Funções da linguagem

466 visualizações

Publicada em

Slides para aula

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
466
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Funções da linguagem

  1. 1. Língua Portuguesa Funções da Linguagem
  2. 2. Qual o objetivo de um texto? Por meio da linguagem, realizamos diferentes ações: • transmitimos informações • tentamos convencer o outro a fazer (ou dizer) algo • assumimos compromissos • ordenamos, pedimos • demonstramos sentimentos • construímos representações mentais sobre nosso mundo
  3. 3. Lembre-se: • Diferenciar que objetivo predomina em cada situação de comunicação auxilia a compreender melhor o que foi dito. • As funções da linguagem estão centradas nos elementos da comunicação.
  4. 4. Elementos da comunicação • Emissor - emite, codifica a mensagem • Receptor - recebe, decodifica a mensagem • Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor • Referente - contexto relacionado a emissor e receptor; assunto • Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem • Canal - meio pelo qual circula a mensagem
  5. 5. Qual o objetivo de um texto? Toda comunicação apresenta uma variedade de funções, mas elas se apresentam hierarquizadas, sendo uma dominante, de acordo com o enfoque que o destinador quer dar ou do efeito que quer causar no recebedor. As funções da linguagem são as seguintes:
  6. 6. Funções da Linguagem Função emotiva (ou expressiva) Centralizada no emissor, revela sua opinião, sua emoção. Nela prevalece a 1ª pessoa do singular, interjeições e exclamações. É a linguagem das biografias, memórias, poesias líricas e cartas de amor. Ex.: “Quem sou eu? E como será que acabará esta história? O sol já raiou e estou sentado junto a uma janela que se embaçou com o sopro de uma vida passada.(...) Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome, em breve, será esquecido, mas amei uma pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou.” (Diário de Uma Paixão – Nicholas Sparks)
  7. 7. Função Emotiva
  8. 8. Função Emotiva Este texto está centrado na expressão dos sentimentos, emoções e opiniões de um eu-lírico. É um texto subjetivo, pessoal. Podemos perceber que o destaque dado ao emissor é reforçado pela presença de verbos e pronomes na primeira pessoa: “Às vezes me pinto nuvem”. Os textos líricos que expressam o estado de alma do emissor exemplificam a função emotiva da linguagem.
  9. 9. Função referencial (ou denotativa) • Centralizada no referente, quando o emissor procura oferecer informações da realidade. • Objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a 3ª pessoa do singular. • Usada nas notícias de jornal e livros científicos, descrições de fatos. Ex.: “A Batalha de Waterloo foi um confronto militar ocorrido a 18 de Junho de 1815 perto de Wterloo, na atual Bélgica (então parte integrante do Reino Unido dos Países Baixos).”
  10. 10. Função Referencial
  11. 11. Função Referencial Observe que o objetivo do texto é simplesmente o de informar ao leitor, com o máximo de clareza, o que é o cravo da pele e como ele se constitui. A ênfase, portanto, é dada ao conteúdo, às informações. Os textos cuja linguagem têm função referencial são dotados de objetividade, uma vez que visam informar ou ainda explicar fatos da realidade.
  12. 12. Função apelativa (ou conativa) • Centraliza-se no receptor; o emissor procura influenciar o comportamento do receptor. • Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de “tu” e “você”, além de verbos no imperativo. • Usada nos discursos, sermões e propagandas que se dirigem diretamente ao consumidor. Ex.: “Povo Sucupirano. É com a alma lavada, e enxaguada nesse mar de lágrimas que peço pra vocês...” (Odorico Paraguaçu – “O Bem Amado”)
  13. 13. Função Apelativa
  14. 14. Função Apelativa
  15. 15. Função fática • Centralizada no canal da comunicação. • Testa a sua eficiência, a fim de observar se o receptor entendeu o emissor. • Linguagem das falas telefônicas, saudações e similares. Ex.: “Alô, Amor! Tô passando aí pra te pegar, ok? Tá me ouvindo? Alô!!”
  16. 16. Função Fática
  17. 17. Função Fática A preocupação do emissor é manter contato com o destinatário, testando o canal de comunicação. As falas do professor têm uma função fática, para saber se Beto está atento. O mesmo ocorre com o “plim! plim!” da Rede Globo, que tem a função de chamar a atenção do espectador (que se “distraiu” durante o intervalo comercial) para o canal, no caso, a televisão.
  18. 18. Função poética • Centralizada na mensagem, revelando recursos imaginativos criados pelo emissor. • Valorizam-se as palavras e suas combinações. • É a linguagem figurada apresentada em obras literárias, letras de música e em algumas propagandas. Ex.: “De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento....” (Vinícius de Moraes)
  19. 19. Função metalinguística • Centralizada no código, usa a linguagem para falar dela mesma. • A poesia que fala da poesia, um texto que comenta outro texto, palavras que explicam o significado de outra palavra, escrever sobre o ato de escrever, falar sobre o ato de falar. Ex.: Verossimilhança - s.f. Característica ou particularidade do que é verossímil; verossimilhante. Literatura. Numa obra literária, a coerência, a ligação harmônica entre os elementos fantasiosos ou imaginários que são essenciais para o entendimento do texto. (Etm. verossímil(h) + ança)
  20. 20. Funções da linguagem As funções da linguagem podem aparecer misturadas em um texto, mas uma delas sempre é predominante, elas se misturam para obter diferentes efeitos. O importante é saber qual a função predominante no texto antes de classificá-lo.

×