SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
FUNÇÕES DA LINGUAGEM

COMUNICAÇÃO
Comunicação é o processo pelo qual os seres humanos trocam entre si informações. Nesta
breve definição temos já implicitamente presentes os elementos nucleares do ato
comunicativo: o emissor, o receptor (“seres humanos”) e a mensagem (“informações”). Em
qualquer ato comunicativo encontramos alguém que procura transmitir a outrem uma
informação. Além desses três elementos, é costume considerar outros três: o código, o canal
e o contexto. Nenhum ato comunicativo seria possível, na ausência de qualquer um desses
elementos. De fato, é necessária a intervenção de, pelo menos, dois indivíduos, um que emita
e outro que receba; algo tem que ser transmitido pelo emissor ao receptor; para que o emissor
e o receptor comuniquem é necessário que esteja disponível um canal de comunicação; a
informação a transmitir tem que estar “traduzida” num código conhecido, quer pelo emissor,
quer pelo receptor; finalmente todo o ato comunicativo se realiza num determinado contexto
e é determinado por esse
Contexto.




                               REFERENTE
                           FUNÇÃO REFERENCIAL

                               MENSAGEM
                             FUNÇÃO POÉTICA
       EMISSOR                                               RECEPTOR
       FUNÇÃO                                                 FUNÇÃO
       EMOTIVA                    CANAL                      CONATIVA
                              FUNÇÃO FÁTICA


                                CÓDIGO
                         FUNÇÃO METALINGUÍSTICA




     Os elementos da comunicação:
EMISSOR – que emite, codifica a mensagem; RECEPTOR – que recebe, decodifica a
mensagem; CANAL - meio pelo qual circula a mensagem; CÓDIGO - conjunto de signos usado
na transmissão e recepção da mensagem; REFERENTE - contexto relacionado a emissor e
receptor; MENSAGEM - conteúdo transmitido pelo emissor.


FUNÇÃO REFERENCIAL OU INFORMATIVA
Ocorre toda vez que a mensagem faz referência a acontecimentos, fatos, pessoas, animais ou
coisas, com o objetivo de transmitir informações.
Ex.: O tempo será nublado amanhã, com melhoria no fim do período.
Ela abriu a porta, entrou, sentou-se na poltrona e sorriu.

FUNÇÃO EMOTIVA OU EXPRESSIVA
Está centrada no emissor, na 1.ª pessoa (eu). Expressa os sentimentos de quem fala em
relação àquilo de que está falando.
Ex.: Estou muito feliz.
Este jantar está excelente.

FUNÇÃO CONATIVA OU APELATIVA
Está centrada na 2.ª pessoa (tu). É dirigida ao receptor com o objetivo de influenciá-lo a fazer
ou deixar de fazer alguma coisa. Exprime-se através do vocativo e do imperativo.
Ex.: Não deixe de ver aquele filme amanhã.
Não te esqueças de enviar-me os livros.

FUNÇÃO FÁTICA
Ocorre quando emissor deseja verificar se o canal de comunicação está funcionando, ou se ele,
emissor, está sendo compreendido.
Ex.: Alô... / - Entenderam?

FUNÇÃO METALINGUÍSITCA
Toda mensagem que fala sobre a própria linguagem é metalinguística. Metalinguagem é,
portanto, a linguagem sobre a linguagem, a utilização da linguagem em referência ao próprio
código, para esclarecê-lo ou ensiná-lo a alguém.
Ex.: estética s.f. 1. Parte da filosofia que trata das leis e dos princípios do belo. 2. Caráter
estético;
beleza. 3. (fig.) Plática; beleza física
A metalinguagem é muitas vezes utilizadas pelos poetas e prosadores quando querem se
referir ao ato de escrever, como no poema de João Cabral.
Catar feijão se limita com escrever 3
joga-se os grãos na água do alguidar
e as palavras na folha de papel;
e depois, joga-se fora o que boiar.
(João Cabral de Melo Neto)

FUNÇÃO POÉTICA
A função poética realça a elaboração da mensagem e caracteriza-se pela criatividade da
linguagem. Percebe-se um cuidado especial na organização da mensagem através da
exploração das figuras de linguagem, do ritmo, das sonoridades e da polissemia (variação de
significados) das palavras.



DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

SENTIDO DENOTATIVO: É a linguagem comum, objetiva, científica.
EX: - O leão é um animal feroz.
 leão = animal (sentido próprio, verdadeiro)
SENTIDO CONOTATIVO: É a linguagem poética, literária, diferente da linguagem comum.
EX: - Aquele homem é um leão.
- leão = pessoa forte, brava (sentido figurado, irreal).
Há diversas formas de se garantir a coesão entre
   os elementos de uma frase ou de um texto.
Fazendo conexões

Os conectivos

        É consolador para os telespectadores, as más notícias são trazidas por uma bela repórter,
ou uma linda apresentadora. É alentador para quem trabalha em redação conviver com gente
atraente, em meio ao circo de horrores, consome o dia a dia. Quem está sob um rosto bonito ou
um corpo desejável enfrenta preconceitos e constrangimentos em dose equivalente aos
galanteios e gentilezas, - supõe-se – são privativos de formosura.


        Nota-se que o texto não está bem escrito. Vejamos a forma adequada:


        É consolador para os telespectadores, quando as más notícias são trazidas por uma bela
repórter, ou uma linda apresentadora. Da mesma forma, é alentador para quem trabalha em
redação conviver com gente atraente, em meio ao circo de horrores, que consome o dia a dia.
Mas, quem está sob um rosto bonito ou um corpo desejável enfrenta preconceitos e
constrangimentos em dose equivalente aos galanteios e gentilezas que, - supõe-se – são
privativos de formosura.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemjulilp10
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemJosi Motta
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Limajasonrplima
 
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRevisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRogério Souza
 
Teoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicaçãoTeoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicaçãoSeduc/AM
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagemLilian Lima
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagemborges15
 
03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagemma.no.el.ne.ves
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagemAna Castro
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemValeria Nunes
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3nixsonmachado
 

Mais procurados (20)

Funcões da linguagem
Funcões da linguagemFuncões da linguagem
Funcões da linguagem
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Lima
 
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRevisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
 
Teoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicaçãoTeoria geral da comunicação
Teoria geral da comunicação
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Linguagem e Comunicação II
Linguagem e Comunicação IILinguagem e Comunicação II
Linguagem e Comunicação II
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem03. exercícios sobre funções da linguagem
03. exercícios sobre funções da linguagem
 
10.funções da linguagem
10.funções da linguagem10.funções da linguagem
10.funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
 
Linguagens Rufino
Linguagens Rufino Linguagens Rufino
Linguagens Rufino
 

Semelhante a I aula funções da linguagem e elementos coesivos

FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01Jordano Santos Cerqueira
 
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdf
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdfAula 2 - Funcoes de Linguagem.pdf
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdfProfessoraCatia1
 
funcoes linguagem
funcoes linguagemfuncoes linguagem
funcoes linguagemfquadros
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemnixsonmachado
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosSônia Sochiarelli
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemjaquemarcondes
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoAdm Pub
 
Elem. da com. e fun. de ling.
Elem. da com. e fun. de ling.Elem. da com. e fun. de ling.
Elem. da com. e fun. de ling.LilianeBarros17
 
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdffunesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdftatianesouza923757
 
Apostila tecnica de redacao
Apostila tecnica de redacaoApostila tecnica de redacao
Apostila tecnica de redacaoJeffter Vieira
 

Semelhante a I aula funções da linguagem e elementos coesivos (20)

FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
 
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdf
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdfAula 2 - Funcoes de Linguagem.pdf
Aula 2 - Funcoes de Linguagem.pdf
 
Literatura.ppt
Literatura.pptLiteratura.ppt
Literatura.ppt
 
funcoes linguagem
funcoes linguagemfuncoes linguagem
funcoes linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptxFunções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptx
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercícios
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De Comunicação
 
Elem. da com. e fun. de ling.
Elem. da com. e fun. de ling.Elem. da com. e fun. de ling.
Elem. da com. e fun. de ling.
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).pptFUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
 
Funções da linguagem.ppt
Funções da linguagem.pptFunções da linguagem.ppt
Funções da linguagem.ppt
 
O Processo de Comunicação
O Processo de ComunicaçãoO Processo de Comunicação
O Processo de Comunicação
 
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdffunesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Apostila de técnica de redação
Apostila de técnica de redaçãoApostila de técnica de redação
Apostila de técnica de redação
 
Apostila de técnica de redação
Apostila de técnica de redaçãoApostila de técnica de redação
Apostila de técnica de redação
 
Apostila tecnica de redacao
Apostila tecnica de redacaoApostila tecnica de redacao
Apostila tecnica de redacao
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
 

Mais de Agassis Rodrigues

O que significa ter um direito
O que significa ter um direitoO que significa ter um direito
O que significa ter um direitoAgassis Rodrigues
 
Estatuto criança adolescente_comentado
Estatuto criança adolescente_comentadoEstatuto criança adolescente_comentado
Estatuto criança adolescente_comentadoAgassis Rodrigues
 
Defesa da defensoria do para
Defesa da defensoria do paraDefesa da defensoria do para
Defesa da defensoria do paraAgassis Rodrigues
 
Constituição federal anotada - stf
Constituição federal   anotada - stfConstituição federal   anotada - stf
Constituição federal anotada - stfAgassis Rodrigues
 
Como fazer uma redação dissertativa argumentativa
Como fazer uma redação dissertativa argumentativaComo fazer uma redação dissertativa argumentativa
Como fazer uma redação dissertativa argumentativaAgassis Rodrigues
 
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentadaAgassis Rodrigues
 
Vale transporte como funciona
Vale transporte como funcionaVale transporte como funciona
Vale transporte como funcionaAgassis Rodrigues
 
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...Agassis Rodrigues
 
Aula iv fluxos reais e monetários
Aula iv fluxos reais e monetáriosAula iv fluxos reais e monetários
Aula iv fluxos reais e monetáriosAgassis Rodrigues
 
Aula iii estrutura de mercado
Aula iii estrutura de mercadoAula iii estrutura de mercado
Aula iii estrutura de mercadoAgassis Rodrigues
 

Mais de Agassis Rodrigues (20)

Termo ciência fabiola
Termo ciência fabiolaTermo ciência fabiola
Termo ciência fabiola
 
Reunião 13 08
Reunião 13 08Reunião 13 08
Reunião 13 08
 
Resumo acesso a justiça
Resumo acesso a justiçaResumo acesso a justiça
Resumo acesso a justiça
 
O que significa ter um direito
O que significa ter um direitoO que significa ter um direito
O que significa ter um direito
 
Manual tecnicas redacao
Manual tecnicas redacaoManual tecnicas redacao
Manual tecnicas redacao
 
Guia trabalho acadêmico
Guia trabalho acadêmicoGuia trabalho acadêmico
Guia trabalho acadêmico
 
Estatuto criança adolescente_comentado
Estatuto criança adolescente_comentadoEstatuto criança adolescente_comentado
Estatuto criança adolescente_comentado
 
Defesa da defensoria do para
Defesa da defensoria do paraDefesa da defensoria do para
Defesa da defensoria do para
 
Constituição federal anotada - stf
Constituição federal   anotada - stfConstituição federal   anotada - stf
Constituição federal anotada - stf
 
Como fazer uma redação dissertativa argumentativa
Como fazer uma redação dissertativa argumentativaComo fazer uma redação dissertativa argumentativa
Como fazer uma redação dissertativa argumentativa
 
C digo penal comentado
C digo penal comentadoC digo penal comentado
C digo penal comentado
 
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada
44361736 lei-11-340-lei-maria-da-penha-comentada
 
0027 primeiro aditamento
0027 primeiro aditamento0027 primeiro aditamento
0027 primeiro aditamento
 
Vale transporte como funciona
Vale transporte como funcionaVale transporte como funciona
Vale transporte como funciona
 
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...
Ada pelegrini-grinover-antonio-carlos-de-araujo-cintra-candido-rangel-dinamar...
 
Trabalho tgp
Trabalho tgpTrabalho tgp
Trabalho tgp
 
Mercado e concorrência
Mercado e concorrênciaMercado e concorrência
Mercado e concorrência
 
Aula iv fluxos reais e monetários
Aula iv fluxos reais e monetáriosAula iv fluxos reais e monetários
Aula iv fluxos reais e monetários
 
Aula iii estrutura de mercado
Aula iii estrutura de mercadoAula iii estrutura de mercado
Aula iii estrutura de mercado
 
Aula ii economia tópicos
Aula ii economia tópicosAula ii economia tópicos
Aula ii economia tópicos
 

I aula funções da linguagem e elementos coesivos

  • 1. FUNÇÕES DA LINGUAGEM COMUNICAÇÃO Comunicação é o processo pelo qual os seres humanos trocam entre si informações. Nesta breve definição temos já implicitamente presentes os elementos nucleares do ato comunicativo: o emissor, o receptor (“seres humanos”) e a mensagem (“informações”). Em qualquer ato comunicativo encontramos alguém que procura transmitir a outrem uma informação. Além desses três elementos, é costume considerar outros três: o código, o canal e o contexto. Nenhum ato comunicativo seria possível, na ausência de qualquer um desses elementos. De fato, é necessária a intervenção de, pelo menos, dois indivíduos, um que emita e outro que receba; algo tem que ser transmitido pelo emissor ao receptor; para que o emissor e o receptor comuniquem é necessário que esteja disponível um canal de comunicação; a informação a transmitir tem que estar “traduzida” num código conhecido, quer pelo emissor, quer pelo receptor; finalmente todo o ato comunicativo se realiza num determinado contexto e é determinado por esse Contexto. REFERENTE FUNÇÃO REFERENCIAL MENSAGEM FUNÇÃO POÉTICA EMISSOR RECEPTOR FUNÇÃO FUNÇÃO EMOTIVA CANAL CONATIVA FUNÇÃO FÁTICA CÓDIGO FUNÇÃO METALINGUÍSTICA  Os elementos da comunicação: EMISSOR – que emite, codifica a mensagem; RECEPTOR – que recebe, decodifica a mensagem; CANAL - meio pelo qual circula a mensagem; CÓDIGO - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem; REFERENTE - contexto relacionado a emissor e receptor; MENSAGEM - conteúdo transmitido pelo emissor. FUNÇÃO REFERENCIAL OU INFORMATIVA Ocorre toda vez que a mensagem faz referência a acontecimentos, fatos, pessoas, animais ou coisas, com o objetivo de transmitir informações. Ex.: O tempo será nublado amanhã, com melhoria no fim do período. Ela abriu a porta, entrou, sentou-se na poltrona e sorriu. FUNÇÃO EMOTIVA OU EXPRESSIVA
  • 2. Está centrada no emissor, na 1.ª pessoa (eu). Expressa os sentimentos de quem fala em relação àquilo de que está falando. Ex.: Estou muito feliz. Este jantar está excelente. FUNÇÃO CONATIVA OU APELATIVA Está centrada na 2.ª pessoa (tu). É dirigida ao receptor com o objetivo de influenciá-lo a fazer ou deixar de fazer alguma coisa. Exprime-se através do vocativo e do imperativo. Ex.: Não deixe de ver aquele filme amanhã. Não te esqueças de enviar-me os livros. FUNÇÃO FÁTICA Ocorre quando emissor deseja verificar se o canal de comunicação está funcionando, ou se ele, emissor, está sendo compreendido. Ex.: Alô... / - Entenderam? FUNÇÃO METALINGUÍSITCA Toda mensagem que fala sobre a própria linguagem é metalinguística. Metalinguagem é, portanto, a linguagem sobre a linguagem, a utilização da linguagem em referência ao próprio código, para esclarecê-lo ou ensiná-lo a alguém. Ex.: estética s.f. 1. Parte da filosofia que trata das leis e dos princípios do belo. 2. Caráter estético; beleza. 3. (fig.) Plática; beleza física A metalinguagem é muitas vezes utilizadas pelos poetas e prosadores quando querem se referir ao ato de escrever, como no poema de João Cabral. Catar feijão se limita com escrever 3 joga-se os grãos na água do alguidar e as palavras na folha de papel; e depois, joga-se fora o que boiar. (João Cabral de Melo Neto) FUNÇÃO POÉTICA A função poética realça a elaboração da mensagem e caracteriza-se pela criatividade da linguagem. Percebe-se um cuidado especial na organização da mensagem através da exploração das figuras de linguagem, do ritmo, das sonoridades e da polissemia (variação de significados) das palavras. DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO SENTIDO DENOTATIVO: É a linguagem comum, objetiva, científica. EX: - O leão é um animal feroz. leão = animal (sentido próprio, verdadeiro) SENTIDO CONOTATIVO: É a linguagem poética, literária, diferente da linguagem comum. EX: - Aquele homem é um leão. - leão = pessoa forte, brava (sentido figurado, irreal).
  • 3. Há diversas formas de se garantir a coesão entre os elementos de uma frase ou de um texto. Fazendo conexões Os conectivos É consolador para os telespectadores, as más notícias são trazidas por uma bela repórter, ou uma linda apresentadora. É alentador para quem trabalha em redação conviver com gente atraente, em meio ao circo de horrores, consome o dia a dia. Quem está sob um rosto bonito ou um corpo desejável enfrenta preconceitos e constrangimentos em dose equivalente aos galanteios e gentilezas, - supõe-se – são privativos de formosura. Nota-se que o texto não está bem escrito. Vejamos a forma adequada: É consolador para os telespectadores, quando as más notícias são trazidas por uma bela repórter, ou uma linda apresentadora. Da mesma forma, é alentador para quem trabalha em redação conviver com gente atraente, em meio ao circo de horrores, que consome o dia a dia. Mas, quem está sob um rosto bonito ou um corpo desejável enfrenta preconceitos e constrangimentos em dose equivalente aos galanteios e gentilezas que, - supõe-se – são privativos de formosura.