SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
FACULDADE SANTO AGOSTINHO
CURSO: BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA
DISCIPLINA: TEORIA E METODOLOGIA DO HANDEBOL
PROFESSOR: ROBERT MAURÍCIO
Defesa Individual
Componentes:
Álvaro Diógenes
Camila Lima
Carlos Leite
Francielly Farias
Igor Machado
Patrícia Ferreira
Objetivos
Definições e Características
O sistema de defesa
individual é aquele em que
o cada defensor se
encarrega de um atacante.
Finalidade
 Dificultar o ritmo de ataque.
 Levar o ataque para zonas
não perigosa.
 Recuperar a posse de bola,
após roubo ou finalização do
ataque.
Classificação
1. Defesa individual na quadra inteira
Faz-se:
• Encontrar o seu oponente para
realizar a marcação pela quadra,
independente da zona do
adversário e dar atenção a bola.
Objetivo:
• Abalar a colaboração do
ataque e provocar erros.
2. Defesa individual na metade da quadra
Faz-se:
• Encontrar o seu oponente para
realizar a marcação, fazendo-se
o emparelhamento de meia
quadra.
Objetivo:
• Abalar a colaboração do
ataque e provocar erros.
.
3. Defesa individual por Aglomeração
Faz-se:
• O emparelhamento parte da zona e não passa dos 10-11 m para evitar penetração.
As marcações são mais estritas sobre os jogadores com bola e sobre os jogadores
mais perigosos.
Objetivo:
• Anular os jogadores mais
perigosos, ilhar as
coordenações de ataque,
garantir a ajuda e impedir as
penetrações.
Formas de emparelhamento:
• Nominal: Os jogadores devem saber que adversário defenderá de forma
direta.
• Zonal: A responsabilidade é em função do posto ocupado pelo atacante,
organizando-se em sistema de contagem iniciada pelas pontas.
4. Função dos jogadores
As funções estarão relacionadas
com a variante do sistema
defensivo individual eleito; em
geral as prioridades de atuação
defensiva que são:
Bola (evitar o passe, a recepção e
buscar a interceptação ou tomada
da posse da bola
Oponente direto (evitar ser
superado por ele).
Deslocamentos dos outros
atacantes (dissuadir o jogador com
bola, evitar bloqueios etc.).
5. Aspectos táticos
A vantagem surge na surpresa
que pode ocasionar esta
medida tática, provocando
erros técnicos do ataque que
aumentam a ansiedade pela
posse de bola.
A vantagem surge na surpresa
que pode ocasionar esta medida
tática, provocando erros técnicos
do ataque que aumentam a
ansiedade pela posse de bola
Alguns aspectos que o
técnico deverá ter em conta
para ordenar a marcação
individual que são:
Qualidade individual da equipe para
essa ação.
As reservas físicas da equipe.
A reação que se espera do rival,
refletir se este tem jogadores
habilidosos, se tem experiência contra
esse tipo de marcação, como se
comportaria o goleiro rival etc.
6. Capacidades táticas do defensor
Capacidade de percepção de jogo.
• Capacidade de antecipação à ação do rival e a situação do jogo.
Visão periférica da situação de jogo.
• Capacidade de decisão: tomar decisões em velocidade.
Capacidades do defensor na marcação individual, que são as seguintes:
7. Princípios para a utilização da marcação
individual
Devem ser exercitados sistemática e
metodologicamente por meio de
trabalhos especiais em treinamento. E
alguns princípios são:
Posição frente ao atacante: entre ele e o gol e orientado sobre seu braço de lançamento;
Atitude frente ao rival: em possessão da bola, pressionando-o; sem possessão da bola, em
pré-ação;
Adaptar-se à corrida do rival e às suas mudanças de direção;
Forçar a corrida do rival para posições desfavoráveis;
8. Conclusão
Concluímos que , as atividades envolvidas nesse processo devem
apresentar como objetivo central a dinâmica do jogo de handebol,
principalmente nas questões que envolvem as relações entre atacantes
e defensores, nas diferentes fases do jogo (ofensiva, defensiva e suas
respectivas transições).
Handebol, não se joga com as mãos, se joga com coração!
OBRIGADO!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolFundação Real Madrid
 
Futsal teórica
Futsal   teóricaFutsal   teórica
Futsal teóricaNetKids
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaLisleia Macedo
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolFundação Real Madrid
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Inácio Júnior
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaadnete
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolFundação Real Madrid
 
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasProf. Saulo Bezerra
 

Mais procurados (20)

Handebol Aula
Handebol  AulaHandebol  Aula
Handebol Aula
 
Plano de treino
Plano de treinoPlano de treino
Plano de treino
 
Modelo de jogo
Modelo de jogoModelo de jogo
Modelo de jogo
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 
Aula de escalada
Aula de escaladaAula de escalada
Aula de escalada
 
Futsal teórica
Futsal   teóricaFutsal   teórica
Futsal teórica
 
Observação e Análise de Jogo
Observação e Análise de JogoObservação e Análise de Jogo
Observação e Análise de Jogo
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 
Sistemas táticos
Sistemas táticosSistemas táticos
Sistemas táticos
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
 
Andebol - Nível Introdução
Andebol - Nível IntroduçãoAndebol - Nível Introdução
Andebol - Nível Introdução
 
Andebol - tudo
Andebol - tudoAndebol - tudo
Andebol - tudo
 
Basquete 1
Basquete 1Basquete 1
Basquete 1
 
HANDEBOL.ppt
HANDEBOL.pptHANDEBOL.ppt
HANDEBOL.ppt
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
 
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e Regras
 

Destaque

Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon
Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon
Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon jorge luiz dos santos de souza
 
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...jorge luiz dos santos de souza
 
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo FundoApresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundojorge luiz dos santos de souza
 
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo FundoApresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundojorge luiz dos santos de souza
 
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundo
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo FundoApresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundo
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundojorge luiz dos santos de souza
 
Handebol apresentação
Handebol apresentaçãoHandebol apresentação
Handebol apresentaçãojoaovitorufjf
 
Aula 03 Handebol
Aula 03 HandebolAula 03 Handebol
Aula 03 HandebolDI_PosIdaam
 
Handebol teórica
Handebol   teóricaHandebol   teórica
Handebol teóricaNetKids
 
Regras básicas do handebol
Regras básicas do handebolRegras básicas do handebol
Regras básicas do handebolharoldo57
 
Andebol educação física
Andebol educação físicaAndebol educação física
Andebol educação físicaDaniela Aguiar
 
Andebol feminino apresentação 19º clinic aam
Andebol feminino apresentação 19º clinic aamAndebol feminino apresentação 19º clinic aam
Andebol feminino apresentação 19º clinic aamElder_Cardoso
 

Destaque (20)

Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon
Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon
Universidade Federal da Fronteira Sul Núcleo Extensionista Rondon
 
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...
A CULTURA COMO POTENCIALIZADOR DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NO CAMPUS PASSO FUNDO: U...
 
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo FundoApresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 1º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
 
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo FundoApresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
Apresentações 2º dia VI SEPE UFFS - Campus Passo Fundo
 
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundo
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo FundoApresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundo
Apresentações 3º dia VI SEPE UFFS Campus Passo Fundo
 
Apostila de handebol
Apostila de handebolApostila de handebol
Apostila de handebol
 
Regras oficiais andebol
Regras oficiais andebolRegras oficiais andebol
Regras oficiais andebol
 
Handebol apresentação
Handebol apresentaçãoHandebol apresentação
Handebol apresentação
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Slide handebol
Slide handebolSlide handebol
Slide handebol
 
Andebol
AndebolAndebol
Andebol
 
Considerações sobre os desportos
Considerações sobre os desportosConsiderações sobre os desportos
Considerações sobre os desportos
 
Handebol jogadas
Handebol jogadasHandebol jogadas
Handebol jogadas
 
Treinamento de goleiros de handebol
Treinamento de goleiros de handebolTreinamento de goleiros de handebol
Treinamento de goleiros de handebol
 
Aula 03 Handebol
Aula 03 HandebolAula 03 Handebol
Aula 03 Handebol
 
Handebol teórica
Handebol   teóricaHandebol   teórica
Handebol teórica
 
Regras básicas do handebol
Regras básicas do handebolRegras básicas do handebol
Regras básicas do handebol
 
Andebol educação física
Andebol educação físicaAndebol educação física
Andebol educação física
 
Futsal exercicios treinamento
Futsal   exercicios treinamentoFutsal   exercicios treinamento
Futsal exercicios treinamento
 
Andebol feminino apresentação 19º clinic aam
Andebol feminino apresentação 19º clinic aamAndebol feminino apresentação 19º clinic aam
Andebol feminino apresentação 19º clinic aam
 

Semelhante a Handebol Defesa Individual

Etapas no ensino
Etapas no ensinoEtapas no ensino
Etapas no ensinoNuno Coelho
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasLeandro Zago
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoFundação Real Madrid
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaJoão Carlos Costa
 
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de Treino
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de TreinoConcepção e Prática de Exercícios Específicos de Treino
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de TreinoFundação Real Madrid
 
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de JogoImplantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de JogoFundação Real Madrid
 
Futebol isce Prof Valter Pinheiro
Futebol isce Prof Valter PinheiroFutebol isce Prof Valter Pinheiro
Futebol isce Prof Valter Pinheiroactualidades
 
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebolTáticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebolMarcos Dieison
 
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)Pedro Ferrer
 
plano de aula - handebol.pptx
plano de aula - handebol.pptxplano de aula - handebol.pptx
plano de aula - handebol.pptxArthurCalegari1
 
Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolmoko25
 
A importância da comunicação para o guarda-redes.
A importância da comunicação para o guarda-redes.A importância da comunicação para o guarda-redes.
A importância da comunicação para o guarda-redes.Pedro Ferrer
 

Semelhante a Handebol Defesa Individual (20)

Volei 03
Volei 03Volei 03
Volei 03
 
Etapas no ensino
Etapas no ensinoEtapas no ensino
Etapas no ensino
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
 
11º ano
11º ano11º ano
11º ano
 
12º ano
12º ano12º ano
12º ano
 
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de Treino
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de TreinoConcepção e Prática de Exercícios Específicos de Treino
Concepção e Prática de Exercícios Específicos de Treino
 
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de JogoImplantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
 
Futebol
FutebolFutebol
Futebol
 
Futebol isce Prof Valter Pinheiro
Futebol isce Prof Valter PinheiroFutebol isce Prof Valter Pinheiro
Futebol isce Prof Valter Pinheiro
 
Futebol
Futebol Futebol
Futebol
 
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebolTáticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
 
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
Colocação de função táctica do guarda-redes (defesa do espaço)
 
plano de aula - handebol.pptx
plano de aula - handebol.pptxplano de aula - handebol.pptx
plano de aula - handebol.pptx
 
treino
 treino treino
treino
 
Defesas Ofensivas
Defesas OfensivasDefesas Ofensivas
Defesas Ofensivas
 
Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebol
 
A importância da comunicação para o guarda-redes.
A importância da comunicação para o guarda-redes.A importância da comunicação para o guarda-redes.
A importância da comunicação para o guarda-redes.
 

Handebol Defesa Individual

  • 1. FACULDADE SANTO AGOSTINHO CURSO: BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: TEORIA E METODOLOGIA DO HANDEBOL PROFESSOR: ROBERT MAURÍCIO Defesa Individual Componentes: Álvaro Diógenes Camila Lima Carlos Leite Francielly Farias Igor Machado Patrícia Ferreira
  • 3. Definições e Características O sistema de defesa individual é aquele em que o cada defensor se encarrega de um atacante. Finalidade  Dificultar o ritmo de ataque.  Levar o ataque para zonas não perigosa.  Recuperar a posse de bola, após roubo ou finalização do ataque.
  • 5. Faz-se: • Encontrar o seu oponente para realizar a marcação pela quadra, independente da zona do adversário e dar atenção a bola. Objetivo: • Abalar a colaboração do ataque e provocar erros.
  • 6. 2. Defesa individual na metade da quadra
  • 7. Faz-se: • Encontrar o seu oponente para realizar a marcação, fazendo-se o emparelhamento de meia quadra. Objetivo: • Abalar a colaboração do ataque e provocar erros. .
  • 8. 3. Defesa individual por Aglomeração Faz-se: • O emparelhamento parte da zona e não passa dos 10-11 m para evitar penetração. As marcações são mais estritas sobre os jogadores com bola e sobre os jogadores mais perigosos.
  • 9. Objetivo: • Anular os jogadores mais perigosos, ilhar as coordenações de ataque, garantir a ajuda e impedir as penetrações. Formas de emparelhamento: • Nominal: Os jogadores devem saber que adversário defenderá de forma direta. • Zonal: A responsabilidade é em função do posto ocupado pelo atacante, organizando-se em sistema de contagem iniciada pelas pontas.
  • 10. 4. Função dos jogadores As funções estarão relacionadas com a variante do sistema defensivo individual eleito; em geral as prioridades de atuação defensiva que são: Bola (evitar o passe, a recepção e buscar a interceptação ou tomada da posse da bola Oponente direto (evitar ser superado por ele). Deslocamentos dos outros atacantes (dissuadir o jogador com bola, evitar bloqueios etc.).
  • 11. 5. Aspectos táticos A vantagem surge na surpresa que pode ocasionar esta medida tática, provocando erros técnicos do ataque que aumentam a ansiedade pela posse de bola. A vantagem surge na surpresa que pode ocasionar esta medida tática, provocando erros técnicos do ataque que aumentam a ansiedade pela posse de bola Alguns aspectos que o técnico deverá ter em conta para ordenar a marcação individual que são: Qualidade individual da equipe para essa ação. As reservas físicas da equipe. A reação que se espera do rival, refletir se este tem jogadores habilidosos, se tem experiência contra esse tipo de marcação, como se comportaria o goleiro rival etc.
  • 12. 6. Capacidades táticas do defensor Capacidade de percepção de jogo. • Capacidade de antecipação à ação do rival e a situação do jogo. Visão periférica da situação de jogo. • Capacidade de decisão: tomar decisões em velocidade. Capacidades do defensor na marcação individual, que são as seguintes:
  • 13. 7. Princípios para a utilização da marcação individual Devem ser exercitados sistemática e metodologicamente por meio de trabalhos especiais em treinamento. E alguns princípios são: Posição frente ao atacante: entre ele e o gol e orientado sobre seu braço de lançamento; Atitude frente ao rival: em possessão da bola, pressionando-o; sem possessão da bola, em pré-ação; Adaptar-se à corrida do rival e às suas mudanças de direção; Forçar a corrida do rival para posições desfavoráveis;
  • 14. 8. Conclusão Concluímos que , as atividades envolvidas nesse processo devem apresentar como objetivo central a dinâmica do jogo de handebol, principalmente nas questões que envolvem as relações entre atacantes e defensores, nas diferentes fases do jogo (ofensiva, defensiva e suas respectivas transições).
  • 15. Handebol, não se joga com as mãos, se joga com coração!