SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
Planificar a intervenção no
processo de ensino e treino do
Futebol é como preparar uma
viagem.
É aconselhável ter um mapa à
disposição de forma a evitar-se
perder, desnecessariamente, tempo
e energia.
Modelo de jogo :
O Modelo de jogo consiste na concepção de jogo
idealizada pelo treinador, no que diz respeito a
um conjunto de factores necessários para a
organização dos processos ofensivos e defensivos
da equipa, tais como: os princípios, os métodos e
os sistemas de jogo bem como todo o conjunto de
comportamentos e
valores que permitam
caracterizar a organização desses processos quer
em termos individuais quer, fundamentalmente,
em termos colectivos da referida equipa.
(Leal & Quinta, 2001)
Adaptado à realidade económica, estrutural e cultural

clube,

elaborar um conjunto de
ideias sobre o Futebol que
queremos, para que todos saibam
orientar a sua intervenção de forma a que essas
do

ideias se transformem no …
Transmitir os princípios
de Jogo adoptados pela
equipa sénior, para a
escola de formação de
jogadores, consolidando o
Parece-nos
ser evidente
que a
especificidade do modelo de jogo
adoptado pelo clube e os seus
princípios de jogo individuais e colectivos
funcionam como referenciais de toda
uma metodologia que deverá ser
adoptada e desenvolvida no processo de
formação
Homens que sejam bons futebolistas
autonomia

táctica

disciplina

técnica

educação

física

satisfação

psicológica
Três níveis

Rendimentos
(17 aos 19 anos)
Aperfeiçoamentos
(14 aos 16 anos)

Fundamentos
(4 aos 13 anos)

Pirâmide da formação
•jogos condicionados
•habilidades
•finalização

Assente nos
princípios de jogo
ofensivos e defensivos
Aspecto lúdico
•jogos condicionados
•habilidades
•finalização
•exercícios padrão

Assente nos
princípios de jogo
ofensivos e defensivos
Aspecto
lúdico-competitivo
Futebol
sénior
A IJA pretende criar um sentimento
de clube – mística – que seja visível na
forma de ser e de estar no jogo.
A IJA reflecte as características
fundamentais da concepção do jogo por
parte do clube e pretende, por um lado,
regular a actividade dos jogadores e, por
outro, constituir-se como um referencial
na intervenção do treinador no processo
de treino.
Organização de uma ideia jogo implica
Princípios de Jogo dos diferentes
momentos

Organização
Estrutural

Relação
dinâmica

Capacidades e características
dos jogadores

Dinâmica da
equipa
PRINCÍPIOS DE JOGO
Consideramo-los como PADRÕES
DE COMPORTAMENTO TÁCTICO,
colectivos,
sectoriais,
intersectoriais e individuais, que se
pretende que a equipa e os
jogadores
evidenciem
nos
diferentes momentos do jogo.
MOMENTOS DO JOGO
(podem assumir várias dimensões: colectiva, sectorial, inter-sectorial e individual)

- organização ofensiva
Quando a equipa tem a bola

- transição ataque /defesa
Quando a equipa perde a bola

- organização defensiva
Quando a equipa não tem a bola

- transição defesa/ataque
Quando a equipa ganha a bola
O conceito de equipa é muito mais importante do que o conceito de
individualidade (elevado espírito colectivo)
Treinar nos limites para jogar nos limites
Organização colectiva muito forte

- Ofensiva , Defensiva e Transições
Atitude competitiva agressiva
Concentração máxima
Polivalência funcional
Capacidade mental muito forte
•Respeito pelos princípios específicos e gerais do jogo defensivo;
• Pretendemos um campo curto (30m) ;
• Defender com todos os jogadores atrás da linha da bola;

•Alternância da pressão;
•Pressão ao portador da bola em zonas e momentos definidos bem

como a jogadores com deficit técnico;
•As linhas o mais juntas possível;
•Cobrir permanentemente o eixo central do terreno, obrigando

o adversário a utilizar as faixas laterais para atacar;
•Utilizar uma atitude agressiva sobre o portador da bola e as potenciais

linhas de passe na zona onde ele se move, com especial incidência nas
zonas laterais do terreno;
Implica uma rápida e intencional mudança de atitude;
Deve aproveitar a desorganização momentânea da equipa
adversária, fazendo avançar o jogo:

- 1ª opção – Jogar em profundidade para contra-ataque ou ataque
rápido (passe para a frente ou condução rápida)
- Aproveitamento de jogadores previamente responsáveis pelo
"lançamento" do ataque e subida rápida dos jogadores mais perto da
baliza adversária;
- 2ª opção – Tirar a bola da zona de pressão (preferencialmente
jogando para o lado e/ou para trás, passe diagonal)

Equipa adversária organizada defensivamente:

-Afastamento dos jogadores ao jogador em posse da bola com o
objectivo de fazer um campo grande (em largura e em profundidade);
•Respeito pelos princípios gerais e específicos de jogo ofensivo;
• Campo grande;
• Defesas laterais abertos e em profundidade se a bola está no centro;
• Defesas centrais na direcção das paralelas da área e o mais possível
perto da nossa grande área;
• Os médios exteriores bem junto da
linha lateral, numa zona intermédia do meio campo ofensivo ;
•Os médios centro em situação de apoio ao portador da bola,
um deles mais perto da nossa linha defensiva e o outro mais em
profundidade
•Os dois avançados em profundidade e em paralelo, partindo, um de
uma posição de aproximação (apoio) e o outro afastamento (ruptura);
•Utilização de alternância de jogo directo/indirecto, jogo curto/jogo
longo conforme a configuração defensiva adversária
Aproveitar a desorganização “ofensiva” da equipa adversária para
ganhar a posse de bola ou para nos organizarmos defensivamente.
Pressionar de imediato o portador da bola com o objectivo de a
ganhar

Continuar a pressão ao portador da bola para:
(1) dar tempo para as linhas, em largura e em profundidade,
fecharem .
(2) não permitir passes em profundidade.

(3) não permitir tirar a bola da zona de pressão.
5

11

4

8
10

1

6

9

3

7
2
A forma como determinada equipa ataca é
influenciada pela forma como treina os
exercícios de ataque, isto é, a movimentação
ofensiva da equipa é fruto da interligação
entre a forma como o treinador quer que a
mesma
ataque,
como
treina
essas
movimentações e a forma como os jogadores
interpretam essas movimentações ofensivas
no jogo.
(Leal e Quinta, 2001)
Diga-se que a quase totalidade dos
exercícios implícitos no modelo de
treino possibilitam um carácter multifuncional, podendo o mesmo exercício ser utilizado tendo em vista objectivos distintos e expressos sob forma
de factores de treino (tácticos, técnicos, físicos e/ou psicológicos)
Espaço: 40m x 20m
Forma: 4 x 4
Tempo: Variável

Descrição: Jogo entre duas
equipas, onde se procura que
ambas finalizem, através de
contra-ataque (CA), após terem
recuperado a posse da bola no
seu meio campo defensivo. A
finalização só é válida sendo
executada no respectivo meio
campo ofensivo.
GR

Espaço: 10m x 10m + meio campo
Forma: 2 x 2 + 1
Tempo: Variável
Descrição:duas equipas jogam entre si,
sendo que a equipa que ataca ( ), está
orientada para a baliza adversária e procura manter a posse de bola. A equipa ( )
procura recuperar a posse da bola (RPB)
para de imediato a lançar no cor-redor
contrário, através de um passe na
diagonal. O jogador que a recebe, conduz em direcção à linha final e cruza para os colegas finalizarem. Os defesas ( )
tentam impedir a progressão e finalização.
Espaço: 50m x 20m
Forma: Joker + 4 x 4+Joker
Tempo: Variável

J

Descrição:
Jogo entre duas
equipas, onde se procura que
ambas finalizem, o mais rápido
possível após R.P.B., só permitida no meio campo defensivo
(MCD). A finalização só é válida
sendo executada no respectivo
meio campo ofensivo, após passe
do joker.
PADRONIZAÇÃO SEMANAL
Dinâmica e incidência dos “Padrões” de esforço e recuperação:

Moderada

Jogo

Alta

Jogo

Muito Alta

Baixa
Recuperação
D

2ª

3ª

4ª

5ª

6ª

Recuperação Activa
Força Específica
Resistência Específica
Velocidade Específica

S

D
Modelo de jogador
-O jogador deve revelar um elevado carácter onde
valores como o respeito, a humildade, o empenho, a
dedicação, o espírito de sacrifício e de grupo e a
capacidade de reagir à adversidade estejam
presentes.
-O jogador deve treinar e jogar com total seriedade,
empenhamento e concentração numa perspectiva
de superação.
-O jogador deve respeitar as regras individuais e colectivas estipuladas
para o grupo.

-O jogador deve ter capacidade de reflexão crítica e autocrítica, intervindo
em tempo oportuno junto das entidades adequadas.
Posição 1 – Guarda-redes
ATAQUE
 Sempre em posição de receber o passe atrás.
 Saber eleger: jogar curto (sempre que possível), jogar longo (em profundidade).
 Responsabilidade em mudar a direcção do jogo.

 Deve evidenciar segurança e qualidade a jogar com os dois pés.

DEFESA
 Sem receio de deixar a baliza para fazer as costas da defesa (libero).

 Papel importante na orientação / colocação do bloco defensivo.
PERSONALIDADE
 SERENO
 SEGURO E CONFIANTE em todas as acções

 DISCIPLINADO e RESPONSÁVEL
 COMUNICATIVO

 LÍDER e ORGANIZADOR do JOGO COLECTIVO
Posição do GR - bola no lat. direito

11

5

4
10
8

6
9

3

1

7
2
Posição do GR – bola no central direito

5

11

4
8

10

1

6

9
3

7
2
Posição do GR – bola no central esquerdo

5
11

4

10

8

1

9

6

3

7
2
Posição do GR – bola no lateral esquerdo

11

5

10

8

1
4

9
6

3

2
7
EXEMPLO 2:
Posicionamento dos jogadores e zonas preferenciais de jogo
para uma boa CIRCULAÇÃO DA BOLA quando a bola está
no Guarda-redes.
Bola no GR – colocar bola em jogo - 1ª opção

5

11

4

10

8

1

6
9

3

7

2
Bola no GR – colocar bola em jogo - 2ª opção

5

11

4

10

8

1
6
9

3

7

2
Bola no GR – colocar bola em jogo - 3ª opção

5

11

4

10

8

1
6
9

3

7

2
Bola no GR – colocar bola em jogo

5

11

4

10

8

1

6

9

3

7

2
Modelo de jogo do clube

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sl Benfica modelo de jogo para a formação
Sl Benfica modelo de jogo para a formaçãoSl Benfica modelo de jogo para a formação
Sl Benfica modelo de jogo para a formaçãoMário Torres
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaJoão Carlos Costa
 
Periodizacao tactica um modelo de treino jose gu ilherme oliveira
Periodizacao tactica um modelo de treino   jose gu ilherme oliveiraPeriodizacao tactica um modelo de treino   jose gu ilherme oliveira
Periodizacao tactica um modelo de treino jose gu ilherme oliveiraBruno Comelli
 
O treino das capacidades motoras no futebol
O treino das capacidades motoras no futebolO treino das capacidades motoras no futebol
O treino das capacidades motoras no futebolRicardo Luiz Pace
 
Construção de um Estilo (Modelo) de Jogo
Construção de um Estilo (Modelo) de JogoConstrução de um Estilo (Modelo) de Jogo
Construção de um Estilo (Modelo) de JogoFundação Real Madrid
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolFundação Real Madrid
 
A bíblia de mourinho no fc porto
A bíblia de mourinho no fc portoA bíblia de mourinho no fc porto
A bíblia de mourinho no fc portoraseslb
 
Ajax Training Sessions
Ajax Training SessionsAjax Training Sessions
Ajax Training SessionsRenato Moreira
 
Periodização Táctica - Carlos Carvalhal
Periodização Táctica - Carlos CarvalhalPeriodização Táctica - Carlos Carvalhal
Periodização Táctica - Carlos CarvalhalFundação Real Madrid
 
Sessões De Treino Do Ajax
Sessões  De Treino Do AjaxSessões  De Treino Do Ajax
Sessões De Treino Do AjaxRafael Hackbarth
 
Periodização Tática - José Guilherme Oliveira
Periodização Tática - José Guilherme OliveiraPeriodização Tática - José Guilherme Oliveira
Periodização Tática - José Guilherme OliveiraFundação Real Madrid
 
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionais
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionaisPlanificacao tática da pre temporada em equipes profissionais
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionaisFutbol Tactico Brasil
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolFundação Real Madrid
 
Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolmoko25
 

Mais procurados (20)

Sl Benfica modelo de jogo para a formação
Sl Benfica modelo de jogo para a formaçãoSl Benfica modelo de jogo para a formação
Sl Benfica modelo de jogo para a formação
 
Plano de treino_93
Plano de treino_93Plano de treino_93
Plano de treino_93
 
Modelo de Jogo
Modelo de Jogo  Modelo de Jogo
Modelo de Jogo
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
 
Periodizacao tactica um modelo de treino jose gu ilherme oliveira
Periodizacao tactica um modelo de treino   jose gu ilherme oliveiraPeriodizacao tactica um modelo de treino   jose gu ilherme oliveira
Periodizacao tactica um modelo de treino jose gu ilherme oliveira
 
O treino das capacidades motoras no futebol
O treino das capacidades motoras no futebolO treino das capacidades motoras no futebol
O treino das capacidades motoras no futebol
 
Construção de um Estilo (Modelo) de Jogo
Construção de um Estilo (Modelo) de JogoConstrução de um Estilo (Modelo) de Jogo
Construção de um Estilo (Modelo) de Jogo
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
 
Modelo de Jogo do FC Bayern Munique
Modelo de Jogo do FC Bayern MuniqueModelo de Jogo do FC Bayern Munique
Modelo de Jogo do FC Bayern Munique
 
A bíblia de mourinho no fc porto
A bíblia de mourinho no fc portoA bíblia de mourinho no fc porto
A bíblia de mourinho no fc porto
 
Ajax Training Sessions
Ajax Training SessionsAjax Training Sessions
Ajax Training Sessions
 
Observação e Análise de Jogo
Observação e Análise de JogoObservação e Análise de Jogo
Observação e Análise de Jogo
 
Periodização Táctica - Carlos Carvalhal
Periodização Táctica - Carlos CarvalhalPeriodização Táctica - Carlos Carvalhal
Periodização Táctica - Carlos Carvalhal
 
Sessões De Treino Do Ajax
Sessões  De Treino Do AjaxSessões  De Treino Do Ajax
Sessões De Treino Do Ajax
 
Periodização Tática - José Guilherme Oliveira
Periodização Tática - José Guilherme OliveiraPeriodização Tática - José Guilherme Oliveira
Periodização Tática - José Guilherme Oliveira
 
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionais
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionaisPlanificacao tática da pre temporada em equipes profissionais
Planificacao tática da pre temporada em equipes profissionais
 
Diego Simeone - Sessão de Treino
Diego Simeone - Sessão de TreinoDiego Simeone - Sessão de Treino
Diego Simeone - Sessão de Treino
 
Plano de treino
Plano de treinoPlano de treino
Plano de treino
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 
Meios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebolMeios de ensino treino do jogo de futebol
Meios de ensino treino do jogo de futebol
 

Semelhante a Modelo de jogo do clube

Futsal-Curso Iniciação a Tática
Futsal-Curso Iniciação a Tática Futsal-Curso Iniciação a Tática
Futsal-Curso Iniciação a Tática MarceloCaetano47
 
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anosAndebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anosTiago Cruz
 
Pressão e Pressing
Pressão e PressingPressão e Pressing
Pressão e PressingLeandro Zago
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasLeandro Zago
 
Projecto _os luvinhas
Projecto  _os luvinhasProjecto  _os luvinhas
Projecto _os luvinhasMarco Pereira
 
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebolMetodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebolDaniloAlmeida442192
 
Escola estadual de ensino fundamental chico mendes
Escola estadual de ensino fundamental chico mendesEscola estadual de ensino fundamental chico mendes
Escola estadual de ensino fundamental chico mendesGilmar Wiercinski
 
1a visita-técnica iabb-resumo
1a visita-técnica iabb-resumo1a visita-técnica iabb-resumo
1a visita-técnica iabb-resumoRodney Martins
 
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José MourinhoMetodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José MourinhoLeandro Zago
 
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01Bruno Comelli
 
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2Rafael Hackbarth
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoFundação Real Madrid
 
Táticas básicas de basquetebol
Táticas básicas de basquetebolTáticas básicas de basquetebol
Táticas básicas de basquetebolElaine Lima
 
Modelo de jogo_Nuno Fernandes
Modelo de jogo_Nuno FernandesModelo de jogo_Nuno Fernandes
Modelo de jogo_Nuno FernandesNuno Fernandes
 
Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcaçãoFutsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcaçãoIvo Volmir Ribas
 
Conceitos de Amplitude e Profundidade
Conceitos de Amplitude e ProfundidadeConceitos de Amplitude e Profundidade
Conceitos de Amplitude e ProfundidadeLeandro Zago
 

Semelhante a Modelo de jogo do clube (20)

Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
 
Futsal-Curso Iniciação a Tática
Futsal-Curso Iniciação a Tática Futsal-Curso Iniciação a Tática
Futsal-Curso Iniciação a Tática
 
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anosAndebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos
Andebol 2 - O Ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos
 
Pressão e Pressing
Pressão e PressingPressão e Pressing
Pressão e Pressing
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
 
Projecto _os luvinhas
Projecto  _os luvinhasProjecto  _os luvinhas
Projecto _os luvinhas
 
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebolMetodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
 
Escola estadual de ensino fundamental chico mendes
Escola estadual de ensino fundamental chico mendesEscola estadual de ensino fundamental chico mendes
Escola estadual de ensino fundamental chico mendes
 
1a visita-técnica iabb-resumo
1a visita-técnica iabb-resumo1a visita-técnica iabb-resumo
1a visita-técnica iabb-resumo
 
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José MourinhoMetodologia de Trabalho - José Mourinho
Metodologia de Trabalho - José Mourinho
 
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
 
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
 
Táticas básicas de basquetebol
Táticas básicas de basquetebolTáticas básicas de basquetebol
Táticas básicas de basquetebol
 
Modelo de jogo_Nuno Fernandes
Modelo de jogo_Nuno FernandesModelo de jogo_Nuno Fernandes
Modelo de jogo_Nuno Fernandes
 
O modelo de jogo
O modelo de jogoO modelo de jogo
O modelo de jogo
 
Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcaçãoFutsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
 
Métodos de Treino
Métodos de TreinoMétodos de Treino
Métodos de Treino
 
Conceitos de Amplitude e Profundidade
Conceitos de Amplitude e ProfundidadeConceitos de Amplitude e Profundidade
Conceitos de Amplitude e Profundidade
 

Mais de Fundação Real Madrid

O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio FerreiraO Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio FerreiraFundação Real Madrid
 
Modelo de Formação do "Pequeno" Jogador
Modelo de Formação do "Pequeno" JogadorModelo de Formação do "Pequeno" Jogador
Modelo de Formação do "Pequeno" JogadorFundação Real Madrid
 
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013Fundação Real Madrid
 
Periodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de formaPeriodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de formaFundação Real Madrid
 
Periodização Tática x Periodização Convencional
Periodização Tática x Periodização ConvencionalPeriodização Tática x Periodização Convencional
Periodização Tática x Periodização ConvencionalFundação Real Madrid
 
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014Fundação Real Madrid
 
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)Fundação Real Madrid
 
Reunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o JogoReunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o JogoFundação Real Madrid
 
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's Secret
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's SecretTACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's Secret
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's SecretFundação Real Madrid
 
German Football Association - Talent Development
German Football Association - Talent DevelopmentGerman Football Association - Talent Development
German Football Association - Talent DevelopmentFundação Real Madrid
 
Pep Guardiola - Sesiones de Entrenamiento
Pep Guardiola - Sesiones de EntrenamientoPep Guardiola - Sesiones de Entrenamiento
Pep Guardiola - Sesiones de EntrenamientoFundação Real Madrid
 

Mais de Fundação Real Madrid (20)

O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio FerreiraO Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
O Guarda-Redes no Futebol - Sérgio Ferreira
 
Club Brugge - Youth Development
Club Brugge - Youth DevelopmentClub Brugge - Youth Development
Club Brugge - Youth Development
 
Modelo de Formação do "Pequeno" Jogador
Modelo de Formação do "Pequeno" JogadorModelo de Formação do "Pequeno" Jogador
Modelo de Formação do "Pequeno" Jogador
 
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013
"The Roadmap to International Success" - FFA National Curriculum 2013
 
Periodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de formaPeriodização - Prolongamento do estado de forma
Periodização - Prolongamento do estado de forma
 
Football Conditioning - FFA
Football Conditioning - FFAFootball Conditioning - FFA
Football Conditioning - FFA
 
Periodização Tática x Periodização Convencional
Periodização Tática x Periodização ConvencionalPeriodização Tática x Periodização Convencional
Periodização Tática x Periodização Convencional
 
New Zealand FA Development Framework
New Zealand FA Development FrameworkNew Zealand FA Development Framework
New Zealand FA Development Framework
 
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014
Technical Report and Statistics - FIFA World Cup Brazil 2014
 
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)
Periodização Tática - Pressupostos e Fundamentos (2014)
 
FUNino: Horst Wein
FUNino: Horst WeinFUNino: Horst Wein
FUNino: Horst Wein
 
Reunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o JogoReunião de Preparação para o Jogo
Reunião de Preparação para o Jogo
 
The FA: Tesco Skills 5-11's
The FA:  Tesco Skills 5-11'sThe FA:  Tesco Skills 5-11's
The FA: Tesco Skills 5-11's
 
LIVERPOOL FC - Training Drills
LIVERPOOL FC - Training DrillsLIVERPOOL FC - Training Drills
LIVERPOOL FC - Training Drills
 
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's Secret
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's SecretTACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's Secret
TACTICAL PERIODIZATION - Mourinho's Secret
 
German Football Association - Talent Development
German Football Association - Talent DevelopmentGerman Football Association - Talent Development
German Football Association - Talent Development
 
DFB - Youth Development Programme
DFB - Youth Development Programme DFB - Youth Development Programme
DFB - Youth Development Programme
 
Belgium Youth Development
Belgium Youth DevelopmentBelgium Youth Development
Belgium Youth Development
 
Pep Guardiola - Sesiones de Entrenamiento
Pep Guardiola - Sesiones de EntrenamientoPep Guardiola - Sesiones de Entrenamiento
Pep Guardiola - Sesiones de Entrenamiento
 
AC Milan Methodology
AC Milan MethodologyAC Milan Methodology
AC Milan Methodology
 

Modelo de jogo do clube

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4. Planificar a intervenção no processo de ensino e treino do Futebol é como preparar uma viagem. É aconselhável ter um mapa à disposição de forma a evitar-se perder, desnecessariamente, tempo e energia.
  • 5.
  • 6. Modelo de jogo : O Modelo de jogo consiste na concepção de jogo idealizada pelo treinador, no que diz respeito a um conjunto de factores necessários para a organização dos processos ofensivos e defensivos da equipa, tais como: os princípios, os métodos e os sistemas de jogo bem como todo o conjunto de comportamentos e valores que permitam caracterizar a organização desses processos quer em termos individuais quer, fundamentalmente, em termos colectivos da referida equipa. (Leal & Quinta, 2001)
  • 7.
  • 8. Adaptado à realidade económica, estrutural e cultural clube, elaborar um conjunto de ideias sobre o Futebol que queremos, para que todos saibam orientar a sua intervenção de forma a que essas do ideias se transformem no …
  • 9. Transmitir os princípios de Jogo adoptados pela equipa sénior, para a escola de formação de jogadores, consolidando o
  • 10. Parece-nos ser evidente que a especificidade do modelo de jogo adoptado pelo clube e os seus princípios de jogo individuais e colectivos funcionam como referenciais de toda uma metodologia que deverá ser adoptada e desenvolvida no processo de formação
  • 11. Homens que sejam bons futebolistas
  • 13. Três níveis Rendimentos (17 aos 19 anos) Aperfeiçoamentos (14 aos 16 anos) Fundamentos (4 aos 13 anos) Pirâmide da formação
  • 15. •jogos condicionados •habilidades •finalização •exercícios padrão Assente nos princípios de jogo ofensivos e defensivos Aspecto lúdico-competitivo
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. A IJA pretende criar um sentimento de clube – mística – que seja visível na forma de ser e de estar no jogo. A IJA reflecte as características fundamentais da concepção do jogo por parte do clube e pretende, por um lado, regular a actividade dos jogadores e, por outro, constituir-se como um referencial na intervenção do treinador no processo de treino.
  • 21. Organização de uma ideia jogo implica Princípios de Jogo dos diferentes momentos Organização Estrutural Relação dinâmica Capacidades e características dos jogadores Dinâmica da equipa
  • 22. PRINCÍPIOS DE JOGO Consideramo-los como PADRÕES DE COMPORTAMENTO TÁCTICO, colectivos, sectoriais, intersectoriais e individuais, que se pretende que a equipa e os jogadores evidenciem nos diferentes momentos do jogo.
  • 23. MOMENTOS DO JOGO (podem assumir várias dimensões: colectiva, sectorial, inter-sectorial e individual) - organização ofensiva Quando a equipa tem a bola - transição ataque /defesa Quando a equipa perde a bola - organização defensiva Quando a equipa não tem a bola - transição defesa/ataque Quando a equipa ganha a bola
  • 24. O conceito de equipa é muito mais importante do que o conceito de individualidade (elevado espírito colectivo) Treinar nos limites para jogar nos limites Organização colectiva muito forte - Ofensiva , Defensiva e Transições Atitude competitiva agressiva Concentração máxima Polivalência funcional Capacidade mental muito forte
  • 25. •Respeito pelos princípios específicos e gerais do jogo defensivo; • Pretendemos um campo curto (30m) ; • Defender com todos os jogadores atrás da linha da bola; •Alternância da pressão; •Pressão ao portador da bola em zonas e momentos definidos bem como a jogadores com deficit técnico; •As linhas o mais juntas possível; •Cobrir permanentemente o eixo central do terreno, obrigando o adversário a utilizar as faixas laterais para atacar; •Utilizar uma atitude agressiva sobre o portador da bola e as potenciais linhas de passe na zona onde ele se move, com especial incidência nas zonas laterais do terreno;
  • 26. Implica uma rápida e intencional mudança de atitude; Deve aproveitar a desorganização momentânea da equipa adversária, fazendo avançar o jogo: - 1ª opção – Jogar em profundidade para contra-ataque ou ataque rápido (passe para a frente ou condução rápida) - Aproveitamento de jogadores previamente responsáveis pelo "lançamento" do ataque e subida rápida dos jogadores mais perto da baliza adversária; - 2ª opção – Tirar a bola da zona de pressão (preferencialmente jogando para o lado e/ou para trás, passe diagonal) Equipa adversária organizada defensivamente: -Afastamento dos jogadores ao jogador em posse da bola com o objectivo de fazer um campo grande (em largura e em profundidade);
  • 27. •Respeito pelos princípios gerais e específicos de jogo ofensivo; • Campo grande; • Defesas laterais abertos e em profundidade se a bola está no centro; • Defesas centrais na direcção das paralelas da área e o mais possível perto da nossa grande área; • Os médios exteriores bem junto da linha lateral, numa zona intermédia do meio campo ofensivo ; •Os médios centro em situação de apoio ao portador da bola, um deles mais perto da nossa linha defensiva e o outro mais em profundidade •Os dois avançados em profundidade e em paralelo, partindo, um de uma posição de aproximação (apoio) e o outro afastamento (ruptura); •Utilização de alternância de jogo directo/indirecto, jogo curto/jogo longo conforme a configuração defensiva adversária
  • 28. Aproveitar a desorganização “ofensiva” da equipa adversária para ganhar a posse de bola ou para nos organizarmos defensivamente. Pressionar de imediato o portador da bola com o objectivo de a ganhar Continuar a pressão ao portador da bola para: (1) dar tempo para as linhas, em largura e em profundidade, fecharem . (2) não permitir passes em profundidade. (3) não permitir tirar a bola da zona de pressão.
  • 30.
  • 31. A forma como determinada equipa ataca é influenciada pela forma como treina os exercícios de ataque, isto é, a movimentação ofensiva da equipa é fruto da interligação entre a forma como o treinador quer que a mesma ataque, como treina essas movimentações e a forma como os jogadores interpretam essas movimentações ofensivas no jogo. (Leal e Quinta, 2001)
  • 32. Diga-se que a quase totalidade dos exercícios implícitos no modelo de treino possibilitam um carácter multifuncional, podendo o mesmo exercício ser utilizado tendo em vista objectivos distintos e expressos sob forma de factores de treino (tácticos, técnicos, físicos e/ou psicológicos)
  • 33.
  • 34. Espaço: 40m x 20m Forma: 4 x 4 Tempo: Variável Descrição: Jogo entre duas equipas, onde se procura que ambas finalizem, através de contra-ataque (CA), após terem recuperado a posse da bola no seu meio campo defensivo. A finalização só é válida sendo executada no respectivo meio campo ofensivo.
  • 35. GR Espaço: 10m x 10m + meio campo Forma: 2 x 2 + 1 Tempo: Variável Descrição:duas equipas jogam entre si, sendo que a equipa que ataca ( ), está orientada para a baliza adversária e procura manter a posse de bola. A equipa ( ) procura recuperar a posse da bola (RPB) para de imediato a lançar no cor-redor contrário, através de um passe na diagonal. O jogador que a recebe, conduz em direcção à linha final e cruza para os colegas finalizarem. Os defesas ( ) tentam impedir a progressão e finalização.
  • 36. Espaço: 50m x 20m Forma: Joker + 4 x 4+Joker Tempo: Variável J Descrição: Jogo entre duas equipas, onde se procura que ambas finalizem, o mais rápido possível após R.P.B., só permitida no meio campo defensivo (MCD). A finalização só é válida sendo executada no respectivo meio campo ofensivo, após passe do joker.
  • 37. PADRONIZAÇÃO SEMANAL Dinâmica e incidência dos “Padrões” de esforço e recuperação: Moderada Jogo Alta Jogo Muito Alta Baixa Recuperação D 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª Recuperação Activa Força Específica Resistência Específica Velocidade Específica S D
  • 38.
  • 39. Modelo de jogador -O jogador deve revelar um elevado carácter onde valores como o respeito, a humildade, o empenho, a dedicação, o espírito de sacrifício e de grupo e a capacidade de reagir à adversidade estejam presentes. -O jogador deve treinar e jogar com total seriedade, empenhamento e concentração numa perspectiva de superação. -O jogador deve respeitar as regras individuais e colectivas estipuladas para o grupo. -O jogador deve ter capacidade de reflexão crítica e autocrítica, intervindo em tempo oportuno junto das entidades adequadas.
  • 40. Posição 1 – Guarda-redes ATAQUE  Sempre em posição de receber o passe atrás.  Saber eleger: jogar curto (sempre que possível), jogar longo (em profundidade).  Responsabilidade em mudar a direcção do jogo.  Deve evidenciar segurança e qualidade a jogar com os dois pés. DEFESA  Sem receio de deixar a baliza para fazer as costas da defesa (libero).  Papel importante na orientação / colocação do bloco defensivo. PERSONALIDADE  SERENO  SEGURO E CONFIANTE em todas as acções  DISCIPLINADO e RESPONSÁVEL  COMUNICATIVO  LÍDER e ORGANIZADOR do JOGO COLECTIVO
  • 41. Posição do GR - bola no lat. direito 11 5 4 10 8 6 9 3 1 7 2
  • 42. Posição do GR – bola no central direito 5 11 4 8 10 1 6 9 3 7 2
  • 43. Posição do GR – bola no central esquerdo 5 11 4 10 8 1 9 6 3 7 2
  • 44. Posição do GR – bola no lateral esquerdo 11 5 10 8 1 4 9 6 3 2 7
  • 45. EXEMPLO 2: Posicionamento dos jogadores e zonas preferenciais de jogo para uma boa CIRCULAÇÃO DA BOLA quando a bola está no Guarda-redes.
  • 46. Bola no GR – colocar bola em jogo - 1ª opção 5 11 4 10 8 1 6 9 3 7 2
  • 47. Bola no GR – colocar bola em jogo - 2ª opção 5 11 4 10 8 1 6 9 3 7 2
  • 48. Bola no GR – colocar bola em jogo - 3ª opção 5 11 4 10 8 1 6 9 3 7 2
  • 49. Bola no GR – colocar bola em jogo 5 11 4 10 8 1 6 9 3 7 2