SlideShare uma empresa Scribd logo
ANATOMIA BÁSICA E DOS SISTEMAS
I. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA
Conceito de Anatomia
A anatomia é a parte da biologia que estuda a forma e a estrutura dos seres
vivos.
Posição Anatômica
Ao estudar o corpo humano deve-se ter sempre presente que o mesmo
deve ser considerado na posição anatômica:
Em pé, na posição ereta, com os pés juntos voltados para frente, braços
pendentes ao longo do corpo, mãos espalmadas, dedos unidos, palmas
voltadas para a frente, olhar no horizonte.
Planos Anatômicos
Na posição anatômica, podemos empregar dois tipos de planos:
PLANOS SECCIONAIS
* Plano Sagital (Mediano): plano vertical que corta o corpo no sentido ântero-
posterior, dividindo-o em metades direita e esquerda. Passa aproximadamente
pela sutura sagital do crânio.
* Plano Frontal (Coronal): plano vertical, da cabeça aos pés, que passa
aproximadamente pela sutura coronal. Corta o corpo da direita para esquerda,
dividindo-o em metades anterior e posterior.
* Plano Transversal (Horizontal): corta transversalmente o corpo,
determinando uma porção superior e outra inferior.
PLANOS TANGENCIAIS
* Plano Superior: passa por cima da cabeça
* Plano Inferior: passa por baixo dos pés
* Plano Anterior: pela frente do corpo
* Plano Posterior: passa por trás do corpo
* Planos Laterais: passa pelos lados direito e esquerdo
Termos Usados na Anatomia
* Ventral: refere-se à frente ou ao ventre do corpo, sendo sinônimo de anterior.
* Dorsal: refere-se ao dorso do corpo, sendo sinônimo de posterior.
* Cranial: refere-se a superior, em direção à cabeça.
* Caudal: refere-se a inferior, em direção aos pés.
* Medial: refere-se a estrutura mais próxima do plano mediano.
* Lateral: refere-se a estrutura mais afastada do plano mediano.
* Proximal: indica a direção próximo a raiz do membro.
* Distal: indica a direção à extremidade, afastado da raiz do membro.
II. OSTEOLOGIA
A osteologia estuda os ossos. Estes servem de sustentáculo para as
partes moles (músculos, vísceras, vasos, etc.) e também formam receptáculos,
que alojam e protegem alguns elementos (caixa craniana, caixa torácica,
cavidade orbital, etc.)
O ESQUELETO
Fundamentalmente há uma coluna óssea central – coluna vertebral,
constituída pela superposição das Vértebras.
Superiormente a coluna dilata-se, onde há a cabeça óssea, dividida em
crânio (com 8 ossos) e face (com 14 ossos).
Inferiormente, a coluna se afila, terminando no sacro e no cóccix.
Da parte média da coluna saem 12 pares de costelas, dirigindo-se para
frente e indo se prender ao osso esterno, formando o tórax.
Na parte superior do tórax há o cíngulo do membro superior, constituído
pela clavícula e pela escápula, os quais servem de implantação do membro
superior. O membro superior apresenta o úmero (osso do braço), rádio e ulna
(ossos do antebraço) e carpo (8 ossos), metacarpo (5 ossos) e dedos (3 ossos,
com exceção do polegar, com 2 ossos), que constituem a mão.
Na parte inferior há o cíngulo do membro inferior, constituído pelos 2
ossos do quadril e considerando o sacro, temos a pelve óssea.
O membro inferior prende-se ao quadril, e apresenta o fêmur (osso da
coxa), tíbia e fíbula (ossos da perna), a patela (anterior ao joelho) e tarso (7
ossos), metatarso (5 ossos) e dedos (3 ossos, com exceção do hálux, com 2
ossos), que constituem o pé.
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS
* LONGOS: o comprimento predomina sobre a largura e a espessura.
Apresentam uma escavação central, o CANAL MEDULAR, onde se encontra a
medula óssea. Apresentam um corpo, a DIÁFISE e duas extremidades, as
EPÍFISES.
Exs.: fêmur, úmero, tíbia.
* CURTOS: as três dimensões se equivalem. São mais ou menos cúbicos.
Exs.: tarso e carpo
* PLANOS (OU CHATOS): são finos, o comprimento e a largura predominam
sobre a espessura.
Exs: escápula, parietal.
*PNEUMÁTICOS: ossos ocos, com a cavidade cheia de ar.
Exs.: maxila, esfenóide, frontal
*ALONGADOS: ossos longos, achatados, que não apresentam canal medular.
Ex.: costelas
*IRREGULARES: Exs.: etmóide, esfenóide, temporal
ESQUELETO AXIAL
CABEÇA ÓSSEA
Divide-se em CRÂNIO (neurocrânio) e FACE (esplâncnocrânio). O
crânio constitui uma caixa onde se aloja o encéfalo, e a face é o local de início
dos aparelhos respiratório e digestivo, e dos órgãos dos sentidos.
CRÂNIO (NEUROCRÂNIO)
É constituído por 8 ossos (4 ímpares e 2 pares).
Os ímpares são: frontal, occipital, esfenóide e etmóide.
Os pares são: parietal e temporal
Frontal – osso pneumático, com a forma de uma concha, situado para frente e
para cima, apresentando uma escavação, que é o seio frontal. Apresenta a
escama frontal, parte anterior do osso (convexa). Na linha mediana há a
glabela (ponto correspondente à região sem pelos, entre os supercílios). E de
cada lado desta há os arcos superciliares. A borda superior do osso articula-se
com os parietais, constituindo a sutura coronal. Na união entre os 3 ossos há o
brégma ou moleira.
Occipital - é o mais posterior do crânio. Próximo ao ângulo inferior apresenta o
forame magno (através do qual o encéfalo continua-se com a medula espinhal).
Ao lado deste há 2 saliências articulares, os côndilos do occipital (que articulam
o occipital com a 1ª
vértebra cervical). Na face póstero-inferior há uma
saliência, que é a protuberância occipital externa. De cada lado desta há a
linha nucal superior. E a linha nucal inferior está entre o forame magno e a
protuberância occipital externa.
Parietal – é um osso par, mais simples do crânio. Articula-se com o parietal do
lado oposto, constituindo a sutura sagital e cada um com os temporais
correspondentes. Articulam-se anteriormente com o frontal e posteriormente
com o occipital.
Temporal - osso par, é o mais complexo. No seu interior há o aparelho da
audição. Articula-se com o osso zigomático pelo processo zigomático.
Apresenta inferiormente a fossa mandibular que se articula com a mandíbula.
Esfenóide - situado no centro da base do crânio, com aspecto de um morcego.
Apresenta um corpo, 2 asas maiores, 2 asas menores e 2 processos
pterigóides. O corpo é oco, constituindo o seio esfenoidal, sua face superior
apresenta a sela túrsica (onde se encontra a hipófise). Nas asas maiores há o
forame redondo (onde passa o nervo maxilar), o forame oval (por onde passa o
nervo mandibular) e o forame espinhoso (por onde passa a artéria meníngea
média). Nas asas menores há o canal óptico (por onde passa o nervo óptico).
Etmóide - entra na constituição da maior parte da cavidade nasal. Apresenta
uma lâmina perpendicular, que constitui o septo nasal e uma lâmina horizontal,
que constitui a lâmina crivosa do etmóide (cheia de orifícios para os filetes do
nervo olfatório), que entra na constituição do teto da cavidade nasal e
apresentam as células etmoidais (cavidades esféricas em torno da lâmina). Dá
origem às conchas nasais superior e média.
FACE (ESPLÂNCNOCRÂNIO)
Constitui um maciço ósseo, que se situa por diante e para baixo do
crânio.
Possui 2 ossos ímpares: mandíbula e vômer; e 6 pares: maxilas,
zigomático, palatino, lacrimal, concha nasal e nasal.
Maxila - osso bastante irregular, apresentando um corpo e 4 saliências
(processos zigomático, frontal, palatino e alveolar). A base do corpo é a face
nasal. O corpo da maxila é oco, constituindo o seio maxilar.
Zigomático - osso losângico, constitui a proeminência da face. Apresenta o
processo temporal e frontal e a superfície orbital.
Palatino - osso par, em forma de L, com uma lâmina perpendicular e outra
horizontal.
Lacrimal - tem a forma de uma unha e entra na constituição da parede medial
da órbita. Sua face lateral apresenta uma goteira vertical, que contribui para a
formação do canal nasolacrimal.
Concha Nasal Inferior - é o terceiro e mais inferior enrodilhado ósseo, que se
situa nas paredes laterais da cavidade nasal.
Nasal - osso de forma retangular, que juntamente com o do lado oposto forma
o dorso do nariz.
Vômer - osso ímpar, entra na constituição do septo nasal.
Mandíbula - osso ímpar, onde se implantam os dentes inferiores. Apresenta
um corpo em forma de U e dois ramos, os ramos da mandíbula, que articulam-
se com os temporais correspondentes. A borda superior dos ramos apresentam
os acidentes: processo condilar , constituído pela cabeça da mandíbula (que se
articula com os temporais), processo coronóide, entre as duas saliências há a
incisura da mandíbula
OSSO HIÓIDE
É o único osso que não se articula com o resto do esqueleto. Tem a forma
de U e apresenta um corpo e 2 pares de cornos, maiores e menores.
COLUNA VERTEBRAL
A coluna vertebral é formada por uma série de ossos denominados
vértebras. As 33 vértebras são superpostas de acordo com as regiões da
coluna.
É dividida em 5 regiões: CERVICAL, TORÁCICA, LOMBAR, SACRAL e
COCCÍGEA.
Há 7 vértebras na região cervical; 12 na torácica; 5 na lombar; 5 na sacral
e 4 na coccígea (em alguns casos 3 ou 5).
A coluna vertebral apresenta curvaturas fisiológicas: * CIFOSE: curvatura
de concavidade anterior e convexidade posterior. Ocorre à nível torácico (cifose
torácica). * LORDOSE: curvatura de concavidade para trás. Ocorre a nível
lombar. * ESCOLIOSE: quando há curvatura lateral.
VÉRTEBRAS
As vértebras apresentam características gerais (encontradas em todas as
vértebras), regionais (diferenças de acordo com as diferentes regiões) e
individuais (em determinadas vértebras).
→ Características Gerais:
* CORPO: segmento cilíndrico, que apresenta uma face superior e outra
inferior.
* FORAME: imediatamente por trás do corpo e limitado lateralmente e
posteriormente por um arco ósseo, onde se encontram os demais elementos
da vértebra.
* PROCESSO ESPINHOSO: parte do arco ósseo, medianamente, por trás do
forame vertebral. Dirige-se para trás sob a forma de longa espinha.
* PROCESSOS TRANSVERSOS: prolongamentos laterais, que se projetam
transversalmente.
* PROCESSOS ARTICULARES: em número de 4, dois superiores e dois
inferiores, que se destinam à articulação das vértebras entre si.
* LÂMINAS: são duas, ligam o processo espinhosos ao transverso
correspondente. São achatadas e quadriláteras, constituem a maior parte do
arco ósseo.
* PEDÍCULOS: partes mais estreitadas, ligam o arco ósseo ao corpo.
Apresentam chanfraduras superior e inferior, as INCISURAS VERTEBRAIS.
Com a superposição das vértebras, a superposição dos pedículos determina
orifícios, os FORAMES INTERVERTEBRAIS, por onde saem nervos espinhais.
→ Características Regionais:
* PROCESSO TRANSVERSO: na região cervical, o processo transverso
apresenta um forame, o FORAME TRANSVERSO. E na região lombar, os
processos transversos são bastante desenvolvidos, os APÊNDICES
COSTIFORMES.
* FACETAS ARTICULARES: são elementos para articulação com as costelas,
na região torácica.
→ Características Individuais:
Encontramos característica individuais na 1ª
, 2ª
e 7ª
vértebras cervicais e
5ª
lombar.
* ATLAS: é a primeira vértebra cervical. Constituída de duas massas laterais
ligadas por um arco anterior e outro posterior. Elas articulam-se com os
côndilos do occipital. Não apresenta um corpo típico.
* ÁXIS: é a segunda vértebra cervical. Apresenta uma saliência dirigida para
cima, que representa o corpo do atlas, é o DENTE do áxis. Sua fratura pode
comprimir a medula oblonga e causar morte instantânea.
* 7ª
VÉRTEBRA CERVICAL ou PROEMINENTE: apresenta um processo
espinhoso muito desenvolvido.
* 5ª
VÉRTEBRA LOMBAR: apresenta o corpo mais alto anteriormente,
determinando o PROMONTÓRIO, ao se articular com o sacro.
Vértebras Cervicais: são as menores, distinguem-se por apresentarem um
forame em cada processo transverso. Apresentam particularidades nas 1a.
, 2ª
e
7ª
vértebras.
Vértebras Torácicas: têm tamanho intermediário entre as cervicais e as
lombares. Distinguem-se pela presença de facetas nos lados dos corpos, para
articulação com as cabeças das costelas e nos processos transversos (com
exceção da 11ª
e 12ª
) para articulação com os tubérculos das costelas.
Vértebras Lombares: são as maiores e identificam-se pela ausência de
forames nos processos transversos e facetas articulares. O forame vertebral é
maior do que nas outras vértebras.
SACRO
Resulta da fusão de 5 vértebras. É um osso grande, com a forma de uma
pirâmide quadrangular. A base está voltada para cima e articula-se com a 5ª
vértebra lombar, formando o PROMONTÓRIO e o ápice, para baixo, articula-se
com o cóccix. Articula-se lateralmente com os ossos do quadril através das
superfícies auriculares.
CÓCCIX
Resulta da fusão de 4 vértebras (3 ou 5) rudimentares. Tem a forma de
uma cunha. A base se articula com o ápice do sacro e o ápice é livre.
TÓRAX
Os ossos do tórax constituem uma caixa vasada, com uma abertura
superior e outra inferior, lateralmente representada por um gradil costal.
Esta caixa osteocartilaginosa contém os principais órgãos da respiração e
circulação e cobre parte dos órgãos abdominais.
Posteriormente é formado pelas 12 vértebras torácicas, anteriormente
pelo esterno’ e cartilagens costais, e lateralmente pelas 12 costelas.
ESTERNO
Osso alongado e achatado. Consiste de 3 partes:
• Manúbrio: é a parte mais larga e apresenta 3 chanfraduras, a incisura
jugular (mediana) e as incisuras claviculares (laterais).
• Corpo: apresenta lateralmente as incisuras costais.
• Processo xifóide: representado por uma lingüeta, geralmente
cartilaginoso em jovens.
COSTELAS
São em número de 12 pares. São ossos alongados, em forma de semi-
arcos, ligando as vértebras torácicas ao esterno.
Dividem-se em:
• Verdadeiras: 7 primeiros pares, ligadas posteriormente à coluna
vertebral e anteriormente ao esterno, pelas cartilagens costais.
• Falsas: 3 pares (8a
, 9a
e 10a
), tendo suas cartilagens costais
articuladas com a 7a
costela não se articulando com o esterno.
• Flutuantes: as duas última costelas terminam livremente para frente.
As costelas apresentam um corpo e duas extremidades.
O corpo apresenta face interna (que apresentam o sulco da costela, onde
se alojam os vasos intercostais) e face externa.
As extremidades são: dorsal ou vertebral e ventral ou esternal. A dorsal
apresenta a cabeça da costela (que se articula com o corpo da vértebra). A
cabeça apresenta um colo (que prende a cabeça ao corpo)e um tubérculo
(saliência articular para o processo transverso). A ventral é achatada,
apresenta a cartilagem costal.
ESQUELETO APENDICULAR
MEMBROS SUPERIORES
CINTURA ESCAPULAR
O cíngulo do membro superior ou cintura escapular constitui a raiz de
implantação do membro superior.
É formada por dois ossos: a escápula e a clavícula.
CLAVÍCULA
Forma a porção ventral da cintura escapular. É um osso longo, curvado,
situado acima da primeira costela.
Apresenta duas extremidades:
• Acromial: mais achatada, lateral, que articula-se com o acrômio da
escápula.
• Esternal: mais volumosa, medial, que articula-se com o esterno.
ESCÁPULA
Forma a parte dorsal da cintura escapular. É grande, achatada e
triangular.
Apresenta 2 faces, 3 bordas e 3 ângulos.
As faces são:
• Costal (anterior): é escavada e essa concavidade é a fossa
subescapular.
• Dorsal (posterior): apresenta uma saliência, a espinha da escápula,
que termina no acrômio. Acima há a fossa supraespinhal e abaixo a
fossa infraespinhal.
As bordas são:
• Superior: apresenta a incisura da escápula e o processo coracóide.
• Medial: a mais longa
• Lateral: é a mais espessa. Apresenta o tubérculo infraglenoidal.
Os ângulos:
• Superior: fino, liso e arredondado.
• Inferior: espesso e áspero.
• Lateral: bastante dilatado e apresenta a cavidade glenóide. Apresenta
o tubérculo supraglenoidal e o tubérculo infraglenoidal.
BRAÇO
ÚMERO
É o maior e o mais longo osso do membro superior. Apresenta um corpo
(diáfise) e duas extremidades (epífises).
As extremidades são proximal, que contém a cabeça do úmero, e distal.
Divide-se em corpo, cabeça e côndilo.
• Corpo: apresenta a tuberosidade deltoídea e o sulco do nervo radial.
• Cabeça: articula-se com a cavidade glenóide da escápula. É limitada
por um sulco, o colo anatômico (que dá inserção à cápsula articular
das articulação gleno-umeral). Lateralmente a esta há 2 saliências: o
tubérculo maior e o tubérculo menor, e entre eles o sulco
intertubercular.
• Côndilo: tem a extremidade distal achatada e termina em uma ampla
superfície articular dividida em 2 partes: lateralmente o capítulo
(eminência lisa e arredondada, para o rádio) e medialmente a tróclea
(para a ulna). As saliências ósseas são expansões medial, epicôndilo
medial e lateral, epicôndilo lateral. As depressões são a fossa do
olécrano, fossa coronóide e fossa radial.
ANTEBRAÇO
ULNA
É mais volumosa em cima e se afila para baixo. Ocupa o lado medial do
antebraço e é paralela ao rádio. Apresenta um corpo e duas extremidades.
A extremidade proximal apresenta o olécrano e o processo coronóide e
duas cavidades articulares, as incisuras troclear e radial.
A extremidade distal é representada pela cabeça da ulna e lateralmente
há o processo estilóide.
RÁDIO
É paralelo à ulna e está no lado lateral. Apresenta um corpo e 2
extremidades.
A extremidade proximal é constituída pela cabeça do rádio, a
circunferência articular da cabeça gira na incisura radial da ulna. A cabeça
apresenta a cavidade glenóide, que se articula com o capítulo do úmero.
Abaixo da cabeça há a tuberosidade do rádio.
A extremidade distal é mais volumosa e apresenta a incisura ulnar (para a
cabeça da ulna) e a face auricular cárpica (para os 2 primeiros ossos do carpo)
e lateralmente o processo estilóide do rádio.
OSSOS DA MÃO
A mão é subdividida em carpo, metacarpo e dedos.
CARPO
Constituído de 8 pequenos ossos, de forma irregularmente cúbica, que
distribuem-se em 2 fileiras de 4 ossos cada.
1a
fileira: escafóide, semilunar, piramidal e pisiforme.
2a
fileira: trapézio, trapezóide, capitato e hamato.
METACARPO
Constituído por 5 ossos metacárpicos (I, II, III, IV e V), que correspondem
aos dedos das mãos.
São ossos longos, apresentam um corpo e 2 extremidades.
A epífise proximal é constituída pela base (que articula-se com o carpo e
metacárpicos) e a distal apresenta a cabeça do metacárpico (que se articula
com a falange proximal).
FALANGES
Os dedos da mão são polegar, índex, médio, anular e mínimo.
Cada dedo apresenta 3 falanges (exceto o polegar).
As falanges são: proximais, médias e distais.
São consideradas ossos longos, com corpo, base e cabeça.
MEMBROS INFERIORES
O cíngulo do membro inferior ou cintura pélvica constitui a raiz da
implantação do membro inferior.
OSSOS DO QUADRIL
É par, articula-se com o homólogo e posteriormente os dois se articulam
com o sacro (constituindo a pelve óssea).
Cada um se articula com o fêmur correspondente.
O osso do quadril se divide em ísquio, ílio e pube.
Superiormente há o ílio, a metade inferior se divide em ísquio,
posteriormente; e pube, anteriormente.
Apresenta um grande orifício, o forame obturador e uma grande fossa
articular, o acetábulo.
A pube apresenta um ramo superior e outro inferior, cujo encontro
constitui o corpo da pube, que apresenta a face sinfisial. E apresenta a
eminência íleo-púbica.
Apresenta as faces lateral e medial:
A face lateral apresenta o acetábulo apresenta a face semilunar (única
articular), a fossa do acetábulo e a incisura do acetábulo.
A face medial apresenta a linha arqueada (que divide-a em porção
superior e inferior). Posteriormente há a face auricular (que se articula com o
sacro).
As bordas são superior , que denomina-se crista ilíaca, a anterior e a
posterior, espinhas ilíacas.
COXA
FÊMUR
Dividido em um corpo e 2 extremidades.
A epífise proximal apresenta a cabeça do fêmur, que quase no centro há
a fóvea da cabeça do fêmur, onde se insere o ligamento redondo. Prendendo a
cabeça ao corpo há o colo anatômico. Lateralmente ao colo há o trocânter
maior e o trocânter menor. A linha de união anterior é a linha intertrocantérica e
a posterior, a crista intertrocantérica.
A epífise distal apresenta os côndilos medial e lateral, entre eles,
posteriormente há a fossa intercondilar e anteriormente eles se unem e formam
a superfície patelar. Medialmente ao côndilo medial há o epicôndilo medial e
lateralmente ao lateral, o epicôndilo lateral.
PATELA
Osso triangular. Apresenta faces anterior e posterior, base e ápice.
Sua função é facilitar o deslizamento do tendão do quadríceps.
OSSOS DA PERNA
TÍBIA
Situada no lado medial da perna. É mais volumosa e é o único osso que
entra na articulação do joelho.
É mais superficial, recoberto apenas pelo tegumento, sendo palpável em
toda sua extensão.
Apresenta um corpo e duas extremidades.
A epífise proximal é mais volumosa e constitui um bloco ósseo que
suporta os côndilos do fêmur. As expansões são os côndilos medial e lateral
da tíbia. Superiormente há as faces articulares medial e lateral e entre elas há
a eminência intercondilar, constituída por duas elevações, os tubérculos
intercondilares medial e lateral. Posteriormente à eminência há a área
intercondilar posterior e anteriormente, a área intercondilar anterior. Abaixo do
côndilo lateral há a faceta articular fibular.
A epífise distal apresenta a superfície articular inferior. Medialmente há o
maléolo medial e lateralmente a este a superfície articular do maléolo.
Lateralmente, a epífise apresenta uma superfície articular, a incisura fibular
(para a fíbula).
FÍBULA
É um osso fino. Apresenta um corpo e 2 extremidades.
A extremidade superior é a cabeça da fíbula e apresenta a faceta articular
para o côndilo lateral da tíbia e lateralmente a esta há o ápice da cabeça
(processo estilóide).
A extremidade distal constitui o maléolo lateral, que medialmente
apresenta a face articular do maléolo.
OSSOS DO PÉ
Divide-se em tarso, metatarso e dedos do pé.
TARSO
Possui 7 ossos, curtos e irregulares. São eles: tálus, calcâneo, cubóide, e
3 cuneiformes (lateral, intermédio e medial).
O mais superior é o tálus. O calcâneo é o mais posterior e inferior. Esses
dois formam a fileira posterior.
A fileira anterior é constituída pelos outros 5 ossos.
METATARSO
São 5 metatársicos. A base é posterior e a cabeça, anterior.
FALANGES
Semelhantes aos dedos da mão. São I, II, III, IV e V.
O primeiro é o hálux, o terceiro o médio e o quinto mínimo. Apresenta as
falanges: proximal, média e distal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Músculos
MúsculosMúsculos
Sistema esqueletico
Sistema esqueleticoSistema esqueletico
Sistema esqueletico
maritane
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
Juliana Bernardy
 
Articulaçoes
ArticulaçoesArticulaçoes
Articulaçoes
raf11
 
Aula 04 anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
Aula 04   anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..Aula 04   anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
Aula 04 anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
Hamilton Nobrega
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
Amália Beims
 
Anatomia humana sistema esquelético
Anatomia humana   sistema esqueléticoAnatomia humana   sistema esquelético
Anatomia humana sistema esquelético
Karinne Ferreira
 
Articulacoes[1] 20140331212008
Articulacoes[1] 20140331212008Articulacoes[1] 20140331212008
Articulacoes[1] 20140331212008
Janaina Medeiros Manca
 
Tecido Cartilaginoso
Tecido CartilaginosoTecido Cartilaginoso
Tecido Cartilaginoso
Natalianeto
 
Tecido cartilaginoso - Anatomia humana
Tecido cartilaginoso -  Anatomia humanaTecido cartilaginoso -  Anatomia humana
Tecido cartilaginoso - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Sistema esqueletico monitoria
Sistema esqueletico monitoriaSistema esqueletico monitoria
Sistema esqueletico monitoria
Ruti Santos
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
Samira Santos
 
Slide de histologia - tecido ósseo
Slide de histologia - tecido ósseoSlide de histologia - tecido ósseo
Slide de histologia - tecido ósseo
Suzana Ribeiro
 
Tecido óSseo
Tecido óSseoTecido óSseo
Tecido óSseo
Natalianeto
 
Artrologia - Anatomia humana
Artrologia - Anatomia humana Artrologia - Anatomia humana
Artrologia - Anatomia humana
Marília Gomes
 
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
Washington Luiz Lima
 
Sistema articular
Sistema articularSistema articular
Sistema articular
José Vitor Alves
 
Anatomia Crânio Ósseo
Anatomia Crânio ÓsseoAnatomia Crânio Ósseo
Anatomia Crânio Ósseo
JemersonMonte2
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
Araguaci Andrade
 
Artrologia
ArtrologiaArtrologia

Mais procurados (20)

Músculos
MúsculosMúsculos
Músculos
 
Sistema esqueletico
Sistema esqueleticoSistema esqueletico
Sistema esqueletico
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
 
Articulaçoes
ArticulaçoesArticulaçoes
Articulaçoes
 
Aula 04 anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
Aula 04   anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..Aula 04   anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
Aula 04 anatomia e fisiologia do sistema ósseo e articular..
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
 
Anatomia humana sistema esquelético
Anatomia humana   sistema esqueléticoAnatomia humana   sistema esquelético
Anatomia humana sistema esquelético
 
Articulacoes[1] 20140331212008
Articulacoes[1] 20140331212008Articulacoes[1] 20140331212008
Articulacoes[1] 20140331212008
 
Tecido Cartilaginoso
Tecido CartilaginosoTecido Cartilaginoso
Tecido Cartilaginoso
 
Tecido cartilaginoso - Anatomia humana
Tecido cartilaginoso -  Anatomia humanaTecido cartilaginoso -  Anatomia humana
Tecido cartilaginoso - Anatomia humana
 
Sistema esqueletico monitoria
Sistema esqueletico monitoriaSistema esqueletico monitoria
Sistema esqueletico monitoria
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
 
Slide de histologia - tecido ósseo
Slide de histologia - tecido ósseoSlide de histologia - tecido ósseo
Slide de histologia - tecido ósseo
 
Tecido óSseo
Tecido óSseoTecido óSseo
Tecido óSseo
 
Artrologia - Anatomia humana
Artrologia - Anatomia humana Artrologia - Anatomia humana
Artrologia - Anatomia humana
 
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
4SISTEMA MUSCULAR PDF OBJETIVO.pptx
 
Sistema articular
Sistema articularSistema articular
Sistema articular
 
Anatomia Crânio Ósseo
Anatomia Crânio ÓsseoAnatomia Crânio Ósseo
Anatomia Crânio Ósseo
 
Sistema Muscular
Sistema MuscularSistema Muscular
Sistema Muscular
 
Artrologia
ArtrologiaArtrologia
Artrologia
 

Destaque

Osteologia 2
Osteologia 2Osteologia 2
Osteologia 2
Ricardo Serra
 
Sistema Ósseo_8o. Ano
Sistema Ósseo_8o. AnoSistema Ósseo_8o. Ano
Sistema Ósseo_8o. Ano
Alessandra Firmino
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
Adriano Machado
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
Max Sousa
 
Elementos da anatomia humana
Elementos da anatomia humanaElementos da anatomia humana
Elementos da anatomia humana
Luis Fernando Barroso Bruno
 
Osteologia parte 5
Osteologia parte 5Osteologia parte 5
Osteologia parte 5
angelica luna
 
Profa.Socorro Brito - Sistema esquelético
Profa.Socorro Brito - Sistema esqueléticoProfa.Socorro Brito - Sistema esquelético
Profa.Socorro Brito - Sistema esquelético
Pedro Lopes
 
Roteiro estudos osteologia filipe emanuel - ufs
Roteiro estudos osteologia   filipe emanuel - ufsRoteiro estudos osteologia   filipe emanuel - ufs
Roteiro estudos osteologia filipe emanuel - ufs
Salie Rodrigues
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
Netto Lacerda
 
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
Ellen Neves
 
3.sistema osseo
3.sistema osseo3.sistema osseo
3.sistema osseo
Anne Moraes
 
3.sistema osseo
3.sistema osseo3.sistema osseo
3.sistema osseo
Natha Fisioterapia
 
Osteologia - Parte 2
Osteologia - Parte 2 Osteologia - Parte 2
Osteologia - Parte 2
angelica luna
 
Osteologia - Parte 3
Osteologia  - Parte 3Osteologia  - Parte 3
Osteologia - Parte 3
angelica luna
 
Sist esquelético
Sist esqueléticoSist esquelético
Sist esquelético
dionam
 
Aulaossos paraenvio
Aulaossos paraenvioAulaossos paraenvio
Aulaossos paraenvio
Odonto ufrj
 
Anatomia humana síntese
Anatomia humana sínteseAnatomia humana síntese
Anatomia humana síntese
Claudio Poeta
 
Artrologia
ArtrologiaArtrologia
Artrologia
Blenda Neiva
 
segunda aula de anatomia
segunda aula de anatomia segunda aula de anatomia
segunda aula de anatomia
Paulo Henrique Campos Vilhena
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
Renata Souza
 

Destaque (20)

Osteologia 2
Osteologia 2Osteologia 2
Osteologia 2
 
Sistema Ósseo_8o. Ano
Sistema Ósseo_8o. AnoSistema Ósseo_8o. Ano
Sistema Ósseo_8o. Ano
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
 
Elementos da anatomia humana
Elementos da anatomia humanaElementos da anatomia humana
Elementos da anatomia humana
 
Osteologia parte 5
Osteologia parte 5Osteologia parte 5
Osteologia parte 5
 
Profa.Socorro Brito - Sistema esquelético
Profa.Socorro Brito - Sistema esqueléticoProfa.Socorro Brito - Sistema esquelético
Profa.Socorro Brito - Sistema esquelético
 
Roteiro estudos osteologia filipe emanuel - ufs
Roteiro estudos osteologia   filipe emanuel - ufsRoteiro estudos osteologia   filipe emanuel - ufs
Roteiro estudos osteologia filipe emanuel - ufs
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
 
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
Cursoanatomiaaula01sistemasseo 121119081221-phpapp01 (1)
 
3.sistema osseo
3.sistema osseo3.sistema osseo
3.sistema osseo
 
3.sistema osseo
3.sistema osseo3.sistema osseo
3.sistema osseo
 
Osteologia - Parte 2
Osteologia - Parte 2 Osteologia - Parte 2
Osteologia - Parte 2
 
Osteologia - Parte 3
Osteologia  - Parte 3Osteologia  - Parte 3
Osteologia - Parte 3
 
Sist esquelético
Sist esqueléticoSist esquelético
Sist esquelético
 
Aulaossos paraenvio
Aulaossos paraenvioAulaossos paraenvio
Aulaossos paraenvio
 
Anatomia humana síntese
Anatomia humana sínteseAnatomia humana síntese
Anatomia humana síntese
 
Artrologia
ArtrologiaArtrologia
Artrologia
 
segunda aula de anatomia
segunda aula de anatomia segunda aula de anatomia
segunda aula de anatomia
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
 

Semelhante a I Introdução Osteologia

aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdfaula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
KarollineTavares1
 
Osteologia do esqueleto axial e apendicular
Osteologia do esqueleto axial e apendicularOsteologia do esqueleto axial e apendicular
Osteologia do esqueleto axial e apendicular
Nancy Cabral
 
Osteologia Enf Nut Farm.pptx
Osteologia Enf Nut Farm.pptxOsteologia Enf Nut Farm.pptx
Osteologia Enf Nut Farm.pptx
paulosa14
 
Atlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdfAtlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdf
ALINE GUIMARAES
 
1 Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
1  Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular1  Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
1 Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
Michaela Helena Moretto Alves
 
Resumo de anatomia (1)
Resumo de anatomia (1)Resumo de anatomia (1)
Resumo de anatomia (1)
Fran Apel
 
Aula de anatomia(resumo)
Aula de anatomia(resumo)Aula de anatomia(resumo)
Aula de anatomia(resumo)
Vasconcelo Lucas
 
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
Wilson Lima
 
Apostila de anatomia do crânio
Apostila de anatomia do crânioApostila de anatomia do crânio
Apostila de anatomia do crânio
Brumiel Sampaio
 
Esqueleto apendicular
Esqueleto apendicularEsqueleto apendicular
Esqueleto apendicular
magicozoom
 
Ossos e Músculos da Cabeça e Pescoço
Ossos e Músculos da Cabeça e PescoçoOssos e Músculos da Cabeça e Pescoço
Ossos e Músculos da Cabeça e Pescoço
Daniela Monteiro
 
Monitoria sistema esqueletico-3.pdf
Monitoria sistema esqueletico-3.pdfMonitoria sistema esqueletico-3.pdf
Monitoria sistema esqueletico-3.pdf
VanderleySilva23
 
Esqueletohumano
EsqueletohumanoEsqueletohumano
Esqueletohumano
Li Tagarelinhas
 
Anatomia membro superior
Anatomia membro superiorAnatomia membro superior
Anatomia membro superior
Adlem Dutra
 
Esqueleto axial
Esqueleto axialEsqueleto axial
O esqueleto humano
O esqueleto humanoO esqueleto humano
Esqueletohumano
EsqueletohumanoEsqueletohumano
Esqueletohumano
eutss
 
Esqueleto humano
Esqueleto humanoEsqueleto humano
Esqueleto humano
Miguel Nascimento
 
anexo
anexoanexo
Ossos dos membros inferiores
Ossos dos membros inferioresOssos dos membros inferiores
Ossos dos membros inferiores
alvido muaviraca
 

Semelhante a I Introdução Osteologia (20)

aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdfaula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
aula2sistemaesqueltico-121114052616-phpapp01.pdf
 
Osteologia do esqueleto axial e apendicular
Osteologia do esqueleto axial e apendicularOsteologia do esqueleto axial e apendicular
Osteologia do esqueleto axial e apendicular
 
Osteologia Enf Nut Farm.pptx
Osteologia Enf Nut Farm.pptxOsteologia Enf Nut Farm.pptx
Osteologia Enf Nut Farm.pptx
 
Atlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdfAtlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdf
 
1 Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
1  Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular1  Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
1 Apostila Anato - Introdução, Sis. Esquelético e Sis. Articular
 
Resumo de anatomia (1)
Resumo de anatomia (1)Resumo de anatomia (1)
Resumo de anatomia (1)
 
Aula de anatomia(resumo)
Aula de anatomia(resumo)Aula de anatomia(resumo)
Aula de anatomia(resumo)
 
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
Aula de Sistema Esquelético e Muscular - Curso T. em Seg. do Trabalho.
 
Apostila de anatomia do crânio
Apostila de anatomia do crânioApostila de anatomia do crânio
Apostila de anatomia do crânio
 
Esqueleto apendicular
Esqueleto apendicularEsqueleto apendicular
Esqueleto apendicular
 
Ossos e Músculos da Cabeça e Pescoço
Ossos e Músculos da Cabeça e PescoçoOssos e Músculos da Cabeça e Pescoço
Ossos e Músculos da Cabeça e Pescoço
 
Monitoria sistema esqueletico-3.pdf
Monitoria sistema esqueletico-3.pdfMonitoria sistema esqueletico-3.pdf
Monitoria sistema esqueletico-3.pdf
 
Esqueletohumano
EsqueletohumanoEsqueletohumano
Esqueletohumano
 
Anatomia membro superior
Anatomia membro superiorAnatomia membro superior
Anatomia membro superior
 
Esqueleto axial
Esqueleto axialEsqueleto axial
Esqueleto axial
 
O esqueleto humano
O esqueleto humanoO esqueleto humano
O esqueleto humano
 
Esqueletohumano
EsqueletohumanoEsqueletohumano
Esqueletohumano
 
Esqueleto humano
Esqueleto humanoEsqueleto humano
Esqueleto humano
 
anexo
anexoanexo
anexo
 
Ossos dos membros inferiores
Ossos dos membros inferioresOssos dos membros inferiores
Ossos dos membros inferiores
 

Mais de Bolivar Motta

Tst mapa conceitual (organograma)
Tst   mapa conceitual (organograma)Tst   mapa conceitual (organograma)
Tst mapa conceitual (organograma)
Bolivar Motta
 
Tst higiene ocupacional (extra)
Tst   higiene ocupacional (extra)Tst   higiene ocupacional (extra)
Tst higiene ocupacional (extra)
Bolivar Motta
 
Tst higiene no trabalho (extra)
Tst   higiene no trabalho (extra)Tst   higiene no trabalho (extra)
Tst higiene no trabalho (extra)
Bolivar Motta
 
Tst fundamentos dos processos de usinagem
Tst   fundamentos dos processos de usinagemTst   fundamentos dos processos de usinagem
Tst fundamentos dos processos de usinagem
Bolivar Motta
 
Tst fratura
Tst   fraturaTst   fratura
Tst fratura
Bolivar Motta
 
Tst fisiologia do trabalho
Tst   fisiologia do trabalhoTst   fisiologia do trabalho
Tst fisiologia do trabalho
Bolivar Motta
 
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batizTst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 6
Tst   ergonomia aula 6Tst   ergonomia aula 6
Tst ergonomia aula 6
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 5
Tst   ergonomia aula 5Tst   ergonomia aula 5
Tst ergonomia aula 5
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 4
Tst   ergonomia aula 4Tst   ergonomia aula 4
Tst ergonomia aula 4
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 3
Tst   ergonomia aula 3Tst   ergonomia aula 3
Tst ergonomia aula 3
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 2
Tst   ergonomia aula 2Tst   ergonomia aula 2
Tst ergonomia aula 2
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia aula 1
Tst   ergonomia aula 1Tst   ergonomia aula 1
Tst ergonomia aula 1
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia - checklist
Tst   ergonomia - checklistTst   ergonomia - checklist
Tst ergonomia - checklist
Bolivar Motta
 
Tst ergonomia - checklist couto
Tst   ergonomia - checklist coutoTst   ergonomia - checklist couto
Tst ergonomia - checklist couto
Bolivar Motta
 
Tst epc - nr 06
Tst   epc - nr 06Tst   epc - nr 06
Tst epc - nr 06
Bolivar Motta
 
Tst dst manual de bolso (extra)
Tst   dst manual de bolso (extra)Tst   dst manual de bolso (extra)
Tst dst manual de bolso (extra)
Bolivar Motta
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)
Bolivar Motta
 
Tst dst 1 cartilha
Tst   dst 1 cartilhaTst   dst 1 cartilha
Tst dst 1 cartilha
Bolivar Motta
 
Tst curso cipa
Tst   curso cipaTst   curso cipa
Tst curso cipa
Bolivar Motta
 

Mais de Bolivar Motta (20)

Tst mapa conceitual (organograma)
Tst   mapa conceitual (organograma)Tst   mapa conceitual (organograma)
Tst mapa conceitual (organograma)
 
Tst higiene ocupacional (extra)
Tst   higiene ocupacional (extra)Tst   higiene ocupacional (extra)
Tst higiene ocupacional (extra)
 
Tst higiene no trabalho (extra)
Tst   higiene no trabalho (extra)Tst   higiene no trabalho (extra)
Tst higiene no trabalho (extra)
 
Tst fundamentos dos processos de usinagem
Tst   fundamentos dos processos de usinagemTst   fundamentos dos processos de usinagem
Tst fundamentos dos processos de usinagem
 
Tst fratura
Tst   fraturaTst   fratura
Tst fratura
 
Tst fisiologia do trabalho
Tst   fisiologia do trabalhoTst   fisiologia do trabalho
Tst fisiologia do trabalho
 
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batizTst   fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
Tst fisiologia do trabalho - eduardo c. batiz
 
Tst ergonomia aula 6
Tst   ergonomia aula 6Tst   ergonomia aula 6
Tst ergonomia aula 6
 
Tst ergonomia aula 5
Tst   ergonomia aula 5Tst   ergonomia aula 5
Tst ergonomia aula 5
 
Tst ergonomia aula 4
Tst   ergonomia aula 4Tst   ergonomia aula 4
Tst ergonomia aula 4
 
Tst ergonomia aula 3
Tst   ergonomia aula 3Tst   ergonomia aula 3
Tst ergonomia aula 3
 
Tst ergonomia aula 2
Tst   ergonomia aula 2Tst   ergonomia aula 2
Tst ergonomia aula 2
 
Tst ergonomia aula 1
Tst   ergonomia aula 1Tst   ergonomia aula 1
Tst ergonomia aula 1
 
Tst ergonomia - checklist
Tst   ergonomia - checklistTst   ergonomia - checklist
Tst ergonomia - checklist
 
Tst ergonomia - checklist couto
Tst   ergonomia - checklist coutoTst   ergonomia - checklist couto
Tst ergonomia - checklist couto
 
Tst epc - nr 06
Tst   epc - nr 06Tst   epc - nr 06
Tst epc - nr 06
 
Tst dst manual de bolso (extra)
Tst   dst manual de bolso (extra)Tst   dst manual de bolso (extra)
Tst dst manual de bolso (extra)
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)
 
Tst dst 1 cartilha
Tst   dst 1 cartilhaTst   dst 1 cartilha
Tst dst 1 cartilha
 
Tst curso cipa
Tst   curso cipaTst   curso cipa
Tst curso cipa
 

Último

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 

Último (20)

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 

I Introdução Osteologia

  • 1. ANATOMIA BÁSICA E DOS SISTEMAS I. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA Conceito de Anatomia A anatomia é a parte da biologia que estuda a forma e a estrutura dos seres vivos. Posição Anatômica Ao estudar o corpo humano deve-se ter sempre presente que o mesmo deve ser considerado na posição anatômica: Em pé, na posição ereta, com os pés juntos voltados para frente, braços pendentes ao longo do corpo, mãos espalmadas, dedos unidos, palmas voltadas para a frente, olhar no horizonte. Planos Anatômicos Na posição anatômica, podemos empregar dois tipos de planos: PLANOS SECCIONAIS * Plano Sagital (Mediano): plano vertical que corta o corpo no sentido ântero- posterior, dividindo-o em metades direita e esquerda. Passa aproximadamente pela sutura sagital do crânio. * Plano Frontal (Coronal): plano vertical, da cabeça aos pés, que passa aproximadamente pela sutura coronal. Corta o corpo da direita para esquerda, dividindo-o em metades anterior e posterior. * Plano Transversal (Horizontal): corta transversalmente o corpo, determinando uma porção superior e outra inferior. PLANOS TANGENCIAIS * Plano Superior: passa por cima da cabeça * Plano Inferior: passa por baixo dos pés * Plano Anterior: pela frente do corpo * Plano Posterior: passa por trás do corpo * Planos Laterais: passa pelos lados direito e esquerdo
  • 2. Termos Usados na Anatomia * Ventral: refere-se à frente ou ao ventre do corpo, sendo sinônimo de anterior. * Dorsal: refere-se ao dorso do corpo, sendo sinônimo de posterior. * Cranial: refere-se a superior, em direção à cabeça. * Caudal: refere-se a inferior, em direção aos pés. * Medial: refere-se a estrutura mais próxima do plano mediano. * Lateral: refere-se a estrutura mais afastada do plano mediano. * Proximal: indica a direção próximo a raiz do membro. * Distal: indica a direção à extremidade, afastado da raiz do membro. II. OSTEOLOGIA A osteologia estuda os ossos. Estes servem de sustentáculo para as partes moles (músculos, vísceras, vasos, etc.) e também formam receptáculos, que alojam e protegem alguns elementos (caixa craniana, caixa torácica, cavidade orbital, etc.) O ESQUELETO Fundamentalmente há uma coluna óssea central – coluna vertebral, constituída pela superposição das Vértebras. Superiormente a coluna dilata-se, onde há a cabeça óssea, dividida em crânio (com 8 ossos) e face (com 14 ossos). Inferiormente, a coluna se afila, terminando no sacro e no cóccix. Da parte média da coluna saem 12 pares de costelas, dirigindo-se para frente e indo se prender ao osso esterno, formando o tórax. Na parte superior do tórax há o cíngulo do membro superior, constituído pela clavícula e pela escápula, os quais servem de implantação do membro superior. O membro superior apresenta o úmero (osso do braço), rádio e ulna (ossos do antebraço) e carpo (8 ossos), metacarpo (5 ossos) e dedos (3 ossos, com exceção do polegar, com 2 ossos), que constituem a mão. Na parte inferior há o cíngulo do membro inferior, constituído pelos 2 ossos do quadril e considerando o sacro, temos a pelve óssea. O membro inferior prende-se ao quadril, e apresenta o fêmur (osso da coxa), tíbia e fíbula (ossos da perna), a patela (anterior ao joelho) e tarso (7
  • 3. ossos), metatarso (5 ossos) e dedos (3 ossos, com exceção do hálux, com 2 ossos), que constituem o pé. CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS * LONGOS: o comprimento predomina sobre a largura e a espessura. Apresentam uma escavação central, o CANAL MEDULAR, onde se encontra a medula óssea. Apresentam um corpo, a DIÁFISE e duas extremidades, as EPÍFISES. Exs.: fêmur, úmero, tíbia. * CURTOS: as três dimensões se equivalem. São mais ou menos cúbicos. Exs.: tarso e carpo * PLANOS (OU CHATOS): são finos, o comprimento e a largura predominam sobre a espessura. Exs: escápula, parietal. *PNEUMÁTICOS: ossos ocos, com a cavidade cheia de ar. Exs.: maxila, esfenóide, frontal *ALONGADOS: ossos longos, achatados, que não apresentam canal medular. Ex.: costelas *IRREGULARES: Exs.: etmóide, esfenóide, temporal ESQUELETO AXIAL CABEÇA ÓSSEA Divide-se em CRÂNIO (neurocrânio) e FACE (esplâncnocrânio). O crânio constitui uma caixa onde se aloja o encéfalo, e a face é o local de início dos aparelhos respiratório e digestivo, e dos órgãos dos sentidos. CRÂNIO (NEUROCRÂNIO) É constituído por 8 ossos (4 ímpares e 2 pares). Os ímpares são: frontal, occipital, esfenóide e etmóide. Os pares são: parietal e temporal Frontal – osso pneumático, com a forma de uma concha, situado para frente e para cima, apresentando uma escavação, que é o seio frontal. Apresenta a escama frontal, parte anterior do osso (convexa). Na linha mediana há a glabela (ponto correspondente à região sem pelos, entre os supercílios). E de cada lado desta há os arcos superciliares. A borda superior do osso articula-se
  • 4. com os parietais, constituindo a sutura coronal. Na união entre os 3 ossos há o brégma ou moleira. Occipital - é o mais posterior do crânio. Próximo ao ângulo inferior apresenta o forame magno (através do qual o encéfalo continua-se com a medula espinhal). Ao lado deste há 2 saliências articulares, os côndilos do occipital (que articulam o occipital com a 1ª vértebra cervical). Na face póstero-inferior há uma saliência, que é a protuberância occipital externa. De cada lado desta há a linha nucal superior. E a linha nucal inferior está entre o forame magno e a protuberância occipital externa. Parietal – é um osso par, mais simples do crânio. Articula-se com o parietal do lado oposto, constituindo a sutura sagital e cada um com os temporais correspondentes. Articulam-se anteriormente com o frontal e posteriormente com o occipital. Temporal - osso par, é o mais complexo. No seu interior há o aparelho da audição. Articula-se com o osso zigomático pelo processo zigomático. Apresenta inferiormente a fossa mandibular que se articula com a mandíbula. Esfenóide - situado no centro da base do crânio, com aspecto de um morcego. Apresenta um corpo, 2 asas maiores, 2 asas menores e 2 processos pterigóides. O corpo é oco, constituindo o seio esfenoidal, sua face superior apresenta a sela túrsica (onde se encontra a hipófise). Nas asas maiores há o forame redondo (onde passa o nervo maxilar), o forame oval (por onde passa o nervo mandibular) e o forame espinhoso (por onde passa a artéria meníngea média). Nas asas menores há o canal óptico (por onde passa o nervo óptico). Etmóide - entra na constituição da maior parte da cavidade nasal. Apresenta uma lâmina perpendicular, que constitui o septo nasal e uma lâmina horizontal, que constitui a lâmina crivosa do etmóide (cheia de orifícios para os filetes do nervo olfatório), que entra na constituição do teto da cavidade nasal e apresentam as células etmoidais (cavidades esféricas em torno da lâmina). Dá origem às conchas nasais superior e média. FACE (ESPLÂNCNOCRÂNIO) Constitui um maciço ósseo, que se situa por diante e para baixo do crânio. Possui 2 ossos ímpares: mandíbula e vômer; e 6 pares: maxilas, zigomático, palatino, lacrimal, concha nasal e nasal. Maxila - osso bastante irregular, apresentando um corpo e 4 saliências (processos zigomático, frontal, palatino e alveolar). A base do corpo é a face nasal. O corpo da maxila é oco, constituindo o seio maxilar. Zigomático - osso losângico, constitui a proeminência da face. Apresenta o processo temporal e frontal e a superfície orbital.
  • 5. Palatino - osso par, em forma de L, com uma lâmina perpendicular e outra horizontal. Lacrimal - tem a forma de uma unha e entra na constituição da parede medial da órbita. Sua face lateral apresenta uma goteira vertical, que contribui para a formação do canal nasolacrimal. Concha Nasal Inferior - é o terceiro e mais inferior enrodilhado ósseo, que se situa nas paredes laterais da cavidade nasal. Nasal - osso de forma retangular, que juntamente com o do lado oposto forma o dorso do nariz. Vômer - osso ímpar, entra na constituição do septo nasal. Mandíbula - osso ímpar, onde se implantam os dentes inferiores. Apresenta um corpo em forma de U e dois ramos, os ramos da mandíbula, que articulam- se com os temporais correspondentes. A borda superior dos ramos apresentam os acidentes: processo condilar , constituído pela cabeça da mandíbula (que se articula com os temporais), processo coronóide, entre as duas saliências há a incisura da mandíbula OSSO HIÓIDE É o único osso que não se articula com o resto do esqueleto. Tem a forma de U e apresenta um corpo e 2 pares de cornos, maiores e menores. COLUNA VERTEBRAL A coluna vertebral é formada por uma série de ossos denominados vértebras. As 33 vértebras são superpostas de acordo com as regiões da coluna. É dividida em 5 regiões: CERVICAL, TORÁCICA, LOMBAR, SACRAL e COCCÍGEA. Há 7 vértebras na região cervical; 12 na torácica; 5 na lombar; 5 na sacral e 4 na coccígea (em alguns casos 3 ou 5). A coluna vertebral apresenta curvaturas fisiológicas: * CIFOSE: curvatura de concavidade anterior e convexidade posterior. Ocorre à nível torácico (cifose torácica). * LORDOSE: curvatura de concavidade para trás. Ocorre a nível lombar. * ESCOLIOSE: quando há curvatura lateral. VÉRTEBRAS As vértebras apresentam características gerais (encontradas em todas as vértebras), regionais (diferenças de acordo com as diferentes regiões) e individuais (em determinadas vértebras).
  • 6. → Características Gerais: * CORPO: segmento cilíndrico, que apresenta uma face superior e outra inferior. * FORAME: imediatamente por trás do corpo e limitado lateralmente e posteriormente por um arco ósseo, onde se encontram os demais elementos da vértebra. * PROCESSO ESPINHOSO: parte do arco ósseo, medianamente, por trás do forame vertebral. Dirige-se para trás sob a forma de longa espinha. * PROCESSOS TRANSVERSOS: prolongamentos laterais, que se projetam transversalmente. * PROCESSOS ARTICULARES: em número de 4, dois superiores e dois inferiores, que se destinam à articulação das vértebras entre si. * LÂMINAS: são duas, ligam o processo espinhosos ao transverso correspondente. São achatadas e quadriláteras, constituem a maior parte do arco ósseo. * PEDÍCULOS: partes mais estreitadas, ligam o arco ósseo ao corpo. Apresentam chanfraduras superior e inferior, as INCISURAS VERTEBRAIS. Com a superposição das vértebras, a superposição dos pedículos determina orifícios, os FORAMES INTERVERTEBRAIS, por onde saem nervos espinhais. → Características Regionais: * PROCESSO TRANSVERSO: na região cervical, o processo transverso apresenta um forame, o FORAME TRANSVERSO. E na região lombar, os processos transversos são bastante desenvolvidos, os APÊNDICES COSTIFORMES. * FACETAS ARTICULARES: são elementos para articulação com as costelas, na região torácica. → Características Individuais: Encontramos característica individuais na 1ª , 2ª e 7ª vértebras cervicais e 5ª lombar. * ATLAS: é a primeira vértebra cervical. Constituída de duas massas laterais ligadas por um arco anterior e outro posterior. Elas articulam-se com os côndilos do occipital. Não apresenta um corpo típico.
  • 7. * ÁXIS: é a segunda vértebra cervical. Apresenta uma saliência dirigida para cima, que representa o corpo do atlas, é o DENTE do áxis. Sua fratura pode comprimir a medula oblonga e causar morte instantânea. * 7ª VÉRTEBRA CERVICAL ou PROEMINENTE: apresenta um processo espinhoso muito desenvolvido. * 5ª VÉRTEBRA LOMBAR: apresenta o corpo mais alto anteriormente, determinando o PROMONTÓRIO, ao se articular com o sacro. Vértebras Cervicais: são as menores, distinguem-se por apresentarem um forame em cada processo transverso. Apresentam particularidades nas 1a. , 2ª e 7ª vértebras. Vértebras Torácicas: têm tamanho intermediário entre as cervicais e as lombares. Distinguem-se pela presença de facetas nos lados dos corpos, para articulação com as cabeças das costelas e nos processos transversos (com exceção da 11ª e 12ª ) para articulação com os tubérculos das costelas. Vértebras Lombares: são as maiores e identificam-se pela ausência de forames nos processos transversos e facetas articulares. O forame vertebral é maior do que nas outras vértebras. SACRO Resulta da fusão de 5 vértebras. É um osso grande, com a forma de uma pirâmide quadrangular. A base está voltada para cima e articula-se com a 5ª vértebra lombar, formando o PROMONTÓRIO e o ápice, para baixo, articula-se com o cóccix. Articula-se lateralmente com os ossos do quadril através das superfícies auriculares. CÓCCIX Resulta da fusão de 4 vértebras (3 ou 5) rudimentares. Tem a forma de uma cunha. A base se articula com o ápice do sacro e o ápice é livre. TÓRAX Os ossos do tórax constituem uma caixa vasada, com uma abertura superior e outra inferior, lateralmente representada por um gradil costal. Esta caixa osteocartilaginosa contém os principais órgãos da respiração e circulação e cobre parte dos órgãos abdominais. Posteriormente é formado pelas 12 vértebras torácicas, anteriormente pelo esterno’ e cartilagens costais, e lateralmente pelas 12 costelas. ESTERNO Osso alongado e achatado. Consiste de 3 partes:
  • 8. • Manúbrio: é a parte mais larga e apresenta 3 chanfraduras, a incisura jugular (mediana) e as incisuras claviculares (laterais). • Corpo: apresenta lateralmente as incisuras costais. • Processo xifóide: representado por uma lingüeta, geralmente cartilaginoso em jovens. COSTELAS São em número de 12 pares. São ossos alongados, em forma de semi- arcos, ligando as vértebras torácicas ao esterno. Dividem-se em: • Verdadeiras: 7 primeiros pares, ligadas posteriormente à coluna vertebral e anteriormente ao esterno, pelas cartilagens costais. • Falsas: 3 pares (8a , 9a e 10a ), tendo suas cartilagens costais articuladas com a 7a costela não se articulando com o esterno. • Flutuantes: as duas última costelas terminam livremente para frente. As costelas apresentam um corpo e duas extremidades. O corpo apresenta face interna (que apresentam o sulco da costela, onde se alojam os vasos intercostais) e face externa. As extremidades são: dorsal ou vertebral e ventral ou esternal. A dorsal apresenta a cabeça da costela (que se articula com o corpo da vértebra). A cabeça apresenta um colo (que prende a cabeça ao corpo)e um tubérculo (saliência articular para o processo transverso). A ventral é achatada, apresenta a cartilagem costal. ESQUELETO APENDICULAR MEMBROS SUPERIORES CINTURA ESCAPULAR O cíngulo do membro superior ou cintura escapular constitui a raiz de implantação do membro superior. É formada por dois ossos: a escápula e a clavícula. CLAVÍCULA Forma a porção ventral da cintura escapular. É um osso longo, curvado, situado acima da primeira costela. Apresenta duas extremidades: • Acromial: mais achatada, lateral, que articula-se com o acrômio da escápula. • Esternal: mais volumosa, medial, que articula-se com o esterno. ESCÁPULA
  • 9. Forma a parte dorsal da cintura escapular. É grande, achatada e triangular. Apresenta 2 faces, 3 bordas e 3 ângulos. As faces são: • Costal (anterior): é escavada e essa concavidade é a fossa subescapular. • Dorsal (posterior): apresenta uma saliência, a espinha da escápula, que termina no acrômio. Acima há a fossa supraespinhal e abaixo a fossa infraespinhal. As bordas são: • Superior: apresenta a incisura da escápula e o processo coracóide. • Medial: a mais longa • Lateral: é a mais espessa. Apresenta o tubérculo infraglenoidal. Os ângulos: • Superior: fino, liso e arredondado. • Inferior: espesso e áspero. • Lateral: bastante dilatado e apresenta a cavidade glenóide. Apresenta o tubérculo supraglenoidal e o tubérculo infraglenoidal. BRAÇO ÚMERO É o maior e o mais longo osso do membro superior. Apresenta um corpo (diáfise) e duas extremidades (epífises). As extremidades são proximal, que contém a cabeça do úmero, e distal. Divide-se em corpo, cabeça e côndilo. • Corpo: apresenta a tuberosidade deltoídea e o sulco do nervo radial. • Cabeça: articula-se com a cavidade glenóide da escápula. É limitada por um sulco, o colo anatômico (que dá inserção à cápsula articular das articulação gleno-umeral). Lateralmente a esta há 2 saliências: o tubérculo maior e o tubérculo menor, e entre eles o sulco intertubercular. • Côndilo: tem a extremidade distal achatada e termina em uma ampla superfície articular dividida em 2 partes: lateralmente o capítulo (eminência lisa e arredondada, para o rádio) e medialmente a tróclea (para a ulna). As saliências ósseas são expansões medial, epicôndilo medial e lateral, epicôndilo lateral. As depressões são a fossa do olécrano, fossa coronóide e fossa radial. ANTEBRAÇO ULNA É mais volumosa em cima e se afila para baixo. Ocupa o lado medial do antebraço e é paralela ao rádio. Apresenta um corpo e duas extremidades.
  • 10. A extremidade proximal apresenta o olécrano e o processo coronóide e duas cavidades articulares, as incisuras troclear e radial. A extremidade distal é representada pela cabeça da ulna e lateralmente há o processo estilóide. RÁDIO É paralelo à ulna e está no lado lateral. Apresenta um corpo e 2 extremidades. A extremidade proximal é constituída pela cabeça do rádio, a circunferência articular da cabeça gira na incisura radial da ulna. A cabeça apresenta a cavidade glenóide, que se articula com o capítulo do úmero. Abaixo da cabeça há a tuberosidade do rádio. A extremidade distal é mais volumosa e apresenta a incisura ulnar (para a cabeça da ulna) e a face auricular cárpica (para os 2 primeiros ossos do carpo) e lateralmente o processo estilóide do rádio. OSSOS DA MÃO A mão é subdividida em carpo, metacarpo e dedos. CARPO Constituído de 8 pequenos ossos, de forma irregularmente cúbica, que distribuem-se em 2 fileiras de 4 ossos cada. 1a fileira: escafóide, semilunar, piramidal e pisiforme. 2a fileira: trapézio, trapezóide, capitato e hamato. METACARPO Constituído por 5 ossos metacárpicos (I, II, III, IV e V), que correspondem aos dedos das mãos. São ossos longos, apresentam um corpo e 2 extremidades. A epífise proximal é constituída pela base (que articula-se com o carpo e metacárpicos) e a distal apresenta a cabeça do metacárpico (que se articula com a falange proximal). FALANGES Os dedos da mão são polegar, índex, médio, anular e mínimo. Cada dedo apresenta 3 falanges (exceto o polegar). As falanges são: proximais, médias e distais. São consideradas ossos longos, com corpo, base e cabeça. MEMBROS INFERIORES O cíngulo do membro inferior ou cintura pélvica constitui a raiz da implantação do membro inferior.
  • 11. OSSOS DO QUADRIL É par, articula-se com o homólogo e posteriormente os dois se articulam com o sacro (constituindo a pelve óssea). Cada um se articula com o fêmur correspondente. O osso do quadril se divide em ísquio, ílio e pube. Superiormente há o ílio, a metade inferior se divide em ísquio, posteriormente; e pube, anteriormente. Apresenta um grande orifício, o forame obturador e uma grande fossa articular, o acetábulo. A pube apresenta um ramo superior e outro inferior, cujo encontro constitui o corpo da pube, que apresenta a face sinfisial. E apresenta a eminência íleo-púbica. Apresenta as faces lateral e medial: A face lateral apresenta o acetábulo apresenta a face semilunar (única articular), a fossa do acetábulo e a incisura do acetábulo. A face medial apresenta a linha arqueada (que divide-a em porção superior e inferior). Posteriormente há a face auricular (que se articula com o sacro). As bordas são superior , que denomina-se crista ilíaca, a anterior e a posterior, espinhas ilíacas. COXA FÊMUR Dividido em um corpo e 2 extremidades. A epífise proximal apresenta a cabeça do fêmur, que quase no centro há a fóvea da cabeça do fêmur, onde se insere o ligamento redondo. Prendendo a cabeça ao corpo há o colo anatômico. Lateralmente ao colo há o trocânter maior e o trocânter menor. A linha de união anterior é a linha intertrocantérica e a posterior, a crista intertrocantérica. A epífise distal apresenta os côndilos medial e lateral, entre eles, posteriormente há a fossa intercondilar e anteriormente eles se unem e formam a superfície patelar. Medialmente ao côndilo medial há o epicôndilo medial e lateralmente ao lateral, o epicôndilo lateral. PATELA Osso triangular. Apresenta faces anterior e posterior, base e ápice. Sua função é facilitar o deslizamento do tendão do quadríceps. OSSOS DA PERNA TÍBIA Situada no lado medial da perna. É mais volumosa e é o único osso que entra na articulação do joelho.
  • 12. É mais superficial, recoberto apenas pelo tegumento, sendo palpável em toda sua extensão. Apresenta um corpo e duas extremidades. A epífise proximal é mais volumosa e constitui um bloco ósseo que suporta os côndilos do fêmur. As expansões são os côndilos medial e lateral da tíbia. Superiormente há as faces articulares medial e lateral e entre elas há a eminência intercondilar, constituída por duas elevações, os tubérculos intercondilares medial e lateral. Posteriormente à eminência há a área intercondilar posterior e anteriormente, a área intercondilar anterior. Abaixo do côndilo lateral há a faceta articular fibular. A epífise distal apresenta a superfície articular inferior. Medialmente há o maléolo medial e lateralmente a este a superfície articular do maléolo. Lateralmente, a epífise apresenta uma superfície articular, a incisura fibular (para a fíbula). FÍBULA É um osso fino. Apresenta um corpo e 2 extremidades. A extremidade superior é a cabeça da fíbula e apresenta a faceta articular para o côndilo lateral da tíbia e lateralmente a esta há o ápice da cabeça (processo estilóide). A extremidade distal constitui o maléolo lateral, que medialmente apresenta a face articular do maléolo. OSSOS DO PÉ Divide-se em tarso, metatarso e dedos do pé. TARSO Possui 7 ossos, curtos e irregulares. São eles: tálus, calcâneo, cubóide, e 3 cuneiformes (lateral, intermédio e medial). O mais superior é o tálus. O calcâneo é o mais posterior e inferior. Esses dois formam a fileira posterior. A fileira anterior é constituída pelos outros 5 ossos. METATARSO São 5 metatársicos. A base é posterior e a cabeça, anterior. FALANGES Semelhantes aos dedos da mão. São I, II, III, IV e V. O primeiro é o hálux, o terceiro o médio e o quinto mínimo. Apresenta as falanges: proximal, média e distal.