SlideShare uma empresa Scribd logo
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
DOMINIO DA GRAMÁTICA PORTUGUÊS
10º/11ºANO SINTETIZADA
SUBCLASSES DOS VERBOS:
Atenção não confundir SUBCLASSES dos verbos com TEMPOS VERBAIS( Pretérito Perfeito,
Condicional).
VERBO PRINCIPAL
SUBCLASSES EXEMPLOS
INTRANSITIVO-Seleciona um sujeito ,mas não
determina a ocorrência de complementos. Ou
seja, o verbo consegue formar o predicado
sozinho, tendo ele sentido sem necessidade de
complementos.
A CARMINHO MORREU
O BEBÉ ADORMECEU
Transitivo direto: Seleciona um sujeito e um
complemento direto, uma vez que o que está à
direita do verbo (parte das vezes) pode ser
substituído por “o,os,a,as” , e porque responde
também à pergunta “O QUÊ?”
A RITA ENCONTROU O NUNO
A RITA LEU O LIVRO
Trransitivo indireto: Seleciona um sujeito e um
complemento indireto ou um complemento
oblíquo. Uma vez que este pode responder à
pergunta “A QUEM” e/ou ser substituído por
“lhe,lhes”.
EU RESPONDI À PROFESSORA
O TÓ CONCORDOU COM A
SUGESTÃO
Transitivo direto e indireto: Seleciona um
sujeito, complemento direto e um
complemento indireto/obliquo.
O AVÔ DEVOLVEU-ME O LIVRO
COLOQUEI AS MINHAS CHAVES
NAQUELA MESA
Transitivo-Predicativo: Seleciona um sujeito,
um complemento direto e um predicativo do
complemento direto,uma vez que este está
presente na frase servindo de determinante
pertencente ao predicado. (Com o exemplo
percebe-se melhor).
OS COLEGAS DESIGNARAM O
IVO PORTA-VOZ DO GRUPO
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
VERBO AUXILIAR E VERBO COPULATIVO(2)
SUBCLASSES EXEMPLOS
Dos tempos compostos: Verbos ter e
haver, seguidos do particípio do
verbo principal(geralmente termina
em ado sendo uma ação já
terminada) ou copulativo.
NÓS TEMOS TRABALHADO COM
AFINCO
ELE JÁ HAVIA INFORMADO QUE
CHEGARIA TARDE
EU JA TINHA COMIDO
Da passiva: Verbo ser,seguido do
particípio do verbo principal.
O teu trabalho FOI considerado
o melhor
O Livro FOI lido pelo João
Modal:Verbos poder,dever e ter de,
seguidos do infinitivo do verbo
principal.
Ele PODE reunir de tarde
Os alunos DEVEM estar mais atentos.
Tu TENS DE chegar a horas(não é
referente aos tempos compostos pois
o verbo principal está no infinitvo e o
verbo auxiliar existente é “TER DE” .)
SUBCLASSE(2) – COPULATIVO EXEMPLO:
Copulativo:Estabelece a ligação entre
o sujeito e as suas
caracteristicas,estado,tempo,espaço,
apreciação
O filme ERA do interesse de todos
A Joana PERMANECE triste
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
MODOS E TEMPOS VERBAIS:
MODO INIDCATIVO(INDICA O REAL,O CONCRETO,O CERTO)
TEMPO EXEMPLOS
Presente -(um verbo no presente indica uma
ação que ocorre no momento)
Eu falo/ele fala/ nós falamos
Pretérito imperfeito-( corresponde a algo feito
no passado mas que não foi terminado, um
verbo pretérito imperfeito é utilizado
normalmente para narrar uma história,contar
um acoontecimento pessoal a alguém ,
mostrando a perspetiva em primeira pessoa)
Eu falava , tu falavas, ele falava ...enquanto a
avó cozinhava.
Pretérito Perfeito- (é como se estivéssemos a
referir-nos a algo que aconteceu ontem.)-
SIMPLES . (é como se estivéssemos a referir-
nos a algo que tem acontecido
frequentemente)- COMPOSTO
SIMPLES: eu falei/ele comeu/nós dividimos
COMPOSTO:eu tenho falado /ele tem comido
/nós temos dividido
Pretérito mais-que-perfeito- (é usado para
indicar uma ação que aconteceu antes de outra
ação passada;- acaba frequentemente em “ara”
ou “ra”)- SIMPLES
COMPOSTO-( O pretérito mais-que-perfeito
composto forma-se com o verbo auxiliar
“ter”/”haver” no pretérito imperfeito, seguido
do particípio passado do verbo principal.)
Simples: eu falara/ele comera/nós
dividíramos...
Composto-eu tinha falado /ele tinha
comido/nós tínhamos dividido
Futuro-(é usado para referir ações que poderão
acontecer...previsões)- SIMPLES/COMPOSTO
Simples: eu falarei, ele comerá, nós dividiremos
Composto- eu terei falado , ele terá comido,
nós teremos dividido
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
MODO CONDICIONAL-(Que depende de uma condição)
SUBCLASSE EXEMPLOS
SIMPLES-(indica uma situação que apenas
aconteceria caso algo antes/ou depois tivesse
acontecido)
Eu falaria...com ela se não fosse tão
envergonhado
Composto
Ele teria comido com o seu tio....se ele não
fizesse tanto barulho a comer.
Nós teríamos ido ao S.Martinho...se o nosso
carro tivesse gasóleo.
MODO IMPERATIVO-(Indica uma ordem ,um
pedido ou conselho)
EXEMPLOS
PRESENTE FALA! ...COME!!...etc
FORMAS NÃO FINITAS
Infinitvo impessoal Exemplos (Simples)- Falar,comer,dividir
Exemplos(composto)- Ter falado, ter
comido, ter dividido
INFINITIVO PESSOAL
Exemplo(Simples)- Falar (eu),comer
(eu),dividir(eu),falares (tu)
Exemplo (composto)- Ter falado (eu),teres
falado(tu)
GERÚNDIO Exemplo (Simples) -
Falando,comendo,dividindo
Exemplo ( Composto)- Tendo falado, Tendo
comido, Tendo dividido
Participio passado Exemplos: Falado,comido,dividido
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
CONJUNÇÃO E LOCUÇÃO CONJUNCIONAL
As conjunções servemparaunir elementos ouoraçõesdeuma determinada frase. Elas
podem sercoordenativas ou subordinativas. Esão muitas das vezes osconstituintes de
uma oração.
-Iremos fazer uma tabela paramelhor distinçãodas diferentes coordenações.
CONJUNÇÕESCOORDENATIVAS
SUBCLASSES CONJUNÇÕES Loc.conjuncionais
Copulativa(1) E,nem,nem...nem
Ex:Euqueroistoeisto
Nãosó...comotambém/mas
também
Adversativa(2) Mas
Ex:Eleatépodevirmasvaificar
naporta.
--
Conclusiva(3) Logo
Ex:Elesfazem,logoestamos
bem
--
Disjuntiva(4) Ou,ou...ou,ora...ora,
quer...quer,seja...seja
Ex:Voualiouali
--
Explicativa(5) Pois,que,porquanto
Ex:Simvoupoiseuquero
--
 Os exemplos dados nasconjunções correspondem sequencialmente a: (1)-
Oração coordenada copulativa;(2) -Oraçãocoordenada adversativa; (3) Oração
coordenada conclusiva; (4)Oraçãocoordenada disjuntiva; (5) Oração
coordenada explicativa
 Chamam-se locuções caso sejamduas palavras que sirvamcomoconectordas
orações/elementos da frase
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
CONJUNÇÕESSUBORDINATIVAS
SUBCLASSES Conjunções Loc.Conjuncionais
Causal Porque,como(=porque),
pois,porquanto,que(=porque)
Dadoque,jáque,poisque,porissoque,umavez
que,vistoque...
Condicional Se,caso Amenosque,anãoserque,contanto
que,desdeque,escetose,salvose,semque...
Consecutiva Que(antecedidadetão,tal,tanto,detal
maneira,detalmodo)
Deformaque,demaneiraque,demodoque...
Concessiva Embora,conquanto Aindaque,apesarde(que),mesmoque,mesmo
se,nemque,pormaisque,pormenosque,se
bemque...
Comparativa Como Assimcomo...assim(também),bemcomo,
comose,mais/menos...do
que,tão/tanto...como,quenem...
Temporal Quando,apenas,mal,enquanto Àmedidaque,antesque,assimque,até
que,depoisque,desdeque,logoque,sempre
que,(de)todasasvezesque...
Final Que(=paraque),para Paraque,afimdeque,demodoaque..
Completiva Que,se,para --
Apartirdestas conjunções podemos agrupá-lasemdiferentes gruposde Orações
Subordinadas (Oraçõescujo desempenhamuma certa função sintática na frase),
estandodependentes de uma oração subordinante(oraçãocujo tem oseu próprio
sentido,e não tem nenhumaconjunção)
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Oraçãosubordinadaadverbial
Tiposdeorações
Subordinadas
adverbiais
Descrição Exemplos
Causal Exprimemomotivo/causaexpressona
oraçãosubordinante.
Nãofizisso,que(=porque)
estavamuitosol.
Nãoposso,pois estou“off”
Condicional Exprimeacondiçãodequedependea
oraçãosubordinante.
Casosaiacedodomédico,ainda
vouaocentrodacidade.
Devosairdecasaàs8,amenos
queestejaachover.
Consecutiva Indicaaconsequênciadoevento
expressonaoraçãosubordinante.
Ouvitantasvezes acançãoque
agoranãosaidacabeça.
Concessiva Exprimeumaconcessão,istoé,algo
contrárioàaçãoapresentadanaoração
subordinante,masnãoaimpede.
Vamos àfestaembora
estejamosdecastigo!
Voucorrer,mesmoquechova
Comparativa Estabeleceumacomparaçãoentrea
oraçãosubordinadaeasubordinante
Bifanas émuitomelhordoque
cachorros-quentes.
Temporal Exprimeumacircunstânciadetempo
emrelaçãoaoeventoapresentadona
oraçãosubordinante.
Semprequevejoestefilme,fico
enjoado.
Malvejoesterapaz,ficoirritado
Final Exprimeafinalidade,o
propósito/objetivodaaçãoexpressana
oraçãosubordinante.
Treinatodososdias ,paraque
sejamaisfácilcompetir.
Paramelhorar adecoraçãooraçõessubordinadasadverbiais,podemosfazeruma
menemónica:“5C`STEF”-CCCCCTF.No entanto mais importante quesaber onome
delas ,é sim saber aplica-las. Por isso farei algumasperguntas relativasàs orações
subordinadas adverbiais:
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
DIVIDA AS SEGUINTESORAÇÕES:
O Noahfez um bolo tãomau, que toda a gentefoi embora.
A Joana adormeceu nasaulas, apesarde terdormido bem.
O Luís cozinha todosos dias, que a suamãeestá doente.
Ele diz que trabalha numa fábrica,para que o seu filho não tenha fome
Resolução:
(1)- A frase tem dois verbos , por isso têm duas orações. Sendo elas:
“O Noah fez um bolo tão mau” e “que toda a gente foi embora”
Iremos proceder à classificação das mesmas: Oração Subordinante ( pois refere a ideia principal e
habitualmente não tem conjunções) Oração Subordinada Adverbial Consecutiva (por causa da
conjunção subordinativa consecutiva “que” , e porque completa a oração subordinante ou adiciona
algo a mais ) Atenção que a Oração Subordinante não se encontra sempre no inicio da frase.
(2)-”A Joana adormeceu nas aulas”- Oração Subordinante ; “apesar de ter dormido bem”- Oração
Subordinada Adverbial Concessiva.
DICA: Se estiveres numa quase certeza de identificar a oração, mas como não sabes muito bem se
a locução faz parte da oração que estavas prestes a responder. Troca a locução pela conjunção que
te lembres que faz parte da tal oração. EX: “apesar de ter dormido bem”- ficaria “embora tenha
dormido bem” . E assim que chegarias à conclusão que era sim a oração subordinada adverbial
concessiva como tinhas pensado.
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
(3) “O Luís cozinha todos os dias”- Oração Subordinante ; “que a sua mãe está doente”- Oração
Subordinada Adverbial Causal
(4) A frase tem 3 verbos , sendo assim tem 3 orações:
“Ele diz “- Oração Subordinante ; “que trabalha numa fábrica” - Oração Subordinada Substantiva
Completiva ; “para que o seu filho não tenha fome” - Oração Subordinada Adverbial Final
Tal como deves ter visto, existe aqui uma oração que não aprendeste. A oração subordinada
substantiva completiva, esta oração assume variadas vezes grande parte das funções sintáticas, tal
como a relativa. Iremos explorar estas orações já a seguir e descreve-las .
ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA
Orações que assumem funções sintáticas normalmente desempenhadas por nomes ou grupos
nominais:sujeito e complemento de um verbo,de um nome ou de um adjetivo.
Oraçãosubordinada
substantiva
Descrição Exemplos
Completiva
Oraçãoselecionadaporum
verbo,umnomeouumadjetivo.
Podeserintroduzidapelas
conjunçõessubordinativas
completivasqueeseepara.
Todossabiamqueotestefora
adiado.
Estamosfelizes dequeoJoão
tenhasidoexpulso.
Amulhergritoucomomenino
queestavadecalções.
Relativa
Oraçãointroduzidaporumpronome
relativo(quem) ,umquantificador
relativo(quanto)ouumadvérbio
relativo(onde) e(como)sem
antecedente
Quemacertartudo,ganha
Comeuquantohaviano
frigorifico
Jantámosondenosaconselhaste
Adorocomotemaquilhas
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS RELATIVAS
Orações quedesempenhamafunçãosintáticademodificadordonome,sendointroduzidasporuma
palavrarelativa(pronomesdeterminantes,quantificadores ouadvérbios)
Tipos deOrações Descrição Exemplos
Restrição Apresentainformação que
permiterestringirareferência
doantecedente
Desempenhaafunçãosintática
demodificadordonome
restritivo
Fuiaopaís quenãoépreciso
verparaquerer
Oalunoquegritoualtovailevar
umaparticipação
Explicativa Apresentainformaçãoadicional
sobreoantecedenteaquese
refere
Desempenhaafunçãosintática
demodificadordonome
apositivo(porissoencontra-se
entrevírgulas)
Aquelediadedezembro,que
euestavadoente,foiumdia
mesmofrio.
Eles fizeramumbolo,oque
salvouafesta
Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas
Orações subordinadas adverbiais
Tipo de Oração Função Sintática Exemplo
Todas Modificador-(uma vez que não
é selecionado pelo verbo e
pode ser excluído sem tirar o
sentido da frase)
Foi tão mau, como(conjunção
sub.causal) tinha previsto.
Eu ligaria o ar-condicionado,se
estivesse calor
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas
OraçõesSubordinadasAdjetivas relativas
Tipos de oração Função sintática Exemplo
Restritiva Modificador restritivo
do nome- (restringe a
referencia do nome que
modifica)
Levantem a mão, os
alunos que já foram a
Leiria
Explicativa Modificador apositivo
do nome- (fornece
informação adicional)
Esse hospital, que fica
situado na foz, tem
camas muito boas.
Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas
Orações subordinadas substantivas
Tipos de Orações Função sintática Exemplos
Completiva Sujeito(1) ; complemento
direto (2) ; complemento
obliquo (3) ; complemento do
nome (4) ; complemento do
adjetivo (5)
Surpreendeu-me que nunca
tenhas visto o mar. (1) Os pais
desconheciam que o filho
ganhara um prêmio. (2)
Avisaram-me de que amanhã
temos de levar o
computador(3) . Chegaram à
conclusão de que a obra era
muito interessante .(4)
Estamos certos de que
teremos uma excelente
classificação(5)
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
CONTINUAÇÃO*
Tipos de Orações Função Sintática Exemplo
Relativa
Sujeito (1); Complemento
direto (2); complemento
indireto (3) ; complemento
oblíquo(4); complemento
agente da passiva (5) ;
predicativo do sujeito (6) ;
complemento do nome (7) ;
complemento do adjetivo (8) ;
modificador do grupo verbal
(9)
Quem me ignorou(1)
esqueceu-se do que é a
amizade : Vou convidar quem
sempre foi meu amigo (2) ;
Dou um beijo a quem me
apetecer (3) ; Conversei com
quem estava na sala de espera
(4) ; O ator foi aplaudido por
quem estava na plateia (5) ; A
final, o ator não era quem eu
pensava (6) ; Devemos
guardar as fotografias de
quem amamos (7) ; Estava
certa de quem a ajudou (8) ;
Marcámos encontro onde nos
vimos pela primeira vez (9)
 Dica para saber se é c.indireto , é se existe a antecedência do
determinante artigo defnido “a”. (3)
 O c.agente da passiva terá sempre a preposição”por” simples ou
contraída ,visto que o objeto direto e o sujeito trocaram de posições na
frase, sendo necessário o objeto direto dizer quem praticou tal ação ( o
sujeito neste caso) . (5)
 Para saber que era sujeito (1), bastava fazer a pergunta “Quem é que se
esqueceu do que era a amizade”. Sendo a resposta: “Quem me
ignorou?”- SUJEITO
 É Predicativo do Sujeito pois oração subordinada substantiva relativa ,
aparece após um verbo copulativo .
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
FUNÇÕES SINTÁTICAS
funçõessintáticas Tipos Exemplos
SUJEITO
Simples(1)
composto(2)
Subentendido(3)
Indeterminado(4)
Quemchegartardenãoentra
nasala(1)
Acozinhaeasalaestãoa
arder(2)
Nofimdesemana(-)fomosa
Leiria.(3)
(-)Constaquehaveráumavisita
deestudoàcasadeTormes.(4)
Predicado (-) Obebéestáadormir
Ontem,oriogalgouasmargens
naminhafreguesia.
Vocativo-Constituinteque
designaapessoaouaentidade
interpeladapelolocutor.
(-)
João,atuacamisolaestácom
nódoas.
Complementodonome-
Constituintepelonome
(-)
Partiascostasdacadeira
Tenhoasensaçãodequealgo
debomvaiacontecer
Aobraqueirosiana évasta
Modificadordonome-Constituinte
facultativoquepermiteatribuir
umacaracterística/informaçãoa
umnome
Restritivo-Restringeareferênciado
nomequemodifica
Apositivo-Forneceuma
informaçãoadicionalsobreo
nome,surgindoentrevírgulas.
Ochocolatenegroédelicioso
Ojovemdechapéuémeuprimo
Encontreiobrincoquetinhas
perdido
Esteclube,quenãoganhounada,
éomeupreferido.
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS DO
GRUPO VERBAL
TIPOSDEFUNÇÕES Identificação Exemplos
C.direto É substituívelpelospronomes
pessoais átonoso,a,os,asou
pelos pronomes
demonstrativosisso,o.
Hojeliumlivro nabiblioteca.
Elegarantiu queotesteera
hoje
Elecomprou umgato
C.indireto É substituívelpelospronomes
pessoais átonoslhe,lhes.
Constituígrupooracional
introduzidopelapreposição“a”
EsseestojopertenceaoIvo.
Omédicodavaumbalão a
quemseportassebem.
C.obliquo Constituinteselecionadopor
umverbotransitivoindireto(tal
comoocomplementoacima)
Nãoconseguesersubstituído
poro,a,lhe...
AJoanavemaí
Os meuspaisforam aLisboa
Eleopôs-seaqueoscolegas
alterassemadatadoteste.
C.agentedapassiva Surgeapenasemfrases
passivas,correspondendoao
sujeitodafraseativa.
Introduzidousualmentepela
preposiçãopor(simples ou
contraída)
Afestaseráplaneadaportodos
Amatériafoicompreendidapor
quemesteveatento.
 Afrase(1)podesersubstituida por“esseestojopertence-me"noentanto“me”éamesma
formaátonadopronomepessoalqueoc.direto.COMODISTINGUIR??
Paradistinguirbastavapora3ªpessoadosingular“aobarulho” everentreoc.diretoeo
c.indiretoqualdelesficamelhorcomapalavra“pertence”.C.direto-Pertence-o/a ;C.indireto-
Pertence-lhe.Concluímosqueéoc.indireto.
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Valor aspetual
O Aspeto exprime a formacomo a estrutura temporal deuma açãoé perspetivada pelo
locutor: a situação expressa no enunciado pode apresentar uma açãocompleta ( Valor
perfetivo) ouemdesenvolvimento ( Valor Imperfetivo),bem como a sua regularidade
ou a sua frequência.
TIPODEVALOR Descrição Exemplos
Valorperfetivo  ASituaçãoédescrita
comoconcluída.
 Opretéritoperfeito
simplesestá
,normalmente,
associadoaestevalor,
assimcomoos verbos
auxiliaresacabarde,
deixarde,pararde...
Ontem,viumfilmemuito
importante
Jáacabeidelerumlivro
Eufizissoontem.
Elaignorouorapaz
ValorImperfetivo  Asituaçãoé
apresentadacomonão
concluída.
 Opretéritoimperfeito
eosverbos auxiliares
aspetuais estaraou
andara contribuem
paraaconstrução
destevalor.
Araparigacantarolava
alegremente
Aavóestáafazerum pudim
paraasobremesa.
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
VALOR MODAL
A modalidade é a forma de, pormeioslinguísticos, os falantes exprimirematitudese
opniões sobre o conteúdo dos enunciados queproferem.
Modalidade Valormodal Exemplos
Epistémica De certeza (1)
De probablidade (2)
Estouconvicto das minhas
capacidades de
liderança(1)
O Pedro deve ter
adormecido (2)
Deôntica De obrigação (3)
De permissão(4)
Tensde arrumar a tua
secretaria (3)
Depoisde terminares os
trabalhos, podes ver
televisão.(4)
Apreciativa (-) Está um lindo dia!
ATOS DE FALA (ATOS ILOCUTÓRIOS)
Atos ilocutórios definição exemplo
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Assertivo O locutor realizapela
pronunciaçãode um
enunciadoque
implica um certo
comprometimento
com o valor relativo
de verdade/
falsidade.O ato
assertivo
Considero o Miguel umrapaz
muito inteligente.
Compromissivos Comprometeo
locutor a realizar tal
ação , ou a intenção
de tal sujeito pratica-
la.
Encontro-me contigo na escola,
às cinco horas.
Diretivos Por ordemdo locutor
da frase, faz comque
o alocutário proceda
à realizaçãode tal
ação. Incentiva à
realizaçãode tal ação.
Tragam ocomputador para a
aulade amanhã
Expressivos Expressa o estado
espiritodo locutor
Adoro a tua t-shirt!
Declarativos O locutor faz com
que a realidade seja
mudada,
acrescentando algo
oumudando algo. (
neste caso o locutor
temde ter algum
poder)
Está despedido –declarou o
diretor da empresa
Declaro-vos casados –disse o
padre
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
RECURSOS EXPRESSIVOS
Os recursos expressivossãousados demodoadaràfraseumamaiorinteração,embelezamentoepor
vezes funcionamcomoformadeimpactaroassuntodafrase.
Existemdiferentestipos,porissoéqueosvamos investigartodos:
Recursosexpressivos Definição Exemplos
Adjetivação Usoliteráriodeadjetivospara
qualificarumnomedeforma
particularmenteexpressiva.A
adjetivaçãopodeser:simples,
duplaoutripla;posposta ou
antepostaaonome.
“Lançamanódoanegrae
fúnebredoclero”
Eletemumcãofofo,simpático
ebrincalhão.
Alegoria Textoouimagemquese
constróiapartirdesímbolos e
metáforas eemque,paraládo
seusignificadoliteraloufacial,
existeoutrainterpretação.
Porexemplo:ODiabo
representaraaltanobreza.E os
burros representaremo
TerceiroEstado(opovo)
Aliteração Repetiçãodesons
consonânticosnumafraseou
emfrasessucessivas
“Postoàsombradoscedros
tumulares.”
Anáfora Repetiçãodepalavraou
expressãoeminíciodeversos
oudefrasessucessivas.
Eraforteparaoosso/Erafraco
paraomusculo/Eragordopara
oosso/Eramagroparao
musculo
Anástrofe Alteraçãodaordemdas
palavrasnumafrase
“Emnada,umimaginar,obem
consiste”
(obemconsisteemnada,éum
imaginar)
Antítese Combinaçãodeideias
contrárias,originandoum
contraste.
“É tãobomouviros
passarinhos...Penaobarulho
horrívelqueelesfazem”
Apóstrofe Chamamentoouinterpolação
dealguém- umserou ideia
“OH DEUS!”
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Comparação Associaçãodedoiselementos
derealidadediferentes,através
deumapalavradeligação
Assemelham-seagaivotas,
atrás doseualimento.
Enumeração Sequênciadepalavras,
expressõesouorações,
preparadaparaproduzirum
efeitoexpressivo.
“ quetambémnelashá
falsidades,enganos,fingimentos,
embustes,ciladas”
Eufemismo Expressãoquesuaviza,outorna
menos pesada,umaideia
desagradavel,trágica...etc
“Eletirouofolegodotio”
Elematouotio
Gradação Sucessãodepalavras
,expressões ouorações
organizadas,peloseu
significado,numaordem
crescenteounumaordem
decrescente.
“Elecomeu,eledevorou,ele
engoliutudo”
Hiperbole Expressãoquerepresentaum
exagerodequantidadeoude
intensidade.
“ oamorqueelatinha,easmil
mortes quealipadeceu
(sofreu),decadavezquea
esperançalhemorria”
Interrogaçãoretórica Perguntaquenãovisaobter
respostas ,masantesproduzir
umaafirmaçãocomumefeito
emotivooupejorativo
“”Quantoàdesumildadenão
podemosfazernada,pois
não??”
Ironia Recursoexpressivoemque
umaafirmaçãodeveser
entendidanosentidocontrário
aoseusignificadoliteral.
““Siméssuperinteligente...
voltasteparaoteuex”
Metáfora Associaçãodedoiselementos ,
porcomparação,emqueé
omitidootermocomparativo
(como,parece,etc..)
“Souumpartodaterra
monstruoso...”
Português Gramática Síntese 10/11 ºano
Perífrase Utilizaçãodevárias palavras
paraexprimirumaideiaque
podiaserreferidanumapalavra
ounumabreveexpressão.
Elemata–meobichodo
ouvido(perturba me)
Personificação Atribuiçãodecaracterísticas
humanasaanimais,aplantas,a
objetosouideiasabstratas.
Os livrossuspiravam
Pleonasmo Repetiçãodeumamesma
ideia,namesmafrase,parase
obterumefeitoexpressivo
Euquerocumprimentaromeu
anjodocéu
Sinédoque Substituiçãodeumapalavra
poroutra,deformaatornar-se
apartepelotodoouotodo
pelaparte.
“...assustarosmercados,
assustarobrasileiro,ea
bancarrotaestalava”
Trocadilho Jogodepalavrasemquesetira
partidododuplosentidode
umapalavraouda
ambiguidadedesentidode
umapalavra
“ Oshomenstiveram
entranhas(coragem)paradeitar
Jonas aomar,eopeixe
recolheunas entranhas
(interior) aJonasparaolevar
vivoàterra“
Estafoiumasíntesedagramáticaquehabitualmentemaisfrequentaostestes dePortuguêsdo10/11
ano.Esperoquetenhasidoútil.
PedroRochaDaSilva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeModificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeAntónio Fernandes
 
Ensaio pobreza
Ensaio pobrezaEnsaio pobreza
Ensaio pobrezaInês Mota
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
Conjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisConjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisRosalina Simão Nunes
 
Classificação de orações
Classificação de oraçõesClassificação de orações
Classificação de oraçõesFernanda Monteiro
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 AnoResumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 AnoRui Oliveira
 
Teste1 poesia trovadoresca 10 ano
Teste1 poesia trovadoresca 10 anoTeste1 poesia trovadoresca 10 ano
Teste1 poesia trovadoresca 10 anoRonaldo Figo
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadasRita Pereira
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoquintaldasletras
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesIsabel Moura
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Rosalina Simão Nunes
 

Mais procurados (20)

Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 
Modificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeModificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nome
 
Ensaio pobreza
Ensaio pobrezaEnsaio pobreza
Ensaio pobreza
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Coordenação. Subordinação
Coordenação. SubordinaçãoCoordenação. Subordinação
Coordenação. Subordinação
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Conjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisConjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções Conjuncionais
 
Classificação de orações
Classificação de oraçõesClassificação de orações
Classificação de orações
 
Modificador da frase
Modificador da fraseModificador da frase
Modificador da frase
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 AnoResumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
 
Teste1 poesia trovadoresca 10 ano
Teste1 poesia trovadoresca 10 anoTeste1 poesia trovadoresca 10 ano
Teste1 poesia trovadoresca 10 ano
 
Subclasses dos verbos
Subclasses dos verbosSubclasses dos verbos
Subclasses dos verbos
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 
Complemento oblíquo
Complemento oblíquoComplemento oblíquo
Complemento oblíquo
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento direto
 
Quadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartesQuadro_hume vs descartes
Quadro_hume vs descartes
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
 
Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
 

Semelhante a Gramática Português- Síntese 10/11 ano

Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pViviane Oliveira
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Marcela Cardoso
 
Advérbios
AdvérbiosAdvérbios
AdvérbiosCaeetano
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdfSusanaRangel12
 
7.5 verbos (estudo completo)
7.5   verbos (estudo completo)7.5   verbos (estudo completo)
7.5 verbos (estudo completo)Ivana Mayrink
 
pontuação em lingua portuguesa
pontuação em   lingua portuguesapontuação em   lingua portuguesa
pontuação em lingua portuguesaFatimagomes Macedo
 
Flexão e Conjugação de Verbos
Flexão e Conjugação de VerbosFlexão e Conjugação de Verbos
Flexão e Conjugação de VerbosKauana Manika
 
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTOR
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTORCONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTOR
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTORlucianadsguimaraes
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10gsbq
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10gsbq
 
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Óscar Mendes Silva
 
Oracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasOracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasAndrea Seica
 
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...MrioAndrDeOliveiraCr
 
English grammar 1
English grammar 1English grammar 1
English grammar 1Keli Freire
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisEdson Alves
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisEdson Alves
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Valdimiro Cardoso
 

Semelhante a Gramática Português- Síntese 10/11 ano (20)

Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
 
Resumo concordância 06.10.2016
Resumo concordância 06.10.2016Resumo concordância 06.10.2016
Resumo concordância 06.10.2016
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Advérbios
AdvérbiosAdvérbios
Advérbios
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
 
Trabalho de inglês
Trabalho de inglêsTrabalho de inglês
Trabalho de inglês
 
7.5 verbos (estudo completo)
7.5   verbos (estudo completo)7.5   verbos (estudo completo)
7.5 verbos (estudo completo)
 
pontuação em lingua portuguesa
pontuação em   lingua portuguesapontuação em   lingua portuguesa
pontuação em lingua portuguesa
 
Flexão e Conjugação de Verbos
Flexão e Conjugação de VerbosFlexão e Conjugação de Verbos
Flexão e Conjugação de Verbos
 
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTOR
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTORCONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTOR
CONCORDANCIA VERBAL AULA PROFESSOR AUTOR
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
 
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
 
Oracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasOracoescoordenadasesubordinadas
Oracoescoordenadasesubordinadas
 
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...
IMPERATIVOS NO INGLES - SUBJECT - OBJECT PRONOUN REVIEW parte (1) slide 7° an...
 
grupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptxgrupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptx
 
English grammar 1
English grammar 1English grammar 1
English grammar 1
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
 

Último

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 

Último (20)

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 

Gramática Português- Síntese 10/11 ano

  • 1. Português Gramática Síntese 10/11 ºano DOMINIO DA GRAMÁTICA PORTUGUÊS 10º/11ºANO SINTETIZADA SUBCLASSES DOS VERBOS: Atenção não confundir SUBCLASSES dos verbos com TEMPOS VERBAIS( Pretérito Perfeito, Condicional). VERBO PRINCIPAL SUBCLASSES EXEMPLOS INTRANSITIVO-Seleciona um sujeito ,mas não determina a ocorrência de complementos. Ou seja, o verbo consegue formar o predicado sozinho, tendo ele sentido sem necessidade de complementos. A CARMINHO MORREU O BEBÉ ADORMECEU Transitivo direto: Seleciona um sujeito e um complemento direto, uma vez que o que está à direita do verbo (parte das vezes) pode ser substituído por “o,os,a,as” , e porque responde também à pergunta “O QUÊ?” A RITA ENCONTROU O NUNO A RITA LEU O LIVRO Trransitivo indireto: Seleciona um sujeito e um complemento indireto ou um complemento oblíquo. Uma vez que este pode responder à pergunta “A QUEM” e/ou ser substituído por “lhe,lhes”. EU RESPONDI À PROFESSORA O TÓ CONCORDOU COM A SUGESTÃO Transitivo direto e indireto: Seleciona um sujeito, complemento direto e um complemento indireto/obliquo. O AVÔ DEVOLVEU-ME O LIVRO COLOQUEI AS MINHAS CHAVES NAQUELA MESA Transitivo-Predicativo: Seleciona um sujeito, um complemento direto e um predicativo do complemento direto,uma vez que este está presente na frase servindo de determinante pertencente ao predicado. (Com o exemplo percebe-se melhor). OS COLEGAS DESIGNARAM O IVO PORTA-VOZ DO GRUPO
  • 2. Português Gramática Síntese 10/11 ºano VERBO AUXILIAR E VERBO COPULATIVO(2) SUBCLASSES EXEMPLOS Dos tempos compostos: Verbos ter e haver, seguidos do particípio do verbo principal(geralmente termina em ado sendo uma ação já terminada) ou copulativo. NÓS TEMOS TRABALHADO COM AFINCO ELE JÁ HAVIA INFORMADO QUE CHEGARIA TARDE EU JA TINHA COMIDO Da passiva: Verbo ser,seguido do particípio do verbo principal. O teu trabalho FOI considerado o melhor O Livro FOI lido pelo João Modal:Verbos poder,dever e ter de, seguidos do infinitivo do verbo principal. Ele PODE reunir de tarde Os alunos DEVEM estar mais atentos. Tu TENS DE chegar a horas(não é referente aos tempos compostos pois o verbo principal está no infinitvo e o verbo auxiliar existente é “TER DE” .) SUBCLASSE(2) – COPULATIVO EXEMPLO: Copulativo:Estabelece a ligação entre o sujeito e as suas caracteristicas,estado,tempo,espaço, apreciação O filme ERA do interesse de todos A Joana PERMANECE triste
  • 3. Português Gramática Síntese 10/11 ºano MODOS E TEMPOS VERBAIS: MODO INIDCATIVO(INDICA O REAL,O CONCRETO,O CERTO) TEMPO EXEMPLOS Presente -(um verbo no presente indica uma ação que ocorre no momento) Eu falo/ele fala/ nós falamos Pretérito imperfeito-( corresponde a algo feito no passado mas que não foi terminado, um verbo pretérito imperfeito é utilizado normalmente para narrar uma história,contar um acoontecimento pessoal a alguém , mostrando a perspetiva em primeira pessoa) Eu falava , tu falavas, ele falava ...enquanto a avó cozinhava. Pretérito Perfeito- (é como se estivéssemos a referir-nos a algo que aconteceu ontem.)- SIMPLES . (é como se estivéssemos a referir- nos a algo que tem acontecido frequentemente)- COMPOSTO SIMPLES: eu falei/ele comeu/nós dividimos COMPOSTO:eu tenho falado /ele tem comido /nós temos dividido Pretérito mais-que-perfeito- (é usado para indicar uma ação que aconteceu antes de outra ação passada;- acaba frequentemente em “ara” ou “ra”)- SIMPLES COMPOSTO-( O pretérito mais-que-perfeito composto forma-se com o verbo auxiliar “ter”/”haver” no pretérito imperfeito, seguido do particípio passado do verbo principal.) Simples: eu falara/ele comera/nós dividíramos... Composto-eu tinha falado /ele tinha comido/nós tínhamos dividido Futuro-(é usado para referir ações que poderão acontecer...previsões)- SIMPLES/COMPOSTO Simples: eu falarei, ele comerá, nós dividiremos Composto- eu terei falado , ele terá comido, nós teremos dividido
  • 4. Português Gramática Síntese 10/11 ºano MODO CONDICIONAL-(Que depende de uma condição) SUBCLASSE EXEMPLOS SIMPLES-(indica uma situação que apenas aconteceria caso algo antes/ou depois tivesse acontecido) Eu falaria...com ela se não fosse tão envergonhado Composto Ele teria comido com o seu tio....se ele não fizesse tanto barulho a comer. Nós teríamos ido ao S.Martinho...se o nosso carro tivesse gasóleo. MODO IMPERATIVO-(Indica uma ordem ,um pedido ou conselho) EXEMPLOS PRESENTE FALA! ...COME!!...etc FORMAS NÃO FINITAS Infinitvo impessoal Exemplos (Simples)- Falar,comer,dividir Exemplos(composto)- Ter falado, ter comido, ter dividido INFINITIVO PESSOAL Exemplo(Simples)- Falar (eu),comer (eu),dividir(eu),falares (tu) Exemplo (composto)- Ter falado (eu),teres falado(tu) GERÚNDIO Exemplo (Simples) - Falando,comendo,dividindo Exemplo ( Composto)- Tendo falado, Tendo comido, Tendo dividido Participio passado Exemplos: Falado,comido,dividido
  • 5. Português Gramática Síntese 10/11 ºano CONJUNÇÃO E LOCUÇÃO CONJUNCIONAL As conjunções servemparaunir elementos ouoraçõesdeuma determinada frase. Elas podem sercoordenativas ou subordinativas. Esão muitas das vezes osconstituintes de uma oração. -Iremos fazer uma tabela paramelhor distinçãodas diferentes coordenações. CONJUNÇÕESCOORDENATIVAS SUBCLASSES CONJUNÇÕES Loc.conjuncionais Copulativa(1) E,nem,nem...nem Ex:Euqueroistoeisto Nãosó...comotambém/mas também Adversativa(2) Mas Ex:Eleatépodevirmasvaificar naporta. -- Conclusiva(3) Logo Ex:Elesfazem,logoestamos bem -- Disjuntiva(4) Ou,ou...ou,ora...ora, quer...quer,seja...seja Ex:Voualiouali -- Explicativa(5) Pois,que,porquanto Ex:Simvoupoiseuquero --  Os exemplos dados nasconjunções correspondem sequencialmente a: (1)- Oração coordenada copulativa;(2) -Oraçãocoordenada adversativa; (3) Oração coordenada conclusiva; (4)Oraçãocoordenada disjuntiva; (5) Oração coordenada explicativa  Chamam-se locuções caso sejamduas palavras que sirvamcomoconectordas orações/elementos da frase
  • 6. Português Gramática Síntese 10/11 ºano CONJUNÇÕESSUBORDINATIVAS SUBCLASSES Conjunções Loc.Conjuncionais Causal Porque,como(=porque), pois,porquanto,que(=porque) Dadoque,jáque,poisque,porissoque,umavez que,vistoque... Condicional Se,caso Amenosque,anãoserque,contanto que,desdeque,escetose,salvose,semque... Consecutiva Que(antecedidadetão,tal,tanto,detal maneira,detalmodo) Deformaque,demaneiraque,demodoque... Concessiva Embora,conquanto Aindaque,apesarde(que),mesmoque,mesmo se,nemque,pormaisque,pormenosque,se bemque... Comparativa Como Assimcomo...assim(também),bemcomo, comose,mais/menos...do que,tão/tanto...como,quenem... Temporal Quando,apenas,mal,enquanto Àmedidaque,antesque,assimque,até que,depoisque,desdeque,logoque,sempre que,(de)todasasvezesque... Final Que(=paraque),para Paraque,afimdeque,demodoaque.. Completiva Que,se,para -- Apartirdestas conjunções podemos agrupá-lasemdiferentes gruposde Orações Subordinadas (Oraçõescujo desempenhamuma certa função sintática na frase), estandodependentes de uma oração subordinante(oraçãocujo tem oseu próprio sentido,e não tem nenhumaconjunção)
  • 7. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Oraçãosubordinadaadverbial Tiposdeorações Subordinadas adverbiais Descrição Exemplos Causal Exprimemomotivo/causaexpressona oraçãosubordinante. Nãofizisso,que(=porque) estavamuitosol. Nãoposso,pois estou“off” Condicional Exprimeacondiçãodequedependea oraçãosubordinante. Casosaiacedodomédico,ainda vouaocentrodacidade. Devosairdecasaàs8,amenos queestejaachover. Consecutiva Indicaaconsequênciadoevento expressonaoraçãosubordinante. Ouvitantasvezes acançãoque agoranãosaidacabeça. Concessiva Exprimeumaconcessão,istoé,algo contrárioàaçãoapresentadanaoração subordinante,masnãoaimpede. Vamos àfestaembora estejamosdecastigo! Voucorrer,mesmoquechova Comparativa Estabeleceumacomparaçãoentrea oraçãosubordinadaeasubordinante Bifanas émuitomelhordoque cachorros-quentes. Temporal Exprimeumacircunstânciadetempo emrelaçãoaoeventoapresentadona oraçãosubordinante. Semprequevejoestefilme,fico enjoado. Malvejoesterapaz,ficoirritado Final Exprimeafinalidade,o propósito/objetivodaaçãoexpressana oraçãosubordinante. Treinatodososdias ,paraque sejamaisfácilcompetir. Paramelhorar adecoraçãooraçõessubordinadasadverbiais,podemosfazeruma menemónica:“5C`STEF”-CCCCCTF.No entanto mais importante quesaber onome delas ,é sim saber aplica-las. Por isso farei algumasperguntas relativasàs orações subordinadas adverbiais:
  • 8. Português Gramática Síntese 10/11 ºano DIVIDA AS SEGUINTESORAÇÕES: O Noahfez um bolo tãomau, que toda a gentefoi embora. A Joana adormeceu nasaulas, apesarde terdormido bem. O Luís cozinha todosos dias, que a suamãeestá doente. Ele diz que trabalha numa fábrica,para que o seu filho não tenha fome Resolução: (1)- A frase tem dois verbos , por isso têm duas orações. Sendo elas: “O Noah fez um bolo tão mau” e “que toda a gente foi embora” Iremos proceder à classificação das mesmas: Oração Subordinante ( pois refere a ideia principal e habitualmente não tem conjunções) Oração Subordinada Adverbial Consecutiva (por causa da conjunção subordinativa consecutiva “que” , e porque completa a oração subordinante ou adiciona algo a mais ) Atenção que a Oração Subordinante não se encontra sempre no inicio da frase. (2)-”A Joana adormeceu nas aulas”- Oração Subordinante ; “apesar de ter dormido bem”- Oração Subordinada Adverbial Concessiva. DICA: Se estiveres numa quase certeza de identificar a oração, mas como não sabes muito bem se a locução faz parte da oração que estavas prestes a responder. Troca a locução pela conjunção que te lembres que faz parte da tal oração. EX: “apesar de ter dormido bem”- ficaria “embora tenha dormido bem” . E assim que chegarias à conclusão que era sim a oração subordinada adverbial concessiva como tinhas pensado.
  • 9. Português Gramática Síntese 10/11 ºano (3) “O Luís cozinha todos os dias”- Oração Subordinante ; “que a sua mãe está doente”- Oração Subordinada Adverbial Causal (4) A frase tem 3 verbos , sendo assim tem 3 orações: “Ele diz “- Oração Subordinante ; “que trabalha numa fábrica” - Oração Subordinada Substantiva Completiva ; “para que o seu filho não tenha fome” - Oração Subordinada Adverbial Final Tal como deves ter visto, existe aqui uma oração que não aprendeste. A oração subordinada substantiva completiva, esta oração assume variadas vezes grande parte das funções sintáticas, tal como a relativa. Iremos explorar estas orações já a seguir e descreve-las . ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA Orações que assumem funções sintáticas normalmente desempenhadas por nomes ou grupos nominais:sujeito e complemento de um verbo,de um nome ou de um adjetivo. Oraçãosubordinada substantiva Descrição Exemplos Completiva Oraçãoselecionadaporum verbo,umnomeouumadjetivo. Podeserintroduzidapelas conjunçõessubordinativas completivasqueeseepara. Todossabiamqueotestefora adiado. Estamosfelizes dequeoJoão tenhasidoexpulso. Amulhergritoucomomenino queestavadecalções. Relativa Oraçãointroduzidaporumpronome relativo(quem) ,umquantificador relativo(quanto)ouumadvérbio relativo(onde) e(como)sem antecedente Quemacertartudo,ganha Comeuquantohaviano frigorifico Jantámosondenosaconselhaste Adorocomotemaquilhas
  • 10. Português Gramática Síntese 10/11 ºano ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS RELATIVAS Orações quedesempenhamafunçãosintáticademodificadordonome,sendointroduzidasporuma palavrarelativa(pronomesdeterminantes,quantificadores ouadvérbios) Tipos deOrações Descrição Exemplos Restrição Apresentainformação que permiterestringirareferência doantecedente Desempenhaafunçãosintática demodificadordonome restritivo Fuiaopaís quenãoépreciso verparaquerer Oalunoquegritoualtovailevar umaparticipação Explicativa Apresentainformaçãoadicional sobreoantecedenteaquese refere Desempenhaafunçãosintática demodificadordonome apositivo(porissoencontra-se entrevírgulas) Aquelediadedezembro,que euestavadoente,foiumdia mesmofrio. Eles fizeramumbolo,oque salvouafesta Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas Orações subordinadas adverbiais Tipo de Oração Função Sintática Exemplo Todas Modificador-(uma vez que não é selecionado pelo verbo e pode ser excluído sem tirar o sentido da frase) Foi tão mau, como(conjunção sub.causal) tinha previsto. Eu ligaria o ar-condicionado,se estivesse calor
  • 11. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas OraçõesSubordinadasAdjetivas relativas Tipos de oração Função sintática Exemplo Restritiva Modificador restritivo do nome- (restringe a referencia do nome que modifica) Levantem a mão, os alunos que já foram a Leiria Explicativa Modificador apositivo do nome- (fornece informação adicional) Esse hospital, que fica situado na foz, tem camas muito boas. Funções sintáticas desempenhadas pelas orações subordinadas Orações subordinadas substantivas Tipos de Orações Função sintática Exemplos Completiva Sujeito(1) ; complemento direto (2) ; complemento obliquo (3) ; complemento do nome (4) ; complemento do adjetivo (5) Surpreendeu-me que nunca tenhas visto o mar. (1) Os pais desconheciam que o filho ganhara um prêmio. (2) Avisaram-me de que amanhã temos de levar o computador(3) . Chegaram à conclusão de que a obra era muito interessante .(4) Estamos certos de que teremos uma excelente classificação(5)
  • 12. Português Gramática Síntese 10/11 ºano CONTINUAÇÃO* Tipos de Orações Função Sintática Exemplo Relativa Sujeito (1); Complemento direto (2); complemento indireto (3) ; complemento oblíquo(4); complemento agente da passiva (5) ; predicativo do sujeito (6) ; complemento do nome (7) ; complemento do adjetivo (8) ; modificador do grupo verbal (9) Quem me ignorou(1) esqueceu-se do que é a amizade : Vou convidar quem sempre foi meu amigo (2) ; Dou um beijo a quem me apetecer (3) ; Conversei com quem estava na sala de espera (4) ; O ator foi aplaudido por quem estava na plateia (5) ; A final, o ator não era quem eu pensava (6) ; Devemos guardar as fotografias de quem amamos (7) ; Estava certa de quem a ajudou (8) ; Marcámos encontro onde nos vimos pela primeira vez (9)  Dica para saber se é c.indireto , é se existe a antecedência do determinante artigo defnido “a”. (3)  O c.agente da passiva terá sempre a preposição”por” simples ou contraída ,visto que o objeto direto e o sujeito trocaram de posições na frase, sendo necessário o objeto direto dizer quem praticou tal ação ( o sujeito neste caso) . (5)  Para saber que era sujeito (1), bastava fazer a pergunta “Quem é que se esqueceu do que era a amizade”. Sendo a resposta: “Quem me ignorou?”- SUJEITO  É Predicativo do Sujeito pois oração subordinada substantiva relativa , aparece após um verbo copulativo .
  • 13. Português Gramática Síntese 10/11 ºano FUNÇÕES SINTÁTICAS funçõessintáticas Tipos Exemplos SUJEITO Simples(1) composto(2) Subentendido(3) Indeterminado(4) Quemchegartardenãoentra nasala(1) Acozinhaeasalaestãoa arder(2) Nofimdesemana(-)fomosa Leiria.(3) (-)Constaquehaveráumavisita deestudoàcasadeTormes.(4) Predicado (-) Obebéestáadormir Ontem,oriogalgouasmargens naminhafreguesia. Vocativo-Constituinteque designaapessoaouaentidade interpeladapelolocutor. (-) João,atuacamisolaestácom nódoas. Complementodonome- Constituintepelonome (-) Partiascostasdacadeira Tenhoasensaçãodequealgo debomvaiacontecer Aobraqueirosiana évasta Modificadordonome-Constituinte facultativoquepermiteatribuir umacaracterística/informaçãoa umnome Restritivo-Restringeareferênciado nomequemodifica Apositivo-Forneceuma informaçãoadicionalsobreo nome,surgindoentrevírgulas. Ochocolatenegroédelicioso Ojovemdechapéuémeuprimo Encontreiobrincoquetinhas perdido Esteclube,quenãoganhounada, éomeupreferido.
  • 14. Português Gramática Síntese 10/11 ºano FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS DO GRUPO VERBAL TIPOSDEFUNÇÕES Identificação Exemplos C.direto É substituívelpelospronomes pessoais átonoso,a,os,asou pelos pronomes demonstrativosisso,o. Hojeliumlivro nabiblioteca. Elegarantiu queotesteera hoje Elecomprou umgato C.indireto É substituívelpelospronomes pessoais átonoslhe,lhes. Constituígrupooracional introduzidopelapreposição“a” EsseestojopertenceaoIvo. Omédicodavaumbalão a quemseportassebem. C.obliquo Constituinteselecionadopor umverbotransitivoindireto(tal comoocomplementoacima) Nãoconseguesersubstituído poro,a,lhe... AJoanavemaí Os meuspaisforam aLisboa Eleopôs-seaqueoscolegas alterassemadatadoteste. C.agentedapassiva Surgeapenasemfrases passivas,correspondendoao sujeitodafraseativa. Introduzidousualmentepela preposiçãopor(simples ou contraída) Afestaseráplaneadaportodos Amatériafoicompreendidapor quemesteveatento.  Afrase(1)podesersubstituida por“esseestojopertence-me"noentanto“me”éamesma formaátonadopronomepessoalqueoc.direto.COMODISTINGUIR?? Paradistinguirbastavapora3ªpessoadosingular“aobarulho” everentreoc.diretoeo c.indiretoqualdelesficamelhorcomapalavra“pertence”.C.direto-Pertence-o/a ;C.indireto- Pertence-lhe.Concluímosqueéoc.indireto.
  • 15. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Valor aspetual O Aspeto exprime a formacomo a estrutura temporal deuma açãoé perspetivada pelo locutor: a situação expressa no enunciado pode apresentar uma açãocompleta ( Valor perfetivo) ouemdesenvolvimento ( Valor Imperfetivo),bem como a sua regularidade ou a sua frequência. TIPODEVALOR Descrição Exemplos Valorperfetivo  ASituaçãoédescrita comoconcluída.  Opretéritoperfeito simplesestá ,normalmente, associadoaestevalor, assimcomoos verbos auxiliaresacabarde, deixarde,pararde... Ontem,viumfilmemuito importante Jáacabeidelerumlivro Eufizissoontem. Elaignorouorapaz ValorImperfetivo  Asituaçãoé apresentadacomonão concluída.  Opretéritoimperfeito eosverbos auxiliares aspetuais estaraou andara contribuem paraaconstrução destevalor. Araparigacantarolava alegremente Aavóestáafazerum pudim paraasobremesa.
  • 16. Português Gramática Síntese 10/11 ºano VALOR MODAL A modalidade é a forma de, pormeioslinguísticos, os falantes exprimirematitudese opniões sobre o conteúdo dos enunciados queproferem. Modalidade Valormodal Exemplos Epistémica De certeza (1) De probablidade (2) Estouconvicto das minhas capacidades de liderança(1) O Pedro deve ter adormecido (2) Deôntica De obrigação (3) De permissão(4) Tensde arrumar a tua secretaria (3) Depoisde terminares os trabalhos, podes ver televisão.(4) Apreciativa (-) Está um lindo dia! ATOS DE FALA (ATOS ILOCUTÓRIOS) Atos ilocutórios definição exemplo
  • 17. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Assertivo O locutor realizapela pronunciaçãode um enunciadoque implica um certo comprometimento com o valor relativo de verdade/ falsidade.O ato assertivo Considero o Miguel umrapaz muito inteligente. Compromissivos Comprometeo locutor a realizar tal ação , ou a intenção de tal sujeito pratica- la. Encontro-me contigo na escola, às cinco horas. Diretivos Por ordemdo locutor da frase, faz comque o alocutário proceda à realizaçãode tal ação. Incentiva à realizaçãode tal ação. Tragam ocomputador para a aulade amanhã Expressivos Expressa o estado espiritodo locutor Adoro a tua t-shirt! Declarativos O locutor faz com que a realidade seja mudada, acrescentando algo oumudando algo. ( neste caso o locutor temde ter algum poder) Está despedido –declarou o diretor da empresa Declaro-vos casados –disse o padre
  • 18. Português Gramática Síntese 10/11 ºano RECURSOS EXPRESSIVOS Os recursos expressivossãousados demodoadaràfraseumamaiorinteração,embelezamentoepor vezes funcionamcomoformadeimpactaroassuntodafrase. Existemdiferentestipos,porissoéqueosvamos investigartodos: Recursosexpressivos Definição Exemplos Adjetivação Usoliteráriodeadjetivospara qualificarumnomedeforma particularmenteexpressiva.A adjetivaçãopodeser:simples, duplaoutripla;posposta ou antepostaaonome. “Lançamanódoanegrae fúnebredoclero” Eletemumcãofofo,simpático ebrincalhão. Alegoria Textoouimagemquese constróiapartirdesímbolos e metáforas eemque,paraládo seusignificadoliteraloufacial, existeoutrainterpretação. Porexemplo:ODiabo representaraaltanobreza.E os burros representaremo TerceiroEstado(opovo) Aliteração Repetiçãodesons consonânticosnumafraseou emfrasessucessivas “Postoàsombradoscedros tumulares.” Anáfora Repetiçãodepalavraou expressãoeminíciodeversos oudefrasessucessivas. Eraforteparaoosso/Erafraco paraomusculo/Eragordopara oosso/Eramagroparao musculo Anástrofe Alteraçãodaordemdas palavrasnumafrase “Emnada,umimaginar,obem consiste” (obemconsisteemnada,éum imaginar) Antítese Combinaçãodeideias contrárias,originandoum contraste. “É tãobomouviros passarinhos...Penaobarulho horrívelqueelesfazem” Apóstrofe Chamamentoouinterpolação dealguém- umserou ideia “OH DEUS!”
  • 19. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Comparação Associaçãodedoiselementos derealidadediferentes,através deumapalavradeligação Assemelham-seagaivotas, atrás doseualimento. Enumeração Sequênciadepalavras, expressõesouorações, preparadaparaproduzirum efeitoexpressivo. “ quetambémnelashá falsidades,enganos,fingimentos, embustes,ciladas” Eufemismo Expressãoquesuaviza,outorna menos pesada,umaideia desagradavel,trágica...etc “Eletirouofolegodotio” Elematouotio Gradação Sucessãodepalavras ,expressões ouorações organizadas,peloseu significado,numaordem crescenteounumaordem decrescente. “Elecomeu,eledevorou,ele engoliutudo” Hiperbole Expressãoquerepresentaum exagerodequantidadeoude intensidade. “ oamorqueelatinha,easmil mortes quealipadeceu (sofreu),decadavezquea esperançalhemorria” Interrogaçãoretórica Perguntaquenãovisaobter respostas ,masantesproduzir umaafirmaçãocomumefeito emotivooupejorativo “”Quantoàdesumildadenão podemosfazernada,pois não??” Ironia Recursoexpressivoemque umaafirmaçãodeveser entendidanosentidocontrário aoseusignificadoliteral. ““Siméssuperinteligente... voltasteparaoteuex” Metáfora Associaçãodedoiselementos , porcomparação,emqueé omitidootermocomparativo (como,parece,etc..) “Souumpartodaterra monstruoso...”
  • 20. Português Gramática Síntese 10/11 ºano Perífrase Utilizaçãodevárias palavras paraexprimirumaideiaque podiaserreferidanumapalavra ounumabreveexpressão. Elemata–meobichodo ouvido(perturba me) Personificação Atribuiçãodecaracterísticas humanasaanimais,aplantas,a objetosouideiasabstratas. Os livrossuspiravam Pleonasmo Repetiçãodeumamesma ideia,namesmafrase,parase obterumefeitoexpressivo Euquerocumprimentaromeu anjodocéu Sinédoque Substituiçãodeumapalavra poroutra,deformaatornar-se apartepelotodoouotodo pelaparte. “...assustarosmercados, assustarobrasileiro,ea bancarrotaestalava” Trocadilho Jogodepalavrasemquesetira partidododuplosentidode umapalavraouda ambiguidadedesentidode umapalavra “ Oshomenstiveram entranhas(coragem)paradeitar Jonas aomar,eopeixe recolheunas entranhas (interior) aJonasparaolevar vivoàterra“ Estafoiumasíntesedagramáticaquehabitualmentemaisfrequentaostestes dePortuguêsdo10/11 ano.Esperoquetenhasidoútil. PedroRochaDaSilva