SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Porto Editora
Coordenação
e
subordinação
Porto Editora
simples complexa
Frase
Frase simples
Constituída apenas por um verbo ou por um complexo verbal.
Porto Editora
Ex.:
A Maria brinca muito com o irmão. – frase simples (constituída por um verbo)
O Jorge continua a ler aquele livro. – frase simples (constituída por um complexo verbal)
Porto Editora
Ex.:
A mãe usa óculos e o pai tem bigode. – frase complexa (constituída por dois verbos)
O Jorge já estava em casa, mas a Inês acabou de chegar. – frase complexa
(constituída por
um verbo e um complexo verbal)
Frase complexa
Constituída por dois ou mais verbos ou complexos verbais,
ou seja, por duas ou mais orações.
A relação entre orações pode ser
estabelecida por:
Porto Editora
coordenação
subordinação
Porto Editora
A. Coordenação
Consiste na juncão de orações ou de constituintes da frase da
mesma categoria ou que tem a mesma função sintática, por meio de
conjunções (ou locuções conjuncionais) coordenativas ou de
advérbios (ou locuções adverbiais) conectivos.
Porto Editora
assindética sindética
A coordenação pode ser:
Porto Editora
assindética sindética
As orações ou os constituintes não iniciais não se introduzem por
conjunção.
Ex.: [O Pedro jogou ténis], [praticou natação].
Porto Editora
assindética sindética
As orações ou os constituintes não iniciais introduzem-se por
conjunção.
Ex.: [O Pedro jogou ténis] [e praticou natação].
Porto Editora
Recebem o nome da conjunção ou locução conjuncional
coordenativa que as liga, de acordo com o sentido expresso:
1. Oração coordenada
copulativa adversativa
disjuntiva conclusiva
explicativa
Porto Editora
1.1. Oração coordenada copulativa
Expressa ligação ou adição de informações.
Ex.: O público entrou e o espetáculo começou.
Conjunções coordenativas
copulativas
Locuções conjuncionais
coordenativas copulativas
e, nem, nem… nem* não só… mas também,
não só… como também
* Trata-se de conjunções/locuções conjuncionais correlativas, pois
surgem antes de cada elemento coordenado.
Porto Editora
1.2. Oração coordenada adversativa
Estabelece uma oposição, relativamente à oração anterior.
Ex.: Queria participar no concurso, mas o prazo tinha terminado.
Conjunções coordenativas
adversativas
Advérbios (ou locuções adverbiais)
conectivos
mas porém, assim, contudo, todavia, no
entanto, não obstante, ainda assim
Porto Editora
1.3. Oração coordenada disjuntiva
Estabelece uma alternativa em relação à oração anterior.
Ex.: Queres uma pera ou preferes uma laranja?
Conjunções coordenativas disjuntivas
ou, ou… ou*, ora… ora*, quer… quer*, seja… seja*
* Trata-se de conjunções/locuções conjuncionais correlativas, pois
surgem antes de cada elemento coordenado.
Porto Editora
1.4. Oração coordenada conclusiva
Indica uma conclusão/o desfecho de um raciocínio.
Ex.: O telemóvel está sem bateria, logo não te posso ligar.
Conjunções coordenativas
conclusivas
Advérbios (ou locuções
adverbiais) conectivos
logo pois, portanto, assim, por isso
Porto Editora
1.5. Oração coordenada explicativa
apresenta um esclarecimento ou uma justificação.
Ex.: Não posso sair, pois tenho tarefas a cumprir.
Conjunções coordenativas conclusivas
pois, porquanto
Porto Editora
B. Subordinação
A subordinação consiste na junção de orações através de conjunções
ou locuções conjuncionais subordinativas. A oração subordinante e a
oração principal da frase e, geralmente, pode continuar a existir como
oração independente. A oração subordinada apenas tem sentido quando
ligada a subordinante.
Porto Editora
1. Oração subordinada adverbial
As orações subordinadas adverbiais tem esta designação, pois
desempenham funções sintáticas típicas de um advérbio ou de um grupo
adverbial. O seu nome advém da conjunção ou da locução conjuncional
subordinativa que as liga, de acordo com o sentido que expressa.
Porto Editora
1.1. Oração subordinada adverbial temporal
Exprime uma ideia de tempo relativamente ao afirmado na
oração subordinante.
Ex.: Quando viajo de carro, não consigo ler nada.
Conjunções subordinativas
temporais
Locuções conjuncionais
subordinativas temporais
quando, mal, enquanto, apenas logo que, assim que, até que, antes
que
Porto Editora
1.2. Oração subordinada adverbial causal
Transmite a causa do que se afirma na oração subordinante.
Ex.: Não como morangos porque sou alérgico.
Conjunções subordinativas
causais
Locuções conjuncionais
subordinativas causais
porque, que, como visto que, já que, pois que
Porto Editora
1.3. Oração subordinada adverbial final
Expressa a finalidade da ideia indicada na oração subordinante.
Ex.: O Rui adiou a reunião para que pudesse ir comigo.
Conjunções subordinativas finais Locuções conjuncionais
subordinativas finais
que, para para que, a fim de que
Porto Editora
1.4. Oração subordinada adverbial condicional
Indica uma condição que permitirá a realização do que é
expresso na oração subordinante.
Ex.: Só troco de computador se este não tiver conserto.
Conjunções subordinativas
condicionais
Locuções conjuncionais
subordinativas condicionais
se a não ser que, a menos que, desde que,
salvo se
Porto Editora
2. Oração subordinada adjetiva relativa
As orações subordinadas adjetivas tem esta designação, pois
desempenham funções sintáticas típicas de um adjetivo ou de um grupo
adjetival. As orações subordinadas adjetivas relativas são introduzidas por
palavras relativas.
Porto Editora
2.1. Oração subordinada adjetiva relativa restritiva
Limita a informação dada sobre o que a antecede. Na escrita, não
pode ser delimitada por virgulas.
Ex.: O funcionário que me atendeu foi muito simpático.
Porto Editora
2.2. Oração subordinada adjetiva relativa explicativa
Apresenta informação adicional sobre o que a antecede. Na escrita, deve estar
delimitada por virgulas.
Ex.: A minha tia, a quem ofereci uma viagem, criou-me desde pequeno.
Porto Editora
Porto Editora
Em síntese:
Oração coordenada
Copulativa
Adversativa
Disjuntiva
Conclusiva
Explicativa
Porto Editora
Em síntese:
Oração subordinada adverbial
Temporal
Causal
Final
Condicional
Oração subordinada adjetiva relativa
Restritiva
Explicativa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicosSílvia Faim
 
Deixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacialDeixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacialEconomicSintese
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFelisbela da Silva
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textualgracacruz
 
Conjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisConjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisRosalina Simão Nunes
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoquintaldasletras
 
Oração subordinada adjetiva relativa
Oração subordinada adjetiva relativaOração subordinada adjetiva relativa
Oração subordinada adjetiva relativaAntónio Fernandes
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frasesnando_reis
 
Orações coordenadas e subordinadas esquema
Orações coordenadas e subordinadas   esquemaOrações coordenadas e subordinadas   esquema
Orações coordenadas e subordinadas esquemaPaulo Portelada
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - MensagemIga Almeida
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 

Mais procurados (20)

Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Subclasses de verbos
Subclasses de verbosSubclasses de verbos
Subclasses de verbos
 
Modificador da frase
Modificador da fraseModificador da frase
Modificador da frase
 
Deixis
DeixisDeixis
Deixis
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
 
Deixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacialDeixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacial
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9º
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Conjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções ConjuncionaisConjunções e Locuções Conjuncionais
Conjunções e Locuções Conjuncionais
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento direto
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
Oração subordinada adjetiva relativa
Oração subordinada adjetiva relativaOração subordinada adjetiva relativa
Oração subordinada adjetiva relativa
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
Orações coordenadas e subordinadas esquema
Orações coordenadas e subordinadas   esquemaOrações coordenadas e subordinadas   esquema
Orações coordenadas e subordinadas esquema
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Coordenação. Subordinação
Coordenação. SubordinaçãoCoordenação. Subordinação
Coordenação. Subordinação
 
Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 

Destaque

Resumo cavaleiro dinamarca_hp
Resumo cavaleiro dinamarca_hpResumo cavaleiro dinamarca_hp
Resumo cavaleiro dinamarca_hpziquinha
 
Matriz da ficha de avaliação de junho
Matriz da ficha de avaliação de junhoMatriz da ficha de avaliação de junho
Matriz da ficha de avaliação de junhoVanda Marques
 
Coordenação frásica - quadro síntese
Coordenação frásica - quadro sínteseCoordenação frásica - quadro síntese
Coordenação frásica - quadro sínteseFernanda Monteiro
 
43548929 teste-cavaleiro-dinamarca
43548929 teste-cavaleiro-dinamarca43548929 teste-cavaleiro-dinamarca
43548929 teste-cavaleiro-dinamarcaFernanda Antunes
 
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"Vanda Marques
 
Coordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoCoordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoFernanda Monteiro
 
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalhoMarisa Silva
 
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativas
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativasO cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativas
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativasBiblio Tecido
 
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarcaLuciana Melo
 
Formação do Utilizador da Biblioteca Escolar
Formação do Utilizador da Biblioteca EscolarFormação do Utilizador da Biblioteca Escolar
Formação do Utilizador da Biblioteca EscolarLurdes Meneses
 
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bib
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bibGuiao trabalho-de-pesquisa ref bib
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bibLurdes Meneses
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasarmindaalmeida
 
Introdução texto poético
Introdução texto poéticoIntrodução texto poético
Introdução texto poéticoarmindaalmeida
 
O velho, o rapaz e o burro expresso
O velho, o rapaz e o burro expressoO velho, o rapaz e o burro expresso
O velho, o rapaz e o burro expressoSílvia Bastos
 
Síntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicionalSíntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicionalFernanda Monteiro
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosFernanda Monteiro
 

Destaque (19)

Teste sumativo 2
Teste sumativo 2Teste sumativo 2
Teste sumativo 2
 
Resumo cavaleiro dinamarca_hp
Resumo cavaleiro dinamarca_hpResumo cavaleiro dinamarca_hp
Resumo cavaleiro dinamarca_hp
 
Matriz da ficha de avaliação de junho
Matriz da ficha de avaliação de junhoMatriz da ficha de avaliação de junho
Matriz da ficha de avaliação de junho
 
Teste lp
Teste lp Teste lp
Teste lp
 
Coordenação frásica - quadro síntese
Coordenação frásica - quadro sínteseCoordenação frásica - quadro síntese
Coordenação frásica - quadro síntese
 
43548929 teste-cavaleiro-dinamarca
43548929 teste-cavaleiro-dinamarca43548929 teste-cavaleiro-dinamarca
43548929 teste-cavaleiro-dinamarca
 
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"
Roteiro da obra "O Cavaleiro da Dinamarca"
 
Coordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoCoordenação e subordinação
Coordenação e subordinação
 
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho
40134802 cavaleiro-dinamarca-ficha-de-trabalho
 
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativas
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativasO cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativas
O cavaleiro da_dinamarca_seq_narrativas
 
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca
3o teste de_l.p._7o_ano_-_o_cavaleiro_da_dinamarca
 
Formação do Utilizador da Biblioteca Escolar
Formação do Utilizador da Biblioteca EscolarFormação do Utilizador da Biblioteca Escolar
Formação do Utilizador da Biblioteca Escolar
 
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bib
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bibGuiao trabalho-de-pesquisa ref bib
Guiao trabalho-de-pesquisa ref bib
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavras
 
Mundo Bipolar
Mundo BipolarMundo Bipolar
Mundo Bipolar
 
Introdução texto poético
Introdução texto poéticoIntrodução texto poético
Introdução texto poético
 
O velho, o rapaz e o burro expresso
O velho, o rapaz e o burro expressoO velho, o rapaz e o burro expresso
O velho, o rapaz e o burro expresso
 
Síntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicionalSíntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicional
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
 

Semelhante a Tipos de frases e relações entre orações

coordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptxcoordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptxClaudiaMariaReis
 
Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]MartaNeto8
 
3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppttatianesouza923757
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativa
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativaOracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativa
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativaSala Estudo FunnyCenter
 
Coordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoCoordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoorlandoroberto
 
6°ano Articulação entre frases.ppt
6°ano Articulação entre frases.ppt6°ano Articulação entre frases.ppt
6°ano Articulação entre frases.pptSilvanasoares26
 
Conjunções e locuções conjuncionais (orações)
Conjunções e locuções conjuncionais (orações) Conjunções e locuções conjuncionais (orações)
Conjunções e locuções conjuncionais (orações) Pework
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Marcela Cardoso
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdfSusanaRangel12
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Paula Rodrigues
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Ladangulos
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoLurdes Augusto
 
Newfrases composta por subordinação
Newfrases composta por subordinaçãoNewfrases composta por subordinação
Newfrases composta por subordinaçãoflufy
 

Semelhante a Tipos de frases e relações entre orações (20)

coordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptxcoordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptx
 
Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]
 
3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativa
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativaOracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativa
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-ficha-informativa
 
Coordenação e subordinação
Coordenação e subordinaçãoCoordenação e subordinação
Coordenação e subordinação
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
6°ano Articulação entre frases.ppt
6°ano Articulação entre frases.ppt6°ano Articulação entre frases.ppt
6°ano Articulação entre frases.ppt
 
Conjunções e locuções conjuncionais (orações)
Conjunções e locuções conjuncionais (orações) Conjunções e locuções conjuncionais (orações)
Conjunções e locuções conjuncionais (orações)
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Pt8 cdr coordenacao
Pt8 cdr coordenacaoPt8 cdr coordenacao
Pt8 cdr coordenacao
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Frase complexa1
Frase complexa1Frase complexa1
Frase complexa1
 
Conjuncoes2
Conjuncoes2Conjuncoes2
Conjuncoes2
 
Coorden. subord.
Coorden. subord.Coorden. subord.
Coorden. subord.
 
Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
 
Newfrases composta por subordinação
Newfrases composta por subordinaçãoNewfrases composta por subordinação
Newfrases composta por subordinação
 

Mais de Fernanda Monteiro

Mais de Fernanda Monteiro (13)

Artigo cientfico e técnico
Artigo cientfico e técnicoArtigo cientfico e técnico
Artigo cientfico e técnico
 
Texto Argumentativo
Texto Argumentativo Texto Argumentativo
Texto Argumentativo
 
Matriz teste1 8 G
Matriz teste1 8 GMatriz teste1 8 G
Matriz teste1 8 G
 
Matriz teste1 8 F
Matriz teste1 8 FMatriz teste1 8 F
Matriz teste1 8 F
 
Artigo científico e técnico
Artigo científico e técnicoArtigo científico e técnico
Artigo científico e técnico
 
A publicidade
A publicidadeA publicidade
A publicidade
 
Crítica, cartoon e crónica
Crítica, cartoon e crónicaCrítica, cartoon e crónica
Crítica, cartoon e crónica
 
Relações semânticas entre palavras
Relações semânticas entre palavrasRelações semânticas entre palavras
Relações semânticas entre palavras
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
A entrevista
A entrevistaA entrevista
A entrevista
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
Literatura tradicional
Literatura tradicionalLiteratura tradicional
Literatura tradicional
 

Último

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 

Último (20)

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 

Tipos de frases e relações entre orações

  • 3. Frase simples Constituída apenas por um verbo ou por um complexo verbal. Porto Editora Ex.: A Maria brinca muito com o irmão. – frase simples (constituída por um verbo) O Jorge continua a ler aquele livro. – frase simples (constituída por um complexo verbal)
  • 4. Porto Editora Ex.: A mãe usa óculos e o pai tem bigode. – frase complexa (constituída por dois verbos) O Jorge já estava em casa, mas a Inês acabou de chegar. – frase complexa (constituída por um verbo e um complexo verbal) Frase complexa Constituída por dois ou mais verbos ou complexos verbais, ou seja, por duas ou mais orações.
  • 5. A relação entre orações pode ser estabelecida por: Porto Editora coordenação subordinação
  • 6. Porto Editora A. Coordenação Consiste na juncão de orações ou de constituintes da frase da mesma categoria ou que tem a mesma função sintática, por meio de conjunções (ou locuções conjuncionais) coordenativas ou de advérbios (ou locuções adverbiais) conectivos.
  • 7. Porto Editora assindética sindética A coordenação pode ser:
  • 8. Porto Editora assindética sindética As orações ou os constituintes não iniciais não se introduzem por conjunção. Ex.: [O Pedro jogou ténis], [praticou natação].
  • 9. Porto Editora assindética sindética As orações ou os constituintes não iniciais introduzem-se por conjunção. Ex.: [O Pedro jogou ténis] [e praticou natação].
  • 10. Porto Editora Recebem o nome da conjunção ou locução conjuncional coordenativa que as liga, de acordo com o sentido expresso: 1. Oração coordenada copulativa adversativa disjuntiva conclusiva explicativa
  • 11. Porto Editora 1.1. Oração coordenada copulativa Expressa ligação ou adição de informações. Ex.: O público entrou e o espetáculo começou. Conjunções coordenativas copulativas Locuções conjuncionais coordenativas copulativas e, nem, nem… nem* não só… mas também, não só… como também * Trata-se de conjunções/locuções conjuncionais correlativas, pois surgem antes de cada elemento coordenado.
  • 12. Porto Editora 1.2. Oração coordenada adversativa Estabelece uma oposição, relativamente à oração anterior. Ex.: Queria participar no concurso, mas o prazo tinha terminado. Conjunções coordenativas adversativas Advérbios (ou locuções adverbiais) conectivos mas porém, assim, contudo, todavia, no entanto, não obstante, ainda assim
  • 13. Porto Editora 1.3. Oração coordenada disjuntiva Estabelece uma alternativa em relação à oração anterior. Ex.: Queres uma pera ou preferes uma laranja? Conjunções coordenativas disjuntivas ou, ou… ou*, ora… ora*, quer… quer*, seja… seja* * Trata-se de conjunções/locuções conjuncionais correlativas, pois surgem antes de cada elemento coordenado.
  • 14. Porto Editora 1.4. Oração coordenada conclusiva Indica uma conclusão/o desfecho de um raciocínio. Ex.: O telemóvel está sem bateria, logo não te posso ligar. Conjunções coordenativas conclusivas Advérbios (ou locuções adverbiais) conectivos logo pois, portanto, assim, por isso
  • 15. Porto Editora 1.5. Oração coordenada explicativa apresenta um esclarecimento ou uma justificação. Ex.: Não posso sair, pois tenho tarefas a cumprir. Conjunções coordenativas conclusivas pois, porquanto
  • 16. Porto Editora B. Subordinação A subordinação consiste na junção de orações através de conjunções ou locuções conjuncionais subordinativas. A oração subordinante e a oração principal da frase e, geralmente, pode continuar a existir como oração independente. A oração subordinada apenas tem sentido quando ligada a subordinante.
  • 17. Porto Editora 1. Oração subordinada adverbial As orações subordinadas adverbiais tem esta designação, pois desempenham funções sintáticas típicas de um advérbio ou de um grupo adverbial. O seu nome advém da conjunção ou da locução conjuncional subordinativa que as liga, de acordo com o sentido que expressa.
  • 18. Porto Editora 1.1. Oração subordinada adverbial temporal Exprime uma ideia de tempo relativamente ao afirmado na oração subordinante. Ex.: Quando viajo de carro, não consigo ler nada. Conjunções subordinativas temporais Locuções conjuncionais subordinativas temporais quando, mal, enquanto, apenas logo que, assim que, até que, antes que
  • 19. Porto Editora 1.2. Oração subordinada adverbial causal Transmite a causa do que se afirma na oração subordinante. Ex.: Não como morangos porque sou alérgico. Conjunções subordinativas causais Locuções conjuncionais subordinativas causais porque, que, como visto que, já que, pois que
  • 20. Porto Editora 1.3. Oração subordinada adverbial final Expressa a finalidade da ideia indicada na oração subordinante. Ex.: O Rui adiou a reunião para que pudesse ir comigo. Conjunções subordinativas finais Locuções conjuncionais subordinativas finais que, para para que, a fim de que
  • 21. Porto Editora 1.4. Oração subordinada adverbial condicional Indica uma condição que permitirá a realização do que é expresso na oração subordinante. Ex.: Só troco de computador se este não tiver conserto. Conjunções subordinativas condicionais Locuções conjuncionais subordinativas condicionais se a não ser que, a menos que, desde que, salvo se
  • 22. Porto Editora 2. Oração subordinada adjetiva relativa As orações subordinadas adjetivas tem esta designação, pois desempenham funções sintáticas típicas de um adjetivo ou de um grupo adjetival. As orações subordinadas adjetivas relativas são introduzidas por palavras relativas.
  • 23. Porto Editora 2.1. Oração subordinada adjetiva relativa restritiva Limita a informação dada sobre o que a antecede. Na escrita, não pode ser delimitada por virgulas. Ex.: O funcionário que me atendeu foi muito simpático.
  • 24. Porto Editora 2.2. Oração subordinada adjetiva relativa explicativa Apresenta informação adicional sobre o que a antecede. Na escrita, deve estar delimitada por virgulas. Ex.: A minha tia, a quem ofereci uma viagem, criou-me desde pequeno.
  • 26. Porto Editora Em síntese: Oração coordenada Copulativa Adversativa Disjuntiva Conclusiva Explicativa
  • 27. Porto Editora Em síntese: Oração subordinada adverbial Temporal Causal Final Condicional Oração subordinada adjetiva relativa Restritiva Explicativa

Notas do Editor

  1. <number>
  2. <number>
  3. <number>
  4. <number>
  5. <number>
  6. <number>
  7. <number>
  8. <number>
  9. <number>
  10. <number>
  11. <number>
  12. <number>
  13. <number>
  14. <number>
  15. <number>
  16. <number>
  17. <number>
  18. <number>
  19. <number>
  20. <number>
  21. <number>
  22. <number>
  23. <number>
  24. <number>
  25. <number>
  26. <number>