenas e leves. São geralmente finos. • Solos argilosos - São aqueles que tem grande parte de suas partículas classificadas na fração argila, de tamanho menor que 0,002mm (tamanho máximo de um colóide). Não são tão arejados, mas armazenam mais água quando bem estruturados. São geralmente menos permeáveis, embora alguns solos brasileiros muito argilosos apresentam grande permeabilidade - graças aos poros de origem biológica. Sua composição é de boa quantidade de óxidos de alumínio (gibbsita) e de ferro (goethita e hematita). Formam pequenos grãos que lembram a sensação táctil de pó-de-café e isso lhes dá certas caraterísticas similares ao arenoso.
  • 4. Tipos de solo • Latossolo - Possui a capacidade de troca de cations baixa, menor que 17 cmolc, presença de argilas de baixa atividade (Tb), geralmente são solos muito profundos (maior que 2 m), bem desenvolvidos, localizados em terrenos planos ou pouco ondulados, tem textura granular e coloração amarela a vermelha escura. São solos zonais típicos de regiões de clima tropical úmido e semiúmido, como Brasil e a África central. Sua coloração pode ser vermelha, alaranjada ou amarelada. Isso evidencia concentração de óxidos de Fe e Al em tais solos. São profundos, bastante porosos e bem intemperizados. • Solo lixiviado - São aqueles que a grande quantidade de chuva carrega seus nutrientes, tornando o solo pobre ( pobre de potássio, e nitrogênio). • Solos negros das Planícies e das Pradaria - São aqueles que são ricos em matéria orgânica. • Solo árido - São aqueles que pela ausência de chuva não desenvolvem seu solo. • Solos de montanhas - São aqueles que o solo é jovem.
  • 5. • Solo orgânico - Composto de materiais orgânicos (restos de organismos mortos e em decomposição), além da areia e da argila. Este solo é o que mais favorece o desenvolvimento vida das plantas, porém solos orgânicos tropicais como do Brasil, por exemplo, possuem baixa fertilidade. O húmus é o resíduo ou composto solúvel originado pela biodegradação da matéria orgânica, que o torna disponível para as plantas nutrientes minerais e gasosos como o nitrogênio (N). •Outros tipos de classificação: cor, textura, estrutura, consistência, etc.
  • 6. Perfis e Horizontes • Um solo possuí camadas horizontais de morfologia diferente entre si. Essas camadas são chamadas de horizontes. Essas camadas, apesar de todos as normas e técnicas, dependem para sua delimitação em campo estritamente dos sentidos do pedólogo. • A soma destas camadas define o perfil do solo. Como a ação pedogenética, tal como perturbação de seres vivos, infiltração de água, entre outros, é variável ao perfil, é constante o desenvolvimento de alguns horizontes. Diz- se que quanto mais distante da rocha mãe, mais intensa e/ou antiga foi a ação pedogenética. O - O horizonte orgânico do solo e bastante escuro H - Horizonte de constituição orgânica, superficial ou não, composto de resíduos orgânicos acumulados ou em acumulação sob condições de prolongada estagnação de água, salvo se artificialmente drenado. A - Horizonte superficial, com bastante interferência do clima e da biomassa. É o horizonte de maior mistura mineral com húmus. E - Horizonte eluvial, ou seja, de exportação de material, geralmente argilas e pequenos minerais. Por isso são geralmente mais claros que demais horizontes. B - Horizonte de maior concentração de argilas, minerais oriundos de horizontes superiores (e, às vezes, de solos adjacentes). É o solo com coloração mais forte, agregação e desenvolvimento. C - Porção de mistura de solo pouco denso com rochas pouco alteradas da rocha mãe. Equivale aproximadamente ao conceito de saprólito. R ou D - Rocha matriz não alterada. De difícil acesso em campo.
  • 7. SOLOS DO BRASIL No Brasil são encontrados quatro tipos de solo, são eles: terra roxa, massapé, salmorão e aluviais. 1. Terra roxa Corresponde a um tipo de solo de extrema fertilidade que detém uma tonalidade avermelhada. Pode ser encontrado em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. É originado a partir da decomposição de rochas, nesse caso de basalto.
  • 8. 2. Massapé:  É um solo encontrado principalmente no litoral nordestino constituído a partir da decomposição de rochas com características minerais de gnaisses de tonalidade escura, calcários e filitos. Corresponde a um tipo de solo de extrema fertilidade que detém uma tonalidade avermelhada. Pode ser encontrado em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. É originado a partir da decomposição de rochas, nesse caso de basalto.
  • 9. 3. Salmourão:  Esse tipo de solo é encontrado ao longo das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste brasileiro, é constituído pela fragmentação de rochas graníticas e gnaisses. 4. Aluviais:  É um tipo de solo formado em decorrência da sedimentação em áreas de várzea ou vales, é possível de ser encontrado em diversos pontos do país.