SlideShare uma empresa Scribd logo
Gripe
Influenza virus
Trabalho realizado por:
•Ana Lascasas
•Bárbara Laczkovits
•Rui Luís
•Sara Fernandes
Influenza
Classificação Biológica
Familia Viral: Ortomixovírus (V)
•ssRNA negativo
•Virus de tamanho médio (80-120nm)
•Forma preferencialmente esférica
Influenza A
Influenza B
Influenza C
Isa virus (Infectious Salmon Anemia virus)
Thogotovirus
Quaranjavirus (Quaranfil virus)
Gripe
Família : Ortomixovírus
Influenza A Influenza B Influenza CGénero
Virus Influenza A Virus Influenza B Virus Influenza CEspécie
H1N1
H5N1
etc..
Subtipos
Replicação
Influenza
Tipo A
• Diversas espécies animais;
• Vários subtipos;
• Hemaglutinina (H -80%) 18 diferentes
• Neuraminidase (N-20%) 11 diferentes
• Podem sofrer “antigenic shifts”
Tipo B e C
• Humanos
• O tipo C não causa doença humana relevante
Fonte: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/) e World Health Organization (http://www.who.int/).
Tipos de Influenza
Doenças que podem ser transmitidas entre animais vertebrados e o Homem.
Gripe Sazonal Gripe das Aves
Gripe suína
(gripe A)
Zoonose
Antigenic Drifts e Shifts
Pandemias de Influenza
Fontes:
Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/)
Wolf, Yuri I; Viboud, C; Holmes, EC; Koonin, EV; Lipman, DJ (2006) Biol Direct
Parrish, C; Kawaoka Y (2005) Annual Rev Microbiol
Estirpes ligeiramente
diferentes
Antigenic
Drifts
Antigenic
Shifts
Espécies afetadas (Influenza A)
Espécies afetadas (Influenza A)
Fonte: Centers for Disease Control and
Prevention (http://www.cdc.gov/)
Sintomatologia
Humanos
• Febre;
• Tosse;
• Garganta inflamada;
• Corrimento nasal;
• Dores musculares;
• Cefaleias;
• Fadiga;
• Vómitos e diarreia.
• Complicações incluem: pneumonia e bronquite
Fonte: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/)
Sintomatologia
Aves
• Infeções assintomáticas ou muito
leves.
• Alguns subtipos (como alguns H5 e
H7) podem causar infeções muito
difundidas que causam a morte.
Suínos
• Afetados tanto por estirpes humanas e de aves como
por estirpes suínas.
• Sintomas semelhantes aos dos Humanos: febre, tosse e
corrimento nasal.
Patofisiologia
• Inibição ACTH → Diminução de cortisol
• Hemaglutinina determinar zona do trato
respiratório afetada
• Febre, dores de cabeça e fadiga resultam de
pró inflamatórios (citocinas)
• Cytokine storm (H5N1 influenza aviária e
estirpe pandémica de 1918)
Fontes:
Jefferies WM, Turner JC, Lobo M, Gwaltney JM Jr (1998) Clin Infect Dis
Cheung CY, Poon LL, Lau AS, et al. (2002) Lancet
Kash JC, Tumpey TM, Proll SC, et al. (2006) Nature
Gripe sazonal
TRATAMENTO
Sintomas – febre, dor, congestão nasal
Antibióticos
Antivirais
Infeção viral
Infeção bacteriana
Amantadina
Rimantadina
Zanamivir
Oseltamivir
Gripe sazonal
PREVENÇÃO
→ Segura e eficaz
→Reduz incidência
→ Reduz gravidade e mortalidade
OUTUBRO
NOVEMBRO
Gripe sazonal
Quem NÃO DEVE ser vacinado:
Pessoas com já tiveram reação alérgica à vacina
Quem DEVE ser vacinado:
• Pessoas com 65 anos ou mais
• Doentes crónicos (coração, rins, fígado, pulmões)
• Pessoas com sistema imunitário enfraquecido
• Profissionais de saúde
PREVENÇÃO
Gripe suína
TRATAMENTO
Antivirais
Zanamivir (Relenza)
Oseltamivir (Tamiflu)
Vacinação
Humanos Suínos
Não é eficaz 100%!
PREVENÇÃO
Gripe das aves
TRATAMENTO
PREVENÇÃO
Antivirais
Peramivir
Zanamivir (Relenza)
Oseltamivir (Tamiflu)
Aves Abate
VACINAÇÃO
Evitar fontes de exposição!!
Impactos da Gripe A na economia
Saúde Produção
Animal
Absentismo Consumismo
Produção animal
• Redução do consumo de carnes
• Abate de grandes quantidades de animais em
vários países
• Diminuição de exportação
• Diminuição do valor dos animais
• Reforço das medidas de biossegurança nas
explorações
Empresas de exportação animal apelaram à
OMS para modificar o nome da pandemia de
maneira a não ser associada a animais.
Absentismo
35% em 2009 – 2,1 milhões de
Portugueses
Comprometimento do funcionamento de empresas
Diminuição do PIB (0,3 a 0,45%)
Segurança social perde contribuições e concessões de subsídios de doença
800 a 1250 milhões €
 Tentar evitar picos de doença nas empresas, ie, evitar que os trabalhadores fiquem doentes ao mesmo tempo;
 Criação de planos de contigência – atualmente apenas ¼ das empresas portuguesas;
 Trabalhar a partir de casa / teletrabalho.
Consumismo
• Pessoas evitam locais públicos como:
• Shoppings
• Restaurantes
• Supermercados
• Cancelamento de viagens e hotéis
• Diminui consumo de combustíveis
Agravamento da crise económica
Saúde
• Estado pressionado a encaminhar parte da receita pública para
combater epidemias
• Necessidade de criação de stocks de medicação antiviral
• Desenvolvimento de vacinas, de sistemas de prevenção e
tratamento
• Portugal (2009) – >60 M€
15 M€ em vacinação – 700.000/2M de doses
45 M€ para pagar horas de trabalho
extra em hospitais e material médico
• Indústria farmacêutica arrecadou 5000 M€
Indústria
Farmacêutica Estado€€€€€€
€€€€€€€€€€
CONCLUSÃO
• Doença viral que afeta as vias respiratórias
• 3 principais tipos: A, B e C
• Gripe das Aves e Gripe Suína
• Hemaglutinina (H) e Neuraminidase (N)
•Vacinação é a melhor prevenção!
• Impacto: Saúde, Produção animal, Absentismo e Consumismo
Gripe Sazonal O sub-tipo maioritário varia todos os anos,
devido a cruzamentos de diferentes sub-
tipos.
Porquê no Inverno?
•Permanência em locais fechados
•Ar seco permite um melhor contágio
•Baixa ensolação:
•Pouca radiação sobre os virus não
leva a danos e mortes provocados por
estes.
•Necessidade de Radiação ultra-
violeta para a produção de vitamina D
que entra no sistema imunitário.
Gripe Suína Principais Estirpes(patogénicas):
•Sub-tipos Influenza vírus A - H1N1 ;
H1N2; H2N1 ; H3N1 ; H3N2 ; H2N3
•Influenza C
Imagem do vírus
Influenza A H1N1
Os porcos estão muito
expostos com o vírus
Influenza, tendo várias
anticorpos que os
tornam imunes.
Mutações Geneticas
com vários sub-tipos de
Influenza virus A no
porco!!
Pessoas que
contactam de
perto com
estes animais.
Contágio
Patogenicidade
Gripe Aves Principais Estirpes(patogénicas):
•Sub-tipos Influenza virus A - H5N1 ;
H7N3; H7N7 ; H7N9 ; H9N2 ; H10N8
Podem ser contagiados
quer por contacto direto
com outros animais
contaminados (mortos ou
vivos) quer por fluidos
correntes que contenham o
vírus.
Imagem do vírus
Influenza A H5N1
As aves servem de
reservatório à maior
parte dos sub-tipos do
virus Influenza A
Segundo OMS ( H5N1):
-Mutações génicas
-Bioterrerismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe AApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
Cristina Vitória
 
Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1
biblios.mpoiares
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
EducaRede Brasil
 
Apresentacao Gripe Suina
Apresentacao Gripe SuinaApresentacao Gripe Suina
Apresentacao Gripe Suina
jc_online
 
Gripe influenza
Gripe influenza Gripe influenza
Gripe influenza
Danielle Climaco
 
H1N1
H1N1H1N1
Influenza A
Influenza AInfluenza A
Influenza A
Luciana C Risso
 
H1N1
H1N1H1N1
Influenza A H1 N1 2009
Influenza A H1 N1   2009Influenza A H1 N1   2009
Influenza A H1 N1 2009
liedmesquita
 
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM CloriH1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
Ivanilda Milfont
 
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZAGRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
Clodomir Araújo
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
8Aap
 
H1n1 celem
 H1n1  celem H1n1  celem
H1n1 celem
ferreirabio
 
Influenza A
Influenza AInfluenza A
Gripe A (H1N1)
Gripe A (H1N1)Gripe A (H1N1)
Gripe A (H1N1)
Matheus Fellipe
 
Gripe a1
Gripe a1Gripe a1
Influenza 2009[1]
Influenza 2009[1]Influenza 2009[1]
Influenza 2009[1]
guest58e1d9e
 
Influenza A (H1N1)
Influenza A (H1N1)Influenza A (H1N1)
Influenza A (H1N1)
Myllenne Abreu
 
Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1
Paulo Santos
 
Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)
Aluisio Junior
 

Mais procurados (20)

ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe AApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
 
Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Apresentacao Gripe Suina
Apresentacao Gripe SuinaApresentacao Gripe Suina
Apresentacao Gripe Suina
 
Gripe influenza
Gripe influenza Gripe influenza
Gripe influenza
 
H1N1
H1N1H1N1
H1N1
 
Influenza A
Influenza AInfluenza A
Influenza A
 
H1N1
H1N1H1N1
H1N1
 
Influenza A H1 N1 2009
Influenza A H1 N1   2009Influenza A H1 N1   2009
Influenza A H1 N1 2009
 
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM CloriH1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
 
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZAGRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
GRIPE SUÍNA TIPO H1 N1 - INFLUENZA
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
H1n1 celem
 H1n1  celem H1n1  celem
H1n1 celem
 
Influenza A
Influenza AInfluenza A
Influenza A
 
Gripe A (H1N1)
Gripe A (H1N1)Gripe A (H1N1)
Gripe A (H1N1)
 
Gripe a1
Gripe a1Gripe a1
Gripe a1
 
Influenza 2009[1]
Influenza 2009[1]Influenza 2009[1]
Influenza 2009[1]
 
Influenza A (H1N1)
Influenza A (H1N1)Influenza A (H1N1)
Influenza A (H1N1)
 
Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1
 
Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)
 

Destaque

Gripe
GripeGripe
Influenza (manual ms,2013)
Influenza (manual ms,2013)Influenza (manual ms,2013)
Influenza (manual ms,2013)
Mônica Firmida
 
Gripe aviária
Gripe aviáriaGripe aviária
Gripe aviária
anapaulamonteiro
 
Gripe h1 n1
Gripe h1 n1Gripe h1 n1
Gripe h1 n1
Marcus Corradini
 
H5n1
H5n1H5n1
Protocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MSProtocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MS
Farmacêutico Digital
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
janetemagali
 
Influenza aviaria
Influenza aviariaInfluenza aviaria
Influenza aviaria
Dina Malgieri
 
PES 3.1 Gripes e Resfriados
PES 3.1 Gripes e ResfriadosPES 3.1 Gripes e Resfriados
PES 3.1 Gripes e Resfriados
Farmacêutico Digital
 
Influenza Aviária - 2015
Influenza Aviária - 2015Influenza Aviária - 2015
Vírus
VírusVírus
Vírus
profatatiana
 
Bird Flu
Bird FluBird Flu
Avian influenza virus and transmission
Avian influenza virus and transmissionAvian influenza virus and transmission
Avian influenza virus and transmission
Rokshana Parvin
 
World Wide Web and Internet
World Wide Web and InternetWorld Wide Web and Internet
World Wide Web and Internet
Janecatalla
 
Vírus
VírusVírus

Destaque (15)

Gripe
GripeGripe
Gripe
 
Influenza (manual ms,2013)
Influenza (manual ms,2013)Influenza (manual ms,2013)
Influenza (manual ms,2013)
 
Gripe aviária
Gripe aviáriaGripe aviária
Gripe aviária
 
Gripe h1 n1
Gripe h1 n1Gripe h1 n1
Gripe h1 n1
 
H5n1
H5n1H5n1
H5n1
 
Protocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MSProtocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MS
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
Influenza aviaria
Influenza aviariaInfluenza aviaria
Influenza aviaria
 
PES 3.1 Gripes e Resfriados
PES 3.1 Gripes e ResfriadosPES 3.1 Gripes e Resfriados
PES 3.1 Gripes e Resfriados
 
Influenza Aviária - 2015
Influenza Aviária - 2015Influenza Aviária - 2015
Influenza Aviária - 2015
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Bird Flu
Bird FluBird Flu
Bird Flu
 
Avian influenza virus and transmission
Avian influenza virus and transmissionAvian influenza virus and transmission
Avian influenza virus and transmission
 
World Wide Web and Internet
World Wide Web and InternetWorld Wide Web and Internet
World Wide Web and Internet
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 

Semelhante a Influenza

Influenza e nefrologia
Influenza e nefrologiaInfluenza e nefrologia
Influenza e nefrologia
Renato sg
 
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novoDoencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
bhbiohorrores
 
Influenza h1 n1
Influenza h1 n1Influenza h1 n1
Influenza h1 n1
Rafaela Dantas
 
H1 n1
H1 n1H1 n1
Apres. dengue zica, chikungunya
Apres. dengue zica, chikungunyaApres. dengue zica, chikungunya
Apres. dengue zica, chikungunya
Maria Tereza Neves
 
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
saudebarreiro
 
Aula 2 virus
Aula 2   virusAula 2   virus
Aula 2 virus
Grupo UNIASSELVI
 
Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]
guesta606d9
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
Jean Maciel
 
Aula 14
Aula 14Aula 14
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aidsStrongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
Denise Selegato
 
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptxMicrorganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
RicardoGabriel55
 
Gripe Suina
Gripe SuinaGripe Suina
Gripe Suina
josé Augusto Dias
 
Gripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- BrasilGripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- Brasil
Marcos Nascimento
 
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e EpidemiologiaSarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
Carlos Wallace Souza Pereira
 
Influenza H1 N1
Influenza  H1 N1  Influenza  H1 N1
Influenza H1 N1
ACSHospitais
 
DST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
DST_FISIO_TO_FONO_2017.pptDST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
DST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
IrysCouto1
 
Edição 5
Edição 5Edição 5
Edição 5
gimenezeassociados
 
Influenza Hc[1]
Influenza   Hc[1]Influenza   Hc[1]
Influenza Hc[1]
Sama De Freitas Juliani
 
H1N1
H1N1 H1N1

Semelhante a Influenza (20)

Influenza e nefrologia
Influenza e nefrologiaInfluenza e nefrologia
Influenza e nefrologia
 
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novoDoencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
 
Influenza h1 n1
Influenza h1 n1Influenza h1 n1
Influenza h1 n1
 
H1 n1
H1 n1H1 n1
H1 n1
 
Apres. dengue zica, chikungunya
Apres. dengue zica, chikungunyaApres. dengue zica, chikungunya
Apres. dengue zica, chikungunya
 
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)
 
Aula 2 virus
Aula 2   virusAula 2   virus
Aula 2 virus
 
Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Aula 14
Aula 14Aula 14
Aula 14
 
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aidsStrongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
Strongyloides stercoralis hyperinfection in a patient with aids
 
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptxMicrorganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
 
Gripe Suina
Gripe SuinaGripe Suina
Gripe Suina
 
Gripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- BrasilGripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- Brasil
 
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e EpidemiologiaSarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
Sarampo - Patogênese, Profilaxia, Tratamento e Epidemiologia
 
Influenza H1 N1
Influenza  H1 N1  Influenza  H1 N1
Influenza H1 N1
 
DST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
DST_FISIO_TO_FONO_2017.pptDST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
DST_FISIO_TO_FONO_2017.ppt
 
Edição 5
Edição 5Edição 5
Edição 5
 
Influenza Hc[1]
Influenza   Hc[1]Influenza   Hc[1]
Influenza Hc[1]
 
H1N1
H1N1 H1N1
H1N1
 

Influenza

  • 1. Gripe Influenza virus Trabalho realizado por: •Ana Lascasas •Bárbara Laczkovits •Rui Luís •Sara Fernandes
  • 3. Classificação Biológica Familia Viral: Ortomixovírus (V) •ssRNA negativo •Virus de tamanho médio (80-120nm) •Forma preferencialmente esférica Influenza A Influenza B Influenza C Isa virus (Infectious Salmon Anemia virus) Thogotovirus Quaranjavirus (Quaranfil virus) Gripe
  • 4. Família : Ortomixovírus Influenza A Influenza B Influenza CGénero Virus Influenza A Virus Influenza B Virus Influenza CEspécie H1N1 H5N1 etc.. Subtipos
  • 6. Tipo A • Diversas espécies animais; • Vários subtipos; • Hemaglutinina (H -80%) 18 diferentes • Neuraminidase (N-20%) 11 diferentes • Podem sofrer “antigenic shifts” Tipo B e C • Humanos • O tipo C não causa doença humana relevante Fonte: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/) e World Health Organization (http://www.who.int/). Tipos de Influenza
  • 7. Doenças que podem ser transmitidas entre animais vertebrados e o Homem. Gripe Sazonal Gripe das Aves Gripe suína (gripe A) Zoonose
  • 8. Antigenic Drifts e Shifts Pandemias de Influenza Fontes: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/) Wolf, Yuri I; Viboud, C; Holmes, EC; Koonin, EV; Lipman, DJ (2006) Biol Direct Parrish, C; Kawaoka Y (2005) Annual Rev Microbiol Estirpes ligeiramente diferentes Antigenic Drifts Antigenic Shifts
  • 10. Espécies afetadas (Influenza A) Fonte: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/)
  • 11. Sintomatologia Humanos • Febre; • Tosse; • Garganta inflamada; • Corrimento nasal; • Dores musculares; • Cefaleias; • Fadiga; • Vómitos e diarreia. • Complicações incluem: pneumonia e bronquite Fonte: Centers for Disease Control and Prevention (http://www.cdc.gov/)
  • 12. Sintomatologia Aves • Infeções assintomáticas ou muito leves. • Alguns subtipos (como alguns H5 e H7) podem causar infeções muito difundidas que causam a morte. Suínos • Afetados tanto por estirpes humanas e de aves como por estirpes suínas. • Sintomas semelhantes aos dos Humanos: febre, tosse e corrimento nasal.
  • 13. Patofisiologia • Inibição ACTH → Diminução de cortisol • Hemaglutinina determinar zona do trato respiratório afetada • Febre, dores de cabeça e fadiga resultam de pró inflamatórios (citocinas) • Cytokine storm (H5N1 influenza aviária e estirpe pandémica de 1918) Fontes: Jefferies WM, Turner JC, Lobo M, Gwaltney JM Jr (1998) Clin Infect Dis Cheung CY, Poon LL, Lau AS, et al. (2002) Lancet Kash JC, Tumpey TM, Proll SC, et al. (2006) Nature
  • 14. Gripe sazonal TRATAMENTO Sintomas – febre, dor, congestão nasal Antibióticos Antivirais Infeção viral Infeção bacteriana Amantadina Rimantadina Zanamivir Oseltamivir
  • 15. Gripe sazonal PREVENÇÃO → Segura e eficaz →Reduz incidência → Reduz gravidade e mortalidade OUTUBRO NOVEMBRO
  • 16. Gripe sazonal Quem NÃO DEVE ser vacinado: Pessoas com já tiveram reação alérgica à vacina Quem DEVE ser vacinado: • Pessoas com 65 anos ou mais • Doentes crónicos (coração, rins, fígado, pulmões) • Pessoas com sistema imunitário enfraquecido • Profissionais de saúde PREVENÇÃO
  • 17. Gripe suína TRATAMENTO Antivirais Zanamivir (Relenza) Oseltamivir (Tamiflu) Vacinação Humanos Suínos Não é eficaz 100%! PREVENÇÃO
  • 18. Gripe das aves TRATAMENTO PREVENÇÃO Antivirais Peramivir Zanamivir (Relenza) Oseltamivir (Tamiflu) Aves Abate VACINAÇÃO Evitar fontes de exposição!!
  • 19. Impactos da Gripe A na economia Saúde Produção Animal Absentismo Consumismo
  • 20. Produção animal • Redução do consumo de carnes • Abate de grandes quantidades de animais em vários países • Diminuição de exportação • Diminuição do valor dos animais • Reforço das medidas de biossegurança nas explorações Empresas de exportação animal apelaram à OMS para modificar o nome da pandemia de maneira a não ser associada a animais.
  • 21. Absentismo 35% em 2009 – 2,1 milhões de Portugueses Comprometimento do funcionamento de empresas Diminuição do PIB (0,3 a 0,45%) Segurança social perde contribuições e concessões de subsídios de doença 800 a 1250 milhões €  Tentar evitar picos de doença nas empresas, ie, evitar que os trabalhadores fiquem doentes ao mesmo tempo;  Criação de planos de contigência – atualmente apenas ¼ das empresas portuguesas;  Trabalhar a partir de casa / teletrabalho.
  • 22. Consumismo • Pessoas evitam locais públicos como: • Shoppings • Restaurantes • Supermercados • Cancelamento de viagens e hotéis • Diminui consumo de combustíveis Agravamento da crise económica
  • 23. Saúde • Estado pressionado a encaminhar parte da receita pública para combater epidemias • Necessidade de criação de stocks de medicação antiviral • Desenvolvimento de vacinas, de sistemas de prevenção e tratamento • Portugal (2009) – >60 M€ 15 M€ em vacinação – 700.000/2M de doses 45 M€ para pagar horas de trabalho extra em hospitais e material médico • Indústria farmacêutica arrecadou 5000 M€
  • 25. CONCLUSÃO • Doença viral que afeta as vias respiratórias • 3 principais tipos: A, B e C • Gripe das Aves e Gripe Suína • Hemaglutinina (H) e Neuraminidase (N) •Vacinação é a melhor prevenção! • Impacto: Saúde, Produção animal, Absentismo e Consumismo
  • 26. Gripe Sazonal O sub-tipo maioritário varia todos os anos, devido a cruzamentos de diferentes sub- tipos. Porquê no Inverno? •Permanência em locais fechados •Ar seco permite um melhor contágio •Baixa ensolação: •Pouca radiação sobre os virus não leva a danos e mortes provocados por estes. •Necessidade de Radiação ultra- violeta para a produção de vitamina D que entra no sistema imunitário.
  • 27. Gripe Suína Principais Estirpes(patogénicas): •Sub-tipos Influenza vírus A - H1N1 ; H1N2; H2N1 ; H3N1 ; H3N2 ; H2N3 •Influenza C Imagem do vírus Influenza A H1N1 Os porcos estão muito expostos com o vírus Influenza, tendo várias anticorpos que os tornam imunes. Mutações Geneticas com vários sub-tipos de Influenza virus A no porco!! Pessoas que contactam de perto com estes animais. Contágio Patogenicidade
  • 28. Gripe Aves Principais Estirpes(patogénicas): •Sub-tipos Influenza virus A - H5N1 ; H7N3; H7N7 ; H7N9 ; H9N2 ; H10N8 Podem ser contagiados quer por contacto direto com outros animais contaminados (mortos ou vivos) quer por fluidos correntes que contenham o vírus. Imagem do vírus Influenza A H5N1 As aves servem de reservatório à maior parte dos sub-tipos do virus Influenza A Segundo OMS ( H5N1): -Mutações génicas -Bioterrerismo

Notas do Editor

  1. Árvore taxonómica criada por comparação da sequência de resíduos de aminoácidos de proteínas da Matriz.